Base de dados : LILACS
Pesquisa : D12.776.124.486.485 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 598 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 60 ir para página                         

  1 / 598 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-965302
Autor: Negri Filho, Luiz Carlos; Pereira, Célio Eduardo Sargentin; Chineze, Pedro Herique Newbery; Bogado, Alexey Leon Gomel; Bronkhorst, Dalton Evert; Lunardi, Michele; Okano, Werner.
Título: Use of the enzyme gamma-glutamyl transferase (GGT) as an indirect measure of passive transfer of immunity in holstein calves and association with the occurrence of diarrhea after birth / Uso da enzima gama-glutamiltransferase (GGT) como medida indireta de transferência de imunidade passiva em bezerras da raça holandesa e associação com a ocorrência de diarreia após o nascimento
Fonte: Biosci. j. (Online);32(2):455-459, mar./abr. 2016. tab, ilus.
Idioma: en.
Resumo: The objective of this study was to determine the gamma-glutamyl transferase (GGT) levels and its relationship with diarrhea and passive transfer of immunity in Holstein calves within 24 hours and 30 days of life from Leopolis municipality, the north Parana region. Colostrum is rich in immunoglobulins and vital for immunity to newborn calves, since bovine placenta does not allow the passage of immunoglobulin to the fetus. Calves undergo various challenges that can lead to disease and death in the first month of life, including diarrhea. Diarrhea has a multifactorial etiology, and the passive immunity transferred through ingestion of colostrum is able to protect the calf against many of these etiologic agents. GGT measurements indirectly infer the amount of immunoglobulin ingested by the calf. Higher serum GGT levels (381.72 IU / L) were found at 24 hours, and a significant reduction was observed at 30 days (66.22 IU / L). When the presence or absence of diarrhea was associated with GGT levels above and below 200 IU / L, no statistical significance (P> 0.05) was observed, since 80% of animals with diarrhea had serum GGT levels higher than 200 IU / L. Under the conditions of this study, there was no relationship between the GGT concentration and the occurrence of diarrhea, and no mortality was observed despite some animals presented diarrhea.

O colostro é rico em imunoglobulinas e vital para a imunidade de bezerros recém-nascidos, uma vez que placenta bovina não permite a passagem de imunoglobulinas para o feto. Os bezerros são submetidos a diversos desafios que podem levar à doença e morte no primeiro mês de vida, dentre as quais a diarreia. A etiologia da diarreia é multifatorial e a imunidade passiva transferida através da ingestão de colostro é capaz de proteger o bezerro contra muitos desses agentes etiológicos. O objetivo deste estudo foi determinar a dosagem de gama-glutamil transferase (GGT) e sua relação com diarreia e a transferência de imunidade passiva em novilhas da raça Holandesa nos tempos de 24 horas e 30 dias de vida, no município de Leópolis, na região norte do Paraná. As mensurações de GGT infere indiretamente a quantidade de imunoglobulinas ingeridas pelo bezerro. Os níveis séricos de GGT demonstraram valores médios maiores 24 horas após o nascimento (381,72 UI / L) e uma redução significativa foi observada aos 30 dias de vida (66,22 UI/L). Quando a presença ou ausência de diarreia foi associada com níveis de GGT acima e abaixo de 200UI/L, não foi observado significância estatística (p>0,05), uma vez que 80% dos animais com diarreia tinham níveis séricos de GGT superior a 200 UI/L. Sob as condições que foi realizado o presente estudo, não houve relação entre a concentração de GGT e a ocorrência de diarréia, e nenhuma mortalidade foi observada apesar de alguns animais apresentarem diarreia.
Descritores: Imunoglobulinas
Bovinos
gama-Glutamiltransferase
Responsável: BR396.1 - Biblioteca Central


  2 / 598 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-737135
Autor: Salazar Torres, Lay; Ávila Gamboa, Dalton.
Título: Inmunología perinatal / Perinatal immunology
Fonte: Femina;42(4):185-192, jul-ago. 2014.
Idioma: pt.
Resumo: Se ha considerado que el útero gestante es un lugar inmunológicamente privilegiado, donde el feto es protegido del rechazo por el sistema inmune materno, mediante un amplio repertorio de estrategias de evasión que contribuye a la sobrevivencia del feto. La gestación en sí misma constituye un acontecimiento de equilibrio inmunológico y la tolerancia inmunológica permite la progresión del embarazo, donde participan una secuencia sincronizada de eventos que se inicia desde la concepción y fertilización para dar lugar a la implantación y progresa hasta alcanzar un embarazo a término. El sistema inmune es la principal barrera que poseemos para protegernos de las infecciones. Durante la vida intrauterina, el feto está protegido por la madre de las agresiones externas, por lo que no necesita que su sistema inmunológico sea operativo, sin embargo, al nacer, recibe una avalancha de elementos extraños, por lo que necesitará disponer de cierta protección, así como una preparación para ejecutar las defensas necesarias para su protección inmunológica. La inmunidad sérica durante la vida fetal queda limitada a la transferencia a través de la placenta de IgG materna, a pesar de que el feto tiene la facultad de sintetizar inmunoglobulinas desde las primeras etapas de la gestación. Al nacimiento, el niño tiene su sistema inmunológico completo, aunque inmaduro, pero es capaz de responder a los estímulos antigénicos. Tiene múltiples anormalidades en el desarrollo de su sistema inmune, que involucran a los anticuerpos/inmunoglobulinas, complemento y granulocitos pudiendo contribuir a la alta incidencia de sus infecciones. El recién nacido carece de memoria inmunológica debido a que, en condiciones normales, el feto está exento de estímulos producidos por antígenos extraños. Dicha memoria se va adquiriendo a medida que entra en contacto con los diferentes antígenos. Se obtendrá cierta protección a las infecciones entéricas gracias a las IgA que aporta la lactancia materna. La exposición prenatal y postnatal a productos microbianos ambientales que pueden activar la inmunidad innata, puede acelerar el proceso de maduración del sistema inmune.(AU)

It has been considered the pregnant women`s womb as an immunological exceptional place, where fetus is protected against been rejected because of maternal immune system by means of a wide groups of evasive strategies that help in its survival. Pregnancy itself is an immunological equilibrium state and the immunological tolerance allow the progression of this event, where participate a synchronized sequence of biological events started from conception and fertilization to allow the implantation, and progress until to reach the pregnancy end. The immune system is our main barrier against infections. During intrauterine life fetus is protected by the mother against external aggressions, therefore he don`t need an operative immune system, nevertheless, at birth the new organisms receive an avalanche of strange elements needing some kind of protection as well as a preparation to carry out the necessary defense for his immunological protection. Serum immunity during fetal life is limited to the transference of maternal IgG through placenta, despite fetus capability to synthesize immunoglobulins from first stages of gestation. At birth the babe has a complete immunological system although immature but capable to respond to antigenic stimulus. He has multiples abnormalities in the immune system development that take account antibodies/immunoglobulin, complement and granulocytes contributing to his high incidence of infections. Newborn lack immunological memory because in normal conditions fetus is not stimulated by odd antigens. This memory is acquired through the contact with different antigens. It will be obtained some protection against enteric infections because IgA from maternal lactation. The prenatal and postnatal exposition to environmental microbial products that activate the innate immunity can accelerate the immune system maturing process.(AU)
Descritores: Imunoglobulinas/imunologia
Recém-Nascido/imunologia
Recém-Nascido Prematuro/imunologia
Feto/imunologia
Imunidade Materno-Adquirida/imunologia
Anticorpos/imunologia
-Gravidez/imunologia
Linfócitos B/imunologia
Imunidade Adaptativa/imunologia
Fenômenos Microbiológicos/imunologia
Leite Humano/imunologia
Limites: Feminino
Gravidez
Recém-Nascido
Responsável: BR1365.1 - Biblioteca Biomédica A - CB/A


  3 / 598 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-996644
Autor: Gomes, Carlos Henrique Rodrigues.
Título: Desenvolvimento de novos vetores para a produção de bibliotecas de anticorpos pelo sistema do phage display / Development of a antibody display library system targeted against vascular growth factor.
Fonte: São Paulo; s.n; 2018. 71 p. graf, tab.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Instituto de Química para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: Anticorpos são moléculas de grande interesse científico e farmacêutico, principalmente, devido a sua alta especificidade contra antígenos determinados. Atualmente, anticorpos monoclonais estão entre os medicamentos (biofármacos) mais vendidos do mundo. São utilizados para o tratamento das mais diversas doenças, como câncer, retinopatias, doenças inflamatórias e do sistema imune, entre outras. Nos últimos 30 anos, as tecnologias para a obtenção de anticorpos monoclonais evoluíram muito, desde a tecnologia do hibridoma, até os processos de humanização de anticorpos murinos. Entre os métodos mais utilizados para a produção de anticorpos humanos, destaca-se a tecnologia do Phage Display. Nesta técnica, os genes que codificam as regiões variáveis de imunoglobulinas são inseridos no genoma de um bacteriófago, resultando na produção de partículas virais híbridas que contém fragmentos de anticorpos em fusão com uma das proteínas do capsídeo viral. Neste trabalho, desenvolvemos novos vetores para a apresentação de fragmentos ScFv em fusão com duas proteínas das proteínas do capsídeo viral, a pIII e pVIII. Os oligonucleotídeos utilizados para amplificar os genes de imunoglobulinas foram redesenhados e para minimizar a perda do repertório durante a produção da biblioteca, avaliamos em bancos de dados enzimas de restrição que não apresentam sítios de restrição nas sequencias gênicas. Esses sítios de restrição foram utilizados para construir as regiões de clonagem do vetor Phagemid. Outra etapa crítica na produção de bibliotecas de anticorpos é a reação do PCR de overlap, que pode restringir a diversidade de anticorpos e resultar na produção de amplicons codificando anticorpos truncados. Por isso, nossos vetores foram desenhados para permitir a clonagem direta das regiões variáveis das imunoglobulinas humanas ou murinas, sem a necessidade do PCR de overlap. Nossa expectativa, é que estes novos reagentes serão mais efetivos para a produção de novas bibliotecas de anticorpos pelo sistema do Phage Display

Antibodies are molecules of great scientific and pharmaceutical interest, mainly because of their high specificity against certain antigens. Currently, monoclonal antibodies are among the best selling drugs (biopharmaceuticals) in the world. They are used for the treatment of the most diverse disorders, such as cancer, retinopathies, inflammatory and immune system diseases, among others. In the past 30 years, technologies for obtaining monoclonal antibodies has greatly evolved from hybridoma technology to the humanization processes of murine antibodies. Among the methods used for the production of human antibodies, the technology of Phage Display stands out. In this technique, the genes encoding the immunoglobulin variable regions are inserted into the genome of a bacteriophage, resulting in the production of hybrid virus particles which contain fragments of antibodies in fusion with one of the viral capsid proteins. In this work, we developed new vectors for the presentation of ScFv fragments in fusion with two proteins of viral capsid proteins, pIII and pVIII. The oligonucleotides used to amplify the immunoglobulin genes were redesigned and to minimize repertory loss during library production, we evaluated restriction enzymes in databases that lack restriction sites in the gene sequences. These restriction sites were used to construct the cloning regions of the Phagemid vector. Another critical step in the production of antibody libraries is the overlap PCR reaction, which may restrict the diversity of antibodies and result in the production of amplicons encoding truncated antibodies. Therefore, our vectors were designed to allow the direct cloning of human or murine Immunoglobulins variable regions without the need for overlap PCR. Our expectation is that these new reagents will be more effective for the production of new antibody libraries by the Phage Display system
Descritores: Preparações Farmacêuticas
Técnicas de Visualização da Superfície Celular/instrumentação
Anticorpos Monoclonais/análise
-Imunoglobulinas/classificação
Anticorpos de Cadeia Única
Responsável: BR40.1 - DBD - Divisão de Biblioteca e Documentacão do Conjunto das Químicas
BR40.1; T574.88, G633d. 30100026204-Q


  4 / 598 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-633024
Autor: Blanco, Alicia Noemí; Peirano, Andrea; Silvia, Grosso; Lazzari, María Angela.
Título: Efecto del inhibidor lúpico o anti-factor VIII sobre la actividad del factor VIII-sustrato cromogénico / Lupus anticoagulant or anti-factor VIII effect on factor VIII activity-chromogenic substrate
Fonte: Acta bioquím. clín. latinoam;41(3):399-405, jul.-sep. 2007. graf, tab.
Idioma: es.
Resumo: El objetivo del trabajo fue analizar el efecto de inmunoglobulinas (IgG) purificadas con actividad anti-factor VIII neutralizante o inhibidor lúpico, sobre el factor VIII medido por sustrato cromogénico (factor VIII SC), con el propósito de validar el método para detectar anti-factor VIII en presencia de inhibidor lúpico. Se aisló la fracción IgG (cromatografía de afinidad) a partir de plasmas normales (IgG-N), con anti-factor VIII (IgG-aFVIII) o con inhibidor lúpico (IgG-IL), preparándose un pool normal como aporte de factor VIII en los ensayos de inhibición. Se analizaron las mezclas del pool normal con IgG-N, IgG-aFVIII, IgG-IL o la combinación de IgG-aFVIII+IgG-IL, inmediatamente y luego de 2 h a 37 ºC, determinándose la actividad del factor VIII SC y el índice de inhibición inmediato (Ii) o post-incubación (Ip). La inhibición y la potenciación producida por IgG-aFVIII+IgG-IL (Ii:30%±0,7; Ip:55%±2,7), fueron similares a las observadas con IgG-aFVIII sola (Ii:30%±0,6; Ip:55%±2,7). La IgG-IL no afectó la actividad de factor VIII SC. Semejante a lo observado en plasma, la IgG-IL no interfirió en la inhibición del factor VIII SC mediada por IgG-aFVIII. Se confirmó así la especificidad del método amidolítico, que permite detectar inhibidores anti-factor VIII independientemente de la coexistencia con el inhibidor lúpico, solucionando el problema diagnóstico planteado en hemofilia A.

To analyse the effect of purified immunoglobulins (IgG) with anti-factor VIII or lupus anticoagulant activity on factor VIII measured by chromogenic substrate (factor VIIICS), in order to validate the chromogenic substrate method for detection of anti-factor VIII activity in the presence of lupus anticoagulant. IgG fractions were purified (affinity chromatography) from normal plasmas (IgG-N) and plasmas with anti-factor VIII (IgG-aFVIII) or lupus anticoagulant (IgG-LA). A normal plasma pool was prepared as source of factor VIII in the inhibition tests. Mixtures of this pool with IgG-N, IgG-aFVIII, IgG-LA or IgG-aFVIII+IgG-LA were tested immediately or after 2 h at 37 °C by factor VIIICS method; inhibition index (Ii) and post-incubation index (Ip) were calculated. The inhibitory and progressive inhibitory effects produced by IgG-aFVIII+IgG-LA (Ii:30%±0.7; Ip:55%±2.7) were similar to those observed with IgG-aFVIII (Ii:30%±0.6; Ip:55%±2.7). The IgG-LA did not inhibit the factor VIIIcs activity. As was observed in plasma samples, IgG-aFVIII and the mixture of IgG-aFVIII+IgG-LA inhibited factor VIIICS, whereas IgG-LA did not. These results confirm the specificity of the amidolytic method in detecting anti-factor VIII inhibitors independently of the presence of lupus anticoagulant, thus solving the diagnostic problem in haemophilia A.
Descritores: Fator VIII/antagonistas & inibidores
Fator VIII/metabolismo
-Imunoglobulinas/sangue
Compostos Cromogênicos
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Estudos de Validação
Responsável: AR144.1 - CIBCHACO - Centro de Información Biomedica del Chaco


  5 / 598 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-979686
Autor: Lobato, Luciana Pereira; Fernandes, Eduardo Vignoto; Juliani, Luiz Carlos; Ferrari, Osny; Ramos, Solange de Paula; Gerez, Juliana Rubira; Vanat, Niara; Balarin, Mara Regina Stipp; Venancio, Emerson José; Grossmann, Maria Victoria Eiras.
Título: Os efeitos do farelo de aveia e da farinha de soja na resposta imune humoral de ratos alimentados com dieta hipercolesterolêmica / The effects of oat bran and soy flour on humoral immune response in rats fed hypercholesterolaemic diets
Fonte: Semina cienc. biol. saude;38(2):165-174, jul./dez. 2017. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Estudos anteriores têm demonstrado os efeitos sobre o sistema imune e sobre os níveis de colesterol da dieta com fibra solúvel e proteína de soja em ratos. Nesse estudo, nós avaliamos os efeitos do farelo de aveia e da farinha de soja na resposta imune humoral de ratos Wistar tratados com dietas hipercolesterolêmicas. Os animais (6 grupos) foram alimentados com diferentes dietas por 6 semanas e inoculados duas vezes com antígeno (IgY). As amostras de plasma foram coletadas após cada inoculação e os níveis de anticorpos anti-IgY (IgM, IgG1 e IgG2a) foram avaliados por ELISA. Os animais que receberam 1% de colesterol apresentaram um aumento de IgG1 anti-IgY e uma redução de IgM e IgG2a anti-IgY em relação aos animais controle. Estes efeitos foram anulados em animais alimentados com 1% de colesterol e farelo de aveia ou aveia + proteína de soja, mas não em animais alimentados com 1% de colesterol e proteína de soja. As dietas contendo 1% de colesterol resultaram em lesões hepáticas e aumentaram o peso relativo do fígado e do baço, mas não afetaram o perfil lipídico, o ganho de peso e o consumo de alimentos ou eficiência na conversão alimentar. Em conclusão, uma dieta com alto teor de colesterol influencia na produção de classes de anticorpos em resposta a um antígeno de forma que pode ser revertida pelo farelo de aveia.

Previous studies have demonstrated the immunological and hypercholesterolaemic effects of soluble dietary fibre and soy protein in rats. In this study, we evaluated the effects of oat bran and soy flour on humoral immune response in Wistar rats fed hypercholesterolaemic diets. Animals (6 groups) fed with different diets for 6 wks were inoculated twice with antigen (IgY). Plasma samples were collected after each inoculation and anti-IgY antibody (IgM, IgG1 and IgG2a) levels were evaluated by ELISA. Animals receiving 1% cholesterol presented an increase in anti-IgY IgG1 and a reduction in anti-IgY IgM and IgG2a relative to control animals. These effects were abrogated in animals fed 1% cholesterol and oat bran or oat bran+soy protein, but not in animals fed 1% cholesterol and soy protein. Diets containing 1% cholesterol resulted in hepatic lesions and higher liver and spleen relative weights, but did not affect lipid profile, weight gain, food intake, or food conversion efficiency. In conclusion, a high-cholesterol diet influences classes of antibodies produced in response to an antigen in a way that can be reversed by oat bran
Descritores: Imunoglobulinas
Ratos Wistar
Isoflavonas
-Alimentos de Soja
Limites: Ratos
Responsável: BR512.1 - Biblioteca Setorial do Centro de Ciências da Saúde


  6 / 598 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Uruguai
Texto completo
Id: biblio-838645
Autor: Casuriaga, Ana; Cassanello, Paola; Galazka, Jeanette; Giachetto, Gustavo.
Título: Enfermedad de Kawasaki e infección por adenovirus en un lactante / Kawasaki disease and adenovirus infection in an infant
Fonte: Arch. pediatr. Urug;88(2):91-94, abr. 2017.
Idioma: es.
Resumo: La enfermedad de Kawasaki es una vasculitis febril aguda propia de la infancia con afectación de vasos de pequeño y mediano calibre. Predomina en niños de entre 1 a 5 años, siendo excepcional en lactantes. El diagnóstico se basa en criterios clínicos, sin embargo debido a su frecuente presentación atípica genera dificultades diagnósticas que pueden determinar retardo en la instauración del tratamiento lo que repercute negativamente en el pronóstico. Se presenta el caso clínico de un lactante de 3 meses, previamente sano, que en el curso de una infección respiratoria por adenovirus desarrolla enfermedad de Kawasaki. La infección viral previa y/o concomitante, descrita en la literatura como un posible factor desencadenante en individuos genéticamente predispuestos, planteó mayores dificultades al equipo tratante. El objetivo de esta comunicación es alertar sobre la presentación de esta enfermedad en asociación con infecciones virales en edades precoces, para contribuir al diagnóstico y tratamiento oportunos.

Kawasaki disease (KD) is an acute febrile vasculitis of early childhood which affects small and medium blood vessels. It prevails in children between 1 to 5 years old, being it unusual in children younger than one year old. Diagnosis is based on clinical criteria, although, due to its frequently atypical presentation, it is difficult to diagnose, what may result in a delayed initiation of treatment and the subsequent negative impact on prognosis. The study presents the clinical case of a 3 month old child with a healthy medical record, who developed Kawasaki disease during a respiratory infection caused by adenovirus. A previous viral infection and/or concomitant, posed greater difficulties to the treating team because according to literature. Viral infections are described as possible triggering factors in individuals who are genetically predisposed. The objective of this comunication is to warn on how this medical condition can be associated to viral infections at early ages as well as to contribute to early diagnosis and treatment.
Descritores: Infecções por Adenovirus Humanos/complicações
Síndrome de Linfonodos Mucocutâneos/diagnóstico
Síndrome de Linfonodos Mucocutâneos/etiologia
-Infecções Respiratórias
Imunoglobulinas/uso terapêutico
Fatores Imunológicos/uso terapêutico
Síndrome de Linfonodos Mucocutâneos
Limites: Seres Humanos
Masculino
Responsável: UY1.1 - BINAME - Biblioteca Nacional de Medicina


  7 / 598 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-633036
Autor: Bresciani, Pablo Diego; Facio, María Laura; Madalena, Leticia Bibiana; Alejandre, Mariel Emilce; Fraind, Susana; Pizzolato, Marco.
Título: Validación post-analítica de la correlación inmunoglobulinas-gammaglobulinas / Post-analytical validation of the correlation between immunoglobulins-gammaglobulins
Fonte: Acta bioquím. clín. latinoam;41(4):553-557, oct.-dic. 2007. ilus.
Idioma: es.
Resumo: La electroforesis convencional en gel de agarosa con registro densitométrico (PRE) y la cuantificación de inmunoglobulinas IgG, IgA e IgM (GAM) por inmunoturbidimetría permiten estimar el estado inmunológico humoral. Debido a las diferencias metodológicas, los resultados de GAM y la densitometría de la fracción gamma obtenida ( GAMMA OBT) del PRE, son difíciles de correlacionar. El objetivo del presente estudio fue establecer una forma de validación post-analítica entre ambos métodos. Se seleccionaron 1.057 sueros, 736 no presentaban componentes monoclonales en la electroforesis. Se determinó GAM en un autoanalizador Hitachi 917 (Tina-quant-Roche, EE.UU.). La GAMMA OBT se obtuvo por electroforesis mediante un sistema semiautomático (Hydragel-Protein) seguido de densitometría (Hyrys), SEBIA (París-Francia). Mediante regresión lineal múltiple sobre GAMMA OBT y GAM de los 736 sueros, se predijo el valor esperado de la fracción gamma (GAMMA ESP) en g/dL a partir de los resultados de GAM: GAMMA ESP=0,84xIgG+0,23xIgA+0,75xIgM (Error estándar: 0,009; 0,041; 0,050, respectivamente; r=0,955; p<0,0001). Para detectar anomalías, como la presencia de componentes monoclonales, se utilizaron los 1.057 sueros, obteniéndose para la diferencia entre la GAMMA ESP y la GAMMA OBT, los siguientes valores de corte: -0,21 y +0,18 g/dL, los cuales incluyen la región de menor incidencia de anomalías. Se determinó el cociente de cada inmunoglobulina respecto de su valor normal superior, estableciéndose 1,5 como valor de corte. Combinando ambos procedimientos se obtuvo una sensibilidad y especificidad global de 81,4%, y 76,6%, respectivamente, para la detección de anomalías. En el presente trabajo se expone el algoritmo de decisiones que luego se ha aplicado a otros 307 pacientes encontrándose 68,0% y 83,1% de sensibilidad y especificidad, respectivamente.

Conventional agarose gel electrophoresis (AE) followed by densitometric analysis and quantitation of immunoglobulins IgG, IgA, and IgM (GAM) enable the evaluation of the immunological humoral status. Due to methodological differences, the results of the immunoglobulins quantitation by immunoturbidimetry (GAM), and the ones of the GAMMAAE region by densitometer tracing, are difficult to correlate. The aim of the present study was to establish a method of post-analytical validation between both procedures. One thousand and fifty-seven sera were selected, out of which 736 did not show any monoclonal components in the AE. GAM concentration was determined with a 917 Hitachi autoanalizer (Tina-quant-Roche). The GAMMA region was obtained by AE with a semiautomatic system (Hydragel Protein), followed by densitometer tracing (Hyrys, SEBIA). By means of the least-square multiple linear regression analysis of the GAMMA and GAM determinations of the 736 sera, the percentage fractions of each immunoglobulin corresponding to the GAMMA region were obtained: GAMMAGAM=0,84xIgG+0,23xIgA+0,75xIgM; (r=0.955; p<0.0001). In order to detect abnormalities such as the presence of monoclonal components, the 1057 sera were tested. The cut-off values for the normal difference between the GAMMAGAM and the GAMMAAEAE, were the following: -0.21;+0.18 (g/dL). The ratio of each immunoglobulin with respect to its higher normal value was determined, and the resulting cut-off value was 1.5. For the detection of abnormalities, a global sensitivity and specificity of 81.4%, and 76.6%, respectively was obtained by combining both procedures. In the present study the algorithm of decisions applied is shown.
Descritores: gama-Globulinas
Imunoglobulinas
-Controle de Qualidade
Imunoglobulinas/análise
Estudos de Validação
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Estudos de Validação
Responsável: AR1.2 - Instituto de Investigaciónes Epidemiológicas


  8 / 598 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Viana, Luciana de Gouvêa
Id: biblio-933779
Autor: Viana, Luciana de Gouvêa(aut).
Título: Avaliação da avidez dos anticorpos séricos IgA, IgM, IgG e subclasses de IgG reativos ao antígeno solúvel de ovo do Schistosoma mansoni em indivíduos com as fases aguda e crônica da esquistossomose mansoni.
Fonte: Rio de Janeiro/Belo Horizonte; s.n; 1997. 138 p. ilus.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Fundaçao Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz/Centro de Pesquisas René Rachou para obtenção do grau de Mestre.
Resumo: A avidez dos anticorpos refere-se à força da interação antígeno-anticorpo. Durante a resposta imune a diversas infecções, observa-se aumento progressivo da avidez dos anticorpos. Foram determinados os níveis séricos dos anticorpos IgA, IgM, IgG e subclasses de IgG reativos ao antígeno solúvel de ovo do Schistosoma mansoni (SEA) em 36 indivíduos com a fase aguda da esquistossomose mansoni e 40 indivíduos com esquistossomose mansoni crônica. Quinze indivíduos com a fase aguda foram avaliados ao diagnóstico clínico e novamente seis meses após. Calculou-se o índice de avidez dividindo-se a absorbância detectada ao Elisa convencional por aquela detectada ao Elisa empregando-se dietilamina (agente eluidor). Os níveis dos anticorpos IgG, IgG2 e IgG3 foram superiores nos indivíduos com a fase aguda (p = 0,000). Esta diferença não foi observada em relação aos anticorpos IgG1 anti-SEA. Para as imunoglobulinas citadas, os índices de avidez em indivíduos com a fase aguda da esquistossomose foram estatisticamente inferiores (p = 0,000).

Anticorpos IgG4 anti-SEA foram detectados em apenas dois indivíduos com a fase aguda da esquistossomose, sendo 0,06 e 0,81 os respectivos índices de avidez. Em indivíduos com esquistossomose crônica, a média do índice de avidez para IgG4 foi de 0,84. Os níveis dos anticorpos IgM foram mais elevados em indivíduos com a fase aguda da esquistossomose (p = 0,000) e os índices de avidez foram similares entre os dois grupos (índice de avidez médio: 0,31). Na fase aguda, foram detectados altos níveis de anticorpos IgA anti-SEA e, em indivíduos com esquistossomose crônica, estes níveis se aproximaram de zero. Os índices de avidez mostraram-se inferiores na fase aguda (p = 0,000). Aos seis meses de acompanhamento dos indivíduos com a fase aguda da esquistossomose, observou-se aumento da avidez em relação aos anticorpos IgG1 e IgG3 (p = 0,000), sem alterações em relação às demais imunoglobulinas.
Descritores: Afinidade de Anticorpos/imunologia
Imunoglobulinas
Esquistossomose mansoni/diagnóstico
-Reações Antígeno-Anticorpo/imunologia
Schistosoma mansoni/imunologia
Responsável: BR1719.1 - Biblioteca do CPqRR
BR1719.1; 616.963 TE, V614a, 1997. 009893 010351


  9 / 598 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-933669
Autor: Este, Maria da Glória Mangueira(aut).
Título: Efeito da IgC e do C3 sobre a atividade fagocitária de hemócitos de Rhodnius porlixus, Stal, 1859.
Fonte: Rio de Janeiro; s.n; 1993. 65 p. ilus.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz para obtenção do grau de Mestre.
Resumo: Os efeitos da imunoglobulina G e do terceiro componente do sistema complemento(C3) sobre a atividade fagocitária de hemócitos de ninfas de 5O estádio de Rhodnius prolixus foram estudados. Os hemócitos foram coletados da hemolinfa das larvas, 4 dias após o repasto sanguíneo com sangue humano contendo heparina, e colocados sobre lâminas de vidro por 45 minutos a 28C. As lâminas foram lavadas e a monocamada celular incubada com hemácias de carneiro que haviam ou não recebido tratamento prévio com IgG de coelho anti-hemácia de carneiro ou IgG de coelho anti-hemácia de carneiro mais soro normal de camundongo. Experimentos adicionais foram também realizados utilizando-se o fragmento F(ab')2 daIgG de coelho anti-hemácia de carneiro e zimozan incubado ou não com soro humano. Quando as células foram incubadas com hemácias não sensibilizadas com IgG, sensibilizadas com F(ab')2 ou com zimozan, a atividade fagocitária foi encontrada num percentual muito pequeno de células. Em contraste,++. Quando os hemócitos foram incubados com hemácias sensibilizadas com IgG, IgG mais soro de camundongos ou zimozan absorvidos com soro humano, a atividade fagocitária dos hemócitos foi intensa. Portanto, nossos experimentos sugerem que receptores Fc e C3 na superfíciede hemócitos de R. prolixus estão envolvidos no processo de fagocitose. Este fato também é reforçado pela demonstração de que em vertebrados, o processo de fagocitose está associado à presença destes receptores na superfície das células fagocitárias
Descritores: Doença de Chagas/parasitologia
Imunoglobulinas
Fagocitose
Rhodnius
Responsável: BR1719.1 - Biblioteca do CPqRR
BR1719.1; 616.936 3 TE, E79e, 1993. 010355


  10 / 598 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-933580
Autor: Viana, Luciana Gouvêa(aut).
Título: Avaliação de métodos sorológicos na abordagem diagnóstica da infecção humana por Leishmania (Leishmania) chagasi.
Fonte: Belo Horizonte; s.n; 2005. 112 p. ilus.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz. Centro de Pesquisas René Rachou para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: Avaliou-se o desempenho do ELISA IgG anti-rK39 e anti-Leishmania chagasi, Reação de Imunofluorescência Indireta (RIFI) e Teste de Aglutinação Direta (DAT) anti-L. chagasi empregando-se amostras de soro de portadores da leishmaniose visceral – LV (n=87), doença de Chagas – DC (n=30), malária – M (n=20), sífilis – S (n=19), esquistossomose mansoni – EM (n=16) e indivíduos não infectados – NI (n=20). Avaliou-se, também, a concentração sérica dos anticorpos IgG e subclassses de IgG anti-rK39 e anti-L. chagasi por ELISA em pacientes com LV ao diagnóstico, três e seis meses após tratamento (n=40); portadores da co-infecção Leishmania/HIV – LHIV (n=18) e co-habitantes de pacientes com LV expostos à Leishmania spp – EX (n=38), definidos através da positividade à reação de Montenegro. Verificou-se sensibilidade de 94,2 porcento para o ELISA IgG anti-rK39, 91,9 porcento para o ELISA IgG anti-L. chagasi e RIFI, e 96,6 porcento para o DAT, não havendo diferença significativa entre estes valores. No grupo DC, não houve diferença entre as especificidades do ELISA anti-rK39 (83,3 porcento) e DAT (93,3 porcento ). ELISA anti-L. chagasi e RIFI apresentaram valores inferiores (60 e 66,6, respectivamente). Nos demais grupos, a especificidade variou de 90,7 porcento (ELISA anti-L. chagasi no grupo S) a 100 porcento (DAT no grupo S e todos os outros testes nos grupos EM e NI), sem diferença significativa entre tais valores

A eficiência variou de 0,85 (ELISA IgG anti-L. chagasi) a 0,99 (DAT). O ELISA IgG anti-rK39 e a RIFI apresentaram valores intermediários: 0,94 e 0,86, respectivamente. Demonstrou-se boa concordância entre ELISA IgG anti-rK39 e DAT (Kappa=0,85) e concordância razoável em relação a ELISA IgG anti-L. chagasi e RIFI (0,7 e 0,74, respectivamente). O Kappa também se mostrou razoável entre ELISA IgG anti-L. chagasi e RIFI (0,75), ELISA IgG anti-L. chagasi e DAT (0,73), RIFI e DAT (0,75). Anticorpos IgG e IgG1 anti-rK39 e anti-L. chagasi foram superiores no grupo LV. Entre LHIV e EX, verificou-se superioridade para IgG anti-rK39 e IgG e IgG1 anti-L. chagasi. IgG3 anti-rK39 foi superior em EX em relação à LV, apresentando comportamento inverso ao ELISA anti-L. chagasi. Não houve diferença entre os grupos para IgG2 e IgG4 anti-rK39. IgG2 anti-L. chagasi foi superior em LHIV e EX. IgG4 mostrou-se superior em LHIV. No grupo LV, a positividade (porcento) ao ELISA rK39 variou de 52,5 porcento (IgG2) a 100 porcento (IgG). Nos grupos LHIV e EX, verificou-se variação de 38,3 porcento (IgG1) a 100 porcento (IgG) e 15,7 porcento (IgG1) a 97,4 porcento (IgG4), respectivamente. Em relação ao ELISA anti-L. chagasi, foram observadas as seguintes variações: 27,5 porcento (IgG2) a 95 porcento (IgG) no grupo LV; 22,2 porcento (IgG3) a 83,3 porcento (IgG4) no grupo LHVI; 7,8 porcento (IgG3) a 50 porcento (IgG2) no grupo EX. Ao ELISA anti-rK39 realizado seis meses após tratamento da LV, houve redução de IgG e subclasses e, para IgG3, tal redução foi também significativa aos três meses

Detectou-se redução de IgG, IgG1, IgG3 e IgG4 anti-L. chagasi aos três e seis meses, e apenas aos seis meses para IgG2. A positividade na pesquisa de anticorpos anti-rK39 variou de 17,5 porcento (IgG3) a 97,5 porcento (IgG) aos três meses e 5 porcento (IgG3) a 95 porcento (IgG) aos seis meses. Em relação aos anticorpos anti-L. chagasi, verificou-se variação de 10 porcento (IgG3) a 92,5 porcento (IgG e IgG1) e 7,5 porcento (IgG2 e IgG3) a 85 porcento (IgG), aos três e seis meses, respectivamente. Os resultados apontam para complexa resposta imune na infecção por L. chagasi, com predomínio da resposta tipo 2 na LV e provável resposta mista no co-infecção Leishmania/HIV e em expostos à Leishmania spp
Descritores: Diagnóstico
Ensaio de Imunoadsorção Enzimática
Imunoglobulinas
Leishmania
Sorologia
Responsável: BR1719.1 - Biblioteca do CPqRR
BR1719.1; 616.936 4 TE, V614a, 2005. 000206 000207



página 1 de 60 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde