Base de dados : LILACS
Pesquisa : D26.670 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 104 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 11 ir para página                         

  1 / 104 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Andrade, Denise de
Texto completo
Id: biblio-1125570
Autor: Carvalho, Herica Emilia Félix de; Sousa, Álvaro Francisco Lopes de; Almeida, Camila Aparecida Pinheiro Landim; Moura, Maria Eliete Batista; Andrade, Denise de; Valle, Andréia Rodrigues Moura da Costa.
Título: Análise de prescrições de antimicrobianos na Atenção Primária à Saúde / Análisis de prescripciones antimicrobianas en Atención Primaria de Salud / Analysis of antimicrobial prescriptions in Primary Healthcare
Fonte: Rev. Esc. Enferm. USP;54:e03607, 2020. tab.
Idioma: en; pt.
Resumo: RESUMO Objetivo Avaliar receitas com prescrição de antimicrobianos retidas nas unidades de saúde da Atenção Primária de uma capital da região Nordeste do Brasil. Método Estudo avaliativo, analítico. Foram utilizadas as informações da central de distribuição de medicamentos essenciais e as receitas com prescrição de antimicrobianos. Resultados Foram analisadas 2.232 receitas, nas quais o metronidazol (250 mg) foi prescrito em 28% das receitas avaliadas, a forma farmacêutica "comprimido" em 30,7% e a forma de administração "oral" em 78,2%. Nas receitas prescritas por enfermeiros, 80,7% destinavam-se para usuários com infecção sexualmente transmissível. Com exceção da forma farmacêutica, somente 34,7% das receitas estavam em concordância com as recomendações do protocolo de Enfermagem. Há, ainda, inexistência de informações sobre a concentração (43,7%), a posologia (39,9%) e o tempo de tratamento (36,8%). Conclusão As receitas com prescrição de antimicrobianos avaliadas não seguem com precisão as orientações da Resolução nº 20/2011, e nem do protocolo de Enfermagem instituído.

RESUMEN Objetivo Evaluar recetas con prescripción de antimicrobianas retenidas en las unidades de salud de la atención primaria de una capital de la región Nordeste de Brasil. Método Estudio evaluativo, analítico. Fueron utilizadas las informaciones de la central de distribución de los medicamentos esenciales y las recetas con prescripción de los antimicrobianos. Resultados Fueron analizadas 2.232 recetas, en las cuales lo metronidazol (250 mg) fue prescrito en 28% de las recetas evaluadas, la forma farmacéutica "comprimido" en 30,7% y la forma de administración por vía oral en 78,2%. En las recetas prescritas por los enfermeros, 80,7% eran para usuarios con infección sexualmente transmisibles. Con excepción de la forma farmacéutica, solo 34,7% de las recetas estaban en concordancia con las recomendaciones de lo protocolo de Enfermería. Todavía hay inexistencia de informaciones acerca de la concentración (43,7%), la posología (39,9%) y el tiempo del tratamiento (36,8%). Conclusión Las recetas con prescripción de antimicrobianos evaluadas no siguen con precisión ni las orientaciones de la resolución nº 20/2011, ni del protocolo de Enfermería instituido.

ABSTRACT Objective To evaluate prescription receipts for antimicrobial prescriptions prescribed in primary healthcare units in a capital city in the Northeast region of Brazil. Method An evaluative, analytical study. Information from the central distribution of essential medicines and the receipts of antimicrobial prescriptions were used. Results There were 2,232 prescription receipts analyzed, in which metronidazole (250 mg) was prescribed in 28% of the evaluated prescription receipts, the "pill" pharmaceutical form in 30.7%, and the "oral" administration form in 78.2%. In the prescriptions prescribed by nurses, 80.7% were intended for users with sexually transmitted infections. With the exception of the pharmaceutical form, only 34.7% of the prescriptions were in accordance with the Nursing protocol recommendations. There is still no information on the concentration (43.7%), the dosage (39.9%) and the treatment time (36.8%). Conclusion The evaluated receipts of antimicrobial prescriptions do not accurately follow the guidelines of Resolution No. 20/2011, nor of the instituted Nursing protocol.
Descritores: Medicamentos sob Prescrição
Enfermagem de Atenção Primária
Anti-Infecciosos
-Centros de Saúde
Estudos Transversais
Avaliação em Enfermagem
Responsável: BR41.1 - Biblioteca Wanda de Aguiar Horta


  2 / 104 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-636864
Autor: DeSanVicente-Célis, Zayrho; Salazar, Juan Carlos; Pineda-Tamayo, Ricardo; Anaya, Juan-Manuel.
Título: Sobre la necesidad de la farmacoeconomía. Comenzar por los principios / On the need of pharmacoeconomics. Beginning by the principles
Fonte: Rev. colomb. reumatol;18(3):187-202, jul.-sep. 2011. ilus, tab.
Idioma: es.
Resumo: Los gastos en salud y el uso de medicamentos han aumentado de forma importante en los últimos años, lo que alerta a gobiernos y entes sanitarios y puede relacionarse con algunos fenómenos: prescripción médica poco estandarizada, ganancias exageradas de la industria farmacéutica, avances en biotecnología y desperdicio de recursos, falta de comunicación entre gestores públicos y médicos clínicos y ausencia de regulación en precios de fármacos. La importancia de la farmacoeconomía se fundamenta en varios aspectos: optimización de prescripción médica, papel crucial en la comercialización y la distribución de medicamentos, capacidad de mostrar un amplio panorama del impacto social y económico de las enfermedades, como de abrir perspectivas de investigación en varios campos del conocimiento. Dentro de los tipos de estudios farmacoeconómicos se encuentran los que expresan la unidad de ingreso (costos) en términos monetarios y los resultados en unidades monetarias, naturales o de utilidad: reducción de costos (costo minimización), costo beneficio, costo utilidad y costo efectividad, como también los que estudian el panorama global de las enfermedades (análisis costo de la enfermedad). Los costos en salud se distribuyen de la siguiente manera: costos directos (médicos y no médicos), indirectos (impacto en la sociedad como unidad productiva) e intangibles (relacionados con calidad de vida de pacientes y familiares). La farmacoeconomía permite una mejor práctica clínica, sistemas de salud más eficientes y un consumo de recursos más racional. El uso de estos estudios es necesario para estructurar programas de salud y tomar decisiones. Así mismo es recomendada la inclusión de conceptos de economía de la salud en programas de medicina y ciencias de la salud.

Health expenditures and medication usage have increased dramatically in last years, situation that alerts governments and health authorities, and than can be related with some facts: not standardized medical prescription, excessive gains of the pharmaceutical industry, recent advances in biotechnology related with resource wastefulness, lack of communication between public health entities and clinical physicians and lack of consistent regulatory policies about drug prices. The importance of pharmacoeconomics is based on some aspects: better medical prescription, important role in commercialization and distribution of medicines, capacity of showing a broad and complete scenario of the social and economic impact of diseases, as opening research perspectives in different scientific fields. Within pharmacoeconomical analyses we can found those that show incomes (costs) in monetary units and show outcomes in monetary, natural or utility units: cost minimization, cost benefit, cost utility and cost effectiveness, and also we can found those analyses that study the general panorama of diseases (cost of illness studies). Health costs can be divided into: direct costs (medical and not medical), indirect (economical impact on society) and intangible (related with quality of life of patients and their families). Pharmacoeconomics can lead to a better medical practice, to more efficient health systems and to a more rational usage of resources. These studies are necessary for a proper structure of health programs, as for decision making. The inclusion of health economics concepts within medical and health sciences curricula is also recommended.
Descritores: Gastos em Saúde
Farmacoeconomia
Uso de Medicamentos
-Qualidade de Vida
Medicamentos sob Prescrição
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: CO356.9


  3 / 104 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-958829
Autor: Drummond, Elislene Dias; Simões, Taynãna César; Andrade, Fabíola Bof de.
Título: Acesso da população brasileira adulta a medicamentos prescritos / Access to prescribed medicine in the Brazilian adult population
Fonte: Rev. bras. epidemiol;21:e180007, 2018. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO: Objetivo: Estimar a prevalência e verificar os fatores associados ao acesso a medicamentos prescritos, pela população adulta brasileira, e descrever as distribuições de dispêndio monetário para acesso aos fármacos, fonte de obtenção e motivos para o não acesso. Métodos: Com base em um delineamento transversal, a partir dos dados da Pesquisa Nacional de Saúde de 2013, analisou-se uma amostra composta por indivíduos adultos que tiveram medicamentos prescritos por profissional de saúde, nas duas semanas anteriores à realização da pesquisa. A variável dependente foi o acesso a medicamentos prescritos (total, parcial, nulo). Os dados foram analisados por meio de regressão logística multinomial, considerando-se o acesso total como categoria de referência. Resultados: Os resultados mostraram alta prevalência de acesso total a medicamentos prescritos no Brasil (83,0%; IC95% 81,3 - 84,6). A maioria dos indivíduos teve dispêndio monetário com a obtenção dos fármacos (63,9%), sendo que os principais motivos para o não acesso foram a ausência do medicamento no serviço público de saúde (57,6%) e falta de dinheiro (11,9%). Foram observadas maiores chances de acesso parcial para os indivíduos atendidos no serviço público (OR = 2,5; IC95% 1,58 - 3,97). Maior chance de acesso nulo foi associada à cor de pele não branca (OR = 1,43; IC95% 1,03 - 1,99). Conclusão: Os resultados revelaram iniquidade no acesso a medicamentos, reforçando a necessidade de fortalecimento do Sistema Único de Saúde para o fornecimento gratuito de fármacos, de modo a reduzir as desigualdades.

ABSTRACT: Objective: To estimate the prevalence and check the factors associated with access to prescribed medicine by the Brazilian adult population; and to describe the distribution of the presence of monetary expenditure for the purchase, source of medicines, and the reasons for non-access. Methods: Based on a cross-sectional design, from the 2013 National Health Research data, we analyzed a representative sample of the population that comprised adults with prescriptions written by a health professional, in the two weeks prior to the survey. The dependent variable was the access to prescribed medicines (full access, partial access, no access). Data were analyzed using the multinomial logistic regression considering total access as the reference category. Results: The results showed high prevalence of full access to prescribed medicine in Brazil (83.0%; 95%CI 81.3 - 84.6). Most of the individuals had monetary expenditure on the purchase of medicines (63.9%), and the main reasons for no access were the lack of medicine in the public health service (57.6%) and having no money (11.9%). We found higher chances of partial access among individuals attending the public service (OR = 2.5; 95%CI 1.58 - 3.97). Greater chance of no access was associated with non-white skin color (OR = 1.43; 95%CI 1.03 - 1.99). Conclusion: The results revealed significant inequity in access to medicine, emphasizing the need to strengthen the Unified Health System for the free supply of medicines in order to reduce inequalities.
Descritores: Medicamentos sob Prescrição/economia
Acesso aos Serviços de Saúde/estatística & dados numéricos
-Brasil
Estudos Transversais
Gastos em Saúde
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 104 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-960939
Autor: Ferreira Neto, Carolina Justus Buhrer; Plodek, Caroline Koga; Soares, Franciny Kossemba; Andrade, Rayza Assis de; Teleginski, Fernanda; Rocha, Maria Dagmar da.
Título: Pharmaceutical interventions in medications prescribed for administration via enteral tubes in a teaching hospital / Intervenções farmacêuticas em medicamentos prescritos para administração via sondas enterais em hospital universitário / Intervenciones farmacéuticas en medicamientos prescritos para administración vía sondas enterales en un hospital universitario
Fonte: Rev. latinoam. enferm. (Online);24:e2696, 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Objective: to analyze the impact of guidelines regarding errors in medications prescribed for administration through enteral tubes. Method: quantitative study, in three phases, undertaken in internal medicine, neurology and an intensive care unit in a general teaching hospital. In Phase 1, the following was undertaken: a protocol for dilution and unit-dose repackaging and administration for 294 medications via enteral tubes; a decision flowchart; operational-standard procedures for dilution and unit-dose repackaging of oral pharmaceutical forms and for administration of medications through enteral tubes. In phase 2, errors in 872 medications prescribed through enteral tubes, in 293 prescriptions for patients receiving inpatient treatment between March and June, were investigated. This was followed by training of the teams in relation to the guidelines established. In Phase 3, pharmaceutical errors and interventions in 945 medications prescribed through enteral tubes, in 292 prescriptions of patients receiving inpatient treatment between August and September, were investigated prospectively. The data collected, in a structured questionnaire, were compiled in the Microsoft Office Excel(r) program, and frequencies were calculated. Results: 786 errors were observed, 63.9% (502) in Phase 2, and 36.1% (284) in Phase 3. In Phase 3, a reduction was ascertained in the frequency of prescription of medications delivered via enteral tubes, medications which were contraindicated, and those for which information was not available. Conclusion: guidelines and pharmaceutical interventions were determined in the prevention of errors involving medications delivered through enteral tubes.

Resumo Objetivo: analisar o impacto de diretrizes sobre erros em medicamentos prescritos para administração via sondas enterais. Método: estudo quantitativo, em três fases, realizado em clínica médica, neurologia e unidade de terapia intensiva de hospital geral universitário. Na Fase 1 elaborou-se: protocolo de diluição, unitarização - transformação e administração para 294 medicamentos via sondas enterais; fluxograma decisório; procedimentos operacionais-padrão de diluição e unitarização de formas farmacêuticas orais e de administração de medicamentos via sondas enterais. Na Fase 2 investigou-se, retrospectivamente, erros em 872 medicamentos prescritos via sondas enterais, em 293 prescrições de pacientes internados de março a junho. Seguiu-se capacitação das equipes sobre diretrizes estabelecidas. Na Fase 3 investigou-se, prospectivamente, erros e intervenções farmacêuticas em 945 medicamentos prescritos via sondas enterais, em 292 prescrições de pacientes internados de agosto a setembro. Dados coletados, em formulário estruturado, foram compilados no programa Microsoft Office Excel(r) e calculadas as frequências. Resultados: foram observados 786 erros, 63,9% (502) na Fase 2 e 36,1% (284) na Fase 3. Na Fase 3 verificou-se redução na frequência de prescrição de medicamentos, via sondas enterais, contraindicados e sem informações disponíveis. Conclusão: diretrizes e intervenções farmacêuticas foram determinantes na prevenção dos erros de medicamentos via sondas enterais.

Resumen Objetivo: analizar el impacto de directrices sobre errores en medicamentos prescritos para administración vía sondas enterales. Método: estudio cuantitativo, en tres fases, realizado en una clínica médica-neurología y en unidad de terapia intensiva de un hospital general universitario. En la Fase 1 se elaboró: protocolo de dilución, reenvasado - transformación y administración para 294 medicamentos vía sondas enterales; diagrama de flujo de decisión; procedimientos operacionales estándar de dilución y reenvasado - transformación de formas farmacéuticas orales y de administración de medicamentos vía sondas enterales. En la Fase 2 se investigó, retrospectivamente, errores en 872 medicamentos prescritos vía sondas enterales, en 293 prescripciones de pacientes internados de marzo a junio. La continuación, capacitación de los equipos sobre directrices establecidas. En la Fase 3 se investigó, prospectivamente, errores e intervenciones farmacéuticas en 945 medicamentos prescritos vía sondas enterales, en 292 prescripciones de pacientes internados de agosto a septiembre. Datos fueron colectados en un formulario estructurado, compilados en el programa Microsoft Office Excel(r) y se calcularon las frecuencias. Resultados: se observaron 786 errores, 63,9% (502) en la Fase 2 y 36,1% (284) en la Fase 3. En la Fase 3 se verificó una reducción en la frecuencia de prescripción de medicamentos, vía sondas enterales, contraindicados y sin informaciones disponibles. Conclusión: las directrices e intervenciones farmacéuticas fueron determinantes en la prevención de los errores de medicamentos vía sondas enterales.
Descritores: Medicamentos sob Prescrição/administração & dosagem
-Vias de Administração de Medicamentos
Protocolos Clínicos
Estudos Prospectivos
Hospitais de Ensino
Intubação Gastrointestinal
Erros de Medicação/prevenção & controle
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR21.1 - Biblioteca J Baeta Vianna- Campus Saúde UFMG


  5 / 104 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Acúrcio, Francisco de Assis
Texto completo
Id: biblio-1101574
Autor: Moreira, Thais de Abreu; Alvares-Teodoro, Juliana; Barbosa, Mariana Michel; Guerra Júnior, Augusto Afonso; Acurcio, Francisco de Assis.
Título: Uso de medicamentos por adultos na atenção primária: inquérito em serviços de saúde de Minas Gerais, Brasil / Use of medicines by adults in primary care: Survey on health services in Minas Gerais, Brazil
Fonte: Rev. bras. epidemiol;23:e200025, 2020. tab.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO: Introdução: O uso inadequado e o crescimento dos gastos em saúde reforçam a necessidade de ampliar o conhecimento sobre a qualidade de uso de medicamentos. Objetivos: Descrever e avaliar o perfil de utilização de medicamentos em uma amostra representativa de usuários adultos da atenção primária do Sistema Único de Saúde (SUS) de Minas Gerais. Método: Estudo transversal, com 1.159 entrevistados em 104 municípios e 253 serviços de saúde. Foram coletados dados sobre características sociodemográficas, condições de saúde e uso de medicamentos, sendo essas características estratificadas por faixas etárias. Análises univariada e multivariada, por meio de regressão logística, foram conduzidas para identificar preditores de automedicação. Para todos os testes, foi adotado o nível de significância de 5%. Resultados: A prevalência de uso de medicamentos foi de 81,8%, com média de 2,67 medicamentos por usuário, que aumenta com a faixa etária. Os medicamentos mais utilizados foram losartana, hidroclorotiazida e sinvastatina, com diferenças entre as faixas etárias. Observou-se automedicação significativa não só em adultos jovens, mas também entre idosos. Os preditores de automedicação foram: ser adulto jovem, ter maior nível de escolaridade, não apresentar doenças crônicas, ter pior autopercepção de saúde e não aderir a medicamentos prescritos. Adultos jovens e idosos apresentaram características que os tornaram mais vulneráveis em relação ao uso racional de medicamentos. Conclusão: O estudo pode contribuir para melhorar o cuidado na atenção primária, pois identificou problemas relevantes relacionados à qualidade do uso de medicamentos, especialmente entre adultos jovens e idosos em Minas Gerais.

ABSTRACT: Introduction: Inappropriate use and increase of health care spending reinforce the need to extend our knowledge about the quality of medication use. Objectives: To describe and evaluate the profile of medication use in a representative sample of adult users of primary care services in the Unified Health System (SUS) of Minas Gerais. Method: Cross-sectional study, with 1,159 interviewees in 104 municipalities and 253 health care services. Data on sociodemographic characteristics, health conditions and use of medicines were collected, and these variables were stratified by age group. Univariate and multivariate analyses, using logistic regression, were conducted to identify predictors of self-medication. We set a significance level of 5% for all tests. Results: The prevalence of medication use was 81.8%, with an average of 2.67 medicines per user, which increased with age. The most used drugs were losartan, hydrochlorothiazide and simvastatin, which differed between age groups. Significant self-medication was observed not only in young adults but also in the elderly. The predictors of self-medication were: being a young adult, having a higher level of education, not having chronic diseases, having worse self-perception of health and not adhering to prescription drugs. Young and elderly adults showed characteristics that made them more vulnerable in relation to the rational use of medicines. Conclusion: This study can contribute to improving primary care, where it identified problems related to the extent of medication use, especially among young adults and the elderly in Minas Gerais.
Descritores: Atenção Primária à Saúde/estatística & dados numéricos
Automedicação/estatística & dados numéricos
Inquéritos e Questionários
Uso de Medicamentos/estatística & dados numéricos
-Fatores Socioeconômicos
Brasil
Estudos Transversais
Análise Multivariada
Análise de Variância
Fatores Etários
Distribuição por Sexo
Distribuição por Idade
Medicamentos sob Prescrição
Prescrição Inadequada/estatística & dados numéricos
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Idoso
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 104 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Queiroz, Lélia Maria Guedes
Texto completo
Id: lil-718039
Autor: Vasconcelos, Rodrigo Gadelha; Vasconcelos, Marcelo Gadelha; Mafra, Rodrigo Porpino; Alves Júnior, Luiz Carlos; Queiroz, Lélia Maria Guedes; Barboza, Carlos Augusto Galvão.
Título: Atendimento odontológico a pacientes gestantes: como proceder com segurança / Dental care in pregnant patients: how to proceed with safety
Fonte: Rev. bras. odontol;69(1):120-224, Jan.-Jun. 2012.
Idioma: pt.
Resumo: O atendimento odontológico em pacientes gestantes é um assunto controverso, visto que são pacientes que constituem um grupo de risco temporário, devido às condições adversas criadas por mudanças físicas, psicológicas e hormonais. Este artigo objetiva fornecer esclarecimentos e recomendações sobre prescrições medicamentosas e exames radiográficos relacionados ao atendimento odontológico para gestantes, visando instituir um plano de tratamento adequado e um atendimento seguro e eficaz. Foi realizada uma revisão de literatura através da busca de artigos no PubMED/Medline, Lilacs e Scielo. A literatura mostra que o atendimento odontológico às gestantes deve ser realizado, preferencialmente no segundo trimestre, e existe a necessidade de educação em saúde para as mulheres gestantes, possibilitando a inserção de novos hábitos que culminarão na promoção de saúde bucal.

Dental treatment of pregnant patients is a controversial issue, since they temporarily constitute a group of risk due to adverse conditions created by physical, psychological, and hormonal changes that occur in pregnancy. This article aims to provide information and recommendations on drug prescriptions and radiographic examinations related to dental management of pregnant patients, allowing dentists to institute a proper treatment plan and a safe and effective care. A literature review was performed by consulting the databases PubMed/Medline, Lilacs and Scielo. The literature shows that dental care in pregnant women should be conducted in the second trimester preferably and that there is a need for health education to those patients that will support the inclusion of new habits and will culminate in oral health promotion.
Descritores: Planejamento de Assistência ao Paciente
Grupos de Risco
Saúde Bucal
Assistência Odontológica
Gestantes
Medicamentos sob Prescrição
Limites: Humanos
Feminino
Gravidez
Responsável: BR485.1 - Biblioteca Mário Badan


  7 / 104 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-2000
Autor: Munck, Alice; Araújo, Aílson.
Título: Avaliação dos medicamentos inapropriados prescritos para pacientes idosos em um Hospital Universitário / Evaluation of inappropriate drugs prescribed to elderly patients in a University Hospital
Fonte: HU rev;38(3/4):231-240, abr.-jun. 2012.
Idioma: pt.
Resumo: Os idosos constituem um grupo populacional especialmente vulnerável às reações adversas em virtude de particularidades farmacocinéticas e farmacodinâmicas, comorbidades e uso de número elevado de medicamentos (polifarmácia). A prescrição de medicamentos inapropriados, os quais os riscos de seu uso superam seus benefícios, é uma das principais causas de reações adversas em idosos. Assim, o objetivo deste estudo foi determinar a prevalência de medicamentos inapropriados prescritos para pacientes idosos no Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora ­ MG, entre janeiro e junho de 2011. Foram coletados dados do sistema informatizado da unidade de farmácia hospitalar e das prescrições de pacientes com 60 anos ou mais, internados nas enfermarias de clínica médica do Hospital Universitário. Os medicamentos prescritos para cada idoso incluído na pesquisa foram caracterizados como inapropriados ou não, independentemente das condições clínicas associadas, com base nos critérios de Beers em sua atualização de 2003. Identificou--se que 62,8% dos pacientes avaliados tiveram, pelo menos, um medicamento potencialmente inapropriado prescrito durante a internação, sendo o diazepam o mais prescrito. Observou-se, também, que as mulheres, os pacientes com maior tempo de internação e aqueles submetidos à polifarmácia tiveram maior número de medicamentos inapropriados prescritos. A compreensão dos fatores associados à prescrição de medicamentos inadequados no âmbito hospitalar é fundamental para a implementação de estratégias que visem a minimizar o seu uso e as potenciais reações adversas a medicamentos em pacientes idosos.
Descritores: Uso de Medicamentos
Prescrição Inadequada
-Farmácia
Prescrições de Medicamentos
Idoso
Preparações Farmacêuticas
Medicina Clínica
Medicamentos sob Prescrição
Prescrições
Hospitais Universitários
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR378.1 - Biblioteca Central


  8 / 104 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Vieira, Rita de Cássia
Texto completo
Id: biblio-831663
Autor: Lupatini, Evandro; Munck, Alice; Bastos, Ronaldo; Vieira, Rita de Cássia.
Título: Conhecimento dos pacientes de um hospital de ensino a respeito dos medicamentos prescritos na alta / Knowledge of a teaching hospital's patients about drugs prescribed at discharge
Fonte: HU rev;42(4):315-322, nov.-dez.2016.
Idioma: pt.
Resumo: O trabalho buscou verificar o conhecimento dos pacientes a respeito dos medicamentos prescritos na alta hospitalar, bem como investigar fatores associados a este conhecimento. Trata-se de um estudo exploratório, prospectivo, realizado em um hospital de ensino em que foram entrevistados 107 pacientes ou cuidadores de pacientes. Foi atribuída pontuação (0 a 13 pontos) ao conhecimento dos entrevistados, classificando-o como insuficiente, regular ou bom. A pontuação média foi 9,66 pontos, correspondendo a um nível de conhecimento regular. Dez por cento dos entrevistados apresentaram nível insuficiente, 58,9% regular e 30,8% bom. Houve diferença estatisticamente significativa entre a média da pontuação para a raça/cor (autodeclarada) e para o número de medicamentos prescritos. Os resultados sugerem a existência de problemas no processo de comunicação entre profissionais e pacientes, no acesso ao profissional e na incapacidade do paciente em assimilar as informações recebidas. Destaca-se a necessidade do trabalho multiprofissional no planejamento da alta hospitalar, bem como as atividades de educação em saúde, visando proporcionar um melhor conhecimento do paciente e assegurar o uso racional de medicamentos.
Descritores: Alta do Paciente
Conhecimento do Paciente sobre a Medicação
-Assistência Farmacêutica
Prescrições de Medicamentos
Educação em Saúde
Conhecimento
Uso de Medicamentos
Medicamentos sob Prescrição
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR378.1 - Biblioteca Central


  9 / 104 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: lil-625611
Autor: Oscanoa, Teodoro J..
Título: Acceso y usabilidad de medicamentos: propuesta para una definición operacional / Access and usability to medications: a proposal for an operational definition
Fonte: Rev. peru. med. exp. salud publica;29(1):119-126, enero-mar. 2012. tab.
Idioma: es.
Resumo: Las investigaciones sobre accesibilidad a medicamentos con encuestas a hogares, son de gran importancia para verificar la realidad y eficacia de las medidas de intervención para mejorar el acceso de medicamentos en la población. Desafortunadamente dichos estudios, además de ser escasos, presentan problemas metodológicos, que en su mayor parte son consecuencia de una ausencia de uniformidad en las definiciones operacionales de acceso y su diferenciación con las dimensiones de la accesibilidad. El objetivo de la propuesta es diferenciar ambos términos. Se propone definir operacionalmente acceso a medicamentos al proceso de verificación de la obtención de un fármaco por un paciente, independiente de diversos factores que pueden afectar el proceso. Se introduce el término "Usabilidad de fármacos", definiéndolo operacionalmente como los procesos destinados a medir las dimensiones de la accesibilidad de los medicamentos: disponibilidad física, asequibilidad, accesibilidad geográfica, aceptabilidad (o satisfacción).

Research about accessibility to medicines through household surveys is very important in order to verify the reality and effectiveness of interventions done to increase the access of the population to the medications. Unfortunately, such studies, on top of being very few, have methodological problems, which mostly result from a lack of uniformity in the operational definitions of access and the differentiation with the dimensions of accessibility. The aim of this paper is to propose setting a difference between both terms. We propose an operational definition of access to medications as the process of verification of the purchase of a drug by a patient, independently from many factors that can affect this process. The term "usability of drugs" is introduced, defining it operationally as aimed at measuring the dimensions of the accessibility to the medications: physical availability, affordability, geographical accessibility, acceptability (or satisfaction).
Descritores: Uso de Medicamentos
Acesso aos Serviços de Saúde
Assistência Farmacêutica/provisão & distribução
Medicamentos sob Prescrição
Terminologia como Assunto
-Coleta de Dados
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 104 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-528332
Autor: Hinrichsen, Sylvia Lemos; Vilella, Tatiana de Aguiar Santos; Lira, Maria da Conceição Cavalcanti; Moura, Líbia Cristina Rocha Vilela.
Título: Monitoramento do uso de medicamentos prescritos em uma unidade de terapia intensiva / Vigilancia del uso de medicamentos recetados en una unidad de terapia intensiva / Surveillance of prescribed drug usage in an intensive care unit
Fonte: Rev. enferm. UERJ;17(2):159-164, abr.-jun. 2009. tab.
Idioma: pt.
Resumo: O objetivo deste estudo foi analisar o uso de medicamentos prescritos para pacientes hospitalizados em uma unidade de terapia intensiva (UTI) de um hospital universitário em Recife, PE. Estudo prospectivo, observacional, durante 12 meses — agosto de 2004 a julho de 2005 —, foi realizado através de visitas diárias à unidade, aplicando-se um questionário para determinar os principais fármacos utilizados. Estiveram expostos a medicamentos, durante a hospitalização, 82 pacientes (47,6% homens e 52,4% mulheres); o diagnóstico mais frequente foram as doenças respiratórias (45,1%); a classe terapêutica mais prescrita foram os antimicrobianos (25,5%), anti-hipertensivos/antiarrítmicos (10,0%) e ansiolíticos/sedativos/hipnóticos (8,6%). Nenhum evento adverso foi observado. Cuidadoso monitoramento de pacientes usando vários medicamentos é necessário para reduzir a incidência de eventos adversos e erros de medicações, especialmente em relação às prescrições de antibióticos em UTIs.

The aim of the study was to investigate the use of drugs prescribed for patients hospitalized in an intensive care unit (ICU) of a university hospital in Recife, Pernambuco State. A prospective, observational study was carried out for 12 months – August 2004 to July 2005 – through daily visits to the unit to apply a questionnaire to determine the main drugs used. Eighty-two patients (47.6% male and 52.4% female) were exposed to drugs during hospitalization; the most frequent diagnosis was respiratory diseases (45.1%); the therapeutic classes most prescribed were antimicrobials (25.5%), followed by antihypertensives/antiarrhythmics (10.0%) and anxiolytics/sedatives/hypnotics (8.6%). No adverse event was observed. Careful monitoring of patients using several drugs is necessary to reduce the incidence of adverse drug events and medication errors, particularly as regards prescription of antibiotics in ICUs.

Este estudio examinó el uso de medicamentos recetados para pacientes hospitalizados en una unidad de cuidados intensivos (UCI) de un hospital universitario en Recife, PE-Brasil. Estudio prospectivo, observacional, durante 12 meses – de agosto de 2004 a Julio de 2005, fue cumplido por medio de visitas diarias a la unidad, aplicándose un cuestionario para determinar los principales fármacos utilizados. Fueron expuestos a medicamentos, durante la hospitalización, 82 pacientes (47,6% hombres y 52,4% mujeres); el diagnóstico más frecuente fueron las enfermedades respiratorias (45,1%); la clase terapéutica más prescrita fue los antimicrobianos (25,5%), antihipertensivos/antiarrítmicos (10,0%) y ansiolíticos/sedantes/hipnóticos (8,6%). No se observaron acontecimientos adversos. Vigilancia cuidadosa de pacientes con múltiples medicamentos es necesaria para reducir la incidencia de efectos adversos y errores de medicación, especialmente en relación a las prescripciones de antibióticos en UCIs.
Descritores: Cuidados Críticos/métodos
Medicamentos sob Prescrição
Monitoramento de Medicamentos/enfermagem
Pacientes Internados
Preparações Farmacêuticas/efeitos adversos
-Brasil
Epidemiologia Descritiva
Estudos Prospectivos
Unidades de Terapia Intensiva
Limites: Humanos
Responsável: BR1366.1 - Biblioteca Biomédica B - CB/B (Odontologia e Enfermagem)



página 1 de 11 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde