Base de dados : LILACS
Pesquisa : D04.210.500.668.651.693.175 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 15 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 2 ir para página        

  1 / 15 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-989617
Autor: Brandão, Elaine Reis.
Título: Métodos contraceptivos reversíveis de longa duração no Sistema Único de Saúde: o debate sobre a (in)disciplina da mulher / Long-acting reversible contraception methods in the Brazilian Unified National Health System: the debate on women's (in)discipline
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;24(3):875-879, mar. 2019.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Recentemente a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia submeteu ao Ministério da Saúde uma solicitação para oferta no Sistema Único de Saúde de métodos contraceptivos reversíveis de longa duração (LARC), para jovens mulheres de 15 a 19 anos. Os dois dispositivos a serem incluídos seriam o implante subdérmico liberador de etonogestrel, com duração de três anos, e o sistema intrauterino liberador de levonorgestrel, com duração de cinco anos. O Ministério da Saúde abriu então consulta pública para avaliar tal introdução, terminando por decidir contrariamente à inclusão destes métodos na rede pública de saúde. O artigo discute as estratégias discursivas utilizadas para fundamentar e justificar a aceitação e aplicabilidade destes métodos em "populações especiais". O debate sobre o planejamento reprodutivo precisa compreender melhor as descontinuidades contraceptivas no uso de métodos, a centralidade da contracepção de emergência e o quanto as hierarquias de gênero dificultam uma prática contraceptiva segura. Ao contrário, a ênfase na (in)disciplina da mulher no tocante aos cuidados com a utilização de métodos contraceptivos de uso regular termina por reforçar sua condição de menoridade social.

Abstract Recently, the Brazilian Federation of Gynecology and Obstetrics Associations submitted a request to the Brazilian Ministry of Health for an introduction of long-acting reversible contraception (LARC) methods for young women aged 15 to 19 years in the Brazilian Unified National Health System. The two devices to be included were the etonogestrel-releasing subdermal implant (ENG implant), with a duration of three years, and the levonorgestrel-releasing intrauterine system (LNG-IUS), lasting five years. The Ministry of Health then launched a public inquiry to evaluate this introduction, deciding against the inclusion of these methods in the public health services. The article discusses the discursive strategies used to justify the acceptance and applicability of these methods in "special populations." The debate on family planning needs to understand fully the discontinuity of contraception in the use of such methods, the central concept of emergency contraception, and how gender hierarchies prejudice safe contraceptive practice. On the contrary, the emphasis on the (in)discipline of women regarding care with regular-use contraceptive methods effectively reinforces their condition of social minority.
Descritores: Levanogestrel/administração & dosagem
Desogestrel/administração & dosagem
Contracepção Reversível de Longo Prazo/métodos
Programas Nacionais de Saúde
-Fatores de Tempo
Brasil
Anticoncepcionais Femininos/administração & dosagem
Anticoncepção Pós-Coito/métodos
Serviços de Planejamento Familiar
Limites: Humanos
Masculino
Adolescente
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Editorial
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-310396
Autor: Ferreira, Ana C. P; Montes, Marlise B. A; Franceschini, Silvio A; Toloi, Maria R. T.
Título: Efeitos do contraceptivo oral contendo 20ug de etinilestradiol e 150ug de desogestrel sobre os sistemas de coagulaçäo e fibrinóllise / Effects of the oral contendo 20ug of etinilestradiol e 150 ug of desogestral on the coagulation and fibrinolise systems
Fonte: Rev. bras. hematol. hemoter;22(2):77-87, maio-ago. 2000. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: O uso de contraceptivos orais está associado a um risco aumentado de doenças tromboembólicas, o que pode ser explicado pelos seus efeitos sobre o sistema hemostático. Tem sido descrito que o uso de contraceptivos orais promovem alteraçöes pró-coagulantes, e que essas alteraçöes säo acompanhadas dos aumentos da atividade fibrinolítica e dos inibidores naturais da coagulaçäo, o que causaria um restabelecimento do equilíbrio hemostático. O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos do contraceptivo oral contendo 20 ug de etinilestradiol e 150 ug de desogestrelsobre os sistemas de coagulaçäo e fibrinólise. Participaram do estudo 11 voluntárias que foram avaliadas antes e após seis meses de uso do contraceptivo oral. Os parâmetros analisados foram: atividades dos fatores VII, VIII, IX, X e XII (plasmas deficientes em fatores com detecçäo foto-óptica do coágulo), atividades da antitrombina, plasminogênio e a2-antiplasmina (ensaios cromogênicos), quantificaçäo dos antígenos t-PA, produtos de degradaçäo da fibrina e proteínas C e S(ELISA), TP, TTPA e concentraçäo plasmática de fibrinogênico (detecçäo fotoóptica do coágulo). Observamos as seguintes alteraçöes estatisticamente significantes (nível de significância de p<0,05): aumento das atividades dos fatores VIII, IX, X e XII, reduçäo do TTPA, aumento da atividade do plasminogênio, aumento de proteína C e diminuiçäo de proteína S. Com esses resultados sugerimos que o uso do contraceptivo oral testado promove um estado pró-coagulante. Entretanto, os mecanismos de restabelecimento do equilíbrio hemostático näo podem ser garantidos, já que näo observamos alteraçöes suficientes que indiquem isso. Näo observamos aumento nos níveis dos produtos de degradaçäo da fibrina, o que indica que näo ocorreram alteraçöes na gênese e degradaçäo da fibrina. Portanto, sugerimos que o uso do contraceptivo oral pode aumentar o risco de doenças tromboembólicas, principalmente em associaçäo com outros fatores de riscos genéticos e/ou adquiridos.
Descritores: Desogestrel
Anticoncepcionais Orais
Etinilestradiol
Fibrinólise
-Anticoncepcionais Orais Sintéticos
Limites: Humanos
Feminino
Adolescente
Adulto
Responsável: BR408.3 - Biblioteca


  3 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Corrente, José Eduardo
Texto completo
Id: biblio-1040356
Autor: Rizzo, Anapaula da Conceição Bisi; Goldberg, Tamara Beres Lederer; Biason, Talita Poli; Kurokawa, Cilmery Suemi; Silva, Carla Cristiane da; Corrente, José Eduardo; Nunes, Helio Rubens Carvalho.
Título: One-year adolescent bone mineral density and bone formation marker changes through the use or lack of use of combined hormonal contraceptives / Alterações na densidade mineral óssea e nos marcadores de formação óssea em adolescentes usuárias ou não de contraceptivos hormonais orais combinados por período de um ano
Fonte: J. pediatr. (Rio J.);95(5):567-574, Sept.-Oct. 2019. tab.
Idioma: en.
Projeto: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.
Resumo: Abstract Objective: The objective of this study was to evaluate the effects of two low-dose combined oral contraceptives on bone metabolism in adolescents for one year. Methods: This was a quasi-experimental study. The adolescents were divided into three groups: oral contraceptives 1 (n = 42) (20 µg EE/150 µg desogestrel), oral contraceptives 2 (n = 66) (30 µg EE/3 mg drospirenone), and a control group (n = 70). Adolescents underwent anthropometric assessment and densitometry (dual-energy X-ray). Bone age and bone formation markers (osteocalcin and bone alkaline phosphatase) were evaluated. The oral contraceptives users were evaluated again after 12 months. Linear regression analysis was used to indirectly study the effect of each additional year of chronological age on anthropometric and densitometric variables as well as on bone markers in the control group. Results: At study entry, no significant differences were observed between the oral contraceptives 1, oral contraceptives 2, and controls in the analyzed variables. Linear regression analysis showed an increase in bone mineral density and bone mineral content for each additional year. There was a significant reduction in bone alkaline phosphatase levels; no significant difference was observed for osteocalcin in control individuals. Comparison of dual-energy X-ray variables at baseline and after one year showed no significant differences in the oral contraceptives 1 or oral contraceptives 2 groups. A significant reduction in bone alkaline phosphatase and osteocalcin levels was observed in both the oral contraceptives 1 and oral contraceptives 2 groups. Conclusion: Adolescent women gain peak bone mass during this phase of life. Two low-dose combined oral hormonal contraceptives were associated with lower bone gain and lower bone formation markers than in untreated controls.

Resumo: Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos de dois contraceptivos orais combinados de baixa dosagem por um ano sobre o metabolismo ósseo em adolescentes. Métodos: Este foi um estudo quase experimental. As adolescentes foram divididas em três grupos: contraceptivos orais 1 (n = 42) (20 µg de EE/150 µg de desogestrel), contraceptivos orais 2 (n = 66) (30 µg EE/3 mg de drospirenona) e grupo controle (n = 70). As adolescentes foram submetidas à avaliação antropométrica e densitometria (raio-X de dupla energia). Foram avaliados a idade óssea e os marcadores de formação óssea (osteocalcina e fosfatase alcalina óssea). As usuárias de contraceptivos orais foram novamente avaliadas após 12 meses. A análise de regressão linear foi utilizada para estudar, indiretamente, o efeito de cada ano adicional da idade cronológica sobre as variáveis antropométricas e densitométricas e sobre os marcadores ósseos no grupo de controle. Resultados: No início do estudo, não foram observadas diferenças significativas nas variáveis analisadas entre as usuárias de contraceptivos orais 1, contraceptivos orais 2 e o grupo controle. A análise de regressão linear mostrou um aumento na densidade mineral óssea e no conteúdo mineral ósseo para cada ano adicional. Houve uma redução significativa nos níveis de fosfatase alcalina óssea e não foi observada diferença significativa para osteocalcina nos indivíduos controles. A comparação das variáveis do raio-X de dupla energia no início e após um ano não mostrou diferença significativa no grupo de contraceptivos orais 1 ou contraceptivos orais 2. Foi observada uma redução significativa nos níveis de fosfatase alcalina óssea e osteocalcina nos dois grupos contraceptivos orais 1 e contraceptivos orais 2. Conclusão: As adolescentes atingiram o pico de massa óssea durante essa fase da vida. Duas formulações de contraceptivos hormonais orais de baixa dosagem, após um ano de uso, se associaram a menor incremento na densidade mineral óssea e menor concentração de marcadores de formação óssea quando confrontados com resultados de adolescentes não usuárias de contraceptivos.
Descritores: Osteogênese/efeitos dos fármacos
Densidade Óssea/efeitos dos fármacos
Desogestrel/administração & dosagem
Anticoncepcionais Orais Hormonais/administração & dosagem
Etinilestradiol/administração & dosagem
Androstenos/administração & dosagem
-Osteogênese/fisiologia
Valores de Referência
Fatores de Tempo
Densidade Óssea/fisiologia
Modelos Lineares
Osteocalcina/análise
Antropometria
Análise de Variância
Estatísticas não Paramétricas
Fosfatase Alcalina/análise
Ensaios Clínicos Controlados não Aleatórios como Assunto
Limites: Humanos
Feminino
Criança
Adolescente
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: biblio-844521
Autor: Leal F, Ingrid; Molina, Temístocles; Montero, Adela; González, Carolina; Macintyre, Anna.
Título: Patrón de sangrado uterino en adolescentes usuarias de implante anticonceptivo subdérmico de etonogestrel / Uterine bleeding patterns of adolescents using the long term etonogestrel contraceptive implant
Fonte: Rev. chil. obstet. ginecol;81(6):489-495, dic. 2016. tab.
Idioma: es.
Resumo: Objetivo: Describir las características del patrón sangrado uterino de las adolescentes que usan el implante anticonceptivo sudérmico de etonogestrel (IASE) que concurren a un centro especializado en salud sexual y reproductiva de adolescentes en Santiago, Chile, y su asociación con variables biopsicosocial. Método: Estudio de cohorte retrospectiva de las usuarias de IASE. Los datos fueron analizados utilizando la ecuación de estimación generalizada, análisis de sobrevida de Kaplan Meier y test de log-rank. Resultados: La cohorte incluyó a 62 adolescentes. La media de edad fue de 16,2 años. Las participantes recibieron asesoramiento anticonceptivo antes de la inserción del IASE, y fueron seguidas durante tres años. Los patrones de sangrado más frecuentes durante el primer año fue el de amenorrea (40,5%) y el sangrado aceptable (27,1%), mientras que el menos frecuente fue prolongado y/o sangrado frecuente (15,8%). De acuerdo con el análisis de sobrevida, la única variable biopsicosocial asociado con patrón prolongado y/o sangrado frecuente fue condición médica previa. Cinco adolescentes (8%) se retiraron el IASE. Conclusiones: El IASE es una opción anticonceptiva segura y altamente eficaz para las adolescentes, independientemente de la paridad. La consejería es de gran importancia para fomentar la tolerancia y la adhesión al implante.

Objectives: To describe uterine bleeding patterns of adolescents using the long term etonogestrel contraceptive implant (ENG implant) attending a specialized adolescent sexual and reproductive health centre in Santiago, Chile, and test their association with bio-psychosocial variables. Methods: A retrospective cohort study of ENG implant users was conducted and data were analysed using the Generalized Estimating Equation, Kaplan Meier Survival Analysis and Log-Rank Test. Results: The cohort included 62 adolescents with and average age at inclusion of 16.2 years. Participants received contraceptive counselling prior to insertion of an ENG implant, and were followed up for three years. The most frequent bleeding patterns during the first year were amenorrhea (40.5%) and acceptable bleeding (27.1%), whilst the least frequent was prolonged and/or frequent bleeding (15.8%). According to the survival analysis, the only bio-psychosocial variable associated with prolonged and/or frequent bleeding was prior medical condition. Five adolescents (8%) withdrew from the treatment. Conclusions: The ENG implant is a safe and highly effective contraceptive option for adolescents, regardless of parity. Counselling is of great importance to foster tolerance and adherence to the ENG implant.
Descritores: Anticoncepcionais Orais Combinados/administração & dosagem
Desogestrel/administração & dosagem
Dispositivos Intrauterinos Medicados
Menstruação/efeitos dos fármacos
-Amenorreia
Anticoncepcionais Orais Combinados/farmacologia
Desogestrel/farmacologia
Implantes de Medicamento
Seguimentos
Menstruação/psicologia
Análise de Sobrevida
Limites: Humanos
Feminino
Adolescente
Adulto Jovem
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  5 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-646663
Autor: Vázquez, F. R.
Título: Supresión ovárica prolongada: indicaciones en anemias ferroprivas y dismenorrea esencial / Prolonged ovarian suppression: indications anemia and dysmenorrhea ferroprivas essential
Fonte: Rev. med. Tucumán;18(1):32-38, abr. 2012.
Idioma: en; es.
Descritores: Menorragia/tratamento farmacológico
Distúrbios Menstruais/complicações
Distúrbios Menstruais/tratamento farmacológico
-Acetato de Medroxiprogesterona/uso terapêutico
Anemia Ferropriva/etiologia
Desogestrel/uso terapêutico
Dismenorreia/tratamento farmacológico
Etilestrenol/uso terapêutico
Levanogestrel/uso terapêutico
Limites: Humanos
Adolescente
Adulto
Feminino
Adulto Jovem
Responsável: AR1.1 - Biblioteca Rafael Herrera Vegas


  6 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Corleta, Helena von Eye
Texto completo
Id: lil-604867
Autor: Vigo, Francieli; Lubianca, Jaqueline Neves; Corleta, Helena von Eye.
Título: Progestógenos: farmacologia e uso clínico / Progestagens: pharmacology and clinical use
Fonte: Femina;39(3), mar. 2011. tab, ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Os progestógenos são esteroides que podem ser sintéticos ou naturais. A progesterona é o único progestágeno natural. Os progestógenos sintéticos tentam mimetizar o efeito da progesterona, e são chamados de progestinas. Cada progestina apresenta diferentes propriedades farmacológicas, dependendo da molécula da qual foi originada, usualmente testosterona e progesterona. Pequenas mudanças estruturais nas moléculas originais levam a diferenças consideráveis na atividade de cada uma das progestinas. O objetivo deste trabalho é revisar a origem dos progestógenos, as peculiaridades de cada grupo e seu uso clínico mais comum. As informações já levantadas sobre o efeito das progestinas em patologias importantes e prevalentes, como o câncer de mama e eventos tromboembólicos, também será abordado.

Progestagens are natural or synthetic steroids, and progesterone is the only natural one. Synthetic progestagens, called progestins, were created to mimic the effects of natural progesterone. The progestins have different pharmacological properties depending on the parent molecule, usually testosterone or progesterone, from which they are derived. Very small structural changes in the original molecule may induce considerable differences in the activity of the derivative. The aim of this paper is to review the origin of each progestin, the peculiarities of each group and its most common clinical use. The current knowledge about the effect of progestins on important and prevalent diseases, such as breast cancer and thromboembolic events, will also be addressed.
Descritores: Desogestrel/farmacologia
Espironolactona/análogos & derivados
Estranos/farmacologia
Gonanos/farmacologia
Neoplasias da Mama/induzido quimicamente
Progesterona/análogos & derivados
Progesterona/farmacologia
Progestinas/farmacologia
Progestinas/síntese química
Progestinas/uso terapêutico
-Tromboembolia/induzido quimicamente
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR1365.1 - Biblioteca Biomédica A - CB/A


  7 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-539469
Autor: Ballarotti, Débora Tramujas; Moraes, Wanderlei de; Oliveira, Cláudio Alvarenga de; Felippe, Érica C; Moreira, Nei.
Título: Avaliação de protocolos para indução de inatividade ovariana em gatas domésticas / Evaluation of protocols for induction of inactivity ovarian in domestic cats
Fonte: Braz. j. vet. res. anim. sci;46(6):465-473, 2009. graf, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Os índices de prenhez após inseminação artificial em felídeos selvagens não são satisfatórios devido ao variável ambiente endócrino após a estimulação com gonadotropinas. O objetivo deste estudo consistiuem aumentar a taxa de sucesso em programas de inseminação artificial em gatas domésticas (animal modelo). As fêmeas (n=9) foram divididas em três grupos, cada um com três animais, sendo: 1) controle(C), somente 200 UI eCG/ 100 UI hCG ; 2) levonorgestrel oral (L)(0,075 mg) durante 37 dias + eCG/hCG; 3) etonogestrel (E), implante subdérmico durante 37 dias + eCG/hCG. Foram submetidas ao exame laparoscópico 29-39 horas após a administração de hCG para verificação da resposta ovariana e realização de esfregaço vaginal para monitoração da fase do ciclo estral. Foram coletadas amostras de fezes 60 dias antes e 60 dias após o tratamento com gonadotropinas para dosagem hormonal de estrógenos. Os resultados foram avaliados através do Teste ANOVA. Os níveis de significância mostraram que o Grupo E, em contraste com o Grupo C e o Grupo L, apresentou inibição satisfatória das concentrações de estrógenos durante a sua utilização. O grupo L não apresentou inibição ovariana durante o tratamento e diferença significativa em relação ao Grupo C. No exame laparoscópico todas as fêmeas dos grupos C, L e E apresentaram folículos e 77% das fêmeas apresentaram corpo lúteo. Também apresentaram células epiteliais superficiais anucleadas e nucleadas características de estro. Concluiu-se que a utilização de implantes de etonogestrel em gatas domésticas mostrou-se eficaz, possibilitando asua utilização prévia aos programas de inseminação artificial, aspiração folicular e também para a contracepção.

Reproductive success in endangered captive small felids species is veryl ow. Due to great variability in endocrine environment post gonadotropin treatment, after artificial insemination pregnancy rates are very low. Nowadays, ovarian activity controll improves the AI success in many species. In this study, new protocols were compared to improve the fertilization rates in artificial insemination programs in domestic cat. Female domestic cats were divided in three treatments: 1) control (eCG/hCG); 2) levonorgestrel (0.075 mg) orally during 37days + eCG/hCG; 3) etonogestrel subdermal implant during 37days + eCG/hCG: Laparoscopies were done 29-39 hours post hCG treatment to verify ovarian activity. Vaginal swabs were collected at laparoscopic procedures. Fecal samples were colected 60 days before, during and 60 days after the gonadotropin treatment for estradiol assay. Means comparisons were done by ANOVA test. Results demonstrated that etonogestrel (implant) and not oral levonorgestrel successfully suppressed ovarian activity. The levonorgestrel group didnot show ovarian inactivity during the administration, presenting oestradiol peaks and without significative diference comparing to control group. All females presented anuclear and nuclear superficial vaginal epithelial cells at laparoscopies. In conclusion, the etonogestrel implant used in the domestic cat was efficient and can be used previous to gonadotropin protocol in artificial insemination programs, follicular aspiration and contraception
Descritores: Anticoncepcionais Orais Sintéticos/farmacologia
Fertilização/fisiologia
Gatos/fisiologia
Indução da Ovulação/veterinária
Inseminação Artificial/veterinária
Ovário/fisiologia
-Análise de Variância
Anticoncepção/métodos
Desogestrel/farmacologia
Fertilização
Gonadotropinas/farmacologia
Inseminação Artificial/normas
Levanogestrel/farmacologia
Limites: Animais
Feminino
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  8 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: lil-464953
Autor: Patiño V., Adolfo; Ruelas C., M. Del Rosario; Villarreal R., Enrique; Martínez G., Lidia; Galicia R., Liliana; Vargas D., Emma Rosa.
Título: Evolución a un año de los efectos adversos, en una cohorte de pacientes con implante subdérmico de Desogestrel / Adverse effects of subdermal Desogestrel implants: one year evolution
Fonte: Rev. chil. obstet. ginecol;71(3):170-173, 2006. tab.
Idioma: es.
Resumo: Objetivo: El propósito de la investigación fue evaluar la evolución a un año los efectos adversos en una cohorte de pacientes con implante subdérmico de desogestrel. Método: Se incluyeron pacientes portadoras de implante que tenían como mínimo tres meses de uso, previo consentimiento informado. Se realizaron 4 mediciones en forma trimestral, registrándose los efectos más frecuentes referidos por la paciente. El análisis incluyó porcentajes, promedios e intervalos de confianza al 95 por ciento. Resultados: Se estudiaron 50 pacientes, los efectos adversos presentados con mayor frecuencia en el primer trimestre fueron alteraciones del ciclo 48 por ciento, mastalgia 46 por ciento, amenorrea 40 por ciento, mareo 40 por ciento, cefalea 40 por ciento, náuseas 30 por ciento, acné 28 por ciento, aumento de peso 26 por ciento y dolor local 10 por ciento. Se observó al final del tercer trimestre reducción de la cefalea, mastalgia y mareo (p<0,05); para el cuarto trimestre las náuseas y las alteraciones del ciclo (p<0,05). El 11,1 por ciento de las pacientes desertaron del método al final del estudio. Se observó que el uso del desogestrel tuvo un valor estadísticamente significativo para el control de la dismenorrea (p<0,05) al final del cuarto trimestre de uso. Conclusión: Los implantes de desogestrel tienen efectos adversos importantes en los primeros meses de uso para disminuir la mayoría de ellos al final del primer año.
Descritores: Implantes de Medicamento
Desogestrel/administração & dosagem
Desogestrel/efeitos adversos
-Anticoncepcionais Femininos/administração & dosagem
Anticoncepcionais Femininos/efeitos adversos
Estudos de Coortes
Intervalos de Confiança
Ciclo Menstrual
Relação Dose-Resposta a Droga
Estudos Longitudinais
Fatores de Tempo
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  9 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-331085
Autor: Carranza-Lira, Sebastián; Magaña-Padilla, Norma Regina.
Título: Cambios ultrasonográficos y en lípidos en el síndrome de ovario poliquÝstico de acuerdo al tipo de tratamiento / Ultrasonographic and lipid changes in polycystic ovary syndrome according to the type of treatment
Fonte: Ginecol. obstet. Méx;70(6):285-288, jun. 2002.
Idioma: es.
Resumo: OBJECTIVE: To determine the ultrasonographic and lipid changes in women with polycystic ovary syndrome (PCOS) according to the type of hormonal treatment. STUDY DESIGN: Thirty-two women with clinical and ultrasonographic diagnosis of PCOS were studied and randomly distributed in one or another treatment group. Group I: chlormadinone (2 mg/day for 5 days every month) (n = 16) and Group II: ethinylestradiol 35 micrograms plus desogestrel 150 mg (21 days every month) (n = 16). At baseline and at third month a pelvic ultrasound was done to assess the number and size of follicles, also total cholesterol and triglycerides were measured. RESULTS: In both groups a significant decrease was found in the number of follicles in both ovaries, but only in group II there was a significant decrease in follicular size in both ovaries. No differences were found between the groups in the number of follicles or in the final follicular size. In both groups, a significant decrease was found in total cholesterol levels, without changes in triglycerides levels. CONCLUSION: Only combined therapy decreased follicular size. So the type of treatment should be based on patient expectations such as sexual activity, or for control of androgen excess.
Descritores: Acetato de Clormadinona
Colesterol
Desogestrel
Congêneres do Estradiol
Etinilestradiol
Progestinas
Síndrome do Ovário Policístico/tratamento farmacológico
Triglicerídeos/sangue
-Desogestrel
Quimioterapia Combinada
Congêneres do Estradiol
Etinilestradiol
Folículo Ovariano
Progestinas
Índice de Gravidade de Doença
Síndrome do Ovário Policístico/sangue
Síndrome do Ovário Policístico
Resultado do Tratamento
Limites: Adulto
Feminino
Humanos
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 15 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-330236
Autor: Augé, Luis.
Título: Preguntas al experto / Questions to the expert: endometriosis
Fonte: Rev. Soc. Argent. Ginecol. Infanto Juvenil;9(3):173-174, 2002.
Idioma: es.
Descritores: Endometriose
-Danazol
Desogestrel
Endometriose
Gestrinone
Laparoscopia
Reoperação
Limites: Humanos
Adolescente
Feminino
Responsável: AR144.1 - CIBCHACO - Centro de Información Biomedica del Chaco



página 1 de 2 ir para página        
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde