Base de dados : LILACS
Pesquisa : D27.505.696.663.050.030 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 109 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 11 ir para página                         

  1 / 109 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-773477
Autor: Kawano, Hiroaki; Ohshita, Naohiro; Katome, Kimiko; Kadota, Takako; Kinoshita, Michiko; Matsuoka, Yayoi; Tsutsumi, Yasuo M; Kawahito, Shinji; Tanaka, Katsuya; Oshita, Shuzo.
Título: Effects of a novel method of anesthesia combining propofol and volatile anesthesia on the incidence of postoperative nausea and vomiting in patients undergoing laparoscopic gynecological surgery / Efeitos de um novo método de anestesia combinando propofol e anestesia volátil sobre a incidência de náusea e vômito no pós-operatório em pacientes submetidas à laparoscopia ginecológica
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(1):12-18, Jan.-Feb. 2016. tab.
Idioma: pt.
Resumo: BACKGROUND: We investigated the effects of a novel method of anesthesia combining propofol and volatile anesthesia on the incidence of postoperative nausea and vomiting in patients undergoing laparoscopic gynecological surgery. METHODS: Patients were randomly divided into three groups: those maintained with sevoflurane (Group S, n = 42), propofol (Group P, n = 42), or combined propofol and sevoflurane (Group PS, n = 42). We assessed complete response (no postoperative nausea and vomiting and no rescue antiemetic use), incidence of nausea and vomiting, nausea severity score, vomiting frequency, rescue antiemetic use, and postoperative pain at 2 and 24 h after surgery. RESULTS: The number of patients who exhibited a complete response was greater in Groups P and PS than in Group S at 0-2 h (74%, 76% and 43%, respectively, p = 0.001) and 0-24 h (71%, 76% and 38%, respectively, p < 0.0005). The incidence of nausea at 0-2 h (Group S = 57%, Group P = 26% and Group PS = 21%, p = 0.001) and 0-24 h (Group S = 62%, Group P = 29% and Group PS = 21%, p < 0.0005) was also significantly different among groups. However, there were no significant differences among groups in the incidence or frequency of vomiting or rescue antiemetic use at 0-24 h. CONCLUSION: Combined propofol and volatile anesthesia during laparoscopic gynecological surgery effectively decreases the incidence of postoperative nausea. We term this novel method of anesthesia "combined intravenous-volatile anesthesia (CIVA)".

JUSTIFICATIVA: Investigamos os efeitos de um novo método de anestesia, que combina propofol e anestesia volátil, sobre a incidência de náusea e vômito no período pós-operatório de pacientes submetidas à laparoscopia ginecológica. MÉTODOS: As pacientes foram randomicamente divididas em três grupos: manutenção com sevoflurano (Grupo S, n = 42), com propofol (Grupo P, n = 42) ou com a combinação de propofol e sevoflurano (Grupo PS, n = 42). Avaliamos as respostas completas (sem náusea e vômito no pós-operatório e sem uso de antiemético de resgate), incidência de náusea e vômito, escore de gravidade da náusea, frequência de vômitos, uso de antiemético de resgate e dor no pós-operatório em duas e 24 horas após a cirurgia. RESULTADOS: O número de doentes que apresentou uma resposta completa foi maior nos grupos P e PS do que no Grupo S em 0-duas horas (74%, 76% e 43%m respectivamente, p = 0,001) e 0-24 horas (71%, 76% e 38%, respectivamente, p < 0,0005). A incidência de náusea em 0-duas horas (Grupo S = 57%, Grupo P = 26% e Grupo PS = 21%, p = 0,001) e 0-24 horas (Grupo S = 62%; Grupo P = 29% e grupo PS = 21%, p < 0,0005) também foi significativamente diferente entre os grupos. Porém, não houve diferença significativa entre os grupos em relação à incidência ou frequência de vômitos ou uso de antiemético de resgate em 0-24 horas. CONCLUSÃO: A combinação de propofol e anestesia volátil durante a laparoscopia ginecológica efetivamente diminui a incidência de náusea no pós-operatório.
Descritores: Propofol/administração & dosagem
Laparoscopia/métodos
Anestésicos Combinados/administração & dosagem
Náusea e Vômito Pós-Operatórios/epidemiologia
Éteres Metílicos/administração & dosagem
-Dor Pós-Operatória/epidemiologia
Procedimentos Cirúrgicos em Ginecologia/métodos
Fatores de Tempo
Incidência
Anestésicos Intravenosos/administração & dosagem
Anestésicos Inalatórios/administração & dosagem
Náusea e Vômito Pós-Operatórios/tratamento farmacológico
Sevoflurano
Pessoa de Meia-Idade
Antieméticos/uso terapêutico
Limites: Humanos
Masculino
Adulto
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 109 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1128002
Autor: Sá, Caroline Uberteli de; Rodrigues, Andrea Bezerra; Oliveira, Patrícia Peres de; Andrade, Cláudia Toledo de; Amaral, Juliana Gimenez.
Título: Qualidade de vida e pessoas em uso de antineoplásicos: estudo descritivo / Quality of life and people using antineoplastic agents: a descriptive study / Calidad de vida de las personas usando antineoplásicos: estudio descriptivo
Fonte: Online braz. j. nurs. (Online);13(4):579-590, dez. 2014. tab.
Idioma: en; es; pt.
Resumo: OBJETIVOS: avaliar a qualidade de vida das pessoas que apresentaram náuseas e vômitos induzidos por antineoplásicos e correlacionar a qualidade de vida com o potencial emetogênico do protocolo quimioterápico e com o dimensionamento do esquema antiemético. MÉTODO: estudo descritivo, quantitativo, realizado em um ambulatório de onco-hematologia de um hospital do município de São Paulo. Foi utilizado o questionário SF-36 para avaliar a qualidade de vida dos indivíduos e um questionário de caracterização da população. RESULTADOS: a maior parte dos participantes do sexo feminino (70%), com idade entre 60 a 69 anos (33%), apresentava câncer ginecológico (30%) e realizava tratamento com protocolo de moderado potencial emetogênico (70%). DISCUSSÃO: constatou-se comprometimento em todos os domínios de qualidade de vida avaliados. Não houve diferença significativa quando comparados os potenciais emetogênicos e os dimensionamentos antieméticos. CONCLUSÃO: os domínios de qualidade de vida mais afetados nesses indivíduos foram a limitação física e a vitalidade.

AIMS: To evaluate the quality of life of people presenting nausea and vomiting induced by antineoplastic agents, and to correlate quality of life with the emetogenic potential of chemotherapeutic protocols and with the dimensioning of the antiemetic scheme. METHOD: This is a descriptive, quantitative study, performed in an onco-hematologic ward of a hospital located in the municipality of São Paulo, Brazil. The standard SF-36 questionnaire was used to evaluate the quality of life of the individuals, and another questionnaire was used to characterize the targeted population. RESULTS: The largest number of the participants was female (70%), aged between 60 and 69 years old (33%), diagnosed with gynecological cancer (30%), and were following treatment protocols with moderate emetogenic potential (70%). DISCUSSION: Commitment was observed in all evaluated domains of quality of life. There was no significant difference when compared to emetogenic potentials or antiemetic dimensioning. CONCLUSION: The most highly affected domains of quality of life for these individuals were physical limitation and vitality.

OBJETIVOS: evaluar la calidad de vida de las personas que presentaron náuseas y vómitos inducidos por antineoplásicos y correlacionar la calidad de vida con el potencial emetogénico del protocolo quimioterápico y con el dimensionamiento del esquema antiemético. MÉTODO: estudio descriptivo, cuantitativo, realizado en una clínica de onco-hematología de un hospital del municipio de São Paulo. Fue utilizado el cuestionario SF-36 para evaluar la calidad de vida de los individuos y un cuestionario de caracterización de la población. RESULTADOS: la mayor parte de los participantes del sexo femenino (70%), con edad entre 60 a 69 años (33%), tenía cáncer ginecológico (30%) y realizaba tratamiento con protocolo de un moderado potencial emetogénico (70%). DISCUSIÓN: se constataron perjuicios en todos los dominios de calidad de vida evaluados. No hubo diferencia significativa cuando se compararon los potenciales emetogénicos y los dimensionamientos antieméticos. CONCLUSIÓN: los dominios de calidad de vida más afectados en esos individuos fueron la limitación física y la vitalidad.
Descritores: Qualidade de Vida
Vômito
Protocolos Antineoplásicos
Antieméticos/uso terapêutico
Náusea
Antineoplásicos/efeitos adversos
-Enfermagem Oncológica
Efeitos Colaterais e Reações Adversas Relacionados a Medicamentos
Neoplasias
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR1342.1 - Biblioteca da Escola de Enfermagem BENF


  3 / 109 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-177925
Autor: Gómez M., Henry; Mas L., Luis; Vallejos S., Carlos.
Título: Tropisetron mas dexametasona en el control de náuseas y vómitos en pacientes con quimioterapia emetizante / Tropisetron with Dexametasone in the control of nausea and vomiting in emetogenic chemotherapy
Fonte: Acta cancerol;25(2):55-60, jun. 1995. ilus, tab.
Idioma: es.
Resumo: Entre abril y setiembre de 1993 un total de 31 pacientes con enfermedad neoplásica, participaron en un estudio comparativo de tres brazos, recibiendo por primera vez quimioterapia en base a cisplatino (CDDP) 100 mg/m². Los pacientes fueron asignados en forma aleatoria a uno de los siguientes brazos, tropisetron (TROP) 5 mg iv (grupo 1), TROP 5 mg con dexametasona (DEX) 20 mg iv (grupo 2) 10 mg con DEX 20 mg iv (grupo 3) en el primer día, en los siguientes cinco días 5 mg de TROP vía oral. Los 57 cursos de antiemesis fueron administrados 10 min. antes de iniciar la quimioterapia. La distribución por sexos fue 18 mujeres y 13 varones; la edad media fue de 43 años (15-69) y la condición de actividad (OMS) <1. No existió diferencia estadística entre los grupos en estudio. La localización de la neoplasia fueron ovario 9 (29 por ciento), cervix 7 (22.6 por ciento), testículo 6 (19.3 por ciento), pulmón 3 (9.6 por ciento) y otros 6 (19.3 por ciento). Los regímenes de quimioterapia administrados CDDP+CTX 28 (49.1 por ciento), CDDP 12 (21.1 por ciento),CDDP+5FU 9 (15.8 por ciento) y otros 8 (14 por ciento). Los resultados fueron registrados diariamente por los pacientes. El 50 por ciento de los dos grupos de pacientes que recibieron Trop + Dexam tuvieron respuesta completa contra 5 por ciento del grupo de tropisetron sólo (p=0.002). Los tres grupos fueron comparados en relación al control total del vómito, en el segundo día de terapia (p=0.0232), después de 72 horas no existían diferencias entre los tres grupos. No hubo efectos colaterales limitantes. TROP es claramente efectivo en terapias con cisplatino 50 mg/m² y otros, cuando comparamos con TROP+DEX en quimioterapia altamente emetizante CDDP 100 mg/m², estos resultados indican que la combinación de TROP 5 ó 10 mg es mejor que administrarlo sólo durante las primeras 24 horas
Descritores: Dexametasona/administração & dosagem
Dexametasona/uso terapêutico
Cisplatino/administração & dosagem
Cisplatino/efeitos adversos
Antieméticos/administração & dosagem
Antieméticos/uso terapêutico
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: PE1.1 - Oficina Universitária de Biblioteca


  4 / 109 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1115229
Autor: Tibaduiza Mogollón, Yuriet Alexandra; Miranda Díaz, Audrey José.
Título: Extrapiramidalismo por antieméticos / Extrapyramidal Side Effects of Antiemetics / Reações extrapiramidais causadas por antieméticos
Fonte: Rev. MED;27(2):63-72, jul.-dic. 2019.
Idioma: es.
Resumo: Resumen: Los antieméticos son usados frecuentemente por diversas áreas de la medicina, aunque existe una tendencia a subestimar sus efectos adversos neurológicos. El objetivo del presente estudio de revisión fue revisar la literatura sobre la fisiología, farmacología, factores predisponentes, clínica y manejo del extrapiramidalismo por antieméticos. Se realizó una búsqueda en la literatura de artículos de revistas científicas, libros y trabajos de grado. Se utilizaron los buscadores Medline, LILACS, PubMed, EMBASE, Current contents y Google Scholar con las siguientes palabras claves: deshidratación, gastroenteritis, vómitos, antieméticos, distonía, dopamina, hipertermia, citocromo, meto-clopramida y domperidona. Se obtuvieron 252 artículos, de los cuales 50 fueron considerados aptos para la revisión. A partir del análisis, se concluyó que el uso de antieméticos es de uso frecuente por medicina general y especialidades como anestesiología y pediatría, por lo cual un conocimiento sobre los efectos extrapiramidales permitirá un diagnóstico y manejo temprano.

Abstract: Antiemetics are frequently used by various areas of medicine, although there is a tendency to underestimate their neurological adverse effects. This paper aims to review the literature on the physiology, pharmacology, predisposing factors, clinical picture, and management of the extrapyramidal side effects of antiemetics. Scientific journal articles, books, and dissertations were searched. The search engines Medline, LILACS, PubMed, EMBASE, Current Contents, and Google Scholar were used with the following keywords: dehydration, gastroenteritis, vomit, antiemetics, dystonia, dopamine, hyperthermia, cytochrome, metoclopramide, and domperidone. Two hundred and fifty-two articles were obtained, 50 of which were considered suitable for review. From the analysis, it was concluded that antiemetics are often used by general medicine and specialties such as anesthesiology and pediatrics; therefore, knowledge of the extrapyramidal effects will allow early diagnosis and treatment.

Resumo: Os antieméticos são frequentemente usados por diversas áreas da medicina, embora possamos constatar uma tendência a subestimar seus efeitos adversos neurológicos. O objetivo do presente estudo é revisar a literatura sobre a fisiologia, a farmacologia, os fatores predisponentes, a clínica e o tratamento de reações extrapiramidais causadas por antieméticos. Foi realizada uma busca na literatura por artigos de revistas científicas, livros e monografias. Os mecanismos de busca Medline, LILACS, PubMed, EMBASE, Current contents e Google Scholar foram utilizados com as seguintes palavras-chave: desidratação, gastroenterite, vómito, antieméticos, distonia, dopamina, hipertermia, citocromo, metoclopramida e domperidona. Foram encontrados 252 artigos, dos quais 50 foram considerados aptos para a revisão. A partir da análise, concluiu-se que os antieméticos são frequentemente utilizados pela medicina geral e especialidades, como anestesiologia e pediatria, portanto, o conhecimento dos efeitos extrapiramidais possibilitará um diagnóstico e tratamento precoces.
Descritores: Doenças dos Gânglios da Base
-Pediatria
Farmacologia
Gastroenterite
Antieméticos
Limites: Humanos
Criança
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: CO87.1 - Biblioteca Médica


  5 / 109 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-954900
Autor: Parra-Güiza, Rodolfo; Meléndez, Hector Julio; Ochoa, Miguel Enrrique.
Título: Eficacia profiláctica de ondansetrón y dexametasona en náusea y vómito posterior a cesárea con opioides neuroaxiales como coadyuvantes. Ensayo clínico controlado / Prophylactic efficacy of ondansetron and dexamethasone in nausea and vomit in patients undergoing cesarean section with neuraxial opioids. Controlled clinical trial
Fonte: Med. UIS;31(1):31-38, ene.-abr. 2018. tab, graf.
Idioma: es.
Resumo: Resumen Introducción: La anestesia subaracnoidea es la técnica más empleada para realización de cesáreas usando opioides neuroaxiales, cuyos principales eventos adversos son náusea y vómito. Objetivo: Establecer la eficacia de ondansetrón y dexametasona en la profilaxis de náuseas y vómitos en pacientes sometidos a cesárea. Materiales y métodos: Una muestra de 300 embarazadas llevadas a cesárea no emergente bajo anestesia subaracnoidea fueron asignadas aleatoriamente en tres grupos: DEX (dexametasona 4 mg), OND (ondansetrón 4 mg), PLB (placebo 5 mL de solución salina normal). La técnica anestésica se estandarizó con 9 mg de bupivacaína al 0.5%, 100 mcg de morfina y 25 mcg de fentanilo Intratecal. Se evaluó el resultado de interés durante el intraoperatorio, a las 2, 6 y 24 horas post-anestesia, con un nivel de significancia α de 0,05. Resultados: El RR en el grupo DEX para vómito fue 0,46 (IC95%: 0,28-0,76), y para náusea fue 0,79 (IC95%: 0,64-0,96). En el grupo OND el RR para vómito fue 0,41 (IC95%: 0,24-0,69) y para náusea 0,75 (IC95%: 0,67-0,84). La severidad de la náusea fue menor y significativa en el grupo OND durante todo el tiempo evaluado (p<0.001). Conclusiones: La dexametasona 4 mg y el ondansetrón 4 mg mostraron eficacia para disminuir el riesgo de náusea y vómito postoperatorio en pacientes sometidas a cesárea bajo anestesia subaracnoidea cuando se usan opioides neuroaxiales. Trial registration: (ISRCTN 57227250). MÉD.UIS. 2018;31(1):31-8.

Abstract Background: Subarachnoid anesthesia is the most common technique for cesarean section and coadjuvant opioids such as morphine and fentanyl have adverse events, predominantly nausea and vomit. A randomized, placebo-controlled trial was performed to evaluate the prophylactic effect of ondansetron and dexamethasone on these events. Objective: To establish the efficacy of ondansetron and dexamethasone in nausea and vomit prophylaxis in patients undergoing cesarean section. Method: A sample of 300 pregnant women was randomized in 3 groups: dexamethasone 4 mg, ondansetron 4 mg, and placebo. Standardized dose of 9 mg of bupivacaine at 0,5% 100 mcg of morphine and 25 mcg of intratechal fentanyl were administered to all patients. Both dexamethasone and ondansetron were compared against placebo. Emergency cesarean section, ASA III and allergic patients to any study drugs were excluded. Nausea and vomiting were evaluated intraoperative, 2, 6 and 24 hours after anesthesia, with a significance level α of 0,05. Results: On dexamethasone group the RR for vomit was 0,46 (CI 95% 0,28 to 0,76) and 0,79 (CI 95% 0, 64-0,96) for nausea. On the ondansetron group, it was 0.41 (CI 95% 0,24- 0,69) for vomit and 0,75 (CI 95% 0,67 a 0,84) for nausea. The severity of nausea was statistically lower on the ondansetron group through the entire follow-up. There was no nausea after 6 hours in the dexamethasone group. Conclusions: Both dexamethasone and ondansetron showed efficacy as a prophylactic treatment against the onset of nausea and vomit in patients undergoing cesarean section with subarachnoid anesthesia and neuroaxial opioids. Trial registration: (ISRCTN 57227250). MÉD.UIS. 2018;31(1):31-8.
Descritores: Cesárea
Raquianestesia/efeitos adversos
-Eficácia
Ensaio Clínico
Náusea e Vômito Pós-Operatórios
Anti-Inflamatórios
Morfina
Antieméticos
Limites: Humanos
Feminino
Gravidez
Adulto
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: CO48.1 - Biblioteca Médica


  6 / 109 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-894099
Autor: Epifanio, Matias; Portela, Janete de L; Piva, Jefferson P; Ferreira, Cristina H Targa; Sarria, Edgar E; Mattiello, Rita.
Título: Bromopride, metoclopramide, or ondansetron for the treatment of vomiting in the pediatric emergency department: a randomized controlled trial / Bromoprida, metoclopramida ou ondansetrona no tratamento de vômito no departamento de emergência pediátrica: ensaio controlado randomizado
Fonte: J. pediatr. (Rio J.);94(1):62-68, Jan.-Feb. 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Objective: To compare the effectiveness of a single intramuscular dose of bromopride, metoclopramide, or ondansetron for treating vomiting. Methods: Randomized controlled trial including children 1-12 years of age presenting with acute vomiting at the pediatric emergency department. Outcomes: Number of children that stopped vomiting at one, six, and 24 h following treatment; episodes of diarrhea; acceptance of oral liquids; intravenous rehydration; return to hospital and side effects. Results: There were 175 children who completed the study. Within the first hour after treatment, all drugs were equally effective, with ondansetron preventing vomiting in 100%, bromopride in 96.6%, and metoclopramide in 94.8% of children (p = 0.288). Within six hours, ondansetron was successful in preventing vomiting in 98.3% of children, compared to bromopride and metoclopramide, which were successful in 91.5% and 84.4% of patients, respectively (p = 0.023). Within 24 h, ondansetron was superior to both other agents, as it remained efficacious in reducing vomiting in 96.6% of children, as opposed to 67.8% and 67.2% with bromopride and metoclopramide, respectively (p = 0.001). The ondansetron group showed better acceptance of oral liquids (p = 0.05) when compared to the bromopride and metoclopramide. The ondansetron group did not show any side effects in 75.9% of cases, compared to 54.2% and 53.5% in the bromopride and metoclopramide groups, respectively. Somnolence was the most common side effect. Conclusions: A single dose of ondansetron is superior to bromopride and metoclopramide in preventing vomiting six hours and 24 h following treatment. Oral fluid intake after receiving medication was statistically better with Ondansetronwhile also having less side effects compared to the other two agents.

Resumo Objetivo: Para comparar a eficacia de uma unica dose intramuscular de bromoprida, metoclopramida ou ondansetrona no tratamento de vomito. Métodos: Ensaio controlado randomizado incluindo crianc¸as de 1 a 12 anos de idade que apresentam vomito agudo no departamento de emergencia pediatrica. Desfechos: Numero de crianças que pararam de vomitar 1, 6 e 24 horas apos o tratamento; episodios de diarreia; aceitac¸ao de liquidos orais; reidratac¸ao intravenosa, retorno ao hospital e efeitos colaterais. Resultados: 175 crianças concluiram o estudo. Na primeira hora apos o tratamento, todos os medicamentos foram igualmente eficazes, sendo que a ondansetrona preveniu vomito em 100%, a bromoprida em 96,6% e metoclopramida em 94,8% das crianças (p = 0,288). Em 6 horas, a ondansetrona mostrou sucesso na prevençao do vomito em 98,3% das crianças, em comparac¸ao a bromoprida e a metoclopramida, que mostraram sucesso em 91,5% e 84,4% dos pacientes, respectivamente (p = 0,023). Em 24 horas, a ondansetrona foi superior aos dois outros agentes, pois ela continuou eficaz na reduçao do vomito em 96,6% das crianças, diferente de 67,8% e 67,2% com bromoprida e metoclopramida, respectivamente (p = 0,001). O grupo de ondansetrona mostrou melhor aceitaçao de liquidos orais (p = 0,05) em comparaçao a bromoprida e metoclopramida. O grupo de ondansetrona nao mostrou efeitos colaterais em 75,9% dos casos, em comparaçao a 54,2% e 53,5% dos grupos de bromoprida e metoclopramida. O efeito colateral mais comum foi sonolencia. Conclusões: Uma unica dose de ondansetrona e superior a bromoprida e metoclopramida no tratamento de vomito 6 horas e 24 horas apos o tratamento. A ingestao de fluidos orais apos receber medicaçao foi estatisticamente melhor com ondansetrona, ao mesmo tempo em que tambem apresentando menos efeitos colaterais em comparaçao aos outros dois agentes.
Descritores: Vômito/tratamento farmacológico
Ondansetron/administração & dosagem
Metoclopramida/administração & dosagem
Metoclopramida/análogos & derivados
Antieméticos/administração & dosagem
-Doença Aguda
Resultado do Tratamento
Serviço Hospitalar de Emergência
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Lactente
Pré-Escolar
Criança
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Ensaio Clínico Fase IV
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 109 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-683430
Autor: Chinzon, Décio; Zuquim, Sílvio Luiz.
Título: Uso racional de antieméticos na gastroenterite aguda / Rational use of antiemetics in acute gastroenteritis
Fonte: RBM rev. bras. med;70(4), abr. 2013.
Idioma: pt.
Resumo: A concomitância de episódios de vômito com a diarreia aguda é alta em crianças com gastroenterite aguda (GECA), possivelmente devido à estimulação do centro do vômito por sinais periféricos resultantes da irritação da mucosa intestinal. Apesar do vômito ser um sintoma autolimitado que representa uma resposta fisiológica para livrar o organismo de compostos tóxicos, inúmeros estudos já demonstraram que, na prática clínica, os antieméticos são comumente prescritos para crianças com GECA, por ser o vômito um sintoma desconfortável, que pode aumentar a probabilidade de desidratação, desequilíbrio eletrolítico, aspiração pulmonar e necessidade de hidratação endovenosa. O dimenidrinato, um anti-histamínico que bloqueia os receptores H1 no núcleo do trato solitário e os receptores muscarínicos-colinérgicos do centro do vômito, é considerado um antiemético seguro para a população pediátrica. Embora o comprimido de dimenidrinato já tenha um início de ação relativamente rápido dentre os antieméticos mais utilizados, uma nova formulação líquida em cápsula gelatinosa mole (Capsgel) foi desenvolvida com o objetivo de acelerar sua dissolução, uma vez que a forma menos complexa de oferecer um composto ao trato gastrointestinal é administrá-lo como uma solução, o que remove qualquer etapa limitante para a dissolução no processo de absorção, que pode tornar-se mais rápida e uniforme. A apresentação do dimenidrinato em cápsulas gelatinosas moles pode ser uma alternativa terapêutica em crianças com GECA para as quais se julgar que os potenciais benefícios de um medicamento antiemético sobrepujam os riscos...
Descritores: Antieméticos
Gastroenterite
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR12.1 - Biblioteca Setorial da Ciências da Saúde


  8 / 109 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-593609
Autor: Barbieri, Dorina.
Título: Bromoprida e suas aplicações em Pediatria / Bromopride and applications in pediatrics
Fonte: Pediatr. mod;47(3), maio-jun. 2011.
Idioma: pt.
Resumo: As autoras analisam as aplicações da bromoprida em Pediatria, atualizando dados sobre sua farmacocinética, farmacodinâmica, as possíveis reações colaterais decorrentes de seu uso, bem como as principais indicações e respectiva posologia, complementando o trabalho com extensa relação de referências bibliográficas.
Descritores: Antieméticos/farmacocinética
Antieméticos/síntese química
Antieméticos/uso terapêutico
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adulto
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR12.1 - Biblioteca Setorial da Ciências da Saúde


  9 / 109 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Castiglia, Yara Marcondes Machado
Texto completo
Id: lil-306849
Autor: Ganem, Eliana M; Fabris, Paula; Moro, Marlene Z; Castiglia, Yara Marcondes Machado.
Título: Eficácia do ondansetron e da alizaprida na prevençäo de náusea e vômito em laparoscopia ginecológica / Efficacy of ondansetron and alizapride in preventing gynecological laparoscopy nausea and vomiting
Fonte: Rev. bras. anestesiol;51(5):401-406, set.-out. 2001. tab.
Idioma: en; pt.
Resumo: Justificativa e Objetivos: A laparoscopia ginecológica é procedimento que determina alta incidência de náusea e vômito em pacientes submetidas à laparoscopia ginecológica. Método: Participaram do estudo 52 pacientes, estado físico ASA I ou II, com idades entre 21 e 50 anos, sem queixas gástricas prévias, submetidas à laparoscopia para diagnóstico ou cirurgia. As pacientes foram divididas em 2 grupos: o grupo 1 recebeu ondansetron (4mg) e o grupo 2, alizaprida (50 mg), por via venosa, antes da induçäo da anestesia. Todas as pacientes receberam midazolan (7,5 mg) por via oral como medicaçäo pré-anestésica, sufentanil (0,5 µg.kg-û) e propofol (2 mg.kg-û) para induçäo, propofol (115 µg.kg-û) e N2O/O2 em fraçäo inspirada de O2 a 40 por cento para manutençäo e atracúrio (0,5 mg.kg-û) como bloqueador neuromuscular. A analgesia pós-operatória foi realizada com cetoprofeno (100 mg) e buscopam composto. Resultados: Ambos os grupos foram idênticos quanto aos dados antropemétricos e a duraçäo da cirurgia e da anestesia. No grupo 2, uma paciente apresentou náusea e três vomitaram, resultados estatisticamente näo significativos. Concluöes: O ondansetron e a alizaprida foram similares na prevençäo de náusea e vômito em pacientes submetidas à laparoscopia ginecológica
Descritores: Procedimentos Cirúrgicos em Ginecologia
Ondansetron
Laparoscopia
Antieméticos/administração & dosagem
Antieméticos/uso terapêutico
/prevenção & controle
NAUSEA E VOMITO POS-OPERATORIO/prevenção & controle
-Ginecologia
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR14.1 - Biblioteca Central


  10 / 109 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-995641
Autor: Núcleo de Telessaúde da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
Título: TeleCondutas: tremor e síndromes parkinsonianas / TeleGuides: tremor and parkinsonian syndromes.
Fonte: Porto Alegre; Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Telessaúde; 2017. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: As principais causas de tremor em pacientes atendidos na Atenção Primária à Saúde são: exacerbação de tremor fisiológico, tremor essencial (acomete 5% da população acima de 40 anos) e as síndromes parkinsonianas. É importante definir corretamente sua origem, pois o tratamento e o prognóstico são variados. Esta guia apresenta informação que orienta a conduta para casos de tremor e síndromes parkinsonianas no contexto da Atenção Primária à Saúde, incluindo: etiologia do tremor e síndromes parkinsonianas, avaliação clínica, tipos de tremor, sintomas cardinais de parkinsonismo, medicamentos indutores, fluxograma de avaliação do tremor, exames complementares, tratamento do tremor essencial e doença de parkinson, encaminhamento para serviço especializado.
Descritores: Transtornos Parkinsonianos/diagnóstico
Transtornos Parkinsonianos/terapia
Tremor Essencial/diagnóstico
Tremor Essencial/terapia
-Atenção Primária à Saúde
Encaminhamento e Consulta
Antipsicóticos/uso terapêutico
Bloqueadores dos Canais de Cálcio/uso terapêutico
Hipocinesia
Antieméticos/uso terapêutico
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Guia de Prática Clínica
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 11 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde