Base de dados : LILACS
Pesquisa : E01.370.600.250 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 519 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 52 ir para página                         

  1 / 519 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-891438
Autor: Santos, Vanessa Ribeiro dos; Gomes, Igor Conterato; Bueno, Denise Rodrigues; Christofaro, Diego Giulliano Destro; Freitas Jr, Ismael Forte; Gobbo, Luis Alberto.
Título: Obesity, sarcopenia, sarcopenic obesity and reduced mobility in Brazilian older people aged 80 years and over / Obesidade, sarcopenia, obesidade sarcopênica e mobilidade reduzida em idosos brasileiros com 80 anos ou mais
Fonte: Einstein (Säo Paulo);15(4):435-440, Oct.-Dec. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective: To analyze which abnormalities in body composition (obesity, sarcopenia or sarcopenic obesity) are related to reduced mobility in older people aged 80 years and older. Methods: The sample included 116 subjects aged 80 years and older. The body composition was measured using dual-energy X-ray absorptiometry (DXA) and mobility was assessed by motor tests. The χ2 test was used to analyze the proportion of older people with sarcopenia, obesity and sarcopenic obesity based on sex as well as to indicate an association between obesity, sarcopenia, sarcopenic obesity and mobility. Binary logistic regression, adjusted for the variables (sex and osteoarticular diseases), was used to express the magnitude of these associations. One-way analysis of variance was used to compare the mobility of four groups (Normal, Obesity, Sarcopenia and Sarcopenic Obesity). Results: The Sarcopenia Group had lower performance in the lower limbs strength test and in sum of two tests compared with Obesity and Normal Groups. Older people with sarcopenia had higher chance of reduced mobility (OR: 3.44; 95%CI: 1.12-10.52). Conclusion: Older people aged 80 years and older with sarcopenia have more chance for reduction in mobility.

RESUMO Objetivo: Analisar quais agravos na composição corporal (obesidade, sarcopenia ou obesidade sarcopênica) estão relacionados à redução da mobilidade em idosos com 80 anos ou mais. Métodos: A amostra foi constituída por 116 sujeitos com idade igual ou superior a 80 anos. A composição corporal foi mensurada pela técnica de absorciometria de raios X de dupla energia (DXA), e a mobilidade foi avaliada por testes motores. O teste χ2foi utilizado para analisar a proporção de idosos com sarcopenia, obesidade e obesidade sarcopênica, de acordo com o sexo, bem como para indicar a associação entre obesidade, sarcopenia, obesidade sarcopênica e mobilidade. A análise de regressão logística binária, ajustada pelas variáveis (sexo e doenças osteoarticulares), foi utilizada para expressar a magnitude das associações. A análise de variância foi usada para comparar a mobilidade entre os quatro grupos (Normal, Obesidade, Sarcopenia e Obesidade Sarcopênica). Resultados: O Grupo Sarcopenia apresentou menor desempenho no teste de força de membros inferiores e na soma dos dois testes, comparado aos Grupos Obesidade e Normal. Idosos com sarcopenia apresentaram maior chance de redução da mobilidade (OR: 3,44; IC95%: 1,12-10,52). Conclusão: Idosos com idade igual ou superior a 80 anos com sarcopenia têm mais chance de redução da mobilidade.
Descritores: Composição Corporal/fisiologia
Envelhecimento/psicologia
Limitação da Mobilidade
Sarcopenia/fisiopatologia
Obesidade/fisiopatologia
-Osteoartrite/epidemiologia
Osteoporose/epidemiologia
Brasil/epidemiologia
Fatores Sexuais
Estudos Transversais
Análise de Variância
Densitometria
Força Muscular/fisiologia
Sarcopenia/epidemiologia
Marcha/fisiologia
Obesidade/epidemiologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Idoso de 80 Anos ou mais
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 519 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-891458
Autor: Teixeira, Fernando Borge; Ramalho Júnior, Amancio; Morais Filho, Mauro César de; Speciali, Danielli Souza; Kawamura, Catia Miyuki; Lopes, José Augusto Fernandes; Blumetti, Francesco Camara.
Título: Correlation between physical examination and three-dimensional gait analysis in the assessment of rotational abnormalities in children with cerebral palsy / Correlação entre exame físico e análise tridimensional da marcha na determinação dos desvios rotacionais em crianças com paralisia cerebral
Fonte: Einstein (Säo Paulo);16(1):eAO4247, 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Objective To evaluate the correlation between physical examination data concerning hip rotation and tibial torsion with transverse plane kinematics in children with cerebral palsy; and to determine which time points and events of the gait cycle present higher correlation with physical examination findings. Methods A total of 195 children with cerebral palsy seen at two gait laboratories from 2008 and 2016 were included in this study. Physical examination measurements included internal hip rotation, external hip rotation, mid-point hip rotation and the transmalleolar axis angle. Six kinematic parameters were selected for each segment to assess hip rotation and shank-based foot rotation. Correlations between physical examination and kinematic measures were analyzed by Spearman correlation coefficients, and a significance level of 5% was considered. Results Comparing physical examination measurements of hip rotation and hip kinematics, we found moderate to strong correlations for all variables (p<0.001). The highest coefficients were seen between the mid-point hip rotation on physical examination and hip rotation kinematics (rho range: 0.48-0.61). Moderate correlations were also found between the transmalleolar axis angle measurement on physical examination and foot rotation kinematics (rho range 0.44-0.56; p<0.001). Conclusion These findings may have clinical implications in the assessment and management of transverse plane gait deviations in children with cerebral palsy.

Resumo Objetivo Avaliar a correlação entre dados do exame físico relativos à rotação do quadril e torção tibial com a cinemática do plano transverso em crianças com paralisia cerebral; e determinar quais pontos no tempo e eventos do ciclo de marcha apresentam maior correlação com achados do exame físico. Métodos Um total de 195 crianças com paralisia cerebral vistas em dois laboratórios de marcha, de 2008 a 2016, foi incluído neste estudo. As medidas do exame físico incluíram rotação interna do quadril, rotação externa do quadril, ponto médio da rotação do quadril e ângulo do eixo transmaleolar. Foram selecionados seis parâmetros cinemáticos para cada segmento, para avaliar a rotação do quadril e a do pé em relação à perna durante a marcha. As correlações entre exame físico e medidas cinemáticas foram analisadas por coeficientes de correlação de Spearman, e considerou-se um nível de significância de 5%. Resultados Comparando as medidas da rotação do quadril e da cinemática do quadril, encontramos correlações moderadas a fortes para todas as variáveis (p<0,001). Os coeficientes mais altos foram observados entre o ponto médio da rotação do quadril no exame físico e a rotação do quadril na cinemática (rho range: 0,48-0,61). Correlações moderadas também foram encontradas entre a medição do ângulo do eixo transmaleolar no exame físico e a rotação do pé em relação à perna na cinemática (faixa rho: 0,44-0,56; p<0,001). Conclusão Estes achados podem ter implicações clínicas na avaliação e no tratamento de desvios da marcha do plano transverso em crianças com paralisia cerebral.
Descritores: Exame Físico
Paralisia Cerebral/fisiopatologia
Amplitude de Movimento Articular/fisiologia
Marcha/fisiologia
-Rotação
Fenômenos Biomecânicos
Índice de Gravidade de Doença
Estudos Retrospectivos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pré-Escolar
Criança
Adolescente
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 519 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1284154
Autor: Da Silva, André Custódio; De Almeida, Juliana Silva; Taboada, Tiago Bastos; Pinto, Sérgio Medeiros; Chermont, Sergio; Carvalho, Igor Mauricio Antunes; Orsini, Marco; Silva, Júlio Guilherme; Batista, Luiz Alberto.
Título: Análise cinemática da marcha com medidas normalizadas e não-normalizadas em indivíduos hígidos: um estudo experimental / Kinematic gait analysis with normalized and non-normalized measurements in healthy individuals: an experimental study
Fonte: Fisioter. Bras;22(2):180-195, Maio 25, 2021.
Idioma: pt.
Resumo: O objetivo deste estudo foi analisar as possíveis relações entre a variável antropométrica comprimento dos membros inferiores e de passada na marcha, com valores naturais e normalizados, em velocidade auto-selecionada e acrescida de 50%, em indivíduos adultos jovens. Foram avaliados 32 sujeitos hígidos adultos entre 18-25 anos. Os deslocamentos corporais nas duas velocidades foram registrados através da técnica de cineantropometria, utilizando o software Skillspector® para quantificar o comprimento da passada entre as médias dos dados normalizadas e não-normalizadas, do segmento direito e do segmento esquerdo. A comparação entre os valores médios das passadas normalizadas e não-normalizadas, nas diferentes velocidades, foi realizada por meio do teste t student (p < 0,05), assim como o grau de associação entre o comprimento da passada e o comprimento do membro inferior, realizada pelo teste de correlação de Pearson (p < 0,05). Sendo assim, nosso estudo constatou uma correlação positiva entre as variáveis estudadas, nas duas velocidades e, uma diferença entre a passada com dados normalizados e não normalizados, em ambas as velocidades. (AU)

The aim of this study was to analyze the possible relationships between the anthropometric variable length of the lower limbs and gait stride, with natural and normalized values, at self-selected speed and increased by 50%, in young adult individuals. 32 healthy adult subjects aged 18-25 years were evaluated. Body movements at both speeds were recorded using the kinanthropometry technique, using the Skillspector® software to quantify the stride length between the normalized and nonnormalized data averages for the right and left segments. The comparison between the mean values of normalized and non-normalized strides, at different speeds, was performed using the Student t test (p < 0.05), as well as the degree of association between stride length and lower limb length, performed by the Pearson correlation test (p < 0.05). Thus, our study found a positive correlation between the variables studied, at both speeds, and a difference between the stride with normalized and non-normalized data, at both speeds. (AU)
Descritores: Análise da Marcha
Marcha
-Antropometria
Análise Espaço-Temporal
Cineantropometria
Limites: Humanos
Adulto Jovem
Responsável: BR1561.1 - Biblioteca Virtual AMMG


  4 / 519 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1282897
Autor: Machado, Suzanne Guimarães; De Aguiar, Jaíne Rosalva; Bispo, Gabriel Pacheco; Santana, Ricardo de Oliveira; Hernandes, Raphaela Schiassi; Schneiberg, Sheila.
Título: Efeitos de um programa fisioterapêutico com terapia por tarefas orientadas e treino de marcha para trás na locomoção de pacientes após acidente vascular encefálico: série de casos / Effect of a physical therapy program with task-oriented approach and backward gait training in the locomotion after stroke: case series
Fonte: Fisioter. Bras;21(2):149-163, Mai 16, 2020.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução: Pacientes após Acidente Vascular Encefálico (AVE) costumam ter alteração da marcha, apresentando velocidade lenta, baixa resistência a longas distâncias, e limitação da locomoção independente nas ruas. A recuperação dessa marcha comunitária é para esses indivíduos, um dos principais objetivos para a manutenção de uma vida ativa. Objetivo: Investigar a eficácia de uma intervenção fisioterapêutica com o método de tarefas orientadas e com o treino de marcha para trás sobre a locomoção de pacientes hemiparéticos após AVE. Métodos: Tratase de um estudo de análise de efeito terapêutico do tipo série de casos, no qual o sujeito é seu próprio controle, e são realizadas avaliações múltiplas para cada sujeito nas fases A1- B - A2. Na fase A1 são feitas duas avaliações antes do tratamento, gerando uma linha de base (baseline) que por ter duas medidas inclui a variação normal do sujeito, na fase B também são feitas duas avaliações, mas, durante e imediatamente após o tratamento, para obter as mudanças relacionadas ao mesmo e na fase A2 são feitas duas avaliações após duas semanas e um mês sem tratamento, para avaliar retenção do tratamento. Este estudo foi realizado com indivíduos com sequelas de AVE deambuladores comunitários (capazes de andar na rua, com ou sem auxílio de órteses). Os constructos utilizados para avaliar o efeito da terapia nos participantes foram: equilíbrio avançado, marcha comunitária com capacidade de modificar marcha as tarefas funcionais, equilíbrio e mobilidade, que foram investigados respectivamente com os instrumentos Fullerton Advanced Balance (FAB), Índice de Marcha Dinâmica (DGI) e Timed Up Go (TUG). Dois métodos estatísticos foram utilizados: 1) O método visual da banda formada pela média e por dois desvios padrão calculados com os resultados das avaliações feitas na baseline, formando uma banda cujos pontos que caírem fora da banda tem uma significância p < 0.05; e 2) O cálculo do tamanho do efeito da terapia com o método de Delta de Glass. Resultados: Participaram do estudo quatro voluntários com sequelas após AVE. Após aplicação do protocolo de intervenção com tarefas orientadas e marcha para trás, observou-se melhora do equilíbrio e mobilidade, assim como da locomoção e da capacidade de modificação da marcha às atividades funcionais, isso pode ser observado especialmente no TUG em que todos os participantes diminuiram o tempo, após o tratamento em aproximadamente 3 a 20 segundos, p < 0,05. Os tamanhos do efeito após terapia foram grandes a enormes > 0,80 e 1,30 para todos os participantes em dois dos três desfechos primários. Conclusão: A associação do treino por tarefas orientadas com o treino de marcha para trás dentro do processo de reeducação funcional de pacientes após AVE surte efeitos positivos sobre a locomoção. (AU)

Introduction: Patients after stroke usually have gait dysfunctions, presenting slow speed, low resistance over long walking distances, and limitation of independent walking outdoors. The recovery of community walking is for those individuals, one of the main goal necessary to keep an active life. Objective: To investigate the effectiveness of a physical therapy intervention with the task-oriented method associated with backward gait training on the locomotion of hemiparetic patients after stroke. Methods: This study is a case series, to analyze therapeutic effect, in which the subject is his own control, and multiple evaluations are performed for each subject in phases A1 - B - A2. In phase A1 two pre-treatment assessments are performed, generating a baseline that includes the normal variation of the subject. In phase B two assessments are also made, but during and immediately after treatment to obtain changes related to the treatment effect and, in phase A2, two assessments are made, after two weeks and one month without treatment, phase A2 is to assess retention of treatment. This study was conducted with community-walking strokes survivors (capable of walking on the street, with or without orthoses). The constructs used to assess the effect of therapy on participants were: advanced balance, community gait with ability to change functional tasks, speed and mobility, which were investigated with the Fullerton Advanced Balance (FAB) instruments, Dynamic Gait Index (DGI) and Timed Up Go (TUG). Two statistical methods were used: 1) The visual method of the band formed by the mean and by two standard deviations calculated from the results of the baseline evaluations, forming a band where the points that fall outside the band have a significance of p < 0.05 and 2) The size calculation of the effect of therapy with the Glass Delta method. Results: Four volunteers with stroke sequelae participated in the study. After applying the intervention protocol with task-oriented approach and backward gait training, it was observed an improvement in balance and mobility, as well as locomotion and gait modification ability to functional activities, that was observed especially in the TUG where all participants decreased the time after treatment in approximately 3 to 20 seconds, p <0.05. Post-therapy effect sizes were large to huge > 0.80 and 1.30 for all participants in two of the three primary outcomes. Conclusion: The association of task-oriented training with backward gait training within the functional rehabilitation process of patients after stroke has positive effects on locomotion. (AU)
Descritores: Acidente Vascular Cerebral
Locomoção
-Modalidades de Fisioterapia
Marcha
Limites: Humanos
Responsável: BR1561.1 - Biblioteca Virtual AMMG


  5 / 519 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1280978
Autor: Souza, Daniele Costa Borges; Santos, Matheus de Sales; Ribeiro, Nildo Manoel da Silva; Maldonado, Igor Lima.
Título: Controle de tronco, equilí­brio e capacidade de transferência de peso após acidente vascular encefálico: ferramentas de aferição e acompanhamento / Trunk control, balance and weight bearing ability after stroke: a review of assessment tools
Fonte: Fisioter. Bras;19(5):693-699, Dez 25, 2018.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução: Acidentes vasculares encefálicos interferem em mecanismos posturais podendo prejudicar a marcha e as atividades dos membros. Frequentemente, alteram o controle de tronco (CT), o equilibrio (EQ) e a capacidade de realizar transferência de peso (CTP), três objetivos fundamentais do treino de tronco. Objetivo: Realizar uma revisão dos instrumentos de avaliação quantitativa disponí­veis para acompanhamento do CT, do EQ e da CTP após acidente vascular encefálico. Métodos: Revisão narrativa, baseada nas bases de dados Pubmed/Medline, Lilacs e Scielo. Resultados: As estratégias de treino de tronco contribuem para a estabilização e mobilidade do tronco importantes para as atividades de vida diária. Determinadas ferramentas quantitativas são mais frequentemente utilizadas e foram descritas sucintamente: para o CT propriamente dito ­ Trunk Impairment Scale, Trunk Control Test; para o EQ ­ Escala de Equilí­brio de Berg, Índice do Andar Dinâmico, Teste do Alcance Funcional e Lateral, Balance Evaluation Systems Test e Mini-Balance Evaluation System Test, Timed Up and Go Test, Escala de Equilí­brio e Mobilidade de Tinetti; e para a CTP ­ Avaliação da Simetria e Transferência de Peso (ASTP). Conclusão: Dos três domí­nios estudados, ferramentas de avaliação quantitativa estão disponí­veis sobretudo para controle de tronco e equilí­brio. Apesar de relativamente comuns, distúrbios da capacidade de transferência de peso não dispõem da mesma riqueza de instrumentos. Ressalta-se a importância da utilização dessas ferramentas para avalição inicial e seguimento no processo de reabilitação. (AU)

Introduction: Stroke interferes with postural mechanisms that may impair gait and limb activities. Often, they interfere in trunk control (TC), balance and ability to perform weight transfer, three fundamental aims of trunk training. Objective: To perform a review of the quantitative instruments available for assessing of TC, balance and weight bearing ability (WBA). Methods: Narrative review, based on Pubmed/Medline, Lilacs and Scielo databases. Results: Trunk training strategies contribute to the stabilization and mobility of the trunk, which are important for activities of daily life. Certain quantitative tools are most frequently used and were described briefly: for the CT itself - Trunk Impairment Scale, Trunk Control Test; for balance - Berg Balance Scale, Dynamic Gait Index, Functional and Lateral Reach Test, Balance Evaluation Systems Test and Mini-Balance Evaluation System Test, Timed Up and Go Test, Tinetti Balance and Mobility Scale; and for WBA - Assessment of Symmetry and Weight Transfer ability. Conclusion: Of the three domains studied, quantitative assessment tools have been available mostly for trunk control and balance. Although relatively common, weight bearing disorders do not have the same richness of instruments. The importance of using these tools for initial evaluation and follow-up in the rehabilitation process is highlighted. (AU)
Descritores: Suporte de Carga
Continuidade da Assistência ao Paciente
Acidente Vascular Cerebral
Equilíbrio Postural
-Paresia
Reabilitação
Atividades Cotidianas
Avaliação da Deficiência
Marcha
Hemiplegia
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1561.1 - Biblioteca Virtual AMMG


  6 / 519 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1255374
Autor: Dos Anjos, Ângela Hare Leite Rodrigues; Figueirêdo, Bárbara Bernardo Rinaldo da Silva; Cavalcanti, Dominique Babini Albuquerque.
Título: Avaliação do equilí­brio e risco de queda em pacientes com mucopolissacaridose VI / Evaluation of balance and risk of falls in patients with mucopolysaccharidosis VI
Fonte: Fisioter. Bras;19(4):500-507, Sept. 2018.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução: A Mucopolissacaridose VI é uma doença rara, hereditária, com mutação no gene ARSB, que provoca complicações multissistêmicas com deformidades osteomusculares que podem dificultar o equilí­brio estático e dinâmico. Objetivo: Avaliar o equilí­brio e o risco de queda em pacientes com Mucopolissacaridose VI (MPS VI). Métodos: Trata-se de um estudo observacional descritivo transversal, do tipo série de casos, realizado na Associação Pernambucana de Mucopolissacaridoses, cuja amostra foi constituí­da por 5 pacientes que recebem tratamento fisioterapêutico no local, de ambos os gêneros, com faixa etária de 6 a 39 anos, e diagnóstico de MPS VI. Foi utilizada uma ficha de avaliação fisioterapêutica elaborada pelas pesquisadoras para avaliar aspectos sociodemográficos e clí­nicos dos pacientes e em seguida, foi aplicado o Índice de Tinetti. Os dados foram apresentados através de tabelas e figuras, contendo as frequências absoluta e relativa, média e desvio-padrão ou mediana e intervalo interquartil. Resultados: Dos casos estudados, a idade média foi de 11 anos, 60% eram do sexo masculino, todos os avaliados apresentaram baixa estatura, com altura média de 115,0 cm e diferença média de 0,5 cm entre a altura dos membros inferiores, além de reduzidas pontuações no Índice de Tinetti, com 80% apresentando alto risco de quedas e 20% apresentando moderado risco de quedas. Conclusão: Foi possí­vel evidenciar o impacto negativo das alterações osteomioarticulares da MPS VI no equilí­brio estático e dinâmico e na marcha dos portadores, além do importante risco de quedas. (AU)

Introduction: Mucopolysaccharidosis VI is a rare hereditary disease with a mutation in the ARSB gene that causes multisystemic complications with musculoskeletal deformities that may hamper static and dynamic balance. Objective: To evaluate the balance and risk of falls in patients with Mucopolysaccharidosis VI (MPS VI). Methods: This is a cross-sectional, observational descriptive, case-series study conducted at the Association of Mucopolysaccharidoses of Pernambuco/Brazil - AMPS, whose sample consisted of 5 patients receiving on-site physiotherapeutic treatment of both genders, aged 6 to 39 years, with diagnosis of MPS VI. A physiotherapeutic evaluation sheet was elaborated by the researchers to evaluate the sociodemographic and clinical aspects of the patients, followed by the Tinetti Index. Data were presented through tables and figures, containing the absolute and relative frequencies, mean and standard deviation, or median and interquartile range. Results: Of the cases studied, the mean age was 11 years, 60% were males, all of them presented a short stature, with a mean height of 115.0 cm and a mean difference of 0.5 cm between the height of the lower limbs , in addition to reduced scores in the Tinetti Index, with 80% presenting a high risk of falls and 20% presenting moderate risk of falls. Conclusion: It was possible to show the negative impact of MPS VI osteomyoarticular changes in the static and dynamic balance and gait of the patients, besides the important risk of falls. (AU)
Descritores: Mucopolissacaridose VI
Equilíbrio Postural
Marcha
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: BR1561.1 - Biblioteca Virtual AMMG


  7 / 519 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1037765
Autor: Betiolli, Susanne Elero.
Título: Velocidade da marcha e força de preensão manual de idosos longevos da comunidade / Gait speed and handgrip strength of oldest old people living in the community.
Fonte: Curitiba; s.n; 20161215. 135 p. ilus, tab, graf, map.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade Federal do Paraná para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: Trata-se de estudo quantitativo de corte transversal, cujo objetivo foi analisar a relação entre os componentes da fragilidade física velocidade da marcha e força de preensão manual em longevos da comunidade. O local de estudo correspondeu aos domicílios dos idosos cadastrados em três Unidades Básicas de Saúde de Curitiba/Paraná (Brasil). A amostra foi composta por 243 participantes. Incluíram-se idosos com idade ≥ 80 anos, cadastrados nas unidades básicas e que apresentaram capacidade cognitiva (aplicação do Mini Exame do Estado Mental). Excluíram-se os longevos fisicamente incapaz de realizar os testes propostos, em tratamento quimioterápico ou que não possuíssem um cuidador familiar presente no momento da visita domiciliar. Para os longevos com alteração cognitiva, o cuidador familiar foi convidado a participar da entrevista, conforme critérios de elegibilidade para o estudo. A pesquisa foi realizada de janeiro de 2013 a dezembro de 2016. Coletaram-se os dados por meio de instrumento estruturado, escalas e testes que avaliam a fragilidade física. Realizaram-se análises descritiva, univariadas (teste de qui-quadrado e teste G, com nível de significância estatística p≤0,05) e multivariadas (regressão linear múltipla, método Stepwise Backward). A escolha do modelo preditivo considerou os coeficientes de correlação linear (r) e de determinação múltiplo (R2) dos modelos e a regra de parcimônia. O estudo integra um projeto de pesquisa temático, com parecer favorável do Comitê de Ética em Pesquisa, sob o registro CEP/SD: 15.413. Os resultados demonstram predomínio do sexo feminino (66,26%), média de 84,4 anos, viúvos (65,02%), com baixa escolaridade (56%), cognição preservada (85,18%) e índice de massa corporal adequado (45,68%). Identificaram-se os dispositivos de auxílio à mobilidade: uso de óculos (60,49%), bengala (18,11%) e andador (3,29%). Quanto à classificação de fragilidade física, 156 (64,20%) foram pré-frágeis, 51 (20,99%) não frágeis e 36 (14,81%) frágeis. Apresentaram velocidade da marcha reduzida e força de preensão manual diminuída 50 (20,58%) e 65 (26,75%) longevos, respectivamente. Associou-se à velocidade da marcha reduzida a faixa etária avançada (p=0,033), o déficit cognitivo (p<0,001) e o uso de bengala (p<0,001) e andador (p<0,001). A força de preensão manual diminuída associou-se à faixa etária avançada (p=0,003), déficit cognitivo (p<0,001), índice de massa corporal baixo peso (p=0,002) e uso de andador (p=0,031). Houve correlação moderada e positiva entre a velocidade da marcha e a força de preensão manual dos longevos (r=0,43241; R2=0,1869). O modelo preditivo de força de preensão manual dos longevos proposto foi aceito como excelente (R2=0,9499) e as variáveis que melhor predizem a força da mão foram o sexo, o índice de massa corporal, a altura e a velocidade da marcha (p=0,000). Conclui-se que a velocidade da marcha apresenta-se como preditora da força de preensão manual em longevos da comunidade. Esses resultados trazem benefícios para a prática profissional da Enfermagem Gerontológica, ao propor aos enfermeiros a avaliação da velocidade da marcha (em conjunto com as variáveis antropométricas altura e índice de massa corporal, considerando o sexo do longevo) como uma ferramenta de rastreio dos longevos em processo de fragilização (frágeis ou pré-frágeis), para identificação precoce e possível atuação na gestão da fragilidade física.

This is a cross-sectional quantitative study, whose objective was to analyze the relationship between the components of physical frailty gait speed and handgrip strength in community longevity. The study site corresponded to the residence of the elderly enrolled in three Basic Health Units of Curitiba / Paraná (Brazil). The sample consisted of 243 participants. Elderly individuals ≥ 80 years old, enrolled in the basic units and who had cognitive ability (Mini Mental State Examination) were included. Oldest old were excluded physically incapable of performing the proposed tests, under chemotherapeutic treatment or who did not have a family caregiver present at the time of the home visit. For the oldest old with cognitive alteration, the family caregiver was invited to participate in the interview, according to eligibility criteria for the study. The research was carried out from January 2013 to December 2016. Data were collected through a structured instrument, scales and tests that evaluate the physical frailty. Descriptive, univariate analyzes (chi-square test and G test, with statistical significance level p≤0.05) and multivariate analyzes (multiple linear regression, Stepwise Backward method) were performed. The choice of the predictive model considered the coefficients of linear correlation (r) and multiple determination (R2) of the models and the rule of parsimony. The study integrates a thematic research project, with the favorable opinion of the Research Ethics Committee, under registration CEP / SD: 15.413. The results show a predominance of females (66.26%), mean age of 84.4 years, widows (65.02%), low schooling (56%), preserved cognition (85.18%) and adequate body mass index (45.68%). Mobility assistance devices were identified: use of glasses (60.49%), walking stick (18.11%) and walker (3.29%). Regarding the classification of physical frailty, 156 (64.20%) were pre-fragile, 51 (20.99%) were non-fragile and 36 (14.81%) were fragile. They presented reduced gait speed and handgrip strength decreased 50 (20.58%) and 65 (26.75%) oldest old, respectively. The advanced age range (p=0.033), cognitive deficit (p<0.001), and use of walking stick (p<0.001) and walker (p<0.001) were associated with reduced gait speed. The lower handgrip strength was associated with the advanced age group (p=0.003), cognitive deficit (p<0.001), low body mass index (p=0.002) and walker use (p=0.031). There was a moderate and positive correlation between gait speed and handgrip strength of the oldest old (r=0.43241, R2=0.1869). The predictive model proposed of the handgrip strength of oldest old was accepted as excellent (R2=0.9499) and the variables that best predict handgrip strength were sex, body mass index, height and gait speed (p=0.000). It was concluded that gait speed is a predictor of handgrip strength in community longevity. These results bring benefits to the professional practice of Gerontological Nursing, by proposing to nurses the evaluation of gait speed (together with the anthropometric variables height and body mass index, considering the sex of the oldest old) as a screening tool for the oldest people in fragilization process (fragile or pre-fragile), for early identification and possible action in the management of physical frailty.
Descritores: Velocidade de Caminhada
Fragilidade
Força da Mão
Idoso Fragilizado
IDOSO DE ACETABULARIA ANOS OU MAIS
-Enfermagem
Sarcopenia
Desempenho Físico Funcional
Marcha
Enfermagem Geriátrica
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR501.1 - Biblioteca de Ciências da Saúde / Sede Botânico
BR501.1; 618.970231, B563


  8 / 519 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1039544
Autor: Kovelis, Demetria; Gomes, Anna Raquel Silveira; Mazzarin, Camila; de Miranda, Andrieli; Valderramas, Silvia.
Título: Association between the results of the timed up-and-go test adjusted for disease severity and sarcopenia in patients with chronic obstructive pulmonary disease: a pilot study
Fonte: Clinics;74:e930, 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: CNPq.
Resumo: OBJECTIVES: Loss of muscle mass and/or physical performance, a condition commonly known as sarcopenia, is prevalent in chronic obstructive pulmonary disease (COPD) and is associated with adverse outcomes. The aim of this study was to investigate the association between functional performance and sarcopenia in COPD patients classified by disease severity according to the Global Initiative for Chronic Obstructive Lung Disease (GOLD) criteria. METHODS: The study was a cross-sectional observational and the sample size consisted of 35 COPD patients (69.24±1.54 years, 20 men). Physical performance was assessed with the timed up-and-go (TUG) test. Sarcopenia was assessed according to the European Working Group on Sarcopenia in Older People criteria. RESULTS: The frequency of sarcopenia was 20% and was more prevalent among individuals classified with greater disease severity, GOLD III, n=4 patients (23%) and GOLD IV, n=3 patients (27%), p=0.83. The mean time to complete the TUG test was 11.66±4.78 s. Binary logistic regression revealed an association between the TUG test and sarcopenia adjusted by disease severity (OR=1.55, 95% CI: 1.03-8.23, p=0.04). CONCLUSION: Our findings showed that worse performance in the TUG test leads to a substantial increase in the chance of COPD patients presenting sarcopenia.
Descritores: Força da Mão/fisiologia
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica/fisiopatologia
Sarcopenia/fisiopatologia
Marcha/fisiologia
-Índice de Gravidade de Doença
Índice de Massa Corporal
Projetos Piloto
Estudos Transversais
Circunferência da Cintura
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 519 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1118577
Autor: Nora, Fernanda Grazielle da Silva Azevedo; Souza, Nilva Pessoa de; Paiva, Franciele Silva de; Vieira, Marcus Fraga; Costa, Paula Hentschel Lobo da.
Título: Inicialização da marcha no desenvolvimento do andar independente em crianças de 1. 3 anos a 4 anos: estudo preliminar / Stepping iniitiation of gait pattern development of children aged 1. 3 years to 4 years: preliminary study / Inicialización de la marcha en el desarrollo del andar independiente en niños de 1. 3 años a 4 años: estudio preliminar
Fonte: Pensar Prát. (Online);23, 17/04/2020. Tab, Ilus.
Idioma: pt.
Resumo: O processo de transição da postura em pé parada para a caminhada cíclica é chamado de inicialização da marcha. Esse processo exige ajustes posturais antecipatórios. Porém, pouco se sabe sobre como es- ses ajustes se desenvolvem à medida que crianças pequenas adquirem a marcha independente. Assim, este é um estudo transversal com o obje- tivo de descrever o processo de inicialização da marcha em crianças de desenvolvimento típico, com idades entre 1.3 e 4 anos. Sessenta crianças de ambos os sexos de um Centro Municipal de Educação Infantil, devida- mente autorizadas pelos pais ou responsáveis, participaram voluntaria- mente do estudo. As crianças compuseram quatro grupos etários de 15 participantes: G1(1.3 anos de idade), G2 (2 anos de idade), G3 (3 anos de idade) e G4 (4 anos de idade). Uma plataforma de força dupla portátil foi utilizada para a obtenção do comportamento do centro de pressão (COP) durante a transição da posição em pé para o primeiro passo. Cada crian- ça realizou cinco tentativas da inicialização da marcha, que compreendia sair da posição em pé parada sobre a plataforma de força dupla com os pés afastados. Após o sinal sonoro, iniciava a atividade com o pé direito para fora da plataforma e continuava a andar até o fim de uma passarela pré-determinada, a uma velocidade autosselecionada. Os resultados fo- ram descritos conforme as fases da inicialização da marcha para as faixas etárias. As crianças com 1.3 anos apresentaram menor deslocamento an- teroposterior do COP (COPAP_1: p<0.001, COPAP_2: p <0.001 ) e maior ve- locidade de deslocamento do COP anteroposterior (VELAP_1: p <0.001 e VELAP_2: p <0.001), quando compradas com as dos grupos de crianças de 2, 3 e 4 anos, enquanto as crianças de 4 anos demonstram uma tendência de aumento do deslocamento anteroposterior COP e diminuição da velo- cidade de deslocamento do COP, quando em comparação às crianças de 1.3 anos. O aumento do valor no deslocamento do COPAP, juntamente com a diminuição da velocidade de deslocamento do COP entre as crian- ças de 1.3 anos, 2 anos, 3 anos e 4 anos, sugerem que o comportamento antecipatório para a inicialização da marcha se desenvolve primeiro no plano frontal (AP) e que, com o desenvolvimento do andar independen- te, melhora a estabilidade postural necessária para alcançar totalmente o controle para a execução da inicialização da marcha quando adquire o padrão maduro aos 7 anos de idade.

The process of transitioning from standing posture to cyclic gait is called gait initiation. This requires anticipatory postural adjustments. However, little is known about how these adjustments develop as young children acquire independent gait. Thus, this is a cross-sectional study with the objective of describing the process of gait startup in children of typical development aged between 1.3 and 4 years. Sixty children of both sexes from a Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) duly authorized by parents or guardians voluntarily participated in the study. Children comprised four age groups of 15 children G1(1.3 years of age), G2 (2 years of age), G3 (3 years of age) and G4 (4 years of age). A portable dual force plataform (AMTI model ASC-DUAL L201, AMTI, USA) was used to acquire pressure center behavior (COP) during the transition from standing position to first step, called gait initiation. Each children made five attempts at the start of the march, which included standing standing on the dual force platform with their feet away, after the beep started the activity with the right foot off the platform and continued to walk to the end of a predetermined walkway, at a self-selected speed. The results demonstrate the presence of a motor sequence characterized by increased development of the movement of the body forward lower displacement of cop and decreased cop displacement speed in all groups of children studied. Children 1.3 years old demonstrated lower anteroposterior displacement of cop (COPAP_1: p<0.001, COPAP_2: p <0.001 ) and higher displacement speed of anteroposterior COP (VELAP_1: p <0.001 and VELAP_2: p <0.001), while 4-year-olds demonstrate a trend of increased anteroposterior COP displacement and decreased cop displacement speed compared to 1.3-year-old children. The increase in the value of copap displacement, along with the decrease in cop displacement speed among children aged 1.3 years to 4 years, suggest that anticipatory gait-starting behavior develops first in the frontal plane (AP) and that with the development of the independent floor improves the postural stability necessary to fully achieve control for the execution of gait startup when it acquires the mature standard at 7 years of age.

El proceso de transición de la postura de pie a la marcha cíclica se llama inicio de la marcha. Esto requiere un ajuste postural anticipatorio. Sin embargo, poco se sabe acerca de cómo estos ajustes se desarrollan a medida que los niños pequeños adquieren marcha independiente. Así, se trata de un estudio transversal con el objetivo de describir el proceso de puesta en marcha de la marcha en niños de desarrollo típico de entre 1,3 y 4 años. Sesenta hijos de ambos sexos de un Centro Municipal de Educación Infantil debidamente autorizado por los padres o tutores participaron voluntariamente en el estudio. Los niños estaban compuestos por cuatro grupos de edad de 15 niños G1(1,3 años de edad), G2 (2 años de edad), G3 (3 años de edad) y G4 (4 años de edad). Una plataforma portátil de doble resistencia (modelo AMTI ASC- DUAL L201, AMTI, EE. UU.) se utilizó para adquirir el comportamiento del centro de presión (COP) durante la transición de la posición de pie al primer paso, llamado arranque de marcha. Cada niño hizo cinco intentos al comienzo de la marcha, que incluyó estar de pie en la plataforma de doble fuerza con los pies alejados, después de que el pitido comenzó la actividad con el pie derecho fuera de la plataforma y continuó caminando hasta el final de una pasarela predeterminada, a una velocidad auto- seleccionada. Los resultados demuestran la presencia de una secuencia motora caracterizada por un mayor desarrollo del movimiento del cuerpo hacia adelante menor desplazamiento de la policía y disminución de la velocidad de desplazamiento del cop en todos los grupos de niños estudiados. Los niños de 1,3 años demostraron un menor desplazamiento anteroposterior del policía (COPAP_1: p<0.001, COPAP_2: p <0.001 ) y mayor velocidad de desplazamiento de la COP anteroposterior (VELAP_1: p <0.001 y VELAP_2: p <0.001), mientras que los niños de 4 años demuestran una tendencia de aumento del desplazamiento de la COP anteroposterior y disminución de la velocidad de desplazamiento del copo en comparación con los niños de 1,3 años. El aumento del valor del desplazamiento de copap, junto con la disminución de la velocidad de desplazamiento de la policía entre los niños de 1,3 años a 4 años, sugieren que el comportamiento anticipatorio de arranque de la marcha se desarrolla primero en el plano frontal (AP) y que con el desarrollo del piso independiente mejora la estabilidad postural necesaria para lograr plenamente el control para la ejecución de la puesta en marcha de la marcha cuando adquiere el estándar maduro a los 7 años de edad.
Descritores: Postura
Crescimento e Desenvolvimento
Posição Ortostática
Marcha
-Desenvolvimento Musculoesquelético

Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pré-Escolar
Responsável: BR512.1 - Biblioteca Setorial do Centro de Ciências da Saúde


  10 / 519 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1046
Autor: Santos, Isabela Ramos; Carvalho, Rafael Cotta; Lima, Karin Batista Silva Prata; Silva, Samuel Calixto; Ferreira, Andreia Silva; Vasconcelos, Nathália Nascimento; Damázio, Laila Cistina Moreira.
Título: Análise dos parâmetros da marcha e do equilíbrio dos idosos após exercícios aeróbicos e terapêuticos / Analysis of gait and balance parameters in the elderly after aerobic and therapeutic exercises
Fonte: Arq. ciências saúde UNIPAR;20(1):19-23, jan-abr. 2016.
Idioma: pt.
Resumo: O processo de envelhecimento promove alterações no organismo do idoso, que levam a comprometimentos significativos no equilíbrio corporal, reflexo e capacidade de deambulação. Nesse contexto, a atividade física é uma intervenção que vem demonstrando benefícios significativos na saúde da pessoa idosa. O objetivo do estudo foi analisar os parâmetros da marcha e o equilíbrio corporal dos idosos após um programa de exercícios aeróbicos e terapêuticos. Foi utilizada uma amostra de 24 idosos, distribuídos em dois grupos experimentais: Grupos 1 - programa de exercícios terapêuticos (coordenação motora e equilíbrio; n=12); Grupos 2 - programa de exercícios físicos aeróbicos (n=12). Para avaliação dos idosos foi realizada a análise dos parâmetros da marcha (velocidade e cadência; Protocolo de Cerny) e do equilíbrio corporal (Escala de Berg). As avaliações foram realizadas antes e após os programas de exercícios aeróbicos e terapêuticos. Os exercícios foram realizados 3 vezes na semana (40 minutos/dia), durante 16 semanas. Ao final do experimento a análise dos dados demonstrou benefícios de ambos os programas de exercícios, mas o programa que priorizou a coordenação motora e o equilíbrio corporal demonstrou maiores benefícios em relação a velocidade da marcha e o equilíbrio corporal dos idosos.

The aging process causes changes in the body of the elderly, leading to significant impairments in body balance, reflexes and ability to walk. In this context, physical activity is an intervention that has brought significant health benefits. The aim of this study was to analyze gait parameters and body balance in the elderly after an aerobic and therapeutic exercise program. Twenty-four elderly people took part in the experiment and were divided into two groups: Group 1 ­ therapeutic exercise program (motor coordination and balance, n=12); Group 2 - aerobic exercise program (n=12). For evaluation purposes, the elderly were subjected to parameter analysis of gait (speed and cadence; Cerny Protocol) and body balance (Berg Scale). The evaluations were carried out before and after the aerobic and therapeutic exercise programs. The exercises were performed 3 times a week (40 minutes a day) for a period of 16 weeks. At the end of the experiment, data analysis indicated benefits from both exercise programs. However, the program that prioritized motor coordination and body balance provided greater benefits when comparing gait speed and body balance in the elderly.
Descritores: Qualidade de Vida
Idoso
Marcha
-Equilíbrio Postural
Atividade Motora
Limites: Humanos
Responsável: BR1532.9 - CEDIC - Coordenadoria de Editoração e Divulgação Científica



página 1 de 52 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde