Base de dados : LILACS
Pesquisa : D06.472.334.734.769 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 6 [refinar]
Mostrando: 1 .. 6   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 6 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1049815
Autor: Develi, Tuba; Uckan, Sina; Bayram, Burak; Deniz, Kagan; Erdem, Saban Remzi; Ozdemir, Binnaz Handan; Tutuncu, Neslihan Bascil; Bacanli, Didem.
Título: Preventive and therapeutic effects of relaxin on bisphosphonate related osteonecrosis of the jaw: an experimental study in rats / Efeitos preventivos e terapêuticos da relaxina na osteonecrose da mandíbula relacionada a bisfosfonatos: um estudo experimental em ratos
Fonte: Braz. dent. sci;23(1):1-6, 2020. tab, ilus.
Idioma: en.
Resumo: Objective: Bisphosphonate-related osteonecrosis of the jaw (BRONJ) is a challenging complication of chronic bisphosphonate (BP) use. The hormone relaxin is able to induce the multistep differentiation process of human osteoclastogenesis, exhibits antifibrotic and anti-inflammatory actions, and promotes vasodilatation, wound healing, and angiogenesis. The present study aimed to evaluate the effects of relaxin in the prevention and management of BRONJ. Material and Methods: Thirty-six male Sprague Dawley rats were randomly divided into four groups. Rats in group 1 (n = 10) received relaxin and BP simultaneously for 12 weeks. Rats in group 2 (n = 10) received injections of BP for 12 weeks, followed by relaxin for another 12 weeks. Rats in group 3 (n = 10) received only BP injections, and those in group 4 (control, n = 6) received only saline. Necrosis and inflammation in the rats' mandibles were evaluated as indicators of BRONJ. Results: Necrosis and inflammation were not detected in group 1 (BP + relaxin). In group 3 (BP only), incidence rates of necrosis and inflammation were 90% and 60%, respectively. Conclusions: Our findings suggest that relaxin may be potently effective in preventing BRONJ and have some benefit in the treatment of existing BRONJ (AU)

Objetivo: A osteonecrose da mandíbula relacionada ao bisfosfonato (BRONJ) é uma desafiadora complicação do uso crônico de bisfosfonato (BP). O hormônio relaxina é capaz de induzir o processo múltiplo de diferenciação da osteoclastogênese humana, exibe ações anti-fibróticas e anti-inflamatórias e promove vasodilatação, cicatrização de feridas e angiogênese. O presente estudo teve como objetivo avaliar os efeitos da relaxina na prevenção e tratamento do BRONJ. Material e Métodos: Trinta e seis ratos Sprague Dawley machos foram divididos aleatoriamente em quatro grupos. Os ratos do grupo 1 (n = 10) receberam relaxina e BP simultaneamente por 12 semanas. Os ratos do grupo 2 (n = 10) receberam injeções de BP por 12 semanas, seguidos de relaxina por mais 12 semanas. Os ratos do grupo 3 (n = 10) receberam apenas injeções de BP e os do grupo 4 (controle, n = 6) receberam apenas solução salina. Necrose e inflamação nas mandíbulas dos ratos foram avaliadas como indicadores de BRONJ. Resultados: Necrose e inflamação não foram detectadas no grupo 1 (BP + relaxina). No grupo 3 (somente BP), as taxas de incidência de necrose e inflamação foram de 90% e 60%, respectivamente. Conclusões: Nossos resultados sugerem que a relaxina pode ser potentemente eficaz na prevenção do BRONJ e ter algum benefício no tratamento do BRONJ existente.(AU)
Descritores: Osteogênese
Relaxina
Osteonecrose da Arcada Osseodentária Associada a Difosfonatos
Limites: Animais
Ratos
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR243.1 - Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação


  2 / 6 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Sá, Marcos Felipe Silva de
Texto completo
Id: lil-743161
Autor: Vireque, Alessandra Aparecida; Campos, Jacira Ribeiro; Campos, Carolina Oliveira; Bernuci, Marcelo Picinin; Jamur, Maria Célia; Ferriani, Rui Alberto; Sá, Marcos Felipe Silva de; Rosa e Silva, Ana Carolina Japur de Sá.
Título: Cultura de células da granulosa humanas com fenótipo de fase folicular: influência do sistema quimicamente definido na morfologia, ultraestrutura, secreção de esteroides e relaxina / Culture of human granulosa cells with follicular phase phenotype:influence of chemically defined system on morphology, ultrastructure,secretion of steroids and relaxin
Fonte: Reprod. clim;28(3):92-103, set.-dez. 2013. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Está bem descrito na literatura o padrão de cultivo de células da granulosa (CG) humanas que perpetua a luteinização, simulando a fase lútea do ciclo. Nesse sistema, há redução na secreção de estradiol (E2) e aumento na síntese de progesterona (P4) e relaxina (RLN). Objetivamos padronizar um sistema de cultura livre de soro, com o intuito de reverter o processo de luteinização de CG obtidas em ciclos de fertilização in vitro (FIV), pré-luteinizadas pela gonadotrofina coriônica humana (hCG), para aplicação na maturação in vitro de folículos ovarianos pré-antrais. Foi feito estudo experimental com GC obtidas de 10 mulheres em tratamento de reprodução assistida. As CG foram cultivadas em α-MEM contendo IGF-I, ITS, androstenediona, PVP-40 (meio quimicamente definido) ou TCM-199 contendo FSH/soro. Após 48, 96 e 144 horas, foram avaliados: morfologia das culturas, produção de E2, P4 (Quimioluminescência/Immulite), RLN (Elisa) e ultraestrutura (Microscopia Eletrônica). Os dados foram analisados por Anova e regressão linear com efeitos mistos (SAS versão 9.0). Células cultivadas em α-MEM apresentam alta capacidade estrogênica e padrão de produção hormonal característico da fase folicular, mantendo características morfológicas/ultraestruturais semelhantes a células in vivo. No sistema de cultura padronizado, as CG não completam in vitro o processo de luteinização deflagrado pela hCG, assumindo fenótipo de fase folicular.

It is well described in the literature the granulosa cells (GC) culture pattern that perpetuates human luteinizing simulating the luteal phase of the cycle. In this system, there is a reduction in the secretion of estradiol (E2) and increased synthesis of progesterone (P4) and relaxin (RLN). We aim to standardize a serum-free culture system, in order to reverse the luteinization process of GC obtained in IVF cycles, pre-luteinized by hCG, for use in in vitro maturation of preantral ovarian follicles. An experimental study was conducted with GC obtained from10 women undergoing treatment for assisted reproduction. The GC were cultured in α-MEM containing IGF-I, STI, androstenedione, PVP-40 (chemically defined medium) or TCM-199 containing FSH/serum. After 48, 96 and 144 h were analyzed: culture morphology, concentrations of E2, P4 (Chemioluminescence/Immulite), and RLN (Elisa), and ultrastructure (ElectronMicroscopy). Data were analyzed by Anova and linear mixed-effects regression (SAS version9.0). Cells cultured in α-MEM present estrogenic capacity and pattern of hormone production characteristic of the follicular phase, maintaining morphological/ultrastructural features similar that in vivo cell. In standard culture system, the CG not completes in vitro luteinization process triggered by hCG, assuming follicular phase phenotype.
Descritores: Células Cultivadas
Células da Granulosa
Luteinização
Relaxina
Técnicas de Reprodução Assistida
Limites: Humanos
Feminino
Adolescente
Adulto
Responsável: BR33.1 - Divisão Técnica de Biblioteca e Documentação


  3 / 6 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-590602
Autor: Yampufé Cornetero, José Manuel.
Título: Relaxina en suero de mujeres embarazadas, a nivel del mar y en la altura / Relaxin in serum of pregnant women, at sea level as high altitude.
Fonte: Lima; s.n; 2010. 36 p. tab, graf.
Idioma: es.
Tese: Apresentada a Universidad Nacional Mayor de San Marcos. Facultad de Medicina para obtenção do grau de Mestre.
Resumo: Se estudió los niveles en suero de relaxina en el 3°, 4° y 5° mes de gestación, así como los niveles en suero de mujeres posparto y en recién nacidos dentro de las primeras 24 horas, tanto a nivel del mar como de altura. El estudio se realizó en 24 mujeres embarazadas (18 a 32 años), en el tercer, cuarto o quinto mes de gestación natural de Cerro de Pasco, (4200 msnm) y 20 mujeres embarazadas de la misma edad y estado gestacional nativas del nivel del mar (Lima, 150 m). Asimismo, se estudiaron los niveles en suero de relaxina en 09 mujeres y sus 09 recién nacidos dentro de las siguientes 24 horas después del parto para el grupo de altura, y 20 mujeres con sus 20 recién nacidos dentro de las siguientes 24 horas, a nivel del mar. La relaxina fue medida por RIA (Radioinmunoanálisis), con el uso de kits de los Laboratorios Immunodiagnostik (Alemania) marcada con 1-125 y con el uso del equipo Contador de centelleo gamma del laboratorio del Instituto de Investigaciones Clínicas de la Universidad Nacional Mayor de San Marcos. Los resultados nos indican que no hay diferencia significativa entre los niveles hormonales de relaxina en el 3°, 4° Y 5° mes de gestación en las mujeres del nivel del mar y altura; existiendo una gradual disminución de los niveles en suero del 3° al 5° mes tanto a nivel del mar como en la altura. En las mujeres post parto, los niveles de relaxina en suero fueron significativamente menores en las mujeres de altura con respecto a las del nivel del mar. El radio relaxina madre/relaxina hijo es igual en la altura como en el nivel del mar.

We studied serum levels of relaxin in the 3th, 4th and 5th month of pregnancy, women postpartum and newborns within the first 24 hours both at sea level as high altitude. The study was performed in 24 pregnant women (18 to 32 years) in the third, fourth or fifth month of gestation in (Cerro de Pasco, 4300 m) and 20 pregnant women of the same gestational age at sea level (Lima, 150 m). Also, we studied the serum levels of relaxin in 09 women and 09 newborns within 24 hours postpartum at the high altítude group and 20 women and 20 newborns within 24 hours at sea level. Relaxin was measured by RIA (Radioimmunoassay), using kits Immunodiagnostic Laboratories (Germany) labeled with 1-125 and using the gamma scintillation counter computer in lab of the Institute of Clinical Research at the National University of San Marcos. The results indicate no significant difference between the hormone levels of relaxin in the 3 th, 4 th and 5 th month of pregnancy in women at high altitude and sea level, showing a gradual decrease in serum levels of 3 th to 5 th month both at sea level and at altitude. In postpartum women, levels of relaxin in serum were significantly lower in women at high altitude with regard to sea level. The radio mother relaxin / child relaxin is the same at high altitude as the sea level.
Descritores: Período Pós-Parto
Gravidez
Relaxina
Soro
-Estudos Observacionais como Assunto
Estudos Prospectivos
Limites: Humanos
Feminino
Gravidez
Responsável: PE13.1 - Oficina de Biblioteca, Hemeroteca y Centro de Documentación
PE13.1; MG, QT, 104, Y19, ej.1. 86597; PE13.1; MG, QT, 104, Y19, ej.2. 86598


  4 / 6 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-546441
Autor: Souza, Alex Sandro Rolland(org); Amorim, Melania Maria Ramos(edt); Noronha Neto, Carlos(edt).
Título: Métodos farmacológicos de indução do trabalho de parto: qual o melhor? / Pharmacological methods for induction of labor: what's the best?
Fonte: Femina;38(5), maio 2010. tab.
Idioma: pt.
Resumo: A indução do parto consiste em estimular artificialmente as contrações uterinas coordenadas e efetivas antes de seu início espontâneo, levando ao desencadeamento do trabalho de parto em mulheres que ultrapassaram a 22ª semana de gravidez. A antecipação do parto pode ser necessária em diversas situações obstétricas, como gestação prolongada, diabetes, ruptura prematura das membranas e pré-eclâmpsia. Estima-se que mais de 15% de todas as gestantes apresentem alguma indicação de indução do parto. Vários métodos de indução do parto são propostos, tanto naturais como artificiais e, dentre estes, os métodos farmacológicos merecem especial destaque. Realizou-se uma revisão da literatura baseada nos melhores níveis de evidências e considerando os graus de recomendação. De acordo com a literatura, a utilização de estrogênio, propranolol, relaxina, mefepristone e hialuronidade não deve ser estimulada por não existirem evidências suficientes para a sua recomendação. O seu uso, portanto, deve ser limitado a protocolos de pesquisas. Ocitocina é um método de indução efetivo que pode ser usado em pacientes com ruptura das membranas amnióticas. Prostaglandinas (PG) e misoprostol (um éster sintético da PGE1) são efetivos para a indução do parto independentemente da integridade das membranas. Prostaglandinas devem ser administradas preferencialmente por via vaginal. Habitualmente, o misoprostol é preferido devido a questões práticas, como o baixo custo e a facilidade de administração e estocagem. Doses baixas de misoprostol devem ser utilizadas e a atualmente recomendada é de 25 g a cada 4 ou 6 horas. Tanto a via oral como a via vaginal podem ser utilizadas.

Induction of labor consists of stimulation of effective and coordinated uterine contractions before their spontaneous onset for the purpose of bring on labor in women who have surpassed the 22nd week of pregnancy. In several obstetrical situations, such as prolonged pregnancy, diabetes, premature rupture of membranes and preeclampsia, anticipation of labor and delivery may be necessary. It is estimated that more than 15% of all pregnant women eventually present any indication for induction of labor. Several natural and artificial methods for induction are proposed. Among them, pharmacological methods are the most relevant. A literature review was carried out based on the highest levels of evidence and on the grade of recommendations. According to the literature, the use of estrogens, relaxin, mifepristone and hyaluronidade should not be stimulated because there are not enough evidences for their recommendation, so their utilization should be limited to research protocols. Oxytocin is an effective method for induction of labor that may be used in patients with ruptured membranes. On the other hand, prostaglandins and misoprostol (a prostaglandin E1 analog) are effective for induction of labor independently on the membrane integrity. Vaginal administration should be preferred for prostaglandins. Misoprostol is habitually preferred due to practical questions, such as low cost and facility for storage and administration. Low doses of misoprostol should be used, and the currently recommended dose is 25 g every four or six hours. Both vaginal and oral routes of administration can be used.
Descritores: Ensaios Clínicos como Assunto
Estrogênios
Misoprostol/administração & dosagem
Misoprostol/uso terapêutico
Ocitocina/uso terapêutico
Prostaglandinas/administração & dosagem
Prostaglandinas/uso terapêutico
Ruptura Prematura de Membranas Fetais/tratamento farmacológico
Trabalho de Parto Induzido/métodos
-Administração Intravaginal
Administração Oral
Mifepristona
Propranolol
Relaxina
Limites: Humanos
Feminino
Gravidez
Responsável: BR1365.1 - Biblioteca Biomédica A - CB/A


  5 / 6 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Cecatti, José Guilherme
Texto completo
Id: lil-418201
Autor: Moraes Filho, Olímpio Barbosa de; Cecatti, José Guilherme; Feitosa, Francisco Edson de Lucena.
Título: Métodos para indução do parto / Methods for labor induction
Fonte: Rev. bras. ginecol. obstet;27(8):493-500, ago. 2005. tab.
Idioma: pt.
Resumo: O interesse da obstetrícia moderna pela indução do parto é demonstrado pela grande quantidade de artigos científicos publicados nos últimos anos. Os avanços da medicina em geral e da obstetrícia em particular têm permitido que mais gestações de risco evoluam até o termo ou próximo dele, com indicação materna ou fetal de interrupção da gestação antes do desencadeamento do trabalho de parto espontâneo. Isso coloca o obstetra na situação entre a escolha da cesárea ou da indução do parto. Para que o obstetra faça a escolha pela indução do parto e desta forma colabore com a diminuição da incidência de cesárea, é necessário que haja método acessível, barato, seguro, efetivo, de fácil utilização e de boa aceitabilidade. Embora exista grande quantidade de métodos de indução do parto relatados na literatura médica, sabe-se que ainda não há método ideal. No entanto, dentre eles, dois se destacam. O primeiro é a ocitocina, que possui as vantagens de promover contrações uterinas fisiológicas de trabalho de parto e com possibilidade de reverter os quadros de aumento da contratilidade uterina com a sua suspensão. O outro método é o misoprostol, o mais utilizado na atualidade, que amadurece o colo uterino e provoca contrações uterinas de trabalho de parto. No entanto, em relação ao misoprostol ainda existem controvérsias sobre sua dose e via ideal e segurança
Descritores: Hialuronoglucosaminidase
Mifepristona
Misoprostol
Ocitocina
Relaxina
Trabalho de Parto Induzido/métodos
Limites: Humanos
Feminino
Gravidez
Responsável: BR26.1 - Biblioteca Central


  6 / 6 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Bittar, Roberto Eduardo
Id: lil-328202
Autor: Perroni, Adriana Guimaraes; Bittar, Roberto Eduardo; Zugaib, Marcelo.
Título: Mecanismo endrocinologicos envolvidos no parto prematuro / Endocrinological mechanism involved in the premature birth
Fonte: Rev. ginecol. obstet;12(4):214-218, out.-dez. 2001. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: O objetivo deste estudo e apresentar os mecanismos endocrinologicos no parto prematuro. Os principais hormonios conhecidos sao...
Descritores: Estrogênios/metabolismo
Trabalho de Parto Prematuro
Progesterona
-Hormônio Liberador da Corticotropina/metabolismo
Ocitocina
Relaxina
Limites: Humanos
Feminino
Gravidez
Recém-Nascido
Responsável: BR66.1 - Divisão de Biblioteca e Documentação



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde