Base de dados : LILACS
Pesquisa : D08.811.913.696.620.682.700.725 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 53 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 6 ir para página                

  1 / 53 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: biblio-983943
Autor: Chae, Dong-Sik; Lee, Chang Youn; Lee, Jiyun; Seo, Hyang-Hee; Choi, Chong-Hyuk; Lee, Seahyoung; Hwang, Ki-Chul.
Título: Priming stem cells with protein kinase C activator enhances early stem cell-chondrocyte interaction by increasing adhesion molecules
Fonte: Biol. Res;51:41, 2018. graf.
Idioma: en.
Projeto: Korea Ministry of Science, ICT and Future Planning; . Ministry of Health & Welfare; . Catholic Kwandong University International St. Mary's Hospital.
Resumo: BACKGROUND: Osteoarthritis (OA) can be defined as degradation of articular cartilage of the joint, and is the most common degenerative disease. To regenerate the damaged cartilage, different experimental approaches including stem cell therapy have been tried. One of the major limitations of stem cell therapy is the poor post-transplantation survival of the stem cells. Anoikis, where insufficient matrix support and adhesion to extracellular matrix causes apoptotic cell death, is one of the main causes of the low post-transplantation survival rate of stem cells. Therefore, enhancing the initial interaction of the transplanted stem cells with chondrocytes could improve the therapeutic efficacy of stem cell therapy for OA. Previously, protein kinase C activator phorbol 12-myristate 13-acetate (PMA)- induced increase of mesenchymal stem cell adhesion via activation of focal adhesion kinase (FAK) has been reported. In the present study, we examine the effect PMA on the adipose-derived stem cells (ADSCs) adhesion and spreading to culture substrates, and further on the initial interaction between ADSC and chondrocytes. RESULTS: PMA treatment increased the initial adhesion of ADSC to culture substrate and cellular spreading with increased expression of adhesion molecules, such as FAK, vinculin, talin, and paxillin, at both RNA and protein level. Priming of ADSC with PMA increased the number of ADSCs attached to confluent layer of cultured chondrocytes compared to that of untreated ADSCs at early time point (4 h after seeding). CONCLUSION: Taken together, the results of this study suggest that priming ADSCs with PMA can increase the initial interaction with chondrocytes, and this proof of concept can be used to develop a non-invasive therapeutic approach for treating OA. It may also accelerate the regeneration process so that it can relieve the accompanied pain faster in OA patients. Further in vivo studies examining the therapeutic effect of PMA pretreatment of ADSCs for articular cartilage damage are required.
Descritores: Células-Tronco/efeitos dos fármacos
Proteína Quinase C/farmacologia
Cartilagem Articular/citologia
Condrócitos/citologia
-Adesão Celular
Comunicação Celular
Diferenciação Celular
Sobrevivência Celular
Western Blotting
Técnicas de Cultura de Células
Condrócitos/efeitos dos fármacos
Reação em Cadeia da Polimerase Via Transcriptase Reversa
Limites: Humanos
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  2 / 53 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-949368
Autor: Qian, Yunzhong; Chen, Yi; Wang, Linyang; Tou, Jinfa.
Título: Effects of baicalin on inflammatory reaction, oxidative stress and PKDl and NF-kB protein expressions in rats with severe acute pancreatitis
Fonte: Acta cir. bras;33(7):556-564, July 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Purpose: To investigate the effects of baicalin on inflammatory reaction, oxidative stress and protein kinase D1 (PKD1) and nuclear factor-kappa B (NF-κB) protein expressions in severe acute pancreatitis (SAP) rats. Methods: Sixty rats were divided into sham operation, model, and low-, medium- and high-dose baicalin group. SAP model was established in later 4 groups. The later 3 groups were injected with 0.1, 0.2 and 0.4 ml/100 g 5% baicalin injection, respectively. At 12 h, the serum SAP related indexes and inflammatory factors, peripheral blood CD3 and γδT cell percentages, wet/dry ratio and pancreas ascites volume, oxidative stress indexes and PKD1 and NF-κB protein expressions in pancreatic tissue were determined. Results: Compared with model group, in high-dose baicalin group the wet/dry ratio and ascites volume, serum amylase level, phospholipase A2 activity, TNF-α, IL-1 and IL-6 levels, and pancreatic malondialdehyde level and PKD1 and NF-κB protein expression were significantly decreased (P < 0.05), and peripheral blood CD3 and γδT cell percentages and pancreatic superoxide dismutase and glutathione peroxidase levels were significantly increased (P < 0.05). Conclusion: Baicalin can resist the inflammatory reaction and oxidative stress, and down-regulate protein kinase D1 and nuclear factor-kappa B protein expressions, thus exerting the protective effects on severe acute pancreatitis in rats.
Descritores: Pancreatite/tratamento farmacológico
Flavonoides/farmacologia
Proteína Quinase C/metabolismo
Anti-Inflamatórios não Esteroides/farmacologia
NF-kappa B/metabolismo
Estresse Oxidativo/efeitos dos fármacos
-Pancreatite/metabolismo
Superóxido Dismutase/efeitos dos fármacos
Proteína Quinase C/efeitos dos fármacos
Distribuição Aleatória
Regulação para Baixo/efeitos dos fármacos
Reprodutibilidade dos Testes
NF-kappa B/efeitos dos fármacos
Interleucina-6/sangue
Interleucina-1/sangue
Fator de Necrose Tumoral alfa/sangue
Resultado do Tratamento
Ratos Sprague-Dawley
Complexo CD3/efeitos dos fármacos
Complexo CD3/sangue
Glutationa Peroxidase/efeitos dos fármacos
Glutationa Peroxidase/metabolismo
Amilases/efeitos dos fármacos
Amilases/sangue
Malondialdeído/metabolismo
Limites: Animais
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 53 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Id: biblio-940946
Autor: Newton, Alexandra C.
Título: Protein Kinase C Protocols.
Fonte: Totowa; Humana Press; 2003. 582 p.
Idioma: en.
Descritores: Proteína Quinase C/análise
Proteína Quinase C/síntese química
Proteína Quinase C/genética
Limites: Masculino
Feminino
Humanos
Responsável: BR1719.1 - Biblioteca do CPqRR
BR1719.1; 572.7, N561p, 2003. 000307


  4 / 53 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-847514
Autor: Pena, Darlene Aparecida.
Título: Anticorpos conformacionais para PKCs clássicas e suas aplicações / Conformational antibodies against classical PKCs and their applications.
Fonte: São Paulo; s.n; 2016. 145 p. tab, graf, ilus.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Instituto de Química para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: A família proteína quinases C (PKC) é composta por dez isoenzimas, as quais são capazes de fosforilar resíduos de serina e treonina. A ativação dessas quinases envolve mudanças conformacionais, como a remoção do pseudo-substrato do sítio ativo e associação dessas enzimas com lipídeos em membranas biológicas. Além disso, três fosforilações são importantes para a maturação/ enovelamento da enzima e não estão associadas com o estado de ativação das cPKCs. Apesar dessas quinases estarem envolvidas em vários processos patológicos, como carcinogênese e doenças cardiovasculares, ainda não se estabeleceu a relação entre estado de ativação das PKCs com essas doenças. Isso se deve, em parte, à ausência de ferramentas que possibilitam a distinção das formas ativas e inativas das PKCs. Na presente tese, baseando-se em mudanças conformacionais sofridas pelas PKCs durante o processo de ativação, dois anticorpos contra cPKCs ativas foram racionalmente desenvolvidos, sendo um anticorpo policlonal (anti-C2Cat) e outro monoclonal (4.8E). O anticorpo anti-C2Cat foi desenvolvido a partir de imunização de coelhos com um peptídeo localizado na região de interação entre os domínios C2 e catalítico na PKC inativa. Já o anticorpo monoclonal 4.8E foi produzido após a imunização de camundongos Balb/ C com extrato de proteínas proveniente de células HEK293T superexpressando formas constitutivamente ativas da PKCßI. A seletividade de anti-C2Cat e 4.8E por cPKCs ativas foi demonstrada por ensaios de ELISA e de imunoprecipitação, sendo que os anticorpos sempre apresentaram maior afinidade por cPKCs ativas purificadas, superexpressas ou mesmo as endógenas. O anticorpo anti-C2Cat foi capaz de monitorar a dinâmica espaço-temporal da ativação das cPKCs em linhagens de neuroblastoma (Neuro-2A e SK-N-SH) estimuladas com PMA, morfina, ATP ou glutamato por diferentes tempos. Ainda, um maior conteúdo de cPKCs ativas foi detectado por anti-C2Cat na linhagem de câncer de mama MDA-MB-231 (triplo- negativa) do que em células MCF-7 (ER+). Em acordo com esses dados, anti-C2Cat identificou uma maior ativação de cPKCs em tumores mais agressivos de câncer de mama (subtipo triplo-negativo) do que em tumores menos agressivos (ER+, subtipo luminal). Os anticorpos conformacionais anti-C2Cat e 4.8E foram aplicados para elucidar vias de sinalização que levam à carcinogênese em células MDA-MB-231, por meio da realização de ensaios de co-imunoprecipitação, seguida pela identificação das proteínas por espectrometria de massas. Usando essa abordagem, os resultados sugerem que as cPKCs ativas possam estar envolvidas com a tradução de proteínas envolvidas na migração celular, como actina. Em conjunto, os resultado obtidos na presente tese demonstram duas formas racionais de desenvolver anticorpos contra cPKCs ativas, sendo que algumas aplicações para estas ferramentas foram demonstradas. Estratégias baseadas em mudanças conformacionais, similares às apresentadas aqui, poderão ser utilizadas para a produção racional de anticorpos contra outras quinases ou proteínas

The protein kinase C family (PKC) is composed of ten isoenzymes, which are capable of phosphorylating serine and threonine amino acid residues. PKC activation involves conformational changes, such as removing the pseudo-substrate from the active site and binding of the enzyme to lipids in biological membranes. In addition, PKC undergoes three phosphorylations that are important for the maturation/ folding of the enzyme and are not linked with activation status. Despite the fact that these kinases are involved in various pathological processes, such as carcinogenesis and cardiovascular disease, a relationship between PKC activation status with these diseases has not yet been established. This is partly due to the lack of tools to detect active PKC in tissue samples. In this thesis, based on conformational changes suffered by PKC during its activation, two antibodies against active cPKCs were rationally developed; a polyclonal antibody (anti-C2Cat) and a monoclonal (4.8E). Anti-C2Cat was produced after immunization of rabbits with a peptide located at the interface between the C2 and catalytic domains of cPKCs in an inactive PKC. The monoclonal antibody 4.8E was produced after immunization of Balb/C mice with total lysates from HEK293T cells overexpressing constitutively active forms of PKCßI. The anti-C2Cat and 4.8E specificity by active cPKCs was demonstrated by ELISA and immunoprecipitation assays, where the antibodies always showed higher affinity to active cPKCs. Anti-C2Cat was able to detect the temporal and spatial dynamics of cPKC activation upon receptor (morphine, ATP or glutamate) or phorbol ester stimulation in neuroblastoma lines (Neuro-2A and SK-N-SH). Futhermore, anti-C2Cat is able to detect active PKC in human tissues. Higher levels of active cPKC were observed in the more aggressive triple negative breast cancer tumors as compared to the less aggressive estrogen receptor positive tumors. Also, both antibodies were applied to study signaling pathways that lead to carcinogenesis in MDA-MB-231 cells by performing co-immunoprecipitation and mass spectrometry. Using this approach, the results suggest that active cPKCs may be involved in translation of proteins involved in cell migration, such as actin. Taken together, the results obtained in this thesis showed two rational ways to develop antibodies against active cPKCs and some applications for these tools were demonstrated. Strategies based on conformational changes, similar to those presented herein may be used for rational production of antibodies against other kinases and proteins
Descritores: Anticorpos Monoclonais/análise
Anticorpos/análise
Proteína Quinase C/efeitos adversos
Proteína Serina-Treonina Quinases de Interação com Receptores
-Neoplasias da Mama/complicações
Linhagem Celular Tumoral/metabolismo
Ensaio de Imunoadsorção Enzimática/métodos
Imunofluorescência/métodos
Hibridomas
Imunoprecipitação/métodos
Espectrometria de Massas/métodos
Limites: Animais
Masculino
Feminino
Camundongos
Coelhos
Responsável: BR40.1 - DBD - Divisão de Biblioteca e Documentacão do Conjunto das Químicas
BR40.1; T 574.88, P397a. 30100025775-Q


  5 / 53 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-847078
Autor: Bonatto, José Matheus Camargo.
Título: Caracterização da proteína quinase C Beta I nuclear em células tronco embrionárias / Characterization of protein kinase C beta I in embryonic stem cell nucleus.
Fonte: São Paulo; s.n; 2014. 181 p. tab, graf, ilus.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Instituto de Química para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: As proteína quinases C (PKC) pertencem à família das serina/treonina quinases, que vem sendo apontadas como importantes enzimas para os processos de proliferação e diferenciação das células tronco embrionárias (CTE), todavia, a função exata de cada isoforma dessa família ainda não está clara. Dados anteriores do nosso laboratório indicam que dentre as PKCs expressas em CTE, formas cataliticamente ativas da PKCßI são altamente expressas no núcleo das CTE murinas. Estas ao se diferenciarem expressam essa quinase no seu citoplasma ou deixam de expressar a mesma, e que a maioria dos alvos da PKCßI em CTE indiferenciada estão envolvidos em processos de regulação da transcrição de proteínas envolvidas em processos de proliferação/ diferenciação. Dando continuidade aos resultados anteriores do laboratório, no presente trabalho, com técnicas de proteômica e fosfoproteômica identificamos outros alvos nucleares da PKCßI em CTE indiferenciadas. Vimos que de fato inibindo-se a PKCßI diminuiu-se a fostorilação de fatores envolvidos com a indiferenciação das CTE. Dentre os alvos da PKCßI encontramos a proteína adaptadora, TIF1 que recruta proteínas remodeladoras de cromatina. Essa proteína é essencial para a manutenção do estado indiferenciado das CTE. In vitro a PKCßI foi capaz de fosforilar a TIF1ß e inibindo-se a PKCßI por RNAi vimos uma diminuição na expressão da TIF1ß e no fator de indiferenciação Nanog cuja expressão já foi demonstrada ser regulada pela TIF1ß. Além disso vimos que inibindo-se a PKCßI com o peptídeo inibidor da PKCßI aumentou a expressão de proteínas reguladas pelo c-Myc. E que o RNAi para a PKCßI aumentou a expressão de proteínas que regulam a expressão do c-Myc. Não vimos nenhum efeito na fosforilação ou expressão do c-Myc após a inibição da PKCßI o que sugere que a PKCßI ative proteínas repressoras do c-Myc. Nossos estudos sugerem que a PKCßI regula a manutenção do estado indiferenciado das CTE regulando a expressão e atividade da Tif1ß um possível alvo direto da PKCßI. Levando a modificações da cromatina e regulação da expressão de genes que mantém as CTE indiferenciadas. Outro ponto de regulação da PKCßI parece ser a nibição da atividade de c-Myc o que seria importante para a manutenção do estado indiferenciado visto que o c-Myc é um amplificador das vias de sinalização que mantém as células proliferando. Desta forma a PKCßI parece ter um papel central na regulação da expressão gênica de CTE à nível de modificações epigenéticas e a nível transcricional mantendo as CTE indiferenciadas

The Protein kinase C (PKC) family of serine/treonine kinases, are being described as important enzymes for proliferation and diferentiation of embryonic stem cells (ESC), however, the exact function of the different isoenzymes of this family still is unclear. Previous data from our laboratory indicates that amongst the PKCs expressed in ESC, catalytically active forms of PKCßI are highly expressed in nucleus of murine ESC. When these cells differentiate this kinase can be found in the cytoplasm or not expressed at all, and that the majority of PKCßI targets in undifferentiated ESC are involved in the regulation of proteins involved in transcription of proteins involved in proliferation/ diferentiation. Continuing our previous work herewith using proteomics and phosphoproteomics techniques we identified other nuclear PKCßI targets in undifferentiated ESC. We indeed saw that inhibiting PKCßI decreased the phosphorylation of factors involved with maintainance of the undifferentiated state of ESC. Amongst the targets of PKCßI we found the adaptor protein, TIF1ßI, that recruits cromatin remodeling proteins. This protein is essential for the maintenance of the undifferentiated state of ESC. In vitro PKCßI phosphorylated TIF1ß and inhibiting PKCßI with RNAi decreased the expression of TIF1ß and of the undifferentiation factor Nanog whose expression has been shown to be regulated by TIF1ß. We also saw that inhibiting PKCßI with a peptide inhibitor increased the expression of proteins regulated by c-Myc, and that RNAi for PKCßI increased the expression of proteins that regulate the expression of c-Myc. We did not see any effect on the phosphorylation or expression of c-Myc after inhibition of PKCßI suggesting that PKCßI activates c-Myc repressor proteins. Our studies sugest that PKCßI regulates the maintenance of the undiferentiated state of ESC regulating the expression and activity of Tif1ß a possibly a direct target of PKCßI, leading to chromatin modifications and regulation of genes that maintain ESC undiferentiated. Another form of regulation of PKCßI seems to be by inhibiting the activity of c-Myc which is importante to maintain ESC undifferentiated since c-Myc is na an amplifyer of signaling patheways that maintain ESC proliferating. Together PKCßI has a central role in the regulation of the gene expression of ESC at the level of epigenetic modifications and transcriptional regulation
Descritores: Células-Tronco Embrionárias/citologia
Proteína Quinase C/metabolismo
-Diferenciação Celular
Cromatina/genética
Espectrometria de Massas/métodos
Fosforilação
Proteína Quinase C beta/análise
Proteômica/instrumentação
Proteínas Repressoras/genética
Substratos para Tratamento Biológico/classificação
Tipo de Publ: Técnicas In Vitro
Responsável: BR40.1 - DBD - Divisão de Biblioteca e Documentacão do Conjunto das Químicas
BR40.1; T 574.192, B699c. 30100025419-Q


  6 / 53 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-846927
Autor: Duarte, Mariana Lemos.
Título: Identificação e validação funcional de novos alvos das PKCs em célula tronco embrionária / Identification and functional validation of new targets of PKC in embryonic stem cell.
Fonte: São Paulo; s.n; 2013. 198 p. tab, graf, ilus.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Instituto de Química para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: Algumas das estratégias utilizadas para entender a biologia de células tronco embrionária (CTE) são baseadas na identificação de cascatas de sinalização que induzem a diferenciação e auto-renovação das CTE através da interferência seletiva de processos específicos. A família das proteínas quinase C (PKC) é conhecida por participar dos processos de auto-renovação e diferenciação celular em CTE, entretanto, o papel específico das diferentes isoenzimas das PKCs ainda precisa ser elucidado. Desta forma investigamos. o papel das PKCs atípicas (aPKCs) em CTE indiferenciadas utilizando um inibidor específico para estas serina/ treonina quinases, o peptídeo pseudossubstrato das aPKCs, e fosfoproteômica. A maioria das proteinas identificadas cuja fosforilação reduziu após o tratamento com o inibidor das aPKC, são proteínas envolvidas com o metabolismo principalmente com a via glicolítica. Além disso, a inibição das aPKCs levou a redução do consumo de glicose, secreção de lactato, acompanhada da redução da atividade da lactato desidrogenase, e aumento da fosforilação oxidativa, sendo analisada através do consumo de oxigênio após o tratamento com oligomicina e FCCP. Verificamos também que as aPKCs são capazes de fosforilar diretamente a piruvato quinase. A glicólise aeróbica parece ser fundamental para a manutenção da indiferenciação das CTE, e demonstramos que as aPKCs participam deste processo auxiliando na auto-renovação das CTE indiferenciadas. Também observamos que as aPKCs assim como a PKCßI modulam a fosforilação da α-tubulina, porém ao passo que as aPKCs interagem com a α-tubulina durante a interfase, a PKCßI interage com a mesma apenas durate a mitose. Estes resultados motivaram a segunda parte da tese, na qual o papel da fosforilação da α-tubulina pela PKCßI foi investigado. O resíduo de treonina 253, conservado em diversas espécies de vertebrados e localizado na interface de polimerização entre a α- e a ß-tubulina foi identificado, como um novo sítio de fosforilação da α-tubulina pela PKCßI. Este sítio não está em um consenso linear para a PKC, entretanto é um consenso formado estruturalmente, onde aminoácidos básicos distantes na sequência linear se tornam justapostos na estrutura terciária da proteína. Estudos de simulação por dinâmica molecular demonstraram que a interação entre a α e ß-tubulina aumenta após esta fosforilação, uma vez que T253 fosforilada passa a interagir com K105, um residuo conservado na ß-tubulina. A fosforilação in vitro de α-tubulina aumenta a taxa de polimerização da tubulina e a inibição da PKCßI em células reduziu a taxa de repolimerização do microtubulo após o tratamento com nocodazol. Além disso, a importância da fosforilação deste sítio foi demonstrada pelo fato de que um mutante fosfomimético GFP-α-tubulina, T253E ser mais incorporado no fuso mitótico ao passo que T253A foi menos incorporado do que a proteína selvagem. Nossos dados suportam a hipótese que os consensos estruturais formados podem ser importantes sítios de reconhecimento pelas quinases e que a fosforilação de T253 da α-tubulina afeta a estabilidade do polímero. Em conclusão, utilizando métodos de fosfoproteômica e interferência seletiva de vias de sinalização, combinados a validações experimentais dos alvos identificados podemos propor a importância funcional das aPKCs e PKCßI em CTE indiferenciadas

Some of the strategies used to understand stem cell biology are based on the identification of signalling cascades that lead to differentiation and self-renewal of embryonic stem cells (ESC) by selective interference of specific signalling processes. The protein kinase C (PKC) family is known to participate in ESC self-renewal and differentiation, however, the specific role of the different PKC isoenzymes in these cells remains to be determined. Therefore, we investigated the role of atypical PKCs (aPKC) in undifferntiated ESC using a specific inhibitor for these serine/ threonine kinases, pseudo-substrate peptide of aPKCs, and phosphoproteomics. The majority of proteins whose phosphorylation decreased upon aPKC inhibition, are proteins involved in metabolism in particular with the glycolytic pathway. Besides that, inhibiton of aPKCs led to a decrease in glucose uptake and lactate secretion, followed by a decrease in lactate dehydrogenase activity, and an increase in mitochondrial activity as measured by oxygen consumption after treatment with olygomycin and a chemical uncoupler. We also verified that aPKCs are able to directly phosphorylated pyruvate kinase. Aerobic glicolysis seems to be fundamental for the maintainance of undifferentiated ESC, and we demonstrated that aPKCs participte in these processes helping to maintain self-renewal of undifferentiated ESC. We also observed that aPKCs as PKCßI modulate the phosphorylation of α-tubulin, however, while aPKCs interact with α-tubulin during interfase PKCßI interacts with α-tubulin only during mitosis. These results lead to the second part of this thesis. We investigated the role of α-tubulina phosphorylation by PKCßI. Indentifying threonine 253, a conserved residue in several vertebrate species, of localized at the polymerization interface between α- and ß-tubulin, as a phosphorylation site of α-tubulin by PKCßI. This site is not in a linear consensus for PKC, however, it is in a structuraly formed consensus, where basic aminoacids distant in the linear sequence are juxtaposed in the three dimentional protein structure. Simulation studies by molecular dynamics show that the interaction between α and ß-tubulin increases upon this phosphorylation, once, phosphorylated T253 interacts with com K105, a conserved residue in ß-tubulin. The in vitro phosphorylation of α-tubulin increased tubulin polymerization rate and inhibiton of PKCßI in cells reduced repolimeration rate of microtubles upon treatment with nocodazole. Besides that, the importance of this phosphorylation site were demonstrated by the fact that a phosphomimetic mutant GFP-α-tubulina, T253E is more incorporated in mitotic fuses while T253A is less than wild type. Our data support the hypothesis that structural consensus may be important sites recognized and that T253 phosphorylation of α-tubulin afects the polymer stability. In conclusion, using phosphoproteomics methods and selective interference of signal transduction pathways combined with experimental validation studies of the identified targets we can propose roles for aPKCs and PKCßI in undifferentiated ESC
Descritores: Células-Tronco Embrionárias/classificação
Proteína Quinase C beta/análise
Estudo de Validação
-Fracionamento Celular/métodos
Metabolismo/genética
Nocodazol/análise
Fosforilação/genética
Proteína Quinase C/análise
Remodelação do Consumo
Tubulinos/crescimento & desenvolvimento
Eletroforese em Gel Diferencial Bidimensional/métodos
Tipo de Publ: Técnicas In Vitro
Estudo de Avaliação
Responsável: BR40.1 - DBD - Divisão de Biblioteca e Documentacão do Conjunto das Químicas
BR40.1; T 574.192, D812i. 30100020434


  7 / 53 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-836919
Autor: Sá, Matheus Malta de.
Título: Modelagem molecular aplicada à elucidação dos mecanismos envolvidos na ação antiproliferativa e hemolítica das alquilfosfocolinas / Molecular modeling applied to the elucidation of the antiproliferative and hemolytic mechanisms of action of alkylphosphocholines.
Fonte: São Paulo; s.n; abr. 2014. 156 p. tab, graf, ilus.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Ciências Farmacêuticas para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: As alquilfosfocolinas (APC) são uma classe de fármacos derivados de fosfolipídios endógenos que apresentam potencial antitumoral. Diferentemente de outros fármacos antitumorais que agem no DNA da célula, as APCs têm como primeiro local de ação a membrana plasmática e proteínas de sinalização, como a PKC. O objetivo desse trabalho é elucidar, através de metodologias computacionais, os possíveis mecanismos de ação das APCs que provocam hemólise, inibição da PKC e interação com membranas celulares. Inicialmente, a toxicidade de um conjunto de 34 APCs foi estudada pelos métodos quimiométricos de Análise de Agrupamentos Hierárquicos (HCA) e Componentes Principais (PCA). As moléculas foram simuladas com dinâmica molecular (DM) e propriedades físico-químicas e estruturais foram calculadas para os confôrmeros de menor energia. Após aplicação de HCA e PCA, as APCs foram divididas em 3 grupos, de acordo com suas características estruturais. Os resultados sugerem que a presença de grupos catiônicos volumosos, ou anéis como adamantila e ciclohexila, aumentam a hemólise de compostos de cadeia alquílica longa. Anéis macrocíclicos como ciclopentadecila parecem ser importantes para o potencial hemolítico de compostos com cadeia alquílica curta. Com relação a compostos sem anéis e de cadeia linear, grupos catiônicos menos volumosos parecem favorecer a hemólise. Na próxima etapa do estudo, 7 derivados de APC, com diferentes grupos catiônicos, foram selecionados e ancorados no domínio C2 da PKCα. O intuito foi mapear resíduos de aminoácidos importantes para a interação dos ligantes com a enzima, e comparar com o modo de ligação do ativador endógeno fosfatidilserina (PS). Mais uma vez, HCA e PCA foram aplicados para extrair informação relevante do mapeamento. Os resultados mostraram que as cadeias laterais de Pro188, Asn189, Arg216, Trp247, Asp249 e Thr250 não permitem a aproximação adequada do ligante, o que impede que a porção fosforila se coordene com um dos átomos de cálcio. A porção catiônica da PS, em contrapartida, consegue estabelecer ligação-hidrogênio com Asn189 de forma a posicionar os oxigênios da fosforila para interagir, ao mesmo tempo, com o átomo de cálcio. Com menos pontos de coordenação, a afinidade de ligação do cálcio pela PKCα diminui e a ativação da enzima fica comprometida, interrompendo toda a cascata de sinalização que depende dela. A parte final desse trabalho se dedicou ao estudo da interação da miltefosina com diferentes bicamadas lipídicas sob o ponto de vista termodinâmico. Oito bicamadas de diferentes fosfolipídios foram simuladas por DM e a interação energética da miltefosina foi calculada por Umbrella Sampling. Os resultados mostraram que a miltefosina apresenta maior partição em bicamadas contendo colesterol, sendo a miscibilidade nesses sistemas cerca de 76 vezes maior que os valores encontrados para bicamadas sem colesterol. Além disso, verificou-se que a internalização da miltefosina é mais fácil em regiões contendo lipídeos poli-insaturados, provavelmente devido ao empacotamento mais frouxo da bicamada. Os dados sugerem que a miltefosina age principalmente em rafts lipídicos e que células contendo mais lipídicos poli-insaturados podem incorporar maior quantidade do fármaco

Alquilfosfocolines (APCs) comprise a class of drugs with antitumor activity derived from endogenous phospholipids. Differently from other drugs whose primary site of action is the DNA, APCs act firstly in the plasma membrane and signaling proteins, such as PKC. The main objective of this work is to elucidate, via computational approaches, the possible mechanisms of actions that cause hemolysis, PKC inhibition and interaction with cellular membranes. Initially, a set of 34 APCs was studied by means of Hierarchical Cluster Analysis (HCA) and Principal Component Analysis (PCA). The molecules were simulated by means of molecular dynamics simulations (MD) and molecular and structural properties were calculated for the lowest-energy conformer. After HCA and PCA methodologies, the set was divided into 3 groups according to their structural features. The findings suggest that the presence of bulky cationic moieties, or the adamantyl and cyclohexil rings, increase the hemolytic potential of compounds with long alkyl chains. Macrocyclic rings, such as cyclopentadecyl, seem to be important to elevate the hemolysis of compounds with short alkyl chains. Regarding linear carbon chain derivatives with no ring substitution, less bulky cationic head groups seem to favor hemolysis. In the next step of this work, 7 APC derivatives were selected and docked in the C2 domain of PKCα. The aim now was to map the residues relevant for ligands interaction compared to the binding mode of the endogenous activator, phosphatidylserine (PS). HCA and PCA were again applied in order to extract relevant information from the mapping. The results showed that the lateral chains of Pro188, Asn189, Arg216, Trp247, Asp249 and Thr250 do not allow the proper approximation of the ligands, impeding the phosphoryl moiety from coordinating with one of the calcium atoms. On the other hand, the cationic moiety of PS forms hydrogen-bonding with Asn189 in order to position the oxygens to interact, at the same time, with a calcium atom. With less coordination sites, calcium binding affinity diminishes and the enzyme activation is compromised, interrupting the signaling cascade. The final part of this work was dedicated to the study of miltefosine interaction with different lipid bilayers from the thermodynamics standpoint. Eight bilayers were simulated with MD and the energetic interaction was calculated via Umbrella Sampling simulations. The findings showed that miltefosine has higher partition in bilayers containing cholesterol, with miscibility of about 76 times higher than the values referring to bilayers without cholesterol. Moreover, it was observed that the internalization of miltefosine is facilitated in regions containing polyunsaturated lipids, probably due to the looser packing. The data suggest that miltefosine acts primarily in lipid rafts, and that cells containing more polyunsaturated lipids in their membranes can incorporate higher quantities of this drug
Descritores: Metodologias Computacionais
Ensaios de Seleção de Medicamentos Antitumorais
Modelos Anatômicos
Simulação de Dinâmica Molecular/estatística & dados numéricos
-Membrana Celular/classificação
Hemólise
Proteína Quinase C/efeitos adversos
Responsável: BR40.1 - DBD - Divisão de Biblioteca e Documentacão do Conjunto das Químicas
BR40.1; T 615.19, S111m. 30100021780-F


  8 / 53 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-836573
Autor: J. Lengyel, Ana-Maria; Paiva Cunha de Sá, Larissa Bianca.
Título: Modulação da secreção do hormônio de crescimento pela (por la) ghrelina e secreta gogos do hormônio de crescimento / Modulation of growth hormone secretion through the action of growth hormone secretagogues and ghrelin
Fonte: Salud(i)ciencia (Impresa) = Salud(i)ciencia (En linea);16(5):505-508, nov. 2008.
Idioma: pt.
Resumo: A secreção de hormônio de crescimento é modulada pelo hormônio liberador de hormônio de crescimento e pela somatostatina. Na ultima década foi descoberto um terceiro mecanismo de controle, envolvendo os secretagogos de hormônio de crescimento. A ghrelina é um peptídeo acilado, descoberto recentemente, que éproduzido no estômago, porém (sin embargo) também é sintetizado no hipotálamo. Este peptídeo é capaz deliberar hormônio de crescimento, além de aumentar a ingesta alimentar. A ghrelina endógena parece amplificaro padrão (patrón) básico de secreção de hormônio de crescimento, ampliando a resposta do somatotrófoao hormônio liberador de hormônio de crescimento. Este peptídeo estimula multiplas (múltiples) vias intracelulares interdependentes no somatotrófo, envolvendo (involucrando) a proteina quinase C, proteina quinase A, e sistemas moduladores de cálcio extracelular. Entretanto, como a liberação de GH induzida pela ghrelina in vivo é mais acentuada que in vitro, seu local de atuação (actuación) predominante é no hipotálamo. No presente trabalho apresentamos uma revisão sobre a descoberta (descubrimiento) da ghrelina, os dados existentes sobre os mecanismos de ação e possível papel fisiológico dos secretagogos de hormônio de crescimento e da ghrelinana secreção de hormônio de crescimento e, finalmente, os efeitos da administração endovenosa destes peptideos sobre a secreção de hormônio de crescimento no homem.
Descritores: Grelina
Hormônio do Crescimento Humano
-Proteínas Quinases Dependentes de AMP Cíclico
Peptídeos
Proteína Quinase C
Responsável: AR144.1 - CIBCHACO - Centro de Información Biomedica del Chaco


  9 / 53 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Id: lil-760610
Autor: Newton, Alexandra C.
Título: Protein Kinase C Protocols.
Fonte: Totowa; Humana Press; 2003. 582 p.
Idioma: en.
Descritores: Proteína Quinase C/análise
Proteína Quinase C/genética
Proteína Quinase C/síntese química
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR1719.1 - Biblioteca do CPqRR


  10 / 53 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-748220
Autor: Wang, C.; Hu, S.M.; Xie, H.; Qiao, S.G.; Liu, H.; Liu, C.F..
Título: Role of mitochondrial ATP-sensitive potassium channel-mediated PKC-ε in delayed protection against myocardial ischemia/reperfusion injury in isolated hearts of sevoflurane-preconditioned rats
Fonte: Braz. j. med. biol. res = Rev. bras. pesqui. méd. biol;48(6):528-536, 06/2015. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: the Natural Science Foundation of Jiangsu Province; . the Technology Bureau of Suzhou, China.
Resumo: This study aimed to determine the role of mitochondrial adenosine triphosphate-sensitive potassium (mitoKATP) channels and protein kinase C (PKC)-ε in the delayed protective effects of sevoflurane preconditioning using Langendorff isolated heart perfusion models. Fifty-four isolated perfused rat hearts were randomly divided into 6 groups (n=9). The rats were exposed for 60 min to 2.5% sevoflurane (the second window of protection group, SWOP group) or 33% oxygen inhalation (I/R group) 24 h before coronary occlusion. The control group (CON) and the sevoflurane group (SEVO) group were exposed to 33% oxygen and 2.5% sevoflurane for 60 min, respectively, without coronary occlusion. The mitoKATP channel inhibitor 5-hydroxydecanoate (5-HD) was given 30 min before sevoflurane preconditioning (5-HD+SWOP group). Cardiac function indices, infarct sizes, serum cardiac troponin I (cTnI) concentrations, and the expression levels of phosphorylated PKC-ε (p-PKC-ε) and caspase-8 were measured. Cardiac function was unchanged, p-PKC-ε expression was upregulated, caspase-8 expression was downregulated, cTnI concentrations were decreased, and the infarcts were significantly smaller (P<0.05) in the SWOP group compared with the I/R group. Cardiac function was worse, p-PKC-ε expression was downregulated, caspase-8 expression was upregulated, cTnI concentration was increased and infarcts were larger in the 5-HD+SWOP group (P<0.05) compared with the SWOP group. The results suggest that mitoKATP channels are involved in the myocardial protective effects of sevoflurane in preconditioning against I/R injury, by regulating PKC-ε phosphorylation before ischemia, and by downregulating caspase-8 during reperfusion.
Descritores: Precondicionamento Isquêmico Miocárdico/métodos
Éteres Metílicos/farmacologia
Traumatismo por Reperfusão Miocárdica/prevenção & controle
Inibidores da Agregação Plaquetária/farmacologia
Canais de Potássio/farmacologia
Proteína Quinase C/farmacologia
-Antiarrítmicos/farmacologia
Western Blotting
/análise
CASPASE ABDOMINAL NEOPLASMS/análise
Ácidos Decanoicos/farmacologia
Coração/efeitos dos fármacos
Coração/fisiopatologia
Hemodinâmica/efeitos dos fármacos
Hidroxiácidos/farmacologia
Isquemia/prevenção & controle
Substâncias Protetoras/farmacologia
Distribuição Aleatória
Ratos Sprague-Dawley
Reprodutibilidade dos Testes
Fatores de Tempo
Troponina I/análise
Limites: Animais
Masculino
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Research Support, Non-U.S. Gov't
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 6 ir para página                
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde