Base de dados : LILACS
Pesquisa : D05.500.781.750.250 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 3 [refinar]
Mostrando: 1 .. 3   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 3 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: biblio-1124204
Autor: Zhang, Yun; Ai, Hao; Fan, Xue; Chen, Suxian; Wang, Yadi; Liu, Lili.
Título: Knockdown of long non-coding RNA HOTAIR reverses cisplatin resistance of ovarian cancer cells through inhibiting miR-138-5p-regulated EZH2 and SIRT1
Fonte: Biol. Res;53:18, 2020. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: Natural Science Foundation of Liaoning Province.
Resumo: BACKGROUND: Cisplatin resistance (DDP-resistance) remains one of the major causes of poor prognosis in females with ovarian cancer. Long non-coding RNAs (lncRNAs) have been shown to participate in the regulation of cellular processes, including chemoresistance. The aim of this study was to explore the role of HOX transcript antisense RNA (HOTAIR) in DDP-resistant ovarian cancer cells. METHODS: DDP-resistant ovarian cancer cell lines (SKOV3/DDP and A2780/DDP) were established. Real-time PCR, western blot, dual-luciferase reporter assay, and flow cytometry were then used to evaluate the effect of HOTAIR/miR-138-5p axis on chemoresistance of DDP-resistant ovarian cancer cells to DDP. RESULTS: We found that HOTAIR was upregulated in DDP-resistant cells, while miR-138-5p was downregulated. Knockdown of HOTAIR increased the expression of miR-138-5p in DDP-resistant cells and miR-138-5p is directly bound to HOTAIR. Upregulation of miR-138-5p induced by HOTAIR siRNA or by its mimics enhanced the chemosensitivity of DDP-resistant cells and decreased the expression of EZH2 (enhancer of zeste 2 polycomb repressive complex 2 subunit) and SIRT1 (sirtuin 1). Furthermore, the HOTAIR silencing-induced chemosensitivity of DDP-resistant cells was weakened by miR-138-5p inhibitor. CONCLUSIONS: These data demonstrate that HOTAIR acts as a sponge of miR-138-5p to prevent its binding to EZH2 and SIRT1, thereby promoting DDP-resistance of ovarian cancer cells. Our work will shed light on the development of therapeutic strategies for ovarian cancer treatment.
Descritores: Neoplasias Ovarianas/genética
Cisplatino/farmacologia
Resistencia a Medicamentos Antineoplásicos/genética
RNA Longo não Codificante/genética
-Regulação Neoplásica da Expressão Gênica/efeitos dos fármacos
Regulação para Cima
Apoptose/efeitos dos fármacos
MicroRNAs/antagonistas & inibidores
Linhagem Celular Tumoral
Técnicas de Inativação de Genes/métodos
Sirtuína 1/antagonistas & inibidores
Reação em Cadeia da Polimerase em Tempo Real
Proteína Potenciadora do Homólogo 2 de Zeste/antagonistas & inibidores
Limites: Humanos
Feminino
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  2 / 3 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1049921
Autor: Videira, Alexandre.
Título: Effect of lincRNA PVT1 associated with Enhancer of Zeste homolog 2 (EZH2) and with androgen receptor (AR) on the large-scale gene expression in LNCaP prostate cancer cells.
Fonte: São Paulo; s.n; 2019. 122 p. tab, graf.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Instituto de Química para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: O lincRNA PVT1 (Plasmacytoma Variant Translocation 1) é um RNA longo não codificador de proteínas (ncRNA) descrito como um oncogene sendo superexpresso em vários tipos de cânceres. LincRNA PVT1 está localizado na região genômica 8q24, também conhecida como 'gene desert'. O nível de expressão do lincRNA PVT1 está associado ao aumento do risco de câncer de próstata (PCa) e está correlacionado com os níveis de expressão do receptor de andrógeno (AR). No entanto, o mecanismo do envolvimento do lincRNA PVT1 com o AR no desenvolvimento de câncer de próstata ainda não está bem esclarecido. Aqui, nós testamos a hipótese que a formação do complexo AR-EZH2-PVT1 participa na regulação da expressão gênica em câncer de próstata, nas células LNCaP. A imunoprecipitação de ribonucleoproteínas seguida de PCR quantitativo (RIP-qPCR) revelou que o lincRNA PVT1 está associado fisicamente ao AR (12% do input) e à metiltransferase EZH2, proteína componente do complexo repressor Polycomb 2 (36% do input) sob condições suplementadas com andrógeno (+R1881). O lincRNA PVT1 também está associado fisicamente ao AR (10% de input) e à EZH2 (42% de input) em condições de privação de andrógeno (-R1881). Assim, a associação física entre lincRNA PVT1, AR e EZH2 é independente do hormônio andrógeno. Usando uma abordagem de estudo em larga-escala de perda e ganho de função, nossos resultados mostraram que o silenciamento do lincRNA PVT1 em células LNCaP na presença de andrógeno restaura a expressão parcialmente, totalmente ou causa superexpressão de 160 genes que tiveram a expressão inibida por andrógeno. Entre esses genes, destacamos genes envolvidos na regulação da diferenciação celular, em componentes da junção célula-célula, na inibição da migração e invasão celular e no desencadeamento da via apoptótica. Imunoprecipitação da cromatina seguida de PCR quantitativo (ChIP-qPCR), em cultura de células LNCaP suplementada com andrógeno sob silenciamento do lincRNA PVT1, mostrou aumento significativo na ocupação pela marca de histona ativadora H3K27Ac do promotor do gene NOV, um dos genes que tiveram sua expressão aumentada com o silenciamento de PVT1. O ChIP-qPCR também mostrou, após o silenciamento do lincRNA PVT1, um aumento significativo da marca H3K27me3 na região enhancer do gene NOV, uma característica de enhancers poised (prontos para ativação). Em conclusão, nós fornecemos a primeira evidência experimental para um mecanismo de ação do oncogene lincRNA PVT1 em células de câncer de próstata e demonstramos que sua ação inibidora da expressão afeta genes alvo que facilitam a proliferação e migração de células do câncer de próstata, sugerindo que o lincRNA PVT1 é um novo agente no complexo mecanismo de repressão transcricional envolvendo um RNA silenciador, o receptor de andrógeno (AR) e o potenciador de Zeste homólogo 2 (EZH2) no remodelamento da cromatina em células LNCaP

Long non-coding RNA (lncRNA) plasmacytoma variant translocation 1 (PVT1) is an oncogene known to be overexpressed in various types of cancer. PVT1 lincRNA is located in the wellknown cancer-related genomic region 8q24, also known as 'gene desert. PVT1 lincRNA level of expression is associated with increased prostate cancer (PCa) risk and is correlated with androgen receptor (AR) expression levels. However, the mechanism of PVT1 and AR involvement in the development of prostate cancer is still unclear. Here, we tested the hypothesis that formation of the complex AR-EZH2-PVT1 participates in the regulation of gene expression in prostate cancer, in LNCaP cells. Ribonucleoprotein immunoprecipitation followed by quantitative PCR (RIP-qPCR) revealed that PVT1 lincRNA binds both the AR (12 % of PVT1 input) and the methyltransferase EZH2 from the Polycomb repressive complex 2 (36 % of input) under androgen-supplemented conditions (+R1881). PVT1 also binds both AR (10 % of input) and EZH2 (42 % of input) under androgen-deprived conditions (-R1881). Thus, PVT1 binding to AR and EZH2 is independent of the androgen hormone. Using a large-scale loss and gain of function approach, our results show that PVT1 knockdown (KD) in LNCaP in the presence of androgen restores the expression partially, fully or causes overexpression of 160 genes that are inhibited by androgen. Among these genes, we highlight genes involved in regulation of cell differentiation, in components of cell-cell junction, in inhibition of cell migration and invasion and in triggering of the apoptotic pathway. Chromatin immunoprecipitation followed by quantitative PCR (ChIP-qPCR) with LNCaP cells in androgen-supplemented cultures under PVT1 lincRNA knockdown showed a significant increase in occupancy by the histone activation mark H3K27Ac of the promoter region of the NOV gene, one of the genes that had an increased expression upon PVT1 silencing. ChIPqPCR also showed a significant increase upon PVT1 lincRNA silencing of the H3K27me3 histone mark in the enhancer region of the NOV gene, a distinct feature of poised enhancers. In conclusion, we provide first experimental evidence for a mechanism of action of PVT1 lincRNA oncogene in prostate cancer cells, and show that its inhibitory action affects targetgenes that facilitate proliferation and migration of prostate cancer cells, thus suggesting PVT1 lincRNA as a novel lncRNA player in the complex mechanism of transcriptional repression involving a silencer RNA, the androgen receptor (AR) and the Enhancer of zeste homolog 2 (EZH2) in chromatin remodeling in LNCaP cells
Descritores: Plasmocitoma
RNA Longo não Codificante/efeitos adversos
Proteína Potenciadora do Homólogo 2 de Zeste/análise
Androgênios/análise
-Neoplasias da Próstata/diagnóstico
Responsável: BR40.1 - DBD - Divisão de Biblioteca e Documentacão do Conjunto das Químicas
BR40.1; T574.88, V652e. 30100026382-Q


  3 / 3 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-789043
Autor: Neusquen, Lucienne Pereira Del Grossi; Filassi, José Roberto; Fristachi, Carlos Elias; Carvalho, Kátia Candido; Dória, Maíra Teixeira; Soares Júnior, José Maria; Piato, José Roberto Morales.
Título: EZH2 Protein Expression and Tumor Response to Neoadjuvant Chemotherapy in Locally Advanced Breast Cancer / Expressão da proteína EZH2 e resposta tumoral à quimioterapia neoadjuvante no câncer de mama localmente avançado
Fonte: Rev. bras. ginecol. obstet;38(6):280-286, June 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction Neoadjuvant chemotherapy (NAC) is the standard treatment for locally advanced breast cancer. However, some tumors will not respond to this treatment due to histological and molecular features. The protein EZH2 (enhancer of zest homolog 2) is a histone methyltransferase that is correlated with poorly differentiated breast carcinomas and aggressive tumor behavior. Purpose The present study evaluated the association between EZH2 expression and response to NAC, and its correlation with HER2 overexpression, estrogen and progesterone receptors (ER, PR) and Ki-67 proliferation index. Methods A total of 60 patients with locally advanced breast cancer treated with NAC were selected for this study. Twenty-three paraffin blocks had not enough material for tissue resection, and were not evaluated. A tissue microarray based in immunohistochemistry (IHC) analysis of EZH2 was performed for the remaining 37 specimens. Patients were divided into two groups based on response to NAC. Results EZH2 expression was significantly associated with markers of poor prognosis such as ER negativity (p = 0.001), PR negativity (p = 0.042) and high Ki-67 proliferation index (p = 0.002). High EZH2 expression was not correlated with the response to NAC. Conclusions Our data suggested that EZH2 protein expression may not correlate with the clinical response to NAC. Other studies with more patients are needed to confirm this observation.

Resumo Introdução A quimioterapia neoadjuvante é o tratamento padrão para os cânceres de mama localmente avançados. Entretanto, apenas uma porcentagem desses tumores irá responder ao tratamento, devido a características histológicas e moleculares. A proteína EZH2 (enhancer of zest homolog 2) é uma histona metiltransferase associada a tumores mal diferenciados e de comportamento agressivo. Objetivo O presente estudo teve como objetivo avaliar a associação entre a expressão da proteína EZH2 e a resposta à quimioterapia neoadjuvante, além da correlação dessa proteína com hiper-expressão de HER2, receptores de estrogênio e progesterona, e o marcador de proliferação Ki-67. Métodos Um total de 60 pacientes com câncer de mama localmente avançado tratadas com quimioterapia neoadjuvante foram selecionadas para esse estudo. Vinte e três blocos de parafina não continham material suficiente para ressecção e não foram avaliados. Foi realizado microarray baseado em análise imuno-histoquímica da proteína EZH2 para as 36 pacientes restantes. As pacientes foram divididas em dois grupos baseado na resposta à quimioterapia neoadjuvante. Resultados A expressão da proteína EZH2 foi significativamente associada com marcadores de pior prognóstico, como negatividade para receptor de estrogênio (p = 0,001) e progesterona (p = 0,042), além de alto Ki-67 (p = 0,002). Entretanto, a alta expressão da EZH2 não se correlacionou com a resposta à quimioterapia neoadjuvante. Conclusões Nossos dados sugerem que a expressão da proteína EZH2 pode não estar relacionada com a resposta clínica à quimioterapia neoadjuvante. Outros estudos com maior número de pacientes são necessários para confirmar esses achados.
Descritores: Neoplasias da Mama/tratamento farmacológico
Neoplasias da Mama/genética
Proteína Potenciadora do Homólogo 2 de Zeste/genética
-Neoplasias da Mama/patologia
Estudos de Casos e Controles
Quimioterapia Adjuvante
Regulação Neoplásica da Expressão Gênica
Terapia Neoadjuvante
Estadiamento de Neoplasias
Projetos Piloto
Resultado do Tratamento
Limites: Humanos
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde