Base de dados : LILACS
Pesquisa : D12.776.124.050.600 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 16 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 2 ir para página        

  1 / 16 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-833812
Autor: Simplício, K. M. M. G; Rocha, T. G; Sanchez, D. C. C; Cotrim, F. S; Silva, P. C; Fagliari, J. J.
Título: Serum concentrations of acute phase proteins in goats and ewes with naturally acquired Staphylococcus aureus mastitis / Concentração de proteínas de fase aguda em cabras e ovelhas com mastite de ocorrência natural causada por Staphylococcus aureus
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec;69(2):285-292, mar.-abr. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Serum protein concentrations, including acute phase proteins (APPs), of goats and ewes with naturally acquired Sthaphylococcus aureus mastitis were determined by means of SDS-PAGE electrophoresis to evaluate the relevance of these APPs as biomarkers of the disease in these species. Fifteen healthy goats and 5 goats with naturally acquired staphylococci mastitis, as well as fifteen healthy ewes and 5 ewes with staphylococci mastitis were submitted to daily blood sampling during 7 days. In goats, an increase of 570%, 125%, 621%, and 279% in serum concentrations of ceruloplasmin, fibrinogen, haptoglobin and α1-acid glycoprotein, respectively, was observed. In sheep the increase in serum concentrations of ceruloplasmin, fibrinogen, haptoglobin and α1-acid glycoprotein was of 337%, 90%, 461%, and 225%, respectively. Our results indicate that these APPs have considerable potencial as early and sensible biomarkers of mastitis caused by S. aureus in goats and sheep.(AU)

O proteinograma, incluindo proteínas de fase aguda (PFAs), de cabras e ovelhas com mastite de origem natural causada por Staphylococcus aureus, foi determinado por meio de eletroforese em gel de poliacrilamida contendo dodecil sulfato de sódio (SDS-PAGE) a fim de avaliar a importância destas PFAs como biomarcadores da enfermidade nestas espécies. Amostras de sangue foram colhidas diariamente de cinco cabras e cinco ovelhas com mastite estafilocócica naturalmente adquirida, bem como de quinze cabras e quinzes ovelhas saudáveis durante 6 dias consecutivos. Nas fêmeas caprinas, foi verificado aumento dos teores séricos de ceruloplasmina (570%), fibrinogênio (125%), haptoglobina (621%), e α1-glicoproteína ácida (279%). Nas fêmeas ovinas as concentrações de ceruloplasmina, fibrinogênio, haptoglobina e α1-glicoproteína ácida elevaram-se em 337%, 90,9%, 461% e 225%, respectivamente. Os resultados permitem inferir que estas PFAs são marcadores sensíveis e precoces de mastite causada por S. aureus em cabras e ovelhas.(AU)
Descritores: Proteínas da Fase Aguda/análise
Anti-Infecciosos/química
Cabras/virologia
Mastite/veterinária
Ovinos/virologia
Staphylococcus aureus
-Ceruloplasmina/análise
Eletroforese em Gel de Poliacrilamida/veterinária
Fibrinogênio/análise
Haptoglobinas/análise
Orosomucoide/análise
Limites: Animais
Feminino
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  2 / 16 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-827932
Autor: Haetinger, C; Curcio, B. R; Lins, L. A; Müler, V; Feijó, L. S; Pazinato, F. M; Amaral, L. A; Nogueira, C. E. W.
Título: Proteinograma sérico de éguas com placentite ascendente e seus respectivos neonatos: dados preliminares / Serum protein concentrationin mares with ascending placentitis and their newborns: preliminary data
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec;68(6):1465-1469, nov.-dez. 2016. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Este estudo teve por objetivo estabelecer o proteinograma sérico em éguas com placentite induzida e em seus respectivos neonatos. Foram coletadas amostras de sangue das éguas em oito momentos diferentes e dos potros em quatro momentos. Para obtenção da concentração das frações proteicas, utilizou-se eletroforese em gel de acrilaminada contendo dodecil sulfato de sódio (SDS-PAGE). No método utilizado, foram observadas 23 bandas proteicas, cujos pesos moleculares variaram de 16KDa a 245KDa, sendo possível a identificação das seguintes frações: 175KDa, 102KDa, 83KDa, 63KDa, 50KDa, 41KDa, 39KDa e 28KDa. De todas as bandas proteicas encontradas, somente as de 39KDa e 41KDa apresentaram alteração na cinética nos momentos avaliados. De acordo com a solução marcadora, pode-se sugerir que essas proteínas seriam alfa1-glicoproteína ácida (39KDa) e haptoglobina (41KDa). A concentração de imunoglobulinas nos potros apresentou aumento significativo a partir das 12 horas de nascimento. Não está elucidado se estes níveis refletem a persistência do processo inflamatório placentário ou se são alterações fisiológicas do periparto. Não foram observadas alterações na cinética das proteínas nos potros nas primeiras 48 horas.(AU)

The aim of this paper was to identify the serum acute phase protein concentration in mares with induced placentitis and their neonates. Blood samples were collected from the mares in 8 different moments, and from the foals, in 4 moments. To obtain the concentration of protein fractions acrilaminada gel electrophoresis in sodium dodecyl sulfate (SDS-PAGE) was used. In the used method 23 protein bands whose molecular weights ranged from 16kDa to 245kDa were observed, it is possible to identify the following fractions: 175kDa, 102kDa, 83kDa, 63kDa, 50kDa, 41kDa, 39kDa and 28kDa. Of all the protein bands found only the 39KDa and 41KDa have changes in the kinetics in the evaluated times. According to the marker solution, we would suggest that these proteins are alfa1-acid glycoprotein (39kDa) and haptoglobin (41kDa). The concentration of immunoglobulins in foals increased significantly from 12 hours of birth.(AU)
Descritores: Proteínas da Fase Aguda/análise
Animais Recém-Nascidos/sangue
Cavalos/sangue
Doenças Placentárias/veterinária
-Haptoglobinas
Orosomucoide
Limites: Animais
Feminino
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 16 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-685437
Autor: Barroso-Sousa, Romualdo; Lobo, Romulo R.; Mendonca, Patricia R.; Memoria, Renan R.; Spiller, Fernando; Cunha, Fernando Q.; Pazin-Filho, Antonio.
Título: Decreased levels of alpha-1-acid glycoprotein are related to the mortality of septic patients in the emergency department
Fonte: Clinics;68(8):1134-1139, 2013. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: OBJECTIVE: To determine the validity of alpha-1-acid glycoprotein as a novel biomarker for mortality in patients with severe sepsis. METHODS: We prospectively included patients with severe sepsis or septic shock at the emergency department at a single tertiary referral teaching hospital. All of the patients were enrolled within the first 24 hours of emergency department admission, and clinical data and blood samples were obtained. As the primary outcome, we investigated the association of serum levels of alpha-1-acid glycoprotein and 96-hour mortality with logistic regression analysis and generalized estimating equations adjusted for age, sex, shock status and Acute Physiology and Chronic Health Evaluation II score. RESULTS: Patients with septic shock had lower alpha-1-acid glycoprotein levels at the time of emergency department admission compared to patients without shock (respectively, 149.1 ±42.7 vs. 189.8 ±68.6; p = 0.005). Similarly, non-survivors in the first 96 hours were also characterized by lower levels of alpha-1-acid glycoprotein at the time of emergency department admission compared to survivors (respectively, 132.18 ±50.2 vs. 179.8 ±61.4; p = 0.01). In an adjusted analysis, alpha-1-acid glycoprotein levels ≤120 mg/dL were significantly associated with 96-hour mortality (odds ratio = 14.37; 95% confidence interval = 1.58 to 130.21). CONCLUSION: Septic shock patients exhibited lower circulating alpha-1-acid glycoprotein levels than patients without shock. Alpha-1-acid glycoprotein levels were independently associated with 96-hour mortality in individuals with severe sepsis. .
Descritores: Serviço Hospitalar de Emergência/estatística & dados numéricos
Orosomucoide/análise
Sepse/sangue
Sepse/mortalidade
-Fatores Etários
APACHE
Brasil
Biomarcadores/sangue
Mortalidade Hospitalar
Estimativa de Kaplan-Meier
Modelos Logísticos
Valor Preditivo dos Testes
Estudos Prospectivos
Fatores Sexuais
Fatores de Tempo
Limites: Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Feminino
Humanos
Masculino
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Research Support, Non-U.S. Gov't
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 16 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-553765
Autor: García-Ortiz, L; Vargas-Alarcón, G; Fragoso, J. M; Granados, J; Maldonado Noriega, L; Navas Pérez, A; Huerta Reyes, E; Zenteno-Ruiz, J. C; Martínez-Cordero, E.
Título: A/G Gln20Arg (exon 1) and G/A Val156Met (exon 5) polymorphisms of the human orosomucoid 1 gene in Mexico
Fonte: Genet. mol. res. (Online);7(1):7-15, Jan. 2008. tab, ilus.
Idioma: en.
Resumo: The human orosomucoid 1 gene (ORM1) codes an alpha-1-acid glycoprotein that has been classified as an acute-phase reactive protein, and a major drug-binding serum component, as well as an immunomodulatory protein with genetic polymorphisms. Evaluation of ORM variation through isoelectric focusing and immunobloting has revealed a world-wide distribution of the ORM1 F and ORM1 S alleles. We evaluated and examined the genetic characteristicsof two Mexican populations that have different anthropological and cultural antecedents, examining two ORM1 genotypes (exon 1 - A/G (Gln20Arg) and exon 5 G/A (Val156Met)) in 145 individuals, using nested polymerase chain reaction, sequencing, and restrited fragment length polymorphism. Mexican Mestizos had higher frequencies of the exon 1 A allele (P = 0.020) and AA genotype(P = 0.018) and lower frequency of the G allele (P = 0.020) when compared to Teenek Amerindians. When we examined exon 5 G/A (Val156Met) polymorphisms, we found significantly higher frequencies of the G allele (P = 0.0007) and the GG genotype (P = 0.0003) in the Mexican Mestizo population. The Teenek population had a significantly higher frequency of the A allele than has been reported for Chinese and African (P < 0.05) populations, and the G/A genotype was more frequently found in this Mexican population than in Chinese, African and European populations (P < 0.05).
Descritores: Éxons/genética
Genética Populacional
Índios Norte-Americanos/genética
Orosomucoide/genética
Polimorfismo Genético
-Alelos
DNA
Frequência do Gene
Variação Genética
México
Reação em Cadeia da Polimerase
Polimorfismo de Fragmento de Restrição
Análise de Sequência de DNA
Estatística como Assunto
Limites: Humanos
Responsável: BR26.1 - Biblioteca Central


  5 / 16 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Voltarelli, Júlio César
Texto completo
Id: lil-537540
Autor: Pinho, Márcia de Noronha; Oliveira, Renê Donizeti Ribeiro; Novaes Júnior, Arthur Belém; Voltarelli, Júlio César.
Título: Relationship between periodontitis and rheumatoid arthritis and the effect of non-surgical periodontal treatment
Fonte: Braz. dent. j;20(5):355-364, 2009. tab.
Idioma: en.
Resumo: This study analyzed the association of periodontal disease (PD) and rheumatoid arthritis (RA). Seventy-five 35-60-year-old patients were assigned to 5 groups according to the presence (+) or not (-) of PD and RA and the treatment received (TR+) or not (TR-) for PD. Group 3 uses total prosthesis (TP). Clinical and laboratory evaluations were performed at baseline, 3 and 6 months of follow-up by probing pocket depth, bleeding on probing and plaque index for PD, HAQ, DAS28, SF-36 and laboratory: AAG, ESR, CRP for RA. Statistically significant differences for PD after 3 (p=0.0055) and after 6 months (p=0.0066) were obtained in Group 1 (RA+PD+TR+) and 2(RA+PD+TR-); significant reduction in the percent of BOP after 6 months (p=0.0128) and significant reduction in the percent of Pl after 3 (p=0.0128) and 6 months (p=0.0002) in Group 1. Statistically significant differences between Groups 1 and 3 (RA+TP) for DAS28 at baseline and after 3 months were observed, but not after 6 months. No other parameters for RA were significantly affected. The relationship between RA and PD disease activities is not clear, but the importance of periodontal treatment in the control of inflammation to avoid tooth extraction is evident.

Este estudo avaliou a influência da doença periodontal (DP) na artrite reumatóide (AR). 75 pacientes, 35-60 anos, divididos em 5 Grupos, considerando a situação sistêmica e periodontal foram analisados. Um Grupo usava prótese total (PT). Os parâmetros clínicos e laboratoriais analisados: inicial, 3 e 6 meses receberam tratamento estatístico. As correlações entre as reduções da profundidade de sondagem, placa microbiana e sangramento à sondagem com as de Alfa 1, PCR, VHS e exames de qualidade de vida (HAQ, DAS28, SF36) foram também analisadas. Comparando o Grupo 1 (AR+DP+TR+) e Grupo 2 (AR+DP+TR-), aqueles que receberam tratamento periodontal não-cirúrgico (TPNC) tiveram reduções estatisticamente significativas em relação a PS aos 3 meses (p=0,0055) e 6 meses (p=0,0066); as reduções da por cento SS foram estatisticamente significantes aos 6 meses (p=0,0128) e da por cento PM aos 3 (p=0,0128) e 6 meses (p=0,0002). O TPNC não apresentou correlação com a melhora dos exames laboratoriais, nem com os exames de qualidade de vida. Comparando o Grupo 1 com o Grupo 3 (AR+PT) houve diferença estatisticamente significante no DAS28 inicial e 3 meses. Não foi possível verificar uma correlação direta do TPNC na atividade da doença sistêmica, mas pode-se constatar a sua importância, evitando a extração múltipla dos dentes.
Descritores: Artrite Reumatoide/complicações
Periodontite Crônica/complicações
Periodontite Crônica/terapia
-Análise de Variância
Sedimentação Sanguínea
Proteína C-Reativa/análise
Raspagem Dentária
Prótese Total
Orosomucoide/análise
Índice Periodontal
Estatística como Assunto
Estatísticas não Paramétricas
Inquéritos e Questionários
Limites: Adulto
Humanos
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 16 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-417647
Autor: Owczarek, C. M; Owczarek, A. L; Board, P. G.
Título: Identification and characterization of polymorphisms at the HAS alpha1-acid glycoprotein (ORM*) gene locus in Caucasians
Fonte: Genet. mol. res. (Online);1(1):96-105, Mar. 2002.
Idioma: en.
Resumo: Human alpha(1)-acid glycoprotein (AGP) or orosomucoid (ORM) is a major acute phase protein that is thought to play a crucial role in maintaining homeostasis. Human AGP is the product of a cluster of at least two adjacent genes located on HSA chromosome 9. Using a range of restriction endonucleases we have investigated DNA variation at the locus encoding the AGP genes in a group of healthy Caucasians. Polymorphisms were identified using BamHI, EcoRI, BglII, PvuII, HindIII, TaqI and MspI. Nonrandom associations were found between the BamHI, EcoRI and BglII RFLPs. The RFLPs detected with PvuII, TaqI and MspI were all located in exon 6 of both AGP genes. The duplication of an AGP gene was observed in 11 of the individuals studied and was in linkage disequilibrium with the TaqI RFLP. The identification and characterization of these polymorphisms should prove useful for other population and forensic studies
Descritores: DNA
Grupo com Ancestrais do Continente Europeu
Orosomucoide/genética
-Alelos
Southern Blotting
DNA
Desequilíbrio de Ligação/genética
Frequência do Gene
Ligação Genética
Genes Duplicados/genética
Linhagem
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 16 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-347607
Autor: Carvalho, Bruno Ramalho de; Diogo-Filho, Augusto; Fernandes, Cleiton; Barra, Cristiane Borges.
Título: Leucograma, proteína C reativa, alfa-1 glicoproteína ácida e velocidade de hemossedimentaçäo na apendicite aguda / Leucocyte count, C reactive protein, alpha-1 acid glycoprotein and erithrocyte sedimmentation rate in acute appendicitis
Fonte: Arq. gastroenterol;40(1):25-30, Jan.-Mar. 2003. tab.
Idioma: pt.
Resumo: RACIONAL: O diagnóstico da apendicite aguda é clínico, mas alguns indivíduos podem apresentar sinais e sintomas pouco característicos. As dificuldades diagnósticas ainda conduzem os cirurgiöes à realizaçäo de laparotomias desnecessárias, que atingem índices de 15 por cento a 40 por cento. Os exames laboratoriais, assim, podem se tornar complementos úteis no diagnóstico da apendicite aguda. O leucograma parece ser o de maior valor, mas a dosagem das proteínas de fase aguda, em especial da proteína C reativa, é objeto de vários estudos. CASUíSTICA E MÉTODO: Estudo longitudinal prospectivo, envolvendo 63 pacientes submetidos a apendicectomia por suspeita de apendicite aguda no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia, MG, de cujas amostras de sangue foram feitas dosagens das proteínas de fase aguda e leucograma. RESULTADOS: Foram 44 pacientes do sexo masculino e a faixa etária predominante entre 11 e 30 anos. A apendicite aguda foi mais freqüente no sexo masculino (69,8 por cento) e na faixa etária entre 11 e 30 anos. O tipo flegmonoso foi mais freqüente (52,4 por cento). O leucograma mostrou-se aumentado em 74,6 por cento dos casos e a elevaçäo da proteína C reativa foi observada em 88,9 por cento. As dosagens de alfa-1 glicoproteína ácida e velocidade de hemossedimentaçäo foram predominantemente normais. A proteína C reativa esteve aumentada em mais de 80 por cento dos casos em todas as idades. O leucograma e a proteína C reativa alteraram-se em 80 por cento dos pacientes com até 24 horas do início dos sintomas. Com tempo de evoluçäo dos sintomas superior a 24 horas, o leucograma mostrou-se alterado em 69,7 por cento dos casos e a proteína C reativa, em 97 por cento. Sensibilidade e especificidade do leucograma foram de 88,7 por cento e 20 por cento. Para a proteína C reativa, foram de 88,9 por cento e 10 por cento, respectivamente. A dosagem da proteína C reativa apresentou maior sensibilidade (96,9 por cento) para os casos de evoluçäo com mais de 24 horas, sem qualquer especificidade, entretanto, alfa-1 glicoproteína ácida e velocidade de hemossedimentaçäo mostraram-se pouco sensíveis e específicos. CONCLUSÕES: O leucograma e a proteína C reativa apresentam-se alterados de forma significativa nos casos de apendicite aguda, independentemente do sexo ou da faixa etária. O leucograma e, principalmente, a proteína C reativa devem ser exames considerados em indivíduos com tempo de evoluçäo sintomática superior a 24 horas...
Descritores: Apendicite/sangue
Proteína C-Reativa/análise
Orosomucoide/análise
-Doença Aguda
Apendicite/diagnóstico
Sedimentação Sanguínea
Contagem de Leucócitos
Estudos Longitudinais
Estudos Prospectivos
Sensibilidade e Especificidade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Adulto
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 16 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-338912
Autor: Kogika, Márcia Mery; Pereira, Daionety Aparecida; Elias, Fernanda; Kikuyo, Márcia Notomi; Delayte, Ericka Homann; Reimy, Kawahara; Mitika, Kuribaiashi Hagiwara.
Título: Determinaçäo sérica de haptoglobina, ceruloplasmina e Ó-glicoproteína ácida em cäes com gastrenterite hemorrágica / Determination of serum haptoglobin, ceruloplasmin and acid Ó-glycoprotein in dogs with haemorrhagic gastroenteritis
Fonte: Ciênc. rural;33(3):513-517, maio-jun. 2003. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: As proteínas de fase aguda (PFA) säo proteínas plasmáticas, cujo estímulo à síntese ocorre de forma rápida e marcante em resposta à injúria tecidual. Estas proteínas permitem o diagnóstico de processos inflamatórios em animais com supressäo ou depressäo medular. Além disso, säo úteis na monitorizaçäo da resoluçäo tecidual de traumas ou inflamaçäo e também na avaliaçäo da resposta orgânica ao tratamento. Uma vez que a leucopenia é observada nos estádios iniciais da parvovirose canina, a dosagem das PFA pode permitir a avaliaçäo do processo inflamatório sob estas condiçöes. Considerando-se estas hipóteses, foram determinados os níveis séricos das PFA (haptoglobina, ceruloplasmina e Ó-glicoproteína ácida) em 11 cäes saudáveis e 11 cäes leucopênicos com gastrenterite hemorrágica, com suspeita clínica de parvovirose canina. A avaliaçäo estatística mostrou diferença significativa, com intervalo de confiabilidade de 99 por cento (P<0,01) para a haptoglobina (p<0,0064) e para a glicoproteína ácida (p<0,0042) e 95 por cento de confiança (P<0,05) para a ceruloplasmina (p<0,0478) quando comparada com o grupo controle. Em conclusäo, cäes com gastrenterite hemorrágica durante a fase leucopênica apresentaram níveis elevados de haptoglobina, ceruloplasmina e Ó-glicoproteína ácida.
Descritores: Ceruloplasmina
Doenças do Cão
Gastroenterite
Haptoglobinas
Leucopenia
Orosomucoide
Parvovirus Canino
-Infecções por Parvoviridae/veterinária
Limites: Animais
Cães
Responsável: BR409.1 - Biblioteca


  9 / 16 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Burini, Roberto Carlos
Texto completo
Id: lil-330641
Autor: Corrêa, Camila Renata; Angeleli, Aparecida Yooko Outa; Camargo, Nádia dos Reis; Barbosa, Luciano; Burini, Roberto Carlos.
Título: Comparação entre a relação PCR/albumina e o índice prognóstico inflamatório nutricional (IPIN) / Comparison of PCR/albumin ratio with prognostic inflamatory nutritional index (IPIN)
Fonte: J. bras. patol. med. lab;38(3):183-190, jul.-set. 2002. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Objetivo: Simplificar o cálculo do índice inflamatório nutricional (IPIN) empregando número menor de variavéis com conseqüente redução do custo da análise. Materiais e métodos: Foram estudados 54 pacientes e 12 indivíduos-controle com 48ñ20 (médiañdp) anos de idade. As principais patologias dos pacientes eram? doença arterial periférica (22), pênfigo foliáceo (7), doença inflamatória intestinal (7), trauma (6) e pós-operatório de ortognatia (3). Foram obtidas amostras de sangue periférico, colhidas en jejum para dosagens de proteínas positivas (+) e negativas (-) de fase aguda (PFA) pelo método nefelométrico. Proteína C reativa (PCR), alfa-1-glicoproteína-ácida (alfa-1-GA), alfa-1-AT) e ceruloplasmina (CER) foram as PFA+ e albumina (Alb), transferrina (TF) e proteína ligadora do retinol (RBP) foram as representantes das PFA-. Esses valores foram analisados quanto à associação de correlação isolada ou associadamente na fórmula do índice prognóstico inflamatório e nutricional (IPIN=PCR+alfa-1-GA / Alb+TTR). De acordo com o índice prognóstico inflamatório e nutricional, os pacientes foram classificados em grupo-controle (G1)/ pacientes sem infecção/inflamação (IPIN<1, G2) ou com risco de inflamação/infecção (IPIN>1,G3). Em seguida os pacientes do G3 foram subdivididos em baixo risco (G3A, n=16); médio risco (G3B, n=10); alto risco (G3C, n=6) e com risco de morte (G3D, N=11). Os resultados foram correlacionados entre si (teste de Spearman) ou submetidos às comparações entre grupos (teste de Kruskall-Wallis). Resultados: Houve relação significativa entre as variáveis PCRxalfa-1-GA (r=0,49), AlbxTTR (r=0,60), AlbxRBP (r=0,58), AlbxTF(r0,39), TTRxRBP (r=0,56) e TTRxTF (r=0,43) e as melhores relações encontradas entre PFA+ e PFA- foram: PCRxAlb (r= -0,71), PCRxTTR (r= -0,54), PCRxTF (r= -0,39) e alfa-1-GAxAlb (r= 0,35). Os valores do IPIN mostraram a diferenciação G3>(G1=G2) e G3>G3A. Entre todas as proteínas dosadas apenas PCR, Alb e TTR discriminaram os grupos: sendo G3>(G1=G2) para Alb e TTR. Apenas PCR, TTR e TF discriminaram a morbimortalidade com G3D>G3A (para PCR) e G3D
Descritores: Albumina Sérica/análise
alfa 1-Antitripsina
Ceruloplasmina
Infecções/imunologia
Infecções/sangue
Inflamação/imunologia
Inflamação/sangue
Avaliação Nutricional
Orosomucoide
Reação em Cadeia da Polimerase
Pré-Albumina
Proteína C-Reativa/análise
Proteínas da Fase Aguda/análise
Proteínas de Ligação ao Retinol
Sensibilidade e Especificidade
Índice de Gravidade de Doença
Transferrina
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR14.1 - Biblioteca Central


  10 / 16 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-324980
Autor: Owczarek, Catherine M; Owczarek, Aleksander L; Board, Philip G.
Título: Identification and characterization of polymorphisms at the HSA alpha1-acid glycoprotein (ORM*) gene locus in Caucasians
Fonte: Genet. mol. biol;25(1):13-19, 2002. ilus, tab.
Idioma: en.
Resumo: Human alpha1-acid glycoprotein (AGP) or orosomucoid (ORM) is a major acute phase protein that is thought to play a crucial role in maintaining homeostasis. Human AGP is the product of a cluster of at least two adjacent genes located on HSA chromosome 9. Using a range of restriction endonucleases we have investigated DNA variation at the locus encoding the AGP genes in a panel of healthy Caucasians. Polymorphisms were identified using BamHI, EcoRI, BglII, PvuII, HindIII, TaqI and MspI. Non-random associations were found between the BamHI, EcoRI, BglII RFLPs. The RFLPs detected with PvuII, TaqI and MspI were all located in exon 6 of both AGP genes. The duplication of an AGP gene was observed in 11 percent of the indiviuals studied and was in linkage disequilibrium with the TaqI RFLP. The identification and characterization of these polymorphisms will prove useful for other population and forensic studies
Descritores: Orosomucoide
Polimorfismo Genético
-Sequência de Aminoácidos
Mapeamento Cromossômico
Limites: Humanos
Animais
Responsável: BR26.1 - Biblioteca Central



página 1 de 2 ir para página        
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde