Base de dados : LILACS
Pesquisa : E01.370.600.550.324 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 1374 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 138 ir para página                         

  1 / 1374 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1147743
Autor: Ranalletta, Maximiliano.
Título: Infiltración con corticoides para la capsulitis adhesiva del hombro / Infiltration with corticosteroids for adhesive capsulitis of the shoulder
Fonte: Rev. Hosp. Ital. B. Aires (2004);36(1):15-16, mar. 2016.
Idioma: es.
Descritores: Bursite/tratamento farmacológico
Anti-Inflamatórios não Esteroides/administração & dosagem
Corticosteroides/administração & dosagem
-Articulação do Ombro/fisiologia
Medição da Dor
Bursite/fisiopatologia
Bursite/reabilitação
Ensaios Clínicos Controlados Aleatórios como Assunto
Administração Oral
Estudos Prospectivos
Estudos Retrospectivos
Amplitude de Movimento Articular/fisiologia
Recuperação de Função Fisiológica/efeitos dos fármacos
Terapia por Exercício/métodos
Dor Musculoesquelética/prevenção & controle
Analgésicos/administração & dosagem
Injeções Intra-Articulares
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Tipo de Publ: Comentário
Responsável: AR2.1 - Biblioteca Central


  2 / 1374 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-785817
Autor: Plasencia, Daniel Pérez; Falcón, Juan Carlos; Barreiro, Silvia Borkoski; Bocanegra-Pérez, María Sacramento; Barrero, Mario Vicente; Macías, Ángel Ramos.
Título: Transeptal suturing - a cost-efficient alternative for nasal packing in septal surgery / Sutura transeptal - uma alternativa custo-benefício para tamponamento nasal em cirurgia do septo
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);82(3):310-313graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT INTRODUCTION: Nasal packing is routinely used in septal surgery to prevent postoperative bleeding. OBJECTIVE: To demonstrate the possibility of transeptal suture as a safe and effective way to avoid nasal packing and to improve efficiency. METHODS: This is a prospective, descriptive, inferential cost study comprising 92 patients. Two randomized groups of patients were analyzed, one with nasal packing and the other with transeptal suture. RESULTS: In the group of transeptal suture no patient experienced postoperative bleeding, and a statistically significant reduction of pain and headache was demonstrated. At the same time, we improved efficiency by saving on material costs. CONCLUSIONS: Transeptal suture is an effective and safe alternative to classic nasal packing in septal surgery. Moreover, it improves the efficiency of the intervention by saving costs.

Resumo Introdução: O tamponamento nasal é usado rotineiramente na cirurgia septal para evitar sangramentos no pós-operatório. Objetivo: Demonstrar a possibilidade de se realizar uma sutura transeptal como alternativa eficaz e segura ao tamponamento nasal, com melhora na eficiência da intervenção. Método: Este é um estudo prospectivo, descritivo e de custo inferencial, compreendendo 92 pacientes. Dois grupos aleatórios foram estudados: um com tamponamento nasal e o outro com sutura transeptal. Resultado: No grupo de sutura transeptal, nenhum paciente experimentou sangramento no pós-operatório, tendo sido estatisticamente demonstrada uma significante redução de cefaléia e dor. Ao mesmo tempo, houve melhora na eficiência da intervenção, com economia no custo de material. Conclusões: A sutura transeptal é uma alternativa eficaz e segura ao tamponamento nasal clássico. Além do mais, melhora a eficiência da intervenção, economizando no custo de material.
Descritores: Procedimentos Cirúrgicos Otorrinolaringológicos/métodos
Técnicas de Sutura
Septo Nasal/cirurgia
-Cuidados Pós-Operatórios/métodos
Procedimentos Cirúrgicos Otorrinolaringológicos/economia
Tampões Cirúrgicos
Medição da Dor
Epistaxe
Estudos Prospectivos
Resultado do Tratamento
Análise Custo-Benefício
Hemorragia Pós-Operatória/prevenção & controle
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 1374 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-828221
Autor: Zhou, Xuanchen; Liu, Yiqing; Yue, Zhiyong; Luan, Deheng; Zhang, Hong; Han, Jie.
Título: Comparison of nerve combing and percutaneous radiofrequency thermocoagulation in the treatment for idiopathic trigeminal neuralgia / Comparação entre neurólise interna e termocoagulação percutânea por radiofrequência no tratamento da neuralgia idiopática do trigêmeo
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);82(5):574-579, Sept.-Oct. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT INTRODUCTION: Idiopathic trigeminal neuralgia (ITN) is a common pain disease in elderly people. Many methods have been used to alleviate the pain of patients, but few studies in the literature have compared the effect of nerve combing and percutaneous radiofrequency thermocoagulation. OBJECTIVE: The purpose of this study was to describe and evaluate the clinical outcome of idiopathic trigeminal neuralgia after nerve combing (NC) and compare them with those obtained using percutaneous radiofrequency thermocoagulation (RF). METHODS: The study included 105 idiopathic trigeminal neuralgia patients with similar symptom, age and underlying disease, which were divided into two groups. One group was treated by nerve combing (50 patients), the other by RF (55 cases). All patients were considered medical failures prior to the surgeries. A questionnaire was used to assess the long-term outcomes: pain relief, recurrence, complication and need for additional treatment. RESULTS: The median duration of follow-up in both groups was 90 months. Satisfactory relief was noted in 41 patients (82%), 5 patients (10%) initially experienced pain relief, then recurred, and four patients (8%) were designated poor among the group NC. In the group RF, satisfactory relief was noted in 42 patients (76.4%). There were eight "pain free with recurrence patients (14.5%) and 5 poor cases (9.1%). No statistically significant differences existed in the outcomes between both groups (p > 0.05). Postoperative morbidity included dysesthesia, diplopia, partial facial nerve palsy, hearing loss, tinnitus, cerebrospinal fluid leak, meningitis and mortality. CONCLUSION: Nerve combing and RF are both satisfactory treatment strategies for patients with ITN. Because of the higher risk of sensory morbidity and surgical risk as open surgery, RF is preferred as the recommended procedure for patients with ITN.

Resumo Introdução: A neuralgia idiopática do trigêmeo (NIT) é uma condição dolorosa comum em idosos. Muitos métodos têm sido usados para aliviar a dor dos pacientes, mas poucos estudos na literatura compararam o efeito de neurólise interna e termocoagulação percutânea por radiofrequência. Objetivo: O objetivo desse estudo foi descrever e avaliar o desfecho clínico de pacientes com neuralgia idiopática do trigêmeo após neurólise interna (NI) e compará-los com os obtidos usando termocoagulação percutânea por radiofrequência (RF). Método: O estudo incluiu 105 pacientes com NIT com sintomas, idade e doenças de base semelhantes, que foram divididos em dois grupos. Um grupo foi tratado por neurólise interna (50 pacientes) e o outro por RF (55 casos). Todos os pacientes haviam sido considerados fracassos terapêuticos antes das cirurgias. Um questionário foi utilizado para avaliar os resultados a longo prazo: alívio da dor, recorrência, complicações e necessidade de tratamento adicional. Resultados: A duração média do acompanhamento foi de 90 meses em ambos os grupos. Alívio satisfatório foi observado em 41 pacientes (82%); cinco pacientes (10%) experimentaram alívio inicial da dor, porém seguido de recrudescimento, e quatro pacientes (8%) apresentaram desfecho desfavorável no grupo NI. No grupo de RF, alívio satisfatório foi observado em 42 pacientes (76,4%). Houve oito pacientes livres de dor, com recorrência ''LDR'' (14,5%) e cinco casos com desfecho desfavorável (9,1%). Não houve diferenças significantes nos resultados entre os dois grupos (p > 0,05). Morbidade pós-operatória incluiu disestesia, diplopia, paralisia parcial do nervo facial, perda auditiva, tinnitus, fístula liquórica, meningite e óbito. Conclusão: Neurólise interna e RF são estratégias satisfatórias de tratamento para os pacientes com NIT. Em decorrência da maior morbidade sensorial e maior risco cirúrgico em uma cirurgia aberta, a RF é o procedimento mais indicado para pacientes com NIT.
Descritores: Nervo Trigêmeo/cirurgia
Neuralgia do Trigêmeo/terapia
Eletrocoagulação
Tratamento por Radiofrequência Pulsada
-Neuralgia do Trigêmeo/cirurgia
Medição da Dor
Estudos Retrospectivos
Seguimentos
Resultado do Tratamento
Descompressão Cirúrgica
Craniotomia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 1374 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-889372
Autor: Manica, Denise; Sekine, Leo; Abreu, Larissa S; Manzini, Michelle; Rabaioli, Luísi; Valério, Marcel M; Oliveira, Manoela P; Bergamaschi, João A; Fernandes, Luciano A; Kuhl, Gabriel; Schweiger, Cláudia.
Título: Influence of dietary and physical activity restriction on pediatric adenotonsillectomy postoperative care in Brazil: a randomized clinical trial / Influência das restrições dietéticas e de atividade física no pós-operatório da adenotonsilectomia em pacientes pediátricos no Brasil: ensaio clínico randomizado
Fonte: Braz. j. otorhinolaryngol. (Impr.);84(2):191-195, Mar.-Apr. 2018. tab.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Introduction Although culturally food and physical activity restriction are part of the routine postoperative care of many Brazilian surgeons, current evidences from other countries support no such recommendations. Objective To determine whether dietary and physical restriction effectively lead to a decrease on postoperative complications of adenotonsillectomy in children when compared to no restriction. Methods We have designed a randomized clinical trial comparing two intervention: no specific counseling on diet or activity (Group A), and restriction recommendations on diet and physical activities (Group B). Caregivers completed a questionnaire on observed pain, diet and activity patterns, and medications administered. Parameters were compared at the 3rd and at the 7th postoperative day between intervention groups. Results We have enrolled a total of 95 patients, 50 in Group A and 45 in Group B. Fourteen patients were lost to follow up. Eventually, 41 patients in group A and 40 in Group B were available for final analysis. Mean age in months (A = 79.5; SD = 33.9/B = 81.1; SD = 32.6) and sex (A = 58% male; B = 64.4% male) were equivalent between groups. Pain, evaluated through visual analog scale in the 3rd (A = 2.0; IQR 1-6/B = 4.5; IQR 2-6; p = 0.18) and in the 7th (A = 1.0; IQR 1.0-4.5/B = 2.0; IQR 1.0-4.7; p = 0.29) postoperative days, was not different between groups, as was the amount of analgesics administered. Dietary and physical activity patterns also showed no statistically significant differences between groups. Conclusion Dietary and activity restriction after adenotonsillectomy does not seem to affect patients' recovery. Such information may impact considerably on the social aspects that involve a tonsillectomy, reducing the working days lost by parents and accelerating the return of children to school.

Resumo Introdução Embora culturalmente as restrições dietéticas e de atividade física sejam parte do cuidado pós-operatório de rotina de muitos cirurgiões brasileiros, evidências atuais de outros países não apoiam tais recomendações. Objetivo Determinar se as restrições dietéticas e físicas efetivamente levam a uma diminuição das complicações pós-operatórias da adenotonsilectomia em crianças quando comparadas com cuidados sem restrição. Método Realizamos um ensaio clínico randomizado comparando duas intervenções: nenhum aconselhamento específico sobre dieta ou atividade física (Grupo A) e recomendações de restrições dietéticas e de atividades físicas (Grupo B). Os cuidadores preencheram um questionário sobre a dor, a dieta e os padrões de atividade observados, e os medicamentos administrados. Os parâmetros foram comparados no 3° e no 7° dia do pós-operatório entre os grupos de intervenção. Resultados Avaliamos 95 pacientes, 50 no Grupo A e 45 no Grupo B; 14 foram perdidos no seguimento. Subsequentemente, 41 do grupo A e 40 do grupo B estavam disponíveis para a análise final. A média de idade em meses (A = 79,5, DP = 33,9/B = 81,1, DP = 32,6) e sexo (A = 58% do sexo masculino, B = 64,4% do sexo masculino) foram equivalentes entre os grupos. A dor, avaliada através da escala visual analógica no terceiro (A = 2,0; IIQ: 1-6/B = 4,5; IIR 2-6; p = 0,18) e no sétimo (A = 1,0; IIQ 1,0-4,5/B = 2,0; IIQR 1,0-4,7; p = 0,29) dia do pós-operatório, não foi diferente entre os grupos, assim como a quantidade de analgésicos administrados. Os padrões dietéticos e de atividade física também não mostraram diferenças estatisticamente significantes entre os grupos. Conclusão A restrição dietética e de atividade física após a adenotonsilectomia não parece afetar a recuperação dos pacientes. Tal informação pode ter um impacto considerável nos aspectos sociais que envolvem uma tonsilectomia, reduzir os dias de trabalho perdidos pelos pais e acelerar o retorno das crianças à escola.
Descritores: Tonsilectomia/efeitos adversos
Exercício Físico
Adenoidectomia/efeitos adversos
Dieta
-Dor Pós-Operatória
Cuidados Pós-Operatórios
Complicações Pós-Operatórias/prevenção & controle
Medição da Dor
Brasil
Inquéritos e Questionários
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Ensaio Clínico Controlado
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 1374 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-748920
Autor: Takeda, Alexandre; Ferraro, Leonardo Henrique Cunha; Rezende, André Hosoi; Sadatsune, Eduardo Jun; Falcão, Luiz Fernando dos Reis; Tardelli, Maria Angela.
Título: Minimum effective concentration of bupivacaine for axillary brachial plexus block guided by ultrasound / Concentração mínima efetiva de bupivacaína para o bloqueio do plexo braquial via axilar guiado por ultrassom / Concentración mínima efectiva de bupivacaína para el bloqueo del plexo braquial vía axilar guiado por ecografía
Fonte: Rev. bras. anestesiol;65(3):163-169, May-Jun/2015. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: INTRODUCTION: The use of ultrasound in regional anesthesia allows reducing the dose of local anesthetic used for peripheral nerve block. The present study was performed to determine the minimum effective concentration (MEC90) of bupivacaine for axillary brachial plexus block. METHODS: Patients undergoing hand surgery were recruited. To estimate the MEC90, a sequential up-down biased coin method of allocation was used. The bupivacaine dose was 5 mL for each nerve (radial, ulnar, median, and musculocutaneous). The initial concentration was 0.35%. This concentration was changed by 0.05% depending on the previous block; a blockade failure resulted in increased concentration for the next patient; in case of success, the next patient could receive or reduction (0.1 probability) or the same concentration (0.9 probability). Surgical anesthesia was defined as driving force ≤2 according to the modified Bromage scale, lack of thermal sensitivity and response to pinprick. Postoperative analgesia was assessed in the recovery room with numeric pain scale and the amount of drugs used within 4 h after the blockade. RESULTS: MEC90 was 0.241% [R 2: 0.978, confidence interval: 0.20-0.34%]. No patient, with successful block, reported pain after 4 h. CONCLUSION: This study demonstrated that ultrasound guided axillary brachial plexus block can be performed with the use of low concentration of local anesthetics, increasing the safety of the procedure. Further studies should be conducted to assess blockade duration at low concentrations. .

INTRODUÇÃO: O uso do ultrassom na anestesia regional permite a redução da dose de anestésico local utilizada para o bloqueio de nervos periféricos. O presente estudo foi conduzido com o objetivo de determinar a concentração mínima efetiva (CME90) de bupivacaína para o bloqueio do plexo braquial via axilar (BPVA). MÉTODOS: Pacientes submetidos a cirurgias da mão foram recrutados. Foi usado um método de alocação "biased coin" seqüencial "up-down" para estimar a CME90. A dose de bupivacaína foi de 5 mL para cada nervo (radial, ulnar, mediano e musculocutâneo). A concentração inicial de era 0,35%. Essa concentração era alterada em 0,05% dependendo do bloqueio anterior: a falha do bloqueio resultava em aumento da concentração para o próximo paciente; no caso de sucesso, o próximo paciente poderia receber ou redução (probabilidade de 0,1) ou mesma concentração (probabilidade 0,9). A anestesia cirúrgica foi definida como força motora ≤ 2 segundo a escala de Bromage modificada, ausência de sensibilidade térmica e de resposta ao pinprick. A analgesia pós-operatória foi verificada na sala de recuperação anestésica com escala numérica de dor e a quantidade de analgésicos utilizados até 4 horas após o bloqueio. RESULTADOS: A CME90 foi de 0,241% [R2: 0,978, Intervalo de Confiança: 0,20%-0,34%]. Além disso, nenhum paciente com sucesso do bloqueio apresentou dor após 4 horas. CONCLUSÃO: Este estudo demonstrou que pode-se realizar o BPVA guiado por ultrassom utilizando-se baixas concentrações de anestésico local, aumentando a segurança do procedimento. Novos estudos devem ser realizados para avaliar a duração de bloqueios com baixas concentrações. .

INTRODUCCIÓN: El uso de la ecografía en la anestesia regional permite la reducción de la dosis de anestésico local utilizada para el bloqueo de nervios periféricos. El presente estudio fue llevado a cabo con el objetivo de determinar la concentración mínima efectiva (CME90) de bupivacaína para el bloqueo del plexo braquial vía axilar. MÉTODOS: Fueron reclutados pacientes sometidos a cirugías de la mano. Se usó un método de ubicación "biased coin" secuencial "up-down" para estimar la CME90. La dosis de bupivacaína fue de 5 mL para cada nervio (radial, cubital, mediano y musculocutáneo). La concentración inicial era de un 0,35%. Esa concentración era alterada en un 0,05% dependiendo del bloqueo anterior: El fallo del bloqueo revertía en un aumento de la concentración al próximo paciente; en caso de éxito, el próximo paciente podría recibir o una reducción (probabilidad de 0,1) o la misma concentración (probabilidad 0,9). La anestesia quirúrgica fue definida como fuerza motora ≤ 2 según la escala de Bromage modificada, ausencia de sensibilidad térmica y de respuesta al pinprick (test del pinchazo de la aguja). La analgesia postoperatoria fue verificada en la sala de recuperación anestésica con la escala numérica de dolor y la cantidad de analgésicos utilizados hasta 4 h después del bloqueo. RESULTADOS: La CME90 fue del 0,241% [R2: 0,978, intervalo de confianza: 0,20-0,34%]. Además, ningún paciente con éxito en el bloqueo tuvo dolor después de 4 h. CONCLUSIÓN: Este estudio demostró que se puede realizar el bloqueo del plexo braquial vía axilar guiado por ecografía utilizando bajas concentraciones de anestésico local, aumentando la seguridad del procedimiento. Nuevos estudios deben ser realizados para calcular la duración de bloqueos con bajas concentraciones. .
Descritores: Bupivacaína/administração & dosagem
Ultrassonografia de Intervenção/métodos
Bloqueio do Plexo Braquial/métodos
Anestésicos Locais/administração & dosagem
-Dor Pós-Operatória/prevenção & controle
Medição da Dor
Relação Dose-Resposta a Droga
Mãos/cirurgia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Tipo de Publ: Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 1374 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-763151
Autor: Udelsmann, Artur; Saccomani, Priscila; Dreyer, Elisabeth; Costa, Alberto Luiz Cunha da.
Título: Treatment of status migrainosus by general anesthesia: a case report / Tratamento do estado de mal-enxaquecoso pela anestesia geral: relato de caso
Fonte: Rev. bras. anestesiol;65(5):407-410, Sept.-Oct. 2015.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACTBACKGROUND AND OBJECTIVES: The status migrainosus is a complication of migraine characterized by severe headache for more than 72 h that did not respond to treatment, with risk of stroke and suicide. Researches on treatment are directed to drugs that stimulate GABA receptors; propofol and isoflurane act on sub-GABAa receptors and theoretically could be interesting. The first has been the subject of research in severe migraine. Opioids are employed in pain, and its use in chronic headache is debatable, but these agents are employed in acute cases. The goal is to present a case of refractory status migrainosus in that we decided to break the pain cycle by general anesthesia.CASE REPORT: Female patient, aged 50 years, with status migrainosus, in the last five days with visits to the emergency department, medicated parenterally with various agents without result. Without comorbidities, dehydrated, described her pain as "well over 10" in Visual Numeric Scale (VNS). After consulting the literature, and given the apparent severity of the condition, we opted for a general anesthesia: induction with fentanyl, propofol, and vecuronium and maintenance with isoflurane and propofol for two hours. Following the treatment, in the postanesthetic recuperation (PAR), the patient related her pain as VNS 3, and was released after five hours with VNS 2. Subsequently, her preventive treatment was resumed.CONCLUSION: Status migrainosus is a rare disabling complication and anesthetics have been the subject of research in its treatment; the option for general anesthesia with agents that stimulate GABA receptors, propofol and isoflurane, in association with fentanyl, proved effective and should encourage new research.

RESUMOJUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: O estado de mal-enxaquecoso é complicação da migrânea caracterizada por cefaleia severa por mais de 72 horas não responsiva à terapêutica com risco de AVC e suicídio. Pesquisas no tratamento se direcionam às drogas que estimulam receptores GABA; propofol e isoflurano atuam nos sub-receptores GABAa e teoricamente poderiam ser interessantes. O primeiro já foi objeto de pesquisas na migrânea severa. Opioides são empregados em dor, seu uso crônico nas cefaleias é discutível, mas são empregados nos casos agudos. O objetivo é apresentar caso de estado de mal-enxaquecoso refratário em que se optou para quebrar o ciclo álgico por uma anestesia geral.RELATO DE CASO: Paciente do sexo feminino com 50 anos em estado de mal-enxaquecoso havia cinco dias com passagens anteriores por serviço de urgências, medicada por via parenteral com vários agentes sem resultado. Sem comorbidades, desidratada, descrevia sua dor como "muito superior a 10" na ENV. Após consulta à literatura, face à gravidade aparente do quadro, optou-se pela feitura de uma anestesia geral; a indução foi com fentanil, propofol, vecurônio e manutenção com isoflurano e propofol por duas horas. No fim, na RPA, no primeiro contato classificou sua dor com ENV 3, teve alta após cinco horas com ENV 2. Ulteriormente retomou seu tratamento preventivo.CONCLUSÃO: O mal-enxaquecoso é uma complicação rara incapacitante e anestésicos têm sido objeto de pesquisas no tratamento; a opção por uma anestesia geral com agentes que estimulam os receptores GABA, propofol e isoflurano, aliados ao fentanil, mostrou-se eficaz e deve incentivar pesquisas.
Descritores: Anestesia Geral
Transtornos de Enxaqueca/terapia
-Medição da Dor
Agonistas de Receptores de GABA-A/uso terapêutico
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Feminino
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 1374 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-794799
Autor: Türkyilmaz, Esra Uyar; Eryilmaz, Nuray Camgöz; Güzey, Nihan Aydin; Moraloğlu, Özlem.
Título: Bilateral greater occipital nerve block for treatment of post-dural puncture headache after caesarean operations / Bloqueio bilateral do nervo occipital maior para tratamento de cefaleia pós-punção dural após cesarianas
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(5):445-450, Sept.-Oct. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background: Post-dural puncture headache (PDPH) is an important complication of neuroaxial anesthesia and more frequently noted in pregnant women. The pain is described as severe, disturbing and its location is usually fronto-occipital. The conservative treatment of PDPH consists of bed rest, fluid theraphy, analgesics and caffeine. Epidural blood patch is gold standard theraphy but it is an invasive method. The greater occipital nerve (GON) is formed of sensory fibers that originate in the C2 and C3 segments of the spinal cord and it is the main sensory nerve of the occipital region. GON blockage has been used for the treatment of many kinds of headache. The aim of this retrospective study is to present the results of PDPH treated with GON block over 1 year period in our institute. Methods: 16 patients who had been diagnosed to have PDPH, and performed GON block after caesarean operations were included in the study. GON blocks were performed as the first treatment directly after diagnose of the PDPH with levobupivacaine and dexamethasone. Results: The mean VAS score of the patients was 8.75 (±0.93) before the block; 3.87 (±1.78) 10 min after the block; 1.18 (±2.04) 2 h after the block and 2.13 (±1.64) 24 h after the block. No adverse effects were observed. Conclusions: Treatment of PDPH with GON block seems to be a minimal invasive, easy and effective method especially after caesarean operations. A GON block may be considered before the application of a blood patch.

Resumo Justificativa: A cefaleia pós-punção dural (CPPD) é uma complicação importante da anestesia neuroaxial e mais frequentemente observada em grávidas. A dor é descrita como intensa, perturbadora, e sua localização é geralmente fronto-occipital. O tratamento conservador da CPPD consiste em repouso no leito, fluidoterapia, analgésicos e cafeína. O tampão sanguíneo peridural é o padrão ouro de tratamento, mas é um método invasivo. O nervo occipital maior (NOM) é formado por fibras sensoriais com origem nos segmentos C2 e C3 da medula espinhal e é o principal nervo sensorial da região occipital. O bloqueio do NOM tem sido usado para o tratamento de muitos tipos de dor de cabeça. O objetivo deste estudo retrospectivo foi apresentar os resultados de CPPD tratada com bloqueio do NOM no período de um ano em nosso instituto. Métodos: Foram incluídas no estudo 16 pacientes diagnosticadas com CPPD e submetidas a bloqueio de NOM após cesariana. Os bloqueios do NOM foram feitos com levobupivacaína e dexametasona como o primeiro tratamento imediatamente após o diagnóstico de CPPD. Resultados: A média dos escores EVA das pacientes foi de 8,75 (±0,93) antes do bloqueio; 3,87 (±1,78) 10 minutos após o bloqueio; 1,18 (±2,04) duas horas após o bloqueio e 2,13 (±1,64) 24 horas após o bloqueio. Efeitos adversos não foram observados. Conclusões: O tratamento da CPPD com bloqueio do NOM parece ser um método minimamente invasivo, fácil e eficaz, especialmente após cesarianas. O bloqueio do NOM pode ser considerado antes da aplicação de um tampão sanguíneo peridural.
Descritores: Cesárea/efeitos adversos
Cesárea/métodos
Nervos Cranianos
Cefaleia Pós-Punção Dural/tratamento farmacológico
Bloqueio Nervoso/métodos
-Medição da Dor
Bupivacaína/administração & dosagem
Bupivacaína/análogos & derivados
Bupivacaína/uso terapêutico
Dexametasona/administração & dosagem
Dexametasona/uso terapêutico
Estudos Retrospectivos
Placa de Sangue Epidural
Levobupivacaína
Anestesia Obstétrica
Raquianestesia
Anestésicos Locais/administração & dosagem
Anestésicos Locais/uso terapêutico
Limites: Humanos
Feminino
Gravidez
Adulto
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 1374 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-794819
Autor: Emik, Ulku; Unal, Yusuf; Arslan, Mustafa; Demirel, Cengiz Bekir.
Título: The effects of memantine on recovery, cognitive functions, and pain after propofol anesthesia / Efeitos da memantina sobre a recuperação, funções cognitivas e dor após a anestesia com propofol
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(5):485-491, Sept.-Oct. 2016. tab.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Objectives: Postoperative cognitive dysfunction refers to the problems associated with thought and memory that are often experienced after major surgery. The aim of this study is to evaluate the effects of intraperitoneally administered memantine on recovery, cognitive functions, and pain after propofol anesthesia. Methods: The study was conducted in Gazi University Animal Research Laboratory, Ankara, Turkey in January 2012. Twenty-four adult female Wistar Albino rats weighing 170-270 g were educated for 300 s in the radial arm maze (RAM) over three days. Group P was administered 150 mg kg−1 of intraperitoneal (IP) propofol; Group M was given 1 mg kg−1 of IP memantine; and Group MP was given 1 mg kg−1 of IP memantine before being administered 150 mg kg−1 of IP propofol. The control group received only IP saline. RAM and hot plate values were obtained after recovery from the groups that received propofol anesthesia and 30 min after the administration of drugs in other two groups. Results: The duration of recovery for Group MP was significantly shorter than Group P (p < 0.001), and the number of entries and exits in the RAM by Group MP was significantly higher during the first hour when compared to Group P (p < 0.0001). Hot plate values, on the other hand, were found to be significantly increased in all groups when compared to the control values, aside from Group C (p < 0.0001). Conclusion: In this study, memantine provided shorter recovery times, better cognitive functions, and reduced postoperative pain. From this study, we find that memantine has beneficial effects on recovery, cognitive functions, and pain after propofol anesthesia.

Resumo Objetivos: A disfunção cognitiva no pós-operatório refere-se a problemas associados ao pensamento e à memória que são frequentemente manifestados após uma cirurgia de grande porte. O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos da memantina administrada por via intraperitoneal sobre a recuperação, as funções cognitivas e a dor após a anestesia com propofol. Métodos: O estudo foi feito no Laboratório de Pesquisa com Animais da Universidade de Gazi, Ankara, Turquia, em janeiro de 2012. Vinte e quatro ratos albinos do sexo feminino, adultos, da linhagem Wistar, com 170-270 g, foram treinados durante 300 segundos no labirinto radial de oito braços (LRB) durante três dias. O Grupo P recebeu 150 mg/kg−1 de propofol por via intraperitoneal (IP), o Grupo H recebeu 1 mg/kg−1 de memantina IP e o Grupo MP recebeu 1 mg/kg−1 de memantina IP antes da administração de 150 mg/kg−1 de propofol (IP). O grupo controle recebeu apenas solução salina IP. Os valores do LRB e da placa quente foram obtidos após a recuperação dos grupos que receberam propofol e 30 minutos após a administração dos fármacos nos outros dois grupos. Resultados: O tempo de recuperação do Grupo MP foi significativamente menor do que o do Grupo P (p < 0,001) e o número de entradas e saídas do LRB do Grupo MP foi significativamente maior durante a primeira hora, em comparação com o Grupo P (p < 0,0001). Os valores da placa quente, por outro lado, foram significativamente maiores em todos os grupos, em comparação com os valores do grupo controle, exceto pelo Grupo C (p < 0,0001). Conclusão: No presente estudo, memantina proporcionou tempos mais curtos de recuperação, funções cognitivas melhores e reduziu a dor no pós-operatório. A partir deste estudo, descobrimos que a memantina tem efeitos benéficos sobre a recuperação, as funções cognitivas e a dor após anestesia com propofol.
Descritores: Dor Pós-Operatória/prevenção & controle
Período de Recuperação da Anestesia
Memantina/farmacologia
Propofol/efeitos adversos
Cognição/efeitos dos fármacos
Antagonistas de Aminoácidos Excitatórios/farmacologia
Anestésicos Intravenosos/efeitos adversos
-Medição da Dor/efeitos adversos
Memantina/administração & dosagem
Ratos Wistar
Aprendizagem em Labirinto/efeitos dos fármacos
Antagonistas de Aminoácidos Excitatórios/administração & dosagem
Injeções Intraperitoneais
Limites: Animais
Feminino
Ratos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 1374 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-787622
Autor: Tekindur, Sukru; Yetim, Memduh.
Título: Postoperative analgesia after total knee arthroplasty / Analgesia no pós-operatório de artroplastia total de joelho
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(4):437-438
Idioma: en.
Descritores: Analgesia Controlada pelo Paciente
Artroplastia do Joelho
-Dor Pós-Operatória
Medição da Dor
Analgesia Epidural
Analgesia
Bloqueio Nervoso
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Carta
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 1374 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-829704
Autor: Pereira, Diogo Luís; Meleiro, Hugo Lourenço; Correia, Inês Araújo; Fonseca, Sara.
Título: Pain after major elective orthopedic surgery of the lower limb and type of anesthesia: does it matter? / Dor após cirurgia eletiva ortopédica de grande porte em membro inferior e o tipo de anestesia: isso importa?
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(6):628-636, Nov.-Dec. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background and objectives: Total knee arthroplasty and total hip arthroplasty are associated with chronic pain development. Of the studies focusing on perioperative factors for chronic pain, few have focused on the differences that might arise from the anesthesia type performed during surgery. Methods: This was a prospective observational study performed between July 2014 and March 2015 with patients undergoing unilateral elective total knee arthroplasty (TKA) or total hip arthroplasty (THA) for osteoarthritis. Data collection and pain evaluation questionnaires were performed in three different moments: preoperatively, 24 hours postoperatively and at 6 months after surgery. To characterize pain, Brief Pain Inventory (BPI) was used and SF-12v2 Health survey was used to further evaluate the sample's health status. Results: Forty and three patients were enrolled: 25.6% men and 74.4% women, 51,2% for total knee arthroplasty and48.8% for total hip arthroplasty, with a mean age of 68 years. Surgeries were performed in 25.6% of patients under general anesthesia, 55.8% under neuraxial anesthesia and 18.6% under combined anesthesia. Postoperatively, neuraxial anesthesia had a better pain control. Comparing pain evolution between anesthesia groups, neuraxial anesthesia was associated with a decrease in “worst”, “medium” and “now” pain at six months. Combined anesthesia was associated with a decrease of “medium” pain scores at six months. Of the three groups, only those in neuraxial group showed a decrease in level of pain interference in “walking ability”. TKA, “worst” pain preoperatively and general were predictors of pain development at six months. Conclusions: Patients with gonarthrosis and severe pain preoperatively may benefit from individualized pre- and intraoperative care, particularly preoperative analgesia and neuraxial anesthesia.

Resumo Justificativa e objetivos: A artroplastia total de joelho e a artroplastia total de quadril estão associadas ao desenvolvimento de dor crônica. Dentre os estudos que avaliam os fatores perioperatórios para a dor crônica, poucos abordam as diferenças que podem surgir do tipo de anestesia feita durante a cirurgia. Métodos: Estudo observacional, prospectivo, feito entre julho de 2014 e março 2015 com pacientes submetidos à ATJ unilateral eletiva ou ATQ para a osteoartrite. A coleta de dados e a avaliação da dor por meio de questionários foram feitas em três momentos distintos: no pré-operatório, em 24 horas de pós-operatório e aos seis meses após a cirurgia. O Inventário Breve da Dor (IBD) foi usado para caracterizar a dor o e o Questionário SF-12v2 foi usado para avaliar melhor o estado de saúde da amostra. Resultados: Foram inscritos 43 pacientes: 25,6% homens e 74,4% mulheres, 51,2% para ATJ e 48,8% ATQ, com média de 68 anos. A cirurgia foi feita em 25,6% dos pacientes sob anestesia geral, em 55,8% sob anestesia neuroaxial e em 18,6% sob anestesia combinada. No pós-operatório, a anestesia neuraxial apresentou melhor controle da dor. Na comparação da evolução da dor entre os grupos, a anestesia neuraxial foi associada a uma diminuição de “pior”, “médio” e “sem” dor em seis meses. A anestesia combinada foi associada a uma diminuição do escore “médio” de dor em seis meses. Dos três grupos, apenas aqueles no grupo neuraxial apresentaram uma diminuição do nível de interferência da dor na “capacidade de caminhar”. ATJ, “pior” dor no pré-operatório e anestesia geral foram preditivos de desenvolvimento de dor aos seis meses. Conclusões: Os pacientes com gonartrose e dor intensa no pré-operatório podem obter benefício de cuidados individualizados no pré e intraoperatório, particularmente de analgesia no pré-operatório e anestesia neuraxial.
Descritores: Dor Pós-Operatória/epidemiologia
Procedimentos Cirúrgicos Eletivos/efeitos adversos
Procedimentos Ortopédicos/efeitos adversos
Anestesia
-Medição da Dor
Estudos Prospectivos
Artroplastia de Quadril
Artroplastia do Joelho
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 138 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde