Base de dados : LILACS
Pesquisa : D26.530 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 137 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 14 ir para página                         

  1 / 137 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-530873 LILACS-Express
Autor: Chehuen Neto, José Antonio; Sirimarco, Mauro Toledo; Choi, Cleide Mira Kawata; Barreto, Alessandro Ubaldo; Souza, Jonathan Batista.
Título: Automedicação entre Estudantes da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora / Self-medication among undergraduates of the School of Medicine of the Juiz de Fora Federal University
Fonte: HU rev;32(3):59-64, jul.-set. 2006. tab, ilus.
Idioma: pt.
Resumo: A automedicação é uma conduta cuja iniciativa parte fundamentalmente de um doente, ou de seu responsável, em consumir um produto com a finalidade de tratamento de doenças ou alívio de sintomas. Embora haja medicamentos que podem ser adquiridos sem prescrição médica, o doente não deve fazer uso indevido dos mesmos. Este estudo teve como objetivo conhecer a prevalência e os principais motivos da automedicação entre discentes da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora (FM/UFJF). Realizamos estudo descritivo, com aplicação de questionários a alunos da FM/UFJF que cursavam o 1º, 2º, 8º e 9º períodos, abrangendo 213 alunos. Cento e sessenta e dois dos 213 discentes entrevistados (76,05%) automedicam-se; cento e cinqüenta de 213 (90,03%) não julgaram necessária uma consulta médica; dos acadêmicos dos 1º e 2° períodos 36/87 (41,13%) seguiram conselhos de parentes e/ou amigos, enquanto que 5/87 (5,74%) confiaram em conhecimentos próprios; nos 8º e 9º períodos, obtivemos 5/88 (5,68%) seguindo conselho de parentes e/ou amigos enquanto que a confiança em conhecimentos próprios foi constatada em 40/88 (45,45%). É alto o índice de acadêmicos de medicina que se automedicam. A maior confiança neste gesto ocorre entre os alunos mais adiantados do curso, por confiarem mais em seus conhecimentos. Entre os alunos iniciantes, a orientação para a prática da automedicação provém principalmente dos parentes e amigos.

Self-medication, an initiative that springs from the patient or their care, consists of the use of a product aimed at treating a disease or relieving symptoms. In spite of the existence of over-the-counter drugs, the patient should not use them inappropriately. This study aimed to investigate the main reasons underlying self-medication of undergraduates of the Medical School of the Juiz de Fora Federal University. A 10-item questionnaire was answered by 213 students from the 1st, 2nd, 8th, and 9th periods. Results: Self-medication was found in 76.05% (162/213); a hundred and fifty of 213 (90.03%) deemed a medical consultation unnecessary; from the 1st and 2nd periods 36/87 (41,13%) of the students were advised by relatives and/or friends, while 5/87 (5,74%) relied on their own judgment; the rates for those in the 8th and 9th periods were 5,68% (5/88) were advised by relatives and/or friends, while 45,45% (40/88) relied on their own judgment. Conclusion: self-medication is very frequent among medical undergraduates. A feeling of self-sufficiency being more frequent among those in the more advanced periods; for those in the first two periods, self-medication is chiefly based on advice from relatives and friends; those in the more advanced periods base their attitude on their own knowledge.
-Automedicação
Estudantes de Medicina
Alopatia
Medicamentos sem Prescrição
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR378.1 - Biblioteca Central


  2 / 137 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Id: biblio-1018707
Autor: Benítez de Forcadell, Stela.
Título: Automediación en estudiante de la Facultad de Odontología de la Universidad Nacional de Asunción en el año 2010 / Student self-mediation in the Faculty of Dentistry, National University of Asuncion in 2010.
Fonte: Asunción; s.e; 20100110. 58 p. graf.
Idioma: es.
Resumo: La automedicación es la toma de medicamentos sin intervención del médico junto a la auto prescripción, implica riesgos que pueden se leves o graves, favorecen la aparición de capas resistentes e incrementan riesgos de reacciones adversas según la droga y las características individuales del paciente. Pueden ser toxico en casos de sobredosis, produciendo emergencias accidentales o interacciones desconocidas. Se realizo un estudio descriptivo de corte transversal, con componentes analíticos, cuyo objetivo fue conocer la frecuencia de la automedicación y el consumo de bebidas energizantes. en 228 estudiantes de la Facultad de Odontología de la UNA, en el año 2010. Para ellos se distribuyo un cuestionario de preguntas sobre diversos aspectos de la variable de interés. El propósito fue dar a conocer al estudiantado cuál es la situación al respecto y obtener información, como base para formular estrategias que permitan incentivar la utilización racional de los medicamentos. Según los resultados, 96% de los encuestados practicaron la automedicación, el 90% considero que dicha práctica fue buena. No se encontró evidencia estadística suficiente para relacionar el sexo con la automedicación. El 81% lo consideró una práctica riesgosa, pero igual se automedicó. Los medicamentos más consumidos fueron analgésicos, antiflamatorios, antifebriles (91%) y antigripales (85%). EL 41% consumió energizantes. Se deben reforzar los conocimientos sobre las consecuencias negativas de la automedicación, que constituye una práctica frecuente e inapropiada, más aún en personas que tienen facilidad de acceso a los medicamentos como los estudiantes de odontología .
Descritores: Automedicação
Farmacologia
Medicamentos sem Prescrição
Odontologia
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Bibliografia
Responsável: PY8.1 - Biblioteca
PY8.1; 615, B38a


  3 / 137 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-530897
Autor: Ferraz, Sabrine Teixeira; Grunewald, Thiago; Rocha, Flávio Roberto Silva; Chehuen Neto, José Antonio; Sirimarco, Mauro Toledo.
Título: Comportamento de uma amostra da população urbana de Juiz de Fora - MG perante a automedicação / Self-medication behavior of an urban population (Juiz de Fora-MG, Brazil)
Fonte: HU rev;34(3):185-190, jul.-set. 2008. tab, ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Define-se automedicação como a utilização de medicamentos sem prescrição ou orientação médica. Quando inadequada, pode conduzir a efeitos indesejáveis ou enfermidades iatrogênicas, representando um problema a ser estudado. Objetivou-se investigar a prevalência da automedicação em uma amostra da população urbana de Juiz de Fora - MG, analisando seu perfil, além de revelar os fármacos mais adquiridos e sintomas mais comuns, e verificar diferenças de prevalência entre faixas etárias e níveis de escolaridade. Foi aplicado um questionário semiestruturado, contendo 13 questões, a 165 residentes do município de Juiz de Fora - MG, com idade superior a 18 anos, selecionados em amostra acidental. Como resultados, 66,2% dos entrevistados se automedicaram no último ano, sem variação entre sexos e faixas etárias; desses, 45% têm ensino médio completo e 19%, superior completo. O grupo farmacológico predominantemente consumido foi de analgésicos, e o sintoma que levou à automedicação mais citado foi dor. A forma de aquisição predominante foi compra em farmácia sem receita médica e 65,2% afirmaram ter considerado desnecessária uma consulta médica. Aqueles que se automedicam obtiveram o efeito esperado sem a ocorrência de complicações. Entre entrevistados que não se automedicam, o conhecimento e a preocupação com os riscos da automedicação e o hábito de leitura da bula são maiores. Concluímos que a relativa facilidade de obtenção de medicamentos nas farmácias deve ser analisada pelos órgãos competentes, com vistas a campanhas de esclarecimento e de favorecimento ao acesso à consulta. É preocupante a confiança da população na automedicação, associada ao relevante número de pessoas que afirmaram dificuldade de acesso ao médico.

Self-medication is defined as the use of drugs without medical prescription or guidance. Inadequate self-medication may lead to untoward iatrogenic effects. This study investigated the prevalence of self-medication in an urban sample from the city of Juiz de Fora, MG, Brazil. Other features such as the most commonly purchased drugs, the most common symptoms, and the customers`age range and educational level were investigated. A 13-question semi-structured questionnaire was applied to 165 randomly selected residents (aged over 18 years) of the city of Juiz de Fora, MG, Brazil. 66.2% used self-medication in the previous year, with no difference concerning sex and age. 45% of these had finished secondary school and 19% had a college degree. Analgesics were the most frequently purchased drugs, and pain the most common complaint. Purchase was predominantly over the counter, and 65.2% found a medical consultation unnecessary. Self-medication led to symptomatic relief without complications. Among those who do not use self-medication, knowledge and worry about this habit are greater, as well as the habit of datasheet reading. The relative ease with which drugs are obtained over the counter should be an issue for the regulating bodies. Confidence in self-medication is worrying, chiefly against the background of a relevant number of people complaining of difficulty to see a doctor. Information campaigns warning against the risks of self-medication, and easier access to medical consultations are necessary.
Descritores: Automedicação/estatística & dados numéricos
Medicamentos sem Prescrição
-População
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR378.1 - Biblioteca Central


  4 / 137 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1038428
Autor: Buffone, Ignacio; Dejter, Mabel; Fortunatti, Eliana; García Elliot, Florencia; Irazabal, Camila; Marlia, Rubén; Mujica, Daiana; Parrou, Marianela; Romano, Mariana; Speciale, Gina; Werneke, Agostina.
Título: Caracterización de la consulta por intoxicación medicamentosa en los adolescentes en el Hospital Municipal de Bahía Blanca, Buenos Aires / Characterization of drug poisoning among adolescents seen at the municipal hospital of Bahía Blanca, Province of Buenos Aires, Argentina
Fonte: Arch. argent. pediatr;116(4):279-282, ago. 2018. tab.
Idioma: en; es.
Resumo: Introducción. La consulta por intoxicación medicamentosa en los niños se da con frecuencia en los servicios de emergencias médicas; en la adolescencia, es cuando ocurren de forma intencional. Objetivo. Caracterizar los patrones epidemiológicos de la intoxicación medicamentosa en adolescentes ingresados al Hospital Municipal de Bahía Blanca. Material y método. Estudio descriptivo, basado en la revisión de historias clínicas de pacientes de 10 a 19 años que consultaron por intoxicación medicamentosa, entre los años 2012 y 2016. Las variables analizadas fueron edad, sexo, fármaco consumido, causa, manifestaciones clínicas y días de internación. Resultados. Se recopilaron 72 pacientes. La edad media fue de 16 años, razón mujer-hombre de 2,5:1. Predominaron las intoxicaciones por ansiolíticos (30%), seguidas de las polimedicamentosas (25%). El 95% manifestaron intención suicida, de los cuales el 55% ya tenían antecedentes. Conclusión. La intoxicación medicamentosa ocurrió, predominantemente, en mujeres, y se destacó el gran porcentaje de adolescentes que presentaba episodios previos.

Introduction. Drug poisoning among children is a frequent reason for visits to the emergency department; among adolescents, it is intentional. Objective. To describe the characteristics of drug poisoning among adolescents admitted to the municipal hospital of Bahía Blanca. Material and method. Descriptive study based on the review of medical records of patients aged 10-19 years seen for drug poisoning between 2012 and 2016. The following outcome measures were analyzed: age, sex, drug used, cause, clinical manifestations, and length of stay in days. Results. Data from 72 patients were collected. Their mean age was 16 years, and the female:male ratio was 2.5:1. Anxiolytic poisoning (30%) predominated, followed by polydrug use (25%). Ninety-five percent of patients showed a suicidal intention; of these, 55% had a history of suicide attempt. Conclusion. Drug poisoning was observed predominantly among girls; it is worth noting the high percentage of youth who had a history of suicide attempt.
Descritores: Adolescente
Medicamentos sem Prescrição/toxicidade
Serviços Médicos de Emergência
Limites: Seres Humanos
Adolescente
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: AR94.1 - Centro de Información Pediatrica


  5 / 137 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-311087
Autor: Giacomini, Alexandre; Kliemann, Dimas Alexandre; Tavares, Fábio Figueiró; Rodrigues, Gustavo Uggeri; Coser, Pedro Luiz.
Título: Aquisição de medicamentos em farmácias sem prescrição médica: uma prática comum. Otite média aguda / Acquisition of drugs without medical prescription in drugstores: a common practice: Acute otitis media
Fonte: Pediatr. mod;36(4):177:180:182-178-180-181, abr. 2000.
Idioma: pt.
Resumo: O presente estudo objetivou analisar a conduta dos balconistas de 25 farmácias da zona urbana de Santa Maria (RS), escolhidas aleatoriamente, em relaçäo ao tratamento da otite média aguda em crianças, patologia frequente na prática diária do otorrinolaringologista e do pediatra. Os resultados mostraram que em apenas oito farmácias foi dada orientaçäo para procurar um médico (32 por cento). No entanto, em sete desses casos o balconista se propôs a vender alguma medicaçäo. Das 24 farmácias onde houve indicaçäo de medicamentos, apenas três balconistas "prescreveram" antibióticos (12,5 por cento). Desses, nenhum o fez de forma totalmente correta. Os autores concluem ser fundamental que haja uma maior conscientizaçäo da populaçäo e dos próprios balconistas em relaçäo aos riscos que podem advir do tratamento inadequado da otite média aguda.
Descritores: Otite
Farmácias
Medicamentos sem Prescrição/efeitos adversos
-Entrevistas como Assunto
Limites: Seres Humanos
Criança
Responsável: BR11.1 - Biblioteca


  6 / 137 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-379581
Autor: Brieva A, Julio; Danhier C, Alfredo; Villegas M, Guiljardy; Yates K, Tamara; Perez C, Heberto.
Título: Modalidades del uso de antibioticos en Concepcion, Chile / Adquisition and use of antibiotics in Concepcion, Chile
Fonte: Bol. Oficina Sanit. Panam;103(4):363-372, oct. 1987. ilus.
Idioma: es.
Resumo: A survey to determine how 45 antibiotics dispensed to children and adults had been acquired and used was concluded in 27 pharmacies in Concepcion, Chile, based on sales with prescriptions (3 729 cases) and without prescriptions (2 959 cases). The data were compiled from August to December 1982 and from August to December 1983 by students who had completed their training at Conception University, School of Pharmacy, using a form on which they entered the age of the patient, the name of the antibiotic requested, the dosage form, the quantity dispensed, and the indications for its use. Average treatments observed were compared to reference standard treatments expressed as defined daily doses (DDD) for the prevalent pathologies. It was found that the main users were adults (68.3 per cent) most of whom presented no prescription (50.4 per cent); antibiotics were dispensed to children in most cases (69.2 per cent) under médical prescription. There was greater consumption of oral antibiotics (84.6. ) than of those for parenteral (11.8 per cent) or vaginal (3.5 per cent) administration. Compared with the standard treatment regimen (7 x DDD), treatments were generally found to be insufficient, particularly among adults who obtained oral antibiotics without a prescription. Respiratory infections were treated with antibiotics in more cases than any other disease
Descritores: Antibacterianos
Antibacterianos
-Chile
Medicamentos sem Prescrição
Responsável: US1.1 - HQ Library


  7 / 137 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-980889
Autor: Mitre, Gabriella Silva; Silva, Síura Aparecida Borges; Silva, Gerluza Aparecida Borges; Rezende, Marcelo Moreira de Paiva; Sousa Jr, José Ronaldo.
Título: Perfil de prescrição de antimicrobianos nas unidades básicas de saúde conveniadas com a universidade de Itaúna/MG / Antimicrobial prescription profile in the basic health units agreed with the university of Itaúna/MG
Fonte: Rev. méd. Minas Gerais;27:[1-6], jan.-dez. 2017.
Idioma: pt.
Resumo: INTRODUÇÃO: O uso abusivo de antibacterianos está intimamente relacionado ao desenvolvimento de resistência bacteriana, considerada, atualmente, um problema de saúde pública mundial. Segundo a Organização Mundial de Saúde, em 2001, mais da metade das prescrições de antimicrobianos foram inapropriadas e dois terços de sua utilização foram feitas sem prescrição médica. Assim, o uso racional desse medicamento requer uma seleção criteriosa e bom senso clínico do prescritor. OBJETIVOS: Analisar o perfil de prescrição de antimicrobianos nas Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF) do município de Itaúna-MG, conveniados com a Universidade de Itaúna (UIT) e contribuir para que futuras intervenções possam ser conduzidas promovendo do uso racional dos antimicrobianos na atenção primária. MÉTODOS: Estudo transversal de prontuários médicos de pacientes atendidos nas UBSF de Itaúna/MG conveniadas com a UIT, realizado entre março de 2013 e março de 2014, para os quais foram prescritos antibióticos. RESULTADOS: A classe de antimicrobianos mais prescrita foi a das penicilinas seguido pelas quinolonas e macrolídeos. Quanto à duração do tratamento, o período de cinco a dez dias foi observado na maioria das prescrições. As principais indicações clínicas foram infecção das vias aéreas superiores não especificadas, amigdalite, otite, sinusite, infecção do trato urinário entre outros. A solicitação de culturas foi realizada em apenas 5,5% dos casos. CONCLUSÃO: A análise do perfil das prescrições revelou a necessidade de reciclagem da equipe e adoção de protocolos clínicos. Tais medidas permitirão a uniformização das condutas, otimizando as prescrições e reduzindo o risco do uso inapropriado de antimicrobianos. (AU)

Introduction: The overuse of antibacterials is closely related to the development of bacterial resistance, currently considered a problem of public health worldwide. According to the World Health Organization, in 2001 over half of the antimicrobial prescriptions were inappropriate and two thirds of its use were made without prescription. Thus, the rational use of this drug requires careful selection and clinical judgment of the prescriber. Objectives: To analyze the antimicrobial prescription profile in the Basic Health Units of family of Itaúna-MG, that have agreements with the University of Itaúna (UIT) and contribute to future interventions that can be conducted to promote the rational use of antimicrobials in primary care. Methods: Cross-sectional study of medical records of patients treated in Basic Health Units of family Itaúna / MG with agreement with the UIT, held between March 2013 and March 2014, for which antibiotics were prescribed. Results: The most prescribed class of antimicrobials was the penicillins followed by quinolones and macrolides. About the duration of treatment, five to ten days was observed in the majority of prescriptions. The main clinical indications were infection of the upper airways unspecified, tonsillitis, otitis, sinusitis, urinary tract infection, among others. The request of cultures was performed in only 5.5% of cases. Conclusion: The analysis of the profile of prescriptions revealed the need for retraining of staff and adoption of clinical protocols. These measures will enable to uniform the procedures, optimizing the regulations and reducing the risk of inappropriate use of antimicrobials. (AU)
Descritores: Resistência Microbiana a Medicamentos
Medicamentos sem Prescrição
Anti-Infecciosos/administração & dosagem
-Saúde Global
Uso Indevido de Medicamentos sob Prescrição
Uso Indevido de Medicamentos sob Prescrição/prevenção & controle
Anti-Infecciosos/imunologia
Anti-Infecciosos/uso terapêutico
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR1561.1 - Biblioteca Virtual AMMG


  8 / 137 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-710803
Autor: Koley, Munmun; Saha, Subhranil; Ghosh, Aloke; Ganguly, Subhasish; Arya, Jogendra Singh; Choubey, Gurudev.
Título: Self-medication tendencies of patients visiting out-patient departments of Government homoeopathic medical colleges and hospitals in West Bengal, India
Fonte: Int. j. high dilution res;12(45):178-189, 2013. tab.
Idioma: en.
Resumo: Self-medication is mostly prevalent in the low- and middle-income population segments of developing countries, thus reflecting the status of health services. Self-medication has frequently been held responsible for inducing drug resistance, higher cost of further treatment, and other complications. The World Health Organization (WHO) promotes self-medication in rural and remote areas to reduce the burden of health services. In this study, the researchers sought to establish the prevalence, consequences, and causes of self-medication. Methods: Multicenter, institution-based, cross-sectional study conducted with 456 participants in May, 2013 at the outpatient clinics of 2 Government homeopathic medical colleges in West Bengal, India. A pilot-tested structured questionnaire consisting of 12 self-administered questions in local vernacular Bengali was used; 8 were close-ended questions providing multiple answer options, while 4 were open-ended. Results: Overall, 12.7% of interviewees admitted to perform self-medication; 57.7% and 66.0% had appropriate knowledge of the medicines and dose regimens, respectively. Females (64.3%) predominated and self-medication was mostly found in age range 31-45 years old (32.5%). Conventional Western medicine (82.2%) was most preferred therapy, and fever (35.7%), hyperacidity (25.4%) and loose stool (24.3%) the most frequently reported complaints. The main causes for self-medication were feeling no need to consult doctor (32.5%), busy schedule (16.4%), family members advice (16.0%), over-the-counter (OTC) availability of medicines without prescription (12.5%), direct consumer pharmaceutical advertisement (12.1%), and high expenditure in private institutes (10.1%). The chi-square distribution of determinants across the two samples differed significantly. The tendency increased proportionately with literacy (Yates' ÷2=175.731; p=0.000) and poverty (Yates' ÷2=426.817; p=0.000).

A prevalência da automedicação é mais elevada nos segmentos populacionais de baixa e média renda nos países em desenvolvimento, como reflexo de nível de atenção pública. A automedicação é frequentemente considerada como causa de resistência a medicamentos, aumento do custo do tratamento e outras complicações. Os autores do presente estudo objetivaram investigar a prevalência, consequências e causas da automedicação. Métodos: estudo multicêntrico, institucional e transversal incluindo 456 indivíduos que consultaram em maio de 2013 os ambulatórios de 2 hospitais universitários homeopáticos públicos em Bengala Ocidental, Índia. Foi distribuído para auto-aplicação um questionário estruturado previamente validado num teste piloto. O questionário incluía com 8 perguntas fechadas, com múltiplas opções de resposta, e 4 abertas, na língua vernácula local. Resultados: Aproximadamente 12,7% dos entrevistados admitiram se utilizar de automedicação; 57,7% e 66,0% tinham conhecimento adequado sobre o medicamento utilizado e posologia, respectivamente. A amostra esteve composta predominantemente por mulheres (64,3%), e a faixa etária com maior frequência de automedicação foi a de 31-45 anos (32,5%). A medicina convencional foi indicada como a preferida (82,2%) e as queixas mais frequentes foram febre (35,7%), azia (25,4%) e diarreia (24,3%). As principais causas para a escolha de automedicação foram: sem necessidade de consultar um médico (32,5%), falta de tempo (16,4%), conselho de familiares (16.0%), existência de medicamentos de venda livre (12.5%), publicidade farmacêutica dirigida diretamente ao consumidor (12.1%) e alto custo de serviços de saúde privados (10,1%). O teste de qui quadrado identificou diferença significativa na distribuição dos determinantes entre os dois grupos. A tendência para uso de automedicação aumentou paralelamente ao nível de educação (Yates χ2=175,731; p=0.000) e à pobreza (Yates χ2=426.817; p=0,000).
Descritores: Automedicação/tendências
Estilo de Vida Saudável
Homeopatia
Medicamentos sem Prescrição
Resistência a Medicamentos
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR926.1 - Biblioteca Artur de Almeida Rezende Filho


  9 / 137 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-933760
Autor: Machado, Cristiane de Cássia Soares(aut).
Título: Prospecção de marcadores morfológicos, anatômicos, micro e macromoleculares de Solanum cernuum Vell (Solanaceae).
Fonte: Rio de Janeiro/Belo Horizonte; s.n; 2001. xii, 105 p. ilus.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Fundação Oswaldo Cruz. Instituto Oswaldo Cruz/Centro de Pesquisas René Rachou para obtenção do grau de Mestre.
Resumo: A maioria das plantas medicinais consumidas pela população e utilizada pela indústria farmacêutica é geralmente imprecisa na sua identificação toxonômica. Isto afeta a qualidade e eficácia da droga vegeral, além do uso dos fitoterápicos em geral. Com o objetivo de contribuir para o controle de qualidade de drogas comercializadas, inteiras ou trituradas, buscamos marcadores para autenticação de vegetais, que utilizem, além das características morfológicas e anatômicas, seu perfil micromolecular e genômico. Utilizamos neste estudo a 'panacéia', um vegetal largamente utilizado pela população de Minas Gerais como hemostático, sudorífero e diurético, dentre outros usos. Uma das espécies conhecidas por este nome é a Solanum cernuum Vell., da família Solanacease, que pode ser adquirida sem receituário em várias farmácias de BH. Nesta espécie, os caracteres morfológicos podem ser empregados para a identidicação, se as plantas forem comercializadas inteiras. Porém, em plantas trituradas, a presença dos ápices dos tricomas, pode ser um indicativo da presença da espécie. Neste estudo, um perfil cromatográfico característico do extrato de folhas de S. cernuum foi obtido por CCD e por CLAE. Duas substâncias foram isoladas deste extrato, identificadas como glicosídeos flavônicos. Análise do perfil de amplificação obtido por RAPD e por amplificação de regiões espaçadoras do DNA ribossomal mostraram perfis característicos para S. cernuum. Cinco amostras de panacéia do comércio de BH foram analisadas em paralelo com o padrão de S. cernuum. Constatamos que a amostra da Catedral Farmácia Homeopática, não continha S. cernuum. A confirmação da presença ou ausência da espécie é possível utilizando apenas um dos métodos propostos. Entretanto, recomendamos que pelo menos dois métodos sejam empregados, para que tenhamos resultados mais confiáveis.
Descritores: Panaceia/química
Panaceia/isolamento & purificação
Plantas Medicinais/química
Solanaceae/anatomia & histologia
Solanaceae/química
-Biomarcadores/análise
Biomarcadores/química
Medicamentos sem Prescrição/uso terapêutico
Controle de Qualidade
Solanum/anatomia & histologia
Solanum/química
Responsável: BR1719.1 - Biblioteca do CPqRR
BR1719.1; 615.321 TE, M149d, 2001. 009977


  10 / 137 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-893651
Autor: Bizhang, Mozhgan; Domin, Julia; Danesh, Gholamreza; Zimmer, Stefan.
Título: Effectiveness of a new non-hydrogen peroxide bleaching agent after single use - a double-blind placebo-controlled short-term study
Fonte: J. appl. oral sci;25(5):575-584, Sept.-Oct. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Tooth whitening represents perhaps the most common aesthetic procedure in dentistry worldwide. The efficacy of bleaching depends on three aspects: bleaching agent, bleaching method, and tooth color. Objective: This in vivo study aimed to examine whitening effects on frontal teeth of the upper and lower jaws using an over-the-counter (OTC) non-hydrogen peroxide bleaching agent in comparison to a placebo after one single use. Material and methods: Forty subjects (25 female; 15 male) participated in this double-blind randomized placebo-controlled trial. The subjects were randomly allocated to two groups (n=20). The test group received the OTC product (iWhite Instant) and the placebo group received an identically composed product except for the active agents. Each subject was treated with a prefilled tray containing iWhite Instant or the placebo for 20 minutes. The tooth shade of the front teeth (upper and lower jaws) was assessed before (E_0), immediately after (E_1) and 24 h after treatment (E_2), using a shade guide (VITA classical). Statistical testing was accomplished using the Mann-Whitney U test (p<0.001). The dropout rate was 0%. Results: There were no significant differences at E_0 between placebo and test groups regarding the tooth color. Differences in tooth color changes immediately after (ΔE1_0) and 24 h after treatment (ΔE2_0) were calculated for both groups. The mean values (standard deviations) of tooth color changes for ΔE1_0 were 2.26 (0.92) in the test group and 0.01 (0.21) in the placebo group. The color changes for ΔE2_0 showed mean values of 2.15 (1.10) in the test group and 0.07 (0.35) in the placebo group. For ΔE1_0 and ΔE2_0 significant differences were found between the groups. Conclusion: In this short-term study, the results showed that a non-hydrogen peroxide bleaching agent has significant whitening effects immediately and 24 h after a single-use treatment.
Descritores: Compostos de Cálcio/uso terapêutico
Caproatos/uso terapêutico
Gluconatos/uso terapêutico
Lactatos/uso terapêutico
Ftalimidas/uso terapêutico
Clareadores Dentários/uso terapêutico
Clareamento Dental/métodos
-Colorimetria
Sensibilidade da Dentina/induzido quimicamente
Método Duplo-Cego
Medicamentos sem Prescrição/uso terapêutico
Variações Dependentes do Observador
Efeito Placebo
Reprodutibilidade dos Testes
Estatísticas não Paramétricas
Fatores de Tempo
Resultado do Tratamento
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Meia-Idade
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Ensaio Clínico Controlado
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 14 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde