Base de dados : LILACS
Pesquisa : D26.670 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 115 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 12 ir para página                         

  1 / 115 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1019808
Autor: Resende, Natália Helena de; Miranda, Silvana Spíndola de; Ceccato, Maria das Graças Braga; Haddad, João Paulo Amaral; Reis, Adriano Max Moreira; Silva, Dirce Inês da; Carvalho, Wânia da Silva.
Título: Drug therapy problems for patients with tuberculosis and HIV/AIDS at a reference hospital / Problemas relacionados ao uso de medicamentos em pacientes com tuberculose e HIV/AIDS em hospital referência
Fonte: Einstein (Säo Paulo);17(4):eAO4696, 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective: To determine the frequency of drug therapy problem in the treatment of patients with tuberculosis and HIV/AIDS. Methods: Data were obtained through a cross-sectional study conducted between September 2015 and December 2016 at a reference hospital in infectious diseases in Belo Horizonte (MG), Brazil. Sociodemographic, clinical, behavioral and pharmacotherapeutic variables were evaluated through a semi-structured questionnaire. Drug-related problems of pharmaceutical care were classified using the Pharmacotherapy Workup method. Factors associated with indication, effectiveness, safety and compliance drug therapy problem were assessed through multiple logistic regression. Results: We evaluated 81 patients, and 80% presented at least one drug therapy problem, with indication and adherence drug therapy problem being the most frequent. The factors associated with drug therapy problem were age, marital status, new case, ethnicity, time of HIV diagnosis and time to treat tuberculosis. Conclusion: The frequency of drug therapy problem in coinfected patients was high and the identification of the main drug therapy problem and associated factors may lead the multiprofessional health team to ensure the use of the most indicated, effective, safe and convenient medicines for the patients clinical condition. Tuberculosis and HIV/AIDS coinfected individuals aged over 40 years are more likely to have drug therapy problems during treatment; in that, the most frequente are those that signal toward need of medication for an untreated health condition and non-compliance to treatment. Thus, older patients, unmarried or married, who have treated tuberculosis before, with a shorter time to tuberculosis treatment and longer time to diagnose HIV/AIDS, should receive special attention and be better followed by a multiprofessional health team because they indicate a higher chance of presenting Problems related to the use of non-adherent drugs.

RESUMO Objetivo: Determinar a frequência de problemas relacionados ao uso de medicamentos no tratamento de pacientes com tuberculose e HIV/AIDS. Métodos: Os dados foram obtidos por estudo transversal realizado entre setembro de 2015 e dezembro de 2016 em hospital referência em doenças infectocontagiosas de Belo Horizonte (MG), Brasil. As variáveis sociodemográficas, clínicas, comportamentais e farmacoterapêuticas foram avaliadas por questionário semiestruturado. Classificaram-se os problemas relacionados ao uso de medicamento empregando o método Pharmacotherapy Workup de atenção farmacêutica. Os fatores associados aos problemas relacionados ao uso de medicamentos de indicação, efetividade, segurança e adesão foram avaliados pela regressão logística múltipla. Resultados: Foram avaliados 81 pacientes, e 80% apresentaram pelo menos um problema relacionado ao uso de medicamentos, sendo os mais frequentes ligados à problemas relacionados ao uso de medicamentos de indicação e adesão. Os fatores associados aos problemas relacionados ao uso de medicamentos foram idade, estado civil, caso novo, etnia, tempo de diagnóstico do HIV e tempo de tratamento da tuberculose. Conclusão: A frequência de problemas relacionados ao uso de medicamentos em pacientes coinfectados foi alta, e a identificação dos principais problemas relacionados ao uso de medicamentos e dos fatores associados aos mesmos pode direcionar a equipe multiprofissional de saúde, para garantir o uso dos medicamentos mais indicados, efetivos, seguros e convenientes para a condição clínica dos pacientes. Os indivíduos coinfectados com tuberculose e HIV/AIDS maiores de 40 anos possuem maior chance de apresentarem problemas relacionados ao uso de medicamentos durante o tratamento, sendo os mais frequentes os que indicam a necessidade de medicamento para condição de saúde não tratada e não adesão ao tratamento. Pacientes mais idosos, solteiros ou não, que já trataram a tuberculose antes, com menor tempo de tratamento de tuberculose e maior tempo de diagnóstico de HIV/AIDS devem ter atenção especial no acompanhamento por uma equipe multiprofissional de saúde por indicarem maior chance de apresentar Problemas Relacionados ao uso de Medicamentos de não adesão à terapia.
Descritores: Tuberculose/tratamento farmacológico
Cooperação do Paciente/estatística & dados numéricos
Infecções Oportunistas Relacionadas com a AIDS/tratamento farmacológico
Medicamentos sob Prescrição/normas
Antituberculosos/administração & dosagem
-Encaminhamento e Consulta
Fatores Socioeconômicos
Estudos Transversais
Antituberculosos/efeitos adversos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 115 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1133728
Autor: Pereira, Lucas Borges; Gonçalves, Ana Maria Rosa Freato; Departamento de Saúde ColetivaFernandes, Camila Stéfani Estancial; Programa de Pós-Graduação em EpidemiologiaFontanella, Andréia Turmina; Departamento de Saúde ColetivaFrancisco, Priscila Maria Stolses Bergamo; Programa de Pós-Graduação em EpidemiologiaMengue, Sotero Serrate; Programa de Pós-Graduação em EpidemiologiaBorges, Rogério Boff; Programa de Pós-Graduação em EpidemiologiaPizzol, Tatiane da Silva Dal; Programa de Pós-Graduação em EpidemiologiaCosta, Karen Sarmento.
Título: Use of drugs for gastrointestinal disorders: evidence from National Survey on Access, Use and Promotion of Rational Use of Medicines / Utilização de medicamentos para distúrbios gastrintestinais: evidências da Pesquisa Nacional sobre Acesso, Utilização e Promoção do Uso Racional de Medicamentos
Fonte: Einstein (Säo Paulo);18:eAO5314, 2020. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective To estimate the prevalence of use of drugs to treat gastrointestinal disorders, according to demographic, socioeconomic, and health characteristics of the Brazilian population. Methods This is a population-based survey that interviewed individuals residing in cities of the five regions in Brazil. The study sample was composed of 32,348 individuals aged 20 or more years. The profile of use of drugs for gastrointestinal disorders was evaluated considering the variables sex, age, healthcare plan, region, and number of chronic diseases. We also analyzed the frequency of individuals who declared using other drugs, besides those already employed for treatment of gastrointestinal disorders. Additionally, the estimated frequencies of the drug classes used were determined. Results The prevalence of use of drugs for gastrointestinal disorders in Brazil was 6.9% (95% confidence interval − 6.4-7.6), higher in females, among persons aged over 60 years, in those who had a private healthcare insurance, and presented with two or more chronic diseases. It was noted that 42.9% of the aged who used drugs for gastrointestinal disorders were also on polypharmacy. As to the classes of drugs, 82% corresponded to drugs for the food tract and metabolism, particularly proton pumps inhibitors. Conclusion The use of drugs for treatment of gastrointestinal disorders was significant among women and elderly. In this age group, consumption may be linked to gastric protection due to polypharmacy. This study is an unprecedented opportunity to observe the self-reported consumption profile of these drugs in Brazil and, therefore, could subsidize strategies to promote their rational use.

RESUMO Objetivo Estimar a prevalência de utilização de medicamentos para o tratamento de distúrbios gastrintestinais, segundo características demográficas, socioeconômicas e de saúde da população brasileira. Métodos Trata-se de inquérito de base populacional, que entrevistou indivíduos residentes em municípios das cinco regiões do Brasil. A amostra deste estudo foi composta por 32.348 indivíduos de 20 anos ou mais de idade. Foi avaliado o perfil de utilização de medicamentos para distúrbios gastrintestinais entre as variáveis sexo, idade, plano de saúde, região e número de doenças crônicas. Analisou-se a frequência de indivíduos que declararam utilizar outros medicamentos, além daqueles já utilizados para tratamento de distúrbios gastrintestinais. Além disso, foram estimadas as frequências das classes medicamentosas utilizadas. Resultados A prevalência de utilização de medicamentos para distúrbios gastrintestinais no Brasil foi de 6,9% (intervalo de confiança de 95% − 6,4-7,6), sendo maior no sexo feminino, entre pessoas acima de 60 anos de idade, naqueles que possuíam plano privado de saúde e tinham duas ou mais doenças crônicas. Observou-se que 42,9% dos idosos que utilizaram medicamentos para distúrbios gastrintestinais também eram polimedicados. Em relação às classes medicamentosas, 82% correspondiam a medicamentos para o trato alimentar e metabolismo, destacando os inibidores da bomba de prótons. Conclusão A utilização de medicamentos para tratamento de distúrbios gastrintestinais foi significativa entre mulheres e idosos. Nesta faixa etária, o consumo pode estar vinculado à proteção gástrica causada por polimedicação. Este estudo representa oportunidade inédita para observar o perfil de consumo autorreferido desses medicamentos no Brasil e pode, portanto, subsidiar estratégias para promoção de seu uso racional.
Descritores: Medicamentos Essenciais/uso terapêutico
Uso de Medicamentos/estatística & dados numéricos
Gastroenteropatias/tratamento farmacológico
Acesso aos Serviços de Saúde/estatística & dados numéricos
-Fatores Socioeconômicos
Brasil
Preparações Farmacêuticas/provisão & distribuição
Estudos Transversais
Inquéritos Epidemiológicos
Cidades
Medicamentos Essenciais/provisão & distribuição
Medicamentos sob Prescrição/provisão & distribuição
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Idoso
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 115 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo SciELO Saúde Pública
Acúrcio, Francisco de Assis
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-903411
Autor: Lima, Marina Guimarães; Álvares, Juliana; Guerra Junior, Augusto Afonso; Costa, Ediná Alves; Guibu, Ione Aquemi; Soeiro, Orlando Mario; Leite, Silvana Nair; Karnikowski, Margô Gomes de Oliveira; Costa, Karen Sarmento; Acurcio, Francisco de Assis.
Título: Indicators related to the rational use of medicines and its associated factors / Indicadores relacionados ao uso racional de medicamentos e seus fatores associados
Fonte: Rev. saúde pública (Online);51(supl.2):23s, 2017. tab.
Idioma: en.
Projeto: Brazilian Ministry of Health.
Resumo: ABSTRACT OBJECTIVE To evaluate indicators related to the rational use of medicines and its associated factors in Basic Health Units. METHOD This is a cross-sectional study carried out in a representative sample of Brazilian cities included in the Pesquisa Nacional sobre Acesso, Utilização e Promoção do Uso Racional de Medicamentos - Serviços, 2015 (PNAUM - National Survey on Access, Use and Promotion of Rational Use of Medicines - Services, 2015). The data were collected by interviews with users, medicine dispensing professionals, and prescribers; and described by prescription, dispensing, and health services indicators. We analyzed the association between human resources characteristics of pharmaceutical services and dispensing indicators. RESULTS At national level, the average number of medicines prescribed was 2.4. Among the users, 5.8% had antibiotic prescription, 74.8% received guidance on how to use the medicines at the pharmacy and, for 45.1% of users, all prescribed medicines were from the national list of essential medicines. All the indicators presented statistically significant differences between the regions of Brazil. The dispensing professionals that reported the presence of a pharmacist in the unit with a working load of 40 hours or more per week presented 1.82 more chance of transmitting information on the way of using the medicines in the dispensing process. CONCLUSION The analysis of prescription, dispensing, and health services indicators in the basic health units showed an unsatisfactory proportion of essential medicines prescription and limitations in the correct identification of the medicine, orientation to the patients on medicines, and availability of therapeutic protocols in the health services.

RESUMO OBJETIVO Avaliar indicadores relacionados ao uso racional de medicamentos e seus fatores associados em unidades básicas de saúde. MÉTODOS Estudo transversal realizado em amostra representativa de municípios do Brasil incluídos na Pesquisa Nacional sobre Acesso, Utilização e Promoção do Uso Racional de Medicamentos - Serviços, 2015. Os dados foram coletados por meio de entrevista com usuários, profissionais dispensadores de medicamentos e prescritores; e descritos por meio de indicadores de prescrição, dispensação e de serviços de saúde. Realizou-se análise da associação entre características dos recursos humanos dos serviços farmacêuticos e indicadores de dispensação. RESULTADOS Em nível nacional, o número médio de medicamentos prescritos foi de 2,4. A proporção de usuários com prescrição de antibiótico foi de 5,8%, 74,8% dos usuários receberam orientações sobre medicamentos na farmácia e para 45,1% usuários todos os medicamentos prescritos eram da relação nacional de medicamentos essenciais. Todos os indicadores apresentaram variações estatisticamente significantes entre as regiões do Brasil. Os dispensadores que relataram a presença de farmacêutico na unidade com carga horária igual ou superior a 40 horas semanais apresentaram 1,82 mais chance de transmitir orientações sobre o modo de usar dos medicamentos no processo de dispensação. CONCLUSÕES A análise de indicadores de prescrição, dispensação e de serviços de saúde nas unidades básicas de saúde mostrou proporção insatisfatória de prescrição de medicamentos essenciais e limitações na identificação correta do medicamento, orientação aos pacientes sobre medicamentos e de disponibilidade de protocolos terapêuticos nos serviços de saúde.
Descritores: Assistência Farmacêutica/estatística & dados numéricos
Medicamentos sob Prescrição/uso terapêutico
-Fatores Socioeconômicos
Brasil
Estudos Transversais
Entrevistas como Assunto
Inquéritos Epidemiológicos
Acesso aos Serviços de Saúde
Programas Nacionais de Saúde
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 115 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1282043
Autor: Garcia, Julia Helena.
Título: Incompatibilidade de medicamentos intravenosos e fatores de risco em pacientes críticos: coorte histórica / Incompatibility of intravenous medications and risk factors in critically ill patients: historical cohort.
Fonte: São Paulo; s.n; 2015. 115 p.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo para obtenção do grau de Mestre.
Resumo: Introdução: A incompatibilidade de medicamento resulta de um fenômeno físico-químico causado pela combinação de dois ou mais medicamentos na mesma solução ou misturados em um mesmo recipiente. Pode ser considerado um erro de medicação pelo potencial de comprometer negativamente o tratamento. Objetivo: Estimar a incidência de incompatibilidades potenciais de medicamentos administrados por via intravenosa e fatores associados em pacientes críticos. Método: Coorte retrospectiva conduzida com pacientes internados nas Unidades de Terapia Intensiva e Semi-intensiva do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo. A amostra foi composta por 110 indivíduos adultos hospitalizados, por pelo menos 72 horas, nessas unidades e submetidos à terapia intravenosa. A incompatibilidade potencial de medicamento foi analisada em duplas de medicamentos, utilizando-se a ferramenta Trissel´s TM 2 Compatibility IV, através da base de dados Micromedex 2.0®. A variável dependente foi a ocorrência de incompatibilidade. As variáveis independentes foram idade, sexo, procedência, tipo de internação, tempo de permanência, SAPSII, índice de Charlson, carga de trabalho de enfermagem, condição de alta, modo de infusão, número de medicamentos prescritos e de prescritores. Na análise dos dados utilizaram-se os testes qui-quadrado de Pearson, Exato de Fisher, Kruskal-Wallis, modelo de análise de variância ANOVA e regressão logística, com significância de p 0,05. Resultados: A incidência de incompatibilidade potencial de medicamentos foi de 2,7%.Foram prescritos 72 tipos diferentes de medicamentos que formaram 565 duplas, destas, 44,9%, foram compatíveis e 8,8%, incompatíveis. O aparecimento de precipitação (50,0%) foi a alteração físico-química mais identificada, após as combinações via dispositivo em Y. Na frequência de aparecimento, as duplas de medicamentos incompatíveis formadas por fenitoína (32,0%), diazepam (14,0%), midazolam (10,0%) e dobutamina (8,0%) foram as mais identificadas. Cerca de 70% dos pacientes receberam medicamentos prescritos a critério médico, principalmente durante o período noturno. Os fatores de riscos associados à incompatibilidade foram procedência (RC: 1,506; IC: 0,327 - 6,934); tempo de permanência prolongado nas unidades (RC: 1,175; IC: 1,058 - 1,306); maior número de medicamentos prescritos (RC: 1,395; IC: 1,091 -1,784) e carga elevada de trabalho de enfermagem (RC: 1,060; IC: 1,010 -1,113). Conclusão: O número de medicamentos prescritos aos pacientes críticos, em decorrência da gravidade clínica, aumenta exponencialmente a ocorrência de incompatibilidade e, os expõe a graves consequências. Embora haja outros estudos que identifiquem as incompatibilidades potenciais, observa-se, no cotidiano das unidades críticas, a repetição de rotinas que comprometem a segurança do paciente. A incompatibilidade poderá ser teoricamente diminuída, quando houver ênfase nas medidas preventivas e na contínua educação da equipe multidisciplinar.

Introduction: Drug incompatibility results from a physicochemical phenomenon caused by the combination of two or more drugs in the same solution or mixed in a single container. It can be considered a medication error due to its potential to compromise the treatment. Objective: To estimate the incidence of potential incompatibilities of drugs administered intravenously and associated factors in critically ill patients. Methods: Retrospective cohort study conducted with patients in Intensive and Semi-intensive Care Units at the University Hospital of the University of São Paulo. The sample consisted of 110 adults hospitalized for, at least 72 hours, in these units and submitted to intravenous therapy. The potential drug incompatibility was analyzed in pairs of drugs, using the TM Trissel\'s 2 Compatibility IV tool through Micromedex 2.0® database. The dependent variable was the occurrence of incompatibility. The independent variables were age, gender, origin, type of admission, length of stay, SAPSII, Charlson index, nursing workload (NAS), discharge condition, infusion mode, number of prescription drugs and prescribers. To analyze the data we used the chi-squared Pearson tests, Fisher Exact test, Kruskal-Wallis, ANOVA model and logistic regression, with significance p 0.05. Results: The incidence of potential incompatibility of drugs was 2.7%. Seventy-two 72 different types of drugs were prescribed forming 565 pairs of which 44.9% were compatible and 8.8%, incompatible. The precipitation onset (50.0%) was most identified physical-chemical change after the combinations via device Y.In frequency of appearance, the pairs of drugs formed by phenytoin (32.0%), diazepam (14.0%), midazolam (10.0%) and dobutamine (8.0%) were the most identified. About 70% of the patients received prescription drugs to medical criteria, especially during the night. Risk factors associated with the incompatibility were origin (OR: 1.506; CI: 0.327 to 6.934); prolonged length of stay in the units (OR: 1.175; CI: 1.058 to 1.306); greater number of prescribed medications (OR: 1.395; CI: 1.091 -1.784) and high nursing workload (OR: 1.060; CI: 1.010 -1.113). Conclusion: The number of prescription drugs to critically ill patients, due to the clinical severity, exponentially increases the occurrence of incompatibility and exposes them to serious consequences. Although there are other studies that identify the potential incompatibilities, we observe, in the daily life of critical units, repeating routines that compromise patient safety. Incompatibility can be theoretically reduced when there is emphasis on preventive measures and continuous education of the multidisciplinary team.
Descritores: Incompatibilidade de Medicamentos
-Estudos de Coortes
Medicamentos sob Prescrição
Pacientes Internados
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR41.1 - Biblioteca Wanda de Aguiar Horta
BR41.1


  5 / 115 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Cavalcanti, Alessandro Leite
Texto completo
Id: biblio-1101288
Autor: Cavalcanti, Alessandro Leite; Arruda, Taynná Dantas de; Fernandes, Liege Helena Freitas; Leal, Jeime Iara Bezerra de Freitas; Aguiar, Yeska Paola Costa; Cavalcanti, Sergio D´Avila Lins Bezerra; Cavalcanti, Alidianne Fábia Cabral.
Título: Use of Medicines by Infants with Microcephaly Caused by Congenital Zika Virus Infection and Implications to Oral Health
Fonte: Pesqui. bras. odontopediatria clín. integr;20:e5565, 2020. tab.
Idioma: en.
Projeto: Brazilian National Council for Scientific and Technological Development.
Resumo: Abstract Objective: To analyze the use of continued-use medications by Brazilian children with microcephaly caused by Congenital Zika Virus Infection. Material and Methods: Cross-sectional study with 76 children of both genders. Information on age, use of continued-use medications, number and type of drugs used was collected. Data were analyzed using descriptive statistics. Results: Continued-use medications were used by 89.4% of the children, anticonvulsants / antiepileptics (88.1%), and those indicated for behavioral disorders (27.1%) were the most frequent. Sodium saccharin, sucrose, and sorbitol are the most common sugars in the composition of these drugs. Conclusion: The use of medicines is high, predominantly anticonvulsants and antiepileptics, which contain sugars in their composition. These drugs can lead to irreversible dental problems, such as tooth decay if proper oral hygiene is not present. Therefore, parents/guardians should be advised about adopting healthy oral hygiene habits after the administration of these drugs.
Descritores: Saúde Bucal
Medicamentos sob Prescrição/farmacologia
Infecção por Zika virus
Microcefalia
Anticonvulsivantes
-Higiene Bucal
Brasil/epidemiologia
Preparações Farmacêuticas
Estudos Transversais/métodos
Inquéritos e Questionários
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Responsável: BR1264.1 - Biblioteca Setorial Prof Alberto M Campos


  6 / 115 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1247560
Autor: Melo, Adriana Mestriner Felipe de; Santos, Edilene Alves dos; Berndt, Marcos Ávalo; Castilho, Luis Arthur Spinola; Braga, Nuccia Garcia Regiani; Onda, Kyara Marques.
Título: Prescrição e uso de medicamentos por gestantes usuárias do Sistema Único de Saúde / Prescription and use of medicines by pregnant users of the Unified Health System
Fonte: Semina cienc. biol. saude;41(2, Supl.):367-376, jun./dez. 2020. Tab.
Idioma: pt.
Resumo: Apesar do uso de medicamentos durante a gestação ser um assunto bastante polêmico, existe consenso que o uso desnecessário pode provocar efeitos irreparáveis ao feto. Com o objetivo de descrever o uso de medicamentos prescritos, realizou-se um estudo descritivo em gestantes em pré-natal de três unidades do Sistema Único de Saúde (SUS) no município de Dourados, estado de Mato Grosso do Sul. Os dados sobre o uso de medicamentos foram coletados através de consulta à cópia das prescrições e prontuários das gestantes. Foram analisadas 115 receitas medicamentosas para gestantes atendidas em consultas de rotinas, sendo encontrada a média de 1,4 medicamento por prescrição; sendo 77,8% prescritos pelo nome genérico, 89 % constavam na Relação Municipal de Medicamentos Essenciais, enquanto 81% constavam na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais. As preparações antianêmicas foram prescritas em todos os trimestres de gestação, já os analgésicos apareceram numa frequência maior no segundo e terceiro trimestres, bem como os antibacterianos de uso sistêmico. O sulfato ferroso, ácido fólico e paracetamol foram os medicamentos mais prescritos, sendo a maioria pertencente às classes A e B segundo o potencial de risco pela Food and Drug Administration (FDA). A prescrição de medicamentos a gestantes atende aos indicadores de prescrição da Organização Mundial da Saúde (OMS). O uso de medicamentos é frequente e a maioria das gestantes utilizou um ou mais fármacos prescritos durante a gestação.(AU)

Although the use of medications during pregnancy is a very controversial subject, there is a consensus that unnecessary use can cause irreparable effects on the fetus. In order to describe the use of prescription drugs, a descriptive study was carried out on pregnant women in prenatal care at three units of the Unified Health System (SUS) in the city of Dourados, State of Mato Grosso do Sul. use of medicines was collected through consultation with a copy of the prescriptions and medical records of the pregnant women. 115 medication prescriptions for pregnant women attended in routine consultations were analyzed, with an average of 1.4 medications per prescription; 77.8% of which were prescribed by the generic name, 89% were on the Municipal List of Essential Medicines, while 81% were on the National List of Essential Medicines. Anti-anemic preparations were prescribed in all trimesters of pregnancy, while painkillers appeared more frequently in the second and third trimesters, as well as antibacterials for systemic use. Ferrous sulfate, folic acid and paracetamol were the most prescribed drugs, with the majority belonging to classes A and B according to the risk potential by the Food and Drug Administration (FDA). The prescription of medications to pregnant women meets the prescription indicators of the World Health Organization (WHO). The use of medications is frequent, and most pregnant women used one or more drugs prescribed during pregnancy.(AU)
Descritores: Prescrições de Medicamentos
Sistema Único de Saúde
Saúde
Gestantes
Medicamentos sob Prescrição
-Organização Mundial da Saúde
Medicamentos Essenciais
Uso de Medicamentos
Limites: Humanos
Responsável: BR512.1 - Biblioteca Setorial do Centro de Ciências da Saúde


  7 / 115 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-641409
Autor: Maranhão-Filho, Péricles.
Título: Aumento da gengiva / Gingival overgrowth
Fonte: Rev. bras. neurol;47(4):33-33, out.-dez. 2011. ilus.
Idioma: pt.
Descritores: Crescimento Excessivo da Gengiva/etiologia
Crescimento Excessivo da Gengiva/induzido quimicamente
Medicamentos sob Prescrição/efeitos adversos
-Fenitoína/efeitos adversos
Fenitoína/uso terapêutico
Anticonvulsivantes/efeitos adversos
Limites: Humanos
Responsável: BR14.1 - Biblioteca Central


  8 / 115 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890375
Autor: Costa, Valton da Silva.
Título: Prescription medication by physiotherapists: a Brazilian view of the United Kingdom, Canada, Australia and New Zealand / Prescrição de medicamentos por fisioterapeutas: um olhar brasileiro sobre o Reino Unido, Canadá, Austrália e Nova Zelândia
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(7):2321-2328, Jul. 2017. graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Many health systems (HS) have adopted novel models of care which have included non-medical prescription (NMP) by physiotherapists. The aim of this study was to verify in the literature the existence of this practice and its possible benefits. A literature review was carried out through search on Science Direct, PubMed, SciELO, Lilacs and Google Scholar, and in the World Confederation for Physical Therapy and Chartered Society of Physiotherapy websites. In recent decades the United Kingdom adopted the NMP for health professionals, followed by Canada. In Australia and New Zealand physiotherapists have acted in the prescription and administration of medications under medical orders, which is the first step into independent prescription. Brazilian physiotherapists cannot prescribe any medication, despite of high demands from patients in the Brazilian HS, shortage of physicians in many regions and bureaucracy in accessing health services. The adoption of NMP by physiotherapists may play an important role in the HS, and it seems to be an inevitable achievement in the next years in Australia and New Zealand. The main benefits include decreasing bureaucracy for assistance, population demands for medication as well as major professional refinement.

Resumo Alguns sistemas de saúde (SS) têm adotado modelos inovadores de assistência que incluem a prescrição não médica (PNM) por fisioterapeutas. Este estudo objetivou verificar na literatura a existência dessa prática e seus possíveis benefícios. Foi realizada revisão da literatura, com buscas na Science Direct, PubMed, SciELO, Lilacs e Google Scholar, e nos sites da World Confederation for Physical Therapy e da Charthered Society of Physiotherapy, entre 2014 e 2015. O Reino Unido adotou a PNM por fisioterapeutas em décadas recentes, exemplo seguido pelo Canadá. Na Austrália e Nova Zelândia, fisioterapeutas têm atuado na prescrição e administração de medicamentos, sob ordens médicas, sendo este o primeiro passo para a prescrição independente. Fisioterapeutas brasileiros não podem prescrever medicamentos, apesar das altas demandas de pacientes, carência de médicos em muitas regiões e burocracia no acesso aos serviços de saúde. A prática da PNM por fisioterapeutas pode preencher um importante papel nos SS, e parece ser uma inevitável realização na Austrália e Nova Zelândia nos próximos anos. Os principais benefícios são a diminuição da burocracia no acesso a medicamentos e demandas populacionais, bem como maior refinamento profissional.
Descritores: Prescrições de Medicamentos
Atenção à Saúde/organização & administração
Fisioterapeutas/organização & administração
-Médicos/organização & administração
Médicos/provisão & distribuição
Brasil
Modalidades de Fisioterapia/organização & administração
Papel Profissional
Medicamentos sob Prescrição/administração & dosagem
Acesso aos Serviços de Saúde
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 115 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890421
Autor: Paumgartten, Francisco José Roma; Oliveira, Ana Cecilia Amado Xavier de.
Título: Nonbioequivalent prescription drug interchangeability, concerns on patient safety and drug market dynamics in Brazil / Intercambialidade de medicamentos não-bioequivalentes, segurança do paciente e dinâmica do mercado farmacêutico no Brasil
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(8):2549-2558, Ago. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Since the enforcement of Generics Act (1999), three types of pharmaceutically equivalent products are marketed in Brazil: innovative reference (REF), "similar" (S) and generic (G) drugs. The S (brand name) and G (generic name) borrow from REF (brand name) clinical data on safety and efficacy and dosage regimen. G (but not S) is bioequivalent to and interchangeable with REF. Starting in 2003, Brazilian Sanitary Surveillance Agency (Anvisa) has required data on relative bioavailability tests (with REF) to approve (or renew registration of) S drugs. In 2014, Anvisa extended interchangeability notion to similar drugs with a "comparable" bioavailability, i.e., an "equivalent" similar drug (EQ). Drugs for chronic diseases and "critical dose medicines" are listed among the EQ drugs approved. Interchangeability of nonbioequivalent medicines raises deep concerns regarding therapeutic failures and adverse events. Concerns are even more worrisome if patients switch from one drug to another during an ongoing treatment for illnesses such as epilepsy, congestive heart failure, hypertension, diabetes and/or substitutable drugs have a narrow therapeutic index.

Resumo A partir da vigência da lei dos genéricos (1999), três tipos de produtos farmaceuticamente equivalentes são comercializados no Brasil: o medicamento inovador de refência (REF), o produto "similar" (S), e o genérico (G). O similar (nome de fantasia) e o genérico (nome genérico) tomam de empréstimo do REF (nome de fantasia) os dados clínicos de segurança e eficácia e a posologia. G (mas não S) é bioequivalente ao, e intercambiável com REF. Desde 2003, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) exige dados de testes de biodisponibilidade relativa para registrar (ou renovar o registro de) medicamentos S. Em 2014, a Anvisa estendeu o conceito de intercambialidade aos medicamentos similares com biodisponibilidade "comparável", i.e., um medicamento similar "equivalente" (EQ). Medicamentos para doenças crônicas e "fármacos de dose crítica" estão listados entre os produtos EQ aprovados. A intercambialidade de medicamentos não-bioequivalentes suscita grande preocupação quanto a falhas terapêuticas e eventos adversos. Os receios são ainda maiores se os pacientes trocam um medicamento por outro durante o tratamento de doenças como epilepsia, insuficiência cardíaca, hipertensão, diabetes e/ou os produtos farmacêuticos substituídos tem um índice terapêutico estreito.
Descritores: Medicamentos Genéricos/administração & dosagem
Medicamentos sob Prescrição/administração & dosagem
Substituição de Medicamentos/métodos
Legislação de Medicamentos
-Brasil
Disponibilidade Biológica
Equivalência Terapêutica
Medicamentos Genéricos/efeitos adversos
Medicamentos Genéricos/farmacocinética
Falha de Tratamento
Aprovação de Drogas/legislação & jurisprudência
Medicamentos sob Prescrição/efeitos adversos
Medicamentos sob Prescrição/farmacocinética
Substituição de Medicamentos/efeitos adversos
Segurança do Paciente
Índice Terapêutico
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 115 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1103265
Autor: Silva, Andreza Gomes da; Fernandes, Maurício Avelar; Belfort, Ilka Kassandra Pereira; Borges, Mirlley Cristina Ferreira; Marinho, Suanne Ferreira; Monteiro, Sally Cristina Moutinho.
Título: Prevalência de coprescrição clinicamente significativa de psicofármacos inibidores da enzima CYP2D6 em usuários de um centro de atenção psicossocial / The prevalence of co-prescription of clinically relevant CYP enzyme inhibitor psychotropic drugs in psychosocial care center users
Fonte: J. Health Biol. Sci. (Online);8(1):1-7, 01/01/2020. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Objetivo: mensurar a prevalência da coprescrição de psicofármacos inibidores clinicamente significativos da enzima CYP2D6. Métodos: estudo transversal realizado com usuários do Centro de Atenção Psicossocial de um município da Amazônia Legal. Os dados foram coletados de prontuário (medicamentos e diagnóstico clínico) e questionário semiestruturado (sociodemográficos). As informações referentes às medicações (substrato/inibidor da CYP2D6) foram consultadas no Micromedex®, Drug Interaction Checker, Food and Drug Administration e The Pharmacogene Variation Consortium. Os dados foram interpretados utilizando estatística descritiva percentual simples, considerando a média e o desvio-padrão. Para a confecção do banco de dados, utilizou-se o Office Excel®2010. Estudo aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa sob o Parecer nº 289.937. Resultados: participaram deste estudo 43 pessoas com média de idade de 40,98 (±11,04) anos, sendo 55,81% do sexo masculino, 81,39% solteiros, 88,37% não brancos (pretos/pardos), 58,14% estudaram até o ensino médio e 62,79% tiveram diagnóstico F20 (esquizofrenia e subdivisões). Entre a população estudada, 100% (43/43) faziam uso diário de haloperidol, e 95,34% (41/43) encontravam-se em uso rotineiro de mais de uma droga metabolizada pela enzima CYP2D6. Verificou-se que 93% (40/43) dos participantes continham coprescrição de substratos e inibidores da enzima CYP2D6, sendo a maior prevalência de prescrições envolvendo ácido valproico, clorpromazina, levomepromazina, prometazina e risperidona. Conclusão: o estudo pôde mensurar alta prevalência de coprescrição de psicofármacos inibidores clinicamente significativos da enzima CYP2D6.

Introduction: Clinically significant adverse drug reactions are seldomly frequent, but their incidence rises when there is co-prescription, especially psychoactive drugs metabolized by the enzyme CYP2D6. Objective: To measure the prevalence of co-prescription of clinically significant CYP2D6 enzyme inhibitors. Methods: Cross-sectional study conducted with users of the Center for Psychosocial Attention in a city of Legal Amazon. Sociodemographic, health and drug profile data were collected from patients' records. Possible enzymatic inductions or inhibitions were researched in Micromedex®, Drug Interaction Checker, Food and Drug Administration e The Pharmacogene Variation Consortium. The data were interpreted using simple percentage descriptive statistics, considering the mean and standard deviation. To make the database, Office Excel®2010 was used. The research has the approval of the Research Ethics Committee under opinion no. 289,937. Results: Forty-three people with a mean age of 40.98 (±11.04) years participated in this study, 24 (55.81%) men, 81,39% single, 88,37% non-white, 58,14% have high school and 62,79% were diagnosed with schizophrenia. Among the studied population, 100% (43/43) used haloperidol daily and 95.34% (41/43) used more than one drug inhibitor or metabolized by the CYP2D6 enzyme. It was found that 93% of the participants contained co-prescription of CYP2D6 substrates and inhibitors, with the highest prevalence of prescriptions involving valproic acid, chlorpromazine, levomepromazine, promethazine and risperidone. Conclusion: The study was able to measure the high prevalence of co-prescription of clinically significant CYP2D6 inhibitor drugs in the studied population.
Descritores: Psicotrópicos/uso terapêutico
Medicamentos sob Prescrição/uso terapêutico
Inibidores do Citocromo P-450 CYP2D6/uso terapêutico
Transtornos Mentais/tratamento farmacológico
-Psicotrópicos/efeitos adversos
Esquizofrenia/tratamento farmacológico
Estudos Transversais
Interações Medicamentosas
Inibidores do Citocromo P-450 CYP2D6/efeitos adversos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1780.2



página 1 de 12 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde