Base de dados : LILACS
Pesquisa : D06.472.699.327.740.320 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 272 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 28 ir para página                         

  1 / 272 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-721601
Autor: Sasse, André Deeke; Carvalho, Adriana Camargo de; Munhoz, Rodrigo Ramella.
Título: Avaliação farmacoeconômica de diferentes apresentações de Eligard® e outros análogos LHRH para supressão androgênica em pacientes com câncer de próstata avançado ou metastático / Pharmacoeconomic evaluation of Eligard® and other LHRH analogues as androgen deprivation therapy for advanced and metastatic prostate cancer
Fonte: RBM rev. bras. med;71(5), maio 2014.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução: O acetato de leuprorrelina, substância ativa do medicamento Eligard®, é um análogo sintético não peptídeo do hormônio liberador do hormônio luteinizante (LHRH) que está bem estabelecido para o tratamento de primeira linha para pacientes com câncer de próstata avançado. Diversas opções de análogos LHRH estão disponíveis no Brasil, com diferentes formulações e periodicidade entre as aplicações. O Eligard® 45mg, de administração semestral, pode trazer vantagens clínicas e econômicas pela sua maior duração de efeito. Objetivo: Realizar uma avaliação econômica comparando diferentes apresentações de Eligard® e outros análogos LHRH no tratamento de pacientes com câncer de próstata avançado ou metastático no Brasil, sob as perspectivas do SUS, serviços públicos e saúde suplementar. Método: Modelos de Markov foram desenvolvidos para avaliar custos e desfechos em coortes de pacientes com câncer de próstata metastático, sem tratamento prévio, submetidos à terapia de privação androgênica e tratamentos subsequentes. Eligard® 45 mg, em sua forma de depósito semestral, foi colocado em perspectiva econômica com outras seis apresentações de análogos de LHRH disponíveis no mercado nacional. Resultados: O bloqueio androgênico, com qualquer um dos análogos LHRH avaliados, resultou em uma expectativa de vida média de 31,44 meses em todas as perspectivas analisadas...
Descritores: Farmacoeconomia
Hormônio Liberador de Gonadotropina
Neoplasias da Próstata
Limites: Humanos
Responsável: BR12.1 - Biblioteca Setorial da Ciências da Saúde


  2 / 272 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-995567
Autor: Núcleo de Telessaúde da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
Título: TeleCondutas: sangramento uterino anormal / TeleGuides: abnormal uterine bleeding.
Fonte: Porto Alegre; Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Telessaúde; 2018.
Idioma: pt.
Resumo: Sangramento uterino anormal (SUA) é caracterizado por diferentes padrões de sangramento menstrual que variam de alteração no volume, irregularidades na duração e no ciclo menstrual. A condição costuma impactar na qualidade de vida das mulheres, sendo um problema de saúde frequente no atendimento da Atenção Primária à Saúde, acometendo cerca de 10% das mulheres em idade reprodutiva. As principais causas do sangramento uterino anormal são disfunções ovulatórias, gravidez, anormalidades estruturais, distúrbios de coagulação e causas iatrogênicas. Esta guia apresenta informação que orienta a conduta para casos de sangramento uterino anormal no contexto da Atenção Primária à Saúde, incluindo: classificação, etiologias de SUA por faixa etária, avaliação diagnóstica, tratamento, encaminhamento para serviço especializado.
Descritores: Hemorragia Uterina/diagnóstico
Hemorragia Uterina/terapia
-Atenção Primária à Saúde
Progestinas/uso terapêutico
Encaminhamento e Consulta
Hormônio Liberador de Gonadotropina/agonistas
Estradiol/uso terapêutico
Estrogênios/uso terapêutico
Miomectomia Uterina/instrumentação
Histerectomia/instrumentação
Medroxiprogesterona/uso terapêutico
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Guia de Prática Clínica
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 272 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-911497
Autor: Peixoto, G. C. X; Maia, K. M; Almeida, L. M; Campos, L. B; Oliveira, G. B; Oliveira, M. F; Brito, A. B; Domingues, S. F. S; Silva, A. R.
Título: Indução do estro em cutias (Dasyprocta leporina) utilizando-se protocolos à base de prostaglandina isolada ou em associação com análogo de GnRH / Estrus induction in agoutis (Dasyprocta leporina) using protocols based on prostaglandin isolated or in association to GnRH analogue
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec. (Online);70(3):806-814, maio-jun. 2018. graf, ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Comparou-se a eficiência de protocolos para indução de estro em cutias. Em cinco fêmeas, foram administradas duas doses de cloprostenol (5µg) com intervalo de nove dias, via intraperitoneal; em outras cinco, administraram-se 30µg de análogo do hormônio liberador de gonadotrofinas (GnRH), via intravulvar, seguidos de 5µg de cloprostenol, via intraperitoneal, após sete dias e, após mais dois dias, nova dose do análogo de GnRH. A cada três dias, a ciclicidade reprodutiva dos animais foi monitorada, por meio de coleta de sangue, para dosagem hormonal, ultrassonografia ovariana e citologia vaginal. Duas das fêmeas que receberam apenas prostaglandina, as quais estavam em fase luteal no início do tratamento, manifestaram o estro aos três e seis dias após a segunda administração da droga. Já nas fêmeas que receberam a prostaglandina associada ao análogo do GnRH, duas que originalmente estavam em fase luteal apresentaram estro aos quatro dias após o tratamento, e uma outra apenas após 10 dias. Não foram evidenciadas diferenças estatísticas quanto à eficiência dos tratamentos (P>0,05). Conclui-se que, de acordo com os protocolos utilizados, o uso da prostaglandina isolada ou em associação com análogo do GnRH para a indução do estro em cutias D. leporina apresenta eficiência limitada às fêmeas que estejam em fase luteal por ocasião do início do tratamento.(AU)

We compared the efficiency of protocols for estrus induction in agoutis. Five females received double intraperitoneal administration of cloprostenol (5µg) on a 2-days interval; other five females were treated with intravulvar administration of 30µg gonadotrophin release hormone analogue (GnRH associated to intraperitoneal administration of 5µg cloprostenol after seven days and a new administration of GnRH analogue after two days. Every 3 days, the agoutis' reproductive cycle was monitored by blood collection for hormonal analysis, ovarian ultrasound and vaginal cytology. Two females, originally in luteal phase, that received isolated prostaglandin presented estrous signs at 3 and 6 days after the second drug administration. From the females that received the association, two that were originally in luteal phase presented estrus at 4 days after treatment, and one other presented estrus only after 10 days. There was no significant statistical difference regarding the efficiency of treatments for estrus induction (P>0.05). We conclude that, according to the protocols tested in the study, the use of isolated prostaglandin or its association to GnRH analogue for estrus induction in D. leporine shows an efficiency limited to the females that were in luteal phase in the beginning of the treatment.(AU)
Descritores: Dasyproctidae/embriologia
Estro/fisiologia
Prostaglandinas/administração & dosagem
Prostaglandinas/isolamento & purificação
-Hormônio Liberador de Gonadotropina/análogos & derivados
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  4 / 272 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-911016
Autor: Rezende, R. S; Eurides, D; Barbosa, C. P; Lacerda, M. S; Sampaio, R. L; Gomes, A. L.
Título: Use of a GnRH synthetic analog (buserelin) for estrous induction in female dogs / Utilização de análogo sintético de GnRH (buserelina) na indução do estro em cadelas
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec. (Online);70(3):656-660, maio-jun. 2018. tab.
Idioma: en.
Resumo: The aim of this study was to evaluate the effectiveness of a GnRH synthetic analog, as an estrous inducer in female dogs when administered during the anestrous phase, and to evaluate the pregnancy rate achieved through natural copulation. For this purpose, ten female dogs of different breeds were used. The subjects received buserelin by intramuscular injections at a dose of 2,1mcg when female dogs weighed up to 10kg (Group 1) and of 4,2mcg when the dogs weighed above 10kg (Group 2). Of the ten subjects, only three presented estrus after a single injection of buserelin: two dogs from Group 1 and one dog from Group 2 on average 7±1.29 days. The remaining seven dogs were given a second dose of buserelin, equal to the first administration. Of these, three belonged to Group 1 and four to Group 2. Four of these dogs exhibited clinical signs of estrus within, on average 9±7.3 days from the second injection. The seven female dogs that did enter estrus were fertilized successfully through natural copulation. The administration of buserelin was effective in inducing estrus in female dogs during the anestrous phase, with a maximum of two administrations.(AU)

Objetivou-se avaliar a eficácia de um análogo sintético ao GnRH como indutor de estro em cadelas em anestro e a taxa de prenhez por meio de cópula natural. Para isso, foram utilizadas 10 fêmeas caninas de diferentes raças. Cadelas de até 10kg de peso (grupo 1) foram submetidas à administração de buserelina por via intramuscular, na dose de 2,1mcg, e cadelas acima de 10kg (grupo 2) foram submetidas à mesma medicação, porém na dose de 4,2mcg. Das fêmeas em anestro, apenas três apresentaram estro com apenas uma aplicação, sendo duas do grupo 1 e uma do grupo 2, em 7±1,29 dias, em média. Em sete cadelas foi administrada mais uma dose de buserelina; destas, quatro eram pertencentes ao grupo 2 e três eram do grupo 1. Os sinais de estro ocorreram, em média, após 9±2,73 dias da segunda aplicação. As sete cadelas que manifestaram estro foram fertilizadas por meio de cópula natural. A administração de buserelina é eficiente para a indução de estro, em cadelas em anestro, em, no máximo, duas aplicações.(AU)
Descritores: Cães/embriologia
Hormônio Liberador de Gonadotropina/administração & dosagem
Hormônio Liberador de Gonadotropina/análogos & derivados
-Busserrelina/análogos & derivados
Biologia Celular
Estro
Limites: Animais
Feminino
Cães
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  5 / 272 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-908229
Autor: Adauy Eneros, Arlette; Sandoval Zamorano, Jorge; Rios Salazar, Rafael; Cartes Lagos, María Alejandra.
Título: Terapia hormonal en la transición masculino a femenino (MTF) ó transexual femenino o régimen de feminización: parte II / Hormonal therapy in the male to female transition (MTF) or female transsexual or feminization regime: part II
Fonte: Rev. Soc. Chil. Obstet. Ginecol. Infant. Adolesc;24(1):18-27, Mayo 2017. tab.
Idioma: es.
Descritores: Antagonistas de Androgênios/uso terapêutico
Feminização
Hormônio Liberador de Gonadotropina/análogos & derivados
Hormônio Liberador de Gonadotropina/uso terapêutico
Pessoas Transgênero
Transexualidade/tratamento farmacológico
Limites: Masculino
Feminino
Humanos
Adolescente
Tipo de Publ: Revisão
Revisão
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  6 / 272 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-908228
Autor: Adauy Eneros, Arlette; Sandoval Zamorano, Jorge; Rios Salazar, Rafael; Cartes Lagos, Alejandra.
Título: Introducción a la hormono terapia en personas transexuales: objetivos de la terapia y transición en la adolescencia: Parte I / Introduction to hormone therapy in transgender people: objectives of therapy and transition in adolescence: Part I
Fonte: Rev. Soc. Chil. Obstet. Ginecol. Infant. Adolesc;24(1):7-17, Mayo 2017. tab, ilus.
Idioma: es.
Descritores: Hormônio Liberador de Gonadotropina/análogos & derivados
Hormônio Liberador de Gonadotropina/uso terapêutico
Pessoas Transgênero
Cuidado Transicional
Transexualidade/tratamento farmacológico
Limites: Masculino
Feminino
Humanos
Adolescente
Tipo de Publ: Revisão
Revisão
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  7 / 272 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Baracat, Edmund Chada
Texto completo
Id: biblio-890718
Autor: Marcondes, Rodrigo Rodrigues; Carvalho, Kátia Cândido; Giannocco, Gisele; Duarte, Daniele Coelho; Garcia, Natália; Soares-Junior, José Maria; da Silva, Ismael Dale Cotrim Guerreiro; Maliqueo, Manuel; Baracat, Edmund Chada; Maciel, Gustavo Arantes Rosa.
Título: Hypothalamic transcriptional expression of the kisspeptin system and sex steroid receptors differs among polycystic ovary syndrome rat models with different endocrine phenotypes
Fonte: Clinics;72(8):510-514, Aug. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: OBJECTIVES: Polycystic ovary syndrome is a heterogeneous endocrine disorder that affects reproductive-age women. The mechanisms underlying the endocrine heterogeneity and neuroendocrinology of polycystic ovary syndrome are still unclear. In this study, we investigated the expression of the kisspeptin system and gonadotropin-releasing hormone pulse regulators in the hypothalamus as well as factors related to luteinizing hormone secretion in the pituitary of polycystic ovary syndrome rat models induced by testosterone or estradiol. METHODS: A single injection of testosterone propionate (1.25 mg) (n=10) or estradiol benzoate (0.5 mg) (n=10) was administered to female rats at 2 days of age to induce experimental polycystic ovary syndrome. Controls were injected with a vehicle (n=10). Animals were euthanized at 90-94 days of age, and the hypothalamus and pituitary gland were used for gene expression analysis. RESULTS: Rats exposed to testosterone exhibited increased transcriptional expression of the androgen receptor and estrogen receptor-β and reduced expression of kisspeptin in the hypothalamus. However, rats exposed to estradiol did not show any significant changes in hormone levels relative to controls but exhibited hypothalamic downregulation of kisspeptin, tachykinin 3 and estrogen receptor-α genes and upregulation of the gene that encodes the kisspeptin receptor. CONCLUSIONS: Testosterone- and estradiol-exposed rats with different endocrine phenotypes showed differential transcriptional expression of members of the kisspeptin system and sex steroid receptors in the hypothalamus. These differences might account for the different endocrine phenotypes found in testosterone- and estradiol-induced polycystic ovary syndrome rats.
Descritores: Hormônio Liberador de Gonadotropina/análise
Hipotálamo/química
Kisspeptinas/análise
Hormônio Luteinizante/metabolismo
Hipófise/metabolismo
Síndrome do Ovário Policístico/química
-Modelos Animais de Doenças
Regulação para Baixo
Estradiol
Expressão Gênica
Hormônio Liberador de Gonadotropina/genética
Hipotálamo/metabolismo
Kisspeptinas/genética
Fenótipo
Síndrome do Ovário Policístico/genética
Síndrome do Ovário Policístico/metabolismo
Ratos Wistar
Reação em Cadeia da Polimerase em Tempo Real
Receptores Androgênicos/análise
Receptores Estrogênicos/análise
Testosterona
Regulação para Cima
Limites: Animais
Feminino
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 272 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-883384
Autor: Gomes, Luciana Beatriz Mendes; Siqueira, Mário Henrique Bitar; Castro, Eduardo Camelo de.
Título: Outcomes of GnRH agonist triggering in assisted reproductive technology: a systematic review / Resultados da maturação oocitária final com agonistas do GnRH nos ciclos de reprodução assistida: uma revisão sistemática
Fonte: Reprod. clim;32(2):104-108, 2017. tab, ilus.
Idioma: en.
Resumo: Objective: To make a review of studies that assessed the outcomes of GnRH agonist oocyte triggering in comparison with hCG in prevention of ovarian hyperstimulation syndrome and pregnancy rates. Methods: A systematic review of studies presented in the following database: PUBMED, Lilacs and Scielo submitted from January 2005 to October 2015. The keywords were ovulation induction, ovarian hyperstimulation syndrome and gonadotropin releasing hormone. Results: One hundred fifty-four articles were found. From these, twelve studies were completely analyzed. Eight fulfilled the inclusion criteria and one was included after the bibliographic review of the previous ones. From these nine submitted articles, two are retrospective and the others are prospective. Conclusion: The use of GnRH agonist for oocyte triggering was comparable with hCG and showed low frequency of ovarian hyperstimulation syndrome.(AU)

Objetivo: Fazer uma revisão dos estudos que avaliaram os desfechos do agonista de GnRH no ovócito em comparação com hCG na prevenção da síndrome de hiperestimulação ovariana e nas taxas de gestação. Métodos: Revisão sistemática de estudos presentes nos seguintes bancos de dados: Pubmed, Lilacs e Scielo, apresentados de janeiro de 2005 até outubro de 2015. As palavras-chave foram indução da ovulação, síndrome de hiperestimulação ovariana e hormônio liberador de gonadotropina. Resultados: Foram localizados 154 artigos; 12 foram integralmente analisados; oito preenchiam os critérios de inclusão; um foi incluído depois da revisão bibliográfica dos estudos precedentes. Dentre esses nove artigos apresentados, dois são retrospectivos e os demais são prospectivos. Conclusão: O uso do agonista de GnRH para a indução do ovócito foi comparável ao hCG, demonstrou baixa frequência de síndrome de hiperestimulação ovariana.(AU)
Descritores: Hormônio Liberador de Gonadotropina/agonistas
Síndrome de Hiperestimulação Ovariana
Taxa de Gravidez
Limites: Humanos
Feminino
Gravidez
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR33.1 - Divisão Técnica de Biblioteca e Documentação


  9 / 272 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-833295
Autor: Peru. Ministerio de Salud. Seguro Integral de Salu.
Título: Informe de evaluación rápida de tecnología sobre seguridad y efectividad de degarelix para cáncer de próstata / Rapid evaluation report of technology on safety and effectiveness of degarelix for prostate cancer.
Fonte: s.l; s.n; 2015. graf, tab.
Idioma: es.
Resumo: Hoy en día, el cáncer de próstata se considera uno de los problemas médicos más importantes a los que se enfrenta la población masculina. En Europa, el cáncer de próstata es la neoplasia sólida más frecuente, con una incidencia de 214 casos por 1000 varones, superando en número a los cánceres de pulmón y colorrectal. Además, el cáncer de próstata constituye actualmente la segunda causa más frecuente de mortalidad por cáncer en los varones. Además, desde 1985, se ha producido un ligero aumento del número de muertes por cáncer de próstata en la mayoría de las naciones, incluso en países o regiones en los que el cáncer de próstata no es frecuente. El cáncer de próstata afecta a los varones ancianos con mayor frecuencia que a los jóvenes. Por consiguiente, supone un mayor problema de salud en los países desarrollados, ya que cuentan con una mayor proporción de varones ancianos. Así, alrededor del 15% de los cánceres en varones son cáncer de próstata en los países desarrollados, en comparación con el 4% en aquellos en vías de desarrollo. Conviene señalar que hay notables diferencias regionales en las tasas de incidencia de cáncer de próstata. La Vigilancia Epidemiológica de Cáncer en el Perú fue establecida por la Dirección General de Epidemiología del MINSA el año 2006, con el propósito de conocer el comportamiento epidemiológico del cáncer en nuestro país y brindar información para el desarrollo de intervenciones destinadas a reducir su incidencia y mortalidad. Los casos notificados de la Vigilancia Epidemiológica de Cáncer comprenden la información de los Registros Hospitalarios de Cáncer (RHC) a cargo de las Oficinas de Epidemiología y Salud Ambiental de los hospitales notificantes así como de las defunciones por cáncer que no accedieron a una atención hospitalaria a cargo de las Oficinas de Epidemiología de las DIRESA/GERESA/DISA. Para el caso de los hospitales. Los cánceres que a nivel nacional presentaron un mayor promedio de casos por año fueron los de cérvix, estómago, mama, piel y próstata. Diversos estudios han demostrado el papel que tiene la testosterona sobre el cáncer de próstata y que el control de sus niveles repercute favorablemente en la progresión de la enfermedad. La terapia con degarelix suprimen los niveles de testosterona rápidamente a niveles de castración (< 0.5 ng/ml), con posibilidad de reversión al suprimir el tratamiento. La sobrevida libre de progresión se reportó mayor en el grupo que recibió degarelix. Se recomienda cubrir con restricciones.(AU)
Descritores: Antineoplásicos Hormonais/administração & dosagem
Hormônio Liberador de Gonadotropina/administração & dosagem
Neoplasias da Próstata/tratamento farmacológico
Neoplasias da Próstata/epidemiologia
Testosterona
-Avaliação da Tecnologia Biomédica
Tipo de Publ: Revisão
Relatório Técnico
Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 272 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-786726
Autor: Reséndiz, Josefina Sánchez; Espinoza, Mercedes; Fluentes, Juan; Tejada, Ángel Lerdo de.
Título: Efecto de Lachesis trigonocephalus sobre dopamina cerebral en la rata / Lachesis trigonocephalus effect on dopamine in the rat brain
Fonte: Homeopatia Méx;84(697):31-34, jul.-ago.2015.
Idioma: es.
Resumo: La dopamina (DA) estimula el factor liberador de hormona luteinizante (LHR), incrementa la hormona luteinizante (LH) e induce ovulación. El precursor inmediato, la L-dopa, ha sido usado para inducir la ovulación y en el síndrome amenorrea-galactorrea, pero esta droga produce varios efectos indeseables. Por esta razón pareció conveniente investigar drogas capaces de elevar la DA cerebral con menos efectos colaterales. La acción del veneno de la serpiente Lachesis trigonocephalus sobre la DA cerebral fue estudiada en ratas Wistar. Treinta y nueve animales recibieron el veneno a una dinamización de 1 x 10-24 = 12CH en etanol al 22.5%. La droga fue administrada per os con un catéter a la dosis de 0.25 ml, con intervalos de 8 horas, durante 10 días. Treinta y tres ratas sirvieron como controles y recibieron la misma dosis de etanol sin la droga. El grupo control mostró un nivel medio de 998 ± 43 ng/g (X ± SE) y los animales que recibieron la droga 1136 ± 57 ng/g (P < 0.05). La concentración de noradrenalina (NA) fue de 528 ± 29 ng/g en el grupo control y de 452 ± 16 ng/g en el grupo que recibió Lachesis (P < 0.025). Los niveles de adrenalina no mostraron cambios significativos con la droga...

Dopamine (DA) stimulates hormone luteinizing liberator (LHR), increases hormone luteinizer (LH) and induces ovulation. L-Dopa, its immediate precursor, has been used to induce ovulation and in the amenorrhea-galactorrhea syndrome, but this drug produces several undesirable effects. It was therefore considered convenient to investigate drugs which can raise Brain DA with less side effects. The effect of Lachesis trigonocephalus snake poison was studied in rats. Thirty nine animals received the venom at a 1 x 10-24 dynamization (Lachesis trig. 12CH), in ethanol at 22.5%. The drug was administered per os through a catheter on a 0.25 ml dose, at 8 hour intervals during 10 days. Thirty three rats were used as controls and received the same dosage of ethanol without the drug. The control batch gave a mean level of 998 ± 29 ng/g (X ± SE) and animals which received the drug showed 1136 ± 57 ng/g (P < 0.025). The concentration of noradrenaline (NA) was 528 ± 29 ng/g in the group which received Lachesis trig. 12CH (P < 0.025). No significant variations of adrenaline levels were apparent with the drug...
Descritores: Dopamina
Lachesis muta/uso terapêutico
-Epinefrina
Hormônio Liberador de Gonadotropina
Norepinefrina
Serotonina
Limites: Animais
Ratos
Responsável: BR926.1 - Biblioteca Artur de Almeida Rezende Filho



página 1 de 28 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde