Base de dados : LILACS
Pesquisa : E01.370.386.700.660 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 327 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 33 ir para página                         

  1 / 327 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Araújo, Cláudio Gil Soares de
Texto completo
Id: biblio-827864
Autor: Herdy, Artur Haddad; Ritt, Luiz Eduardo Fonteles; Stein, Ricardo; Araújo, Claudio Gil Soares de; Milani, Mauricio; Meneghelo, Romeu Sérgio; Ferraz, Almir Sérgio; Hossri, Carlos; Almeida, Antonio Eduardo Monteiro de; Fernandes-Silva, Miguel Morita; Serra, Salvador Manoel.
Título: Cardiopulmonary Exercise Test: Background, Applicability and Interpretation / Teste Cardiopulmonar de Exercício: Fundamentos, Aplicabilidade e Interpretação
Fonte: Arq. bras. cardiol;107(5):467-481, Nov. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Cardiopulmonary exercise test (CPET) has been gaining importance as a method of functional assessment in Brazil and worldwide. In its most frequent applications, CPET consists in applying a gradually increasing intensity exercise until exhaustion or until the appearance of limiting symptoms and/or signs. The following parameters are measured: ventilation; oxygen consumption (VO2); carbon dioxide production (VCO2); and the other variables of conventional exercise testing. In addition, in specific situations, pulse oximetry and flow-volume loops during and after exertion are measured. The CPET provides joint data analysis that allows complete assessment of the cardiovascular, respiratory, muscular and metabolic systems during exertion, being considered gold standard for cardiorespiratory functional assessment.1-6 The CPET allows defining mechanisms related to low functional capacity that can cause symptoms, such as dyspnea, and correlate them with changes in the cardiovascular, pulmonary and skeletal muscle systems. Furthermore, it can be used to provide the prognostic assessment of patients with heart or lung diseases, and in the preoperative period, in addition to aiding in a more careful exercise prescription to healthy subjects, athletes and patients with heart or lung diseases. Similarly to CPET clinical use, its research also increases, with the publication of several scientific contributions from Brazilian researchers in high-impact journals. Therefore, this study aimed at providing a comprehensive review on the applicability of CPET to different clinical situations, in addition to serving as a practical guide for the interpretation of that test.

Resumo O teste cardiopulmonar de exercício (TCPE) vem ganhando importância crescente como método de avaliação funcional tanto no Brasil quanto no Mundo. Nas suas aplicações mais frequentes, o teste consiste em submeter o indivíduo a um exercício de intensidade gradativamente crescente até a exaustão ou o surgimento de sintomas e/ou sinais limitantes. Neste exame se mensura a ventilação (VE), o consumo de oxigênio (VO2), a produção de gás carbônico (VCO2) e as demais variáveis de um teste de exercício convencional. Adicionalmente, podem ser verificadas, em situações específicas, a oximetria de pulso e as alças fluxo-volume antes, durante e após o esforço. A análise integrada dos dados permite a completa avaliação dos sistemas cardiovascular, respiratório, muscular e metabólico no esforço, sendo considerado padrão-ouro na avaliação funcional cardiorrespiratória.1-6 O TCPE permite definir mecanismos relacionados à baixa capacidade funcional, os quais podem ser causadores de sintomas como a dispneia, correlacionando-os com alterações dos sistemas cardiovascular, pulmonar e musculoesquelético. Também pode ser de grande aplicabilidade na avaliação prognóstica em cardiopatas, pneumopatas e em pré-operatório, além de auxiliar na prescrição mais criteriosa do exercício em sujeitos normais, em atletas, em cardiopatas e em pneumopatas. Assim como ocorre com o uso clínico, a pesquisa nesse campo também cresce e várias contribuições científicas de pesquisadores nacionais são publicadas em periódicos de alto fator de impacto. Sendo assim, o objetivo deste documento é fornecer uma revisão ampla da aplicabilidade do TCPE nas diferentes situações clínicas, bem como servir como guia prático na interpretação desse teste propedêutico.
Descritores: Consumo de Oxigênio/fisiologia
Ventilação Pulmonar/fisiologia
Teste de Esforço/normas
Insuficiência Cardíaca/diagnóstico
Pneumopatias/diagnóstico
-Prognóstico
Espirometria
Circulação Pulmonar
Disfunção Ventricular Esquerda/fisiopatologia
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica/diagnóstico
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica/fisiopatologia
Diagnóstico Diferencial
Dispneia/diagnóstico
Teste de Esforço/métodos
Insuficiência Cardíaca/fisiopatologia
Hipertensão Pulmonar/diagnóstico
Pneumopatias/fisiopatologia
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 327 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Castro, Renata Rodrigues Teixeira de
Texto completo
Id: biblio-887932
Autor: Castro, Renata Rodrigues Teixeira de; Lima, Sabrina Pedrosa; Sales, Allan Robson Kluser; Nóbrega, Antonio Claudio Lucas da.
Título: Minute-Ventilation Variability during Cardiopulmonary Exercise Test is Higher in Sedentary Men Than in Athletes / A variabilidade da Ventilação durante Teste Cardiopulmonar de Exercício é Maior em Homens Sedentários do que em Atletas
Fonte: Arq. bras. cardiol;109(3):185-190, Sept. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background: The occurrence of minute-ventilation oscillations during exercise, named periodic breathing, exhibits important prognostic information in heart failure. Considering that exercise training could influence the fluctuation of ventilatory components during exercise, we hypothesized that ventilatory variability during exercise would be greater in sedentary men than athletes. Objective: To compare time-domain variability of ventilatory components of sedentary healthy men and athletes during a progressive maximal exercise test, evaluating their relationship to other variables usually obtained during a cardiopulmonary exercise test. Methods: Analysis of time-domain variability (SD/n and RMSSD/n) of minute-ventilation (Ve), respiratory rate (RR) and tidal volume (Vt) during a maximal cardiopulmonary exercise test of 9 athletes and 9 sedentary men was performed. Data was compared by two-tailed Student T test and Pearson´s correlations test. Results: Sedentary men exhibited greater Vt (SD/n: 1.6 ± 0.3 vs. 0.9 ± 0.3 mL/breaths; p < 0.001) and Ve (SD/n: 97.5 ± 23.1 vs. 71.6 ± 4.8 mL/min x breaths; p = 0.038) variabilities than athletes. VE/VCO2 correlated to Vt variability (RMSSD/n) in both groups. Conclusions: Time-domain variability of Vt and Ve during exercise is greater in sedentary than athletes, with a positive relationship between VE/VCO2 pointing to a possible influence of ventilation-perfusion ratio on ventilatory variability during exercise in healthy volunteers.

Resumo Fundamento: A ocorrência de oscilações de variabilidade ventilatória durante o exercício, denominada respiração periódica, apresenta importantes informações prognósticas na insuficiência cardíaca. Considerando que o treinamento físico poderia influenciar a flutuação dos componentes ventilatórios durante o exercício, nós hipotetizamos que a variabilidade ventilatória durante o exercício seria maior nos homens sedentários do que nos atletas. Objetivo: Comparar a variabilidade temporal das componentes ventilatórias de homens sedentários saudáveis e atletas durante um teste de esforço máximo progressivo, avaliando sua relação com outras variáveis normalmente obtidas durante um teste de exercício cardiopulmonar. Métodos: Foi realizada uma análise da variabilidade temporal (SD/n e RMSSD/n) da ventilação por minuto (Ve), da frequência respiratória (RR) e do volume corrente (Vt) durante um teste de exercício cardiopulmonar máximo em 9 atletas e 9 homens sedentários. Os dados foram comparados pelo teste T de Student bicaudal e pelo teste de correlação de Pearson. Resultados: Os homens sedentários apresentaram maior variabilidade Vt (SD/n: 1,6 ± 0,3 vs 0,9 ± 0,3 mL/respirações, p < 0,001) e Ve (SD/n: 97,5 ± 23,1 vs. 71,6 ± 4,8 mL/min x respirações; p = 0,038) do que os atletas. VE/VCO2 correlacionou-se à variabilidade de Vt (RMSSD/n) em ambos os grupos. Conclusões: A variabilidade temporal de Vt e Ve durante o exercício é maior em sedentários do que em atletas, com uma relação positiva entre VE/VCO2 apontando para uma possível influência da relação ventilação-perfusão na variabilidade ventilatória durante o exercício em voluntários saudáveis
Descritores: Consumo de Oxigênio/fisiologia
Ventilação Pulmonar/fisiologia
Teste de Esforço
Comportamento Sedentário
Atletas
-Testes de Função Respiratória
Limites: Humanos
Masculino
Adulto
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 327 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Araújo, Cláudio Gil Soares de
Texto completo
Id: biblio-954122
Autor: Souza e Silva, Christina Grüne de; Castro, Claudia Lucia Barros de; Franca, João Felipe; Bottino, Altamiro; Myers, Jonathan; Araújo, Claudio Gil Soares de.
Título: Ponto Ótimo Cardiorrespiratório em Futebolistas Profissionais: Uma Nova Variável Submáxima do Exercício / Cardiorespiratory Optimal Point in Professional Soccer Players: A Novel Submaximal Variable During Exercise
Fonte: Int. j. cardiovasc. sci. (Impr.);31(4):323-332, jul.-ago. 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: O consumo máximo de oxigênio (VO2max) e o limiar anaeróbico (LA) obtidos no teste cardiopulmonar de exercício (TCPE) são utilizados na avaliação de atletas. Todavia, dificuldades na identificação e mensuração dessas variáveis dificultam sua utilização prática. O ponto ótimo cardiorrespiratório (POC) é uma variável submáxima do TCPE de mensuração objetiva e com significado clínico prognóstico. Contudo, é desconhecido o seu comportamento em atletas. Objetivo: Descrever o comportamento do POC em jogadores profissionais de futebol e sua associação com VO2max e LA. Materiais e Método: Análise retrospectiva de 198 futebolistas submetidos a TCPE máximo em esteira rolante com protocolo em rampa, divididos pela posição em campo: goleiro, zagueiro, lateral, meio-campo e atacante. Foram determinados VO2max, LA e POC. O POC correspondeu ao menor valor de ventilação/consumo de oxigênio em um dado minuto do TCPE. Variáveis contínuas foram comparadas pelo teste t de Student não emparelhado ou ANOVA, ou teste de Mann-Whitney ou de Kruskal-Wallis dependendo na distribuição das mesmas, e variáveis categóricas foram comparadas pelo teste do qui-quadrado. A correlação de Pearson foi utilizada para testar a associação entre POC e outras variáveis ventilatórias. Adotou-se um nível de 5% para significância estatística. Resultados: O POC (média ± desvio-padrão) foi de 18,2 ± 2,1 a uma velocidade 4,3 ± 1,4 km.h-1 menor do que a do LA. Enquanto o VO2max (62,1 ± 6,2 mL.kg-1.min-1) tendeu a ser menor nos goleiros (p < 0,05), o POC não variou conforme a posição em campo (p = 0,41). Não houve associação significativa entre POC e VO2max (r = 0,032, p = 0,65) nem com LA (r = -0,003, p = 0,96). Conclusão: O POC pode ser facilmente determinado em exercício submáximo realizado com velocidades incrementais em futebolistas e não varia pela posição em campo. A ausência de associação com VO2max e LA indica que o POC traz uma informação distinta e complementar a essas variáveis. Estudos futuros são necessários para determinar implicações práticas do POC na avaliação de atletas

Maximal oxygen consumption (VO2max) and ventilatory threshold (VT) obtained during a cardiopulmonary exercise test (CPX) are used in the evaluation of athletes. However, the identification of these variables may sometimes be unreliable, which limits their use. In contrast, the cardiorespiratory optimal point (COP) is a submaximal variable derived from CPX with objective measurement and prognostic significance. However, its behavior in athletes is unknown. Objective: To describe the behavior of COP in professional soccer players and its association with VO2max and VT. Methods: VO2max, VT and COP were obtained retrospectively from 198 soccer players undergoing maximal treadmill CPX using ramp protocol. COP was defined as the lowest value of the ventilation/oxygen consumption ratio in a given minute of the CPX. The soccer players were stratified according to their field position: goalkeeper, center-defender, left/right-back, midfielder and forwarder. Continuous variables were compared using unpaired Student t test or ANOVA, or Mann-Whitney test or Kruskal-Wallis test depending on their distribution, and categorical variables were compared using chi-square test. Pearson correlation was used to test the association between COP and other ventilatory variables. A level of 5% was used for statistical significance. Results: COP (mean ± SD) was 18.2 ± 2.1 and was achieved at a speed 4.3 ± 1.4 km.h-1 lower than that achieved at the VT. While VO2max (62.1 ± 6.2 mL.kg-1.min-1) tended to be lower in goalkeepers (p < 0.05), the COP did not vary according to field position (p = 0.41). No significant association was observed between COP and VO2max (r = 0.032, p = 0.65) or between COP and VT (r = -0.003, p = 0.96). Conclusion: COP can be easily determined during submaximal exercise performed with incremental speed in soccer players and does not vary according to the athlete's field position. The absence of association with VO2max and VT indicates that COP provides distinct and complementary information to these variables. Future studies are needed to determine the practical implications of COP in assessing athletes
Descritores: Testes de Função Respiratória/métodos
Futebol/tendências
Exercício Físico
Desempenho Atlético
Aptidão Cardiorrespiratória/fisiologia
-Espirometria/métodos
Medicina Esportiva
Análise Estatística
Estudos Retrospectivos
Análise de Variância
Ventilação Pulmonar/fisiologia
Eletrocardiografia/métodos
Atletas
Limites: Humanos
Masculino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  4 / 327 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-491332
Autor: Marrara, Kamilla Tays; Franco, Aline Marques; Di Lorenzo, VAléria Amorim Pires; Negrini, Fernanda; Luzzi, Sérgio.
Título: Efeitos fisiológicos da fisioterapia respiratória convencional associada à aplicação de BiPAP no pós-operatório de cirurgia cardíaca / Physiological effects of the conventional respiratory physical therapy associated to BiPAP in post cardiac surgery
Fonte: Fisioter. Bras;7(1):12-17, jan.-fev. 2006.
Idioma: pt.
Resumo: O objetivo deste estudo foi avaliar as alterações da função pulmonar pela Força Muscular Respiratória (FMR-PImax e PEmax), Capacidade Vital (CV), Freqüência Respiratória (FR) e Oxigenação (SpO2) do pré-operatório ao 1º pós-operatório (PO) e deste à pré-alta; e verificar a eficácia da Fisioterapia Respiratória Convencional (FRC) associada à Ventilação não-invasiva (BiPAP) no PO de cirurgia cardíaca. Incluiu-se 27 pacientes, 12 tratados com FRC associada à BiPAP (Grupo1-G1) e 15 com FRC (Grupo2- G2), com avaliação das variáveis citadas no pré-operatório, 1ºPO, 3ºPO e pré-alta. Para a análise utilizou-se Friedman ANOVA e Mann-Whitney (p ≤ 0,05). Quanto a FMR, apenas G1 aumentou significativamente do 1ºPO para pré-alta, e os valores de PImax apresentaram-se significativamente maiores que G2. Em ambos os grupos, a CV aumentou significativamente do 1º para o 3ºPO, mas apenas G1 mostrou valores da pré-alta próximos ao pré-operatório. A oxigenação aumentou do 3ºPO à pré-alta para ambos, mas apenas o G1 aproximou-se dos valores do pré-operatório. Quanto à FR, apenas o G1 reduziu significativamente no PO. A FRC associada à BiPAP mostrou-se mais eficiente do que a FRC isolada, no aumento da FMR, CV e oxigenação, e na reversão da FR, apesar dos valores não terem sido recuperados completamente até a pré-alta.

The aim of this study was to evaluate the pulmonary function alterations by the Respiratory Muscular Force (RMF- MIP and MEP), Vital Capacity (VC), Breathing Frequency (BF) and Oxigenation (SpO2) from the Pre-operation to the 1st post-operation (PO) and from that one to the pre-discharge; and to verify the efficiency of the Conventional Respiratory Physical Therapy (CRP) associated to the Non-invasive ventilation (BiPAP) in the cardiac surgery PO. 27 patients were included; 12 of them were treated with FRC associated to the BiPAP (Group 1-G1) and 15 with FRC (Group 2-G2). These patients were evaluated in the pre-operation ,1st PO, 3rd PO and pre-discharge as for the mentioned variables. To the analysis were used Friedman ANOVA and Mann-Whitney (p ≤ 0,05). As for the RMF, only G1 increased significantly from the first PO to the pre-discharge, and the values of MIP were significantly bigger than G2. In both groups, the VC increased significantly from the 1st to the 3rd PO, but only G1 presented pre-discharge values near to the pre-operation. The oxigenation increased from the 3rd PO to the pre-discharge for both, but only the G1 came near to the preoperation values. As for RF, only the G1 decreased significantly in the PO. In conclusion, the CRF associated to the BiPAP seemed be more efficient than the isolated CRF, in the RMF increasing, VC and oxigenation, and in the RF reversion, despite of the values have not been completely recuperated until the pre-discharge.
Descritores: Cirurgia Torácica
Exercícios Respiratórios
Respiração Artificial
Sistema Respiratório
Testes de Função Respiratória
Técnicas de Diagnóstico do Sistema Respiratório
Ventilação Pulmonar
Responsável: BR1561.1 - Biblioteca Virtual AMMG


  5 / 327 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1129488
Autor: Aidar, E. S. A; Gering, A. P; Ido, C. K; Rocha, F. D. L; Silva, H. R. A; Silva, P. E. S; Horr, M; Silva Filho, J. C; Nunes, N.
Título: Parâmetros hemodinâmicos e ventilatórios em coelhos anestesiados com isoflurano, submetidos à ventilação controlada à pressão com ou sem PEEP / Hemodynamic and ventilatory parameters in rabbits anesthetized with isoflurane submitted to pressure controlled ventilation with or without PEEP
Fonte: Arq. bras. med. vet. zootec. (Online);72(3):843-852, May-June, 2020. tab.
Idioma: pt.
Projeto: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.
Resumo: Foi comparada a ventilação controlada à pressão com ou sem pressão positiva expiratória final (PEEP), em coelhos, distribuídos em três grupos, denominados GP (grupo ventilação ciclada à pressão), GPP (grupo ventilação ciclada à pressão com PEEP) e GE (grupo ventilação espontânea - grupo controle). Os animais foram anestesiados com isoflurano, em circuito com reinalação de gases, durante duas horas. As médias de pressão arterial média (PAM) e pressão arterial sistólica (PAS) permaneceram discretamente abaixo dos valores normais em todos os grupos. Houve diminuição significativa da PAM e da PAS no grupo submetido à PEEP (GPP) ao longo do tempo. A pressão parcial de dióxido de carbono arterial (PaCO2) foi maior no GPP quando comparado aos outros grupos no último momento, gerando acidemia respiratória após uma hora de procedimento. A concentração de dióxido de carbono ao final da expiração (ETCO2) apresentou médias discretamente elevadas no grupo não tratado com PEEP (GP) e no grupo controle, enquanto o GPP apresentou maiores médias, possivelmente, relacionadas à diminuição do volume corrente neste grupo. Com base nesses resultados, foi possível concluir que a utilização da PEEP levou à acidemia, que se agravou ao longo do tempo anestésico. Ademais, a anestesia prolongada com isoflurano promove depressão cardiorrespiratória, independentemente do modo ventilatório empregado.(AU)

Pressure controlled ventilation with or without positive end-expiratory pressure (PEEP) was compared in rabbits, which were divided into three groups denominated GP (pressure cycled ventilation group), GPP (pressure cycled ventilation with PEEP group) and GE (spontaneous ventilation group - control group). The animals were anesthetized with isoflurane in a gas rebreathing circuit for two hours. The means of mean arterial pressure (MAP) and systolic blood pressure (SBP) remained slightly below normal values ​​in all groups. There was a significant decrease in MAP and SBP in the group submitted to PEEP (GPP) over time. The partial pressure of arterial carbon dioxide (PaCO2) was higher in GPP when compared to the other groups, inducing respiratory acidosis after one hour. The end-expired carbon dioxide concentration (ETCO2) presented slightly elevated means in the GP, while the GPP presented higher means, possibly related to the decrease in tidal volume in this group. Based on these results it was concluded that the use of PEEP led to acidemia that worsened over anesthetic time. In addition, prolonged isoflurane anesthesia promotes cardiorespiratory depression, regardless the ventilatory mode employed.(AU)
Descritores: Respiração com Pressão Positiva
Ventilação Pulmonar
Hemodinâmica
Isoflurano
-Volume de Ventilação Pulmonar
Anestesia
Limites: Animais
Coelhos
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  6 / 327 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-541276
Autor: Sarasqueta, P. de; Vasallo, J. C; Rua, A; Saporiti, A.
Título: Comparación del trabajo respiratorio en ventilación mandatoria intermitente y ventilación asistida sincronizada por impedancia en lactantes con asistencia respiratoria prolongada / A comparative analysis of respiratory effort between intermitent mandatory ventilation (IMV) and assisted syncrhonized ventilation (ASV) by impedance in infants with prolonged mechanical ventilation
Fonte: Med. infant;4(2):94-97, jun. 1997. tab.
Idioma: es.
Resumo: En niños con ARM y EPC existe evidencia de que el trabajo respiratorio (TR) genera un mayor gasto metabólico que podrá limitar la recuperación nutricional y retrasar la extubación. Se ha postulado que la VAS disminuiría el TR en estas condiciones pero los estudios en VAS mediada por flujo o presión demostraron que producen aumento del TR. En cambio la VAS por impedancia podria disminuir el TR al no generar esfuerzo respiratorio para sostener el flujo ventilatorio. Para confirmar esta hipótesis se estudiaron 3 lactantes (peso medio màs DS 2850 más menos 236 grs. edad media 34 más menos 8 días) con ARM prolongada (mayor/igual 20 dias) y EPC. Se estudió el TR por medio de un equipo BICORE de función pulmonar a través de las mediciones de la presión transpulmonar con un balón en el tercio inferior del esófago y de los volúmenes respiratorios. Se midio el TR en dos períodos sucesivos de 30 minutos en VMI y VAS por impedancia. Se observó un descenso significativo del TR del paciente en VAS por impedancia, permaneciendo estable los otros parámetros de evolución de la función ventilatoria. Conclusiones: 1- La Vas por impedancia produce disminución significativa del TR del paciente. 2- Este hecho prodría contribuir clinicamente a un mejor tratamiento nutricional de los lactantes con EPC y ARM prolongada y a una extubación más rápida. 3- Se requieren estudios controlados para validar la hipótesis.
Descritores: Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica
Impedância Elétrica
Medidas de Volume Pulmonar
Respiração Artificial
Ventilação Pulmonar
Ventilação com Pressão Positiva Intermitente
Limites: Lactente
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: AR94.1 - Centro de Información Pediatrica


  7 / 327 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1046203
Autor: Silva, Maryne Ramos; Peruzzolo, Catherine Correa; Gonçalez, Jéssica Canizelli; Conceição, Thais Martins Albanaz da; Montemezzo, Dayane; Ferrazeane, Elaine Paulin.
Título: Mobilidade diafragmática em saudáveis: escolher a média dos valores ou o maior valor mensurado? / Diaphragmatic mobility on healthy individuals: choosing between mean or the highest measured values
Fonte: Arq. ciências saúde UNIPAR;23(3), set-dez. 2019.
Idioma: pt.
Resumo: A mobilidade diafragmática é essencial para a ventilação pulmonar. Pela ultrassonografia sua mensuração é direta, porém o processamento das medidas encontra-se em divergência na literatura. Indica-se pelo valor médio das três incursões respiratórias máximas ou o maior valor dentre elas restringindo à variações de 10%. Dessa forma, não existe um consenso em relação ao processamento da medida de mobilidade diafragmática máxima. Objetivo: Comparar dois diferentes processamentos das medidas pela ultrassonografia para o maior valor de mobilidade diafragmática. Materiais e métodos: Estudo observacional transversal. Avaliou-se a mobilidade diafragmática pela ultrassonografia, com um transdutor convexo (3 MHz) posicionado anteriormente na região subcostal e leve inclinação cranial, em decúbito dorsal. Visualizou-se o hemidiafragma direito pelo ponto médio entre a linha médio clavicular e axilar anterior. Para visualizar a janela do diafragma e mensurar sua mobilidade foi utilizado o modo B, seguido do modo M. Os participantes realizaram inspirações máximas e os maiores valores com diferença máxima de 10% entre eles mensurados e registrados. Para análise, o maior valor e o valor médio obtido das três medidas foram considerados. Para normalidade dos dados foi realizado o teste de Shapiro Wilk. Para diferenças entre os registros, o teste de t student. Resultados: 30 indivíduos (30,33 ± 9,7 anos), 16 mulheres e 14 homens. A medida da mobilidade diafragmática pelo maior valor em comparação ao valor médio apresentou diferença estatisticamente significante (8,11 ± 1,43 cm versus 7,79 ± 1,43 cm; p<0,001). Conclusão: O valor máximo da mobilidade diafragmática foi obtido por meio da análise do maior valor. Ao escolher a média, a mobilidade diafragmática pode ser subestimada. 

Diaphragmatic mobility is essential to pulmonary ventilation. It can be directly measured by using ultrasonography, but the processing of the measurements can be found described differently in the literature. It can be measured as the average of at least three different cycles or from the greatest value among them resticting it to a 10% variation. Thus, there is no consensus about the processing of the maximum measurement of diaphragmatic mobility. Objective: Comparisson of two differents ultrasound measurement processings aiming at the diaphragmatic mobility maximum value. Methodology: Cross-sectional observational study. The diaphragmatic mobility was assessed by ultrasonography with convex transducer (3MHz) placed on the subcostal region between the midclavicular and anterior axillary. In order to explore the right diaphragmatic window and mobility, the B mode was used, followed by the M mode. The participants made maximum inspiration, and the highest value with a maximum difference of 10% was recorded. For statistical analysis, the mean and the highest value of three measurements were considered. The data distribution was analyzed with a Shapiro Wilk test and differences among records by the t student test. Results: 30 participants (30.33 ± 9.7 years) - 16 women and 14 men. The measurement of the diaphragmatic mobility obtained by the highest value compared against the mean value presented a statistically significant difference (8.11 ± 1.43 cm vs 7.79 ± 1.43 cm; p<0.001). Conclusions: The maximum value of diaphragmatic mobility was obtained by the analysis of the highest value. By choosing to use the mean value, diaphragmatic mobility may be underestimated.
Descritores: Diafragma/fisiologia
-Respiração
Diafragma
Estudos Transversais
Ultrassonografia
Ventilação Pulmonar
Movimentos dos Órgãos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: BR513.1 - Biblioteca Central


  8 / 327 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-782213
Autor: Cipriano Arellano, Jesús Salvador.
Título: Capacidad ventilatoria forzada en trabajadores de una empresa metalúrgica en la Región Central del Perú 2012 / Forced ventilatory capacity in workers of a metallurgical company in the central region of Peru 2012.
Fonte: Lima; s.n; 2015. 71 p. ilus, tab.
Idioma: es.
Tese: Apresentada a Universidad Nacional Mayor de San Marcos. Facultad de Medicina para obtenção do grau de Maestría.
Resumo: El estudio se realizó en la ciudad de La Oroya, capital de la Provincia de Yauli, en el Departamento de Junín a 3730 m.s.n.m., en las instalaciones del Centro Médico de Chulec perteneciente a la Empresa Doe Run Perú S.R.L. en trabajadores de la fundición del Complejo Metalúrgico, quienes participaron en forma voluntaria. Objetivo: Determinar la capacidad ventilatoria de los trabajadores de una empresa metalúrgica que laboran en zona de altura en la región central del Perú; según los indicadores espirométricos siguientes: Capacidad Vital Forzada (CVF), Volumen Espiratorio Forzado en el primer segundo (VEF1), relación entre Volumen Espiratorio Forzado en el primer segundo sobre la Capacidad Vital Forzada (VEF1/CVF), y el Flujo Espiratorio Pico de las siglas en inglés (PEF). La investigación servirá de aproximación a los valores de referencia, para trabajadores en zona de altura en el Perú. Metodología: Se realizó un estudio observacional, descriptivo y transversal en 385 trabajadores nativos o con un tiempo de residencia igual o mayor a 5 años, cuyas edades fueron entre 20 a 60 años, y a quienes se les practicó la prueba de espirometría forzada para determinar la capacidad funcional respiratoria, en base a los criterios de la Sociedad Americana de Tórax (ATS). Resultados: Los valores fueron los siguientes: Capacidad Vital Forzada: 4.83 l/s, el Volumen Espiratorio Forzado al primer segundo fue de: 4.02 l/s, la relación FEV1/FVC fue de 83.45 por ciento, y el Flujo Espiratorio Pico fue de 9.46 l/s. Conclusión: El 94.6 por ciento de los trabajadores evaluados, la Capacidad Vital Forzada estaba dentro de rangos normales. Un 5.2 por ciento de la población estudiada es portadora de procesos obstructivos leves, y el 0.2 por ciento es portadora de probable proceso restrictivo...

This study was conducted in the city of La Oroya, capital of the Province of Yauli, Department of Junín located at 3730 meters above sea level. The study took place in the installations of the Medical Center Chulee which belongs to the company Doe Run Peru SRL. The workers of the Metallurgical Complex voluntarily participated. Objective: To determine the ventilatory capacity of workers in a metallurgical company performing their work at high altitudes in the central region of Peru. According to the following spirometric indicators: Forced Vital Capacity (FVC), forced expiratory volume in one second (FEV1), forced expiratory volume ratio in the first second of the FVC (FEV1) / FVC, and peak expiratory flow the acronym (PEF). The research will approach the reference values for workers in the highlands in Peru. Methodology: An observational, descriptive and cross-sectional study involved 385 native workers with a residence time equal to or more than five years. The ages were between 20-60 years and the participants underwent spirometry testing to determine the respiratory function, based on the criteria of the American Thoracic Society (ATS). Results: The values were the following: Forced Vital Capacity, FVC: 4.83 l/s, the forced expiratory volume at the first second was 4.02 l/s, The FEV1/FVC ratio was 83.45 per cent, and the peak expiratory flow was 9.46 l/s. Conclusion: 94.6 per cent of workers evaluated showed their FVC within normal ranges. 5.2 per cent of the studied population are carriers of mild obstructive processes, and 0.2 per cent are carriers of a likely restrictive process...
Descritores: Altitude
Espirometria
Metalurgia
Ventilação Pulmonar
-Estudos Retrospectivos
Estudos Transversais
Estudos Observacionais como Assunto
Limites: Humanos
Masculino
Adulto
Adulto Jovem
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: PE13.1 - Oficina de Biblioteca, Hemeroteca y Centro de Documentación


  9 / 327 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-176306
Autor: Rey de Castro, Jorge; Villar, Martha; Barron, Ennio.
Título: Correlación entre VEF1 y FEM en pacientes con asma bronquial / Analysis of lineal correlation betwen FEV1 and MEF after using bronchodilators in bronchial asthma
Fonte: Rev. méd. hered;5(2):71-4, jun. 1994. tab.
Idioma: es.
Resumo: Se analiza la correlación lineal entre los valores basales del volumen espiratorio forzado al primer segundo (VEF1) medido por medio de la espirometría cronometrada y el flujo espiratorio máximo (FEM) con el flujómetro, analogamente los incrementos en valores absolutos de la misma variable 30 y 60 minutos despues del uso de un broncodilatador en aerosol dosificado. El estudio fue practicado en una muestra de 24 asmáticos. El valor de r (coeficiente de correlación) entre los valores basales de VEF1 y FEM fue 0,54 con p igual a 0.002. De manera similar en el analisis de correlación practicado con los incrementos de las mismas variables a los 30 y 60 minutos de aplicada la sustancia activa se obtuvo r igual a 0.65 con p igual a 0.00015 y p igual a 0.00016 respectivamente. Como ha sido demostrado, existe una buena correlación entre las mediciones obtenidas con estos instrumentos. Se recomienda extender el uso del flujometro en nuestro medio
Descritores: Asma/diagnóstico
Espirometria
Fluxômetros
-Asma/prevenção & controle
Espirometria/tendências
Fluxo Expiratório Forçado
Ventilação Pulmonar/efeitos dos fármacos
Fluxômetros/tendências
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: PE1.1 - Oficina Universitária de Biblioteca


  10 / 327 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-670745
Autor: Montenegro, Hugo D.
Título: Nuevos enfoques de la asistencia ventilatoria / New approach of the ventilatory assistance
Fonte: Actas peru. anestesiol;8(1):35-38, ene.-jul. 1995.
Idioma: es.
Descritores: Hipotensão
Insuficiência Respiratória
Oxigenação
Respiração Artificial
Ventilação Pulmonar
Responsável: PE1.1 - Oficina Universitária de Biblioteca



página 1 de 33 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde