Base de dados : LILACS
Pesquisa : D27.505.696.399.472.277.540 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 15 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 2 ir para página        

  1 / 15 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-774005
Autor: Kamei Vera, Juan.
Título: Tratamiento con dietilestilbestrol en pacientes refractarios a la castración por análogos LH- RH / Treatment with diethylstilbestrol in patients who had failed to androgen deprivation by lhrh agonists
Fonte: Rev. chil. urol;78(1):39-43, 2013. tab, graf.
Idioma: es.
Resumo: Introducción: El objeto de este trabajo clínico es estudiar la eficacia de la administración de Dietilestilbestrol (DES) oral en pacientes con cáncer de próstata avanzado y que han presentado refractariedad al tratamiento con análogos LH-RH y además evaluar los efectos colaterales atribuibles a su uso. Material y métodos: Entre Noviembre de 2010 y Mayo de 2012 se ingresaron en forma consecutiva al estudio 15 pacientes con cáncer prostático avanzado, refractarios a manejo con análogos LH-RH. Edad promedio de los pacientes 69,4 años .Rango 57-80. Se registró el tipo de tratamiento realizado, detallando el manejo hormonal previo al que fueron sometidos. Se consideró refractariedad a los análogos, la detección de 2 alzas consecutivas del APE durante la administración de éstos. Se indicó a los pacientes 1mg. de DES al día. La evaluación del tratamiento se hizo cada 30 días con determinación de APE y registro de efectos colaterales. Resultados: De los 15 pacientes, 8 (53,3 por ciento) disminuyeron su APE inicial, 6 de ellos (40 por ciento) lo hicieron en más de un 50 por ciento de su valor y 2 (13,3 por ciento) disminuyeron el APE pero en menos de un 50 por ciento. 7 pacientes (46,6 por ciento) no disminuyeron su valor de APE y fueron considerados como fracasos. Como efectos colaterales del tratamiento tuvimos 13 pacientes (86,6 por ciento) que presentaron hipersensibilidad de los pezones, pero solo 2 requirieron tratamiento sintomático. 4 pacientes (26,6 por ciento) desarrollaron ginecomastia leve a moderada y no tuvimos ninguna complicación cardiovascular en los 15 pacientes estudiados. Conclusión: Consideramos de acuerdo a nuestros resultados que el DES oral es efectivo como tratamiento en los pacientes que han fallado o son refractarios a la deprivación androgénica por análogos LH-RH, con una baja morbilidad, buena aceptación de los pacientes y de muy bajo costo.

Introduction: The object of this clinical trial is to study the effectiveness of the administration of Diethylstilbestrol (DES) oral in patients with advanced cancer of prostate and that has presented resistance to the treatment with analogs LH-RH and in addition to evaluate the collateral effects attributable to its use. Material and methods: Between November of 2010 and May of 2012 15 patients with advanced prostate cancer, refractory to handling with analogs LH-RH entered themselves in consecutive form the study. Age average of the patients 69, 4 years, Rank 57-80. The type of made treatment was registered, detailing previous the hormonal handling which they were put under. Resistance to the analogs, the detection of 2 consecutive rises of the PSA was considered during the administration of this one. 1 mg. was indicated to the patients of DES to the day. The evaluation of the treatment was made every 30 days with determination of PSA and registry of collateral effects. Results: Of the 15 patients, 8 (53,3 percent) diminished their initial PSA, 5 of them (40 percent)did in more of a 50 percent of their value and 2 (13,3 percent) diminished the PSA but in less of a 50 percent. 7 patients (46,6 percent) did not diminished their value of PSA and were considered like failures. As collateral effects of the treatment we had 13 patients (86,6 percent) who presented hypersensitivity of the nipples, but single 2 required symptomatic treatment, 4 patients (26,6 percent) developed ginecomastia weighs moderate and we did not have any cardiovascular complication in the 15 studied patients. Conclusion: We considered according to our results that the oral DES is effective like treatment in the patients who have failed or ar refractory to the androgenic deprivation by analogs LH-RH, with a low morbidity, good acceptance of the patients and very low cost.
Descritores: Dietilestilbestrol/administração & dosagem
Estrogênios não Esteroides/administração & dosagem
Neoplasias de Próstata Resistentes à Castração/tratamento farmacológico
-Administração Oral
Estudos Prospectivos
Limites: Humanos
Masculino
Pessoa de Meia-Idade
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: CL10.1 - Biblioteca Biomédica


  2 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-762903
Autor: Xu, B.L.; Zhao, Q.Z.; Gao, X.Y.; Hou, G.J..
Título: Effect of estradiol and bisphenol A on human hepatoblastoma cell viability and telomerase activity
Fonte: Braz. j. med. biol. res = Rev. bras. pesqui. méd. biol;48(11):1004-1009, Nov. 2015. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Sex hormones from environmental and physiological sources might play a major role in the pathogenesis of hepatoblastoma in children. This study investigated the effects of estradiol and bisphenol A on the proliferation and telomerase activity of human hepatoblastoma HepG2 cells. The cells were divided into 6 treatment groups: control, bisphenol A, estradiol, anti-estrogen ICI 182,780 (hereinafter ICI), bisphenol A+ICI, and estradiol+ICI. Cell proliferation was measured based on average absorbance using the Cell Counting-8 assay. The cell cycle distribution and apoptotic index were determined by flow cytometry. Telomerase activity was detected by polymerase chain reaction and a telomeric repeat amplification protocol assay. A higher cell density was observed in bisphenol A (P<0.01) and estradiol (P<0.05) groups compared with the control group. Cell numbers in S and G2/M phases after treatment for 48 h were higher (P<0.05), while the apoptotic index was lower (P<0.05) and telomerase activities at 48 and 72 h (P<0.05) were higher in these groups than in the control group. The cell density was also higher in bisphenol A+ICI (P<0.01) and estradiol+ICI (P<0.05) groups compared with the ICI group. Furthermore, cell numbers were increased in S and G2/M phases (P<0.05), while the apoptotic index was lower (P<0.05) and telomerase activities at 48 and 72 h were higher (P<0.05) in these groups than in the ICI group. Therefore, bisphenol A and estradiol promote HepG2 cell proliferation in vitro by inhibition of apoptosis and stimulation of telomerase activity via an estrogen receptor-dependent pathway.
Descritores: Compostos Benzidrílicos/farmacologia
Proliferação de Células/efeitos dos fármacos
Estradiol/farmacologia
Antagonistas do Receptor de Estrogênio/farmacologia
Estrogênios não Esteroides/farmacologia
/efeitos dos fármacos
HEP GTEMEFOS CELLS/efeitos dos fármacos
Fenóis/farmacologia
Telomerase/efeitos dos fármacos
-Apoptose/efeitos dos fármacos
Sobrevivência Celular/efeitos dos fármacos
Estradiol/análogos & derivados
Citometria de Fluxo
/enzimologia
HEP GTEMEFOS CELLS/enzimologia
Interfase/efeitos dos fármacos
Telomerase/metabolismo
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Baracat, Edmund Chada
Texto completo
Id: lil-668394
Autor: Carbonel, Adriana Aparecida Ferraz; Simões, Ricardo dos Santos; Baracat, Maria Candida Pinheiro; Haidar, Mauro Abi; Baracat, Edmund Chada; Soares Júnior, José Maria.
Título: Extrato de soja no tratamento dos sintomas vasomotores no período menopausal / Soybean extract in the treatment of vasomotor symptoms in menopausal period
Fonte: Femina;40(5), set.-out. 2012.
Idioma: pt.
Resumo: Os sintomas vasomotores, tais como fogachos e sudorese noturna, são comuns no período menopausal. A terapia hormonal permanece como a mais efetiva no alívio desses sintomas. No entanto, desperta preocupações sob o risco de aumentar a ocorrência de doenças diretamente relacionadas ao trato genital e mamas, sendo ainda contraindicada em algumas doenças crônicas. Assim, alguns tratamentos alternativos, baseados em alimentos ou suplementos enriquecidos com fitoestrogênios, produtos químicos presentes em algumas plantas, têm sido utilizados. No entanto, existem divergências quanto a sua eficácia. Assim, realizamos esta revisão a partir de artigos recuperados da base de dados Medical Literature Analysis and Retrieval System on Line (MEDLINE), com o objetivo de tentar esclarecer se o uso das isoflavonas está relacionado à redução dos sintomas vasomotores na menopausa. A partir dos artigos recuperados, pudemos observar que não existem evidências de que o uso de fitoestrogênios por mulheres na pós-menopausa reduzem os sintomas vasomotores. Por outro lado, nenhum dos trabalhos analisados mencionou efeitos prejudiciais no uso dessas substâncias. Entretanto, estudos experimentais em animais evidenciaram, quando administradas em altas doses, a ocorrência de metaplasia endometrial.

Hot flushes and night sweats are common vasomotor symptoms during menopausal period. Hormone therapy is believable to be the most effective treatment for relieving these symptoms. However, such treatment concerns us because its use may be directly related to genital tract and breast diseases. It is also contraindicated in some chronic diseases. Thus, some alternative treatments have been used such as consuming foods or supplements enriched with phytoestrogens, which are chemical compounds present in some plants. Whereas there are disagreements regarding its effectiveness, we conducted this review based on articles retrieved from the Medical Literature Analysis and Retrieval System on Line (MEDLINE) data base. Our aim was to try clarifying whether the use of isoflavones are related to reduction of vasomotor symptoms at menopause. From the articles retrieved, we observed that there is no conclusive evidence that the use of isoflavones by postmenopausal women reduces vasomotor symptoms. On the other hand, none of the consulted articles reported harmful effects on the use of such substances. However, experimental studies in animals have shown endometrial metaplasia when they are administered in high doses.
Descritores: Fogachos/tratamento farmacológico
Isoflavonas/uso terapêutico
-Estrogênios não Esteroides/farmacologia
Estrogênios não Esteroides/uso terapêutico
Extratos Vegetais/farmacologia
Soja/química
Terapia de Reposição Hormonal
Menopausa
Sudorese
Limites: Humanos
Feminino
Responsável: BR1365.1 - Biblioteca Biomédica A - CB/A


  4 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: lil-665545
Autor: Irnidayanti, Yulia.
Título: Effect of Zearalenone administrated at late gestation days on fertility of the F-1 offspring in Swiss webster (Mus musculus) / Efecto de la Zearalenona administrada los días finales de gestación sobre la fertilidad de las crías F-1 en ratones Swiss Webster (Mus musculus)
Fonte: Int. j. morphol;30(3):1197-1202, Sept. 2012. ilus.
Idioma: en.
Resumo: Zearalenonesolution was given to dams micesubcutaneouslyat a dose of30 mg/kg body weightat the age ofpregnancy 13 to 18 days.Control micewere given only sesameoil. Furthermore, damsmice were allowed todeliver their litter and pups were weanedon 21 days of age. The live birth index andviability of the F-1 offspring were recorded. Determination of fertility of the F-1 offspring were undertaken by mating interlitters. On days 18 of gestation, the F-1 offspring were killed by cervical dislocation. The observation was performed on the number of live or dead fetus, embryo resorption, the number of implantation and the percentage of gestation loss. The result revealed that administration of zearalenone on days 13 to 18 of gestation caused a significant decreasein the number of implantation as the result of mating between control male with treated female and treated male with tretaed female of the F-1 offspring. It could be concluded that in the F-1 offspring, zearalenone interfered the process of ovarian develoment, stimulated the differentation of the uterus, decreased the fertility of the female and the effect of zearalenon was more persistent in the female than in the male...

Se administró una solución subcutánea de zearalenona en una dosis de 30 mg/kg de peso corporal en ratonas preñadas entre 13 a 18 días de gestación. Los ratones control recibieron sólo aceite de sésamo. Además, a las ratonas preñadas se les permitió amamantar a sus crías para ser destetadas a los 21 días de edad. El índice de nacidos vivos y viabilidad de la descendencia F-1 fuer registrado. La determinación de la fertilidad de la descendencia F-1 se llevó a cabo por apareamiento intercrías. El día 18 de gestación, la descendencia F-1 se sacrificó por dislocación cervical. Se observó el número de fetos vivos y muertos, reabsorción del embrión, número de implantaciones y porcentaje de pérdida de gestación. El resultado reveló que la administración de la zearalenona entre los días 13-18 de gestación causó un significativo descenso en el número de implantaciones, como resultado del apareamiento entre machos controles con hembras tratadas y machos tratados con hembras tratadas (F-1 crías). Se puede concluir que en la descendencia F-1, la zearalenona interfiere en el proceso de desarrollo ovárico, estimulado la diferenciación del útero, disminuyendo la fertilidad de la hembra; además el efecto del zearalenon fue más persistente en la hembra que en el macho...
Descritores: Estrogênios não Esteroides/administração & dosagem
Fertilidade
Zearalenona/administração & dosagem
-Ovário
Prenhez
Reprodução
Limites: Masculino
Animais
Gravidez
Camundongos
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  5 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: lil-575144
Autor: Cota, Ana Márcia de Miranda; Souza, José Helvécio Kalil de; Silva, Marcus Vinícius Rodrigues; Silva, Henrique Moraes Salvador; Caetano, João Pedro Junqueira; Santiago, Ricardo Cabral; Marinho, Ricardo Mello.
Título: Fitoestrogênios: valor terapêutico no climatério / Phytoestrogens: therapeutic value in climacteric
Fonte: Rev. méd. Minas Gerais;14(4):262-266, out.-dez. 2004.
Idioma: pt.
Resumo: Os fitoestrogênios são um grupo de componentes não-esteróides com propriedades estruturais e funcionais semelhantes às dos estrogênios. As isoflavonas (genisteina e daidzeina) são as mais conhecidas nesse grupo. Seu mecanismo de ação se dá por meio de sua interação com os receptores estrogênicos; possuem efeitos antioxidantes e propriedades de inibição enzimática. Devido à sua capacidade de interagir com os receptores estrogênicos, tem-se aventado a sua utilização como alternativa à terapia de reposição hormonal no climatério. Embora a maioria dos estudos demonstre um efeito benéfico nos sintomas do climatério, há controvérsias. Os dados disponíveis no momento são controversos com relação à prevenção de doenças cardiovasculares e osteoporose.

Phytoestrogens are non-steroid compounds that have structural and functional properties similar to estrogens. The isoflavones (genistein and daidzein) are well known among these components. Isoflayones have antioxidant effects and anti-enzyme properties. In addition, isoflavones interact with estrogen receptors, opening the possibilitv of their utilization as a possible alternative to the usual hormone replacement therapy in the climaterium.
Descritores: Climatério
Estrogênios não Esteroides/uso terapêutico
Isoflavonas/uso terapêutico
-Terapia de Reposição Hormonal
Limites: Humanos
Responsável: BR21.1 - Biblioteca J Baeta Vianna- Campus Saúde UFMG


  6 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Simöes, Manuel de Jesus
Baracat, Edmund Chada
Id: lil-434314
Autor: Gomes, Milena Pires de Campos Luciano; Mosquette, Rejane; Simões, Manuel de Jesus; Soares Junior, José Maria; Baracat, Maria Cândida Pinheiro; Simões, Ricardo Santos; Baracat, Edmund Chada.
Título: Efeitos de isoflavonas no útero / Effects of isoflavones on the uterus
Fonte: Femina;34(2):99-103, fev. 2006. tab.
Idioma: pt.
Resumo: As isoflavonas, principalmente, a daidzeína e a genisteína são fitoestrogênios que contêm, em sua estrutura química, pelo menos um anel aromático com agrupamentos hidroxilla, o que permite sua ligação aos receptores de estrogênio. Sabe-se, em particular, que a genisteína tem maior afinidade pelos receptores b de estrogênio do que pelos receptores a, sendo a afinidade da genisteína pelo receptor mil vezes menor que a do estrogênio. Trabalhos experimentais relatam que estes hormônios teriam ação proliferativa no útero em animais de experimentação. Embora a curto prazo as isoflavonas não apresentem efeito uterotrópico em mulheres na pós-menopausa, o uso por mais de cinco anos poderia aumentar a ocorrência de hiperplasia endometrial
Descritores: Hiperplasia Endometrial
Terapia de Reposição de Estrogênios
Estrogênios não Esteroides/uso terapêutico
Isoflavonas
Útero
-Pós-Menopausa
Limites: Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Humanos
Animais
Responsável: BR1365.1 - Biblioteca Biomédica A - CB/A


  7 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Sousa, Eduardo Sérgio Soares
Texto completo
Id: lil-433486
Autor: Sousa, Rilva Lopes de; Filizola, Rosália Gouveia; Diniz, Margareth de Fátima Formiga Melo; Sousa, Eduardo Sérgio Soares; Moraes, João Leonardo Ribeiro de.
Título: Ensaio clínico placebo-controlado com isoflavonas da soja para sintomas depressivos em mulheres no climatério / Placebo-controlled clinical trial with soy isoflavones for depressive symptoms in climacteric women
Fonte: Rev. bras. ginecol. obstet;28(2):91-100, fev. 2006. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: OBJETIVOS: avaliar a eficácia do uso de isoflavonas da soja no tratamento de sintomas depressivos em mulheres com síndrome climatérica. MÉTODOS: estudo experimental placebo-controlado, randomizado e duplo-cego, com 84 pacientes climatéricas atendidas ambulatorialmente no Hospital Universitário Lauro Wanderley, em João Pessoa (PB). Na avaliação de sintomas depressivos empregou-se o Questionário de Auto-avaliação da Escala de Hamilton para Depressão (QAEH-D) nas visitas pré-tratamento (VT1) e na 8ª (VT2) e na 16ª (VT3) semana pós-tratamento. O grupo experimental (GExp) recebeu extrato de isoflavonas da soja, 120 mg por dia, e o controle (GCont), placebo. A comparação dos escores do QAEH-D entre os grupos em VT1, VT2 e VT3 constituiu a medida primária de eficácia (teste t, p<0,05). Análise secundária incluiu estimativa do "efeito dominó" e avaliação clínica e laboratorial de eventos adversos. RESULTADOS: houve redução significativa dos escores do QAEH-D no GExp (VT20,05). De VT1 para VT3, evidenciou-se diferença estatisticamente significativa de 8,9 por cento na redução dos escores entre os grupos (p=0,03). Não houve correlação da redução dos sintomas depressivos com resposta dos sintomas vasomotores (p>0,05). Houve redução das concentrações de FSH apenas no GExp (p=0,02), sem alterações do estradiol. Não ocorreram eventos adversos clinicamente relevantes. CONCLUSÕES: o efeito do extrato de isoflavonas foi superior ao do placebo, porém de pequena magnitude e apenas após 8 semanas de tratamento. Este pequeno efeito atribuído ao tratamento experimental, de boa tolerabilidade, poderá beneficiar pacientes que têm efeitos colaterais aos estrógenos ou que preferem não usar estes hormônios.
Descritores: Climatério
Depressão
Estrogênios não Esteroides
Isoflavonas/uso terapêutico
Saúde da Mulher
Limites: Humanos
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR26.1 - Biblioteca Central


  8 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-406314
Autor: Machado, Lucas Viana.
Título: Quão estrogênicos são os fitoestrogênios? / How estrogenic are the phytoestrogens?
Fonte: Femina;31(9):775-780, out. 2003. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: O Mecanismo de ação dos estrogênios, fitoestrogênios e SERMs se faz basicamente pelo acoplamento destas substâncias aos receptores estrogênicos presentes nos núcleos dos órgão-alvo. A resposta tecidual, entretanto, poderá variar dentro de um espectro entre totalmente estimuladora ou repressora, na dependência de diversos fatores presentes em cada célula, como o tipo do receptor (alfa ou beta), a prevalência de cada um nos diversos tecidos, da sua dimerização formando homodímeros ou heterodímeros, do elemento de resposta estrogênica (ERE) e promotores vizinhos (TAF1 e TAF2), do contexto celular das proteínas adaptadoras e da potência específica do ligante. À luz dos conhecimentos da biologia molecular, poderemos interpretar as ações dos estrogênios, dos fitoestrogênios e SERMs e avaliar o real efeito de cada um, bem como suas interações. Por exemplo, um determinado serm poderá evitar a perda de massa óssea numa paciente na pós-menopausa e provocar osteoporose numa paciente em idade reprodutiva
Descritores: Climatério
Estrogênios/farmacologia
Estrogênios não Esteroides
Estrogênios não Esteroides/efeitos adversos
Estrogênios não Esteroides/farmacologia
Receptores de Estrogênio
-Terapia de Reposição Hormonal
Fitosteróis
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Responsável: BR1365.1 - Biblioteca Biomédica A - CB/A


  9 / 15 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: lil-358954
Autor: Garrido G, Argelia; Maza C, María Pía de la; Valladares B, Luis.
Título: Fitoestrógenos dietarios y sus potenciales beneficios en la salud del adulto humano / Dietary phytoestrogen and its potential benefits in adult human health
Fonte: Rev. méd. Chile;131(11):1321-1328, nov. 2003. ilus, tab.
Idioma: es.
Resumo: Human diet contains a series of bioactive vegetal compounds that can improve human health. Among these, there has been a special interest for phytoestrogens. This article reviews the evidence about the potential benefits of phytoestrogens for human health. Forty eight manuscripts were selected for their study design and relevance to human health. The cell growth inhibitory effects of phytoestrogens and their implication in breast cancer are reviewed. Also the effects of these compounds on serum lipid levels and the effectiveness of a phytoestrogen derivate, ipriflavone, on the prevention of osteoporosis are analyzed. Although these compounds have a great potential for improving health, there is still not enough evidence to recommend the routine use of phytoestrogens (Rev Méd Chile 2003; 131: 1321-28).
Descritores: Neoplasias da Mama/prevenção & controle
Estrogênios não Esteroides/uso terapêutico
-Hipolipemiantes/farmacologia
Doenças Cardiovasculares/prevenção & controle
Dieta
Estrogênios não Esteroides/química
Estrogênios não Esteroides/farmacologia
Menopausa/efeitos dos fármacos
Osteoporose/prevenção & controle
Soja
Limites: Humanos
Feminino
Tipo de Publ: Revisão
Research Support, Non-U.S. Gov't
Responsável: CL12.1 - Biblioteca


  10 / 15 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-289105
Autor: Costa, Laura Olinda Bregieiro Fernandes; Costa, Hélio De Lima Ferreira Fernandes.
Título: Tratamento hormonal de osteoporose / Hormonal treatment or osteoporosis
Fonte: Reprod. clim;15(2):65-70, abr.-jun. 2000.
Idioma: pt.
Resumo: As pacientes que necessitam submeter-se a prevençäo ou tratamento da osteoporose devem ser identificadas através dos fatores de risco e, sempre que possível, pela medida da massa óssea obtida através da densitometria óssea. O uso da ultra-sonometria óssea ainda näo é um método empregado de rotina. Para o tratamento da osteoporose pós-menopausa, condiçäo de alto turnover ósseo, o tratamento hormonal inclui drogas antireabsortivas como a terapêutica com estrogênios e/ou progestágenos, tibolona, calcitonina, ou moduladores seletivos dos receptores estrogênicos. Estratégias para aumentar a adesäo ao tratamento, mantendo sua efetividade tem sido utilizadas, como estrógenos em baixas doses, podendo ser utilizados mesmo em idades mais avançadas, progestágenos em dias alternados, e tem-se estudado também os fitoestrogênios ou isoflavonóides sintéticos. Para a monitorizaçäo do tratamento, segundo alguns autores, se for observada uma queda dos marcadores ósseos superior a 25 por cento, ou um aumento de no mínimo 4,5 por cento na densidade mineral óssea, o tratamento pode ser considerado efetivo. A duraçäo do tratamento é controversa, embora um período de 7 a 10 anos seja preconizado, para uma reduçäo da incidência de fraturas. Alguns estudos sugerem que a retirada da TRH näo resulta em imediata instalaçäo do processo de perda óssea
Descritores: Anabolizantes/uso terapêutico
Calcitonina/uso terapêutico
Sulfato de Desidroepiandrosterona/uso terapêutico
Estrogênios não Esteroides/uso terapêutico
Estrogênios/administração & dosagem
Estrogênios/uso terapêutico
Isoflavonas/uso terapêutico
Osteoporose/tratamento farmacológico
Osteoporose/prevenção & controle
Pós-Menopausa
Progestinas/administração & dosagem
Progestinas/uso terapêutico
Cloridrato de Raloxifeno/uso terapêutico
Terapia de Reposição Hormonal/efeitos adversos
Limites: Humanos
Feminino
Responsável: BR33.1 - Divisão Técnica de Biblioteca e Documentação



página 1 de 2 ir para página        
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde