Base de dados : LILACS
Pesquisa : D12.644.233.800 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 18 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 2 ir para página        

  1 / 18 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-984578
Autor: Franco, Ylbe Palacios de; Velazquez, Karina; Segovia, Natalia; Sandoval, Gladys; Gauto, Estefania; Palacios, Ylbe V. Franco; Palacios, Carlos R Franco.
Título: Long term follow up of biomarkers of podocyte damage and renal function in patients with and without preeclampsia / Seguimento de longo prazo com biomarcadores de dano podocitário e função renal em pacientes com e sem pré-eclâmpsia
Fonte: J. bras. nefrol;40(4):339-343, Out.-Dec. 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Introduction: preeclampsia can be associated with future renal disease. Objectives: To measure changes in renal function overtime in patients with preeclampsia. Methods: urine and serum samples from eleven patients with preeclampsia and eight patients with a normal pregnancy were obtained during pregnancy, postpartum, and 3 years after delivery. Urine podocalyxin, protein, and serum creatinine were measured. Results: after 3 years, there were no significant differences in urinary podocalyxin in patients with or without preeclampsia: 4.34 ng/mg [2.69, 8.99] vs. 7.66 ng/mg [2.35, 13], p = 0.77. The same applied to urinary protein excretion: 81.5 mg/g [60.6, 105.5] vs. 43.2 mg/g [20.9, 139.3] p = 0.23. Serum creatinine was 0.86 mg/dL [0.7, 0.9] vs. 0.8 mg/dL [0.68, 1] p = 0.74 in those with and without preeclampsia. In normal patients, urinary podocalyxin decreased from 54.4 ng/mg [34.2, 76.9] during pregnancy to 7.66 ng/mg [2.35, 13] three years after pregnancy, p = 0.01. Proteinuria decreased from 123.5 mg/g [65.9, 194.8] to 43.2 mg/g [20.9, 139.3], p = 0.12. In preeclampsia patients, urinary podocalyxin decreased from 97.5 ng/mg [64.9, 318.4] during pregnancy to 37.1 ng/mg within one week post-partum [21.3, 100.4] p = 0.05 and 4.34 ng/mg [2.69, 8.99] three years after, p = 0.003. Proteinuria was 757.2 mg/g [268.4, 5031.7] during pregnancy vs. 757.2 mg/g [288.2, 2917] postpartum, p = 0.09 vs. 81.5 mg/g [60.6, 105.5] three years later, p = 0.01. Two patients still had proteinuria after 3 years. Conclusions: in preeclampsia patients, postpartum urinary podocalyxin decreased before proteinuria. After three years, serum creatinine, urinary podocalyxin, and protein tended to normalize, although some patients still had proteinuria.

RESUMO Introdução: a pré-eclâmpsia pode estar associada à doença renal no futuro. Objetivos: medir mudanças na função renal ao longo do tempo em pacientes com pré-eclâmpsia. Métodos: amostras de urina e soro de onze pacientes com pré-eclâmpsia e oito pacientes com gravidez normal foram obtidas durante a gravidez, pós-parto e 3 anos após o parto. Medimos podocalixina na urina, proteína e creatinina sérica. Resultados: após 3 anos, não houve diferenças significativas na podocalixina urinária em pacientes com ou sem pré-eclâmpsia: 4,34 ng/mg [2,69, 8,99] versus 7,66 ng/mg [2,35, 13], p = 0,77. O mesmo se aplicou à excreção urinária de proteínas: 81,5 mg/g [60,6, 105,5] vs. 43,2 mg/g [20,9, 139,3] p = 0,23. A creatinina sérica foi de 0,86 mg/dL [0,7, 0,9] vs. 0,8 mg/dL [0,68, 1] p = 0,74 naqueles com e sem pré-eclâmpsia. Em pacientes normais, a podocalixina urinária diminuiu de 54,4 ng/mg [34,2, 76,9] durante a gestação para 7,66 ng/mg [2,35, 13] três anos após a gravidez, p = 0,01. A proteinúria diminuiu de 123,5 mg/g [65,9, 194,8] para 43,2 mg/g [20,9, 139,3], p = 0,12. Em pacientes com pré-eclâmpsia, a podocalixina urinária diminuiu de 97,5 ng/mg [64,9, 318,4] durante a gravidez para 37,1 ng/mg em uma semana de pós-parto [21,3, 100,4] p = 0,05 e 4,34 ng/mg [2,69, 8,99] três anos depois, p = 0,003. A proteinúria foi de 757,2 mg/g [268.4, 5031.7] durante a gravidez vs. 757,2 mg/g [288.2, 2917] pós-parto, p = 0.09 vs. 81.5 mg/g [60.6, 105.5] três anos depois, p = 0.01. Dois pacientes ainda apresentavam proteinúria após 3 anos. Conclusões: em pacientes com pré-eclâmpsia, a podocalixina urinária pós-parto diminuiu antes da proteinúria. Após três anos, a creatinina sérica, a podocalixina urinária e a proteína tenderam a se normalizar, embora alguns pacientes ainda tivessem proteinúria.
Descritores: Pré-Eclâmpsia/fisiopatologia
Podócitos/patologia
Rim/fisiopatologia
Rim/patologia
-Pré-Eclâmpsia/urina
Pré-Eclâmpsia/sangue
Sialoglicoproteínas/urina
Sialoglicoproteínas/sangue
Fatores de Tempo
Gravidez
Biomarcadores/urina
Biomarcadores/sangue
Estudos Prospectivos
Seguimentos
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-732434
Autor: Vieira, Giovanni Modesto.
Título: Protein biomarkers of external root resorption: A new protein extraction protocol. Are we going in the right direction?
Fonte: Dental press j. orthod. (Impr.);19(6):62-69, Nov-Dec/2014. graf.
Idioma: en.
Resumo: OBJECTIVE: The aim of this study is to determine a protocol of gingival crevicular fluid protein extraction used for the first dimension of 2-DE gels. It also aims at conducting a review on the current candidates for protein markers of this pathology, all of which may be used to prevent the disease. METHODS: Gingival crevicular fluid was collected from two groups of 60 patients each, with and without external root resorption. Samples were extracted by means of various methods of protein extraction. SDS-PAGE gels were used to assess the quality of the method which was subsequently tested during isoelectric focusing of 2-DE gels taken from samples of patients with and without the disease. RESULTS: Milli-Q ultrapure ice cold water, without precipitation for gingival crevicular fluid protein extraction, proved the method with greatest sharpness to detect protein bands. Additionally, it allowed two-dimensional electrophoresis to be performed. CONCLUSION: The new protein extraction protocol does not interfere in isoeletric focusing of 2-DE gels. Furthermore, it provides the greatest sharpness in detecting protein bands of SDS-PAGE gels. This will allow mapping and searching of new external root resorption markers, particularly due to the difficulty in carrying out molecular tests with the current candidates for protein markers. .

OBJETIVO: o objetivo desse trabalho foi determinar o protocolo de extração proteica do fluido crevicular gengival, que pudesse ser utilizado para a realização da primeira dimensão dos géis 2-DE, bem como fazer uma revisão dos atuais candidatos a marcadores proteicos dessa patologia que podem ser utilizados na prevenção dessa doença. MÉTODOS: foi coletado o fluido crevicular gengival de dois grupos de 60 pacientes, com e sem a reabsorção radicular externa. As amostras foram extraídas por diversos métodos de extração proteica e utilizados géis SDS-PAGE para aferir a qualidade do método, que posteriormente foi testado durante a realização da focalização isoelétrica dos géis 2-DE, de amostras de pacientes com e sem a patologia. RESULTADOS: a utilização de água Milli-Q gelada ultrapura, sem nenhuma precipitação para a extração proteica do fluido crevicular gengival, foi o método com maior nitidez das bandas proteicas, além de permitir a realização da eletroforese bidimensional. CONCLUSÕES: o novo protocolo de extração proteica não interfere na focalização durante a realização dos géis 2-DE, além de maior nitidez na resolução das bandas proteicas dos géis SDS-PAGE. Isso permitirá o mapeamento e busca de novos marcadores da reabsorção radicular externa, tendo em vista a dificuldade de realização de testes moleculares com os atuais candidatos a marcadores proteicos. .
Descritores: Proteínas da Matriz Extracelular/análise
Líquido do Sulco Gengival/química
Reabsorção da Raiz/metabolismo
-Biomarcadores/análise
Eletroforese em Gel Bidimensional/métodos
Eletroforese em Gel de Poliacrilamida/métodos
Focalização Isoelétrica/métodos
Fosfoproteínas/análise
Sialoglicoproteínas/análise
Água/química
Limites: Adolescente
Adulto
Feminino
Humanos
Masculino
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-721394
Autor: Xing, Yan; Ye, Shandong; Chen, Yumi; Hu, Wen; Chen, Yan.
Título: Hydrochloride pioglitazone protects diabetic rats against podocyte injury through preserving glomerular podocalyxin expression / O cloridrato de pioglitazona protege ratos diabéticos contra a injúria aos podócitos por meio da preservação da expressão de podocalixina glomerular
Fonte: Arq. bras. endocrinol. metab;58(6):630-639, 08/2014. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: Nature Science Foundation of Anhui Province of China; . Foundation of Anhui Education Bureau of China.
Resumo: Objective: We sought to test the effect of different dosages of pioglitazone (PIO) on the glomerular expression of podocalyxin and urinary sediment podocalyxin excretion and to explore the potential renoprotective mechanism. Materials and methods: Type 1 diabetes induced with streptozotocin (65 mg/kg) in 36 male Sprague-Dawley rats were randomly allocated to be treated with vehicle or 10, 20, 30 mg/kg/d PIO respectively for 8 weeks. Eight rats were enrolled in the normal control group. Results: At 8th week, rats were sacrificed for the observation of kidney injury through electron microscope. Glomerular podocalyxin production including mRNA and protein were determined by RT-PCR and immunohistochemistry respectively. Levels of urinary albumin excretion and urinary sediment podocalyxin, kidney injury index were all significantly increased, whereas expression of glomerular podocalyxin protein and mRNA were decreased significantly in diabetic rats compared to normal control. Dosages-dependent analysis revealed that protective effect of PIO ameliorated the physiopathological changes and reached a peak at dosage of 20 mg/kg/d. Conclusion: PIO could alleviate diabetic kidney injury in a dose-dependent pattern and the role may be associated with restraining urinary sediment podocalyxin excretion and preserving the glomerular podocalyxin expression. .

Objetivo: Buscamos testar os efeitos de diferentes doses de pioglitazona (PIO) sobre a expressão glomerular de podocalixina e sobre a excreção de podocalixina em células do sedimento urinário, além de explorar o potencial mecanismo de proteção renal. Materiais e métodos: O diabetes tipo 1 foi induzido em 36 ratos Sprague-Dawley machos com estreptozotocina (65 mg/kg). Os animais foram tratados apenas com o veículo, ou com 10, 20, 30 mg/kg/d de PIO por 8 semanas. Oito ratos foram colocados no grupo controle. Resultados: Na oitava semana, os ratos foram sacrificados para se observar a lesão renal em microscopia eletrônica. A produção de podocalixina glomerular, incluindo mRNA e proteína, foi determinada por RT-PCR e imuno-histoquímica, respectivamente. Os níveis urinários de albumina e podocalixina nas células do sedimento urinário e o índice de lesão renal estavam todos significativamente aumentados, enquanto a expressão glomerular da proteína podocalixina e do mRNA estava significativamente diminuída em ratos diabéticos comparados com o controle normal. A análise dos efeitos dose-dependentes revelou que o efeito protetor da PIO melhorou as mudanças fisiopatológicas e atingiu um pico na dose de 20 mg/kg/dia. Conclusão: A PIO pode melhorar a injúria renal de forma dose-dependente e este papel pode estar associado com a prevenção da excreção de podocalixina nas células do sedimento urinário e com a preservação da expressão glomerular de podocalixina. .
Descritores: Diabetes Mellitus Experimental/tratamento farmacológico
Hipoglicemiantes/uso terapêutico
Podócitos/patologia
Sialoglicoproteínas/metabolismo
Tiazolidinedionas/uso terapêutico
-HDL-Colesterol/sangue
HDL-Colesterol/efeitos dos fármacos
LDL-Colesterol/sangue
LDL-Colesterol/efeitos dos fármacos
Diabetes Mellitus Experimental/patologia
Imuno-Histoquímica
Glomérulos Renais/efeitos dos fármacos
Glomérulos Renais/lesões
Glomérulos Renais/ultraestrutura
Microscopia Eletrônica
Distribuição Aleatória
Ratos Sprague-Dawley
Reação em Cadeia da Polimerase em Tempo Real
RNA Mensageiro/isolamento & purificação
Sialoglicoproteínas/genética
Sialoglicoproteínas/urina
Triglicerídeos/sangue
Limites: Animais
Masculino
Tipo de Publ: Research Support, Non-U.S. Gov't
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-595028
Autor: Rodriguez, Andrea P; Tsujigiwa, Hidetsugu; Gunduz, Mehmet; Cengiz, Beyhan; Nagai, Noriyuki; Tamamura, Ryo; Borkosky, Silvia S; Takagi, Tohru; Inoue, Miho; Nagatsuka, Hitoshi.
Título: Influence of the microenvironment on gene and protein expression of odontogenic-like and osteogenic-like cells
Fonte: Biocell;33(1):39-47, Apr. 2009. ilus.
Idioma: en.
Resumo: Progenitor cells play an important biological role in tooth and bone formation, and previous analyses during bone and dentine induction have indicated that they may be a good alternative for tissue engineering. Thus, to clarify the influence of the microenvironment on protein and gene expression, MDPC-23 cells (mouse dental papilla cell line) and KUSA/A1 cells (bone marrow stromal cell line) were used, both in vitro cell culture and in intra-abdominal diffusion chambers implanted in 4-week-old male immunodefficient mice (SCID mice). Our results indicate that KUSA/A1 cells differentiated into osteoblast-like cells and induced bone tissue inside the chamber, whereas, MDPC-23 showed odontoblast-like characteristics but with a low ability to induce dentin formation. This study shows that MDPC-23 cells are especial cel ls, which possess morphological and functional characteristics of odontoblast-like cells expressing dentin sialophosphoprotein in vivo. In contrast, dentin sialophosphoprotein gene and protein expression was not detected in both cell lines in vitro. The intra-abdominal diffusion chamber appears as an interesting experimental model for studying phenotypic expression of dental pulp cells in vivo.
Descritores: Colágeno Tipo I/biossíntese
Colágeno Tipo I/genética
Odontoblastos/citologia
Odontoblastos/metabolismo
Regeneração Óssea/fisiologia
Regeneração Óssea/genética
Sialoglicoproteínas/biossíntese
Sialoglicoproteínas/genética
-Osso e Ossos/citologia
Osso e Ossos/metabolismo
Camundongos SCID
Osteocalcina/biossíntese
Osteocalcina/genética
Osteonectina/biossíntese
Osteonectina/genética
Osteopontina/biossíntese
Osteopontina/genética
Limites: Masculino
Animais
Camundongos
Tipo de Publ: Research Support, Non-U.S. Gov't
Responsável: AR40.1 - Biblioteca de la Facultad de Ciencias Médicas de la UNCuyo


  5 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Pustiglioni, Francisco Emílio
Id: lil-587920
Autor: Soares, Fernando Peixoto; Hayashi, Fernando; Yorioka, Christiane Watanabe; Sousa, Suzana C. Orsini Machado de; Pustiglioni, Francisco Emílio.
Título: Avaliação imunohistoquímica de proteínas da matriz extracelular na reparação de defeitos agudos de furca classe II em cães / Immunohistochemical evaluation of extracellular matrix proteins in the repair of acute class II furcation defects in dogs
Fonte: Periodontia;19(3):117-126, 2009. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: O estudo da reparação periodontal deve se basear em modelos que forneçam os dados necessários para a análise deste fenômeno. O modelo proposto, de defeitos agudos de furca classe II, parece ser o mais indicado, pois possui um grau previsível de regeneração espontânea, fornecendo um ambiente em que é possível o estudo dos fatores que favorecem a regeneração dos tecidos periodontais. O objetivo deste trabalho foi avaliar a qualidade da reparação de defeitos agudos de furca classe II por meio da imunoexpressão de proteínas da matriz extracelular (MEC). Após a elevação de retalhos de espessura total, em quatro cães, foram criados defeitos agudos de furca classe II nos segundos, terceiros e quartos pré-molares de um dos lados da mandíbula. Os retalhos foram posicionados coronariamente e suturados. Após 45 dias, os espécimes foram coletados, descalcificados e analisados, em um plano vestíbulo- lingual, por meio de técnica imunohistoquímica para osteopontina (OPN), sialoproteína óssea (BSP) e osteonectina (BON). Nos tecidos periodontais originais, a marcação para os anticorpos testados foi fracamente positiva na MEC, caracterizando a presença de tecidos maduros. Já no interior dos defeitos, houve diferença na marcação, com marcação mais pronunciada para BSP, OPN e BON. Conclui-se que os resultados evidenciam maior atividade metabólica nos tecidos reparativos.

The study of periodontal repair should be based on models that provide the data required for analysis of thisphenomenon. The proposed model of acute class II furcation defects seems to be the most appropriate, as it provides apredictable degree of spontaneous regeneration, creating an environment where the factors that promote the regeneration of periodontal tissues can be studied. The objective of this study was to evaluate the quality of repair ofacute class II furcation defects, by means of immunoexpression of extracellular matrix (ECM) proteins.After lifting full thickness flaps in 4 dogs, acute class II furcation defects were created in the second, third and fourth premolar in one side of the mandible. The flaps were coronallypositioned and sutured. After 45 days, the specimens were collected, decalcified and analyzed in a buccal-lingual plane, by immunohistochemistry technique for osteopontin (OPN), bone sialoprotein (BSP) and osteonectin (BON). In original periodontal tissues, the marking for the tested antibodieswas weakly positive in the ECM, characterizing the presence of mature tissues. Inside the defects, there was a difference in the marking, with markings more pronounced for BSP, OPN and BON. It was concluded that the results showed greater metabolic activity in the reparative tissues.
Descritores: Regeneração Óssea
Osteonectina
Osteopontina
Ligamento Periodontal
Sialoglicoproteínas
Limites: Animais
Cães
Responsável: BR243.1 - Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação


  6 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-523910
Autor: Mendonça, Gustavo; Mendonça, Daniela Baccelli Silveira; Araújo, Maria Angélica Rehder; Duarte, Wagner Rodrigues; Cooper, Lyndon F; Aragão, Francisco J. L.
Título: Avaliação do comportamento de células mesenquimais humanas sobre superfícies de implantes dentários / Evaluation of differentiation and mineralization of human mesenchymal cells plated on dental implant surfaces
Fonte: ImplantNews;6(2):137-141, mar.-abr. 2009. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: O objetivo deste estudo foi avaliar uma superfície de implante dentário compatível biologicamente e que aumente a resposta celular de osteoblastos de maneira a estimular o processo de diferenciação do tecido ósseo. Neste estudo foram utilizados discos de titânio comercialmente puro (cpTi) grau IV (6,0 mm x 1,0 mm) divididos em três grupos. Estes discos foram somente usinados (grupo U) ou usinados e subsequentemente tratados com ataque ácido (grupo Ac) ou usinado, jateamento e ataque ácido (grupo J/Ac). Células mesenquimais humanas indiferenciadas foram cultivadas sobre os discos e diferenciadas em osteoblastos. Os níveis de expressão de genes relacionados à diferenciação do tecido ósseo (Fostatase Alcalina-ALP; Sialoproteína Óssea-BSP; e Runx2) foram avaliados após sete e 21 dias através de PCR-tempo real (o gene GAPDH foi utilizado como controle endógeno). Após 35 dias avaliou-se a formação de nódulos de mineralização corados com Alizarin Red S. Observou-se um aumento relativo nos níveis de expressão dos genes ALP, BSP e Runx2 para a superfície com J/Ac quando comparada com as superfícies U e Ac. Após 21 dias a expressão de ALP estava 80 vezes maior na superfície J/Ac e o aumento no nível de BSP foi de 25 vezes. Após 35 dias a área mineralizada foi de 18%, 71% e 80%, para as superfícies U, Ac e J/Ac, respectivamente. Estes resultados sugerem que o jateamento da superfície previamente ao ataque ácido permitiu um maior nível de expressão de genes relacionados à cascata de diferenciação do tecido ósseo e formação de nódulos de mineralização in vitro, podendo levar a uma maior e melhor resposta de osseointegração destas superfícies.

Novel implant surfaces have been developed to improve/accelerate the osseointegration process. The mechanism by which implant surface improves osteoblast response at endosseous titanium implants is not fully understood. One of the mechanisms is related to induction of expression of bone-tissue specific genes inducing cells to differentiate into osteoblasts. The aim of this study was to evaluate a biologically compatible implant surface that can improve osteoblast responses and leads to a faster osseointegration. Commercially pure grade IV titanium disks (6.0x1.0mm) were machined (U) or machined acid etching (Ac) or sandblasted/acid etching (J/Ac), and divided into three groups. Human Mesenchymal Stem Cells were plated onto the disks and differentiated into osteoblasts. The expression levels of osteoblast-specific genes were evaluated by Real Time PCR to measure the mRNA levels of alkaline phosphatase (ALP), bone sialoprotein (BSP), and Runx2 after 7 and 21 days. The housekeeping gene GAPDH was used as a control. At 35 days, mineralization nodules were evaluated by Alizarin Red S staining. After 21 days, the expression levels of ALP for J/Ac and BSP were upregulated 80-fold and 25-fold, respectively. After 35 days, the mineralized area U, Ac and J/Ac was 18%, 71%, and 80%, for, respectively. The results demonstrated that a sandblasted/acid etched surface can affect adherent cell-bone specific gene expression, leading to a higher expression of osteoblast-specific genes and an increased in vitro mineralization response.
Descritores: Condicionamento Ácido do Dente
Abrasão Dental por Ar
Fosfatase Alcalina
Expressão Gênica
Implantação Dentária
Células-Tronco Mesenquimais
Osteoblastos
Sialoglicoproteínas
Responsável: BR243.1 - Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação


  7 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Previato, José O
Texto completo
Id: lil-520901
Autor: Todeschini, Adriane R; Almeida, Eliane G de; Agrellos, Orlando A; Jones, Christopher; Previato, José O; Mendonça-Previato, Lucia.
Título: á-N-acetylglucosamine-linked O-glycans of sialoglycoproteins (Tc-mucins) from Trypanosoma cruzi Colombiana strain
Fonte: Mem. Inst. Oswaldo Cruz;104(supl.1):270-274, July 2009. ilus, graf.
Idioma: en.
Resumo: Trypanosoma cruzi sialoglycoproteins (Tc-mucins) are mucin-like molecules linked to a parasite membrane via a glycosylphosphatidylinositol anchor. We previously determined the structures of Tc-mucin O-glycan domains from several T. cruzi strains and observed significant differences among them. We now report the amino acid content and structure of Tc-mucin O-glycan chains from T. cruzi Colombiana, a strain resistant to common trypanocidal drugs. Amino acid analysis demonstrated the predominance of threonine residues (42%) and helped to identify the O-glycans as belonging to a Tc-mucin family that contain a ²-galactofuranose (²-Galf) residue attached to an á-N-acetylglucosamine (á-GlcNAc) O-4, with the most complex glycan, a pentasaccharide-GlcNAc-ol with a branched trigalactopyranose chain, on the GlcNAc O-6. The presence of ²-Galf on O-glycans from T. cruzi Colombiana mucins supports the use of glycosylation as a phylogenetic marker for the classification of Colombiana in the T. cruzi I group.
Descritores: Acetilglucosamina/análise
Configuração de Carboidratos
Mucinas/química
Oligossacarídeos/análise
Sialoglicoproteínas/análise
Trypanosoma cruzi/química
-Cromatografia Líquida de Alta Pressão
Eletroforese em Gel de Poliacrilamida
Espectroscopia de Ressonância Magnética
Trypanosoma cruzi/classificação
Tipo de Publ: Research Support, Non-U.S. Gov't
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-440971
Autor: Luisi, Simone Bonato.
Título: Comportamento de células pulpares humanas expostas ao TGFß1 e ao aFGF em cultura / Behavior of human dental pulp cells exposed to TGFß1 and aFGF in culture.
Fonte: Porto Alegre; s.n; 2006. 69 p. ilus, tab.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Odontologia para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: O propósito do presente estudo foi avaliar o comportamento de células pulpares humanas expostas ao TGFß1 e ao aFGF, em cultura, nas seguintes concentrações: TGFß1 a 1ng/mL, TGFß1 a 5ng/mL, TGFß1 a 1ng/mL + aFGF a 5ng/mL, TGFß1 a 5ng/mL + aFGF a 5ng/mL e aFGF a 5ng/mL. Foi avaliada a morfologia celular, a atividade da fosfatase alcalina, através de ensaio com pNPP como substrato e a expressão das proteínas osteocalcina, sialoproteína óssea e sialofosfoproteína de dentina, através de RT-PCR. Após quatro dias, verificou-se que a média do número de nucléolos no grupo tratado com TGFß1a 1nglmL foi significativamente maior que no grupo tratado com aFGF a 5ng/mL. A média da atividade da fosfatase alcalina no grupo tratado com TGFß1 a 1 ng/mL foi significativamente maior que no grupo tratado com TGFß1 a 5ng/mL + aFGF a 5ng/mL. Foi observada a expressão de osteocalcina em todas as células pulpares humanas que proliferaram em cultura. Entretanto, no grupo em que foi utilizado o aFGF a 5ng/mL houve diminuição da expressão da osteocalcina. A exposição dos fatores não induziu a expressão de componentes da matriz de dentina tais como BSP e DSPP. Sugere-se que as células expostas ao TGFß1 1ng/mL foram estimuladas, apresentando uma maior atividade celular e as células expostas ao aFGF 5ng/mL foram inibidas, apresentando uma menor atividade celular.
Descritores: Fosfatase Alcalina
Técnicas de Cultura de Células
Diferenciação Celular
Fatores de Crescimento de Fibroblastos
Odontoblastos
Osteocalcina
Sialoglicoproteínas
Fator de Crescimento Transformador beta
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR541.1 - Biblioteca
BR541.1; 616.31, L953c, 2006


  9 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-351562
Autor: Silva, Tarcília Aparecida da.
Título: Ativaçäo osteoblástica e mecanismos de migraçäo de neutrófilos induzidos pela dentina / Osteoblastic activation and mechanisms of neurophil migration induced by dentin.
Fonte: Bauru; s.n; 2003. 80 p. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de Säo Paulo. Faculdade de Odontologia de Bauru para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: Após a mineralizaçäo, as moléculas de dentina permanecem imobilizadas pela fase mineral da matriz, sendo expostas ou liberadas como conseqüência de danos ao ligamento periodontal e à polpa. Uma vez liberadas, estas moléculas poderiam participar na migraçäo e ativaçäo de células ósseas e inflamatórias influenciando o curso dos processos associados à dissoluçäo da matriz dentinária. Com o objetivo de avaliar a capacidade da dentina em induzir eventos inflamatórios, verificamos o efeito de extratos brutos na liberaçäo in vitro de mediadores inflamatórios por macrófagos e osteoblastos. Avaliamos ainda, a capacidade de extratos brutos e das Sialoproteína (DSP) e Fosfoproteína (DPP) dentinárias em induzir quimiotaxia de neutrófilos in vivo e caracterizamos os mediadores envolvidos neste processo. Os extratos dentinários induziram osteoblastos a produzir IL-1 , TNF- , IL-6, CINC-1 e IL-10, sem interferir com a morfologia e a diferenciaçäo destas células. Os extratos dentinários, a DSP e a DPP induziram macrófagos a produzir IL-1 , TNF- e as quimiocinas MIP-1 , KC e MIP-2, bem como estimularam a migraçäo de leucócitos de maneira dose-dependente. A investigaçäo dos mecanismos envolvidos revelou a participaçäo de IL-1 , TNF- , KC e MIP-2 e excluiu a participaçäo de prostaglandinas, leucotrienos e MIP-1 na migraçäo leucocitária. Observamos ainda que macrófagos e mastócitos respectivamente estimulam e inibem o recrutamento de neutrófilos induzido por DSP e DPP e que macrófagos estimulados in vitro produzem fator(es) quimiotático(s) para neutrófilos. A partir destes resultados, podemos concluir que a dentina é capaz de estimular a produçäo de mediadores inflamatórios, com reconhecida atividade sobre osteoclastos, por células osteoblásticas e macrófagos in vitro. Os mecanismos pelos quais as proteínas dentinárias induzem migraçäo de neutrófilos in vivo säo indiretos e dependentes de IL-1 , TNF- e das quimiocinas KC e MIP-2, sendo modulados por macrófagos e mastócitos
Descritores: Dentina
Técnicas In Vitro
Macrófagos
Osteoblastos
-Fosfoproteínas/efeitos adversos
Dente Serotino
Patologia Bucal
Sialoglicoproteínas/efeitos adversos
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR28.1 - Serviço de Biblioteca e Documentação Professor Doutor Antônio Gabriel Atta
BR28.1; Si38a


  10 / 18 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-311432
Autor: Yaqub, Karim Ibrahim; Kiffer, Carlos Roberto Veiga.
Título: Para que servem os inibidores da neuraminidase? / The use of neuraminidase inhibitors?
Fonte: RBM rev. bras. med;58(4):277-279, abr. 2001. ilus.
Idioma: pt.
Descritores: Influenza Humana
Neuraminidase
Sialoglicoproteínas/análise
Limites: Humanos
Responsável: BR12.1 - Biblioteca Setorial da Ciências da Saúde



página 1 de 2 ir para página        
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde