Base de dados : LILACS
Pesquisa : D04.210.500.745.745.654.105 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 50 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 5 ir para página              

  1 / 50 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1150802
Autor: Cólica, David.
Título: Efectos de los corticoides inhalatorios sobre el crecimiento en niños con asma / Use of inhaled corticosteroids in children with asthma and effects on growth
Fonte: Evid. actual. práct. ambul;19(3):87-87, 2016. tab.
Idioma: es.
Descritores: Asma/tratamento farmacológico
Corticosteroides/administração & dosagem
-Pregnadienodiois/administração & dosagem
Pregnadienodiois/efeitos adversos
Pregnenodionas/administração & dosagem
Pregnenodionas/efeitos adversos
Administração por Inalação
Beclometasona/administração & dosagem
Beclometasona/efeitos adversos
Literatura de Revisão como Assunto
Ensaios Clínicos Controlados Aleatórios como Assunto
Metanálise como Assunto
Corticosteroides/efeitos adversos
Antiasmáticos/administração & dosagem
Antiasmáticos/efeitos adversos
Budesonida/administração & dosagem
Budesonida/efeitos adversos
Relação Dose-Resposta a Droga
Fluticasona
Furoato de Mometasona
Revisões Sistemáticas como Assunto
Crescimento/efeitos dos fármacos
Transtornos do Crescimento/induzido quimicamente
Androstadienos/administração & dosagem
Androstadienos/efeitos adversos
Limites: Humanos
Criança
Tipo de Publ: Comentário
Responsável: AR2.1 - Biblioteca Central


  2 / 50 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1116420
Autor: Rojas B, René.
Título: Diagnóstico y manejo de la colitis microscópica / Diagnosis and management of microscopic colitis
Fonte: Gastroenterol. latinoam;30(supl.1):S35-S38, 2019. tab, ilus.
Idioma: es.
Resumo: Microscopic colitis (MC) is a clinical condition characterized by chronic watery diarrhea, normal colonic mucosa and characteristic histological findings. It is composed of two main entities: collagenous colitis (CC) and lymphocytic colitis (LC). Its incidence has been increasing, currently accounting for between 8 to 16% of studies for chronic diarrhea. It is more frequent in elderly women and is strongly associated with other autoimmune disorders. Its pathogenesis is not very well understood, but it supposes the immune activation secondary to the exposure of the colonic mucosa to different luminal antigens, mainly drugs. Management includes suspension of the potential causative agent and the use of anti-diarrheal medications. Oral budesonide has proven to be effective in induction and maintenance of remission, but with a high rate of recurrence upon discontinuation. Immune-modulators drugs such as azatioprine and metrotrexate have been tested in patients dependent to corticoids with variable results. Antibodies against tumor necrosis factors (TNF) are under studies, with promising results.

La colitis microscópica (CM) es una condición clínica caracterizada por diarrea crónica acuosa con mucosa colónica normal y hallazgos histológicos característicos. Está compuesta por dos entidades principales: la colitis colágena (CC) y la colitis linfocítica (CL). Su incidencia ha ido en aumento, siendo en la actualidad la responsable del 8 a 16% de los casos por diarrea crónica. Es más frecuente en mujeres de edad avanzada con una fuerte asociación a otras enfermedades autoinmunes. Su etiopatogenia no es del todo conocida, pero se cree juega un rol la activación inmune secundaria a la exposición de la mucosa colónica a diferentes antígenos luminales, principalmente fármacos. Dentro del manejo se incluye la suspensión del potencial agente causal y el uso de fármacos antidiarreicos. La budesonida oral ha demostrado alta efectividad en la inducción y mantención de la remisión, pero con una alta tasa de recurrencia al suspenderla. Fármacos inmunomoduladores como azatioprina y metrotrexato se han probado en pacientes corticodependendientes con resultados variables. El uso de anticuerpos monoclonales anti factor de necrosis tumoral (TNF) se encuentra en estudio, con resultados prometedores.
Descritores: Colite Microscópica/diagnóstico
Colite Microscópica/tratamento farmacológico
-Corticosteroides
Mesalamina/uso terapêutico
Budesonida/uso terapêutico
Colite Colagenosa/diagnóstico
Colite Colagenosa/tratamento farmacológico
Colite Linfocítica/diagnóstico
Colite Linfocítica/tratamento farmacológico
Diarreia/etiologia
Anti-Inflamatórios/uso terapêutico
Anticorpos Monoclonais
Antidiarreicos/uso terapêutico
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: CL61.1 - Biblioteca Central Campus Sur


  3 / 50 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1100525
Autor: Vargas-Rodriguez, Ledmar-Jovanny; Solano-Rojas, Flore-Edalid; Diaz, Sandra-Lizeth; Pinzón-Olmos, Manuel-Alejandro.
Título: Eficacia de la budesonida/formoterol comparado con la fluticasona/salmeterol en la mejoría de la capacidad pulmonar de personas mayores con Enfermedad Pulmonar Obstructiva Crónica: revisión sistemática de literatura / Effectiveness of budesonide/formoterol compared to fluticasone / salmeterol in improving the lung capacity of older people with Chronic Obstructive Pulmonary Disease: systematic literature review / Eficiência da budesonida/formoterol comparado com fluticasona/salmeterol na melhora da capacidade pulmonar de idosos com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica: revisão sistemática da literatura
Fonte: Rev. Investig. Salud. Univ. Boyacá;6(2), 2019. tab, ilus.
Idioma: es.
Resumo: Introducción. La Enfermedad Pulmonar Obstructiva Crónica (EPOC) es una patología no transmisible, caracterizada por una limitación de flujo de aire en las vías respiratorias debido a una respuesta inmunológica anormal frente a partículas. Objetivo. Conocer la eficacia que tiene la budesonida/formoterol comparado con la fluticasona/salmeterol en la mejoría de la capacidad pulmonar en personas mayores de 40 años con Enfermedad Pulmonar Obstructiva Crónica. Materiales y métodos. Se realizó una revisión sistemática de documentos producidos entre el año 2000 y 2018 en distintas bases de datos, donde se incluyeron ensayos clínicos. Se identificaron cuatro artículos para el análisis final. Resultados. Durante la evaluación comparativa de budesonida con formoterol, los artículos muestran un total de 709 personas evaluadas, con un promedio de edad de 53,5 años. El 65,4 % eran varones, el 21 % manifestaba no haber consumido tabaco, todos con diagnóstico de Enfermedad Pulmonar Obstructiva Crónica moderada-severa, según la escala GOLD (Global Initiative For Chronic Obstrutive Lung Disease). Los estudios determinaron que al administrar budesonida/formoterol de 400/12 mcg y 320/9 mcg, los pacientes tuvieron una leve mejoría en el Volumen Espiratorio Forzado del primer segundo (VEF1). Solo dos pacientes presentaron efectos adversos. No obstante, para los resultados mencionados anteriormente no se encontró diferencias significativas. Conclusiones. El uso de budesonida/formoterol es eficaz al mejorar la capacidad ventilatoria pulmonar, disminuye el número de exacerbaciones anuales y genera un adecuado control de los síntomas, sin embargo, es igual de efectivo a la fluticasona/salmeterol.

Introduction. Chronic Obstructive Pulmonary Disease (COPD) is a not transmissible disease, characterized by a limitation of airflow in the respiratory tract, due to an abnormal immune response to particles. Objective. This article aims to show that the application of budesonide / formoterol improves lung capacity in people over 40 years with Chronic Obstructive Pulmonary Disease. Materials and methods. A systematic review was conducted in the period between 2000 and 2018 in different databases where clinical trials were included. Four articles were identified for the final analysis. Results. During the comparative evaluation of budesonide with formoterol, a total of 709 people were evaluated, with an average age of 53.5 years, 65.4% were male, 21% reported not having used tobacco, all with a diagnosis of moderate-severe Chronic Obstructive Pulmonary Disease according to the GOLD scale (Global Initiative For Chronic Obstrutive Lung Disease). The studies determined that when budesonide / formoterol of 400/12 mcg and 320/9 mcg was administered, the patients had a slight improvement in the Forced Expiratory Volume of the first second (FEV1). Only two patients presented adverse effects. However, for the results mentioned above no significant differences were found. Conclusions. The use of budesonide / formoterol is effective in improving pulmonary ventilatory capacity, decreases the number of annual exacerbations and generates adequate control of symptoms, however, it is equally effective in fluticasone / salmeterol.

Introdução. A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) é uma patologia não transmissível, caraterizada por uma limitação do fluxo de ar nas vias aéreas devido a uma resposta imune anormal contra partículas. Objetivo. Conhecer a eficiência que apresenta a budesonida/formoterol comparado com fluticasona/salmeterol na melhora da capacidade pulmonar em pessoas com mais de 40 anos com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica. Materiais e métodos. Foi realizada uma revisão sistemática dos documentos produzidos entre 2000 e 2018 em diferentes bancos de dados, onde foram incluídos ensaios clínicos. Quatro artigos foram identificados para a análise final. Resultados. Durante a avaliação comparativa de budesonida com formoterol, os artículos mostram um total de 709 pessoas avaliadas, com uma idade média de 53,5 anos. O 65,4 % eram do sexo masculino, o 21 % disseram que não usavam tabaco, todos diagnosticados com Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica moderada a grave, de acordo com a escala GOLD (Global Initiative For Chronic Obstrutive Lung Disease). Os estudos determinaram que administrar budesonida/formoterol de 400/12 mcg e 320/9 mcg, os pacientes apresentaram uma leve melhora no Volume Expiratório Forçado no primeiro segundo (VEF1). Apenas dois pacientes tiveram efeitos adversos. No entanto, não foram encontradas diferenças significativas para os resultados mencionados acima. Conclusões. O uso de budesonida/formoterol é eficaz na melhora da capacidade ventilatória pulmonar, diminui o numero de exacerbações anuais e gera controle adequado dos sintomas, no entanto, é igualmente eficaz para a fluticasona/salmeterol.
Descritores: Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica
-Enfisema Pulmonar
Eficácia
Budesonida
Bronquite Crônica
Xinafoato de Salmeterol
Fumarato de Formoterol
Fluticasona
Tipo de Publ: Revisão Sistemática
Responsável: CO218.1 - Politeca


  4 / 50 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-907656
Autor: Bresky R., Gustavo.
Título: Nuevas terapias para la colestasis / New therapies in cholestasis
Fonte: Gastroenterol. latinoam;27(supl.1):S60-S63, 2016. tab.
Idioma: es.
Resumo: The introduction of ursodeoxycholic acid (UDCA) in the treatment of patients with cholestasis enabled remarkable progress and improvements in hepatic inflammatory activity, progression to cirrhosis and quality of life. However, the benefits of UDCA are particularly evident in patients with primary biliary cirrhosis and also 30 percent of patients have sub optimal response. For this reason, in order to improve the number of people with complete responses to therapy, new pharmacological alternatives have been investigated to add to UDCA treatment. This review aims to show potential new therapies against cholestasis that have been investigated by systematizing them depending on the receptor or target on which they act. Finally, a special reference will be made in relation to the treatment of pruritus associated with cholestasis.

La introducción del ácido ursodeoxicólico (AUDC) en el tratamiento de los pacientes con colestasia permitió notables avances con mejoras en la actividad inflamatoria hepática, progresión hacia la cirrosis y calidad de vida. Sin embargo, los beneficios de AUDC se aprecian especialmente en pacientes con cirrosis biliar primaria y además, 30 por ciento de los pacientes tiene una respuesta sub óptima. Por esta razón, con la finalidad de mejorar el número de personas con respuestas completas a la terapia, se han investigado nuevas alternativas farmacológicas para adicionar al tratamiento con AUDC. La presente revisión pretende mostrar las nuevas posibles terapias contra la colestasia estudiadas sistematizándolas según el tipo de receptor o diana sobre el que actúan. Finalmente se hará referencia especial en relación al tratamiento del prurito asociado a la colestasia.
Descritores: Colestase/complicações
Colestase/tratamento farmacológico
Receptores Acoplados a Proteínas-G/uso terapêutico
Ácido Ursodesoxicólico/uso terapêutico
Vitamina D/uso terapêutico
-Budesonida/uso terapêutico
Prurido/tratamento farmacológico
Prurido/etiologia
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Revisão
Responsável: CL61.1 - Biblioteca Central Campus Sur


  5 / 50 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-859333
Autor: Brasil. Ministério da Saúde. Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias do SUS.
Título: Propionato de fluticasona para o tratamento de crianças e adultos com asma moderada a grave / Fluticasone propionate for the treatment of children and adults with moderate to severe asthma.
Fonte: Brasília; CONITEC; 2015. tab, graf, ilus.
Idioma: pt.
Resumo: CONTEXTO: A asma é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas associada à hiperresponsividade das vias aéreas, que leva a episódios recorrentes de sibilos, dispneia, opressão torácica e tosse, particularmente à noite ou no início da manhã. A asma brônquica é uma das doenças crônicas mais comuns, acometendo crianças e adultos, ao redor do mundo. Estima-se que existam 20 milhões de asmáticos no Brasil, considerando-se uma prevalência global de 10%. A base do tratamento medicamentoso da asma persistente, em consonância com o conhecimento atual da fisiopatologia, é o uso continuado de medicamentos com ação anti-inflamatória, também chamados controladores, sendo corticosteroides inalatórios os principais deles. No Brasil, está em vigor o Protocolo Clínico e Diretriz Terapêutica de asma por meio da Portaria SAS/MS nº 1.317 - 25/11/2013 (alterado pela Portaria SAS/MS nº 603, de 21 de julho de 2014), na qual são recomendados os seguintes fármacos: beclometasona, budesonida, fenoterol, formoterol, formoterol associado à budesonida, salbutamol, salmeterol, prednisona e prednisolona. O demandante apresentou dossiê técnico solicitando a incorporação do Flixotide® (propionato de fluticasona) à relação de fármacos disponíveis no SUS, como mais uma opção clínica no arsenal terapêutico de tratamento de asma no Brasil, alegando que, além de ser mais uma alternativa, essa incorporação geraria economia e competitividade no mercado de corticoides inalatórios. EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS: Analisou-se o conjunto de evidências encaminhado pelo demandante, no qual foram incluídas três revisões sistemáticas e 18 ensaios clínicos randomizados, sendo que nove deles compararam o propionato de fluticasona com a beclometasona e os outros nove com a budesonida. Os resultados dos estudos mostraram que não há diferença estatisticamente significante tanto para eficácia, medida pela função pulmonar, como para a segurança entre os medicamentos comparados. De acordo com os resultados dos estudos, a efetividade deste medicamento é similar àquela de outros corticoides inalatórios, não apresentando diferenças expressivas nos eventos adversos, quando utilizados em doses equipotentes. RECOMENDAÇÃO DA CONITEC: A CONITEC, em sua 37ª reunião ordinária realizada no dia 02/07/2015, deliberou por unanimidade recomendar a não incorporação da fluticasona para a redução dos sintomas e exacerbações da asma em pacientes tratados com broncodilatadores isolados ou outra terapia profilática. CONSULTA PÚBLICA: Foram recebidas 99 contribuições na consulta pública, sendo 88 de paciente/responsável e 11 de conteúdo técnico-científico. Em geral, as contribuições foram a favor da incorporação da fluticasona. Os principais motivos citados incluem mais uma opção para o tratamento de asma, menor dose necessária para obter os efeitos desejados e que a fluticasona tem um menor impacto no crescimento de crianças. A empresa fabricante da tecnologia fez uma contribuição com observações sobre o cálculo da estimativa de impacto orçamentário, essas observações foram analisadas e o impacto orçamentário foi revisado, chegando a uma estimativa que varia entre uma economia de aproximadamente R$ 16 milhões e gasto adicional de R$ 110 milhões no primeiro ano após incorporação, e entre uma economia de R$ 89 milhões e gasto adicional de R$ 583 milhões no total dos próximos 5 anos após a incorporação. DELIBERAÇÃO FINAL: Aos 03 (três) dias do mês de setembro de 2015, reuniu-se a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde ­ CONITEC, regulamentada pelo Decreto nº 7.646, de 21 de dezembro de 2011, que, na presença dos membros, deliberou por unanimidade recomendar a não incorporação da fluticasona para a redução dos sintomas e exacerbações da asma em pacientes tratados com broncodilatadores isolados ou outra terapia profilática. Foi assinado o Registro de Deliberação nº142/2015. DECISÃO: Não incorporar a fluticasona para a redução dos sintomas e exacerbações da asma em pacientes tratados com broncodilatadores isolados ou outra terapia profilática no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS. Portaria nº 46, de 29 de setembro de 2015.
Descritores: Asma/complicações
Asma/tratamento farmacológico
Beclometasona/administração & dosagem
Budesonida/administração & dosagem
Fluticasona/administração & dosagem
-Brasil
Análise Custo-Benefício/economia
Doenças Respiratórias/tratamento farmacológico
Avaliação da Tecnologia Biomédica
Resultado do Tratamento
Sistema Único de Saúde
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Revisão
Relatório Técnico
Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 50 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-847178
Autor: Yepes Nuñez, Juan Jose; Flórez, Iván Darío; Contreras Ortiz, Javier Orlando; Vanegas Escamilla, Egdda Patricia; Caballero, María Camila; Rengifo, Angélica María; García, Tania Marcela.
Título: Efectividad y seguridad del corticosteroide nasal mometasona comparado con beclometasona, budesonida, ciclesonida y fluticasona para el tratamiento de pólipos nasales en adultos y niños / Effectiveness and safety of nasal corticosteroid mometasone compared to beclomethasone, budesonide, ciclesonide and fluticasone for the treatment of nasal polyps in adults and children.
Fonte: Bogotá; IETS; dic. 2014. ilus.
Idioma: es.
Resumo: Introducción: los pólipos nasales son una manifestación de la inflamación crónica de la mucosa nasal y senos paranasales. Generalmente surgen desde la mucosa que rodea al meato medio y muchas veces causan bloqueo nasal y restricción al flujo de aire a través de las fosas nasales. Su prevalencia ha sido reportada entre un 0.5% y un 4% en la población general. El principal objetivo del tratamiento de la poliposis nasal es aliviar los síntomas nasales debido a la eliminación o reducción en el tamaño del pólipo. Debido a sus propiedades antiinflamatorias, los corticoesteroides son el pilar del tratamiento de la poliposis nasal. Objetivo: esta evaluación de tecnología tiene como objetivo examinar los beneficios y riesgos del uso del corticosteroide tópico nasal Mometasona en comparación con otros corticoesteroides nasales para el tratamiento de poliposis nasal. Metodología: se realizó una búsqueda sistemática y exhaustiva de literatura. Todo el proceso se acogió a los estándares de calidad internacional utilizados por la Colaboración Cochrane. Resultados: de las búsquedas, se obtuvieron 166 referencias, de las que, luego de tamización de título y resumen, se obtuvieron 5 para evaluar en texto completo, y de las cuáles se excluyeron 3, para incluir dos en éste reporte. Las razones por las cuales fueron excluidas las anteriores referencias se describen a continuación: 1) versión anterior de una de las RSL incluidas en los resultados del reporte, 2) la población no respondía a los criterios de inclusión, y 3) un reporte era un resumen de conferencia. Conclusiones: no se encontró evidencia directa, ni indirecta, que permitiera conocer las diferencias entre mometasona y el resto de los CEN. En general, los corticoesteroides nasales son mejores que el placebo en efectividad sobre casi todos los desenlaces clínicos importantes y críticos. En general todos los CEN presentaron más efectos adversos que el placebo, aunque todos fueron leves. No se encontró evidencia de diferencias en cuanto a eventos adversos entre los CEN entre sí.(AU)
Descritores: Corticosteroides/administração & dosagem
Furoato de Mometasona/administração & dosagem
Pólipos Nasais/tratamento farmacológico
-Beclometasona/administração & dosagem
Tecnologia Biomédica
Budesonida/administração & dosagem
Colômbia
Fluticasona/administração & dosagem
Glucocorticoides/administração & dosagem
Reprodutibilidade dos Testes
Resultado do Tratamento
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Revisão
Relatório Técnico
Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 50 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Cuba
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-845092
Autor: Kassisse, Elías; Prada, Linair; Salazar, Ixora; García, Hecmary; Kassisse, Jorge.
Título: Estudio aleatorizado abierto de niños con exacerbación aguda del asma tratados con esteroides inhalados / Open randomized study of children with acute exacerbation of asthma and treated with inhaled steroids
Fonte: Rev. cuba. pediatr;89(2):165-176, abr.-jun. 2017. tab.
Idioma: es.
Resumo: Introducción: la terapia primaria en la crisis de asma aguda, incluye administración de oxígeno, uso de ß2-agonistas por vía inhalada y la administración de esteroides sistémicos. Las ventajas que se citan sobre el uso de los esteroides inhalados serían, su rápido inicio de acción y su buen perfil de seguridad, en contraposición a los esteroides sistémicos. Objetivo: evaluar la utilidad de los corticoides inhalados en el tratamiento de la crisis de asma aguda en niños mayores de 2 años. Métodos: se realizó un estudio prospectivo, transversal, experimental, aleatorizado, de eficacia clínica; la selección se realizó por medio de una tabla de números aleatorios, y se incluyeron tres grupos: el I recibió terapia estándar, el II la sustitución del esteroide sistémico por el inhalado y el III combinó a la terapia estándar el esteroide inhalado. El análisis estadístico se realizó por medio de ANOVA y chi cuadrado con una p< 0,05 como significativa. Resultados: se estudiaron 165 pacientes, los tres grupos de tratamiento mejoraron la escala de severidad inicial. Los pacientes que recibieron esteroides inhalados adicionados a la terapia estándar, tuvieron 73 por ciento de posibilidades de no ser hospitalizados, 27 por ciento de posibilidades de reducir el riesgo de hospitalizaciones y de cada 100 pacientes tratados con la combinación, se pudieran prevenir 8 hospitalizaciones(AU)
Descritores: Corticosteroides/uso terapêutico
Estado Asmático/tratamento farmacológico
-Budesonida/uso terapêutico
Estudos Transversais
Estudos Prospectivos
Limites: Humanos
Pré-Escolar
Criança
Responsável: CU1.1 - Biblioteca Médica Nacional


  8 / 50 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-836927
Autor: Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde.
Título: Fluticasona para da doença pulmonar obstrutiva crônica / Fluticasone for chronic obstructive pulmonary disease.
Fonte: Brasília; CONITEC; ago. 2013. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Segundo a "Global Initiative for Chronic Obstructive Lung Disease" (GOLD), a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) é uma patologia comum, prevenível e tratável, que se caracteriza por limitação persistente no fluxo de ar pulmonar, com caráter usualmente progressivo e associado com aumento da resposta inflamatória das vias aéreas e dos pulmões a gases e partículas nocivas. As exacerbações e comorbidades contribuem para a severidade geral da doença. Segundo o GOLD 2011 os principais aspectos da terapêutica do paciente com DPOC são: - O abandono do hábito de fumar nos pacientes fumantes, o que pode ser obtido tanto pelo aconselhamento frequente dos pacientes, quanto por medidas terapêuticas (brupopiona, nortriptilina e Vareniclina). A cessação do tabagismo é a medida com maior potencial para evitar a evolução da doença. - A vacinação contra Influenza e pneumococos que diminuem os quadros infecciosos responsáveis por períodos de exacerbação. - Medidas de reabilitação e condicionamento físico que melhoram a qualidade de vida do paciente e sua capacidade para realização de atividades físicas. - Utilização de fármacos tanto na fase estável da doença, a fim de diminuir a intensidade e a frequência das crises, quanto nas crises, visando a retirada do paciente desta fase de exacerbação aguda da doença.A farmacoterapia utilizada no tratamento da DPOC, e que é o cerne deste parecer, é composta por diversas classes de medicações como: os Beta2 agonistas de curta e longa ação, os corticoides sistêmicos e inalatórios (ICS), os inibidores inespecíficos da fosfodiesterase (metilxantinas), os inibidores específicos da fosfodiesterase 4 (roflumilaste), assim como diversas combinações destas medicações. Tipo: medicamento. Nome do princípio ativo: Propionato de Fluticasona. Nome comercial: FLIXOTIDE. Fabricante: GlaxoSmithKline Brasil Ltda. Indicação aprovada na Anvisa: indicado para o tratamento da asma em adultos e crianças e para o tratamento da doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). Evidências de eficácia e segurança baseadas na Literatura Científica: O demandante realizou busca eletrônica, nas bases de dados Medline, EMBASE e Lilacs (até 17/08/2012). Foram buscados exclusivamente ensaios clínicos randomizados, em humanos, comparando a fluticasona com a budesonida ou beclometasona [não associada a ß-bloqueadores de ação longa. Foi utilizado o limite por língua buscando estudos em inglês, português ou espanhol. Na ausência de estudos de comparação direta entre os fármacos, realizou-se nova busca, desta vez buscando estudos que comparassem os três corticoides com placebo. Foi realizada também busca manual nas referencias bibliográficas dos artigos encontrados na tentativa de recuperar outros artigos que não foram identificados nas estratégias de busca anteriores. Resultados de eficácia/efetividade clínica: - Exacerbações: Fluticasona: Todos os ensaios clínicos que compararam a fluticasona com o placebo comprovaram o beneficio do uso deste fármaco na redução de exacerbações; Beclometasona: Foi encontrado apenas um estudo que avaliou a beclometasona comparada ao placebo que demonstrou uma menor taxa anual de exacerbações (beclometasona: 0.36 vs placebo: 0.57, analise Post Hoc SMD 0.21, IC 95% 0,17 a 0,25). O percentual de eficácia do tratamento combeclometasona em relação ao placebo foi de 63%; Budesonida: Três ensaios clínicos compararam a budesonida ao placebo investigando exacerbações. O primeiro não traz informações sobre a significância dos resultados e por isso não é possível afirmar que a budesonida tenha reduzido a frequência anual de exacerbações (Budesonida: 2 vs Placebo: 2). Outros dois artigos, que aparentemente são a apresentação de resultado parciais de um mesmo ensaio clinico, demonstram uma redução na taxa anual de exacerbações totais (Budesonida: 1.60 vs Placebo: 1.8, RR 0.86, IC 95% 0.68 a 1.10, p=0.308), graves (Budesonida: 1.59 vs Placebo: 1.87, RR 0.85, IC-10.3 a 34.1, p=0.224), moderadas (Budesonida: 0.87 vs Placebo: 1.14, sem possibilidade de analise post hoc) e 41% na redução de exacerbações leves (p<0.001). - Segurança: Há poucos estudos robustos disponíveis para avaliação da segurança do uso da beclometasona como monoterapia em pacientes com DPOC. A maioria dos estudos sobre a segurança dos CI aborda a fluticasona e a budesonida. Assim, mesmo em revisões sistemáticas e metanalises há escassos dados em relação aos eventos adversos decorrentes do uso da beclometasona no tratamento da DPOC. Evidências da segurança: A avaliação destes estudos sobre a segurança da fluticasona mostra que a utilização desta medicação, tanto isoladamente quanto em combinação com salmeterol, parece estar associada a uma incidência maior de pneumonia nos pacientes com DPOC que a utilizam, podendo, inclusive, estar associada a uma maior mortalidade por esta patologia. No entanto, ainda não está definido se esta aumento de incidência é maior do que aquele observado com a utilização de outros corticoides inalatórios. Estudos de avaliação econnômica: Não foram encontrados estudos de análise econômica comparando a fluticasona diretamente ou indiretamente com os outros corticoides inalatórios disponíveis no SUS (beclometasona e budesonida) em pacientes com DPOC. Considerações finais: O propionato de fluticasona é um glicocorticóide sintético, com atividade antiinflamatória potente que tem sido utilizado na forma inalatória no tratamento de pacientes com asma e DPOC. Diversos trabalhos científicos mostram a efetividade do propionato de fluticasona na redução dos sintomas da DPOC quando em comparação ao placebo, e que a efetividade desta medicação é similar àquela de outros corticoides inalatórios e não apresenta diferenças expressivas nos eventos adversos, quando utilizados na mesma equipotência - no que tange a este último critério, o propionato de fluticasona possui uma potência 2 x maior que os outros dois corticoides inalatórios já utilizados no SUS (budesonida e beclometasona). Com relação especificamente ao aumento da incidência de pneumonia, apesar de alguns trabalhos mostrarem o aumento desta incidência com a utilização da fluticasona, não existe comparação direta entre a fluticasona e outros corticoides inalatórios no que se refere a esta incidência. Consideramos, portanto, que tal aumento na incidência de pneumonia deve ser, mais provavelmente, um efeito da classe farmacológica (corticoides inalatórios) e não um efeito específico da fluticasona. Recomendações da CONITEC: O plenário da CONITEC, em sua 12ª reunião ordinária, não recomendou a incorporação da fluticasona no SUS para o tratamento da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC). Esta não recomendação foi decorrente, como exposto acima, da inadequação das análises de custo e impacto orçamentário apresentadas pelo demandante. A Portaria Nº 34, de 6 de agosto de 2013 - Torna pública a decisão de não incorporar o medicamento propionato de fluticasona para o tratamento da doença pulmonar obstrutiva crônica no Sistema Único de Saúde (SUS).
Descritores: Beclometasona/uso terapêutico
Budesonida/uso terapêutico
Fluticasona/uso terapêutico
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica/terapia
-Brasil
Análise Custo-Benefício/economia
Fluticasona
Avaliação da Tecnologia Biomédica
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Relatório Técnico
Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 50 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-780980
Autor: Kosugi, Eduardo Macoto; Moussalem, Guilherme Figner; Simões, Juliana Caminha; Souza, Rafael de Paula e Silva Felici de; Chen, Vitor Guo; Saraceni Neto, Paulo; Mendes Neto, José Arruda.
Título: Topical therapy with high-volume budesonide nasal irrigations in difficult-to-treat chronic rhinosinusitis / Terapia tópica de irrigação nasal de alto volume com solução de budesonida em rinossinusite crônica de difícil tratamento
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);82(2):191-197, Mar.-Apr. 2016. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT INTRODUCTION: Chronic rhinosinusitis (CRS) is termed difficult-to-treat when patients do not reach acceptable level of control despite adequate surgery, intranasal corticosteroid treatment and up to 2 short courses of systemic antibiotics or corticosteroids in the preceding year. Recently, high-volume corticosteroid nasal irrigations have been recommended for CRS treatment. OBJECTIVE: To assess high-volume budesonide nasal irrigations for difficult-to-treat CRS. METHODS: Prospective uncontrolled intervention trial. Participants were assessed before- and 3 months after nasal irrigation with 1 mg of budesonide in 500 mL of saline solution daily for 2 days. Subjective (satisfactory clinical improvement) and objective (SNOT-22 questionnaire and Lund-Kennedy endoscopic scores) assessments were performed. RESULTS: Sixteen patients were included, and 13 (81.3%) described satisfactory clinical improvement. SNOT-22 mean scores (50.2-29.6; p = 0.006) and Lund-Kennedy mean scores (8.8-5.1; p = 0.01) improved significantly. Individually, 75% of patients improved SNOT-22 scores, and 75% improved Lund-Kennedy scores after high volume budesonide nasal irrigations. CONCLUSION: High-volume corticosteroid nasal irrigations are a good option in difficult-to-treat CRS control of disease, reaching 81.3% success control and significant improvement of SNOT-22 and Lund-Kennedy scores.

RESUMO INTRODUÇÃO: A rinossinusite crônica (RSC) de difícil tratamento é aquela inadequadamente controlada com cirurgia, corticosteroides tópicos em spray e até dois ciclos de medicação sistêmica em um ano. Atualmente, tem sido preconizado o uso de irrigações nasais de corticosteroides em alto volume para seu tratamento. OBJETIVO: Avaliar o uso da terapia tópica de irrigações nasais com budesonida em alto volume nos pacientes com RSC de difícil tratamento. MÉTODO: Estudo prospectivo de intervenção não controlado em RSC de difícil tratamento com 3 meses de terapia tópica de irrigação (1 mg de budesonida diluído em 500 mL de soro fisiológico para ser utilizado em dois dias). Realizada avaliação subjetiva (melhora clínica satisfatória) e objetiva (questionário SNOT-22 e classificação endoscópica de Lund-Kennedy). RESULTADOS: Foram incluídos 16 pacientes, sendo que 13 (81,3%) consideraram sua melhora clínica satisfatória. Houve melhora significante das médias de SNOT-22 (50,2 a 29,6; p = 0,006) e de Lund-Kennedy (8,8 a 5,1; p = 0,01). Individualmente, 75% dos pacientes apresentaram melhora do SNOT-22 e 75%, do Lund-Kennedy. CONCLUSÃO: A terapia tópica de irrigação de alto volume de corticosteroide é uma boa opção no controle clínico dos pacientes com rinossinusite crônica de difícil tratamento, com controle adequado de 81,3% destes pacientes e melhora significante do SNOT-22 e do Lund-Kennedy.
Descritores: Budesonida/administração & dosagem
Glucocorticoides/administração & dosagem
Lavagem Nasal
Rinite/tratamento farmacológico
Sinusite/tratamento farmacológico
-Doença Crônica
Estudos Prospectivos
Resultado do Tratamento
Limites: Adulto
Feminino
Humanos
Masculino
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 50 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Mello, Débora Falleiros de
Tonete, Vera Lúcia Pamplona
Texto completo
Id: lil-756546
Autor: Yakuwa, Marina Sayuri; Sartori, Mariana Claudio da Silva; Mello, Débora Falleiros de; Duarte, Marli Teresinha Cassamassimo; Tonete, Vera Lúcia Pamplona.
Título: Vigilância em Saúde da Criança: perspectiva de enfermeiros / Vigilancia en Salud Infantil: perspectiva de enfermeros / Child Health Surveillance: nurses perspective
Fonte: Rev. bras. enferm;68(3):384-390, maio-jun. 2015.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMOObjetivo:analisar concepções de enfermeiros sobre Vigilância em Saúde da Criança (VSC) em unidades de saúde da família.Métodos:estudo qualitativo, com análise temática dos dados, fundamentada no paradigma da Vigilância em Saúde. Foram realizadas entrevistas com 13 enfermeiros atuantes em município do interior paulista.Resultados:os enfermeiros conceberam VSC como acompanhamento ativo, integral, programado, identificando riscos/vulnerabilidades, por meio de ações multiprofissionais, intersetoriais e dependentes da participação materna. Constatou-se desenvolvimento parcial dessas premissas na prática, por dificuldades como falta de participação materna nas ações propostas, indisponibilidade de tempo para discussão e adoção de medidas nas unidades e desarticulação entre níveis e setores no município.Conclusão:é necessário maior investimento político e técnico para assegurar a adoção desse modelo nos diferentes setores e níveis de atenção do município.

RESUMENObjetivo:analizar las concepciones de los enfermeros en la vigilancia de la salud de los niños en las unidades de salud de la familia.Método:estudio cualitativo con el análisis temático de los datos, basado en el paradigma de la Vigilancia de la Salud. Se realizaron entrevistas con 13 enfermeras en la ciudad interior.Resultados:las enfermeras concibió la vigilancia de la salud del niño y la vigilancia activa, total, la identifi cación de riesgos/vulnerabilidades, a través de acciones multidisciplinario, intersectorial y dependiente de la participación materna. Encontramos lo desarrollo parcial de estos supuestos en la práctica, debido a las difi cultades, como la falta de participación de la madre en las acciones propuestas, la falta de tiempo para el debate y la adopción de medidas en las unidades y la falta de conexión entre los niveles y sectores en el condado.Conclusión:es necesaria una mayor inversión política y técnica para asegurar la adopción de este modelo en diferentes sectores y niveles de atención del municipio.

ABSTRACTObjective:to analyze conceptions of nurses on child health surveillance in family health units.Method:a qualitative study with thematic analysis of the data, based on the paradigm of Health Surveillance. Interviews were conducted with 13 nurses in a countryside city in the state of Sao Paulo.Results:nurses conceived child health surveillance as an active monitoring, which should be comprehensive, identifying risks/vulnerabilities, through multidisciplinary and intersectoral actions that are dependent on maternal involvement. We found partial development of these assumptions in practice, due to diffi culties such as lack of maternal involvement in the proposed actions, lack of time for discussion and adoption of measures in the units and disarticulation between levels and sectors of the city.Conclusion:a greater political and technical investment is needed to ensure the adoption of this model in different sectors and levels of care of the city.
Descritores: Corticosteroides/farmacocinética
Broncodilatadores/farmacocinética
Budesonida/farmacocinética
Fumarato de Formoterol/farmacocinética
Imagem por Ressonância Magnética
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica/patologia
-Corticosteroides/administração & dosagem
Broncodilatadores/administração & dosagem
Budesonida/administração & dosagem
Combinação de Medicamentos
Estudos de Viabilidade
Volume Expiratório Forçado/efeitos dos fármacos
Fumarato de Formoterol/administração & dosagem
Oxigênio
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica/tratamento farmacológico
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica/fisiopatologia
Testes de Função Respiratória
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Research Support, Non-U.S. Gov't
Estudo Multicêntrico
Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 5 ir para página              
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde