Base de dados : LILACS
Pesquisa : D12.776.395.550.448.813 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 2 [refinar]
Mostrando: 1 .. 2   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 2 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-977984
Autor: Silvestre, Joana; Coelho, Luis; Pereira, João Gonçalves; Mendes, Vitor; Tapadinhas, Camila; Póvoa, Pedro.
Título: suPAR na avaliação do prognóstico após permanência na unidade de terapia intensiva: um estudo piloto / suPAR in the assessment of post intensive care unit prognosis: a pilot study
Fonte: Rev. bras. ter. intensiva;30(4):453-459, out.-dez. 2018. tab.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO Objetivo: Determinar o desempenho da dosagem do receptor ativador de plasminogênio tipo uroquinase solúvel quando da alta da unidade de terapia intensiva para predição da mortalidade após permanência na mesma unidade. Métodos: Durante 24 meses conduziu-se um estudo prospectivo observacional de coorte em uma unidade de terapia intensiva polivalente de oito leitos. Colheram-se os seguintes dados: APACHE II, SOFA, níveis de proteína C-reativa e receptor ativador de plasminogênio tipo uroquinase solúvel, além de contagem de leucócitos no dia da alta da unidade de terapia intensiva, em pacientes que sobreviveram à permanência na unidade de terapia intensiva. Resultados: Durante este período, incluíram-se no estudo 202 pacientes; 29 (18,6%) morreram após alta da unidade de terapia intensiva. Os não sobreviventes eram mais idosos e tinham enfermidades mais graves quando admitidos à unidade de terapia intensiva, com escores de severidade mais elevados, e necessitaram de vasopressores por mais tempo do que os que sobreviveram. As áreas sob a curva Característica de Operação do Receptor para SOFA, APACHE II, proteína C-reativa, contagem de leucócitos e receptor ativador de plasminogênio tipo uroquinase solúvel, no momento da alta da unidade de terapia intensiva, avaliadas como marcadores de prognóstico de morte hospitalar, foram, respectivamente, 0,78 (IC95% 0,70 - 0,86); 0,70 (IC95% 0,61 - 0,79); 0,54 (IC95% 0,42 - 0,65); 0,48 (IC95% 0,36 - 0,58); 0,68 (IC95% 0,58 - 0,78). O SOFA associou-se de forma independente com risco mais elevado de morte no hospital (OR 1,673; IC95% 1,252 - 2,234), assim como para mortalidade após 28 dias (OR 1,861; IC95% 1,856 - 2,555) e mortalidade após 90 dias (OR 1,584; IC95% 1,241 - 2,022). Conclusão: A dosagem do receptor ativador de plasminogênio tipo uroquinase solúvel na alta unidade de terapia intensiva teve um valor prognóstico fraco de mortalidade após a permanência nesta unidade.

ABSTRACT Objective: To determine the performance of soluble urokinase-type plasminogen activator receptor upon intensive care unit discharge to predict post intensive care unit mortality. Methods: A prospective observational cohort study was conducted during a 24-month period in an 8-bed polyvalent intensive care unit. APACHE II, SOFA, C-reactive protein, white cell count and soluble urokinase-type plasminogen activator receptor on the day of intensive care unit discharge were collected from patients who survived intensive care unit admission. Results: Two hundred and two patients were included in this study, 29 patients (18.6%) of whom died after intensive care unit discharge. Nonsurvivors were older and more seriously ill upon intensive care unit admission with higher severity scores, and nonsurvivors required extended use of vasopressors than did survivors. The area under the receiver operating characteristics curves of SOFA, APACHE II, C-reactive protein, white cell count, and soluble urokinase-type plasminogen activator receptor at intensive care unit discharge as prognostic markers of hospital death were 0.78 (95%CI 0.70 - 0.86); 0.70 (95%CI 0.61 - 0.79); 0.54 (95%CI 0.42 - 0.65); 0.48 (95%CI 0.36 - 0.58); and 0.68 (95%CI 0.58 - 0.78), respectively. SOFA was independently associated with a higher risk of in-hospital mortality (OR 1.673; 95%CI 1.252 - 2.234), 28-day mortality (OR 1.861; 95%CI 1.856 - 2.555) and 90-day mortality (OR 1.584; 95%CI 1.241 - 2.022). Conclusion: At intensive care unit discharge, soluble urokinase-type plasminogen activator receptor is a poor predictor of post intensive care unit prognosis.
Descritores: Proteína C-Reativa/análise
Mortalidade Hospitalar
Receptores de Ativador de Plasminogênio Tipo Uroquinase/sangue
Unidades de Terapia Intensiva
-Alta do Paciente
Prognóstico
Índice de Gravidade de Doença
Biomarcadores/sangue
Projetos Piloto
Estudos Prospectivos
Estudos de Coortes
APACHE
Escores de Disfunção Orgânica
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 2 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-893895
Autor: AboEl-Magd, Gehan Hassan; Mabrouk, Maaly Mohamed.
Título: Soluble urokinase-type plasminogen activator receptor as a measure of treatment response in acute exacerbation of COPD / Receptor do ativador de plasminogênio tipo uroquinase solúvel como medida da resposta ao tratamento da exacerbação aguda da DPOC
Fonte: J. bras. pneumol;44(1):36-41, Jan.-Feb. 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective: To evaluate the value of soluble urokinase-type plasminogen activator receptor (suPAR) in the diagnosis of acute exacerbation of COPD (AECOPD) and in monitoring treatment response, analyzing the relationship between suPAR and fibrinogen in AECOPD. AECOPD leads to increased airway inflammation, contributing to an exaggerated release of inflammatory mediators. Methods: We recruited 45 patients with AECOPD and 20 healthy control subjects. Medical histories were taken, and all subjects underwent clinical examination, chest X-ray, pulmonary function tests, and blood gas analysis. On day 1 (treatment initiation for the AECOPD patients) and day 14 (end of treatment), blood samples were collected for the determination of serum suPAR and plasma fibrinogen. Results: Serum levels of suPAR were significantly higher in the AECOPD group than in the control group. In the AECOPD patients, there was a significant post-treatment decrease in the mean serum suPAR level. The sensitivity, specificity, and accuracy of suPAR were 95.6%, 80.0%, and 93.0%, respectively. The Global Initiative for Chronic Obstructive Lung Disease stage (i.e., COPD severity) correlated positively and significantly with serum levels of suPAR and plasma levels of fibrinogen. Conclusions: Monitoring the serum suPAR level can be helpful in the evaluation of the COPD treatment response and might be a valuable biomarker for determining the prognosis of AECOPD. Because serum suPAR correlated with plasma fibrinogen, both markers could be predictive of AECOPD.

RESUMO Objetivo: Avaliar o valor do soluble urokinase-type plasminogen activator receptor (suPAR, receptor do ativador de plasminogênio tipo uroquinase solúvel) no diagnóstico de exacerbação aguda da DPOC (EADPOC) e no monitoramento da resposta ao tratamento, analisando-se a relação entre o suPAR e o fibrinogênio na EADPOC. A EADPOC leva ao aumento da inflamação das vias aéreas, contribuindo para a liberação exagerada de mediadores inflamatórios. Métodos: Foram recrutados 45 pacientes com EADPOC e 20 controles saudáveis. Realizou-se anamnese, e todos os indivíduos foram submetidos a exame clínico, radiografia de tórax, provas de função pulmonar e gasometria arterial. No dia 1 (início do tratamento para os pacientes com EADPOC) e no dia 14 (final do tratamento), foram coletadas amostras de sangue para dosagem de suPAR sérico e de fibrinogênio plasmático. Resultados: Os níveis séricos de suPAR foram significativamente maiores no grupo EADPOC do que no grupo controle. Nos pacientes com EADPOC, houve diminuição significativa da média de suPAR sérico após o tratamento. A sensibilidade, a especificidade e a acurácia do suPAR foram, respectivamente, de 95,6%, 80,0% e 93,0%. O estágio da doença segundo a Global Initiative for Chronic Obstructive Lung Disease (isto é, a gravidade da DPOC) apresentou correlação positiva e significativa com os níveis séricos de suPAR e os níveis plasmáticos de fibrinogênio. Conclusões: O monitoramento do suPAR sérico pode ser útil na avaliação da resposta ao tratamento da DPOC e seria um biomarcador valioso para a determinação do prognóstico da EADPOC. Como o suPAR sérico apresentou correlação com o fibrinogênio plasmático, ambos os marcadores poderiam ser preditores da EADPOC.
Descritores: Fibrinogênio/análise
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica/diagnóstico
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica/sangue
Receptores de Ativador de Plasminogênio Tipo Uroquinase/sangue
-Valores de Referência
Testes de Função Respiratória
Fatores de Tempo
Gasometria
Ensaio de Imunoadsorção Enzimática
Biomarcadores/sangue
Estudos de Casos e Controles
Doença Aguda
Sensibilidade e Especificidade
Resultado do Tratamento
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica/terapia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde