Base de dados : LILACS
Pesquisa : D27.505.696.277.350 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 333 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 34 ir para página                         

  1 / 333 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Rozenfeld, Suely
Texto completo
Id: biblio-1011862
Autor: Zorzanelli, Rafaela Teixeira; Giordani, Fabíola; Guaraldo, Lusiele; Matos, Guacira Corrêa de; Brito Junior, Arnaldo Gomes de; Oliveira, Márcia Gonçalves de; Souza, Renata de Morais; Mota, Renata Quintão Mendes; Rozenfeld, Suely.
Título: Consumo do benzodiazepínico clonazepam (Rivotril®) no estado do Rio de Janeiro, Brasil, 2009-2013: estudo ecológico / Consumption of the benzodiazepine clonazepam (Rivotril®) in Rio de Janeiro State, Brazil, 2009-2013: an ecological study
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;24(8):3129-3140, ago. 2019. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O objetivo do estudo é estimar a prevalência do uso de clonazepam no Estado do Rio de Janeiro (RJ). Estudo ecológico e descritivo do consumo de clonazepam (2009-2013), com dados do Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados da Anvisa. O consumo foi medido pela Dose Diária Definida, com indicadores por população total e com 18 anos e mais utilizando a DDD padronizada de 8mg (anticonvulsivante) e a de 1mg (hipnosedativo). Os Municípios da Região Metropolitana foram agrupados segundo os Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) e de GINI, submetidos à análise de conglomerados e apresentados segundo o consumo de clonazepam. No Estado do RJ, o consumo entre 2009 e 2013 aumentou de 0,35 para 1,97 DDD/1000 habitantes. Os valores são maiores para os indivíduos acima de 18 anos. Empregando-se 1mg ao invés de 8mg, chega-se a 21 DDD/1000 habitantes acima de 18 anos, em 2013. Rio de Janeiro e Niterói, com os maiores IDH, apresentaram em 2013 os maiores consumos, 3,38 e 4,52 DDD, respectivamente. Os dados sugerem que até 2% da população adulta é usuária de clonazepam, possivelmente como hipnosedativo. Deve-se atentar para o uso ampliado e fora de indicações terapêuticas, dados o potencial de abuso e as reações adversas ao clonazepam.

Abstract This descriptive, ecological study of clonazepam consumption in Rio de Janeiro State (RJ) estimated use prevalence from 2009 to 2013 using data from the National Controlled Product Management System operated by Brazil's health surveillance agency, Anvisa. Consumption was measured by total population and by population over 18 years old, using the standardised Daily Defined Doses of 8 mg (anticonvulsant) and 1 mg (sedative-hypnotic). The municipalities of the Rio de Janeiro Metropolitan Region were grouped by Human Development Index (HDI) and GINI index, subjected to cluster analysis and ranked by clonazepam consumption. From 2009 to 2013, consumption in the state rose from 0.35 to 1.97 DDD/1000 population, but the figures are higher for individuals over 18 years of age. A DDD of 1 mg instead of 8mg returns consumption in 2013 of 21 DDD/1000 population over 18 years of age. Consumption in 2013 was highest - 3.38 and 4.52 DDD, respectively - in Rio de Janeiro and Niterói, which have the highest HDIs. This suggests that up to 2% of the adult population uses clonazepam, possibly as a sedative-hypnotic. This broad use and use outside therapeutic indications deserves attention, given clonazepam's potential for abuse and adverse reactions.
Descritores: Padrões de Prática Médica/tendências
Clonazepam/administração & dosagem
Hipnóticos e Sedativos/administração & dosagem
Anticonvulsivantes/administração & dosagem
-Brasil
Análise por Conglomerados
Relação Dose-Resposta a Droga
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 333 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-884027
Autor: Krebs, Jéssica Aline; Osaku, Erica Fernanda; Costa, Claudia Rejane Lima de Macedo; Ogasawara, Suely Mariko; Costa, Jaqueline Barreto da; Taba, Sheila; Jorge, Amaury Cezar; Duarte, Pericles Almeida Delfino.
Título: A influência do delirium no tempo de ventilação mecânica em pacientes críticos: uma revisão sistemática / The influence of delirium in the time of mechanical ventilation in critical patients: a systematic review
Fonte: ABCS health sci;43(1):61-66, maio 18, 2018. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: O delirium consiste em um estado confusional agudo e de curso flutuante representando uma manifestação da disfunção cerebral que pode estar associado com diferentes manifestações clínicas. Os pacientes com delirium têm sido estudados, pois tem apresentado maior tempo de ventilação mecânica e de internação em unidade de terapia intensiva. O objetivo do estudo foi realizar uma revisão de literatura acerca da influência do delirium no tempo de ventilação mecânica, sedação e na mortalidade de pacientes internados em unidade de terapia intensiva. Foi realizada uma busca por estudos nas bases de dados PubMed e Embase, com os descritores delirium, intensive care unit and mechanical ventilation. Nos resultados foram incluídos oito artigos, um recebeu graduação A e sete receberam graduação B na escala de Oxford. Os principais resultados foram: Os pacientes com delirium apresentaram maior gravidade, maior tempo de ventilação mecânica, maior tempo de sedação e maior mortalidade. Conclui-se que o delirium parece estar associado ao maior tempo da ventilação mecânica, maior dosagem de sedação e de mortalidade nestes pacientes.

Delirium consists of an acute, fluctuating, confusional state, representing a manifestation of cerebral dysfunction that can occur with different clinical manifestations. Patients with delirium have been studied because they have had longer time of mechanical ventilation and hospitalization in the intensive care unit. The objective of the study was to perform a literature review about the influence of delirium on the time of mechanical ventilation, sedation and on the mortality of patients admitted in intensive care units. A search for studies with the keywords delirium, intensive care unit and mechanical ventilation was performed in PubMed and Embase databases. As result eight articles were included, one received level A and seven received level B on the Oxford scale. The main results were: Patients with delirium presented greater severity, longer time of mechanical ventilation, longer sedation time and higher mortality. It is concluded that delirium appears to be associated with longer mechanical ventilation, greater sedation and mortality rates in these patients.
Descritores: Respiração Artificial
Delírio
Unidades de Terapia Intensiva
-Delírio/mortalidade
Hipnóticos e Sedativos
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão Sistemática
Responsável: BR1342.1 - Biblioteca da Escola de Enfermagem BENF


  3 / 333 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-420233
Autor: Façanha, Michelle Ferreira; Gomes, Levy de Carvalho.
Título: A eficácia do mentol como anestésico para tambaqui (Colossoma macropomum, Characiformes: Characidae) / Efficacy of menthol as an anesthetic for tambaqui (Colossoma macropomum, Characiformes: Characidae)
Fonte: Acta amaz;35(1):71-75, 2005. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Os anestésicos são importantes na piscicultura para reduzir o estresse e a mortalidade no manejo. Este trabalho tem como objetivo determinar a eficácia do mentol para tambaqui durante o manejo. Na primeira série de testes, foi examinado o efeito da concentração de anestésico sobre indução à anestesia e o estresse de tambaqui. Na segunda série de testes, foi avaliada a recuperação dos peixes após a exposição a uma concentração de 150 mg/L de mentol por diferentes tempos. Na terceira série, foi avaliada se a melhor concentração encontrada para juvenil (150 mg/L) também era adequada para peixes maiores. A melhor concentração para uma anestesia cirúrgica foi 150 mg/L, pois o tempo de indução é rápido, porém a recuperação é significativamente mais demorada do que para as menores concentrações testadas. Para uma anestesia, com finalidade de biometria, a melhor concentração foi 100 mg/L. Nesta concentração o tempo de indução à anestesia é prolongado, porém o tempo de recuperação está dentro da faixa considerada adequada. O tempo de recuperação do tambaqui quando exposto a 150 mg/L é significativamente igual para 10, 20 e 30 minutos de anestesia. Os resultados obtidos mostram que o mentol é um anestésico eficiente para o tambaqui.
Descritores: Manejo de Espécimes
Estresse Fisiológico
Sedação Consciente
Caraciformes
Peixes
Hipnóticos e Sedativos
Anestesia
Responsável: BR6.1 - BCS - Biblioteca de Ciências da Saúde


  4 / 333 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-889265
Autor: Koo, Soo Kweon; Ahn, Gun Young; Choi, Jang Won; Kim, Young Jun; Jung, Sung Hoon; Moon, Ji Seung; Lee, Young Il.
Título: Obstructive sleep apnea in postmenopausal women: a comparative study using drug induced sleep endoscopy / Apneia obstrutiva do sono em mulheres na pós-menopausa: estudo comparativo usando endoscopia do sono induzido por fármaco
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);83(3):285-291, May-June 2017. tab.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction: The key to successful treatment of OSAS is to individually tailor such treatment. Thus, it is very important to determine the severity of OSAS, its pattern, and the extent of collapse, by gender, age, and BMI. Objective: The objective of the study was to understand the characteristics of obstructive sleep apnea in postmenopausal women by comparing postmenopausal and premenopausal subjects, and men, using DISE. We hope that our work will help the medical community to consult on, diagnose, and treat OSAS more effectively. Methods: A total of 273 patients (195 males and 78 females) diagnosed with OSAS were enrolled. Female patients were divided into pre-menopausal (n = 41) and post-menopausal patients (n = 37). The group of post-menopausal female patients was matched with a group of male patients with similar age and body mass index (BMI). DISE findings were compared between pre-menopausal female patients and post-menopausal female patients, and also between post-menopausal female patients and male patients matched for age and BMI. Results: Upon PSG examination, post-menopausal patients (who had a significantly higher BMI than did pre-menopausal patients; 25.6 kg/m2 vs. 23.5 kg/m2; p = 0.019) tended to have a higher AHI and a lower lowest SaO2, but the differences did not attain statistical significance. With DISE analysis, post-menopausal female patients showed higher values in all obstruction sites, with significantly higher value in lateral diameter of retropalatal (1.49 vs. 0.90; p = 0.001) and retrolingual levels (1.14 vs. 0.61; p = 0.003) compared to pre-menopausal females patients. Post-menopausal female patients showed significantly more retrolingual collapse (antero-posterior, AP, p ≤ 0.0001, and lateral diameter, p = 0.042) in the lower BMI group (BMI < 25) and more concentric retropalatal collapse (lateral diameter, p = 0.017 and tonsillar obstruction, p = 0.003) in higher BMI group (BMI ≥ 25) than BMI and age matched male patients. Conclusion: Post-menopausal female patients showed a different pattern of airway obstruction compared to pre-menopausal female patients and male patients matched for age and BMI based on DISE findings.

Resumo Introdução: A chave para o sucesso do tratamento da síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS) é adaptar individualmente esse tratamento. Assim, é muito importante determinar a gravidade da SAOS, seu padrão e a medida do colapso, por sexo, idade e IMC. Objetivo: O objetivo do estudo foi compreender as características da apneia obstrutiva do sono em mulheres na pós-menopausa, comparando estas características entre mulheres na pós-menopausa e pré-menopausa, e homens, utilizando endoscopia do sono induzido por fármacos (DISE). Esperamos que o nosso estudo ajude a comunidade médica a diagnosticar e tratar a SAOS de maneira mais eficaz. Método: Foram recrutados 273 pacientes (195 do sexo masculino e 78 do feminino) com diagnóstico de SAOS. As pacientes do sexo feminino foram divididas em pacientes na pré-menopausa (n = 41) e na pós-menopausa (n = 37). O grupo de pacientes do sexo feminino na pós-menopausa foi pareada com um grupo de pacientes do sexo masculino com idade e Índice de Massa Corporal (IMC) semelhantes. Os achados da DISE foram comparados entre as pacientes do sexo feminino na pré-menopausa e as pacientes do sexo feminino pós-menopausa e também entre pacientes do sexo feminino na pós-menopausa e pacientes do sexo masculino pareados por idade e IMC. Resultados: Ao exame de PSG, as pacientes na pós-menopausa (que tinham um IMC significativamente maior do que as pacientes na pré-menopausa; 25,6 vs. 23,5 kg/m2; p = 0,019) tenderam a ter um IAH superior e uma saturação arterial de oxigênio (SaO2) mínima menor, mas as diferenças não atingiram significância estatística. Na análise do DISE, pacientes do sexo feminino pós-menopausa apresentaram valores mais elevados em todos os locais de obstrução, com um valor significativamente maior de diâmetro lateral dos níveis retropalatal (1,49 vs. 0,90; p = 0,001) e retrolingual (1,14 vs. 0,61; p = 0,003) em comparação com pacientes do sexo feminino na pré-menopausa. As pacientes do sexo feminino na pós-menopausa apresentaram colapso significativamente mais retrolingual (anteroposterior, AP, p ≤ 0,0001 e diâmetro lateral, p = 0,042) no grupo de IMC menor (IMC < 25) e colapso retropalatal mais concêntrico (diâmetro lateral, p = 0,017 e obstrução tonsilar, p = 0,003) no grupo de maior IMC (IMC ≥ 25) do que pacientes do sexo masculino pareados por IMC e idade. Conclusão: Com base nos achados do DISE, as pacientes do sexo feminino na pós-menopausa apresentaram um padrão diferente de obstrução das vias respiratórias em comparação com pacientes do sexo feminino na pré-menopausa e com os pacientes do sexo masculino pareados por idade e IMC.
Descritores: Midazolam/administração & dosagem
Pós-Menopausa/fisiologia
Apneia Obstrutiva do Sono/diagnóstico
Endoscopia/métodos
Hipnóticos e Sedativos/administração & dosagem
-Índice de Gravidade de Doença
Índice de Massa Corporal
Estudos Retrospectivos
Polissonografia
Apneia Obstrutiva do Sono/fisiopatologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Estudo Observacional
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 333 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1056962
Autor: Barbi, Lucas; Carvalho, Liliany Mara Silva; Luz, Tatiana Chama Borges.
Título: Antidepressivos, ansiolíticos, hipnóticos e sedativos: uma análise dos gastos em Minas Gerais / Antidepressive, anti-anxiety and hypnotics and sedatives agents: an analysis of public expenditure in Minas Gerais state, Brazil
Fonte: Physis (Rio J.);29(4):e290407, 2019. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo A alocação de recursos com a aquisição de medicamentos é um dos maiores desafios para a efetivação da assistência farmacêutica no SUS. No entanto, poucos estudos avaliam a evolução desses gastos no nível estadual, especialmente com as classes dos antidepressivos, ansiolíticos e hipnótico-sedativos. O objetivo do estudo foi analisar e identificar os determinantes dos gastos com essas classes terapêuticas em Minas Gerais. Foram utilizados dados de compras públicas do Sistema Integrado de Administração de Materiais e Serviços (SIAD-MG) entre 2010 e 2015. Estimaram-se os gastos e volumes totais, além dos gastos com medicamentos não constantes nas listas de medicamentos essenciais. As análises de "Top 10" e de "Drug Cost 90%" identificaram os medicamentos responsáveis pelo maior gasto, e a análise de decomposição estabeleceu os determinantes da variação das despesas. Os gastos com as três classes totalizaram R$ 81 milhões e aumentaram 2,5 vezes entre 2010 e 2015, passando de R$ 7,5 milhões para R$ 18,7 milhões. Os antidepressivos representaram 89% dos gastos e 71% do volume adquirido. O preço foi o principal fator determinante do aumento das despesas, especialmente na classe dos antidepressivos. Os aumentos dos gastos ressaltam a necessidade de aprimoramento dos procedimentos de compra adotados pelo estado.

Abstract The allocation of financial resources on medicines procurement is one of the greatest challenges to the effectiveness of the Pharmaceutical Services in the Brazilian National Health System. However, there are few studies evaluating this expenditure trends at state level, especially with antidepressants, anxiolytics, hypnotics and sedatives. The study evaluated public expenditure trends and drivers for these therapeutic classes in Minas Gerais state, Brazil, by using data from SIAD database [Sistema Integrado de Administração de Materiais e Serviços] from 2010 to 2015. Total expenditure, volume and also expenditures with medicines not included in the essential lists were estimated. The top 10 medicines in terms of expenditure and drugs accounting for 90% of the total cost were identified. Decomposition analysis was conducted to assess the drivers of expenditure. Expenditure in the period totaled R$ 81 million and increased 2.5 times from 2010 to 2015. Antidepressants accounted for 89% of expenses and 71% of volume. Price contributed positively to the expenditure variation during the period, especially in antidepressants. The results highlight the need of improvement of public procurement procedures adopted by Minas Gerais state.
Descritores: Assistência Farmacêutica
Ansiolíticos
Custos de Medicamentos
Gastos em Saúde
Alocação de Recursos
Hipnóticos e Sedativos
Antidepressivos
-Governo Estadual
Sistema Único de Saúde
Brasil
Gestão em Saúde
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  6 / 333 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-763133
Autor: Ergenoglu, Pinar; Akin, Sule; Bali, Cagla; Eker, Hatice Evren; Cok, Oya Yalcin; Aribogan, Anis.
Título: Effect of low dose dexmedetomidine premedication on propofol consumption in geriatric end stage renal disease patients / Efeito da pré-medicação com dose baixa de dexmedetomidina sobre o consumo de propofol em pacientes geriátricos com doença renal em estágio terminal
Fonte: Rev. bras. anestesiol;65(5):326-332, Sept.-Oct. 2015. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: Baskent University Research Fund.
Resumo: ABSTRACTBACKGROUND AND OBJECTIVE: Sedation in dialysis dependent end-stage renal disease patients requires caution as a result of performing high doses of sedatives and its complications. Multidrug sedation regimens might be superior and advantage on lesser drug consumption and by the way adverse events which occur easily in end-stage renal disease patients. We evaluated the effects of dexmedetomidine premedication on propofol consumption, sedation levels with Observer's Assessment of Alertness and Sedation scores and the bispectral index and the hemodynamic changes, potential side effects in geriatric patients with end-stage renal disease who underwent hip fracture surgery under spinal anesthesia.METHOD: In this randomized, controlled, double-blind study 60 elderly patients (age ≥ 65 years) with end-stage renal disease and hip fracture scheduled for anterograde femoral intramedullary nailing were assigned to groups that received either intravenous saline infusion (Group C) or dexmedetomidine 0.5 g/kg/10 min infusion for premedication (Group D). All the patients received propofol infusion after the induction of the spinal anesthesia.RESULTS: Total propofol consumption, propofol dose required for targeted sedation levels according to Observer's Assessment of Alertness and Sedation scores and bispectral index levels, recovery times were significantly lower in Group D (p < 0.001). The time to reach to Observer's Assessment of Alertness and Sedation score 4 and to achieve bispectral index ≤ 80 was significantly lower in Group C compared with Group D (p < 0.001). Adverse events were similar in both groups.CONCLUSION: Dexmedetomidine premedication lowers intraoperative propofol consumption to maintain targeted level of sedation. Therefore low dose dexmedetomidine premedication in addition to propofol infusion might be an alternative in geriatric patients with end-stage renal disease for sedation.

RESUMOJUSTIFICATIVA E OBJETIVO: A sedação em paciente dependente de diálise com doença renal em estágio terminal (DRET) requer cautela como resultado da administração de altas doses de sedativos e suas complicações. Os regimes de sedação com múltiplas drogas podem ser superiores e vantajosos em relação ao consumo menor de drogas e aos eventos adversos que ocorrem facilmente em pacientes com DEET. Avaliamos os efeitos da pré-medicação com dexmedetomidina sobre o consumo de propofol, os níveis de sedação com os escores da Observer's Assessment of Alertness and Sedation (OAA/S) e do índice bispectral (BIS), as alterações hemodinâmicas e os potenciais efeitos colaterais em pacientes geriátricos com DRET submetidos à cirurgia para fratura de quadril sob raquianestesia.MÉTODO: Neste estudo randômico, controlado e duplo-cego, 60 pacientes idosos (idade ≥ 65 anos), com DRET e fratura de quadril, agendados para fixação intramedular de haste femoral anterógrada foram designados para grupos para receberam infusão intravenosa de solução salina (Grupo C) ou pré-medicação com infusão de 0,5 mg kg/10 min de dexmedetomidina (DEX) (Grupo D). Todos os pacientes receberam infusão de propofol após a indução da raquianestesia.RESULTADOS: O consumo total de propofol, a dose de propofol necessária para os níveis-alvo de sedação de acordo com os escores da OAA/S, os valores do BIS e os tempos de recuperação foram significativamente menores no Grupo D (p < 0,001). O tempo para atingir o escore 4 na OAA/S e valores BIS ≤ 80 foi significativamente inferior no Grupo C em comparação com o Grupo D (p < 0,001). Os eventos adversos foram semelhantes em ambos os grupos.CONCLUSÃO: A pré-medicação com dexmedetomidina reduz o consumo de propofol no intraoperatório para manter o nível-alvo de sedação. Portanto, a pré-medicação com DEX em dose baixa em combinação com infusão de propofol pode ser uma opção para sedação em pacientes geriátricos com DRET.
Descritores: Medicação Pré-Anestésica
Propofol/administração & dosagem
Anestésicos Intravenosos/administração & dosagem
Dexmedetomidina/farmacologia
Hipnóticos e Sedativos/farmacologia
Falência Renal Crônica/metabolismo
-Método Duplo-Cego
Dexmedetomidina/administração & dosagem
Hipnóticos e Sedativos/administração & dosagem
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Idoso
Tipo de Publ: Research Support, Non-U.S. Gov't
Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 333 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-794812
Autor: Hancı, Volkan; Özbilgin, Şule; Özbal, Seda; Kamacı, Gonca; Ateş, Hasan; Boztaş, Nilay; Ergür, Bekir Uğur; Arıkanoğlu, Ahmet; Yılmaz, Osman; Yurtlu, Bülent Serhan.
Título: Evaluation of the effects of intra-arterial sugammadex and dexmedetomidine: an experimental study / Avaliação dos efeitos de sugamadex e dexmedetomidina intra-arterial: estudo experimental
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(5):456-464, Sept.-Oct. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background: Intra-arterial injection of medications may cause acute and severe ischemia and result in morbidity and mortality. There is no information in the literature evaluating the arterial endothelial effects of sugammadex and dexmedetomidine. The hypothesis of our study is that sugammadex and dexmedetomidine will cause histological changes in arterial endothelial structure when administered intra-arterially. Methods: Rabbits were randomly divided into 4 groups. Group Control (n = 7); no intervention performed. Group Catheter (n = 7); a cannula inserted in the central artery of the ear, no medication was administered. Group Sugammadex (n = 7); rabbits were given 4 mg/kg sugammadex into the central artery of the ear, and Group Dexmedetomidine (n = 7); rabbits were given 1 µg/kg dexmedetomidine into the central artery of the ear. After 72 h, the ears were amputated and histologically investigated. Results: There was no significant difference found between the control and catheter groups in histological scores. The endothelial damage, elastic membrane and elastic fiber damage, smooth muscle hypertrophy and connective tissue increase scores in the dexmedetomidine and sugammadex groups were significantly higher than both the control and the catheter groups (p < 0.05). There was no significant difference found between the dexmedetomidine and sugammadex groups in histological scores. Conclusion: Administration of sugammadex and dexmedetomidine to rabbits by intra-arterial routes caused histological arterial damage. To understand the histological changes caused by sugammadex and dexmedetomidine more clearly, more experimental research is needed.

Resumo Justificativa: A injeção intra-arterial de medicamentos pode causar isquemia aguda e grave e resultar em morbidade e mortalidade. Não há informações na literatura que avaliem os efeitos endoteliais arteriais de sugamadex e dexmedetomidina. A hipótese de nosso estudo foi que dexmedetomidina e sugamadex causariam alterações histológicas na estrutura endotelial arterial quando administrados por via intra-arterial. Método: Os coelhos foram randomicamente divididos em quatro grupos: grupo controle (n = 7), sem intervenção; grupo cateter (n = 7), uma cânula foi inserida na artéria central da orelha e medicamentos não foram administrados; grupo sugamadex (n = 7), receberam 4 mg/kg de sugamadex na artéria central da orelha; grupo dexmedetomidina (n = 7), receberam 1 µg/kg de dexmedetomidina na artéria central da orelha. Após 72 horas, as orelhas foram amputadas e histologicamente examinadas. Resultados: Não houve diferença significativa entre os grupos controle e cateter referente aos escores histológicos. Os escores do dano causado ao endotélio e à membrana e fibra elásticas, da hipertrofia do músculo liso e do aumento do tecido conjuntivo foram significativamente maiores nos grupos dexmedetomidina e sugamadex do que nos grupos controle e cateter (p < 0,05). Não houve diferença significativa entre os grupos dexmedetomidina e sugamadex nos escores histológicos. Conclusão: A administração de sugamadex e dexmedetomidina a coelhos por via intra-arterial causou danos arteriais histológicos. Para entender as alterações histológicas causadas por sugamadex e dexmedetomidina com mais clareza, estudos experimentais adicionais são necessários.
Descritores: Endotélio Vascular/efeitos dos fármacos
Dexmedetomidina/farmacologia
gama-Ciclodextrinas/farmacologia
Hipnóticos e Sedativos/farmacologia
-Artérias/anatomia & histologia
Artérias/efeitos dos fármacos
Coelhos
Endotélio Vascular/anatomia & histologia
Dexmedetomidina/administração & dosagem
gama-Ciclodextrinas/administração & dosagem
Orelha Externa/irrigação sanguínea
Sugammadex
Hipnóticos e Sedativos/administração & dosagem
Injeções Intra-Arteriais
Músculo Liso Vascular/anatomia & histologia
Músculo Liso Vascular/efeitos dos fármacos
Limites: Animais
Masculino
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 333 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-787617
Autor: Subramanyam, Rajeev; Fleck, Robert; McAuliffe, John; Radhakrishnan, Rupa; Jung, Dorothy; Patino, Mario; Mahmoud, Mohamed.
Título: Upper airway morphology in Down Syndrome patients under dexmedetomidine sedation / Morfologia das vias aéreas superiores em pacientes com síndrome de Down sob sedação com dexmedetomidina
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(4):388-394tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background and objectives: Children with Down Syndrome are vulnerable to significant upper airway obstruction due to relative macroglossia and dynamic airway collapse. The objective of this study was to compare the upper airway dimensions of children with Down Syndrome and obstructive sleep apnea with normal airway under dexmedetomidine sedation. Methods: IRB approval was obtained. In this retrospective study, clinically indicated dynamic sagittal midline magnetic resonance images of the upper airway were obtained under low (1 mcg/kg/h) and high (3 mcg/kg/h) dose dexmedetomidine. Airway anteroposterior diameters and sectional areas were measured as minimum and maximum dimensions by two independent observers at soft palate (nasopharyngeal airway) and at base of the tongue (retroglossal airway). Results and conclusions: Minimum anteroposterior diameter and minimum sectional area at nasopharynx and retroglossal airway were significantly reduced in Down Syndrome compared to normal airway at both low and high dose dexmedetomidine. However, there were no significant differences between low and high dose dexmedetomidine in both Down Syndrome and normal airway. The mean apnea hypopnea index in Down Syndrome was 16 ± 11. Under dexmedetomidine sedation, children with Down Syndrome and obstructive sleep apnea when compared to normal airway children show significant reductions in airway dimensions most pronounced at the narrowest points in the nasopharyngeal and retroglossal airways.

Resumo Justificativa e objetivos: As crianças com síndrome de Down (SD) são vulneráveis à obstrução significativa das vias aéreas superiores devido à macroglossia relativa e ao colapso dinâmico das vias aéreas. O objetivo deste estudo foi comparar as dimensões das vias aéreas superiores de crianças com SD e apneia obstrutiva do sono (AOS) com vias aéreas normais (VAN) sob sedação com dexmedetomidina (DEX). Métodos: Aprovação IRB foi obtida. Neste estudo retrospectivo, imagens clinicamente indicadas de ressonância magnética da dinâmica das vias aéreas superiores em plano sagital na linha média foram obtidas sob dose baixa (1 mcg/kg/h) e dose alta (3 mcg/kg/h) de DEX. Os diâmetros anteroposteriores das vias aéreas e as áreas seccionais foram medidas como dimensões mínimas e máximas por dois observadores independentes, no palato mole (região nasofaríngea) e na base da língua (região retroglossal). Resultados e conclusões: O diâmetro mínimo anteroposterior e a área seccional mínima das regiões nasofaríngea e retroglossal estavam significativamente reduzidos na SD em comparação com VAN, tanto com a dose baixa quanto com a dose alta de DEX. Contudo, não houve diferenças significativas entre as doses baixa e alta de DEX em SD e VAN. A média do índice de apneia e hipopneia na SD foi de 16 ± 11. Sob sedação com DEX, as crianças com SD e AOS, quando comparadas com as crianças com VAN, apresentaram reduções significativas nas dimensões das vias aéreas, mais pronunciadas nos pontos mais estreitos das regiões nasofaríngea e retroglossal.
Descritores: Pesos e Medidas Corporais
Nasofaringe/fisiopatologia
Nasofaringe/diagnóstico por imagem
Síndrome de Down/complicações
Dexmedetomidina
Hipnóticos e Sedativos
-Imagem por Ressonância Magnética
Estudos Retrospectivos
Estudos de Coortes
Apneia Obstrutiva do Sono/fisiopatologia
Obstrução das Vias Respiratórias/complicações
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pré-Escolar
Criança
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 333 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-782881
Autor: Neves, Jose Francisco Nunes Pereira das; Araújo, Mariana Moraes Pereira das Neves; Araújo, Fernando de Paiva; Ferreira, Clarice Martins; Duarte, Fabiana Baeta Neves; Pace, Fabio Heleno; Ornellas, Laura Cotta; Baron, Todd H; Ferreira, Lincoln Eduardo Villela Vieira de Castro.
Título: Colonoscopy sedation: clinical trial comparing propofol and fentanyl with or without midazolam / Sedação para colonoscopia: ensaio clínico comparando propofol e fentanil associado ou não ao midazolam
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(3):231-236, May.-June 2016. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Colonoscopy is one of the most common procedures. Sedation and analgesia decrease anxiety and discomfort and minimize risks. Therefore, patients prefer to be sedated when undergoing examination, although the best combination of drugs has not been determined. The combination of opioids and benzodiazepines is used to relieve the patient's pain and discomfort. More recently, propofol has assumed a prominent position. This randomized prospective study is unique in medical literature that specifically compared the use of propofol and fentanyl with or without midazolam for colonoscopy sedation performed by anesthesiologists. The aim of this study was to evaluate the side effects of sedation, discharge conditions, quality of sedation, and propofol consumption during colonoscopy, with or without midazolam as preanesthetic. The study involved 140 patients who underwent colonoscopy at the University Hospital of the Federal University of Juiz de Fora. Patients were divided into two groups: Group I received intravenous midazolam as preanesthetic 5 min before sedation, followed by fentanyl and propofol; Group II received intravenous anesthesia with fentanyl and propofol. Patients in Group II had a higher incidence of reaction (motor or verbal) to the colonoscope introduction, bradycardia, hypotension, and increased propofol consumption. Patient satisfaction was higher in Group I. According to the methodology used, the combination of midazolam, fentanyl, and propofol for colonoscopy sedation reduces propofol consumption and provides greater patient satisfaction.

RESUMO A colonoscopia é um dos procedimentos mais feitos. Sedação e analgesia diminuem a ansiedade e o desconforto e minimizam riscos. Em razão disso, os pacientes preferem que o exame seja feito sob anestesia, embora não tenha sido determinada a melhor combinação de fármacos. A associação de benzodiazepínicos com opioides é usada para aliviar a dor e o desconforto do paciente. Mais recentemente, o propofol assumiu posição de destaque. Este estudo, prospectivo e randomizado, é único na literatura médica e especificamente comparou o uso do propofol e fentanil associado ou não ao midazolam na sedação para colonoscopia feita por anestesiologistas. Os objetivos do estudo foram avaliar os efeitos colaterais da sedação, as condições de alta, a qualidade da sedação e o consumo de propofol durante a colonoscopia, com ou sem o midazolam como pré-anestésico. Envolveu 140 pacientes submetidos à colonoscopia, no Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora. Os pacientes foram divididos em dois grupos. O Grupo I recebeu, por via endovenosa, midazolam como pré-anestésico, cinco minutos antes da sedação, seguido do fentanil e propofol. O Grupo II recebeu, por via endovenosa, anestesia com fentanil e propofol. Os pacientes do Grupo II apresentaram maior incidência de reação (motora ou verbal) à introdução do colonoscópio, bradicardia, hipotensão arterial e maior consumo de propofol. A satisfação dos pacientes foi maior no Grupo I. De acordo com a metodologia empregada, a associação de midazolam ao propofol e fentanil para sedação em colonoscopia reduz o consumo de propofol e cursa com maior satisfação do paciente.
Descritores: Midazolam/farmacologia
Propofol/farmacologia
Fentanila/farmacologia
Colonoscopia
Analgésicos Opioides/farmacologia
Hipnóticos e Sedativos/farmacologia
-Dor/prevenção & controle
Método Duplo-Cego
Estudos Prospectivos
Satisfação do Paciente/estatística & dados numéricos
Quimioterapia Combinada/métodos
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 333 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-777415
Autor: Fernandes, Magda Lourenço; Santos, Maria do Carmo; Gomez, Renato Santiago.
Título: Sedation with dexmedetomidine for conducting electroencephalogram in a patient with Angelman syndrome: a case report / Sedação com dexmedetomidina para realização de eletroencefalograma em paciente portadora de síndrome de Angelmann: relato de caso
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(2):212-214, Mar.-Apr. 2016.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT INTRODUCTION: Angelman syndrome is characterized by severe mental retardation and speech and seizure disorders. This rare genetic condition is associated with changes in GABAA receptor. Patients with Angelman syndrome need to be sedated during an electroencephalogram ordered for diagnostic purposes or evolutionary control. Dexmedetomidine, whose action is independent of GABA receptor, promotes a sleep similar to physiological sleep and can facilitate the performing of this examination in patients with Angelman syndrome. CASE REPORT: Female patient, 14 years old, with Angelman syndrome; electroencephalogram done under sedation with dexmedetomidine. The procedure was uneventful and bradycardia or respiratory depression was not recorded. The examination was successfully interpreted and epileptiform activity was not observed. CONCLUSION: Dexmedetomidine promoted satisfactory sedation, was well tolerated and enabled the interpretation of the electroencephalogram in a patient with Angelman syndrome and seizure disorder.

RESUMO INTRODUÇÃO: a síndrome de Angelman (SA) é caracterizada por retardo mental grave, distúrbio da fala e desordem convulsiva. Essa condição genética rara está associada a alterações do receptor GABA-A. Pacientes portadores de SA necessitam ser sedados durante a feitura de eletroencefalograma (EEG), indicado para fins diagnósticos ou controle evolutivo. A dexmedetomidina, cuja ação independe do receptor GABA, promove sono semelhante ao fisiológico e pode viabilizar a feitura desse exame em pacientes com SA. RELATO DE CASO: paciente feminina, 14 anos, portadora de SA, fez EEG sob sedação com dexmedetomidina. O procedimento transcorreu sem intercorrências e não foi registrada bradicardia ou depressão respiratória. O exame foi interpretado com sucesso e atividade epileptiforme não foi observada. CONCLUSÃO: a dexmedetomidina promoveu sedação satisfatória, foi bem tolerada e possibilitou a interpretação do EEG em paciente com SA e desordem convulsiva.
Descritores: Síndrome de Angelman/complicações
Dexmedetomidina/administração & dosagem
Eletroencefalografia/métodos
Hipnóticos e Sedativos/administração & dosagem
-Síndrome de Angelman/fisiopatologia
Dexmedetomidina/efeitos adversos
Hipnóticos e Sedativos/efeitos adversos
Limites: Humanos
Feminino
Adolescente
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 34 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde