Base de dados : LILACS
Pesquisa : D12.776.543.750.705.852.150.200 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 5 [refinar]
Mostrando: 1 .. 5   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 5 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-837650
Autor: Vittori, Daniela; Chamorro, María Eugenia; Nesse, Alcira.
Título: Eritropoyetina como agente eritropoyético y no eritropoyético: consideraciones terapéuticas / Erythropoietic and non-erythropoietic functions of erythropoietin: therapeutic considerations / Eritropoietina como agente eritropoiético e não eritropoiético: considerações terapêuticas / Erythropoietic and non-erythropoietic functions of erythropoietin: therapeutic considerations
Fonte: Acta bioquím. clín. latinoam;50(4):773-782, dic. 2016. ilus.
Idioma: es.
Resumo: La producción de glóbulos rojos es controlada continuamente para suplir la desaparición de las células envejecidas y garantizar un aporte de oxígeno adecuado a todo el organismo. La citoquina pleitrópica eritropoyetina (Epo), originalmente definida por su rol en la eritropoyesis para prevenir la muerte programada de progenitores eritroides en la médula ósea, ha demostrado un rol antiapoptótico protector sobre diversos tejidos no hematopoyéticos. A la reconocida eficacia del tratamiento con eritropoyetina recombinante humana (rhuEpo) para contrarrestar la anemia que acompaña a patologías muy diversas, se agregan algunos aspectos que impiden lograr los resultados terapéuticos esperados, ya sea por resistencia al tratamiento o por el desarrollo de efectos adversos. Con el fin de prevenir estos efectos, así como reducir las dosis de rhuEpo en tratamientos crónicos se han desarrollado nuevos agentes que presentan modificaciones estructurales de la Epo, o bien alteraciones en las propiedades/actividad de la Epo nativa. Dado que, actualmente, los resultados sobre los efectos de la Epo sobre morbilidad/ mortalidad en diversas patologías no están suficientemente claros, nuevas investigaciones serán útiles para resolver dudas sobre la efectividad de la eritropoyetina y sus derivados o agentes alternativos con el fin de proveer bases sólidas para el desarrollo de ensayos clínicos concluyentes.

Erythropoietin (Epo), the cytokine required for promoting erythropoiesis through the proliferation and differentiation of erythroid cells, has been reported to act as a pleiotropic cytokine beyond the hematopoietic system. In contrast with the potentially beneficial effects attributed to recombinant human erythropoietin (rhuEpo), research has advanced to indicate that mortality and morbidity rates are increased in some patient groups when treated with rhuEpo. Some cardiac and systemic conditions may predispose to adverse events, and other factors, such as proinflammatory agents, may lead to resistance to erythropoietin treatment. Many compounds are currently under investigation in order to avoid these unwanted effects and to reduce the rhuEpo dose during chronic therapies. They are either erythropoiesis-stimulating agents different from erythropoietin or structurally modified erythropoietins with altered properties and activities. In recent reports, contrasting data have raised several concerns regarding the effectiveness of erythropoietin treatment to prevent adverse events. Therefore, much investigation is needed to provide a solid basis for the development of conclusive clinical trials.

A produção de glóbulos vermelhos é controlada continuamente para suprir o desaparecimento das células envelhecidas e garantir uma contribuição de oxigênio adequado a todo o organismo. A citocina pleiotrópica eritropoietina (Epo), originalmente definida por seu papel na eritropoiese para prevenir a morte programada de progenitores eritroides na medula óssea, tem demonstrado um papel anti-apoptótico protetor sobre diversos tecidos não hematopoiéticos. Adicionam-se à reconhecida eficácia do tratamento com eritropoietina recombinante humana (rhuEpo), para contra-arrestar a anemia que acompanha patologias muito diversas, alguns aspectos que impedem alcançar os resultados terapêuticos esperados, quer seja por resistência ao tratamento ou pelo desenvolvimento de efeitos adversos. Com o fim de prevenir estes efeitos, bem como reduzir as doses de rhuEpo em tratamentos crônicos foram desenvolvidos novos agentes que apresentam modificações estruturais da Epo, ou então alterações nas propriedades/atividade da Epo nativa. Devido a que, atualmente, os resultados sobre os efeitos da Epo sobre morbidade/mortalidade em diversas patologias não estão suficientemente claros, novas pesquisas serão úteis para resolver dúvidas sobre a efetividade da eritropoietina e seus derivados ou agentes alternativos visando a fornecer bases sólidas para o desenvolvimento de ensaios clínicos concludentes.
Descritores: Eritropoese
Eritropoetina/efeitos adversos
Eritropoetina/uso terapêutico
Transdução de Sinais
-Fatores Biológicos
Eritropoetina/química
Receptores da Eritropoetina/uso terapêutico
Limites: Humanos
Responsável: AR1.2 - Instituto de Investigaciónes Epidemiológicas


  2 / 5 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-668355
Autor: Palomino Q., Fernando; Bautista T., Leonardo; García O., Michel A.
Título: Neocitolisis / Neocytolysis / Neocitolisis
Fonte: Rev. MED;17(1):130-136, ene. 2009. ilus.
Idioma: es.
Resumo: En la presente revisión se describe la neocitolisis, un proceso de hemólisis selectiva para eritrocitos jóvenes, evidenciada en pacientes con insuficiencia renal crónica al suspenderles el tratamiento con eritropoyetina recombinante y documentada igualmente en astronautas al entrar en contacto con la microgravedad y en personas aclimatadas a gran altitud, luego de descender a nivel del mar. Se discute también el modelo postulado hasta el momento para demostrar la hemólisis selectiva "in vivo", que permite establecer para la eritropoyetina la nueva función de factor trófico en la maduración plasmática eritroide y se comentan los escenarios clínicos y las aplicaciones hacia el futuro de este proceso...

The present revision describes Neocytolysis, a process of selective hemolysis of young erythrocytes, demonstrated in patients with chronic renal insufficiency when suspended from treatment with recombinant erythropoietin and documented, also, in astronauts when entering in contact with microgravity and in people acclimated to great altitude, when they descend to sea level. The model postulated until now to demonstrate selective hemolysis "in vivo" is also discussed, which allows to establish the new function of trophic factor for erythropoietin in the plasmatic erythroid maturation and comments are made on the clinical scenarios and the applications towards the future of this process...

Na presente revisão descreve a neocitolisis, um processo de hemólises seletivo para eritrócitos novos. Achada nos pacientes com insuficiência renal crônica ao suspender-lhes o tratamento com a eritropoyetina recombinante e evidenciado também nos astronautas ao entrar ao contato com a microgravedade e em pessoas aclimatadas a grande altitude, após descer ao nível do mar. Se discute também o modelo postulado atualmente para demonstrar a hemólises seletiva "in vivo" que permite estabelecer o novo papel da eritropoyetina de fator trófico na maduração plasmática eritroide. Finalmente se comenta os cenários clínicos e as aplicações no futuro deste processo...
Descritores: Anemia Hemolítica
Eritropoetina
Hemólise
Receptores da Eritropoetina
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: CO87.1 - Biblioteca Médica


  3 / 5 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-601247
Autor: Silva, Flávia Helena Cosmo Vieira da.
Título: Custo-efetividade do tratamento da anemia em pacientes renais em terapia renal substitutiva no Brasil / Cost-effectiveness of treating anemia in kidney patients on renal replacement therapy in Brazil.
Fonte: Rio de Janeiro; s.n; 2010. 37 p. ilus, tab.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Instituto de Medicina Social para obtenção do grau de Mestre.
Resumo: O estudo teve como objetivo avaliar a razão de custo-efetividade, sob a perspectiva do Sistema Único de Saúde - SUS, do tratamento da anemia de pacientes em Terapia Renal Substitutiva. Duas alternativas foram comparadas: um novo medicamento recentemente registrado no Brasil, o Ativador Contínuo de Receptor de Eritropoetina (Continuous Erythropoitin Receptor Activador), CERA, e outro, atualmente disponível no sistema de saúde brasileiro, a Eritropoetina Recombinante Humana - EPO-rHu. Métodos: Um modelo de Markov simulou o curso de uma coorte de pacientes em Terapia Renal Substitutiva tratados com CERA e Epo-Hu por quatro anos. A qualidade de vida associada ao uso dos medicamentos foi estimada de forma indireta, por meio de entrevista qualificada com os profissionais cuidadores, previamente submetida e aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa local. Foi realizada análise de sensibilidade no modelo proposto através da variação dos parâmetros: doses dos medicamentos, custo das estratégias, taxas de desconto e efetividade utilizados para sua construção. Resultados: A média da qualidade de vida atribuída aos pacientes tratados foi 6,3 para Epo-rHu, 7,8 para o CERA e 9,3 para os pacientes transplantados. O modelo demonstrou que a estratégia mais custo-efetiva é a terapêutica com a Epo-rHu, com um custo por QALY de R$21.052,00. O custo incremental por QALY ganho associado ao CERA foi de 72.974,00. Conclusão: A utilização mensal do medicamento CERA está associada à maior qualidade de vida quando comparada a EPO-rHu. No entanto, a terapia com o novo medicamento não se mostrou mais custo-efetiva frente ao tratamento com EPO-rHu.
Descritores: Análise Custo-Benefício/economia
Análise Custo-Benefício/estatística & dados numéricos
Análise Custo-Benefício/tendências
Análise Custo-Benefício
Anemia/economia
Terapia de Substituição Renal
Sistema Único de Saúde
-Avaliação de Medicamentos/economia
Eritropoetina
Ensaios Clínicos como Assunto/economia
Eritropoetina/uso terapêutico
Receptores da Eritropoetina
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C
BR433.1; 1218


  4 / 5 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-586549
Autor: Clemente, Gonçalo dos Santos; Duarte, Vera Lúcia Serra.
Título: Synthesis and biological evaluation of 125I-erythropoietin as a potential radiopharmaceutical agent for tumours
Fonte: Braz. j. pharm. sci;47(1):83-88, Jan.-Mar. 2011. graf.
Idioma: en.
Resumo: Erythropoietin (EPO) is a glycoprotein hormone responsible for regulating erythropoiesis. Expression of EPO and EPO receptors (EPOr) has recently been demonstrated in some neoplastic cell lines and tumours, suggesting a potential new target for therapy. In this work, EPO was labeled with iodine-125 using the lactoperoxidase method, known to prevent damage to protein during radioiodination, and labeling conditions were optimized. In vitro stability studies have shown that 125I-EPO is radiochemically stable for 20 days after radiolabeling. In vitro cell binding studies have demonstrated very low binding (<2 percent) of EPO to normal and neoplastic cell lines tested. As expected, the biodistribution in healthy mice exhibited comparatively high rates of fixation in the organs of the excretory system. Thyroid also proved to be a critical organ which may indicate in vivo dissociation of 125I-EPO. In mice with induced melanoma, only a residual fixation in the tumour was evident. Further studies are warranted on other tumoral cell lines to better understand the binding process and internalization into cells. Studies on EPO labeled with carbon-11 could be valuable, since there is a greater chance of preserving the biological activity of the protein using this method.

A eritropoetina (EPO) é um hormônio glicoprotéico responsável pela regulação da eritropoese. Recentemente foi demonstrado que os receptores de EPO (EPOr) estão expressos em algumas linhas celulares neoplásicas, o que sugere a sua potencialidade como um novo alvo terapêutico. Neste trabalho a EPO foi radiomarcada com iodo-125 através do método da lactoperoxidase, menos agressivo para a viabilidade biológica das proteínas. A 125I-EPO revelou ser radioquimicamente estável durante 20 dias após a síntese. Um estudo biológico in vitro em linhas celulares tumorais demonstrou que a 125I-EPO apresenta uma ligação muito fraca (<2 por cento), tanto em células normais como nas linhagens tumorais testadas. A biodistribuição em camundongos saudáveis apresentou taxas de fixação relativamente maiores nos órgãos excretores e a tireóide revelou ser o órgão crítico, o que pode indicar a dissociação in vivo da 125I-EPO. No estudo em camundongos com melanoma induzido a fixação no tumor foi residual. Serão, no entanto, necessários novos estudos em outras linhagens tumorais para entender o seu processo de internalização e ligação nas células. Estudos da EPO radiomarcada com carbono-11 poderão também revelar-se interessantes, já que neste método há maior probabilidade da atividade biológica ser preservada.
Descritores: Fenômenos Biológicos/análise
Compostos Radiofarmacêuticos/farmacocinética
Compostos Radiofarmacêuticos
Neoplasias/induzido quimicamente
Receptores da Eritropoetina
-Eritropoese/efeitos da radiação
Glicoproteínas
Melanoma Experimental/induzido quimicamente
Melanoma Experimental/radioterapia
Radioisótopos do Iodo/análise
Radioisótopos do Iodo/uso terapêutico
Limites: Animais
Feminino
Camundongos
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR40.1 - DBD - Divisão de Biblioteca e Documentacão do Conjunto das Químicas


  5 / 5 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-445992
Autor: Velloso, Elvira R. P.
Título: Fatores de crescimento hemopoéticos nas síndromes mielodisplásicas / Hematopoietic growth factors in myelodysplastic syndromes
Fonte: Rev. bras. hematol. hemoter;28(3):210-212, jul.-set. 2006.
Idioma: pt.
Resumo: Fatores de crescimento hemopoéticos, como a eritropoetina e a associação da eritropoetina com o fator estimulante de colônias de granulócitos (G-CSF) são utilizados para manejo da anemia, particularmente nas síndromes mielodisplásicas de baixo risco (Anemia refratária e Anemia refratária com sideroblastos em anel e mielodisplasias com sistema de escore de prognóstico internacional de risco baixo ou intermediário I). O nível sérico de eritropoetina e a necessidade transfusional pré-tratamento podem identificar pacientes com melhor chance de resposta a essas terapêuticas de alto custo. O uso indiscriminado de G-CSF em portadores de neutropenia crônica não está indicado, devendo ser individualizado.

Treatment with growth factors, particularly erythropoietin (EPO) alone or in association with granulocyte colony-stimulating factor (G-CSF), has been useful in the management of anemia in low-risk patients with myelodysplastic syndromes (refractory anemia, refractory anemia with ringed sideroblasts, low or intermediate-1 IPSS groups). Two pre-treatment variables (serum EPO levels and red blood cell-transfusion needs) can predict erythroid responses to these high cost treatments. The indiscriminate use of G-CSF in neutropenic patients is not recommended although it can be useful in specific situations.
Descritores: Anemia
Eritropoetina
Síndromes Mielodisplásicas
Receptores da Eritropoetina
Limites: Humanos
Responsável: BR408.1 - Biblioteca da Faculdade de Medicina - BFM



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde