Base de dados : LILACS
Pesquisa : E01.354.753 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 520 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 52 ir para página                         

  1 / 520 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-1170961
Autor: Matos M A; Barreto R; Quadros V; Penha C E; Acosta A X.
Título: Gross motor function classification system in patients with mucopolysaccharidosis / Gross motor function classification system in patients with mucopolysaccharidosis.
Fonte: Rev. Fac. Cienc. Méd. (Córdoba);70(4):201-6, 2013.
Idioma: es.
Descritores: Avaliação da Deficiência
Destreza Motora/classificação
Mucopolissacaridoses/classificação
Índice de Gravidade de Doença
-Adolescente
Estudos Retrospectivos
Humanos
Mucopolissacaridoses/fisiopatologia
Mãos/fisiologia
Pré-Escolar
Variações Dependentes do Observador
Tipo de Publ: Artigo de Revista
Responsável: AR5.1 - Centro de Gestión del Conocimiento y las Comunicaciónes


  2 / 520 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-792499
Autor: Rodriguez-Granillo, Gaston A; Deviggiano, Alejandro; Capunay, Carlos; Zan, Macarena C De; Carrascosa, Patricia.
Título: Reproducibility of Gadolinium Enhancement Patterns and Wall Thickness in Hypertrophic Cardiomyopathy / Reprodutibilidade de Padrões de Realce pelo Gadolínio e Espessura Parietal em Cardiomiopatia Hipertrófica
Fonte: Arq. bras. cardiol;107(1):48-54, July 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background: Reproducibility data of the extent and patterns of late gadolinium enhancement (LGE) in hypertrophic cardiomyopathy (HCM) is limited. Objective: To explore the reproducibility of regional wall thickness (WT), LGE extent, and LGE patterns in patients with HCM assessed with cardiac magnetic resonance (CMR). Methods: The extent of LGE was assessed by the number of segments with LGE, and by the total LV mass with LGE (% LGE); and the pattern of LGE-CMR was defined for each segment. Results: A total of 42 patients (672 segments) with HCM constituted the study population. The mean WT measurements showed a mean difference between observers of -0.62 ± 1.0 mm (6.1%), with limits of agreement of 1.36 mm; -2.60 mm and intraclass correlation coefficient (ICC) of 0.95 (95% CI 0.93-0.96). Maximum WT measurements showed a mean difference between observers of -0.19 ± 0.8 mm (0.9%), with limits of agreement of 1.32 mm; -1.70 mm, and an ICC of 0.95 (95% CI 0.91-0.98). The % LGE showed a mean difference between observers of -1.17 ± 1.2 % (21%), with limits of agreement of 1.16%; -3.49%, and an ICC of 0.94 (95% CI 0.88-0.97). The mean difference between observers regarding the number of segments with LGE was -0.40 ± 0.45 segments (11%), with limits of agreement of 0.50 segments; -1.31 segments, and an ICC of 0.97 (95% CI 0.94-0.99). Conclusions: The number of segments with LGE might be more reproducible than the percent of the LV mass with LGE.

Resumo Fundamento: Os dados de reprodutibilidade da extensão e dos padrões de realce tardio pelo gadolínio (RTG) em cardiomiopatia hipertrófica (CMH) são limitados. Objetivo: Explorar a reprodutibilidade da espessura parietal (EP) da região, extensão do RTG e padrões de RTG em pacientes com CMH avaliados com ressonância magnética cardíaca (RMC). Métodos: A extensão do RTG foi avaliada pelo número de segmentos com RTG e pela massa total do VE com RTG (%RTG) e foi definido o padrão RMC com RTG para cada segmento. Resultados: A população do estudo foi composta por um total de 42 pacientes (672 segmentos) com CMH. As medições médias de EP mostraram uma diferença média entre observadores de -0,62 ± 1,0 mm (6,1%), com limites de concordância de 1,36 mm, -2,60 mm e um coeficiente de correlação intraclasse (CCI) de 0,95 (95% IC 0,93-0,96). Medições máximas de EP mostraram uma diferença média entre observadores de -0,19 ± 0,8 mm (0,9%), com limites de concordância de 1,32 mm, -1,70 mm e CCI de 0,95 (95% IC 0,91-0,98). O % RTG mostrou uma diferença média entre observadores de -1,17 ± 1,2% (21%), com limites de concordância de 1,16%, -3,49% e CCI de 0,94 (95% IC 0,88-0,97). A diferença média entre observadores com relação ao número de segmentos com RTG foi de -0,40 ± 0,45 segmentos (11%) com limites de concordância de 0,50 segmentos, -1,31 segmentos e CCI de 0,97 (95% IC 0,94-0,99). Conclusões: O número de segmentos com RTG pode ser mais reprodutível do que o percentual da massa do VE com RTG.
Descritores: Cardiomiopatia Hipertrófica/diagnóstico por imagem
Intensificação de Imagem Radiográfica/métodos
Imagem Cinética por Ressonância Magnética/métodos
Gadolínio
Ventrículos do Coração/diagnóstico por imagem
-Valores de Referência
Fatores de Tempo
Variações Dependentes do Observador
Reprodutibilidade dos Testes
Disfunção Ventricular Esquerda/diagnóstico por imagem
Medição de Risco
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 520 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1146565
Autor: Valderrama Ronco, Juanjosé; Carredano González, Xabier; Valderrama Sagasti, Ignacio; Montenegro Bralic, Diego; León Iglesias, Agustín; Ferrer Aguayo, Gonzalo; Espinoza Lavín, Gonzalo.
Título: Precisión diagnóstica de la radiografía para la medición de túneles óseos en reconstrucción de ligamento cruzado anterior / X ray diagnostic accuracy for bone tunnel measurements in anterior cruciate ligament reconstruction
Fonte: Rev. chil. ortop. traumatol;60(1):3-8, mar. 2019. ilus, tab.
Idioma: es.
Resumo: OBJETIVO: Determinar la precisión diagnóstica de las radiografías de rodilla para la medición de los diámetros de los túneles tibiales y femorales en reconstrucción de ligamento cruzado anterior (RLCA). MATERIALES Y PACIENTES: Estudio retrospectivo de precisión diagnóstica en pacientes con antecedentes de RLCA. Inclusión: RLCA realizada en el mismo centro, con el mismo equipo quirúrgico, entre 2011 y 2015; uso de cualquier tipo de injerto y de fijación; estudiados con radiografía (Rx) y tomografía computada (TC) durante postop en el mismo centro. Exclusión: desfase Rx-TC > 6 meses; cirugía entre estudios radiológicos. Análisis de túneles por 3 especialistas (OsiriX). La precisión diagnóstica consideró la TC como gold standard. Se midieron las diferencias inter e intra-observador, y las variables que interfirieron en las mediciones. RESULTADOS: 22 pacientes cumplieron los criterios de selección, determinando 528 mediciones en total (Rx y TC, fémur y tibia, 3 observadores, 2 tiempos). No hubo diferencias estadísticamente significativas en la medición de los túneles femorales (p » 0.8986), pero sí en cuanto a los diámetros tibiales (p » 0.0001). El análisis de precisión diagnóstica determinó una sobrevaloración de los diámetros óseos al usar la radiografía (10,5% en fémur, 10% en tibia). Hubo diferencias estadísticamente significativas inter-observador tanto en Rx como en TC (observador más joven con el resto); sin diferencias intra-observador. CONCLUSIÓN: La Rx como método diagnóstico del diámetro de túneles óseos luego de una RLCA sobreestima los valores reales, lo que empeora cuando el observador tiene menor experiencia.

OBJECTIVE: To determine the diagnostic accuracy of knee radiographs for the measurement of tibial and femoral tunnels diameters after an anterior cruciate ligament reconstruction (ACLR). MATERIALS AND PATIENTS: A retrospective study of the diagnostic accuracy in patients with a history of ACLR. Inclusion: surgery performed in the same center, same surgical team, between 2011 to 2015; any graft and fixation; studied with radiography (X-Ray) and computed tomography (CT) during postop in the same center. Exclusion: X-Ray-CT lag > 6 months; surgery between radiological studies. Tunnel analysis by 3 specialists (OsiriX). Diagnostic accuracy considered CT as a gold standard. The inter and intraobserver differences, and the variables that interfered in the measurements, were measured. RESULTS: 22 patients achieved the selection criteria, determining 528 measurements in total (X-Ray and CT, femur and tibia, 3 observers, 2 times). There were no statistically significant differences in the measurement of the femoral tunnels (p » 0.8986), but there were differences in the tibial diameters (p » 0.0001). Analysis of diagnostic accuracy determined an overestimation of the bone diameters when using the radiography (10.5% in the femur, 10% in the tibia). There were statistically significant inter-observer differences in both X-Ray and CT (younger observer with the rest); there were no intra-observer differences. CONCLUSION: X-Ray as a diagnostic method of the diameter of bone tunnels after an ACLR overestimates the real values, which worsens when the observer has less experience.
Descritores: Radiografia
Ligamento Cruzado Anterior/diagnóstico por imagem
Reconstrução do Ligamento Cruzado Anterior
-Tíbia/anatomia & histologia
Tíbia/diagnóstico por imagem
Tomografia Computadorizada por Raios X
Variações Dependentes do Observador
Estudos Retrospectivos
Ligamento Cruzado Anterior/anatomia & histologia
Ligamento Cruzado Anterior/cirurgia
Fêmur/anatomia & histologia
Fêmur/diagnóstico por imagem
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  4 / 520 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-887879
Autor: Nacif, Marcelo S; Almeida, Andre L C; Young, Alistair A; Cowan, Brett R; Armstrong, Anderson C; Yang, Eunice; Sibley, Christopher T; Hundley, W Gregory; Liu, Songtao; Lima, Joao AC; Bluemke, David A.
Título: Three-Dimensional Volumetric Assessment of Diastolic Function by Cardiac Magnetic Resonance Imaging: The Multi-Ethnic Study of Atherosclerosis (MESA) / Avaliação Volumétrica Tridimensional da Função Diastólica Por Ressonância Magnética Cardíaca: Multi-Ethnic Study Of Atherosclerosis (MESA)
Fonte: Arq. bras. cardiol;108(6):552-563, June 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: National Heart, Lung, and Blood Institute; . MESA.
Resumo: Abstract Background: Cardiac Magnetic Resonance is in need of a simple and robust method for diastolic function assessment that can be done with routine protocol sequences. Objective: To develop and validate a three-dimensional (3D) model-based volumetric assessment of diastolic function using cardiac magnetic resonance (CMR) imaging and compare the results obtained with the model with those obtained by echocardiography. Methods: The study participants provided written informed consent and were included if having undergone both echocardiography and cine steady-state free precession (SSFP) CMR on the same day. Guide points at the septal and lateral mitral annulus were used to define the early longitudinal relaxation rate (E'), while a time-volume curve from the 3D model was used to assess diastolic filling parameters. We determined the correlation between 3D CMR and echocardiography and the accuracy of CMR in classifying the diastolic function grade. Results: The study included 102 subjects. The E/A ratio by CMR was positively associated with the E/A ratio by echocardiography (r = 0.71, p < 0.0001). The early diastolic relaxation velocity by tissue Doppler and longitudinal relaxation rate for the lateral mitral annulus displacement were positively associated (p = 0.007), as were the ratio between Doppler E/e' and CMR E/E' (p = 0.01). CMR-determined normalized peak E (NE) and deceleration time (DT) were able to predict diastolic dysfunction (areas under the curve [AUCs] = 0.70 and 0.72, respectively). In addition, the lateral E/E' ratio showed good utility in identifying diastolic dysfunction (AUC = 0.80). Overall, echocardiography and CMR interobserver and intraobserver agreements were excellent (intraclass correlation coefficient range 0.72 - 0.97). Conclusion: 3D modeling of standard cine CMR images was able to identify study subjects with reduced diastolic function and showed good reproducibility, suggesting a potential for a routine diastolic function assessment by CMR.

Resumo Fundamento: A ressonância magnética cardíaca necessita de um método simples e robusto para a avaliação da função diastólica que pode ser feito com sequências protocolares de rotina. Objetivo: Desenvolver e validar a avaliação volumétrica da função diastólica através de um modelo tridimensional (3D) com utilização de imagens de ressonância magnética cardíaca (RMC) e comparar os resultados obtidos com este modelo com os obtidos por ecocardiografia. Métodos: Os participantes do estudo assinaram um termo de consentimento e foram incluídos se tivessem sido submetidos no mesmo dia tanto à ecocardiografia quanto à cine RMC com precessão livre no estado estacionário (steady-state free precession, SSFP). Pontos-guia foram utilizados no anel mitral septal e lateral para definir a velocidade de estiramento no início da diástole (E'), enquanto curvas de volume-tempo do modelo 3D foram utilizadas para avaliar os parâmetros de enchimento diastólico. Foram determinadas a correlação entre a RMC 3D e a ecocardiografia, além da acurácia da RMC em classificar o grau de função diastólica. Resultados: Ao todo, 102 sujeitos foram incluídos no estudo. A razão E/A pela RMC esteve positivamente associada com a razão E/A obtida pela ecocardiografia (r = 0,71, p < 0,0001). Estiveram positivamente associadas a velocidade de relaxamento diastólico inicial ao Doppler tecidual e a velocidade de relaxamento longitudinal de deslocamento do anel mitral lateral (p = 0,007), bem como a razão entre E/e' por Doppler e E/E' pela RMC (p = 0,01). A velocidade normalizada de pico de enchimento (EM) determinada pela RMC e o tempo de desaceleração (TD) foram capazes de predizer a disfunção diastólica (áreas sob a curva [AUCs] = 0,70 e 0,72, respectivamente). Além disso, a razão E/E' lateral mostrou boa utilidade para a identificação da disfunção diastólica (AUC = 0,80). No geral, a ecocardiografia e a RMC apresentaram excelente concordância interobservador e intraobservador (coeficiente de correlação intraclasse 0,72 - 0,97). Conclusão: Uma modelagem 3D de imagens padrões de cine RMC foi capaz de identificar os indivíduos do estudo com função diastólica reduzida e mostrou uma boa reprodutibilidade, sugerindo ter potencial na avaliação rotineira da função diastólica por RMC.
Descritores: Volume Sistólico/fisiologia
Aterosclerose/diagnóstico por imagem
-Imagem por Ressonância Magnética
Ecocardiografia
Variações Dependentes do Observador
Reprodutibilidade dos Testes
Imageamento Tridimensional
Diástole/fisiologia
Aterosclerose/fisiopatologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Estudo de Validação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 520 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
ABDUCH, Maria Cristina Donadio
Texto completo
Id: biblio-887891
Autor: Lima, Marcio Silva Miguel; Villarraga, Hector R; Abduch, Maria Cristina Donadio; Lima, Marta Fernandes; Cruz, Cecilia Beatriz Bittencourt Viana; Sbano, João Cesar Nunes; Voos, Mariana Callil; Mathias Junior, Wilson; Tsutsui, Jeane Mike.
Título: Global Longitudinal Strain or Left Ventricular Twist and Torsion? Which Correlates Best with Ejection Fraction? / Strain Longitudinal Global ou Twist do Ventrículo Esquerdo e Torção? Qual se Correlaciona Melhor com a Fração de Ejeção?
Fonte: Arq. bras. cardiol;109(1):23-29, July 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background: Estimative of left ventricular ejection fraction (LVEF) is a major indication for echocardiography. Speckle tracking echocardiography (STE) allows analysis of LV contraction mechanics which includes global longitudinal strain (GLS) and twist/torsion, both the most widely used. Direct comparison of correlations between these novel parameters and LVEF has never been done before. Objective: This study aims to check which one has the highest correlation with LVEF. Methods: Patients with normal LVEF (> 0,55) and systolic dysfunction (LVEF <0,55) were prospectively enrolled, and underwent echocardiogram with STE analysis. Correlation of variables was performed by linear regression analysis. In addition, correlation among levels of LV systolic impairment was also tested. Results: A total of 131 patients were included (mean age, 46 ± 14y; 43%, men). LVEF and GLS showed a strong correlation (r = 0.95; r2 = 0.89; p < 0.001), more evident in groups with LV systolic dysfunction than those with preserved LVEF. Good correlation was also found with global longitudinal strain rate (r = 0.85; r2 = 0.73; p < 0.001). Comparing to GLS, correlation of LVEF and torsional mechanics was weaker: twist (r = 0.78; r2 = 0.60; p < 0.001); torsion (r = 0.75; r2 = 0.56; p < 0.001). Conclusion: GLS of the left ventricle have highly strong positive correlation with the classical parameter of ejection fraction, especially in cases with LV systolic impairment. Longitudinal strain rate also demonstrated a good correlation. GLS increments analysis of LV systolic function. On the other hand, although being a cornerstone of LV mechanics, twist and torsion have a weaker correlation with LV ejection, comparing to GLS.

Resumo Fundamento: A estimativa da fração de ejeção do ventrículo esquerdo (FEVE) é uma das pincipais indicações para a ecocardiografia. Speckle tracking (ST) permite a análise da mecânica de contração do VE que inclui a deformação (strain) longitudinal global (SLG) e o twist / torção, sendo ambos os mais utilizados. A comparação direta de correlações entre esses novos parâmetros e a FEVE nunca foi feita antes. Objetivo: Verificar qual delas tem a maior correlação com a FEVE. Métodos: Pacientes com FEVE normal (> 0,55) e disfunção sistólica (FEVE < 0,55) foram prospectivamente inscritos e submetidos a ecocardiograma com análise do ST. A correlação das variáveis foi realizada por análise de regressão linear. Além disso, também foi testada a correlação entre os níveis de comprometimento sistólico do VE. Resultados: Foram incluídos 131 pacientes (média de idade de 46 ± 14 anos e 43% de homens). A FEVE e SLG apresentaram forte correlação (r = 0,95; r2 = 0,89; p < 0,001), mais evidente em grupos com disfunção sistólica do VE do que naqueles com FEVE preservada. Também foi encontrada boa correlação com a taxa de deformação (strain rate) longitudinal (SRL) global (r = 0,85; r2 = 0,73; p < 0,001). Comparando-a à SLG, a correlação entre FEVE e mecânica de torção foi mais fraca: twist (r = 0,78; r2 = 0,60; p < 0,001); Torção (r = 0,75, r2 = 0,56, p < 0,001). Conclusão: A SLG do ventrículo esquerdo apresenta alta correlação positiva com o parâmetro clássico de fração de ejeção, principalmente nos casos de comprometimento sistólico do VE. O SRL também demonstrou uma boa correlação. A SLG incrementa a análise da função sistólica do VE. Por outro lado, apesar de ser a pedra angular da mecânica do VE, o twist e a torção têm uma correlação mais fraca com a ejeção do VE, quando comparados ao SLG.
Descritores: Volume Sistólico/fisiologia
Anormalidade Torcional/diagnóstico por imagem
Função Ventricular Esquerda
Cardiopatias/diagnóstico por imagem
-Ecocardiografia
Variações Dependentes do Observador
Estudos Prospectivos
Cardiopatias/fisiopatologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 520 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-888028
Autor: Kang, Yu; Xiao, Fei; Chen, Haiyan; Wang, Wei; Shen, Lijing; Zhao, Hang; Shen, Xuedong; Chen, Fangyuan; He, Ben.
Título: Subclinical Anthracycline-Induced Cardiotoxicity in the Long - Term Follow-Up of Lymphoma Survivors: A Multi-Layer Speckle Tracking Analysis / Cardiotoxicidade Subclínica Induzida por Antraciclina no Seguimento a Longo Prazo de Sobreviventes de Linfoma: Uma Análise Speckle Tracking Multi-Layer
Fonte: Arq. bras. cardiol;110(3):219-228, Mar. 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: National Nature Science Foundation of China; . Nature Science Foundation of Shanghai.
Resumo: Abstract Background: Anthracycline generates progressive left ventricular dysfunction associated with a poor prognosis. Objectives: The purpose of this study was to evaluate whether layer-specific strain analysis could assess the subclinical left ventricular dysfunction after exposure to anthracycline. Methods: Forty-two anthracycline-treated survivors of large B-cell non-Hodgkin lymphoma, aged 55.83 ± 17.92 years (chemotherapy group) and 27 healthy volunteers, aged 51.39 ± 13.40 years (control group) were enrolled. The cumulative dose of epirubicin in chemotherapy group was 319.67 ± 71.71mg/m2. The time from last dose of epirubicin to the echocardiographic examination was 52.92 ± 22.32 months. Global longitudinal (GLS), circumferential (GCS) and radial strain (GRS), subendocardial, mid and subepicardial layer of longitudinal (LS-ENDO, LS-MID, LS-EPI) and circumferential strain (CS-ENDO, CS-MID, CS-EPI) values were analyzed. Transmural strain gradient was calculated as differences in peak systolic strain between the subendocardial and subepicardial layers. A value of p < 0.05 was considered significant. Results: Conventional parameters of systolic and diastolic function showed no significant difference between two groups. Compared with controls, patients had significantly lower GCS and GLS. Multi-layer speckle tracking analysis showed significant reduction of circumferential strain of subendocardial layer, transmural CS gradient and longitudinal strain of all three layers. In contrast, the two groups did not differ in transmural longitudinal strain gradient and radial strains. Conclusions: It proved the preferential impairment of subendocardial deformation in long-term survivors after exposure to anthracycline. Multi-layer speckle tracking echocardiography might facilitate the longitudinal follow-up of this at-risk patient cohort.

Resumo Fundamentos: A antraciclina gera uma disfunção ventricular esquerda progressiva associada a um prognóstico ruim. Objetivos: O propósito deste estudo foi avaliar se a análise layer específico de strain poderia avaliar disfunção ventricular esquerda subclínica após exposição a antraciclina. Métodos: Foram inscritos quarenta e dois sobreviventes tratados com antraciclina por linfoma não Hodgkin de células B grandes, de 55,83 ± 17,92 anos (grupo de quimioterapia) e 27 voluntários saudáveis, de 51,39 ± 13,40 anos (grupo controle). A dose cumulativa de epirrubicina no grupo de quimioterapia foi de 319,67 ± 71,71 mg/m2. O tempo desde a última dose de epirrubicina até o exame ecocardiográfico foi de 52,92 ± 22,32 meses. Analisaram-se o strain longitudinal global (GLS), o circunferencial (GCS) e o strain radial (GRS), os valores das camadas subendocárdica, média e subepicárdica so strain longitudinal (LS-ENDO, LS-MID, LS-EPI) e do strain circunferencial (CS-ENDO, CS-MID, CS-EPI). O gradiente de strain transmural foi calculado como a diferença no strain sistólico pico entre as camadas subendocárdicas e subepicárdicas. Um valor de p < 0,05 foi considerado significativo. Resultados: Os parâmetros convencionais da função sistólica e diastólica não mostraram diferenças significativas entre dois grupos. Comparados aos controles, os pacientes apresentaram GCS e GLS significativamente menores. A análise de speckle tracking multi-layer mostrou uma redução significativa no strain circunferencial da camada subendocárdica, o gradiente transmural CS e o strain longitudinal das três camadas. Em contraste, os dois grupos não diferiram no gradiente de strain longitudinal transmural e de strain radiais. Conclusões: Provou-se a deterioração preferencial do strain subendocárdico em sobreviventes de longa duração após exposição à antraciclina. O ecocardiograma de speckle tracking multi-layer pode facilitar o acompanhamento longitudinal dessa coorte de pacientes em risco. (Arq Bras Cardiol. 2018; 110(3):219-228)
Descritores: Ecocardiografia/métodos
Linfoma de Células B/tratamento farmacológico
Disfunção Ventricular Esquerda/induzido quimicamente
Disfunção Ventricular Esquerda/diagnóstico por imagem
Antraciclinas/efeitos adversos
Antibióticos Antineoplásicos/efeitos adversos
-Valores de Referência
Volume Sistólico/efeitos dos fármacos
Volume Sistólico/fisiologia
Epirubicina/uso terapêutico
Estudos de Casos e Controles
Variações Dependentes do Observador
Estudos Transversais
Fatores de Risco
Análise de Variância
Seguimentos
Disfunção Ventricular Esquerda/fisiopatologia
Estatísticas não Paramétricas
Cardiotoxicidade/etiologia
Cardiotoxicidade/diagnóstico por imagem
Coração/efeitos dos fármacos
Coração/fisiopatologia
Miocárdio/patologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 520 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1001289
Autor: Ciuffo, Luisa Allen; Lima, João; Vasconcellos, Henrique Doria de; Balouch, Muhammad; Tao, Susumu; Nazarian, Saman; Spragg, David D; Marine, Joseph E; Berger, Ronald D; Calkins, Hugh; Ashikaga, Hiroshi.
Título: Intra-Atrial Dyssynchrony Using Cardiac Magnetic Resonance to Quantify Tissue Remodeling in Patients with Atrial Fibrillation / Dessincronia Intra-atrial à Ressonância Magnética Cardíaca para Quantificação da Remodelação Tecidual em Pacientes com Fibrilação Atrial
Fonte: Arq. bras. cardiol;112(4):441-450, Apr. 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background: Recent studies suggest that left atrial (LA) late gadolinium enhancement (LGE) can quantify the underlying tissue remodeling that harbors atrial fibrillation (AF). However, quantification of LA-LGE requires labor-intensive magnetic resonance imaging acquisition and postprocessing at experienced centers. LA intra-atrial dyssynchrony assessment is an emerging imaging technique that predicts AF recurrence after catheter ablation. We hypothesized that 1) LA intra-atrial dyssynchrony is associated with LA-LGE in patients with AF and 2) LA intra-atrial dyssynchrony is greater in patients with persistent AF than in those with paroxysmal AF. Method: We conducted a cross-sectional study comparing LA intra-atrial dyssynchrony and LA-LGE in 146 patients with a history of AF (60.0 ± 10.0 years, 30.1% nonparoxysmal AF) who underwent pre-AF ablation cardiac magnetic resonance (CMR) in sinus rhythm. Using tissue-tracking CMR, we measured the LA longitudinal strain in two- and four-chamber views. We defined intra-atrial dyssynchrony as the standard deviation (SD) of the time to peak longitudinal strain (SD-TPS, in %) and the SD of the time to the peak pre-atrial contraction strain corrected by the cycle length (SD-TPSpreA, in %). We used the image intensity ratio (IIR) to quantify LA-LGE. Results: Intra-atrial dyssynchrony analysis took 5 ± 9 minutes per case. Multivariable analysis showed that LA intra-atrial dyssynchrony was independently associated with LA-LGE. In addition, LA intra-atrial dyssynchrony was significantly greater in patients with persistent AF than those with paroxysmal AF. In contrast, there was no significant difference in LA-LGE between patients with persistent and paroxysmal AF. LA intra-atrial dyssynchrony showed excellent reproducibility and its analysis was less time-consuming (5 ± 9 minutes) than the LA-LGE (60 ± 20 minutes). Conclusion: LA Intra-atrial dyssynchrony is a quick and reproducible index that is independently associated with LA-LGE to reflect the underlying tissue remodeling.

Resumo Fundamento: Estudos recentes sugerem que o realce tardio com gadolínio (RTG) no átrio esquerdo (AE) pode quantificar a remodelação tecidual subjacente que abriga a fibrilação atrial (FA). No entanto, a quantificação do RTG-AE requer um trabalho intenso de aquisição por ressonância magnética e pós-processamento em centros experientes. A avaliação da dessincronia intra-atrial no AE é uma técnica de imagem emergente que prediz a recorrência da FA após ablação por cateter. Nós levantamos as hipóteses de que 1) a dessincronia intra-atrial está associada ao RTG-AE em pacientes com FA e 2) a dessincronia intra-atrial é maior em pacientes com FA persistente do que naqueles com FA paroxística. Método: Realizamos um estudo transversal comparando a dessincronia intra-atrial no AE e o RTG-AE em 146 pacientes com história de FA (60,0 ± 10,0 anos, 30,1% com FA não paroxística) submetidos à ressonância magnética cardíaca (RMC) durante ritmo sinusal antes da ablação da FA. Com utilização de RMC com tissue tracking, medimos o strain longitudinal do AE em cortes de duas e quatro câmaras. Definimos a dessincronia intra-atrial como o desvio padrão (DP) do tempo até o pico do strain longitudinal (DP-TPS, em %) e o DP do tempo até o pico do strain antes da contração atrial corrigido pela duração do ciclo (DP-TPSpreA, em %). Utilizamos a razão da intensidade da imagem (RIM) para quantificar o RTG-AE. Resultados: A análise da dessincronia intra-atrial levou 9 ± 5 minutos por caso. A análise multivariada mostrou que a dessincronia intra-atrial no AE esteve independentemente associada ao RTG-AE. Além disso, a dessincronia intra-atrial no AE foi significativamente maior em pacientes com FA persistente do que naqueles com FA paroxística. Por outro lado, não houve diferença significativa no RTG-AE entre pacientes com FA persistente e paroxística. A dessincronia intra-atrial no AE mostrou excelente reprodutibilidade e sua análise foi menos demorada (5 ± 9 minutos) do que o RTG-AE (60 ± 20 minutos). Conclusão: A dessincronia intra-atrial no AE é um índice rápido, reprodutível e independentemente associado ao RTG-AE para indicar remodelação tecidual subjacente. (Arq Bras Cardiol. 2019; 112(4):441-450)
Descritores: Fibrilação Atrial/fisiopatologia
Fibrilação Atrial/diagnóstico por imagem
Imagem por Ressonância Magnética/métodos
Remodelamento Atrial/fisiologia
-Fibrilação Atrial/terapia
Volume Sistólico/fisiologia
Fatores de Tempo
Ecocardiografia/métodos
Modelos Lineares
Variações Dependentes do Observador
Estudos Transversais
Reprodutibilidade dos Testes
Ablação por Cateter/métodos
Eletrocardiografia/métodos
Átrios do Coração/fisiopatologia
Átrios do Coração/diagnóstico por imagem
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 520 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: biblio-1058179
Autor: Niño-Cruz, Gloria Isabel; Camargo-Lemos, Diana Marina; Velásquez-Escobar, Laura Isabel; Rodríguez-Ortiz, Jeimy Katherine; Patiño-Segura, María Solange.
Título: Batería para la evaluación del movimiento en niños -2- banda 1. Confiabilidad de la versión en español / Age band 1 of the movement assessment battery for children -2. Reliability of the spanish version
Fonte: Rev. chil. pediatr;90(5):522-532, oct. 2019. tab, graf.
Idioma: es.
Resumo: INTRODUCCIÓN: La adquisición de las destrezas motoras fundamentales influyen en la capacidad que tiene el niño para interactuar con el ambiente. Por lo anterior diversos instrumentos han sido creados para su evaluación. OBJETIVO: Evaluar la consistencia interna, reproducibilidad y el nivel de acuerdo de la Batería para la evaluación del Movimiento en Niños -2- banda 1 (MABC-2) en un grupo de preescolares. PACIENTES Y MÉTODO: Estudio de evaluación de pruebas diagnósticas con 29 preescolares, seleccionados por conveniencia, matriculados en una institución educativa de la ciudad de Bucaramanga, Colombia. Para la evaluación de la reproducibilidad inter-evaluadores, tres evaluadores observaron cada video de forma independiente. En la evaluación de la reproducibilidad intra-evaluador, cada evaluador observó el mismo video en dos oportunidades diferentes. Fue calculado el a de Cronbach para establecer la consistencia interna, la reproducibilidad intra y entre evaluadores fue calculada con el coeficiente de correlación intraclase (CCI) y el nivel de acuerdo fue determinado em pleando la metodología de Bland y Altman. RESULTADOS: La consistencia interna del total de la prueba para cada uno de los tres evaluadores fue superior a 0,60. Se encontró muy buena reproducibilidad para todos los ítems, atributos y el puntaje total del MABC-2 banda 1 (CCI > 0,85), así como buenos niveles de acuerdo. CONCLUSIÓN: La banda 1 del MABC-2 versión en español es un instrumento con adecuadas propiedades psicométricas de confiabilidad que puede ser utilizado para la evaluación del desarrollo motor en preescolares.

INTRODUCTION: The development of motor skills influences the capacity of the child to interact with the environment. Thus, several instruments have been created for their assessment. OBJECTIVE: To evaluate the internal consistency, reproducibility, and agreement level of age band 1 of the Movement Assessment Battery for Children - 2 in a preschool group. PATIENTS AND METHOD: Assessment study of diagnostic tests with 29 preschoolers, selected by convenience, enrollments in an educational ins titution in Bucaramanga city, Colombia. For the inter-evaluators reproducibility assessment, three evaluators watched each video independently. In the intra-evaluator reproducibility assessment, each evaluator watched the same video on two different occasions. The internal consistency, the intra- and inter-evaluator reproducibility, and the agreement level were determined using Cronbach's alpha co efficient, the Intraclass Correlation Coefficient (ICC), and the Bland and Altman limits of agreement method, respectively. RESULTS: Internal consistency of the total test for each of the three evaluators was higher than 0.60. Very good reliability was found for all items, domains, and total score of age band 1 of MABC-2 (ICC > 0.85), as well as good limits of agreement. CONCLUSIONS: age band 1 of MABC-2 Spanish version is an instrument with adequate reliability psychometric properties that can be used for the motor skills development evaluation in preschoolers.
Descritores: Transtornos das Habilidades Motoras/diagnóstico
Destreza Motora/fisiologia
-Psicometria
Variações Dependentes do Observador
Reprodutibilidade dos Testes
Colômbia
Idioma
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pré-Escolar
Criança
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  9 / 520 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-843352
Autor: Prado, Gema Ruíz-López del; Blaya-Nováková, Vendula; Saz-Parkinson, Zuleika; Álvarez-Montero, Óscar Luis; Ayala, Alba; Muñoz-Moreno, Maria Fe; Forjaz, Maria João.
Título: Design and validation of an oral health questionnaire for preoperative anaesthetic evaluation / Projeto e validação de um questionário de saúde oral para avaliação pré-anestésica no pré-operatório
Fonte: Rev. bras. anestesiol;67(1):6-14, Jan.-Feb. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background and objectives: Dental injuries incurred during endotracheal intubation are more frequent in patients with previous oral pathology. The study objectives were to develop an oral health questionnaire for preanaesthesia evaluation, easy to apply for personnel without special dental training; and establish a cut-off value for detecting persons with poor oral health. Methods: Validation study of a self-administered questionnaire, designed according to a literature review and an expert group's recommendations. The questionnaire was applied to a sample of patients evaluated in a preanaesthesia consultation. Rasch analysis of the questionnaire psychometric properties included viability, acceptability, content validity and reliability of the scale. Results: The sample included 115 individuals, 50.4% of men, with a median age of 58 years (range: 38-71). The final analysis of 11 items presented a Person Separation Index of 0.861 and good adjustment of data to the Rasch model. The scale was unidimensional and its items were not biased by sex, age or nationality. The oral health linear measure presented good construct validity. The cut-off value was set at 52 points. Conclusions: The questionnaire showed sufficient psychometric properties to be considered a reliable tool, valid for measuring the state of oral health in preoperative anaesthetic evaluations.

Resumo Justificativa e objetivo: As lesões dentárias que ocorrem durante a intubação traqueal são mais frequentes em pacientes com patologia oral prévia. O objetivo do estudo foi desenvolver um questionário de saúde bucal para avaliação no período pré-anestesia, de fácil aplicação por pessoal sem formação odontológica, e estabelecer um valor de corte para detectar pessoas com má saúde bucal. Métodos: Estudo de validação de um questionário autoadministrado, projetado de acordo com uma revisão da literatura e recomendações de um grupo de especialistas. O questionário foi aplicado a uma amostra de pacientes avaliados em uma consulta pré-anestesia. A análise Rasch das propriedades psicométricas do questionário incluiu viabilidade, aceitabilidade, validade de conteúdo e confiabilidade da escala. Resultados: A amostra incluiu 115 indivíduos, 50,4% de homens, com mediana de 58 anos (variação: 38-71). A análise final dos 11 itens apresentou um índice de separação dos indivíduos de 0,861 e um bom ajuste dos dados ao modelo de Rasch. A escala foi unidimensional e seus itens não foram influenciados por sexo, idade ou nacionalidade. A medida linear da saúde bucal apresentou boa validade de constructo. O valor de corte foi fixado em 52 pontos. Conclusões: O questionário mostrou propriedades psicométricas suficientes para ser considerado uma ferramenta confiável, válida para medir o estado de saúde bucal nas avaliações pré-anestesia antes da operação.
Descritores: Saúde Bucal
Inquéritos e Questionários/normas
Anestesia Geral/efeitos adversos
-Higiene Bucal
Psicometria
Cuidados Pré-Operatórios
Variações Dependentes do Observador
Análise de Variância
Traumatismos Dentários/prevenção & controle
Segurança do Paciente
Intubação Intratraqueal/efeitos adversos
Pessoa de Meia-Idade
Boca/lesões
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Idoso
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Estudo de Validação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 520 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-897741
Autor: Namigar, Turgut; Serap, Karacalar; Esra, Akdaş Tekin; Özgül, Odacılar; Can, Öztürk Ali; Aysel, Ak; Achmet, Ali.
Título: The correlation among the Ramsay sedation scale, Richmond agitation sedation scale and Riker sedation agitation scale during midazolam-remifentanil sedation / Correlação entre a escala de sedação de Ramsay, escala de sedação-agitação de Richmond e escala de sedação-agitação de Riker durante sedação com midazolam-remifentanil
Fonte: Rev. bras. anestesiol;67(4):347-354, July-aug. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background and objectives: Sedative and analgesic treatment administered to critically ill patients need to be regularly assessed to ensure that previously stated goals are well achieved as the risk of complications of oversedation is minimized. We revised and prospectively tested the Ramsay Sedation scale (RSS) for interrater reliability and compared it with the Sedation-Agitation Scale (SAS) and the Richmond Agitation Sedation Scale (RASS) to test construct validity during midazolam-remifentanil sedation. Methods: A convenience sample of ICU patients was simultaneously and independently examined by pairs of trained evaluators by using the revised SAS, RSS, and RASS. Ninety-two ICU patients were examined a total of 276 times by evaluator pairs. Results: The mean patient age was 61.32 ± 18.68 years, 45,7% were female (n = 42), 54.3% male (n = 50). Their APACHE values varied between 3 and 39 with an average of 13.27 ± 7.86 and 75% of the cases were under mechanical ventilation. When classified by using RSS (2.70 ± 1.28), 10.9% were anxious or agitated (RSS1), 68.5% were calm (RSS 2-3), and 20.6% were sedated (RSS 4-6). When classified by using RASS (-0.64 ± 1.58), 20.7% were anxious or agitated (RASS+1 to +4), 63.0% were calm (RASS 0 to -2), and 16.3% were sedated (RASS -3 to -5). When classified by using SAS (2.63 ± 1.00), 12% were anxious or agitated (SAS 5-7), 57.6% were calm (SAS 4), and 30.4% were sedated (SAS 1-3). RSS was correlated with the SAS (r = -0.656, p < 0.001) and RASS was correlated with the SAS (r = 0.565, p < 0.001). RSS was highly correlated with the RASS (r = -0.664, p < 0.001). Conclusions: Ramsay is both reliable and valid (high correlation with the RASS and SAS scales) in assessing agitation and sedation in adult ICU patients.

Resumo Justificativa e objetivos: O tratamento de pacientes em estado crítico com sedativos e analgésicos deve ser regularmente avaliado para garantir que as metas pré-definidas sejam atingidas, bem como minimizar o risco de complicações resultantes de sedação em excesso. Conduzimos uma revisão e testamos prospectivamente a Escala de Sedação de Ramsay (Ramsay Sedation Scale [RSS]) para a confiabilidade interavaliador e a comparamos com a Escala de Sedação e Agitação de Riker (Riker Sedation-Agitation Scale [RRSAS]) e a Escala de Sedação e Agitação de Richmond (Richmond Agitation Sedation Scale [RASS]) para testar a validade de construto durante a sedação com midazolam-remifentanil. Métodos: Uma amostra de conveniência de pacientes de UTI foi simultânea e independentemente examinada por pares de avaliadores treinados com o uso das escalas revisadas RRSAS, RSS e RASS. Foram examinados 92 pacientes de UTI por pares de avaliadores em 276 momentos. Resultados: A média dos pacientes foi de 61,32 ± 18,68 anos; 45,7% eram do sexo feminino (n = 42) e 54,3% do masculino (n = 50). Seus escores APACHE variaram entre 3-39, com média de 13,27 ± 7,86, e 75% dos casos receberam ventilação mecânica. Quando RSS foi usada para a classificação (2,70 ± 1,28), 10,9% dos pacientes estavam ansiosos ou agitados (RSS1), 68,5% estavam calmos (RSS 2 a 3) e 20,6% estavam sedados (RSS 4 a 6). Quando RASS foi usada para a classificação (-0,64 ± 1,58), 20,7% dos pacientes estavam ansiosos ou agitados (RASS +1 a +4), 63,0% estavam calmos (RASS 0 a -2) e 16,3% estavam sedados (RASS -3 a -5). Quando RSAS foi usada para a classificação (2,63 ± 1,00), 12% dos pacientes estavam ansiosos ou agitados (RSAS 5 a 7), 57,6% estavam calmos (RSAS 4) e 30,4% estavam sedados (RSAS 1 a 3). Houve correlação de RSS com RSAS (r = -0,656, p < 0,001) e de RASS com RSAS (r = 0,565, p < 0,001). Houve forte correlação de RSS com RASS (r = -0,664, p < 0,001). Conclusões: A RSS é confiável e válida (forte correlação com RASS e RSAS) para avaliar a sedação e agitação em pacientes adultos internados em UTI.
Descritores: Agitação Psicomotora/diagnóstico
Midazolam/efeitos adversos
Acatisia Induzida por Medicamentos/diagnóstico
Sedação Profunda
Remifentanil/efeitos adversos
Analgésicos Opioides/efeitos adversos
Hipnóticos e Sedativos/efeitos adversos
-Índice de Gravidade de Doença
Variações Dependentes do Observador
Estudos Prospectivos
Correlação de Dados
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 52 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde