Base de dados : LILACS
Pesquisa : D04.210.500.745.432.769.125 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 65 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 7 ir para página                  

  1 / 65 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1150802
Autor: Cólica, David.
Título: Efectos de los corticoides inhalatorios sobre el crecimiento en niños con asma / Use of inhaled corticosteroids in children with asthma and effects on growth
Fonte: Evid. actual. práct. ambul;19(3):87-87, 2016. tab.
Idioma: es.
Descritores: Asma/tratamento farmacológico
Corticosteroides/administração & dosagem
-Pregnadienodiois/administração & dosagem
Pregnadienodiois/efeitos adversos
Pregnenodionas/administração & dosagem
Pregnenodionas/efeitos adversos
Administração por Inalação
Beclometasona/administração & dosagem
Beclometasona/efeitos adversos
Literatura de Revisão como Assunto
Ensaios Clínicos Controlados Aleatórios como Assunto
Metanálise como Assunto
Corticosteroides/efeitos adversos
Antiasmáticos/administração & dosagem
Antiasmáticos/efeitos adversos
Budesonida/administração & dosagem
Budesonida/efeitos adversos
Relação Dose-Resposta a Droga
Fluticasona
Furoato de Mometasona
Revisões Sistemáticas como Assunto
Crescimento/efeitos dos fármacos
Transtornos do Crescimento/induzido quimicamente
Androstadienos/administração & dosagem
Androstadienos/efeitos adversos
Limites: Humanos
Criança
Tipo de Publ: Comentário
Responsável: AR2.1 - Biblioteca Central


  2 / 65 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-20043
Autor: Morrone, N.
Título: Estudo multicentrico em 350 pacientes asmaticos tratados com a associacao de salbutamol e dipropionato de beclometasona em um so spray. / Multicentric study in 350 asthmatic patients treated with the association of salbutamol and beclomethasone dipropionate in a single spray
Fonte: RBM rev. bras. med;40(11/12):431-5, 1983.
Idioma: pt.
Descritores: Asma
Beclometasona
Albuterol
Combinação de Medicamentos
Limites: Criança
Adolescente
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 65 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-859333
Autor: Brasil. Ministério da Saúde. Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias do SUS.
Título: Propionato de fluticasona para o tratamento de crianças e adultos com asma moderada a grave / Fluticasone propionate for the treatment of children and adults with moderate to severe asthma.
Fonte: Brasília; CONITEC; 2015. tab, graf, ilus.
Idioma: pt.
Resumo: CONTEXTO: A asma é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas associada à hiperresponsividade das vias aéreas, que leva a episódios recorrentes de sibilos, dispneia, opressão torácica e tosse, particularmente à noite ou no início da manhã. A asma brônquica é uma das doenças crônicas mais comuns, acometendo crianças e adultos, ao redor do mundo. Estima-se que existam 20 milhões de asmáticos no Brasil, considerando-se uma prevalência global de 10%. A base do tratamento medicamentoso da asma persistente, em consonância com o conhecimento atual da fisiopatologia, é o uso continuado de medicamentos com ação anti-inflamatória, também chamados controladores, sendo corticosteroides inalatórios os principais deles. No Brasil, está em vigor o Protocolo Clínico e Diretriz Terapêutica de asma por meio da Portaria SAS/MS nº 1.317 - 25/11/2013 (alterado pela Portaria SAS/MS nº 603, de 21 de julho de 2014), na qual são recomendados os seguintes fármacos: beclometasona, budesonida, fenoterol, formoterol, formoterol associado à budesonida, salbutamol, salmeterol, prednisona e prednisolona. O demandante apresentou dossiê técnico solicitando a incorporação do Flixotide® (propionato de fluticasona) à relação de fármacos disponíveis no SUS, como mais uma opção clínica no arsenal terapêutico de tratamento de asma no Brasil, alegando que, além de ser mais uma alternativa, essa incorporação geraria economia e competitividade no mercado de corticoides inalatórios. EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS: Analisou-se o conjunto de evidências encaminhado pelo demandante, no qual foram incluídas três revisões sistemáticas e 18 ensaios clínicos randomizados, sendo que nove deles compararam o propionato de fluticasona com a beclometasona e os outros nove com a budesonida. Os resultados dos estudos mostraram que não há diferença estatisticamente significante tanto para eficácia, medida pela função pulmonar, como para a segurança entre os medicamentos comparados. De acordo com os resultados dos estudos, a efetividade deste medicamento é similar àquela de outros corticoides inalatórios, não apresentando diferenças expressivas nos eventos adversos, quando utilizados em doses equipotentes. RECOMENDAÇÃO DA CONITEC: A CONITEC, em sua 37ª reunião ordinária realizada no dia 02/07/2015, deliberou por unanimidade recomendar a não incorporação da fluticasona para a redução dos sintomas e exacerbações da asma em pacientes tratados com broncodilatadores isolados ou outra terapia profilática. CONSULTA PÚBLICA: Foram recebidas 99 contribuições na consulta pública, sendo 88 de paciente/responsável e 11 de conteúdo técnico-científico. Em geral, as contribuições foram a favor da incorporação da fluticasona. Os principais motivos citados incluem mais uma opção para o tratamento de asma, menor dose necessária para obter os efeitos desejados e que a fluticasona tem um menor impacto no crescimento de crianças. A empresa fabricante da tecnologia fez uma contribuição com observações sobre o cálculo da estimativa de impacto orçamentário, essas observações foram analisadas e o impacto orçamentário foi revisado, chegando a uma estimativa que varia entre uma economia de aproximadamente R$ 16 milhões e gasto adicional de R$ 110 milhões no primeiro ano após incorporação, e entre uma economia de R$ 89 milhões e gasto adicional de R$ 583 milhões no total dos próximos 5 anos após a incorporação. DELIBERAÇÃO FINAL: Aos 03 (três) dias do mês de setembro de 2015, reuniu-se a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde ­ CONITEC, regulamentada pelo Decreto nº 7.646, de 21 de dezembro de 2011, que, na presença dos membros, deliberou por unanimidade recomendar a não incorporação da fluticasona para a redução dos sintomas e exacerbações da asma em pacientes tratados com broncodilatadores isolados ou outra terapia profilática. Foi assinado o Registro de Deliberação nº142/2015. DECISÃO: Não incorporar a fluticasona para a redução dos sintomas e exacerbações da asma em pacientes tratados com broncodilatadores isolados ou outra terapia profilática no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS. Portaria nº 46, de 29 de setembro de 2015.
Descritores: Asma/complicações
Asma/tratamento farmacológico
Beclometasona/administração & dosagem
Budesonida/administração & dosagem
Fluticasona/administração & dosagem
-Brasil
Análise Custo-Benefício/economia
Doenças Respiratórias/tratamento farmacológico
Avaliação da Tecnologia Biomédica
Resultado do Tratamento
Sistema Único de Saúde
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Revisão
Relatório Técnico
Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 65 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-847178
Autor: Yepes Nuñez, Juan Jose; Flórez, Iván Darío; Contreras Ortiz, Javier Orlando; Vanegas Escamilla, Egdda Patricia; Caballero, María Camila; Rengifo, Angélica María; García, Tania Marcela.
Título: Efectividad y seguridad del corticosteroide nasal mometasona comparado con beclometasona, budesonida, ciclesonida y fluticasona para el tratamiento de pólipos nasales en adultos y niños / Effectiveness and safety of nasal corticosteroid mometasone compared to beclomethasone, budesonide, ciclesonide and fluticasone for the treatment of nasal polyps in adults and children.
Fonte: Bogotá; IETS; dic. 2014. ilus.
Idioma: es.
Resumo: Introducción: los pólipos nasales son una manifestación de la inflamación crónica de la mucosa nasal y senos paranasales. Generalmente surgen desde la mucosa que rodea al meato medio y muchas veces causan bloqueo nasal y restricción al flujo de aire a través de las fosas nasales. Su prevalencia ha sido reportada entre un 0.5% y un 4% en la población general. El principal objetivo del tratamiento de la poliposis nasal es aliviar los síntomas nasales debido a la eliminación o reducción en el tamaño del pólipo. Debido a sus propiedades antiinflamatorias, los corticoesteroides son el pilar del tratamiento de la poliposis nasal. Objetivo: esta evaluación de tecnología tiene como objetivo examinar los beneficios y riesgos del uso del corticosteroide tópico nasal Mometasona en comparación con otros corticoesteroides nasales para el tratamiento de poliposis nasal. Metodología: se realizó una búsqueda sistemática y exhaustiva de literatura. Todo el proceso se acogió a los estándares de calidad internacional utilizados por la Colaboración Cochrane. Resultados: de las búsquedas, se obtuvieron 166 referencias, de las que, luego de tamización de título y resumen, se obtuvieron 5 para evaluar en texto completo, y de las cuáles se excluyeron 3, para incluir dos en éste reporte. Las razones por las cuales fueron excluidas las anteriores referencias se describen a continuación: 1) versión anterior de una de las RSL incluidas en los resultados del reporte, 2) la población no respondía a los criterios de inclusión, y 3) un reporte era un resumen de conferencia. Conclusiones: no se encontró evidencia directa, ni indirecta, que permitiera conocer las diferencias entre mometasona y el resto de los CEN. En general, los corticoesteroides nasales son mejores que el placebo en efectividad sobre casi todos los desenlaces clínicos importantes y críticos. En general todos los CEN presentaron más efectos adversos que el placebo, aunque todos fueron leves. No se encontró evidencia de diferencias en cuanto a eventos adversos entre los CEN entre sí.(AU)
Descritores: Corticosteroides/administração & dosagem
Furoato de Mometasona/administração & dosagem
Pólipos Nasais/tratamento farmacológico
-Beclometasona/administração & dosagem
Tecnologia Biomédica
Budesonida/administração & dosagem
Colômbia
Fluticasona/administração & dosagem
Glucocorticoides/administração & dosagem
Reprodutibilidade dos Testes
Resultado do Tratamento
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Revisão
Relatório Técnico
Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 65 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-836927
Autor: Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde.
Título: Fluticasona para da doença pulmonar obstrutiva crônica / Fluticasone for chronic obstructive pulmonary disease.
Fonte: Brasília; CONITEC; ago. 2013. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Segundo a "Global Initiative for Chronic Obstructive Lung Disease" (GOLD), a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) é uma patologia comum, prevenível e tratável, que se caracteriza por limitação persistente no fluxo de ar pulmonar, com caráter usualmente progressivo e associado com aumento da resposta inflamatória das vias aéreas e dos pulmões a gases e partículas nocivas. As exacerbações e comorbidades contribuem para a severidade geral da doença. Segundo o GOLD 2011 os principais aspectos da terapêutica do paciente com DPOC são: - O abandono do hábito de fumar nos pacientes fumantes, o que pode ser obtido tanto pelo aconselhamento frequente dos pacientes, quanto por medidas terapêuticas (brupopiona, nortriptilina e Vareniclina). A cessação do tabagismo é a medida com maior potencial para evitar a evolução da doença. - A vacinação contra Influenza e pneumococos que diminuem os quadros infecciosos responsáveis por períodos de exacerbação. - Medidas de reabilitação e condicionamento físico que melhoram a qualidade de vida do paciente e sua capacidade para realização de atividades físicas. - Utilização de fármacos tanto na fase estável da doença, a fim de diminuir a intensidade e a frequência das crises, quanto nas crises, visando a retirada do paciente desta fase de exacerbação aguda da doença.A farmacoterapia utilizada no tratamento da DPOC, e que é o cerne deste parecer, é composta por diversas classes de medicações como: os Beta2 agonistas de curta e longa ação, os corticoides sistêmicos e inalatórios (ICS), os inibidores inespecíficos da fosfodiesterase (metilxantinas), os inibidores específicos da fosfodiesterase 4 (roflumilaste), assim como diversas combinações destas medicações. Tipo: medicamento. Nome do princípio ativo: Propionato de Fluticasona. Nome comercial: FLIXOTIDE. Fabricante: GlaxoSmithKline Brasil Ltda. Indicação aprovada na Anvisa: indicado para o tratamento da asma em adultos e crianças e para o tratamento da doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Evidências de eficácia e segurança baseadas na Literatura Científica: O demandante realizou busca eletrônica, nas bases de dados Medline, EMBASE e Lilacs (até 17/08/2012). Foram buscados exclusivamente ensaios clínicos randomizados, em humanos, comparando a fluticasona com a budesonida ou beclometasona [não associada a ß-bloqueadores de ação longa. Foi utilizado o limite por língua buscando estudos em inglês, português ou espanhol. Na ausência de estudos de comparação direta entre os fármacos, realizou-se nova busca, desta vez buscando estudos que comparassem os três corticoides com placebo. Foi realizada também busca manual nas referencias bibliográficas dos artigos encontrados na tentativa de recuperar outros artigos que não foram identificados nas estratégias de busca anteriores. Resultados de eficácia/efetividade clínica: - Exacerbações: Fluticasona: Todos os ensaios clínicos que compararam a fluticasona com o placebo comprovaram o beneficio do uso deste fármaco na redução de exacerbações; Beclometasona: Foi encontrado apenas um estudo que avaliou a beclometasona comparada ao placebo que demonstrou uma menor taxa anual de exacerbações (beclometasona: 0.36 vs placebo: 0.57, analise Post Hoc SMD 0.21, IC 95% 0,17 a 0,25). O percentual de eficácia do tratamento combeclometasona em relação ao placebo foi de 63%; Budesonida: Três ensaios clínicos compararam a budesonida ao placebo investigando exacerbações. O primeiro não traz informações sobre a significância dos resultados e por isso não é possível afirmar que a budesonida tenha reduzido a frequência anual de exacerbações (Budesonida: 2 vs Placebo: 2). Outros dois artigos, que aparentemente são a apresentação de resultado parciais de um mesmo ensaio clinico, demonstram uma redução na taxa anual de exacerbações totais (Budesonida: 1.60 vs Placebo: 1.8, RR 0.86, IC 95% 0.68 a 1.10, p=0.308), graves (Budesonida: 1.59 vs Placebo: 1.87, RR 0.85, IC-10.3 a 34.1, p=0.224), moderadas (Budesonida: 0.87 vs Placebo: 1.14, sem possibilidade de analise post hoc) e 41% na redução de exacerbações leves (p<0.001). - Segurança: Há poucos estudos robustos disponíveis para avaliação da segurança do uso da beclometasona como monoterapia em pacientes com DPOC. A maioria dos estudos sobre a segurança dos CI aborda a fluticasona e a budesonida. Assim, mesmo em revisões sistemáticas e metanalises há escassos dados em relação aos eventos adversos decorrentes do uso da beclometasona no tratamento da DPOC. Evidências da segurança: A avaliação destes estudos sobre a segurança da fluticasona mostra que a utilização desta medicação, tanto isoladamente quanto em combinação com salmeterol, parece estar associada a uma incidência maior de pneumonia nos pacientes com DPOC que a utilizam, podendo, inclusive, estar associada a uma maior mortalidade por esta patologia. No entanto, ainda não está definido se esta aumento de incidência é maior do que aquele observado com a utilização de outros corticoides inalatórios. Estudos de avaliação econnômica: Não foram encontrados estudos de análise econômica comparando a fluticasona diretamente ou indiretamente com os outros corticoides inalatórios disponíveis no SUS (beclometasona e budesonida) em pacientes com DPOC. Considerações finais: O propionato de fluticasona é um glicocorticóide sintético, com atividade antiinflamatória potente que tem sido utilizado na forma inalatória no tratamento de pacientes com asma e DPOC. Diversos trabalhos científicos mostram a efetividade do propionato de fluticasona na redução dos sintomas da DPOC quando em comparação ao placebo, e que a efetividade desta medicação é similar àquela de outros corticoides inalatórios e não apresenta diferenças expressivas nos eventos adversos, quando utilizados na mesma equipotência - no que tange a este último critério, o propionato de fluticasona possui uma potência 2 x maior que os outros dois corticoides inalatórios já utilizados no SUS (budesonida e beclometasona). Com relação especificamente ao aumento da incidência de pneumonia, apesar de alguns trabalhos mostrarem o aumento desta incidência com a utilização da fluticasona, não existe comparação direta entre a fluticasona e outros corticoides inalatórios no que se refere a esta incidência. Consideramos, portanto, que tal aumento na incidência de pneumonia deve ser, mais provavelmente, um efeito da classe farmacológica (corticoides inalatórios) e não um efeito específico da fluticasona. Recomendações da CONITEC: O plenário da CONITEC, em sua 12ª reunião ordinária, não recomendou a incorporação da fluticasona no SUS para o tratamento da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC). Esta não recomendação foi decorrente, como exposto acima, da inadequação das análises de custo e impacto orçamentário apresentadas pelo demandante. A Portaria Nº 34, de 6 de agosto de 2013 - Torna pública a decisão de não incorporar o medicamento propionato de fluticasona para o tratamento da doença pulmonar obstrutiva crônica no Sistema Único de Saúde (SUS).
Descritores: Beclometasona/uso terapêutico
Budesonida/uso terapêutico
Fluticasona/uso terapêutico
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica/terapia
-Brasil
Análise Custo-Benefício/economia
Fluticasona
Avaliação da Tecnologia Biomédica
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Relatório Técnico
Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 65 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: lil-778417
Autor: Chassot, Janaíne Micheli; Ferreira, Luana Mota; Gomes, Felipe Pereira; Cruz, Letícia; Tasso, Leandro.
Título: Stability-indicating RP-HPLC method for determination of beclomethasone dipropionate in nanocapsule suspensions
Fonte: Braz. j. pharm. sci;51(4):803-810, Oct.-Dec. 2015. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: abstract A simple stability-indicating RP-HPLC/UV method was validated for determination of beclomethasone dipropionate (BD) in nanocapsule suspensions. Chromatographic conditions consisted of a RP C18column (250 mm x 4.60 mm, 5 µm, 110 Å), using methanol and water (85:15 v/v) as mobile phase at 1.0 mL/min with UV detection at 254 nm. The calibration curve was found to be linear in the concentration range of 5.0-25.0 µg/mL with a correlation coefficient > 0.999. Precision was demonstrated by a relative standard deviation lower than 2.0%. Accuracy was assessed by the recovery test of BD from nanocapsules (98.03% to 100.35%). Specificity showed no interference from the components of nanocapsules or from the degradation products derived from acid, basic and photolytic conditions. In conclusion, the method is suitable to be applied to assay BD in bulk drug and in nanocapsules, and it can be employed to study stability and degradation kinetics.

resumo Um método simples de CLAE-FR/UV indicativo de estabilidade foi validado para a determinação do dipropionato de beclometasona (BD) em suspensões de nanocápsulas. As condições cromatográficas foram: coluna C18 fase reversa (250 mm x 4,60 mm, 5 µm, 110 Å), usando como fase móvel metanol e água (85:15 v/v) a 1,0 mL/min, com detecção UV a 254 nm. A curva de calibração foi linear no intervalo de 5,0-25,0 µg/mL com coeficiente de correlação >0,999. A precisão foi demonstrada por um desvio padrão relativo menor que 2,0%. A exatidão foi avaliada pelo teste de recuperação do BD a partir das nanocápsulas (98,03% a 100,35%). O teste de especificidade não mostrou interferência dos componentes das nanocápsulas e nem dos produtos de degradação derivados de condições ácidas, básicas e fotolíticas. Em conclusão, o método é adequado para ser aplicado na avaliação do BD puro e em nanocápsulas e pode ser empregado para o estudo de estabilidade e degradação cinética.
Descritores: Beclometasona/farmacocinética
Cromatografia Líquida de Alta Pressão/métodos
Nanocápsulas/estatística & dados numéricos
-Cromatografia de Fase Reversa/estatística & dados numéricos
Nanopartículas
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 65 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: lil-741348
Autor: Ahmad, Saeed; Khaliq, Farhan Hameed; Madni, Asadullah; Shahid, Muhammad Nabeel; Pervaiz, Irfan.
Título: Microbial biotransformation of beclomethasone dipropionate by Aspergillus niger
Fonte: Braz. j. pharm. sci;50(4):903-909, Oct-Dec/2014. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: In the present research, the steroidal anti-asthmatic drug beclomethasone dipropionate was subjected to microbial biotransformation by Aspergillus niger. Beclomethasone dipropionate was transformed into various metabolites first time from microbial transformation. New drug metabolites produced can act as new potential drug molecules and can replace the old drugs in terms of safety, efficacy, and least resistance. They were purified by preparative thin layer chromatography technique, and their structures were elucidated using modern spectroscopic techniques, such as 13C NMR, 1H NMR, HMQC, HMQC, COSY, and NOESY, and mass spectrometry, such as EI-MS. Four metabolites were purified: (i) beclomethasone 17-monopropionate, (ii) beclomethasone 21-monopropionate, (iii) beclomethasone, and (iv) 9beta,11beta-epoxy-17,21-dihydroxy-16beta-methylpregna-1,4-diene-3,20-dione 21-propionate.

Na pesquisa presente o fármaco esteróide antiasmático dipropionato de beclometasona foi submetido à biotransformação microbiana pelo Aspergillus niger. O dipropionato de beclometasona foi transformado, pela primeira vez, em metabólitos variados por biotransformação microbiana. Novos metabólitos do fármaco produzidos podem agir como novas moléculas potenciais e podem substituir os fármacos antigos em questão de segurança, eficácia e mínima resistência. Eles foram purificados por cromatografia em camada delgada preparativa e as suas estruturas foram elucidadas usando técnicas espectroscópicas modernas, como 13C NMR, 1H NMR; HMQC; HMQC; COSY, NOESY e espectrometria de massas, por exemplo, EI-MS. Purificaram-se quatro metabólitos, denominados (i) 17-monopropionato de beclometasona; (ii) 21-monopropionato de beclometasona: (iii) beclometasona e (iv) 21-propionato de 9beta,11beta-epoxi-17,21-diidroxi-16beta-metilpregna-1,4-dieno-3,20-diona.
Descritores: Aspergillus niger/classificação
Beclometasona/farmacologia
Biotransformação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 65 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-686600
Autor: Pinto, Charleston Ribeiro; Almeida, Natalie Rios; Marques, Thamy Santana; Yamamura, Laira Lorena Lima; Costa, Lindemberg Assuncao; Souza-Machado, Adelmir.
Título: Local adverse effects associated with the use of inhaled corticosteroids in patients with moderate or severe asthma / Eventos adversos locais associados ao uso de corticosteroides inalatorios em pacientes com asma moderada ou grave
Fonte: J. bras. pneumol;39(4):409-417, June-August/2013. tab.
Idioma: en.
Resumo: OBJECTIVE: To describe and characterize local adverse effects (in the oral cavity, pharynx, and larynx) associated with the use of inhaled corticosteroids (ICSs) in patients with moderate or severe asthma. METHODS: This was a cross-sectional study involving a convenience sample of 200 asthma patients followed in the Department of Pharmaceutical Care of the Bahia State Asthma and Allergic Rhinitis Control Program Referral Center, located in the city of Salvador, Brazil. The patients were ≥ 18 years of age and had been using ICSs regularly for at least 6 months. Local adverse effects (irritation, pain, dry throat, throat clearing, hoarseness, reduced vocal intensity, loss of voice, sensation of thirst, cough during ICS use, altered sense of taste, and presence of oral candidiasis) were assessed using a 30-day recall questionnaire. RESULTS: Of the 200 patients studied, 159 (79.5%) were women. The mean age was 50.7 ± 14.4 years. In this sample, 55 patients (27.5%) were using high doses of ICS, with a median treatment duration of 38 months. Regarding the symptoms, 163 patients (81.5%) reported at least one adverse effect, and 131 (65.5%) had a daily perception of at least one symptom. Vocal and pharyngeal symptoms were identified in 57 (28.5%) and 154 (77.0%) of the patients, respectively. The most commonly reported adverse effects were dry throat, throat clearing, sensation of thirst, and hoarseness. CONCLUSIONS: Self-reported adverse effects ...

OBJETIVO: Descrever e caracterizar os eventos adversos locais na orofaringe e laringe associados ao uso de corticosteroide inalatório (CI) em pacientes com asma moderada ou grave. MÉTODOS: Estudo de corte transversal, com amostra de conveniência composta por 200 pacientes acompanhados no Serviço de Assistência Farmacêutica da Central de Referência do Programa para Controle da Asma na Bahia, em Salvador (BA). Os pacientes tinham ≥ 18 anos e estavam em uso regular de CI por período ≥ 6 meses. Os eventos adversos locais (irritação, dor, garganta seca, pigarro, rouquidão, redução da potência da voz, perda de voz; sensação de sede, tosse durante inalação, alteração do paladar e presença de monilíase oral) foram avaliados por meio de um questionário com período recordatório de 30 dias. RESULTADOS: Dos 200 pacientes estudados, 159 (79,5%) eram mulheres. A média de idade foi de 50,7 ± 14,4 anos. Nesta amostra, 55 pacientes (27,5%) utilizavam altas doses de CI, com mediana de duração de tratamento de 38 meses. Em relação aos sintomas, 163 pacientes (81,5%) reportaram ao menos um evento adverso, e 131 (65,5%) tinham a percepção diária de pelo menos um sintoma. Os sintomas de voz e de faringe foram identificados em 57 (28,5%) e 154 (77,0%) pacientes, respectivamente. Os eventos adversos mais frequentemente relatados foram garganta seca, ...
Descritores: Antiasmáticos/efeitos adversos
Asma/tratamento farmacológico
Beclometasona/efeitos adversos
Budesonida/efeitos adversos
Glucocorticoides/efeitos adversos
Orofaringe/efeitos dos fármacos
-Administração por Inalação
Antiasmáticos/administração & dosagem
Beclometasona/administração & dosagem
Budesonida/administração & dosagem
Estudos Transversais
Glucocorticoides/administração & dosagem
Rouquidão/induzido quimicamente
Índice de Gravidade de Doença
Sede
Limites: Feminino
Humanos
Masculino
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 65 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: lil-680633
Autor: Talasila, Gopala Krishna Murthy; Mukkala, Bala Vishnu Priya; Vattikuri, Satyanarayana.
Título: Formulation and evaluation of CFC free inhalers for beclomethasone dipropionate
Fonte: Braz. j. pharm. sci;49(2):221-231, Apr.-June 2013. graf, tab.
Idioma: en.
Resumo: Beclomethasone dipropionate CFC free inhalation formulations were developed with a view to treat asthma prophylactically. Dry powder inhalers (DPI) for beclomethasone dipropionate were prepared with different grades of lactose monohydrate. The influence of carrier and overages on performance of DPI was studied. Metered dose inhalers (MDI) with HFA based propellants were formulated with various doses, overages and different concentrations of alcohol. Formulated DPI and MDI were evaluated for various official and unofficial quality control tests. The influence of over doses on valve delivery, effect of overages on emitted dose and influence of alcohol on spray pattern from MDI were studied. The better fine particle fraction and emitted dose were obtained from the DPI formulated with 10:90 ratio of fine lactose: coarse lactose and with 20% w/w overages. The studies on MDI revealed that the 15% of overdoses are required for effective valve delivery and 20% overages are required for 100% drug delivery. 5-10%v/v alcohol was found to be preferable to get optimum emitted dose and fine particle fraction.

Desenvolveram-se formulações por inalação de dipropionato de beclometasona, livres de CFC, com o objetivo de tratar a asma profilaticamente. Prepararam-se inaladores de pó seco (DPI) para o dipropionato de beclometasona com diferentes gradações de lactose monoidratada. Estudou-se a influência do transportador e dos excessos de fármaco em relação ao rotulado no desempenho do DPI. Inaladores de dose calibrada (MDI) com propelentes à base de hidrofluoralcanos (HFA) foram formulados com várias doses, excessos de fármaco em relação ao rotulado e diferentes concentrações de álcool. Avaliaram-se as DPI e MDI formuladas por vários métodos oficiais e não oficiais de controle de qualidade. Estudaram-se a influência da superdosagem na liberação da válvula, o efeito dos excessos na dose emitida e a influência do álcool no padrão do spray do MDI. Obtiveram-se a melhor partícula fina e a dose emitida do DPI formulado com proporção de 10:90 de lactose fina:lactose grossa e 20% p/p de excesso. Os estudos em MDI revelaram que 15% de sobredose são requeridos para a liberação efetiva da válvula e 20% de excessos, para a liberação de 100% dos fármacos. Álcool a 5-10% v/v permitiu alcançar ótima dose emitida e fração de partícula fina.
Descritores: Beclometasona/farmacocinética
Química Farmacêutica/classificação
Inaladores de Pó Seco/estatística & dados numéricos
-/análise
CEPHACETRILEABATTOIRS/análise
Dosagem/classificação
Inaladores Dosimetrados/estatística & dados numéricos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 65 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: lil-674302
Autor: Foerster, Leila Simone; Xavier, Paula Cristhina Niz; Palhares, Durval Batista.
Título: Efeitos da inalação de beclometasona e furosemida sobre a função pulmonar e índice de oxigenação de recém-nascidos prematuros / Inhalation effects of beclomethasone and furosemide on pulmonary function and oxygenation index of preterm newborns / Efectos de la inhalación de beclometasona y furosemida sobre la función pulmonar e índice de oxigenación de recién nacidos prematuros
Fonte: Fisioter. pesqui;20(1):64-69, mar. 2013. graf, tab.
Idioma: pt.
Resumo: O objetivo deste estudo foi avaliar a função pulmonar e o índice de oxigenação de recém-nascidos pré-termo submetidos à inalação endotraqueal de beclometasona e furosemida. Foram avaliados 30 recém-nascidos pré-termo com idade gestacional <36 semanas, sob ventilação mecânica convencional por pelo menos 12 horas. Três inalações sequenciais com as respectivas medicações foram realizadas, com intervalo de três horas entre as mesmas. Foram coletadas amostras de sangue arterial para análise dos gases sanguíneos; após aspiração endotraqueal, a mensuração das variáveis respiratórias foi realizada em dois momentos, antes e após duas horas da última inalação. A complacência dinâmica, assim como o índice de oxigenação, não apresentou diferença estatística significativa entre os momentos antes e após as medicações; no entanto, a resistência de vias aéreas demonstrou redução no grupo beclometasona entre os momentos antes e após a intervenção (p=0,03). Diante desses resultados, não podemos afirmar que a beclometasona e a furosemida inalatória exercem influência significativa na função pulmonar e oxigenação dos recém-nascidos estudados.

The objective of this study was to evaluate lung function and oxygenation index of preterm infants undergoing endotracheal inhaling of beclomethasone and furosemide. We studied 30 newborn preterms with gestational age <36 weeks, undergoing conventional mechanical ventilation for at least 12 hours. Three sequential inhalations with their medications were executed with an interval of three hours between each. We collected samples of arterial blood for gas analysis, and after endotracheal aspiration, the measurement of respiratory variables was performed in two stages, two hours before and after the last inhalation. Dynamic compliance and the oxygenation index showed no statistically significant difference between before and after the medication, however, the airway resistance group demonstrated a reduction in beclomethasone between the moments before and after the intervention (p=0.03). These results cannot imply that inhaled beclomethasone and furosemide exerted significant influence on lung function and oxygenation in the newborn infants studied.

El objetivo de este estudio fue evaluar la función pulmonar e índice de oxigenación de recién nacidos de pre-término sometidos a la inhalación endotraqueal de beclometasona y furosemida. Fueron evaluados 30 recién nacidos de pre-término con edad gestacional <36 semanas, bajo ventilación mecánica convencional por lo menos 12 horas. Tres inhalaciones secuenciales con las respectivas medicaciones fueron realizadas, con intervalo de tres horas entre las mismas. Fueron tomadas muestras de sangre arterial para el análisis de los gases sanguíneos y después de la aspiración endotraqueal, la medición de las vías respiratorias fue realizada en dos momentos, antes y después de dos horas de la última inhalación. La compliance dinámica así como el índice de oxigenación, no presentaron diferencia estadísticamente significativa entre los momentos antes y después de las mediciones, sin embargo, la resistencia de las vías aéreas demostró reducción en el grupo beclometasona entre los momentos antes y después de la intervención (p=0,03). Mediante estos resultados no podemos afirmar que la beclometasona y la furosemida inhalatoria ejercen influencia significativa en la función pulmonar y oxigenación de los recién nacidos estudiados.
Descritores: Administração por Inalação
Beclometasona/farmacologia
Beclometasona/uso terapêutico
Furosemida/farmacologia
Recém-Nascido Prematuro
Oxigenação
Pulmão
Mecânica Respiratória
Limites: Humanos
Recém-Nascido
Responsável: BR66.1 - Divisão de Biblioteca e Documentação



página 1 de 7 ir para página                  
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde