Base de dados : LILACS
Pesquisa : D23.050.301.264.035.100 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 9 [refinar]
Mostrando: 1 .. 9   no formato [Detalhado]

página 1 de 1

  1 / 9 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-893986
Autor: Scolaro, Bruno Lorenzo; Pereira, Gustavo Becker; Ogata, Daniel Cury; Cunha, Fernanda Souto Padrón Figueiredo Vieira da; Effting, Ana Cristina Martins; Guanabara, Rafael Oselame.
Título: Langerhans' cell histiocytosis diagnosed due to dermatological perianal lesion / Histiocitose de células de Langerhans diagnosticada por lesão perianal dermatológica
Fonte: J. coloproctol. (Rio J., Impr.);37(3):242-246, July-Sept. 2017. graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Langerhans' cell histiocytosis is a rare disease characterized by proliferation of Langerhans cells in the body. It affects mainly males, predominantly in childhood. Ulcerated plaques are one of the cutaneous forms of presentation. Diagnostic confirmation is done through immunohistochemistry. As therapeutic options, topical corticosteroids and chemotherapy are good choices. The case is reported of a male patient, aged 14, with perianal ulceration. He consulted a coloproctologist, who performed a biopsy of the region and started local triamcinolone applications. Immunohistochemistry diagnosed Langerhans' cells histiocytosis. Further investigation revealed diabetes insipidus, osteolytic lesions in the skull and lower limbs, enlarged liver, and encephalic alterations. Chemotherapy was started with Vinblastine, with significant improvement of the lesions.

Resumo A histiocitose de células de Langerhans é uma doença rara caracterizada pela proliferação de células de Langerhans no corpo. A doença afeta principalmente os homens, predominantemente na infância. Placas ulceradas são uma das formas cutâneas de apresentação. A confirmação diagnóstica é feita através de análise imuno-histoquímica. Como opções terapêuticas, corticosteroides tópicos e quimioterapia são boas escolhas. O caso aqui relatado é de um paciente do sexo masculino, com idade de 14 anos, com ulceração perianal. Ele consultou um coloproctologista, que realizou uma biópsia da região e iniciou o tratamento com aplicações locais de triancinolona. A análise imunohistoquímica diagnosticou histiocitose de células de Langerhans. Outros exames revelaram diabetes insipidus, lesões osteolíticas no crânio e nos membros inferiores, aumento do fígado e alterações encefálicas. A quimioterapia foi iniciada com vimblastina, com melhora significativa das lesões.
Descritores: Períneo/lesões
Dermatopatias/diagnóstico
Histiocitose de Células de Langerhans/diagnóstico
-Dermatopatias/patologia
Imuno-Histoquímica/métodos
Antígenos CD1/análise
Limites: Humanos
Masculino
Adolescente
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR545.3 - Biblioteca ICBS


  2 / 9 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-947551
Autor: Freire, Karina Camillozzi Nogueira; Cardoso, Lia Quintães; Miranda, Paulo Bittencourt de; Pignaton, Christiane Chambo; Mendes, Cristiane Aparecida; Campostrine, Thayla Baptista.
Título: Histiocitose de células de Langerhans: relato de um caso / Langerhans cell histiocytosis: case report
Fonte: HU rev;43(3):301-304, jul-set 2017.
Idioma: pt.
Resumo: A histiocitose de células de Langerhans corresponde a um grupo heterogêneo de desordens caracterizadas pela proliferação monoclonal de células dendríticas. Predomina na infância e pode afetar qualquer órgão. Relata-se caso de paciente, sexo feminino, 44 anos, apresentando placas espessas, exsudativas, com escamas aderentes aos pelos, localizadas no couro cabeludo, semelhantes a dermatite seborreica, além de fístulas nas axilas, regiões inframamárias e inguinais de evolução há 16 anos. Realizou-se biópsia da lesão cutânea seguida de imunohistoquímica que concluiu diagnóstico de Histiocitose de células de Langerhans. Investigação sistêmica evidenciou acometimento pulmonar concomitante. Até o presente momento existem poucas publicações sobre envolvimento cutâneo em adultos, assim como não há protocolos de tratamento para os mesmos, necessitando maiores estudos para melhor manejo desses pacientes.

Langerhans cell histiocytosis corresponds a heterogeneous group of disorders characterized by monoclonal dendritic cells proliferation, it predominates in childhood which may affect any organ of the body. The case reports of a female patient, aged 44, presenting thick plates with scales adhering to the hairs, scalp located, similar to seborrheic dermatitis, besides fistulas in axillas, inguinal and infra mammary regions. The hypothesis of Langerhans cell histiocytosis was confirmed by cutaneous biopsy and immunohistochemistry. Systemical investigation accused pulmonary involvement. Until now are few publications about adult cutaneous cases, so none treatment protocols are avaible for them. More specific studies are demanded for better management of these patients.
Descritores: Histiocitose
Histiocitose de Células de Langerhans
-Couro Cabeludo
Células Dendríticas
Dermatite Seborreica
Antígenos CD1
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR378.1 - Biblioteca Central


  3 / 9 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-872722
Autor: Farias, Jener Gonsalves de; Santana, Edmar José Borges de; Campos, Paulo Sérgio Flores.
Título: Proposta de método para avaliação e classificação clínica do complexo estilo-hióide em ortopantomografias / Prospost of method for clinical evaluation and classification of stylohyoid complex in ortopantomografhies
Fonte: Pesqui. bras. odontopediatria clín. integr;5(2):151-156, maio-ago. 2005. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Obletivo: Propor um método de avaliação e classificação, baseados em limites definidos por reparos anatômicos e uma classificação com 3 grupos chamados condições diagnosticadas. Método: Partindo-se da classificação de padrões de ossificação radiográfico de MacDonald-Jankowski(2001), que apenas leva em consideração o comprimento do complexo estilo-hióide avaliar ortopantomografias de pacientes. Resultados: Observou-se uma facilidade na avaliação radiográfica desse reparo anatômico com o método apresentado bem como na determinação do diagnostico e classificação. Conclusão: Está lançada m novo método de avaliação e classificação do complexo estilo-hióide e que se torna necessário a avaliação pela comunidade científica para a realização de novos estudos para a comprovação da eficâcia do método
Descritores: Antígenos CD1
ANTIGENOS CDABATTOIRS
ANTIGENOS CDTEMEFOS/SO DIAG
Radiografia Panorâmica
Radiografia/métodos
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR1264.1 - Biblioteca Setorial Prof Alberto M Campos


  4 / 9 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-652429
Autor: Valle, Rubén; Egas, Daniela; Valle, Patricio; Pastor, Dunia; Maldonado, Mercy.
Título: Histiocitosis: reporte de un caso / Histiocytosis: case report
Fonte: Medicina (Guayaquil);10(3):211-216, jul. 2005.
Idioma: es.
Resumo: La histiocitosis de células de Langerhans se describió desde el siglo XIX. Su origen y patogénesis se basan actualmente en tres eventos: clonalidad comprobada, un proceso reactivo a una infección viral, una proliferación y daño mediados por citocinas. El diagnóstico es histopatológico con la demostración de gránulos de Birbeck o la positividad para CD1a. Afecta a pacientes de cualquier edad y se manifiesta como una lesión osteolítica única o hasta como una enfermedad sistémica. El tratamiento es la resección quirúrgica, la radioterapia o la quimioterapia. El pronóstico varía de acuerdo a la presentación clínica.

Langerhans's cell histiocytosis was first described in the XIX century. Its origin and pathogenesis are based mainly on 3 events: clonal proliferation, a cytokines – mediated reactive process secondary to a viral infection. Diagnosis is based on histopathologic studies by the presence of Birbeck granules or CD1a positivity. Langerhans' cell histiocytosis affects patients of any age; it may present as a single osteolitic lesion or as a systemic disease. Treatment is based on surgical resection, radiotherapy or chemotherapy. Outcome varies on the clinical presentation of the disease.
Descritores: Histiocitose
Histiocitose de Células de Langerhans
-Antígenos CD1
Administração de Caso
Hepatomegalia
Células de Langerhans
Osteólise
Esplenomegalia
Limites: Masculino
Lactente
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: EC13.1 - Biblioteca


  5 / 9 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-632108
Autor: Sada-Ovalle, Isabel; Torre-Bouscoulet, Luis; Jiménez-Martínez, María del Carmen; Martínez-Cairo, Salvador; Zenteno, Edgar; Lascurain, Ricardo.
Título: La vía de CD1 y la activación de células T NK hacia los antígenos glicolipídicos de Mycobacterium tuberculosis / CD1 pathway and NK T Cell activation to glycolipid antigens from Mycobacterium
Fonte: Gac. méd. Méx;141(1):35-41, ene.-feb. 2005. ilus.
Idioma: es.
Projeto: CONACYT.
Resumo: El objetivo de esta revisión es analizar el estado actual de nuestro conocimiento sobre las moléculas de superficie celular involucradas en la presentación de antígenos glicolipídicos, denominadas familia CD1. Estas proteínas constituyen la tercera clase de moléculas presentadoras de antígeno. Las proteínas CD 1 controlan diversas funciones inmunes importantes en la defensa del hospedero contra las infecciones microbianas. En años recientes estas proteínas han sido involucradas en la generación de una respuesta inmune celular contra Mycobacterium tuberculosis. Aquí, nosotros analizaremos aspectos relevantes acerca de las proteínas CD 1 y las células T específicas para antígenos glicolipídicos.

The aim of this review is to analyze the current state of our knowledge about cell surface molecules involved in glycolipid antigen presentation, named CD1 family. These proteins constitute a third class of antigen-presenting molecules. CD 1 molecules develop diverse important immune functions in host defenses against microbial infections. In recent years these proteins have been involved in the generation of cell-mediated immune response against Mycobacterium tuberculosis. Here, we analyze relevant roles of CD1 proteins and glycolipid antigen-specific T cells.
Descritores: Antígenos de Bactérias/imunologia
Antígenos CD1/imunologia
/imunologia
CDABDOMINAL NEOPLASMS-POSITIVE T-LYMPHOCYTES/imunologia
Glicolipídeos/imunologia
Células Matadoras Ativadas por Linfocina/imunologia
Ativação Linfocitária/imunologia
Mycobacterium tuberculosis/imunologia
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Research Support, Non-U.S. Gov't
Revisão
Responsável: MX1.1 - CENIDSP - Centro de Información para Decisiones en Salud Pública


  6 / 9 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-600626
Autor: Orle, Joana; Mósca, Ana Maria; Sousa, Maria Auxiliadora Jeunon; Lima, Cíntia Maria Oliveira; Adriano, André Ricardo; Rezende, Patrícia Makino.
Título: Retículo-histiocitose congênita autolimitada em recém-nascido (Hashimoto- Pritzker) / Congenital self healing reticulohistiocytosis in a newborn (Hashimoto Pritzker)
Fonte: An. bras. dermatol;86(4):785-788, jul.-ago. 2011. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: A retículo-histiocitose congênita autolimitada é o espectro benigno das histiocitoses de células de Langerhans, caracterizada pela presença de lesões cutâneas ao nascimento ou no período neonatal, ausência de manifestações sistêmicas e resolução espontânea do quadro clínico. Apesar do curso benigno e frequente autorresolução na maior parte dos pacientes, estudos mostram que, em alguns casos, pode haver disseminação ou recaída da doença, enfatizando que o curso clínico é variável, havendo necessidade de seguimento em longo prazo. O acompanhamento do paciente por longo período é importante para detectar possível envolvimento sistêmico, pois existe relato de recorrência, envolvendo pele, mucosa, ossos e glândula pituitária.

Congenital self-healing reticulohistiocytosis is the benign spectrum of Langerhans Cell Histiocytosis, characterized by cutaneous lesions at birth or in the neonatal period, absence of systemic manifestations and spontaneous resolution of clinical status. Despite the benign and often self-resolving course in most patients, studies show that in some cases there may be metastasis or recurrence of the disease, emphasizing that the clinical course is variable, requiring long-term follow-up. The monitoring of the patient for a long period is important to detect possible systemic involvement, as there is a report of recurrence involving the skin, mucosa, bone and pituitary gland.
Descritores: Histiocitose de Células de Langerhans/congênito
Histiocitose de Células de Langerhans/diagnóstico
-Antígenos CD1/análise
Imuno-Histoquímica
Remissão Espontânea
/análise
SACETOLACTATE SYNTHASE PROTEINS/análise
Limites: Humanos
Recém-Nascido
Masculino
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 9 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-552259
Autor: Meira, Thiago Martins; Melo, Leonardo Araújo; Gurgel, Clarissa Araújo Silva; Ramos, Eduardo Antônio Gonçalves; Santos, Luciano Cincurá; Vita, Waldécio dos Santos; Santos, Jean Nunes dos.
Título: Density of Langerhans cells in the keratocystic odontogenic tumor / Densidade das células de Langerhans no tumor odontogênico queratocístico
Fonte: J. bras. patol. med. lab;46(2):135-141, abr. 2010. ilus, tab.
Idioma: en.
Projeto: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia.
Resumo: INTRODUCTION: Keratocystic odontogenic tumors (KOTs) are distinct odontogenic lesions commonly affecting the mandible bones. Langerhans cells (LCs) are specialized dendritic cells responsible for the presentation of antigens to T lymphocytes in mucosal and cutaneous surfaces. OBJECTIVE: This study analyzed the immunohistochemical expression of LCs in KOTs. MATERIALS AND METHODS: Fifteen cases of KOTs were studied using the anti-CD1a marker. Results: LCs were observed in all 15 cases analyzed. They were found to be concentrated in areas of cystic epithelial hyperplasia, mainly in those areas presenting higher concentration of inflammatory cells. Furthermore, a significant association between the number of LCs and areas of cystic epithelium presenting hyperplasia (Mann-Whitney test, p = 0.0223) was observed. The shape and location of these cells in KOTs epithelium were variable. CONCLUSION: The lower number of LCs observed on atrophic cystic epithelium of KOTs may be due to decreased epithelial immunosurveillance and this may result in locally aggressive invasiveness.

INTRODUÇÃO: Tumor odontogênico queratocístico (TOQ) é uma lesão odontogênica de caráter distinto que afeta frequentemente ossos maxilares. Células de Langerhans (CLs) são células dendríticas especializadas, responsáveis pela apresentação de antígenos aos linfócitos T nas superfícies cutânea e mucosa. OBJETIVO: Este estudo analisou a expressão imuno-histoquímica das CLs em lesões de TOQ. MATERIAIS E MÉTODOS: Quinze casos de TOQ foram estudados utilizando o marcador anti-CD1a. RESULTADOS: As CLs foram observadas em todos os 15 casos analisados. Essas células estavam concentradas em áreas de hiperplasia do epitélio cístico, especialmente naquelas que apresentavam alta concentração de células inflamatórias. Em adição, foi encontrada associação significativa entre número de CLs e áreas do epitélio cístico que apresentavam hiperplasia (Mann-Whitney test, p = 0.0223). O formato e a localização dessas células no epitélio dos TOQs foram variáveis. CONCLUSÃO: O menor número de CLs encontrado no revestimento cístico atrófico dos TOQs pode ser atribuído à imunovigilância deficiente e isso pode resultar em comportamento biológico localmente agressivo.
Descritores: Células de Langerhans/patologia
Cistos Odontogênicos/patologia
Tumores Odontogênicos/patologia
-Antígenos CD1/análise
Imuno-Histoquímica
Biomarcadores Tumorais
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR14.1 - Biblioteca Central


  8 / 9 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Araujo, Ney Soares de
Texto completo
Id: lil-495602
Autor: Cury, Patricia Ramos; Furuse, Cristiane; Rodrigues, Ana Elisa Amaro; Barbuto, José Alexandre; Araújo, Ney Soares de.
Título: Interstitial and Langerhans' dendritic cells in chronic periodontitis and gingivitis
Fonte: Braz. oral res;22(3):258-263, 2008. ilus, tab.
Idioma: en.
Resumo: The aim of the present study was to compare quantitatively the distribution of dendritic cell subpopulations in chronic periodontitis and gingivitis. Fourteen biopsies from patients with chronic periodontitis and fifteen from patients with gingivitis were studied. An immunoperoxidase technique was used to quantify the number of Langerhans' cells (CD1a) and interstitial dendritic cells (factor XIIIa) in the oral and sulcular and junctional/pocket epithelia and in the lamina propria. A greater number of factor XIIIa+ dendritic cells in the lamina propria and CD1a+ dendritic cells in the oral epithelium were observed in gingivitis compared to the periodontitis group (p = 0.05). In the sulcular and junctional/pocket epithelia and in the lamina propria, the number of CD1a+ dendritic cells was similar in the gingivitis and periodontitis groups. In conclusion, the number of Langerhans' cells in the oral epithelium and interstitial dendritic cells in the lamina propria is increased in gingivitis compared to periodontitis, which may contribute to the different pattern of host response in these diseases.
Descritores: Periodontite Crônica/patologia
Gengiva/patologia
Gengivite/patologia
Células de Langerhans/patologia
-Antígenos CD1/análise
Antígenos CD1/imunologia
Biópsia
Biomarcadores/análise
Fator XIIIa/análise
Fator XIIIa/imunologia
Gengivite/imunologia
Células de Langerhans/imunologia
Monócitos
Estatísticas não Paramétricas
Limites: Adulto
Feminino
Humanos
Masculino
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 9 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo SciELO Brasil
Viana, Marcos Borato
Texto completo
Texto completo
Id: lil-444532
Autor: Campos, Márcia Kanadani; Viana, Marcos Borato; Oliveira, Benigna Maria de; Ribeiro, Daniel Dias; Silva, Cláudia Márcia de Resende.
Título: Langerhans cell histiocytosis: a 16-year experience
Fonte: J. pediatr. (Rio J.);83(1):79-86, Jan.-Feb. 2007. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: OBJETIVOS: Descrever a apresentação clínica da histiocitose das células de Langerhans e comparar sua evolução de acordo com a idade, estadiamento e resposta ao tratamento. MÉTODOS: Análise retrospectiva dos dados referentes a 33 crianças com histiocitose das células de Langerhans acompanhadas no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais no período de 1988 a 2004. RESULTADOS: A idade ao diagnóstico variou de 2 meses a 16 anos (mediana: 2,5 anos). Dezessete crianças eram do sexo masculino. O tempo de seguimento variou de 21 dias a 16,2 anos (mediana: 3,4 anos). As manifestações clínicas mais comuns ao diagnóstico foram lesões osteolíticas, linfadenomegalia e lesões cutâneas. A sobrevida global para todo o grupo foi de 86,1 por cento aos 16 anos (IC95 por cento 66,6-94,6). Os óbitos ocorreram em pacientes com doença multissistêmica e disfunção orgânica ao diagnóstico. Os pacientes que apresentaram resposta "melhor" à sexta semana de tratamento apresentaram uma probabilidade estimada de sobrevida global significativamente maior em relação aos que apresentaram progressão da doença. A sobrevida global foi significativamente maior para os pacientes com doença em um único sistema. A probabilidade de sobrevida livre de eventos para todo o grupo foi de 30,9 por cento aos 16 anos (IC95 por cento 15,6-47,5), sendo significativamente maior para os portadores de doença em um único sistema. A idade não se associou com a sobrevida livre de eventos. A seqüela mais comum foi o diabetes insipidus. Não foram observados casos de neoplasias secundárias. CONCLUSÃO: A histiocitose das células de Langerhans apresenta uma grande variedade de manifestações clínicas, com alta taxa de recidivas e baixa taxa de mortalidade.

OBJECTIVES: To describe the clinical course of Langerhans cell histiocytosis and to compare its outcome according to age, staging of the disease and treatment response. METHODS: Retrospective analysis of data on 33 children with Langerhans cell histiocytosis followed at Hospital das Clínicas, Universidade Federal de Minas Gerais, Brazil, between 1988 and 2004. RESULTS: Age at diagnosis ranged from 2 months to 16 years (median: 2.5 years). Seventeen children were male. The follow-up period varied from 21 days to 16.2 years (median: 3.4 years). The most common clinical manifestations at diagnosis were osteolytic lesions, enlarged lymph nodes and skin lesions. The overall survival rate for the whole group was 86.1 percent at 16 years (95 percentCI 66.6-94.6 percent). Deaths occurred in patients with multisystem disease and organ dysfunction at diagnosis. Those patients who had a "better" response to treatment in the sixth week were likely to have a significantly higher overall survival rate than those who showed disease progression. Overall survival rate was significantly higher for patients with single-system disease. The disease-free survival rate for the whole group was 30.9 percent at 16 years (95 percentCI 15.6-47.5 percent), and was significantly higher for those with single-system disease. Age groups were not associated with different disease-free survival rates. Diabetes insipidus was the most common sequela. No cases of secondary neoplasms were observed. CONCLUSION: The clinical manifestations of Langerhans cell histiocytosis vary widely, with a high relapse rate and low mortality rate.
Descritores: Histiocitose de Células de Langerhans/diagnóstico
-Anticorpos Monoclonais
Antígenos CD1
Intervalo Livre de Doença
Histiocitose de Células de Langerhans/tratamento farmacológico
Histiocitose de Células de Langerhans/mortalidade
Fatores Imunológicos
Prognóstico
Recidiva
Estudos Retrospectivos
Taxa de Sobrevida
Resultado do Tratamento
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Lactente
Pré-Escolar
Criança
Adolescente
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 1
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde