Base de dados : LILACS
Pesquisa : D06.472.699.327.740.140 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 40 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 4 ir para página            

  1 / 40 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-904574
Autor: Fortes, Paula Madeira; Albrechet-Souza, Lucas; Vasconcelos, Mailton; Ascoli, Bruna Maria; Menegolla, Ana Paula; de Almeida, Rosa Maria M.
Título: Social instigation and repeated aggressive confrontations in male Swiss mice: analysis of plasma corticosterone, CRF and BDNF levels in limbic brain areas / Instigação social e confrontos agressivos repetidos em camundongos Swiss machos: análise de corticosterona plasmática e dos níveis de CRF e BDNF em áreas cerebrais límbicas
Fonte: Trends psychiatry psychother. (Impr.);39(2):98-105, Apr.-June 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).
Resumo: Abstract Introduction: Agonistic behaviors help to ensure survival, provide advantage in competition, and communicate social status. The resident-intruder paradigm, an animal model based on male intraspecific confrontations, can be an ethologically relevant tool to investigate the neurobiology of aggressive behavior. Objectives: To examine behavioral and neurobiological mechanisms of aggressive behavior in male Swiss mice exposed to repeated confrontations in the resident intruder paradigm. Methods: Behavioral analysis was performed in association with measurements of plasma corticosterone of mice repeatedly exposed to a potential rival nearby, but inaccessible (social instigation), or to 10 sessions of social instigation followed by direct aggressive encounters. Moreover, corticotropin-releasing factor (CRF) and brain-derived neurotrophic factor (BNDF) were measured in the brain of these animals. Control mice were exposed to neither social instigation nor aggressive confrontations. Results: Mice exposed to aggressive confrontations exhibited a similar pattern of species-typical aggressive and non-aggressive behaviors on the first and the last session. Moreover, in contrast to social instigation only, repeated aggressive confrontations promoted an increase in plasma corticosterone. After 10 aggressive confrontation sessions, mice presented a non-significant trend toward reducing hippocampal levels of CRF, which inversely correlated with plasma corticosterone levels. Conversely, repeated sessions of social instigation or aggressive confrontation did not alter BDNF concentrations at the prefrontal cortex and hippocampus. Conclusion: Exposure to repeated episodes of aggressive encounters did not promote habituation over time. Additionally, CRF seems to be involved in physiological responses to social stressors.

Resumo Introdução: Comportamentos agonísticos ajudam a garantir a sobrevivência, oferecem vantagem na competição e comunicam status social. O paradigma residente-intruso, modelo animal baseado em confrontos intraespecíficos entre machos, pode ser uma ferramenta etológica relevante para investigar a neurobiologia do comportamento agressivo. Objetivos: Analisar os mecanismos comportamentais e neurobiológicos do comportamento agressivo em camundongos Swiss machos expostos a confrontos repetidos no paradigma residente-intruso. Métodos: A análise comportamental foi realizada em associação com medidas de corticosterona plasmática em camundongos expostos repetidamente a um rival em potencial próximo, porém inacessível (instigação social), ou a 10 sessões de instigação social seguidas de encontros agressivos diretos. Além disso, o fator de liberação de corticotrofina (CRF) e o fator neurotrófico derivado do cérebro (BNDF) foram medidos no encéfalo desses animais. Camundongos controles não foram expostos à instigação social ou confrontos agressivos. Resultados: Os camundongos expostos a confrontos agressivos exibiram um padrão semelhante de comportamentos agressivos e não agressivos típicos da espécie na primeira e na última sessão. Em contraste com instigação social apenas, confrontos agressivos repetidos promoveram aumento na corticosterona plasmática. Após 10 sessões de confrontos agressivos, os camundongos apresentaram uma tendência não significativa de redução dos níveis de CRF no hipocampo, que se correlacionaram inversamente com os níveis plasmáticos de corticosterona. Por outro lado, sessões repetidas de instigação social ou confronto agressivo não alteraram as concentrações de BDNF no córtex pré-frontal e hipocampo. Conclusão: A exposição a episódios repetidos de encontros agressivos não promoveu habituação ao longo do tempo. Adicionalmente, o CRF parece estar envolvido nas respostas fisiológicas aos estressores sociais.
Descritores: Corticosterona/sangue
Hormônio Liberador da Corticotropina/metabolismo
Córtex Pré-Frontal/metabolismo
Fator Neurotrófico Derivado do Encéfalo/metabolismo
Agressão/fisiologia
Sistema Límbico/metabolismo
-Comportamento Animal/fisiologia
Ensaio de Imunoadsorção Enzimática
Análise de Variância
Habituação Psicofisiológica/fisiologia
Abrigo para Animais
Camundongos
Limites: Animais
Masculino
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 40 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-790387
Autor: Schmitz, Monique Kowalski.
Título: Participação do hormônio liberador de corticotropina (CRH) e dos hormônios da pró-opiomelanocortina (POMC) no lúpus eritematoso sistêmico com envolvimento cutâneo / CRH and pro-opiomelanocortin (POMC) participation in systemic lupus erythematosus with skin involvement.
Fonte: São Paulo; s.n; 2014. [127] p. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: Introdução: A ativação do eixo hormônio liberador de corticotropina (CRH) e da pró-opiomelanocortina (POMC) leva a produção de vários derivados bioativos que incluem o hormônio adrenocorticotrófico (ACTH) e o hormônio estimulador de melanócito alfa (alfa-MSH). Estudos avaliando a participação desse eixo no lúpus eritematoso sistêmico (LES) são escassos, particularmente no envolvimento cutâneo da doença. Objetivo: Avaliar a participação do CRH e das melanocortinas (MCs) na fisiopatologia do lúpus eritematoso sistêmico com envolvimento cutâneo. Métodos: Dezessete pacientes com LES com envolvimento cutâneo foram avaliados clinicamente e biópsias da pele afetada e não afetada e do sangue periférico foram obtidas. Dezessete indivíduos saudáveis foram pareados por idade e gênero. Os fragmentos de pele foram submetidos à análise imuno-histoquímica para avaliação da expressão de CRH, ACTH, alfaMSH, e receptor de melanocortina tipo 1 (MC-1R). Os níveis séricos de alfa-MSH, IL-1, IL-1ra, IL-6, IL-10, IL-12p70, IL-17, TNF-alfa, e IFN-y foram determinados pelo método Multiplex. Resultados: A pele afetada de pacientes com LES apresentaram maior expressão CRH na derme profunda quando comparada à pele não afetada dos mesmos doentes e a pele saudável dos controles (p = 0,024). Níveis séricos de alfa-MSH foram similares entre LES e controles. Dentre as citocinas avaliadas, IFN-y, TNF-alfa e IL-6 foram mais elevadas nos pacientes com LES em relação aos controles (p = 0,041, p = 0,001 e p = 0,049, respectivamente). Embora não significativamente, os níveis de IL-17 também foram mais altos nos pacientes (p = 0,099). A expressão tecidual de ACTH, cortisol, alfa-MSH e seu receptor MC-1R foram semelhantes entre os pacientes e controles. Conclusões: Nossos resultados mostram, pela primeira vez a participação do eixo CRH-POMC na patogênese das lesões cutâneas do LES.

Introduction: Corticotropin-releasing hormone (CRH) and pro-opiomelanocortin (POMC) axis activation leads to the production of several bioactive hormones including adrenocorticotrophic hormone (ACTH) and the neuropeptide alfa-melanocyte stimulating hormone (alfa-MSH). There are scarce data regarding their role in systemic lupus erythematosus (SLE) particularly in cutaneous involvement of this disease. Objective: To evaluate the role of CRH and melanocortins (MCs) in the pathophysiology of systemic lupus erythematosus with skin involvement. Methods: Seventeen patients with SLE with skin involvement were evaluated clinically and biopsies of affected and unaffected skin and peripheral blood were obtained. Seventeen healthy subjects were matched for age and gender. The skin fragments were subjected to immunohistochemical analysis for the expression of CRH, ACTH, alfa-MSH and melanocortin receptor type 1 (MC-1R). Serum levels of alfa-MSH, IL-1, IL-1ra, IL-6, IL-10, IL-12p70, IL-17, TNF-alfa and IFN-y were determined by multiplex. Results: The affected skin of SLE patients exhibited greater CRH expression in the deep dermis compared to unaffected skin of the same patients and the control's healthy skin (p = 0.024). alfa-MSH were similar between SLE and controls. Among the evaluated cytokines, IFN-y, TNF-alfa and IL-6 were significantly higher in SLE patients compared to controls (p = 0.041, p = 0.001 and p = 0.049, respectively). Although not significant, levels of IL-17 were also higher in patients (p = 0.099). Tissue expression of ACTH, cortisol, alfa-MSH and its receptor MC-1R were similar between patients and controls. Conclusions: Our results show for the first time the involvement of CRH-POMC axis in the pathogenesis of SLE cutaneous lesions through interactions between the brain-skin axis.
Descritores: Hormônio Adrenocorticotrópico
alfa-MSH
Hormônio Liberador da Corticotropina
Citocinas
Lúpus Eritematoso Sistêmico
Pele
Limites: Humanos
Feminino
Responsável: BR66.1 - Divisão de Biblioteca e Documentação
BR66.1


  3 / 40 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-605774
Autor: Bompadre, María del Carmen.
Título: Postmenopausia: relación de las alteraciones del ritmo circadiano del cortisol en la hipertensión arterial / Postmenopause: relation of the cortisol circadian rythm in the arterial hypertension
Fonte: Rev. Asoc. Méd. Argent;124(1):11-25, mar. 2011. tab.
Idioma: es.
Resumo: Considerando geronte a toda persona que ha superado los 65 años de edad, un 60 por ciento de esa población presenta hipertensión arterial, definida inicialmente como el aumento de la tensión arterial sistólica por encima de 140 mm/Hg y la diastólica a partir de los 90 mm de mercurio. No obstante, por la rigidez y calcificación arterial, y porque en ellos existe una etapa subclínica o silenciosa cuyas manifestaciones son cefalea, epistaxis, mareos, es necesario que las determinaciones sean reiteradas, y, en caso de la llamada hipertensión del guardapolvo blanco, verificar mediante una presurometría la real situación clínica de estos pacientes. Estos criterios serán ampliados oportunamente. La hipertensión arterial produce modificaciones humorales y hormonales con deterioro de la función endotelial. La hipertensión arterial (en adelante HT) en la mujer posmenopáusica ha sido atribuida, entre otros factores, a la falta de estrógenos. No obstante, aunque en la literatura médica abundan las demostraciones de la incidencia de arteriopatías, no fue demostrado que la HT sea una consecuencia de la hipoestrogenemia. En este trabajo, diseñado como un análisis de corte transversal se estudiaron (de una población de 171 mujeres postmenopáusicas a las que se les aplicó criterios de inclusión y exclusión) 142 pacientes posmenopáusicas de las cuales 71 presentaron hipertensión después de su menopausia; 71 eran normotensas y continuaron siéndolo durante el seguimiento por tres años como máximo. Se estudiaron 37 variables (cronológicas, antropomórficas, humorales, metabólicas, hormonales) buscando una relación entre ellas o con el Ritmo Circadiano de secreción de cortisol.
Descritores: Hipertensão/complicações
Hipertensão/etiologia
Menopausa/fisiologia
Menopausa/psicologia
Pós-Menopausa/sangue
Ritmo Circadiano/fisiologia
-Análise de Variância
Terapia de Reposição de Estrogênios
Doenças Cardiovasculares/prevenção & controle
Envelhecimento/fisiologia
Envelhecimento/psicologia
Glucocorticoides/efeitos adversos
Hidrocortisona/sangue
Hormônio Liberador da Corticotropina
Hormônios/sangue
Razão de Chances
Análise Estatística
Limites: Humanos
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: AR1.1 - Biblioteca Rafael Herrera Vegas


  4 / 40 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Czepielewski, Mauro A
Texto completo
Id: lil-604158
Autor: Moraes, Rafael Barberena; Czepielewski, Mauro A; Friedman, Gilberto; Borba, Evandro Lucas de.
Título: Diagnosis of adrenal failure in critically ill patients / Diagnóstico de insuficiência adrenal em pacientes críticos
Fonte: Arq. bras. endocrinol. metab;55(5):295-302, June 2011. ilus, graf.
Idioma: en.
Resumo: In the last two decades there was important evolution on the knowledge of the function of the hypothalamic-pituitary-adrenal axis. In the last decade, the expression "relative adrenal insufficiency" (RAI) was created, and more recently "critical illness-related corticosteroid insufficiency" (CIRCI) was used to designate those patients in which cortisol production was not sufficiently increased in stress situations. Patients with CIRCI have elevated hospital morbidity and mortality. Currently, there is a wide discussion about diagnostic criteria for this dysfunction. Besides basal cortisol, some publications now study the role of other tests, such as cortrosyn test - either in low (1 μg) or high doses (250 μg); free cortisol, salivary cortisol, metyrapone test and others. With this review, we aimed at summarizing the results of the most influent papers that intended to define diagnostic criteria for CIRCI. We also suggest an approach for CIRCI diagnosis and make it clear that the decision about steroid therapy in septic shock patients is matter apart from RAI.

Nas últimas décadas, houve uma importante evolução no conhecimento sobre a função do eixo hipotálamo-pituitária-adrenal. Na última década, foi cunhada a expressão "insuficiência adrenal relativa" (IAR) e, mais recentemente, a expressão "insuficiência adrenal relacionada à doença grave" (CIRCI) foi utilizada para designar aqueles pacientes nos quais a produção de cortisol não era suficientemente elevada em situações de estresse. Pacientes com CIRCI apresentam elevada morbidade e mortalidade em hospitais. Atualmente, há uma ampla discussão sobre os critérios de diagnóstico para essa desordem. Além do cortisol basal, algumas publicações analisaram o papel de outros testes, tais como o teste de estímulo com ACTH (cortrosina), com doses baixas (1 mg) ou altas (250 mg), cortisol livre, cortisol salivar, teste da metirapona e outros. O objetivo desta revisão foi resumir os resultados dos artigos mais importantes que buscaram definir os critérios de diagnóstico para a CIRCI. Também sugerimos uma abordagem para o diagnóstico da CIRCI e deixamos claro que a decisão sobre a terapia com esteroides em pacientes em choque séptico é uma questão separada da IAR.
Descritores: Insuficiência Adrenal/diagnóstico
Cuidados Críticos
-Insuficiência Adrenal/tratamento farmacológico
Hormônio Adrenocorticotrópico/metabolismo
Arginina Vasopressina/metabolismo
Estado Terminal
Hormônio Liberador da Corticotropina/metabolismo
Cosintropina
Hidrocortisona/análise
Hidrocortisona/deficiência
Metirapona
Hipófise/fisiopatologia
Esteroides/administração & dosagem
Esteroides/fisiologia
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 40 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Bittar, Roberto Eduardo
Id: lil-490805
Autor: Lucio, Cristina de Fátima; Silva, Liege Cristina Garcia da; Martinelli, Silvio; Bittar, Roberto Eduardo; Zugaib, Marcelo.
Título: Evidências atuais de marcadores bioquímicos preditivos para o parto prematuro: estriol salivar, hormônio liberador de corticotrofinas, metaloproteinases, citocinas e proteína C reativa / Current studies on abilities of biochemical markers to predict preterm delivery: salivary estriol, corticotropin-releasing hormone, metalloproteinases, citokines and C reactive protein
Fonte: Femina;35(6):391-397, jun. 2007. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Diversos estudos apontam que a prematuridade espontânea possui vários mecanismos desencadeantes: infecção decidual ou corioamnionite, distensão uterina patológica, ativação do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal materno-fetal e o sangramento decidual. A detecção precoce do parto prematuro possibilita a atuação do obstetra na sua prevenção. Vários marcadores do parto prematuro já foram sugeridos, embora alguns freqüentemente citados na literatura tenham sido pouco utilizados na prática, tais como: estriol salivar, hormônio liberador de corticotrofinas (CRH)e alguns mediadores inflamatórios como as interleucinas (IL) e o fator de necrose tumoral (FNT). Os estudos que foram realizados utilizando estes marcadores relatam que estes podem ser úteis em gestantes sintomáticas. Por outro lado, sua utilização no grupo de gestantes assintomáticas ainda mostra elevado número de resultados falso-positivos.
Descritores: Proteína C-Reativa
Hormônio Liberador da Corticotropina
Citocinas
Estriol/análise
Metaloproteases
Biomarcadores/sangue
Trabalho de Parto Prematuro/diagnóstico
Trabalho de Parto Prematuro/prevenção & controle
-Prognóstico
Limites: Feminino
Gravidez
Responsável: BR1365.1 - Biblioteca Biomédica A - CB/A


  6 / 40 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Czepielewski, Mauro A
Texto completo
Id: lil-471753
Autor: Czepielewski, Mauro A; Rollin, Guilherme A. F. S; Casagrande, Alessandra; Ferreira, Nelson P.
Título: Criteria of cure and remission in Cushing's disease: an update: [review]
Fonte: Arq. bras. endocrinol. metab;51(8):1362-1372, nov. 2007. ilus, tab.
Idioma: en.
Resumo: We review the clinical and biochemical criteria used for evaluation of the transsphenoidal pituitary surgery results in the treatment of Cushing's disease (CD). Firstly, we discuss the pathophysiology of the hypothalamic-pituitary-adrenal axis in normal subjects and patients with CD. Considering the series published in the last 25 years, we observed a significant variation in the remission or cure criteria, including the choice of biochemical tests, timing, threshold values to define remission, and the interference of glucocorticoid replacement or previous treatment. In this context we emphasize serum cortisol levels obtained early (from hours to 12 days) in the postoperative period without any glucocorticoid replacement or treatment. Our experience demonstrates that: (i) early cortisol < 5 to 7 µg/dl, (ii) a period of glucocorticoid dependence > 6 mo, (iii) absence of response of cortisol/ACTH to CRH or DDAVP, (iv) return of dexamethasone suppression, and circadian rhythm of cortisol are appropriate indices of remission of CD. In patients with undetectable cortisol levels early after surgery, recurrence seems to be low. Finally, although certain biochemical patterns are more suggestive of remission or surgical failure, none has been proven to be completely accurate, with recurrence observed in approximately 10 to 15 percent of the patients in long-term follow-up. We recommended that patients with CD should have long-term monitoring of the CRH-ACTH-cortisol axis and associated co-morbidities, especially hypopituitarism, diabetes mellitus, hypertension, cardiovascular disturbances, and osteoporosis.

Neste artigo, são revisados os principais critérios clínicos e hormonais utilizados para avaliação do tratamento cirúrgico da Doença de Cushing (DC). Inicialmente são comentados aspectos fisiopatológicos que orientam a avaliação hormonal e os principais fatores clínicos, laboratoriais, cirúrgicos e histológicos associados com melhores resultados, observados nas principais séries da literatura e em pacientes acompanhados prospectivamente pelos autores. Foram revisados, também, critérios adotados nas principais séries da literatura, nos últimos 25 anos, chamando-se atenção para as dosagens hormonais, o momento em que foram realizadas, a possibilidade de interferência de tratamentos prévios e da reposição glicocorticóide. À seguir, essas dosagens são discutidas salientando-se a importância do cortisol obtido seqüencialmente no pós-operatório e sem a interferência de reposição glicocorticóide. A experiência prospectiva dos autores, recentemente referendada na literatura, demonstra que valores de cortisol < 5 a 7 µg/dl associados com um período de dependência aos glicocorticóides > 6 meses, ausência de resposta do ACTH/cortisol ao DDAVP e/ou CRH, retorno da supressão à dexametasona e do ritmo circadiano, estão associados com remissão da DC. Em pacientes com cortisol indetectável após cirurgia transesfenoidal, a chance de recidiva parece ser menor do que naqueles em que se observa cortisol detectável. Finalmente, chamamos a atenção para que, mesmo adotando critérios rígidos de avaliação, a recidiva da DC pode ocorrer a longo prazo em até 15 por cento dos casos, recomendando-se, portanto, que esses pacientes sejam acompanhados por tempo indeterminado, com monitorização cuidadosa do eixo CRH-ACTH-cortisol e de suas co-morbidades, especialmente hipopituitarismo, diabete melito, hipertensão arterial, alterações cardiovasculares e osteoporose.
Descritores: Adenoma Hipofisário Secretor de ACT
Adenoma
Hipersecreção Hipofisária de ACTH
Neoplasias Hipofisárias
-Adenoma Hipofisário Secretor de ACT/fisiopatologia
Adenoma Hipofisário Secretor de ACT/cirurgia
Adenoma/fisiopatologia
Adenoma/cirurgia
Hormônio Adrenocorticotrópico/sangue
Hormônio Liberador da Corticotropina/sangue
Hipofisectomia
Hidrocortisona/sangue
Hidrocortisona/urina
Sistema Hipotálamo-Hipofisário/fisiopatologia
Testes de Função Adreno-Hipofisária
Hipersecreção Hipofisária de ACTH/fisiopatologia
Hipersecreção Hipofisária de ACTH/cirurgia
Neoplasias Hipofisárias/fisiopatologia
Neoplasias Hipofisárias/cirurgia
Sistema Hipófise-Suprarrenal/fisiopatologia
Recidiva
Resultado do Tratamento
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 40 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-471749
Autor: Utz, Andrea; Biller, Beverly M. K.
Título: The role of bilateral inferior petrosal sinus sampling in the diagnosis of Cushing's syndrome
Fonte: Arq. bras. endocrinol. metab;51(8):1329-1338, nov. 2007. ilus, tab.
Idioma: en.
Resumo: Adrenocorticotropin hormone (ACTH)-dependent Cushing's syndrome is most often due to a pituitary corticotroph adenoma, with ectopic ACTH-secreting tumors representing approximately 15 percent of cases. Biochemical and radiological techniques have been established to help distinguish between these two entities, and thus aid in the localization of the neoplastic lesion for surgical resection. The test that offers the highest sensitivity and specificity is bilateral inferior petrosal sinus sampling (BIPSS). BIPSS is an interventional radiology procedure in which ACTH levels obtained from venous drainage very near the pituitary gland are compared to peripheral blood levels before and after corticotropin hormone (CRH) stimulation. A gradient between these two locations indicates pituitary Cushing's, whereas the absence of a gradient suggests ectopic Cushing's. Accurate BIPSS results require hypercortisolemia to suppress normal corticotroph ACTH production and hypercortisolemia at the time of the BIPSS to assure excessive ACTH secretion. In some cases, intrapituitary gradients from side-to-side can be helpful to localize small corticotroph adenomas within the sella. BIPSS has rare complications and is considered safe when performed at centers with experience in this specialized technique.

A síndrome de Cushing (SC) ACTH-dependente é mais freqüentemente devida a um adenoma corticotrófico da hipófise, com os tumores ectópicos secretores de ACTH representando aproximadamente 15 por cento dos casos. Técnicas bioquímicas e radiológicas foram estabelecidas para permitir a distinção entre essas duas entidades e, assim, auxiliar na localização da lesão neoplásica para ressecção cirúrgica. O teste que oferece a mais alta sensibilidade e especificidade é a coleta bilateral de amostras de sangue do seio petroso inferior (BIPSS). BIPSS é um procedimento de intervenção radiológica no qual os níveis de ACTH obtidos da drenagem venosa bem próxima da hipófise são comparados com os níveis sanguíneos periféricos antes e após estímulo com corticorrelina (CRH). Um gradiente entre essas duas localizações indica SC hipofisário, enquanto a ausência de gradiente sugere SC ectópica. Resultados acurados na BIPSS requerem a presença de hipercortisolemia e que ela suprima normalmente a produção de ACTH pelo corticotrofos por ocasião da BIPSS para garantir a secreção excessiva de ACTH. Em alguns casos, os gradientes intra-hipofisários de um lado para outro podem ser úteis na localização de pequenos adenomas corticotróficos no interior da sela. A BIPSS raramente apresenta complicações, sendo considerada segura quando realizada em centros com experiência nessa técnica especializada.
Descritores: Síndrome de ACTH Ectópico/diagnóstico
Síndrome de Cushing/diagnóstico
Amostragem do Seio Petroso
-Adenoma Hipofisário Secretor de ACT/sangue
Adenoma Hipofisário Secretor de ACT/diagnóstico
Adenoma Hipofisário Secretor de ACT
Adenoma/sangue
Adenoma/diagnóstico
Adenoma
Hormônio Adrenocorticotrópico/sangue
Hormônio Liberador da Corticotropina
Síndrome de Cushing/sangue
Síndrome de Cushing/etiologia
Diagnóstico Diferencial
Neoplasias Hipofisárias/sangue
Neoplasias Hipofisárias/diagnóstico
Neoplasias Hipofisárias
Sensibilidade e Especificidade
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 40 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-471737
Autor: Isidori, Andrea M; Lenzi, Andrea.
Título: Ectopic ACTH syndrome
Fonte: Arq. bras. endocrinol. metab;51(8):1217-1225, nov. 2007. graf, tab.
Idioma: en.
Resumo: Ectopic adrenocorticotropic secretion (EAS) is responsible for 12-17 percent of cases of Cushing's syndrome (CS) and covers a range of tumours, from undetectable benign lesions to widespread metastases. The syndrome is often associated with severe hypercortisolaemia, which aggravates the underlying condition. EAS requires a complete workup that includes the establishment of endogenous CS, diagnosis of adrenocorticotropic hormone (ACTH) dependency, localization of the source of ACTH secretion and rapid biochemical control of hypercortisolaemia. Dynamic endocrine tests should include inferior petrosal sinus sampling with CRH stimulation. Localization studies depend on the availability of reliable high-resolution cross-sectional imaging. This systematic review of the largest published series of patients with EAS (over 380 patients) reveals the common trends in the prevalence and management of this syndrome. The concept of 'occult' EAS has been revisited and the terms 'overt' and 'covert' EAS introduced. In addition to small cell lung carcinoma, the most common causes of ectopic EAS are bronchial carcinoids, thymic tumours, islet cell tumour of the pancreas, medullary thyroid carcinomas, and phaeochromocytomas. Their prevalence and the best localization modalities are presented. Medical and surgical management is discussed on the basis of the extensive experience of major referral centres.

A secreção ectópica de ACTH (SEA) é responsável por 12-17 por cento dos casos de síndrome de Cushing (SC), cobrindo uma variedade de tumores, desde lesões benignas indetectáveis a metástases disseminadas. A SEA está freqüentemente associada com hipercortisolemia grave, que agrava a condição de base e requer uma avaliação completa, que inclui a confirmação da SC endógena, o diagnóstico da dependência ao ACTH, a localização da fonte da secreção de ACTH e o controle bioquímico rápido da hipercortisolemia. Testes endócrinos dinâmicos devem incluir a coleta de amostras do seio petroso inferior com estímulo pelo CRH. O estudo da localização da fonte depende da disponibilidade de procedimentos de imagem de alta-resolução confiáveis. A revisão sistemática das maiores séries publicadas de pacientes com SEA (mais de 380 pacientes) revela tendências comuns na prevalência e manejo dessa síndrome. O conceito de SEA "oculta" está sendo revisado e os termos SEA "manifesta" e "latente" são introduzidos. Além do carcinoma pulmonar de pequenas células, as causas mais comuns de SEA são os carcinóides brônquicos, tumores tímicos, tumor de ilhotas pancreáticas, carcinoma medular de tiróide e feocromocitoma; sua prevalência e as melhores modalidades para localização são apresentadas. O manejo clínico e cirúrgico é discutido com base na vasta experiência dos principais centros de referência.
Descritores: Síndrome de ACTH Ectópico/diagnóstico
-Síndrome de ACTH Ectópico/etiologia
Síndrome de ACTH Ectópico/terapia
Neoplasias Abdominais/complicações
Neoplasias Abdominais
Hormônio Adrenocorticotrópico/sangue
Biomarcadores/sangue
Tumor Carcinoide/complicações
Tumor Carcinoide
Hormônio Liberador da Corticotropina
Síndrome de Cushing/diagnóstico
Diagnóstico Diferencial
Hidrocortisona/sangue
Amostragem do Seio Petroso
Tomografia Computadorizada por Raios X
Neoplasias Torácicas/complicações
Neoplasias Torácicas
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 40 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-471736
Autor: Vilar, Lucio; Freitas, Maria da Conceição; Faria, Manuel; Montenegro, Renan; Casulari, Luiz Augusto; Naves, Luciana; Bruno, Oscar D.
Título: Pitfalls in the diagnosis of Cushing's syndrome: [review]
Fonte: Arq. bras. endocrinol. metab;51(8):1207-1216, nov. 2007. ilus, tab.
Idioma: en.
Resumo: Among endocrine disorders, Cushing's syndrome (CS) is certainly one of the most challenging to endocrinologists due to the difficulties that often appear during investigation. The diagnosis of CS involves two steps: confirmation of hypercortisolism and determination of its etiology. Biochemical confirmation of the hypercortisolaemic state must be established before any attempt at differential diagnosis. Failure to do so will result in misdiagnosis, inappropriate treatment, and poor management. It should also be kept in mind that hypercortisolism may occur in some patients with depression, alcoholism, anorexia nervosa, generalized resistance to glucocorticoids, and in late pregnancy. Moreover, exogenous or iatrogenic hypercortisolism should always be excluded. The three most useful tests to confirm hypercortisolism are the measurement of 24-h urinary free cortisol levels, low-dose dexamethasone-suppression tests, and determination of midnight serum cortisol or late-night salivary cortisol. However, none of these tests is perfect, each one has different sensitivities and specificities, and several are usually needed to provide a better diagnostic accuracy. The greatest challenge in the investigation of CS involves the differentiation between Cushing's disease and ectopic ACTH syndrome. This task requires the measurement of plasma ACTH levels, non-invasive dynamic tests (high-dose dexamethasone suppression test and stimulation tests with CRH or desmopressin), and imaging studies. None of these tests had 100 percent specificity and their use in combination is usually necessary. Bilateral inferior petrosal sinus sampling is mainly indicated when non-invasive tests do not allow a diagnostic definition. In the present paper, the most important pitfalls in the investigation of CS are reviewed.

Entre as doenças endócrinas, a síndrome de Cushing (SC) é certamente uma das mais desafiadoras para o endocrinologista, devido às dificuldades que comumente surgem durante a investigação. O diagnóstico de SC envolve dois passos: a confirmação do hipercortisolismo e a determinação de sua etiologia. A confirmação bioquímica do excesso de cortisol precisa ser estabelecida antes de qualquer tentativa de diagnóstico diferencial; caso contrário, poderá resultar em diagnóstico incorreto, tratamento impróprio e manejo insuficiente. Deve também ser lembrado que hipercortisolismo pode ocorrer em certos pacientes com depressão, alcoolismo, anorexia nervosa, resistência generalizada aos glicocorticóides e no final da gravidez. Além disso, hipercortisolismo exógeno ou iatrogênico deverá ser sempre excluído. Os três testes mais úteis para a confirmação do hipercortisolismo são: a medida do cortisol livre em urina de 24 h, os testes de supressão com dexametasona (TSD) em doses baixas e a determinação do cortisol sérico à meia-noite ou do cortisol salivar no final da noite. Contudo, nenhum deles é perfeito, cada um com sua sensibilidade e especificidade, sendo vários deles usualmente necessários para fornecer uma melhor acurácia diagnóstica. O maior desafio na investigação da SC envolve a diferenciação entre a doença de Cushing e a síndrome do ACTH ectópico. Esta tarefa requer a medida dos níveis plasmáticos de ACTH, testes dinâmicos não-invasivos (TSD com doses altas e testes de estímulo com CRH ou desmopressina) e estudos de imagem. Nenhum desses testes tem 100 por cento de especificidade e muitas vezes é necessário seu uso combinado. Amostragem venosa do seio petroso inferior está indicada principalmente quando os testes não-invasivos não permitem uma definição diagnóstica. Neste artigo, revisaremos as mais importantes armadilhas na investigação da SC.
Descritores: Síndrome de ACTH Ectópico/diagnóstico
Síndrome de Cushing/diagnóstico
-Testes de Função do Córtex Suprarrenal
Hormônio Adrenocorticotrópico/sangue
Biomarcadores/sangue
Biomarcadores/urina
Neoplasias Brônquicas/complicações
Tumor Carcinoide/complicações
Hormônio Liberador da Corticotropina/sangue
Síndrome de Cushing/etiologia
Diagnóstico Diferencial
Dexametasona
Glucocorticoides
Hidrocortisona/sangue
Hidrocortisona/urina
Neoplasias Pulmonares/complicações
Amostragem do Seio Petroso
Testes de Função Hipofisária
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 40 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-471735
Autor: Newell-Price, John; Grossman, Ashley B.
Título: Differential diagnosis of Cushing's syndrome: [review]
Fonte: Arq. bras. endocrinol. metab;51(8):1199-1206, nov. 2007. ilus, tab.
Idioma: en.
Resumo: The differential diagnosis of Cushing's syndrome requires careful multidisciplinary interaction with a number of specialities, co-ordinated through endocrine centres with good experience of this condition. It is essential that the diagnosis of Cushing's syndrome be fully established before differential diagnosis is attempted. The endocrinologist needs to be aware of the pitfalls and advantages of the tests in use. We discuss the approach to the differential diagnosis of this challenging condition.

O diagnóstico diferencial da síndrome de Cushing requer uma interação multidisciplinar cuidadosa entre várias especialidades, coordenadas através de centros de endocrinologia com boa experiência nessa condição. É essencial que o diagnóstico da síndrome de Cushing seja estabelecido antes da tentativa de diagnóstico diferencial. O endocrinologista precisa estar atento às possíveis falhas e vantagens dos testes empregados. Nós discutiremos a abordagem do diagnóstico diferencial nessa condição desafiadora.
Descritores: Síndrome de Cushing/diagnóstico
-Testes de Função do Córtex Suprarrenal
Hormônio Adrenocorticotrópico/sangue
Biomarcadores/sangue
Hormônio Liberador da Corticotropina
Síndrome de Cushing/sangue
Síndrome de Cushing/etiologia
Diagnóstico Diferencial
Dexametasona
Glucocorticoides
Amostragem do Seio Petroso
Testes de Função Hipofisária
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 4 ir para página            
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde