Base de dados : LILACS
Pesquisa : D27.505.954.427.637 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 30 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 3 ir para página          

  1 / 30 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1039746
Autor: Cândido, Raissa Carolina Fonseca; Perini, Edson; Pádua, Cristiane Menezes de; Junqueira, Daniela Rezende.
Título: Prevalence of and factors associated with the use of methylphenidate for cognitive enhancement among university students / Prevalência e fatores associados ao uso de metilfenidato para neuroaprimoramento farmacológico entre estudantes universitários
Fonte: Einstein (Säo Paulo);18:eAO4745, 2020. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais.
Resumo: ABSTRACT Objective To estimate the prevalence of and factors associated with the use of methylphenidate for cognitive enhancement among undergraduate students. Methods Simple random sample of students of the Universidade Federal de Minas Gerais (n=438), invited to answer an online questionnaire about the use of methylphenidate. Data collection occurred from September 2014 to January 2015. The sample was described by means of proportions, means and standard deviations. A multivariate analysis was performed using the Classification and Regression Tree algorithm to classify the cases of use of methylphenidate for cognitive enhancement in groups, based on the exposure variables. Results Out of 378 students included, 5.8% (n=22) reported using methylphenidate for cognitive enhancement; in that, 41% (9/22) in the 4 weeks prior to the survey. The housing situation was the variable most often associated with the use of methylphenidate for cognitive enhancement. Eleven students reported using methylphenidate for cognitive enhancement and other purposes 4 weeks prior to the survey, 27% of whom had no medical prescription to purchase it. Conclusion The use of methylphenidate for cognitive enhancement is frequent among Brazilian undergraduate students and should be considered a serious public health problem, especially due to risks of harm and adverse effects associated with its use.

RESUMO Objetivo Estimar a prevalência e os fatores associados ao uso de metilfenidato para neuroaprimoramento entre estudantes universitários. Métodos Amostra aleatória simples de discentes da Universidade Federal de Minas Gerais (n=438), convidados a responder um questionário online sobre o consumo de metilfenidato. A coleta ocorreu de setembro de 2014 a janeiro de 2015. A amostra foi descrita em termos de proporções, médias e desvio padrão. A análise multivariada foi realizada utilizando o algoritmo Classification and Regression Tree para classificação dos casos de uso do metilfenidato para neuroaprimoramento em grupos, com base nas variáveis de exposição. Resultados Dos 378 alunos incluídos, 5,8% (n=22) declararam ter feito uso de metilfenidato para neuroaprimoramento, sendo 41% (9/22) nas 4 semanas anteriores à pesquisa. A situação da moradia foi a variável mais associada ao uso de metilfenidato para neuroaprimoramento. Relataram o uso do metilfenidato para neuroaprimoramento e outros fins nas 4 semanas anteriores à pesquisa 11 estudantes, sendo que 27% não apresentaram prescrição médica para adquiri-lo. Conclusão O uso de metilfenidato para neuroaprimoramento ocorre no meio acadêmico brasileiro e deve ser considerado sério problema de saúde pública, principalmente diante dos riscos de danos e efeitos adversos associados ao seu uso.
Descritores: Estudantes/estatística & dados numéricos
Universidades/estatística & dados numéricos
Nootrópicos/administração & dosagem
Nootrópicos/uso terapêutico
Estimulantes do Sistema Nervoso Central/administração & dosagem
-Fatores Socioeconômicos
Estudantes/psicologia
Brasil/epidemiologia
Árvores de Decisões
Exercício Físico/psicologia
Características de Residência/estatística & dados numéricos
Prevalência
Estudos Transversais
Inquéritos e Questionários
Fatores de Risco
Uso Off-Label/estatística & dados numéricos
Metilfenidato/administração & dosagem
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 30 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Yaegashi, Solange Franci Raimundo
Texto completo
Id: biblio-1135773
Autor: Yaegashi, Solange Franci Raimundo; Maia, Robson Borges; Milani, Rute Grossi; Leonardo, Nilza Sanches Tessaro.
Título: Aprimoramento cognitivo farmacológico: motivações contemporâneas / Perfeccionamiento cognitivo farmacológico: motivaciones contemporáneas / Pharmacological cognitive enhancement: contemporary motivations
Fonte: Psicol. Estud. (Online);25:e46319, 2020.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO. O objetivo deste artigo, de caráter teórico descritivo, foi analisar as principais motivações para o aprimoramento cognitivo farmacológico na contemporaneidade, mediante o diálogo com autores que investigaram alguns fenômenos da denominada pós-modernidade, tais como Deleuze (1992), Foucault (2000), Bauman (2001) e Han (2015), além de autores do campo psicanalítico (Bezerra Júnior, 2010; Ferraz, 2014; Birman, 2014) que tecem críticas à questão da medicalização da educação e seus desdobramentos. Constatou-se que, na atualidade, a busca pelo aprimoramento cognitivo farmacológico está intimamente ligada ao estilo de vida e ao de sociedade construídos nas últimas décadas. Independentemente da palavra utilizada para nomear o momento histórico vivido, está cada vez mais difícil lidar com a realidade e, nesse contexto, o aprimoramento cognitivo farmacológico revela-se como uma das facetas do fenômeno recente conhecido como psiquiatrização da normalidade. Como resultado, nota-se também que o uso não médico e indiscriminado de medicamentos para 'turbinar' o cérebro tem tornado uma prática comum entre os estudantes universitários; por esse motivo, não se trata meramente de uma questão educacional relacionada à interferência nos processos de ensino e de aprendizagem, mas de um problema de saúde pública. Conclui-se que esse fenômeno suscita, na sociedade atual, desafios de diferentes ordens, razão pela qual merece atenção especial da comunidade científica.

RESUMEN. El objetivo de este artículo, de carácter teórico descriptivo, ha sido el de analizar las principales motivaciones para el perfeccionamiento cognitivo farmacológico en la contemporaneidad, el diálogo con autores que investigaron algunos fenómenos de la llamada posmodernidad, tales como Deleuze (1991), Foucault (2000), Bauman (2001) y Han (2015), además de autores del campo psicoanalítico (Bezerra Júnior, 2010; Ferraz, 2014; Birman, 2014) que lanzan críticas a la cuestión de la medicalización de la educación y sus desdoblamientos. Se constató que actualmente, la búsqueda por el perfeccionamiento cognitivo farmacológico está íntimamente conectada al estilo de vida y de la sociedad construido em las últimas décadas. Independientemente de la palabra utilizada para nombrar el momento histórico vivido, está cada día más difícil lidiar con la realidad y, en ese contexto, el perfeccionamiento cognitivo farmacológico se revela cómo a una de las facetas del fenómeno reciente conocido como psiquiatrización de la normalidad. Como resultado, se nota también que el uso no medico e indiscriminado de medicinas para potencializar el cerebro se ha tornado una práctica común entre los estudiantes universitarios; por ese motivo, no se trata meramente de una cuestión educacional relacionada a la interferencia en los procesos de enseñanza y aprendizaje, pero de un problema da salud pública, se concluye que ese fenómeno suscita, en la sociedad actual, desafíos de diferentes órdenes, razón por la cual merece atención especial de la comunidad científica.

ABSTRACT. The aim of this theoretical descriptive study was to analyze the main motivations for pharmacological cognitive enhancement in contemporary times through the dialogue with authors who investigated some phenomena of the so-called post-modernity, such as Deleuze (1992), Foucault (2000), Bauman (2001) and Han (2015), in addition to authors of the psychoanalytic field (Bezerra Júnior, 2010; Ferraz, 2014; Birman, 2014) that criticize the issue of medicalization of education and its consequences. It was found that, currently, the search for pharmacological cognitive enhancement is closely linked to the lifestyle and society built in the last decades. Regardless of the name given to the historical moment the society is, it is increasingly difficult to deal with reality and, in this context, the pharmacological cognitive enhancement is revealed as one of the facets of the recent phenomenon known as 'psychiatrization of normality'. As a result, it is also noted that the non-medical and indiscriminate use of drugs to boost brainpower has become a common practice among college students; for this reason, it is not merely an educational issue that may interfere with the teaching-learning process, but also a public health problem. It is concluded that this phenomenon raises, in today's society, challenges of different orders, which is why it deserves special attention from the scientific community.
Descritores: Preparações Farmacêuticas
Disfunção Cognitiva/psicologia
-Psiquiatria
Estudantes
Saúde Pública
Comportamento Competitivo/efeitos dos fármacos
Nootrópicos/farmacologia
Medicalização
Motivação/efeitos dos fármacos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR513.1 - Biblioteca Central


  3 / 30 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1115727
Autor: Piedra Alegría, Jonathan.
Título: Una aproximación bioética a la mejora cognitiva en individuos sanos: "más no es mejor" / A Bioethical Approach to Cognitive Enhancement in Healthy Individuals: "The More is not the Better" / Uma aproximação bioética para a melhoria cognitiva em indivíduos saudáveis: "mais não é melhor"
Fonte: Rev. latinoam. bioét;19(2):93-110, jul.-dic. 2019.
Idioma: es.
Resumo: Resumen: La discusión sobre el human enhancement es uno de los temas que ha tomado más relevancia dentro de los debates bioéticos actuales. En este artículo realizaremos un abordaje sobre este concepto, específicamente en relación al tema de la mejora cognitiva. Con la idea de crear un marco ético reflexivo, abordaremos el tema desde varias vertientes. En primer lugar, cómo se entiende la mejora cognitiva, a partir de dos aspectos distintos: la finalidad de la mejora y la acción mejoradora en sí misma. Posteriormente, se enfocarán los alcances de la mejora cognitiva desde la óptica de las investigaciones científicas sobre el tema. En la segunda parte del texto, analizaremos (a partir del meta-análisis de una selección de investigaciones científico-empíricas) el tema de si realmente se presenta una mejora y, de ser así, de qué clase de mejora se trata. Para finalizar, realizaremos una reflexión en torno a los problemas morales que presenta la mejora cognitiva, para concluir brevemente que este tipo de mejora solo se presenta en un sentido muy limitado, al tiempo que se encuentra justificada por un marco reduccionista de la cognición y, por lo tanto, del ser humano mismo.

Abstract: The discussion on human enhancement is one of the topics that has gained more relevance in the current bioethical debates. In this article we will approach this concept, specifically in relation to the cognitive enhancement. In order to create a reflexive ethical framework, we will approach the subject from different points of view. Firstly, how cognitive improvement is understood based on two different aspects: the enhancement purpose and the enhancing activity itself. Subsequently, the scope of cognitive enhancement will be approached from the perspective of scientific research on the subject. On the second part of this paper we will analyze (based on the metanalysis of a selection of technical-empirical research papers) whether there is an actual enhancement and, if there is, what kind of enhancement is it. Finally, we will carry out a reflection around the moral problems represented by cognitive enhancement, to briefly conclude that this kind of enhancement occurs in a very limited manner while being justified from a reductionist framework of cognition and therefore of the human being.

Resumo: A discussão sobre o human enhancement é um dos tópicos que ganhou maior relevância nos atuais debates bioéticos. Neste artigo, abordaremos esse conceito, especificamente em relação à questão da melhoria cognitiva. Com a ideia de criar um marco ético reflexivo, abordaremos a questão sob vários aspectos. Primeiro, como a melhoria cognitiva é entendida, com base em dois aspectos diferentes: a finalidade da melhoria e a própria ação de melhoria. Posteriormente, o alcance da melhoria cognitiva será focado na perspectiva das pesquisas científicas sobre essa temática. Na segunda parte do texto, analisaremos (a partir da meta-análise de uma seleção de pesquisas científico-empíricas) a questão de saber se uma melhoria é realmente apresentada e, em caso afirmativo, de que tipo de melhoria se trata. Finalmente, realizaremos uma reflexão sobre os problemas morais apresentados pela melhoria cognitiva, concluindo brevemente que esse tipo de melhoria ocorre apenas em um sentido muito limitado, sendo justificado por um marco reducionista da cognição e, portanto, do próprio ser humano.
Descritores: Nootrópicos
-Terapêutica
Melhoramento Biomédico
Temas Bioéticos
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: CO87 - Hemeroteca de la Universidad Militar Nueva Granada


  4 / 30 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1101910
Autor: Castro, Bruno de.
Título: Aprimoramento cognitivo e a produção de modos de subjetividade: um estudo sobre o uso de substâncias "nootrópicas" a partir de um blog brasileiro / Cognitive enhancement and the production of subjectivity modes: a study on the use of nootropics according to a Brazilian blog
Fonte: Saúde Soc;29(1):e190936, 2020. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O consumo de medicamentos para aprimorar processos mentais, como memória, concentração e estado de alerta, tem se expandido. As chamadas smart drugs e fármacos nootrópicos são utilizados na expectativa de obter melhor desempenho em tarefas profissionais e acadêmicas. Este artigo analisa a difusão do uso de medicamentos para aprimoramento cognitivo, a partir de um blog brasileiro chamado Cérebro Turbinado, com ênfase na discussão da categoria "nootrópicos". A metodologia adotada foi a pesquisa socioantropológica documental, baseada em materiais de divulgação científica que integram o conteúdo do blog, criado em 2015 por um estudante de medicina de uma universidade pública. O blog apresenta os nootrópicos como opções mais acessíveis, seguras e igualmente eficazes em comparação com os medicamentos psicotrópicos utilizados como smart drugs. Editor e leitores produzem um saber coletivo para otimizar o desempenho cerebral. As experiências pessoais evidenciam a maneira como os indivíduos interpretam seus estados corporais e os relacionam com os medicamentos. Na esteira dos processos de farmacologização da sociedade, a produção de modos de subjetividade baseadas em uma concepção individualista dos processos de saúde/doença/incapacidade, apoiada na compreensão neuromolecular do cérebro, fundamenta-se no compartilhamento de práticas e conhecimentos sobre tais substâncias.

Abstract The use of drugs to improve mental processes, such as memory, concentration and alertness, has been increasing. Nicknamed "smart drugs", nootropic drugs are used with the expectation that better performance can be achieved in professional and academic tasks. This analyzes the spread of cognitive enhancement drugs according to a Brazilian blog called Cérebro Turbinado focusing on the discussion of the nootropic drugs category. This is a documentary socio-anthropological research grounded on the scientific outreach materials that integrate the blog content, created in 2015 by a medical student from a public university. The blog presents nootropics as the most affordable, safe and equally effective options for psychotropic drugs used as smart drugs. Editor and readers turn to the production of collective knowledge to optimize brain performance. The narratives of personal experiences highlight the way individuals interpret their body states and relate them to medication. In the wake of society's medicalization processes, the production of subjectivity modes based on an individualistic conception of health/disease/disability processes, supported by neuromolecular understanding of the brain, is grounded on the sharing of practices and knowledge about such substances.
Descritores: Psicofarmacologia
Automedicação
Nootrópicos
Melhoramento Biomédico
Medicalização/tendências
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  5 / 30 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-785881
Autor: Batistela, Silmara; Bueno, Orlando Francisco Amodeo; Vaz, Leonardo José; Galduróz, José Carlos Fernandes.
Título: Methylphenidate as a cognitive enhancer in healthy young people / Metilfenidato como ampliador cognitivo em jovens saudáveis
Fonte: Dement. neuropsychol;10(2):134-142tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT. The so-called cognitive enhancers have been widely and increasingly used by healthy individuals who seek improvements in cognitive performance despite having no pathologies. One drug used for this purpose is methylphenidate, a first-line drug for the treatment of attention deficit hyperactivity disorder (ADHD). Objective: The aim of the present study was to test the effect of acute administration of varying doses of methylphenidate (10 mg, 20 mg, 40 mg and placebo) on a wide range of cognitive functions in healthy young people. Methods: A total of 36 young university students and graduates participated in the study. The participants underwent tests of attention and of episodic, and working memory. Results: No differences in performance were observed on any of the tests. There was a dose-dependent (40 mg > placebo) effect on self-reported wellbeing. Conclusions: According to the recent literature, psychostimulant medications, such as methylphenidate, improve performance when cognitive processes are below an optimal level, which was not the case for the subjects of the present study. We suggest the impression that methylphenidate enhances cognitive performance in healthy young people, justifying its use, may be due to improvements in subjective wellbeing promoted by the drug.

RESUMO. Os chamados ampliadores cognitivos têm sido ampla e crescentemente utilizados por indivíduos saudáveis, que apesar de não apresentarem nenhum tipo de patologia, buscam por melhoras no desempenho cognitivo. Um fármaco utilizado para este fim é o metilfenidato, droga de primeira escolha para tratamento do transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). Objetivo: O presente estudo teve como objetivo verificar o efeito da administração aguda de diferentes doses de metilfenidato (10, 20 e 40 mg e placebo) sobre uma ampla gama de funções cognitivas em jovens saudáveis. Métodos: Participaram do estudo 36 jovens universitários ou graduados, tendo sido realizados testes de atenção, memória operacional, episódica. Resultados: Não foram observadas diferenças no desempenho dos sujeitos em nenhum dos testes. Houve efeito na auto-avaliação de bem estar, sendo este efeito dose dependente (40 mg > placebo). Conclusão: De acordo com a literatura recente, medicações psicoestimulantes, como o metilfenidato, produzem melhoras no desempenho quando os processos cognitivos estão abaixo de um nível ótimo, o que não era o caso dos sujeitos do presente estudo. Sugerimos que a impressão de que o metilfenidato melhora o desempenho cognitivo em pessoas jovens e saudáveis se deve ao seu efeito subjetivo de bem-estar.
Descritores: Cognição
Nootrópicos
Ética
Substâncias para Melhoria do Desempenho
Estimulantes do Sistema Nervoso Central
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: BR15.3 - Biblioteca Emília Bustamante


  6 / 30 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-908677
Autor: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos.
Título: Levetiracetam como terapia adjuvante em pacientes com epilepsia mioclônica juvenil resistentes à monoterapia / Levetiracetam as adjuvant therapy in patients with juvenile myoclonic epilepsy resistant to monotherapy.
Fonte: Brasília; CONITEC; jul. 2017. graf, ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: CONTEXTO: A epilepsia é uma doença cerebral crônica caracterizada pela recorrência de crises epilépticas não provocadas. Conforme Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) vigente do Ministério da Saúde (MS), o tratamento disponível no Sistema Único de Saúde (SUS) inclui os agentes antiepilépticos fenobarbital, fenitoína, primidona, topiramato, lamotrigina, carbamazepina e valproato de sódio. As epilepsias idiopáticas generalizadas são classificadas como síndromes epilépticas. A EMJ é a mais comum dentre as síndromes da adolescência e uma das mais frequentemente diagnosticadas. A maioria dos pacientes com EMJ apresentam bom controle do quadro clínico com a utilização do valproato de sódio em monoterapia, mas na falha ou impossibilidade de seu uso, fármacos como a lamotrigina e o levetiracetam podem ser utilizados. TECNOLOGIA: levetiracetam (Keppra®). INDICAÇÃO: Terapia adjuvante, ou seja em associação com o valproato de sódio, em pacientes com epilepsia mioclônica juvenil (EMJ) resistentes à monoterapia. PERGUNTA: O uso do levetiracetam em regime de terapia adjuvante, é eficaz, seguro e custoefetivo em relação à continuação da monoterapia em pacientes com epilepsia mioclônica juvenil, resistentes a outros agentess antiepilépticos na perspectiva do SUS? EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS: A evidência da utilização do levetiracetam associado à tratamento prévio com um agente antiepiléptico para o tratamento da EMJ é baseada em um ensaio clínico duplo-cego que apresentou redução significante de 50% no número de dias por semana com crises convulsivas s (OR = 4,77; IC 95% 2,12 ­ 10,77; p<0,0001 e um maior número de pacientes, que receberam levetiracetam, apresentaram ausência total de crises durante o tratamento (16,7% dos pacientes, p = 0,03, vs 3,3 % do grupo que recebeu placebo). AVALIAÇÃO ECONÔMICA: Foi apresentado um modelo de custo-efetividade comparando a monoterapia com ácido valpróico ao tratamento adjuvante do levetiracetam (associado) ao ácido valpróico. Foi elaborado um modelo baseado primeiramente em uma árvore de decisão, seguido por um modelo de Markov. No caso-base a razão de custo-utilidade incremental (RCUI) foi de R$ 58.294 por ano de vida ajustada pela qualidade, que na análise de sensibilidade univariada variou entre R$ 22.119 e R$ 80.359. Avaliação de Impacto Orçamentário: Conforme as estimativas feitas pelo demandante o impacto orçamentário será de aproximadamente R$ 1,58 milhão no primeiro ano e de R$ 43,6 milhões nos primeiros 5 anos após a incorporação. Na análise de sensibilidade realizada o impacto orçamentário para os próximos 5 anos variou entre R$ 14,5 e R$ 87,3 milhões. EXPERIÊNCIA INTERNACIONAL: o levetiracetam é utilizado em terapia adjuvante para o tratamento de crises mioclônicas em agências como o National Institute for Health and Clinical Excellence (NICE) e Canadian Agency for Drugs and Technologies in Health (CADTH), de acordo com condições estabelecidas Discussão: A evidência do tratamento com levetiracetam em pacientes resistentes à monoterapia padrão, associado ao medicamento já utilizado, ocasionou em redução significante de pelo menos 50% no número de dias por semana com crises convulsivas e um maior número de pacientes apresentaram ausência total de crises convulsivas durante seu período de seguimento. Porém trata-se de evidência indireta e de baixa qualidade. Os estudos para essa indicação da tecnologia são escassos e há baixa probabilidade de novos estudos serem realizados. A avaliação econômica foi custo-efetiva na adição do levetiracetam ao medicamento previamente utilizado em monoterapia, em pacientes resistentes, com um impacto orçamentário de até R$ 87,3 milhões em 5 anos, de acordo com a análise de sensibilidade. A secretaria executiva da CONITEC estimou o número de pacientes, que considera mais adequada para o cálculo, que foi 7,8% maior que a população considerada na análise do demandante, o que levaria a um impacto orçamentário ainda maior. RECOMENDAÇÃO DA CONITEC: A CONITEC em sua 54ª reunião no dia 06 de abril de 2017, recomendou preliminarmente a incorporação no SUS do levetiracetam como terapia adjuvante em pacientes com epilepsia mioclônica juvenil resistentes à monoterapia, condicionada à redução de preço e consonância com a atualização do PCDT de Epilepsia. Consulta pública: Foi realizada a Consulta Pública nº 22/2017, entre os dias 25/04/2017 e 16/05/2017 e recebeu 105 contribuições, sendo 88 sobre experiência ou opinião e 17 técnicocientíficas. Todas as contribuições foram avaliadas quantitativamente e qualitativamente. Seu conteúdo não trouxe novas evidências e informações que pudessem modificar a recomendação inicial da CONITEC. DELIBERAÇÃO FINAL: Os membros da CONITEC presentes na 56ª reunião ordinária do plenário do dia 07/06/2017 deliberaram, por unanimidade, por recomendar a incorporação do levetiracetam para pacientes com epilepsia mioclônica juvenil (EMJ) resistentes à monoterapia, associando-o ao medicamento já utilizado, condicionado à negociação de preço e conforme Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas do Ministério da Saúde. Foi assinado o Registro de Deliberação nº 264/2017.(AU)
Descritores: Anticonvulsivantes/uso terapêutico
Epilepsias Mioclônicas/tratamento farmacológico
Nootrópicos/uso terapêutico
Piracetam/análogos & derivados
-Brasil
Quimioterapia Adjuvante
Análise Custo-Benefício
Avaliação em Saúde/economia
Avaliação da Tecnologia Biomédica
Sistema Único de Saúde
Ácido Valproico/uso terapêutico
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Revisão
Relatório Técnico
Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 30 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-908633
Autor: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos.
Título: Levetiracetam para o tratamento de convulsões em pacientes com microcefalia / Levetiracetam for the treatment of seizures in patients with microcephaly.
Fonte: Brasília; CONITEC; jul. 2017. graf, ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: CONTEXTO: A infecção decorrente do Zika vírus vem apresentando possíveis complicações nos pacientes acometidos pela doença desde sua chegada ao Brasil. O Zika possui sintomas semelhantes aos outros flavivírus prevalentes no país, sendo transmitido pelo mesmo mosquito (Aedes aegypti). A doença tem sido associada ao desenvolvimento de microcefalia e alterações neurológicas em filhos de mulheres que tiveram contato com o vírus durante a gravidez, destacando-se relatos de episódios convulsivos. O SUS fornece medicamentos anticonvulsivantes para outras doenças com sintomas de convulsão, como a epilepsia. TECNOLOGIA: LEVETIRACETAM (KEPPRA®). INDICAÇÃO: CONVULSÕES EM PACIENTES PEDIÁTRICOS. PERGUNTA 1: O levetiracetam, em comparação aos tratamentos anticonvulsivantes disponíveis no SUS, é eficaz, efetivo e seguro no controle de convulsões em pacientes com microcefalia? PERGUNTA 2: O Levetiracetam, em comparação aos tratamentos anticonvulsivantes disponibilizados pelo SUS, é eficaz, efetivo e seguro no tratamento de convulsões em pacientes pediátricos com epilepsia? EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS: Foi elaborado um Parecer Técnico-Científico seguindo as Diretrizes do Ministério da Saúde. Após duas buscas contemplando os desfechos em questão, foram incluídos três estudos, sendo que dois deles comparavam o levetiracetam com carbamazepina e o último com o ácido valpróico. A análise do risco de viés evidenciou estudos com qualidade moderada. A avaliação conjunta dos estudos não demonstrou eficácia ou efetividade superior do levetiracetam em comparação aos anticonvulsivantes já padronizados pelo SUS. AVALIAÇÃO DE IMPACTO ORÇAMENTÁRIO: O custo incremental total estimado para o tratamento com levetiracetam na população pediátrica, com peso médio de 10 kg, foi de R$1.682.535,63 em cinco anos. EXPERIÊNCIA INTERNACIONAL: O levetiracetam foi incorporado como terapia adjuvante pela agência Inglesa e Escocesa. Pela agência do Canadá, existe o uso em primeira linha em algumas províncias ou em situações especiais. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Foram realizadas duas buscas para atender ao demandante, a Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco. Na primeira, não foi recuperado nenhum estudo e na segunda busca foram recuperados três estudos. Em nenhuma das publicações analisadas foram encontradas evidências da superioridade do Levetiracetam em comparação com a carbamazepina ou o ácido valpróico. DELIBERAÇÃO FINAL: Os membros da CONITEC, presentes na 57ª reunião ordinária, realizada nos dias 5 e 6 de julho de 2017, deliberaram por unanimidade recomendar a ampliação de uso do medicamento levetiracetam para o tratamento de convulsões em pacientes com microcefalia decorrente de infecção pelo vírus zika. Foi assinado o Registro de Deliberação nº nº 271/2017. DECISÃO: Incorporado levetiracetam para o tratamento de convulsões em pacientes com microcefalia segundo Portaria SCTIE/MS nº 38, DE 31 DE AGOSTO DE 2017.(AU)
Descritores: Anticonvulsivantes/uso terapêutico
Microcefalia
Nootrópicos/uso terapêutico
Piracetam/análogos & derivados
Convulsões/tratamento farmacológico
-Brasil
Análise Custo-Benefício
Avaliação da Tecnologia Biomédica
Sistema Único de Saúde
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Relatório Técnico
Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 30 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-908631
Autor: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos.
Título: Levetiracetam para o tratamento da epilepsia / Levetiracetam for the treatment of epilepsy.
Fonte: Brasília; CONITEC; jul. 2017. graf, ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: CONTEXTO: A epilepsia é uma desordem crônica neurológica prevalente, caracterizada por sinais e sintomas característicos (crises convulsivas) associados a descargas elétricas cerebrais anormais. O tratamento da epilepsia geralmente inclui o uso contínuo em longo prazo de medicamentos com efeito anticonvulsivante. No eixo topográfico, as epilepsias são separadas em generalizadas e focais. Este relatório foi elaborado como parte da conduta de revisão do PCDT de epilepsia e tem por objetivo avaliar as evidências de eficácia e segurança do levetiracetam no tratamento de epilepsia focal e generalizada, a fim de embasar a avaliação da CONITEC a respeito de sua incorporação na versão atualizada do PCDT. TECNOLOGIA: levetiracetam (Keppra®). INDICAÇÃO: Tratamento da epilepsia focal e generalizada. PERGUNTA: O uso do levetiracetam em monoterapia ou e em terapia de adição no tratamento de crianças ou adultos com epilepsia, crises focais (parciais) ou generalizadas, é eficaz, seguro e custo-efetivo, comparativamente ao tratamento ativo (antiepilépticos de primeira ou segunda linha previstos no PCDT de epilepsia) ou placebo? EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS: há evidências de superioridade do levetiracetam em comparação ao placebo, em terapia de adição, para o tratamento de crises focais e primariamente generalizada em crianças e adultos que não responderam à monoterapia, com magnitude de efeito pequena a moderada, com taxas de resposta maiores entre crianças. Não foram estudados efeitos adversos em longo prazo. Não foi possível estabelecer a relação de eficácia comparativa em relação a outros agentes potencialmente úteis após falha de agentes de segunda linha no tratamento de adição da epilepsia refratária. Mais estudos são necessários para estabelecer sua eficácia em monoterapia. O nível de evidência é muito baixo, pois se trata de ensaios clínicos abertos, com pequeno número de pacientes. AVALIAÇÃO DE IMPACTO ORÇAMENTÁRIO: O impacto orçamentário da incorporação do levetiracetam será superior à R$ 29 milhões de reais no primeiro ano, considerando um cenário base onde a assumiu-se que a dose média por paciente seria de 2000mg por dia. CONSIDERAÇÕES FINAIS: Há evidências de eficácia e segurança para a utilização do levetiracetam em terapia de adição para tratamento de pacientes com epilepsia focal e epilepsia primariamente generalizada em adultos e crianças com mais de 6 anos (12 anos para crises tônico-clônico generalizadas) que não responderam à monoterapia com anticonvulsivante de primeira linha conforme previsto no PCDT de epilepsia. RECOMENDAÇÃO FINAL: Os membros da CONITEC presentes na 57ª reunião ordinária do plenário realizada nos dias 05 e 06 de julho de 2017, recomendaram por unanimidade a ampliação de uso do levetiracetam para o tratamento da epilepsia conforme Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas do Ministério da Saúde. Foi assinado o Registro de Deliberação nº 272/2017. DECISÃO: Incorporado levetiracetam para o tratamento da epilepsia segundo Portaria SCTIE/MS nº 56, DE 1º DE DEZEMBRO DE 2017.(AU)
Descritores: Anticonvulsivantes/uso terapêutico
Epilepsia/tratamento farmacológico
Nootrópicos/uso terapêutico
Piracetam/análogos & derivados
-Brasil
Análise Custo-Benefício
Avaliação da Tecnologia Biomédica
Sistema Único de Saúde
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Relatório Técnico
Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 30 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-756242
Autor: Souza, Savio Reder de.
Título: Efeitos do controle de temperatura e da vimpocetina sobre os déficits neurocomportamentais decorrentes do estresse por separação materna em camundongos suíços neonatos / Effects of the temperature control and vinpocetine on neurobehavioral deficits resulting from stress by maternal separation of neonate swiss mice.
Fonte: Rio de Janeiro; s.n; 2015. 89 f p.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade do Estado do Rio de Janeiro - Faculdade de Ciências Médicas para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: O estresse durante o desenvolvimento está associado com diversas desordens neurocomportamentais, que podem persistir ao longo da vida. A hiperatividade é um dos transtornos comportamentais que, com maior frequência, observa-se em humanos submetidos ao estresse precoce. Esse transtorno pode ser a manifestação clínica predominante, ou mesclar-se com déficit de atenção, impulsividade e retardo da aprendizagem, constituindo o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), com número de casos diagnosticados em ascensão. Diversos protocolos experimentais utilizam a separação materna (SM) de roedores neonatos para mimetizar as consequências do estresse precoce em humanos. Esta predileção por roedores recém-nascidos se deve à sua equivalência aproximada com fetos humanos no terceiro trimestre da gestação em termos de neurodesenvolvimento, quando ocorre o maior crescimento do Sistema Nervoso Central fetal. Neste trabalho, camundongos suíços neonatos foram submetidos a sessões diárias de isolamento com separação materna, entre o 2º e o 10º dias de vida pós-natal (PN2 a PN10), variando-se a temperatura de isolamento dos filhotes, que permaneciam sem aquecimento (na temperatura do biotério, entre 22 e 25°C) ou eram mantidos aquecidos a 37°C durante essas sessões. Portanto, foram três grupos experimentais: isolamento aquecido com SM; isolamento não aquecido com SM; e controle. Os animais do grupo controle foram pesados em PN2 e PN10 e, prontamente, devolvidos às progenitoras. Todos os animais foram desmamados e sexados em PN21, não sendo perturbados até a realização dos testes neurocomportamentais, a partir de PN30, que incluíram os Testes de Campo Aberto e de Esquiva Inibitória. Num segundo estudo, foram realizadas dosagens séricas da corticosterona basal e dos hormônios tireoidianos nos três grupos experimentais, em PN6, PN10 e PN30...

The stress during development is associated with several neurobehavioral disorders that can persist into postnatal life. Hyperactivity is one of these disorders that is frequently observed in humans early exposed to the early stress. This disorder may be the predominant clinical manifestation, or merge itself with attention deficit, impulsivity and impaired learning, composing the Attention Deficit Hyperactivity Disorder (ADHD), with the number of diagnosed cases on the rise. Several experimental protocols use maternal separation (MS) of newborn rodents to mimic the effects of early life stress in humans. This predilection for newborn rodents is due to its approximate equivalence with human fetuses at the 3rd trimester of pregnancy in terms of neurodevelopment, when there is the greatest growth of the fetal Central Nervous System (CNS). This work was carried out in three separate studies. In the first study, Swiss mice underwent daily sessions of isolation with maternal separation between the 2nd day of postnatal life (PN2) to PN10, varying the isolation temperature of the puppies, that were kept without heating (with the room temperature between 22 and 25° C) or heated at 37 °C during these sessions. Therefore, we had three groups: “warmed isolation with MS”; “unheated isolation with MS”; and control. Control group animals were weighed in PN2 and PN10 and promptly returned to its progenitors. All animals were weaned and sexed in PN21 and were tested from PN30 in the Open Field and Inhibitory Passive Avoidance. In a second study, serum basal corticosterone and thyroid hormones were measured in the three experimental groups at PN6, PN10 and PN30...
Descritores: Ansiedade de Separação
Transtorno do Deficit de Atenção com Hiperatividade
Relações Mãe-Filho
Temperatura
-Testes Neuropsicológicos
Nootrópicos
Estresse Fisiológico
Limites: Animais
Recém-Nascido
Camundongos
Responsável: BR1365.1 - Biblioteca Biomédica A - CB/A


  10 / 30 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Lana, Marta de
Texto completo
Id: lil-741617
Autor: Oliveira-Silva, Jaquelline Carla Valamiel de; Machado-de-Assis, Girley Francisco; Oliveira, Maykon Tavares; Paiva, Nívia Carolina Noguieira; Araújo, Márcio Sobreira Silva; Carneiro, Cláudia Martins; Martins-Filho, Olindo Assis; Martins, Helen Rodrigues; Lana, Marta de.
Título: Experimental benznidazole treatment of Trypanosoma cruzi II strains isolated from children of the Jequitinhonha Valley, Minas Gerais, Brazil, with Chagas disease
Fonte: Mem. Inst. Oswaldo Cruz;110(1):86-94, 03/02/2015. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Trypanosoma cruzi strains from distinct geographic areas show differences in drug resistance and association between parasites genetic and treatment response has been observed. Considering that benznidazole (BZ) can reduce the parasite burden and tissues damage, even in not cured animals and individuals, the goal is to assess the drug response to BZ of T. cruzi II strains isolated from children of the Jequitinhonha Valley, state of Minas Gerais, Brazil, before treatment. Mice infected and treated with BZ in both phases of infection were compared with the untreated and evaluated by fresh blood examination, haemoculture, polymerase chain reaction, conventional (ELISA) and non-conventional (FC-ALTA) serologies. In mice treated in the acute phase, a significant decrease in parasitaemia was observed for all strains. Positive parasitological and/or serological tests in animals treated during the acute and chronic (95.1-100%) phases showed that most of the strains were BZ resistant. However, beneficial effect was demonstrated because significant reduction (p < 0.05%) and/or suppression of parasitaemia was observed in mice infected with all strains (acute phase), associated to reduction/elimination of inflammation and fibrosis for two/eight strains. BZ offered some benefit, even in not cured animals, what suggest that BZ use may be recommended at least for recent chronic infection of the studied region.
Descritores: Descoberta de Drogas
Resíduos Industriais/análise
Nootrópicos/isolamento & purificação
Extratos Vegetais/química
Brotos de Planta/química
Estilbenos/isolamento & purificação
Vitis/química
-Agricultura/economia
Peptídeos beta-Amiloides/antagonistas & inibidores
Peptídeos beta-Amiloides/metabolismo
Benzofuranos/análise
Benzofuranos/química
Benzofuranos/economia
Benzofuranos/isolamento & purificação
Cromatografia Líquida de Alta Pressão
França
Resíduos Industriais/economia
Estrutura Molecular
Fármacos Neuroprotetores/química
Fármacos Neuroprotetores/economia
Fármacos Neuroprotetores/isolamento & purificação
Fármacos Neuroprotetores/farmacologia
Nootrópicos/química
Nootrópicos/economia
Nootrópicos/farmacologia
Agregação Patológica de Proteínas
Fragmentos de Peptídeos/antagonistas & inibidores
Fragmentos de Peptídeos/metabolismo
Fenóis/química
Fenóis/economia
Extratos Vegetais/economia
Agregados Proteicos/efeitos dos fármacos
Espectrometria de Massas por Ionização por Electrospray
Estereoisomerismo
Estilbenos/análise
Estilbenos/química
Estilbenos/economia
Estilbenos/farmacologia
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 3 ir para página          
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde