Base de dados : LILACS
Pesquisa : D27.505.696.277.100.017 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 89 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 9 ir para página                      

  1 / 89 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-782877
Autor: Barbosa, Fabiano Timbó; Rodrigues, Célio Fernando de Sousa; Castro, Aldemar Araújo; Cunha, Rafael Martins da; Barbosa, Tatiana Roa Bezerra Wanderley.
Título: Is there any benefit in associating neuraxial anesthesia to general anesthesia for coronary artery bypass graft surgery? / Existe algum benefício em associar a anestesia neuroaxial à anestesia geral para revascularização miocárdica?
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(3):304-309, May.-June 2016. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: The use of neuraxial anesthesia in cardiac surgery is recent, but the hemodynamic effects of local anesthetics and anticoagulation can result in risk to patients. OBJECTIVE: To review the benefits of neuraxial anesthesia in cardiac surgery for CABG through a systematic review of systematic reviews. CONTENT: The search was performed in Pubmed (January 1966 to December 2012), Embase (1974 to December 2012), The Cochrane Library (volume 10, 2012) and Lilacs (1982 to December 2012) databases, in search of articles of systematic reviews. The following variables: mortality, myocardial infarction, stroke, in-hospital length of stay, arrhythmias and epidural hematoma were analyzed. CONCLUSIONS: The use of neuraxial anesthesia in cardiac surgery remains controversial. The greatest benefit found by this review was the possibility of reducing postoperative arrhythmias, but this result was contradictory among the identified findings. The results of findings regarding mortality, myocardial infarction, stroke and in-hospital length of stay did not show greater efficacy of neuraxial anesthesia.

RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: O uso da anestesia neuroaxial em cirurgia cardíaca é recente, porém os efeitos hemodinâmicos dos anestésicos locais e a anticoagulação podem trazer riscos aos pacientes. OBJETIVO: Revisar os benefícios da anestesia neuroaxial em cirurgia cardíaca para revascularização miocárdica por meio de uma revisão sistemática de revisões sistemáticas. CONTEÚDO: Foi feita pesquisa nas bases de dados Pubmed (de janeiro de 1966 a dezembro de 2012), Embase (1974 a dezembro 2012), The Cochrane Library (volume 10, 2012) e Lilacs (1982 a dezembro de 2012) em busca de artigos de revisões sistemáticas. Foram analisadas as seguintes variáveis: mortalidade, infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral, tempo de internação hospitalar, arritmias e hematoma peridural. CONCLUSÕES: O uso da anestesia neuroaxial para revascularização miocárdica permanece controverso. O maior benefício encontrado por meio desta revisão foi a possibilidade de redução das arritmias pós-operatórias, porém esse resultado foi contraditório entre as evidências identificadas. Os resultados das evidências encontradas referentes à mortalidade, ao infarto do miocárdio, ao acidente vascular cerebral e ao tempo de internação hospitalar não mostraram maior efetividade da anestesia neuroaxial.
Descritores: Complicações Pós-Operatórias/prevenção & controle
Ponte de Artéria Coronária
Anestesia Epidural/métodos
Anestesia Geral/métodos
Raquianestesia/métodos
-Anestésicos Combinados
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Revisão Sistemática
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 89 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-773477
Autor: Kawano, Hiroaki; Ohshita, Naohiro; Katome, Kimiko; Kadota, Takako; Kinoshita, Michiko; Matsuoka, Yayoi; Tsutsumi, Yasuo M; Kawahito, Shinji; Tanaka, Katsuya; Oshita, Shuzo.
Título: Effects of a novel method of anesthesia combining propofol and volatile anesthesia on the incidence of postoperative nausea and vomiting in patients undergoing laparoscopic gynecological surgery / Efeitos de um novo método de anestesia combinando propofol e anestesia volátil sobre a incidência de náusea e vômito no pós-operatório em pacientes submetidas à laparoscopia ginecológica
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(1):12-18, Jan.-Feb. 2016. tab.
Idioma: pt.
Resumo: BACKGROUND: We investigated the effects of a novel method of anesthesia combining propofol and volatile anesthesia on the incidence of postoperative nausea and vomiting in patients undergoing laparoscopic gynecological surgery. METHODS: Patients were randomly divided into three groups: those maintained with sevoflurane (Group S, n = 42), propofol (Group P, n = 42), or combined propofol and sevoflurane (Group PS, n = 42). We assessed complete response (no postoperative nausea and vomiting and no rescue antiemetic use), incidence of nausea and vomiting, nausea severity score, vomiting frequency, rescue antiemetic use, and postoperative pain at 2 and 24 h after surgery. RESULTS: The number of patients who exhibited a complete response was greater in Groups P and PS than in Group S at 0-2 h (74%, 76% and 43%, respectively, p = 0.001) and 0-24 h (71%, 76% and 38%, respectively, p < 0.0005). The incidence of nausea at 0-2 h (Group S = 57%, Group P = 26% and Group PS = 21%, p = 0.001) and 0-24 h (Group S = 62%, Group P = 29% and Group PS = 21%, p < 0.0005) was also significantly different among groups. However, there were no significant differences among groups in the incidence or frequency of vomiting or rescue antiemetic use at 0-24 h. CONCLUSION: Combined propofol and volatile anesthesia during laparoscopic gynecological surgery effectively decreases the incidence of postoperative nausea. We term this novel method of anesthesia "combined intravenous-volatile anesthesia (CIVA)".

JUSTIFICATIVA: Investigamos os efeitos de um novo método de anestesia, que combina propofol e anestesia volátil, sobre a incidência de náusea e vômito no período pós-operatório de pacientes submetidas à laparoscopia ginecológica. MÉTODOS: As pacientes foram randomicamente divididas em três grupos: manutenção com sevoflurano (Grupo S, n = 42), com propofol (Grupo P, n = 42) ou com a combinação de propofol e sevoflurano (Grupo PS, n = 42). Avaliamos as respostas completas (sem náusea e vômito no pós-operatório e sem uso de antiemético de resgate), incidência de náusea e vômito, escore de gravidade da náusea, frequência de vômitos, uso de antiemético de resgate e dor no pós-operatório em duas e 24 horas após a cirurgia. RESULTADOS: O número de doentes que apresentou uma resposta completa foi maior nos grupos P e PS do que no Grupo S em 0-duas horas (74%, 76% e 43%m respectivamente, p = 0,001) e 0-24 horas (71%, 76% e 38%, respectivamente, p < 0,0005). A incidência de náusea em 0-duas horas (Grupo S = 57%, Grupo P = 26% e Grupo PS = 21%, p = 0,001) e 0-24 horas (Grupo S = 62%; Grupo P = 29% e grupo PS = 21%, p < 0,0005) também foi significativamente diferente entre os grupos. Porém, não houve diferença significativa entre os grupos em relação à incidência ou frequência de vômitos ou uso de antiemético de resgate em 0-24 horas. CONCLUSÃO: A combinação de propofol e anestesia volátil durante a laparoscopia ginecológica efetivamente diminui a incidência de náusea no pós-operatório.
Descritores: Propofol/administração & dosagem
Laparoscopia/métodos
Anestésicos Combinados/administração & dosagem
Náusea e Vômito Pós-Operatórios/epidemiologia
Éteres Metílicos/administração & dosagem
-Dor Pós-Operatória/epidemiologia
Procedimentos Cirúrgicos em Ginecologia/métodos
Fatores de Tempo
Incidência
Anestésicos Intravenosos/administração & dosagem
Anestésicos Inalatórios/administração & dosagem
Náusea e Vômito Pós-Operatórios/tratamento farmacológico
Sevoflurano
Pessoa de Meia-Idade
Antieméticos/uso terapêutico
Limites: Humanos
Masculino
Adulto
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 89 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-897769
Autor: Rocha, Raphael Grossi; Almeida, Eduardo Giarola; Carneiro, Lara Moreira Mendes; Almeida, Natália Farias de; Boas, Walkíria Wingester Vilas; Gomez, Renato Santiago.
Título: Anesthesia recovery comparison between remifentanil-propofol and remifentanil-desflurane guided by Bispectral Index® monitoring / Comparação da recuperação pós-anestésica entre remifentanil-propofol e remifentanil-desflurano guiada pela monitoração do Índice Bispectral®
Fonte: Rev. bras. anestesiol;67(5):500-507, Sept-Oct. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background and objectives There is a strong demand for fast and predictable anesthesia recovery with few side effects. Choice of the hypnotic agent could impact on that. This study investigated the differences between recoveries after remifentanil-propofol and remifentanil-desflurane anesthesias guided by bispectral index (BIS®). Methods Forty patients were randomly assigned into 2 groups according to the anesthesia technique applied: remifentanil-propofol (REM-PRO) and remifentanil-desflurane (REM-DES). After the discontinuation of the anesthetics, the times to extubation, to obey commands and to recover the airway protection reflex were recorted. In the post-anesthetic recovery room (PACU) it was recorded the occurrence of nausea and vomiting (PONV), scores of Ramsay sedation scale and of numeric pain scale (NPS), morphine dose and length of stay in the unit. Results Data from 38 patients were analyzed: 18 from REM-PRO and 20 from REM-DES group. Anesthesia times were similar (REM-PRO = 193 min, SD 79.9 vs. 175.7 min, SD 87.9 REM-DES; p = 0.5). REM-DES had shorter times than REM-PRO group: time to follow command (8.5 min; SD 3.0 vs. 5.6 min; SD 2.5; p = 0.0) and extubation time (6.2 min; 3.1-8.5 vs. 9.5 min; 4.9-14.4; p = 0.0). Times to recover airway protective reflex were similar: 16 patients from REM-PRO (88.9%) restored the airway protective reflex 2 min after extubation vs. 17 from REM-DES (89.5%); and 2 patients from REM-PRO (11.1%) vs. 2 from REM-DES (10.5%) 6 min after extubation, p = 1. Ramsay sedation score, NPS, PONV incidents, morphine dose and PACU stay of length PACU were also similar. Conclusion Remifentanil-desflurane-based anesthesia has a faster extubation time and to follow command than remifentanil-propofol-based anesthesia when both guided by BIS®.

Resumo Justificativa e objetivos Há uma forte demanda por recuperação pós-anestésica rápida e previsível com poucos efeitos adversos. A escolha do agente hipnótico pode influenciar isso. Este estudo investigou as diferenças da recuperação no pós-operatório entre as técnicas anestésicas com remifentanil-propofol e com remifentanil-desflurano ambas com monitoração guiada pelo índice bispectral (BIS ®). Métodos Foram randomicamente distribuídos 40 pacientes em dois grupos de acordo com a técnica anestésica aplicada: remifentanil-propofol (REM-PRO) e remifentanil-desflurano (REM-DES). Após a descontinuação dos anestésicos foram registrados os tempos para extubação, obedecer a comandos e recuperar o reflexo de proteção das vias aéreas. Na sala de recuperação pós-anestésica (SRPA) foi registrado a ocorrência de náuseas e vômitos (NVPO), os escores na escala de sedação de Ramsay e na escala numérica de dor (END), a dose de morfina utilizada e o tempo de permanência nesta unidade. Resultados Os dados de 38 pacientes foram analisados: 18 do grupo REM-PRO e 20 do grupo REM-DES. Os tempos de anestesia foram semelhantes (REM-PRO = 193 minutos, DP 79,9 vs. 175,7 minutos, DP 87,9 REM-DES; p = 0,5). O grupo REM-DES apresentou tempos mais curtos do que o grupo REM-PRO: tempo para obedecer a comandos (8,5 minutos; DP 3,0 vs. 5,6 minutos; DP 2,5; p = 0,0) e tempo de extubação (6,2 minutos; 3,1-8,5 vs. 9,5 minutos; 4,9-14,4; p = 0,0). Os tempos para recuperação do reflexo de proteção das vias aéreas foram semelhantes: 16 pacientes do grupo REM-PRO (88,9%) recuperaram o reflexo de proteção das vias aéreas dois minutos após a extubação vs. 17 do grupo REM-DES (89,5%) e dois pacientes do grupo REM-PRO (11,1%) vs. dois do REM-DES (10,5%) seis minutos após a extubação, p = 1. Os escores de Ramsay, NPS, a incidência de NVPO, a dose de morfina e o tempo de permanência na SRPA também foram semelhantes. Conclusão A anestesia com remifentanil-desflurano tem um perfil de recuperação da anestesia pós-anestésica mais rápido do que o da anestesia com remifentanil-propofol quando ambas guiadas pelo BIS®.
Descritores: Período de Recuperação da Anestesia
Propofol/administração & dosagem
Monitorização Intraoperatória/métodos
Anestésicos Intravenosos/administração & dosagem
Anestésicos Inalatórios/administração & dosagem
Anestésicos Combinados/administração & dosagem
Remifentanil/administração & dosagem
Desflurano/administração & dosagem
Analgésicos Opioides/administração & dosagem
-Método Duplo-Cego
Estudos Prospectivos
Recuperação de Função Fisiológica
Monitores de Consciência
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Feminino
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 89 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1128369
Autor: Silva, R. A; Pimenta, E. M. L; Rassy, F. B; Mattoso, C. R. S; Lima, M. P. A; D´Elia, M. L; Beier, S. L.
Título: Avaliação cardiorrespiratória e de sedação da associação de dexmedetomidina-butorfanol-midazolam ou detomidina-butorfanol-midazolam em catetos (Pecari tajacu) / Cardiorespiratory and sedation evaluation of the combination of dexmedetomidine-butorphanol-midazolam or detomidine butorphanol-midazolam in collared peccaries (Pecari tajacu)
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec. (Online);72(2):452-460, Mar./Apr. 2020. tab.
Idioma: pt.
Resumo: A presente pesquisa comparou os efeitos cardiorrespiratórios, hemogasométricos e sedativos da associação midazolam (0,41mg/kg) e butorfanol (0,31mg/kg) acrescida de detomidina (157µg/kg) (DTMB) ou dexmedetomidina (36µg/kg) (DXMB) em catetos. Catetos adultos (n=20) foram distribuídos em dois grupos, DTMB ou DXMB. As variáveis (FC, f, PAM, SpO2, EtCO2 e TR) foram avaliadas após aplicação dos fármacos. A sedação foi avaliada por meio de escala analógica visual, relaxamento muscular, postura e resposta auditiva. Foi realizada ANOVA, seguida de teste t pareado (paramétricos) e teste de Mann-Whitney rank-sum test (não paramétricos), com P<0,05. Não foi observada diferença estatística entre os grupos para o período de latência. Observou-se diferença significativa entre grupos para as variáveis f, PAM e SpO2, com maiores valores para DTMB, e EtCO2, com maiores valores para DXMB. Os dois grupos apresentaram redução da FC e da concentração de lactato, bem como aumento da concentração de bicarbonato. A SpO2 permaneceu abaixo de 90%, durante todo o período experimental, nos dois grupos estudados. Os animais dos dois grupos apresentaram sedação profunda e relaxamento muscular máximo. Conclui-se que os dois protocolos testados proporcionaram adequada sedação, podendo ser indicados para contenção química de catetos adultos.(AU)

The study compared the cardiorespiratory, hemogasometric and sedative effects of the combination of midazolam (0.41mg/kg) and butorphanol (0.31mg/kg) plus detomidine (157µg/kg) (DTMB) or dexmedetomidine (36µg/kg) (DXMB) in collared peccaries. Collared peccaries (n= 20) were divided into two groups, either DTMB or DXMB. The variables (FC, f, PAM, SpO2, EtCO2 and TR) were evaluated after application of the drugs. Sedation was assessed by visual analogue scale, muscle relaxation, posture and auditory response. ANOVA followed by paired t-test (parametric) and Mann Whitney Rank Sum Test (non-parametric) with P< 0.05 were performed. No statistical difference was observed for the latency period. A significant increase was observed between groups for the variables f, PAM and SpO2 with higher values for DTMB and EtCO2 with higher values for DXMB. The two groups presented a reduction in HR and lactate concentration, and an increase in bicarbonate concentration. SpO2 remained below 90% throughout the experiment in both groups. The animals of the two groups presented deep sedation and maximum muscle relaxation. It is concluded that the two protocols tested provided adequate sedation and could be indicated for chemical containment of collared peccaries.(AU)
Descritores: Artiodáctilos/fisiologia
Midazolam/administração & dosagem
Butorfanol/administração & dosagem
Dexmedetomidina/administração & dosagem
Aptidão Cardiorrespiratória
-Anestésicos Combinados/análise
Agonistas de Receptores Adrenérgicos alfa 2
Limites: Animais
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  5 / 89 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-1113137
Autor: Campos Nicho, Roberto William.
Título: Efectividad del ondansetron + dexametasona vs. metoclopramida + dexametasona en la prevención de naúseas y vómitos postoperatorios en pacientes sometidos a colecistectomía laparascópica / Effectiveness of ondansetron + dexamethasone vs. metoclopramide + dexamethasone in the prevention of postoperative nausea and vomiting in patients undergoing laparoscopic cholecystectomy.
Fonte: Lima; s.n; 2013. 70 p. tab, graf.
Idioma: es.
Tese: Apresentada a Universidad Nacional Mayor de San Marcos. Facultad de Medicina para obtenção do grau de Especialista.
Resumo: Objetivos: Evaluar la efectividad del uso de ondansetrón + dexametasona vs. metoclopramida + dexametasona en la prevención de náuseas y vómitos en el postoperatorio en pacientes sometidos a colecistectomía laparoscópica en el período comprendido de Octubre a Diciembre del 2012. Material y métodos: Se realizó un estudio descriptivo, comparativo, observacional, transversal. Se revisaron 277 historias clínicas de pacientes ingresados al servicio de Cirugía General del Hospital Nacional Arzobispo Loayza sometidos a Colecistectomía Laparoscópica y que tuvieran sus datos completos consignados en la historia clínica y libro de registro. Resultados: la media de la edad de los varones fue de 45+/-11.8 años y de las mujeres de 44.6+/-11.8 años, siendo la media global de 44.7+/-11.8 años, con una mínima a de 18 años y una máxima de 65 años. El 86 por ciento fueron pacientes mujeres. El 58.5 por ciento de los casos la duración de la cirugía fue de 30 a 59 minutos. Se presentaron náuseas postoperatorios en el 16.6 por ciento de los casos; náuseas y vómitos postoperatorios en el 14.4 por ciento de los casos. El opioide usado con mayor frecuencia fue el remifentanilo en el 51.3 por ciento de los casos. En el 54.2 por ciento de pacientes se usó la combinación dexametasona + ondansetron y en el 45.8 por ciento la combina nación dexametasona + metoclopramida. Conclusiones: La terapia más efectiva para prevenir las náuseas y vómitos postoperatorios en los pacientes de alto riesgo sometidos a colecistectomía laparoscópica fue ondansetrón + dexametasona en comparación de metoclopramida + dexametasona porque se obtuvo menos incidencia y probabilidad (OR) de náuseas.
Descritores: Anestésicos Combinados
Colecistectomia Laparoscópica
Dexametasona/uso terapêutico
Metoclopramida/uso terapêutico
Náusea e Vômito Pós-Operatórios/prevenção & controle
Ondansetron/uso terapêutico
-Estudo Observacional
Relatos de Casos
Limites: Masculino
Feminino
Humanos
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Responsável: PE13.1 - Oficina de Biblioteca, Hemeroteca y Centro de Documentación
PE13.1; ME, WO, 375, C24, ej.1. 010000093060; PE13.1; ME, WO, 375, C24, ej.2. 010000093061


  6 / 89 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-1112997
Autor: Aguilar Palomino, Grover Eduardo.
Título: Anestesia raquídea con dosis bajas de bupivacaína hiperbárica asociado a fentanilo en gestantes sometidas a cesárea / Spinal anesthesia with low doses of hyperbaric bupivacaine associated with fentanyl in pregnant women undergoing cesarean section.
Fonte: Lima; s.n; 2013. 36 p. tab, graf.
Idioma: es.
Tese: Apresentada a Universidad Nacional Mayor de San Marcos. Facultad de Medicina para obtenção do grau de Especialista.
Resumo: OBJETIVO: Este estudio estuvo dirigido para mostrar los resultados anestésicos de dosis bajas de bupivacaína hiperbárica asociado a fentanilo intratecal en operación cesárea electiva en el Servicio de Anestesia, Analgesia y Reanimación del Hospital II Suárez Angamos-EsSalud, durante el año 2011. DISEÑO: Se realizó un estudio descriptivo y de diseño transversal en pacientes del Hospital II Suárez Angamos-EsSalud, durante el año 2011. MATERIALES y MÉTODOS: Se seleccionaron a todos los pacientes postoperadas de cesárea electiva que hayan recibido anestesia raquídea y que hayan utilizado Bupivacaina y fentanilo intratecal, durante el periodo de estudio. RESULTADOS: Se estudiaron 40 pacientes con una edad media de 26.925 años. La técnica que se realizó proporcionó unas aceptables condiciones intraoperatorias a las pacientes gestantes programados para cesárea. Las alteraciones cardiovasculares como hipotensión se presento en 30 por ciento y en 15 por ciento náuseas. Ninguna paciente necesitó etilefrina para tratar la hipotensión arterial. El bloqueo motor fue en 100 por ciento de las pacientes a los 5 minutos y el sensitivo a los 3 minutos. No se observo casos de cefalea post punción dural. CONCLUSIÓN: El resultado de este estudio confirma que la bupivacaína hiperbárica asociado a fentanilo, proporciona una rápida y efectiva anestesia para cesareadas.

OBJECTIVE: This study was directed to show the anesthesia bupivacaine hyperbaric intratecal with fentanyl results in elective Caesarean operation in the Service of Anesthesia, Analgesia and Resuscitation of the Hospital II Suarez Angamos-EsSalud, during year 2011. MATERIALS AND METHODS: It was realised a cross-sectional descriptive study in patients of the Hospital II Suarez Angamos-EsSalud, during year 2011. They were selected to all the patients had an operation of Caesarean elective who have received rachidian anesthesia and who have used intratecal bupivacaine and fentanyl, during the period of study. RESULTS: 40 patients with an average age of 26,925 years studied. The technique was performed intraoperative conditions provides some acceptable to pregnant patients scheduled for cesarean section. The cardiovascular alterations as hypotension appear in 30 per cent, and in 15 per cent nauseas. No patient needed etilefrine to treat arterial hypotension. The blockade motor was in 100 per cent of the patients to the 5 minutes and the sensitive one to the 3 minutes. I am not observed cases of migraine post dural puncture. CONCLUSION: The result of this study confirms that bupivacaine hyperbaric associate to fentanyl, provides a fast and effective anesthesia for cesareadas.
Descritores: Anestésicos Combinados
Bupivacaína/uso terapêutico
Cesárea
Fentanila/uso terapêutico
Raquianestesia
-Estudos Transversais
Limites: Feminino
Humanos
Gravidez
Adulto
Responsável: PE13.1 - Oficina de Biblioteca, Hemeroteca y Centro de Documentación
PE13.1; ME, WO, 305, A32, ej.1. 010000091621; PE13.1; ME, WO, 305, A32, ej.2. 010000091622


  7 / 89 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1088917
Autor: Jesus, M; Padilha, V. S; Tocheto, R; Comasetto, F; Ronchi, S. J; Oleskovicz, N.
Título: Infusão de morfina e cetamina, associada ou não à lidocaína, em gatas submetidas à ovariossalpingo-histerectomia / Infusion of morphine and ketamine, with or without lidocaine, in cats undergoing ovariohysterectomy
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec. (Online);72(1):161-168, Jan.-Feb. 2020. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos analgésicos transoperatórios da infusão contínua de morfina e cetamina, associada ou não à lidocaína, em gatas submetidas à OSH eletiva. Foram utilizadas 16 fêmeas adultas, hígidas, pré-medicadas com acepromazina (0,1mg/kg) e morfina (0,5mg/kg), ambas pela via intramuscular, induzidas com cetamina (1mg/kg) e propofol (4mg/kg), pela via intravenosa, e mantidas sob anestesia geral inalatória com isoflurano a 1,4 V%. Os animais foram alocados aleatoriamente em dois grupos: grupo morfina, lidocaína e cetamina (MLK, n=8), que recebeu bolus de lidocaína (1mg/kg), pela via IV, seguido de infusão de morfina, lidocaína e cetamina (0,26mg/kg/h, 3mg/kg/h e 0,6mg/kg/h, respectivamente); e grupo morfina e cetamina (MK, n=8), que recebeu bolus de solução salina, seguido de infusão de morfina e cetamina, nas mesmas doses do MLK. Os momentos avaliados foram: M0, basal, cinco minutos após a indução; M1, imediatamente após a aplicação do bolus de lidocaína ou solução salina; M2, M3, M4 e M5, a cada cinco minutos, até completar 20 minutos do início da infusão; M6, após a incisão da musculatura; M7, após pinçamento do primeiro pedículo ovariano; M8, após pinçamento do segundo pedículo ovariano; M9, após pinçamento da cérvix; M10, após sutura da musculatura; M11, ao final da cirurgia; e M12, M13 e M14, intervalos de cinco minutos, até completar uma hora de infusão. A FP no M0 foi maior no MLK quando comparado ao MK. Em ambos os grupos, a PAS foi maior no M7 e no M8 em relação ao M0, porém no MK, além da PAS, a FP foi maior do M7 ao M13, assim como a f. Os animais do MK necessitaram de um número maior de resgates transoperatorios, total de 23, do que o MLK, total de sete. Conclui-se que a adição de lidocaína incrementou a analgesia oferecida, reduzindo o número de resgates analgésicos transoperatórios, a dose total de fentanil, bem como a probabilidade de os animais necessitarem dese tipo de resgate.(AU)

The aim of this study was to evaluate the trans-operative analgesics, continuous infusion of morphine and ketamine, with or without lidocaine in cats undergoing elective OSH. Sixteen adult cats were used, otherwise healthy, pre-medicated with acepromazine (0.1mg/kg) and morphine (0.5mg/kg), both intramuscularly, induced with ketamine (1mg/kg) and propofol (4mg/kg), intravenous, maintained under general inhalation anesthesia with isoflurane 1.4 V%. The animals were randomly allocated into two groups: morphine, lidocaine and ketamine (MLK, n= 8), which received intravenous bolus of lidocaine (1mg/kg) followed by infusion of morphine, lidocaine and ketamine (0.26mg / kg/h, 3mg / kg/h and 0.6mg / kg/h, respectively); Morphine and ketamine (MK, n= 8), who received bolus of saline followed by infusion of morphine and ketamine at the same doses of MLK. The evaluated moments were: M0, basal, 5 minutes after induction; M1 immediately after the application of lidocaine bolus injection or saline; M2, M3, M4 and M5, every 5 minutes to complete 20 minutes after the start of infusion; M6, after the incision of the musculature; M7, after clamping of the first ovarian pedicle; M8, after clamping of the second ovarian pedicle; M9, after clamping of the cervix; M10, after suturing of the musculature; M11, at the end of surgery; And M12, M13 and M14, 5 minute intervals until completing one hour of infusion. The time to extubating and full recovery of animals, and the need for rescue analgesic fentanyl intraoperatively were also evaluated. HR in M0 was higher in MLK when compared to MK. In both groups the SBP was higher in M7 and M8 compared to M0, but the MK, addition of SAP, HR was greater M7 to M13, as well as f. MK animals required a greater number of trans-operative rescues than the MLK. It was concluded that the addition of lidocaine to the protocol using morphine and ketamine increased its analgesia.(AU)
Descritores: Ketamina/administração & dosagem
Lidocaína/administração & dosagem
Morfina/administração & dosagem
-Ovariectomia/veterinária
Anestésicos Combinados
Salpingectomia/veterinária
Histerectomia/veterinária
Limites: Animais
Feminino
Gatos
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  8 / 89 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1055128
Autor: Ronchi, S. J; Gehrcke, M. I; Regalin, D; Oleskovicz, N.
Título: Período de latência, progressão e duração do bloqueio da anestesia epidural com lidocaína, bupivacaína ou sua associação em cães / Period of latency, progression and duration of blockade of epidural anesthesia with lidocaine, bupivacaine or its association in dogs
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec. (Online);71(6):1839-1845, Nov.-Dec. 2019. tab, ilus.
Idioma: pt.
Resumo: O objetivo deste estudo foi avaliar latência, duração do efeito, progressão cranial da lidocaína e da bupivacaína isoladas, ou em associação, pela via epidural, em cães, além de mensurar a pressão média do canal epidural antes e após a realização dela. Utilizaram-se 18 cães, alocados em três grupos, os quais receberam, por via epidural: lidocaína 2% (GL) 0,25mL/kg; bupivacaína 0,5% (GB) no mesmo volume, ou a associação de ambas (GLB) na proporção de 1:1. Avaliaram-se as frequências cardíaca e respiratória e a pressão arterial sistólica (PAS) previamente aos tratamentos (M0) e até 60 minutos após a anestesia epidural. Ainda, avaliou-se a pressão no canal epidural antes e após a administração dos tratamentos, o período de latência, a progressão e a duração do bloqueio pelo pinçamento interdigital e do panículo paravertebral. Houve redução de 12% da PAS no GL em todos os momentos e de 16% aos 30 minutos no GLB quando comparados ao basal. A pressão média no espaço epidural antes e após a anestesia epidural foi de -1,5 (±3,9) e 41 (±16) mmHg; 55% apresentaram pressão negativa no espaço epidural. O período de latência não diferiu entre os grupos (GL: 3,5±1,6; GB: 4,5±4,5; e GLB: 2,4±1 minutos) e a duração do bloqueio foi maior no GB em relação ao GL (GL: 125±24; GB: 176±24; e GLB: 153±35 minutos). A progressão máxima dos anestésicos foi até L1-T13 no GL, L4-L3 no GB e L3-L2 no GLB. Conclui-se que a associação de lidocaína com bupivacaína não apresenta vantagens em relação ao uso dos fármacos isolados pela via epidural, tendo a lidocaína progredido mais cranialmente em relação à bupivacaína ou à associação. A lidocaína promoveu redução da PAS, mesmo quando associada à bupivacaína, permanecendo dentro dos valores de referência. Apenas 55% dos cães apresentaram pressão média negativa no espaço epidural antes da administração dos fármacos, dessa forma o teste da gota pendente pode não ser eficiente para localização do espaço epidural em todos os animais.(AU)

The objective of this study was to evaluate the latency, duration of the effect, and cranial progression of lidocaine and bupivacaine alone or in combination, by epidural route in dogs, and measuring the average pressure of the epidural channel before and after the completion thereof. Eighteen dogs were allocated in three groups, which received epidural: lidocaine 2% (GL) 0.25ml / kg; bupivacaine 0.5% (GB) in the same volume, or the association of both (GLB) in a 1: 1 ratio. Heart and respiratory rates and systolic blood pressure (SBP) were evaluated before treatment (M0) and up to 60 minutes after epidural anesthesia. In addition, the pressure in the epidural canal was evaluated before and after the administration of the treatments, latency period, progression and duration of the block by interdigital and paravertebral pannicus clamping. There was a 12% decrease in SBP in the GL at all times and 16% at 30 minutes in GLB when compared to the baseline. The mean pressure in the epidural space before and after epidural anesthesia was -1.5 (±3.9) and 41 (±16) mmHg), 55% presented negative pressure in the epidural space. The latency period did not differ between groups (GL: 3.5±1.6; GB: 4.5±4.5; and GLB: 2.4±1 minutes) and the duration of blockade was higher in GB (GL: 125±24, GB: 176±24, and GLB: 153±35 minutes). The maximum progression of anesthetics was up to L1-T13 in GL, L4-L3 in GB and L3-L2 in GLB. It is concluded that the association of lidocaine with bupivacaine does not present advantages in relation to the use of the drugs isolated by the epidural route, with lidocaine progressing more cranially in relation to bupivacaine or the association. Lidocaine promoted the reduction of SBP, even when associated with bupivacaine, remaining within the reference values. Only 55% of the dogs presented negative mean pressure in the epidural space before administration of the drugs, so the drop test may not be efficient for locating the epidural space in all animals.(AU)
Descritores: Bupivacaína
Anestésicos Combinados/administração & dosagem
Interações Medicamentosas
Anestesia Epidural/veterinária
Lidocaína
Limites: Animais
Cães
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  9 / 89 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1055116
Autor: Monzem, S; Spiller, P. R; Dower, N. B. M; Gomes, L. G; Stocco, M. B; Galceran, J. V. A; Ens, M. T. B; Cruz, J. N; Flôres, F. N; Guimarães, L. D.
Título: Recuperação anestésica e analgesia residual da infusão continua intravenosa de fantanil, lidocaína, cetamina e fentanyl-lidocaína-cetamina associados à anesthesia total intravenosa com Propofol em cadelas submetidas à ovariossalpingo-histerectomia eletiva / Anesthetic recovery and residual analgesia of constant rate infusion intraoperative of fentanyl, lidocaine, ketamine or fentanyl-lidocaine-ketamine associated with total intravenous anesthesia with propofol in bitches submitted to elective ovariohysterectomy
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec. (Online);71(6):1829-1834, Nov.-Dec. 2019. tab, graf.
Idioma: pt.
Projeto: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior.
Resumo: Avaliou-se a recuperação anestésica e a analgesia residual da infusão contínua (IC) de fentanil (F), lidocaína (L), cetamina (K) e fentanil-lidocaína-cetamina (FLK), associados à anestesia total intravenosa com o propofol, em cadelas submetidas à ovariossalpingo-histerectomia. Foram utilizados 32 animais pré-medicados com acepromazina, distribuídos em quatro grupos de acordo com o tratamento analgésico: F: bolus de 0,0036mg/kg de fentanil e IC de 0,0036mg mg/kg/h; L: bolus de 3mg/kg de lidocaína e IC de 3mg/kg/h; K: bolus de 0,6mg/kg de cetamina e IC de 0,6mg/kg/h; e FLK: bolus e IC dos três fármacos nas doses supracitadas. Após o bolus do tratamento analgésico, foi realizada a indução e o início da IC do tratamento analgésico e do propofol. Para avaliação da recuperação anestésica, foram considerados os tempos de extubação, decúbito esternal, posição quadrupedal e os efeitos adversos. A avaliação da analgesia foi realizada por meio da escala visual analógica e modificada de Glasgow, durante seis horas. Os efeitos adversos observados foram vômito, sialorreia e tremor muscular. Receberam analgesia de resgate 100% dos animais do grupo F, 87,5% do K, 50% do L e 12,5% do FLK. O FLK demonstrou maior analgesia, e a recuperação anestésica foi semelhante em todos os grupos.(AU)

The anesthetic recovery and residual analgesia of continuous rate infusion (CRI) of fentanyl (F), lidocaine (L), ketamine (K) and fentanyl-lidocaine-ketamine (FLK) associated with total intravenous anesthesia with propofol in bitches submitted to ovariohysterectomy were evaluated. 32 animals were used, pre-medicated with acepromazine and distributed into four groups according to analgesic treatment: F loading dose (LD) of 0.0036mg/kg fentanyl, and CRI of 0.0036mg/kg/h, L: LD of 3mg/kg lidocaine, and CRI of 3mg/kg/h; K: LD of 0.6mg/kg ketamine, and CRI of 0.6mg/kg/h and FLK: LD and CRI of the three drugs in the above mentioned doses. After the LD of analgesic treatment, the induction was performed and the CRI of the analgesic treatment and propofol started. To evaluate the anesthetic recovery, the time of extubation, sternal decubitus, quadrupedal position and adverse effects were considered. The analgesia evaluation was performed using the visual scale and modified Glasgow for six hours. The adverse effects observed were vomiting, sialorrhea and muscle tremor. 100% of the animals in group F, 87.5% of K, 50% of L and 12.5% of FLK received rescue analgesia. FLK demonstrated greater analgesia, and anesthesia recovery was similar in all groups.(AU)
Descritores: Período de Recuperação da Anestesia
Propofol/administração & dosagem
Fentanila/administração & dosagem
Anestésicos Combinados/administração & dosagem
Ketamina/administração & dosagem
Lidocaína/administração & dosagem
-Salpingostomia/veterinária
Ovariectomia/veterinária
Histerectomia/veterinária
Limites: Animais
Feminino
Cães
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  10 / 89 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-895462
Autor: Koproski, Letícia; Pachaly, José R.
Título: Contenção farmacológica do rato-do-bambu (Dactylomys dactylinus Desmarest, 1817) e relato de ocorrência da espécie na região Sul do Brasil / Chemical restraint of the Amazon Bamboo Rat (Dactylomys dactylinus Desmarest, 1817) and of the occurrence of the species in southern Brazil
Fonte: Pesqui. vet. bras = Braz. j. vet. res;37(6):608-612, jun. 2017. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Um exemplar de rato-do-bambu (Dactylomys dactylinus) subadulto saudável do sexo feminino, de vida livre, com massa corporal de 0,32 kg, recebeu por via intramuscular, em uma única injeção, doses de tiletamina, zolazepam, xilazina e atropina calculadas por meio de extrapolação alométrica interespecífica, a partir das recomendações usuais para o cão doméstico de 10,0 kg (tiletamina/zolazepam - 5,0mg/kg, xilazina - 1,0mg/kg) e atropina - 0,05mg/kg). O rato perdeu a reação postural de endireitamento em 2,3 minutos pós-injeção (MPI) e recuperou a capacidade de deambular normalmente em 135 MPI. A frequência cardíaca variou de 360 a 188 bpm (226±62), a frequência respiratória de 128 a 112mpm (120±5), e a temperatura retal de 36,2 a 33,5°C (34,4±1,0). A analgesia e o miorrelaxamento foram considerados bons para a realização de procedimentos indolores ou pouco dolorosos de curta duração, como exame físico, colheita de material biológico, biometria, exames de imagem e marcação. A associação de fármacos permitiu a manipulação segura do animal por 63 MPI. A recuperação foi considerada satisfatória, porém prolongada. Destaca-se que este é primeiro registro de ocorrência da espécie na Região Sul do Brasil, e o primeiro relato de contenção farmacológica desse roedor neotropical.(AU)

One subadult healthy free-living female Amazon Bamboo Rat (Dactylomys dactylinus), weighting 0.32 kg, received tiletamine HCl, zolazepam HCl, xilazine HCl and atropine sulfate, combined in a single intramuscular injection. All doses were calculated by interspecific allometric scaling, using as model a 10.0 kg domestic dog (tiletamine/zolazepam -5.0mg/kg), xylazine -1.0mg/kg), and atropine - 0.05mg/kg). Immobilization occurred in 2.3 minutes after injection (MAI) and returno to normal ambulation was observed in 135 MAI. Heart rate remained between 360 and 188 beats/minute (226±62), respiratory rate between 128 and 112 breaths/minute (120±5), and body temperature ranged from 36.2 to 33.5°C (34.4±1.0). Analgesia and myorelaxation were considered good for painless or mild painful fast procedures as physical examination, biological sampling, biometrics, imaging tests and tagging. The proposed anesthetic protocol was safe and effective, allowing safe manipulation of the animal during 63 MAI. The recovery was satisfactory, but prolonged. This is the first record of the species in Southern Brazil and the first report on its chemical restraint.(AU)
Descritores: Roedores/fisiologia
Anestésicos Combinados/análise
Anestesia Geral/métodos
Anestesia Geral/veterinária
-Atropina/administração & dosagem
Tiletamina/administração & dosagem
Xilazina/administração & dosagem
Zolazepam/administração & dosagem
Limites: Animais
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice



página 1 de 9 ir para página                      
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde