Base de dados : LILACS
Pesquisa : D04.210.500.668.651.693.651 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 33 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 4 ir para página            

  1 / 33 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Abdo, Carmita Helena Najjar
Texto completo
Id: biblio-1046495
Autor: Lara, Lucia Alves da Silva; Lopes, Gerson Pereira; Scalco, Sandra Cristina Poerner; Vale, Fabiene Bernardes Castro; Rufino, Andrea Cronemberger; Troncon, Júlia Kefalás; Abdo, Carmita Helena Najjar; Serapião, Jorge José; Aguiar, Yara.
Título: Tratamento das disfunções sexuais no consultório do ginecologista / Treatment of sexual dysfunctions at the doctor's office gynecologist
Fonte: Femina;47(2):66-74, 20190228. ilus.
Idioma: pt.
Descritores: Disfunções Sexuais Fisiológicas/tratamento farmacológico
Disfunções Sexuais Psicogênicas/tratamento farmacológico
Terapia de Reposição Hormonal
-Disfunções Sexuais Fisiológicas/terapia
Educação Sexual/métodos
Testosterona/uso terapêutico
Neurotransmissores
Sexualidade
Disfunções Sexuais Psicogênicas/terapia
Estrogênios/uso terapêutico
Noretindrona/uso terapêutico
Limites: Humanos
Feminino
Tipo de Publ: Protocolo de Ensaio Clínico
Responsável: BR1365.1 - Biblioteca Biomédica A - CB/A


  2 / 33 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Baracat, Edmund Chada
Texto completo
Id: lil-741424
Autor: Lakryc, Eli Marcelo; Machado, Rogério Bonassi; Soares Jr, José Maria; Baracat, Edmund Chada.
Título: What is the influence of hormone therapy on homocysteine and crp levels in postmenopausal women?
Fonte: Clinics;70(2):107-113, 2/2015. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: OBJECTIVE: To evaluate the influence of estrogen therapy and estrogen-progestin therapy on homocysteine and C-reactive protein levels in postmenopausal women. METHODS: In total, 99 postmenopausal women were included in this double-blind, randomized clinical trial and divided into three groups: Group A used estrogen therapy alone (2.0 mg of 17β-estradiol), Group B received estrogen-progestin therapy (2.0 mg of 17 β-estradiol +1.0 mg of norethisterone acetate) and Group C received a placebo (control). The length of treatment was six months. Serum measurements of homocysteine and C-reactive protein were carried out prior to the onset of treatment and following six months of therapy. RESULTS: After six months of treatment, there was a 20.7% reduction in homocysteine levels and a 100.5% increase in C-reactive protein levels in the group of women who used estrogen therapy. With respect to the estrogen-progestin group, there was a 12.2% decrease in homocysteine levels and a 93.5% increase in C-reactive protein levels. CONCLUSION: Our data suggested that hormone therapy (unopposed estrogen or estrogen associated with progestin) may have a positive influence on decreasing cardiovascular risk due to a significant reduction in homocysteine levels. .
Descritores: Proteína C-Reativa/metabolismo
Terapia de Reposição de Estrogênios/métodos
Estrogênios/uso terapêutico
Homocisteína/sangue
Pós-Menopausa/sangue
Progestinas/uso terapêutico
-Fatores Etários
Brasil
Doenças Cardiovasculares/prevenção & controle
Método Duplo-Cego
Combinação de Medicamentos
Estradiol/administração & dosagem
Seguimentos
Estudos Longitudinais
Noretindrona/administração & dosagem
Noretindrona/análogos & derivados
Pacientes Desistentes do Tratamento
Estudos Prospectivos
Limites: Feminino
Humanos
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 33 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-587083
Autor: Chnee, Lúcia Helena.
Título: Avaliação do tratamento hormonal e/ou intervencionista por punção nos tumores císticos de ovários / Evaluation of hormonal treatment and/or intervention through aspiration of ovarian cystic tumors.
Fonte: São Paulo; s.n; 2006. 106 p. ilus, tab.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar em mulheres com tumores císticos de ovário, a proporção que, somente com o tratamento clínico e/ou punção, não necessitaram de cirurgia; a influência da medicação e das doenças associadas na indicação de cirurgia e se a punção reduziu significativamente o tamanho dos cistos. Casuística e métodos: Selecionaram-se 71 mulheres com idade entre 19 e 70 anos de idade, portadoras de tumores císticos de ovário maior que 5 cm, com características de benignidade ao ultra-som transvaginal com Doppler colorido e pulsado e com perfil endócrino e marcadores séricos tumorais normais. Foram divididas em cinco grupos: 1) Grupo A: 15 mulheres que fizeram uso de acetato de noretisterona; 2) Grupo B: 13 mulheres que fizeram uso de acetato de medroxiprogesterona; 3) Grupo C: 14 mulheres que utilizaram contraceptivo oral; 4) Grupo D: 15 mulheres que foram tratadas com análogo de GnRH e 5) Grupo E: 14 mulheres que não fizeram uso de medicação. Todos os grupos foram acompanhados por um ano. No final do primeiro trimestre, se o cisto persistiu, foi realizada a punção. No final do segundo trimestre, se houve recidiva do cisto, foi indicada cirurgia. As pacientes tiveram alta após um ano de acompanhamento com o tratamento do cisto concluído. Resultados: Não houve diferenças significantes entre os cinco grupos. Constatou-se que a condição de uso de medicação para doença associada teve influência significativa no resultado dos tratamentos. Verificou-se que a redução do tamanho do cisto com a punção foi efetiva após 9 meses de acompanhamento. Observou-se que 7% das mulheres tiveram indicação direta para cirurgia sem a punção, portanto, a proporção de recidiva da punção foi de 19,3% enquanto a porcentagem de mulheres que não fizeram a cirurgia foi de 73,2%. Conclusão: A proporção de mulheres que responderam adequadamente somente com o tratamento clínico e/ou a punção, não necessitando pois de cirurgia foi de 73,2%...

Objectives: To evaluate the rate of women with ovarian cystic tumors submitted to diferent regimens of hormonal treatment and/or aspiration that didn't need surgery. To access the effectiveness of ovarian cyst aspiration guided by ultrasonography (USG) and to study the influence of medication and associated diseases in the need for surgery. Patients and Methods: Seventy one (71) women, in an age range from 19 to 70 years, diagnosed with ovarian cysts larger than 5 cm in length, with benign aspect, examined using an ultrasonographic transvaginal probe and color Doppler. All the women have been submitted to measurements of ser um tumor markers and hormonal levels. They were grouped in five different categories: 1) Group A: 15 women treated with noretisterone acetate; 2) Group B: 13 subjects treated with medrooxiprogesterone acetate; 3) Group C: 14 patients treated with combined oral contraceptive; 4) Group D: 15 women treated with GnRH analog, and 5) Group E: 15 women with no treatment control). After 3 months, all the patients were reevaluated. In those ones whose cysts remained, cyst aspiration guided by ultrasonography was indicated. After 3 extra months, the women were submitted to a new USG examination and in those whose cysts still remained, surgery was performed. All the patients were followed for one year. Results: There was no significant difference among the groups of hormonal treatment. The use of medication promoted a significant influence in the treatment outcomes. We also noted that the cyst aspiration was effective in reducing the size of the cysts after 9 months of follow up. Seven per cent (7%) of the patients have had immediate indication for surgery. Among those who was submitted to cyst aspiration, 19.3% had to be resubmitted to treatment because of re-incidence of the cyst, whereas, 73.2% avoid the need for surgery. Conclusions: The proportion of subjects treated with hormones and/or cyst aspiration, with no need for surgery, was of 73.2%...
Descritores: Biópsia por Agulha
Anticoncepcionais Orais
Cistos Ovarianos/cirurgia
Cistos Ovarianos/terapia
Hormônio Liberador de Gonadotropina
Acetato de Medroxiprogesterona
Noretindrona
Cistos Ovarianos
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR66.1 - Divisão de Biblioteca e Documentação
BR66.1; W4.DB8, C472a, FM-2, 2006


  4 / 33 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Venezuela
Texto completo
Id: lil-466073
Autor: Reyna Villasmil, Eduardo; Guerra Velásquez, Mery; Reyna Villasmil, Nadia; Mejía Montilla, Jorly; Flores Montero, Ina.
Título: Concentraciones de estradiol y acetato de noretisterona y mediciones antropométricas en menopáusicas obesas y no obesas / Estadiol and norethisterone acetate concentrations and antropometric measures in obese and non-obese menopausal women
Fonte: Rev. obstet. ginecol. Venezuela;66(3):169-174, sept. 2006. tab.
Idioma: es.
Resumo: Determinar los efectos de la combinación estradiol y acento de noretistero sobre las concentraciones hormonales y las mediciones antropométricas en menopáusicas obesas y no obesas. Consulta de menopausia del Hospital Central Dr. Urquinaona". Maracaibo. Se seleccionaron 60 menopáusicas, treinta de las cuales fueron tratadas con 2 mg de estradiol y 1 mg de acetato de noretisterona diario. El grupo de mujeres no utilizaba ni tenia antecedentes del uso de ningún tipo o combinación de terapia hormonal de reemplazo. Se determinaron el peso, talla, estrona, estradiol, hormona del crecimiento, factor 1 similar a la insulina, cortisol y androstenodiona. La estrona y el estradiol fueron mayores en los usuarios de estradiol y acetato de noretisterona comparado con las no usuarias (P<0.05). Las obesas usuarias de la combinación tenían mayores concentraciones de estradiol que las usuarias no obesas (P<0.05). Las no obesas usuarias de la combinación tenían concentraciones mayores de hormona de crecimiento que el resto de las menopásicas (P<0,05). Las concentraciones de factor 1 similar a la insulina fueron significativamente menores en las obesas usuarias de la combinación (P>0,05). Las no obesas usuarias de estradiol y acetato de noretisterona tenían concentraciones de cortisol significativamente mayores (p<0,05). El uso de estradiol y acetato de noretisterona produce un aumento significativo en las concentraciones de hormona del crecimiento y cortisol con concentraciones significativamente más bajos de factor 1 similar a la insulina en las menopáusicas no obesas. La combinación debe ser utilizada de forma racional en las menopáusicas obesas debido a las altas concentraciones séricas estrógenos que se observan
Descritores: Antropometria
Estradiol
Menopausa
Noretindrona
Obesidade
-Ginecologia
Obstetrícia
Venezuela
Limites: Feminino
Adulto
Humanos
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: VE1.1 - Biblioteca Humberto Garcia Arocha


  5 / 33 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Venezuela
Texto completo
Id: lil-466041
Autor: Reyna Villasmil, Eduardo; Guerra Velásquez, Mery; Reyna Villasmil, Nadia; Mejía Montilla, Jorly; Flores Montero, Ina.
Título: Efectos del estradiol y acetato de noretisterona sobre los lípidos y la lipoproteína (a) sérica en posmenopáusicas ooforectomizadas / Effects del estradiol and norethisterone acetate on lipids and serum lipoprotein (a) in oophorectomized postmenopausal women
Fonte: Rev. obstet. ginecol. Venezuela;67(1):41-46, mar. 2007. tab, graf.
Idioma: es.
Resumo: Determinar los efectos del estradiol y acetato de noretisterona sobre el perfil lipídico y la lipoproteína (a) en posmenopáusicas sanas ooforestomizadas. Se incluyeron treinta y seis mujeres sometidas a histerectomía y salpingo-ooforectomía bilateral con sintomas climatéricos. Las posmenopáusicas fueron tratadas con 2 mg de estradiol y 1 mg de acetato de noretisterona diario por 12 meses. Se midieron las concentraciones séricas de triglicéridos, HDL colesterol. LDL colesterol y colesterol y lipoproteína (a) al inicio del estudio y a los 3, 6, 9 y 12 meses de tratamiento. Hospital Central "Dr. Urquinaona", Maracaibo. No se observaron cambios estadísticamente significativos de colesterol, triglicéridos y LDL colesterol después de 3, 6, 9 y 12 meses de tratamiento cuando se comparó con los valores iniciales (P = ns). Desde los primeros 3 meses de tratamiento se observo un incremento en los valores de HDL colesterol (P < 0,05). Durante los primeros 3 meses de tratamiento los niveles de lipoprotéina (a) no variaron en forma significativa (P = ns). A partir de los 6 meses de tratamiento y a los 9 y 12 meses, estos niveles séricos se incrementaron en forma estadísticamente significativa cuando se compararon con los valores iniciales (P < 0,05). La administración oral de estradiol y acetato de noretisterona produce cambios significativos en los niveles de HDL colesterol y lipoprotéina, sin afectar las concentraciones séricas de colesterol, triglicéridos y LDL colesterol en pomenopáusicas ooforectomizadas
Descritores: Colesterol
Estradiol
Lipoproteínas/análise
Noretindrona
Pós-Menopausa
Triglicerídeos/análise
-Ginecologia
Obstetrícia
Venezuela
Limites: Feminino
Humanos
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: VE1.1 - Biblioteca Humberto Garcia Arocha


  6 / 33 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-421201
Autor: Reyna Villasmil, Eduardo; Guerra Velásquez, Mary; Reyna Villasmil, Nadia; Mejias Montilla, Lorly.
Título: Efecto de la combinación estradiol - acetato de noretisterona sobre los niveles de proteína C reactiva en menopáusicas ooforectomizadas / Effect of combined estradiol-noretisterone acetate on reactive protein C levels in ooforectomized women
Fonte: Rev. obstet. ginecol. Venezuela;65(3):129-132, sept. 2005. tab, graf.
Idioma: es.
Resumo: Determinar el efecto de combinación estradiol y acetato de noretisterona sobre los niveles de proteína C reactiva en menopáusicas ooforectomizadas. Se incluyeron treinta y seis pacientes, sometidas a histerectomía y salpingo-ooforectomía bilateral con síntomas climatéricos. Las pacientes tratadas con 2 mg de estradiol y 1 mg de acetato de noretisterona diario. Se midieron los niveles de proteína C reactiva sérica al inicio del estudio y a los 3,6,9 y 12 meses. Hospital Central "Dr. Urquinaona". Maracaibo Estado Zulia. Se observó aumento de la proteína C reactiva a los 3 meses, pero no fue considerado significativo (p>0,05). Posteriormente, no se observaron variaciones significativas a los 6,9 y 12 meses con relación al valor inicial (p>0,05). La administración oral de estradiol y acetato de noretisterona no produce aumento de los niveles de proteína C reactiva en pacientes menopáusicas ooforectomizadas, lo cual podría contribuir al beneficio cardiovascular de las usuarias de terapia hormonal de reemplazo combinada
Descritores: Estradiol
Menopausa
Noretindrona
Ovariectomia
Proteína C
-Ginecologia
Obstetrícia
Venezuela
Limites: Humanos
Feminino
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: VE1.1 - Biblioteca Humberto Garcia Arocha


  7 / 33 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-408853
Autor: Garcia, Claudiane de Arruda.
Título: Efeitos do estradiol isolado e associado ao acetato de noritisterona sobre a rigidez arterial em mulheres hipertensas após a menopausa / Effects of estradiol isolated and combined with norethisterone acetate on the arterial stiffness in hypertensive postmenopausal women.
Fonte: São Paulo; s.n; 2003. [112] p. ilus, tab.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina. Departamento de Cardio-Pneumologia. Disciplina de Cardiologia para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: Muitas investigações relatam maior prevalência na Doença Cardiovacular (DCV), no período após a menopausa, e dentre as DCV está a hipertensão arterial (HA). O aumento crônico da pressão arterial e as flutuações nas concentrações séricas dos estrogênios exercem importante impacto sobre a parede arterial resultando em perturbação, na elasticidade e rigidez arterial (RA). Por isso, avaliou-se a rigidez arterial, em 45 mulheres hipertensas após menopausa / High prevalence of Cardiovascular Disease (CVD) has been frequently reported in postmenopausal women, among the CVDs is the arterial hypertension. It is well know that chronic high arterial pressure (AP) and the fluctuation in estrogen serum levels exert a critical impact on the arterial wall, resulting in disturbances in elasticity and stiffness. Therefore, the goal of this study was to evaluate the arterial stiffness (AS) ,in 45 hypertensive postmenopausal women...
Descritores: Doenças Cardiovasculares/patologia
Estradiol/administração & dosagem
Pós-Menopausa
-Hipertensão/patologia
Morbidade
Noretindrona/administração & dosagem
Placebos/administração & dosagem
Pressão Arterial
Limites: Humanos
Feminino
Responsável: BR66.1 - Divisão de Biblioteca e Documentação
BR66.1; W4.DB8, G198eei, FM-2


  8 / 33 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-399432
Autor: Pereira, Isabela Rosier Olimpio.
Título: Efeitos do gérmen de soja e da terapia de reposição hormonal sobre a formação de metabólitos do `ANTPOT. PONTO´NO, lipoproteínas oxidadas, anticorpos antiproteínas de choque térmico e reatividade vascular em mulheres pós-menopausa hipercolesterolêmicas / Soy germ and of the therapy of hormonal replacement effects about the formation of metabolics of the `ANTPOT. PONTO´NO, oxidized lipoprotein, antibodies anti-heat shock proteins and vascular reactivity in hypercolesterolemic postmenopausal women.
Fonte: São Paulo; s.n; 2004. 110 p. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Ciências Farmacêuticas para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: A interrupção da produção ovariana do estrogenio ocorrida na menopausa aumenta o risco de doença cardiovascular. Pelo fato da reposição de estrogênios induzir proliferação endometrial e aumentar o risco de câncer de mama e de doenças cardiovasculares, tem-se pesquisado alternativas para a terapia de reposição hormonal. Os fitoestrogênios são compostos fenólicos de origem vegetal, que possuem similaridade estrutural com os estrogênios. As isoflavonas genisteína, daidzeína egliciteína, presentes na soja, têm se destacado por seus efeitos estrogênico, antioxidante e de inibição da agregação plaquetária. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito dos fitoestrogênios da soja e da terapia de reposição hormonal sobre a reatividade vascular, formação de derivados do óxido nítrico, oxidação de lipoproteínas e anticorpos anti-proteínas de choque térmico (HSPs) em mulheres pós-menopausa hipercolesterolêmicas...
Descritores: Estradiol
Terapia de Reposição Hormonal
Isoflavonas
Óxido Nítrico
Pós-Menopausa
Soja
-Doenças Cardiovasculares
Ensaio de Imunoadsorção Enzimática
Lipoproteínas
Noretindrona
Estresse Oxidativo
Limites: Humanos
Feminino
Responsável: BR40.1 - DBD - Divisão de Biblioteca e Documentacão do Conjunto das Químicas
BR40.1; 641.35655, p436e


  9 / 33 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Coutinho, E. M
Id: lil-392140
Autor: Barbosa, I. C; Coutinho, E. M; Sven-Eric Olsson, C. A; Ulmsten, U.
Título: Efeitos de um implante de acetato de nomegestrol, um derivado de 19-nor-progesterona, na função tireoidiana / Effects of an implant of nomegestrol acetate, a 19-nor-progesterone derivative, on thyroid function
Fonte: Reprod. clim;18:67-70, 2003. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Este estudo foi realizado para avaliar tri-iodotironina (T3), tiroxina (T4), hormônio estimulante da tireóide (TSH), T3 uptake, T3 livre e T4 livre em usuárias do implante de acetato de nomegestrol (Uniplant). Dezoito voluntárias em idade reprodutiva, que desejavam fazer anticoncepção, foram recrutadas para o estudo e investigadas antes do início do tratamento. Amostras de sangue foram obtidas antes da inserção do implante, para análises hormonais. Em seguida, amostras de sangue foram colhidas 3,6,12 e 24 meses após a inserção do Uniplant. Todas as pacientes usaram contraceptivo não hormonal por um período mínimo de 6 meses, antes da inserção do implante. Os resultados observados no estudo mostraram que não houve diferença significante na tri-iodotironina (T3), tiroxina (T4) e hormônio estimulante da tireóide (TSH), durante dois anos de uso do Uniplant. Nenhuma diferença significante foi encontrada nos níveis de T3 livre, durante dois anos de uso do Uniplant. Um decréscimo significante foi abservado no T3 uptake (p<0,05) no 24º mês e no T4 livre (p<0,05) no 3º mês de uso do Uniplant. todas as alterações observadas no estudo foram inconsistentes e todos os níveis estavam dentro dos limites normais.
Descritores: Anticoncepcionais Femininos
Implantes de Medicamento
Glândula Tireoide
Noretindrona
-Anticoncepcionais Femininos
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Responsável: BR33.1 - Divisão Técnica de Biblioteca e Documentação


  10 / 33 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-373677
Autor: Organización Panamericana de la Salud.
Título: Algunos hechos en torno a los anticonceptivos inyectables: memorandum de una reunion de la OMS / Some facts on injectable contraceptives: memorandum from a WHO's mmeting
Fonte: Bol. Oficina Sanit. Panam;94(2):176-194, 1983.
Idioma: es.
Descritores: Anticoncepcionais
Medroxiprogesterona/análise
Noretindrona/análise
-Serviços de Planejamento Familiar
Tipo de Publ: Relatório Técnico
Responsável: US1.1 - HQ Library



página 1 de 4 ir para página            
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde