Base de dados : LILACS
Pesquisa : E01.370.600.875.500 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 2269 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 227 ir para página                         

  1 / 2269 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-559937
Autor: Moreira, Dalmo Antonio Ribeiro; Habib, Ricardo Garbe.
Título: Arritmias cardíacas na mulher / Cardiac arrhytmias in women
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;19(4):503-510, out.-dez. 2009. tab, ilus.
Idioma: pt.
Resumo: A prevalência das arritmias cardíacas difere entre homens e mulheres. É possível que os hormônios sexuais sejam responsáveis por tais diferenças; entretanto, influências do sistema nervoso autonômico bem como diferenças eletrofisiológicas intrínsecas, atriais e ventriculares, entre homens e mulheres, também podem estar presentes e favorecer tais diferenças. Do ponto de vista eletrocardiográfico, as mulheres apresentam frequência sinusal mais rápida, as alterações da repolarização ventricular são mais comuns, e a duração do intervalo QT é geralmente maior, em comparação aos homens. Este último aspecto tem relevância quando se considera o tratamento de arritmias cardíacas com fármacos antiarrítmicos, que prolongam a repolarização ventricular, pois podem predispor a efeitos pró-arrítmicos caracterizados pelo surgimento de taquicardia ventricular do tipo torsades de pointes. Do mesmo modo, outros medicamentos que prolongam o intervalo QT, como antialérgicos (terfenadina) ou antibióticos (eritromicina), devem ser prescritos com muita cautela para se evitar a morte súbita nessas pacientes. A prevalência de taquicardia supraventricular por reentrada nodal é maior nas mulheres, enquanto no homem observa-se mais frequentemente a taquicardia por reentrada atrioventricular envolvendo vias acessórias. A prevalência da fibrilação atrial parece ser similar entre os sexos até uma certa faixa etária; entretanto, após os 75 anos,...

The prevalence of cardiac arrhythmias differs between men and women. Sex hormones might be responsible for such differences; however, the autonomic nervous system and atrial and ventricular intrinsic electrophysiological differences between men and women may also play a role. From the electrocardiographic point of view, women have faster sinus rate, more unspecific changes of the ST-T segment and also longer QT interval when compared to men. This is relevant when the treatment of cardiac arrhythmias with antiarrhythmic drugs is taken into consideration, since they prolong ventricular repolarization, making women more vulnerable to proarrhythmic effects characterized by the development of torsades de pointes ventricular tachycardia. Likewise, other drugs which prolong the QT interval, such as antiallergenic drugs (terfenadine) or antibiotics (erythromycin), must be carefully prescribed to avoid sudden death in these patients. Reentrant atrioventricular nodal tachycardia is more prevalent in women whereas reentrant atrioventricular tachycardia secondary to an accessory pathway is more common in men. The prevalence of atrial fibrillation seems to be similar between both genders up to a certain age; however, above 75 years of age (in absolute numbers) it is more frequent in women. Idiopathic ventricular tachycardia originated at the right ventricular outflow tract is more common in women whereas ventricular tachycardia secondary to heart disease is more frequently observed in men. Electrocardiographic and electrophysiological abnormalities in women and the way they influence the development of the most common cardiac arrhythmias, their treatment and prognosis are approached in this paper.
Descritores: Arritmias Cardíacas/complicações
Arritmias Cardíacas/diagnóstico
Eletrocardiografia/métodos
Eletrocardiografia
Fibrilação Atrial/complicações
Fibrilação Atrial/diagnóstico
-Fatores de Risco
Frequência Cardíaca
Morte Súbita
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  2 / 2269 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-729295
Autor: Garcia, Thiago Ghorayeb; Ghorayeb, Nabil.
Título: Exercícios físicos de alta intensidade: risco cardiovascular / High intensity exercise: cardiovascular risk
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;24(1):61-65, jan.-mar. 2014.
Idioma: pt.
Resumo: A prática regular de atividade física proporciona benefícios para a saúde, tanto na prevenção primária quanto no tratamento das doenças cardiovasculares; Existe uma forte e inversa associação entre atividade física e mortalidade cardiovascular e geral. Mesmo em quantidade modesta de exercício físico confere benefícios para saúde, e estes benefícios aumentam de uma forma dose-dependente, porém, é possível que exista um limite seguro de dose de atividade física, para além do qual não haja aumento dos benefícios ou mesmo os efeitos adversos da atividade física podem superar seus benefícios. Apesar de quase todos os estudos epidemiológicos mostrarem benefício cardiovascular da atividade física habitual, o exercício físico de alta intensidade pode causar alterações cardíacas agudas e a remodelação crônica do coração de atleta, sendo que o significado clínico destas alterações ainda é incerto. Este artigo procura revisar as possíveis consequências da atividade física de alta intensidade e longa duração.

Regular physical activity provides a variety of health benefits, both in primary prevention as well as in the treatment of chronic cardiovascular disease. There is a Strong and inverse association between physical activity and cardiovascular and overall mortality. Even a modest amount of exercise confers health benefits, and these benefits increase in a dose-dependent manner, but it is possible that there is a safe upper-dose limit of physical activity beyond which there is no increase in benefits or even the adverse effects of physical activity amy outweigh its benefits. Although almost all epidemiological studies show cardiovascular benefit of physical activity, high intensity exercise can cause acute cardiac changes and chronic remodeling of the athlete's heart, but the clinical significance of these changes is still uncertain. This article reviews the possible consequences of chronic high intensity physical activity.
Descritores: Atividade Motora
Doenças Cardiovasculares/fisiopatologia
Esforço Físico
Exercício Físico/fisiologia
Fatores de Risco
Tolerância ao Exercício/fisiologia
-Arritmias Cardíacas
Atletas
Biomarcadores Farmacológicos/análise
Esportes
Fibrilação Atrial/complicações
Frequência Cardíaca
Remodelamento Atrial/fisiologia
Traumatismos em Atletas
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  3 / 2269 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-729296
Autor: Colombo, Cléa Simone Sabino de Souza; Francisco, Ricardo Contesini.
Título: O coração de atleta na mulher / The athlete's heart in women
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;24(1):66-70, jan.-mar. 2014. graf.
Idioma: pt.
Resumo: A prática regular de exercícios de alta intensidade tem sido relacionada com alterações no tamanho e no ritmo cardíaco de atletas há séculos. Mais recentemente, com o avanço dos exames complementares no século 20, tais alterações foram bem descritas e definidas como adaptações fisiológicas, sendo conhecidas como "coração de atleta". Entretanto, até meados da década de 90 estas adaptações não tinham sido descritas em mulheres. Acredita-se que isso se deva não só à presença de menos atletas do sexo feminino até aquele período e com uma intensidade menor de treinamento, mas também à quantidade inferior de androgênios circulantes. Atualmente, as adaptações do coração de atleta também, têm sido evidenciadas nas mulheres atletas, porém, parecem ocorrer de maneira diferente e em menor proporção do que os homens atletas.

Regular intensive physical training has been associated with changes in cardiac size and heart rate for centuries. Recently, with the advancement of multimodality imaging in the 20th century, such changes have been well described and defined as physiological adaptations, known as the "athlete's heart", However, until the middle of the 90's these adaptations had never been described in women, not only because of the small number of female athletes until that time, but also due to the lower amount of circulating androgens. Recently, adaptations of the athlete's heart have also been demonstrated in women, but it seems to occur differently and less extensive than in men athletes.
Descritores: Atletas
Esforço Físico/fisiologia
Exercício Físico/fisiologia
Frequência Cardíaca/fisiologia
Hipertrofia Ventricular Esquerda/fisiopatologia
Mulheres
-Ecocardiografia Doppler/métodos
Eletrocardiografia/métodos
Teste de Esforço/métodos
Volume Sistólico
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  4 / 2269 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-789228
Autor: Cintra, Fátima Dumas.
Título: Papel do sistema nervoso autônomonas arritmias cardíacas / Role of the autonomic nervous system in cardiac arrhythmias
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;25(4):182-186, out.-dez.2015. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: As arritmias cardíacas apresentam comportamento eletrofisiológico, manifestação clínica, prognóstico e resposta terapêutica diferentes na população. Sendo assim, a compreensão dos mecanismos envolvidos na gênese da anormalidade do ritmo cardíaco é fundamental para nortear a terapêutica. O sistema nervoso autônomo participa ativamente da eletrofisiologia da célula cardíaca e dos mecanismos relacionados ao desencadeamento das arritmias cardíacas. Dentre as arritmias supraventriculares, a fibrilação atrial merece destaque. Estudos avaliando a variabilidade da frequência cardíaca demonstram importante modificação autonômica antecedendo um quadro defibrilação atrial. Tanto a ativação simpática quanto a estimulação parassimpática podem participar da manutenção dessa arritmia. Além disso, métodos que reduzem a inervação autonômica também reduzem a incidência de arritmias atriais, sugerindo que a neuromodulação possa ser uma ferramenta promissora no controle dessa arritmia. As arritmias ventriculares também se relacionam ao comportamento autonômico. O infarto agudo do miocárdio ocasiona denervação das fibras simpáticas na cicatriz e as áreas de intensa fibrose perdem a capacidade de responderem a estimulação simpática; entretanto asregiões próximas a cicatriz apresentam um encurtamento do período refratário para a estimulação simpática de forma heterogênica predispondo a ocorrência da ectopias ventriculares. Dessa forma, a investigação do sistema nervoso autônomo no desencadeamento e manutenção das arritmias cardíacas é uma linha de pesquisa promissora e a maior compreensão dos mecanismos autonômicos irá propiciar novas ferramentas de controle das anormalidades do ritmo cardíaco...

Cardiac arrhythmias present varying electrophysiological behavior, clinical manifestation, prognosis, and therapeutic response in the population. An understanding of the mechanisms involved in the genesis of heart rhythm disorders is there fore essential for guiding the therapy. The autonomic nervous system plays an active role in the electrophysiology of the cardiac cells and the mechanisms that trigger cardiac arrhythmias. Atrial fibrillation, one of the supraventricular arrhythmias, deserves special attention. Studies to evaluate heart rate variability have demonstrated important modifications preceding an episode of atrial fibrillation. Both sympathetic activation and parasympathetic stimulation can play a role in the persistence of this arrhythmia. More over, methods that reduce autonomic innervation also reduce the incidence of atrial arrhythmias, suggesting that neuromodulation can be a promising tool in the control of this arrhythmia. Ventricular arrhythmias are also related to autonomic behavior. Acute myocardial infarction leads to denervation of the sympathetic fibers in the scar tissue, and the areas of intense fibrosis lose their capacity to respond to sympathetic stimulation, while the regions close to thescar tissue present heterogeneous refractory period shortening for sympathetic stimulation, predisposing to the occurrence of ventricular ectopic beats. Thus, the investigation of the autonomic nervous system in the triggering and persistence of heart arrhythmias is a promising line of research, and a better understanding of the autonomic mechanisms involved will provide new tools for the control of heart rhythm disorders...
Descritores: Arritmias Cardíacas/complicações
Arritmias Cardíacas/terapia
Eletrofisiologia/métodos
Sistema Nervoso Autônomo/fisiologia
-Apneia Obstrutiva do Sono/complicações
Apneia Obstrutiva do Sono/diagnóstico
Bradicardia/complicações
Bradicardia/diagnóstico
Fatores de Risco
Frequência Cardíaca
Átrios do Coração/anormalidades
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  5 / 2269 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-789229
Autor: Scuotto, Frederico; Cirenza, Cláudio.
Título: Taquiarritmias Atriais: Diagnóstico e Tratamento / Atrial Tachyarrhythmias: Diagnosis and Treatment
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;25(4):187-193, out.-dez.2015. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: As taquiarritmias atriais representam um grupo heterogêneo de arritmias dentro das taquicardias supraventriculares, que apresentam como característica comum a ausência do nó atrioventricular como parte integrante do circuito destas arritmias. Dentre elas, destacam-se as taquicardias atriais, que podem ser focais ou macrorreentrantes. O eletrocardiograma é uma ferramenta importante nesta diferenciação, assim como o estudo eletrofisiológico, valendo-se de técnicas de mapeamento eletroanatômico (MEA), cada vez mais apuradas para este diagnóstico. As taquicardias atriais focais representam especial desafio diagnóstico e terapêutico. Padrões eletrocardiográficos, avaliação dos padrões da arritmia durante monitorização eletrocardiográfica prolongada, avaliação dos padrões de resposta a fármacos e avaliação da ativação atriale da resposta a manobras durante estudo eletrofisiológico constituem a base do seu diagnóstico. Com o desenvolvimento de novas técnicas e taxas de sucesso crescente, a ablação por radiofrequência tem se tornado, nos últimos anos, o tratamento de escolha para pacientes com taquicardia atrial focal sintomática, especialmente nos casos de taquicardia atrial incessante, pelo risco potencial de desenvolvimento de taquicardiomiopatia. Este artigo tem por objetivo realizar revisão da literatura quanto aos aspectos mais atuais no diagnóstico e tratamento das principais taquiarritmias atriais...

Atrial tachyarrhythmias are a heterogeneous group within the supraventricular tachycardia group that share in common the absence of the atrioventricular node as an integral componente of the arrhythmia circuit. Among them, special attention is given to atrial tachycardias (AT), which may present as focal or macroreentrant. The electrocardiogram (EKG) is an important tool in this differentiation, as is the electrophysiological study using techniques of electroanatomical mapping (EAM), both of which are becoming increasingly accurate in this diagnosis. The diagnosis and treatment of focal atrial tachycardias are challenging. The diagnosis is based on electrocardiographic patterns, evaluation of the patterns of arrhythmia during prolonged electrocardiographic monitoring, evaluation of the patterns of response to drugs, and evaluation of the atrial activation and the response to maneuvers during electrophysiological testing. With the development of new techniques, and the increasing success rates, radiofrequency ablation (RFA) has become the gold standard therapy in recent years for patients with symptomatic focal atrial tachycardia, particularly in cases of incessant atrial tachycardia, due to the potential risk for the development of tachycardia-induced cardiomyopathy.The objective of this article is to present a review of the literature, emphasizing the current aspects of diagnosis and therapy for atrial tachyarrhythmias...
Descritores: Taquicardia Atrial Ectópica/diagnóstico
Taquicardia Atrial Ectópica/terapia
Taquicardia Ventricular/diagnóstico
Taquicardia Ventricular/terapia
Átrios do Coração
-Ablação por Cateter/métodos
Arritmias Cardíacas/diagnóstico
Arritmias Cardíacas/terapia
Diagnóstico Diferencial
Eletrocardiografia Ambulatorial/métodos
Eletrocardiografia/métodos
Eletrofisiologia/métodos
Frequência Cardíaca
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  6 / 2269 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1047334
Autor: Martucci, Luiz Felipe; Vecchiatto, Bruno; Evangelista, Fabiana Sant'Anna.
Título: Repercussões do destreinamento físico no sistema cardiovascular, massa corporal e perfil lipídico / Repercussions of physical detraining on cardiovascular system, body mass and lipid profile
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;29(4,Supl):408-414, out.-dez. 2019. tab, ilus.
Idioma: pt.
Resumo: O presente manuscrito teve por objetivo a revisão de literatura sobre os efeitos do destreinamento (DT) no sistema cardiovascular e em fatores de risco cardiovasculares, tais como massa corporal, adiposidade e perfil lipídico. Para isso, uma ampla pesquisa da literatura nas bases de dados PubMed, Scopus e Web of Science foi realizada, e o conjunto de dados mostrou que o DT promove reversão das adaptações cardiovasculares obtidas com o treinamento físico, tais como redução do VO2máx, do débito cardíaco máximo, do volume sistólico, do volume sanguíneo e da massa ventricular. Além disso, o DT induz aumento da frequência cardíaca de repouso e submáxima, da resistência vascular periférica e da pressão arterial. O curso temporal para que tais efeitos cardiovasculares ocorram é amplo, podendo ocorrer a partir da segunda semana de DT até três meses após o DT. O DT também gera prejuízos aos fatores de risco cardiovasculares, tais como aumento da massa corporal e da adiposidade, aumento do colesterol total, LDL e VLDL, e redução do HDL. Enquanto os efeitos na massa corporal aparecem após quatro semanas de DT, as mudanças no perfil lipídico são mais precoces, com apenas uma semana de DT

The objective of this manuscript is to review the literature about the effects of detraining (DT) on the cardiovascular system and on cardiovascular risk factors such as body mass, adiposity and lipid profile. For this, a wide literature search in the PubMed, Scopus and Web of Science databases was performed, and the data showed that DT promotes the reversal of cardiovascular adaptations obtained with physical training, such as reduction in VO2 max, cardiac output, ejection fraction, blood volume and ventricular mass. In addition, DT induces an increase in resting and submaximal heart rates, peripheral vascular resistance and blood pressure. The timeframe for such cardiovascular effects to be seen is long, which may occur from the second week of DT to 3 months after DT. DT also causes damage to cardiovascular risk factors by inducing an increase in body mass and adiposity, an increase in total cholesterol, LDL and VLDL, and a reduction in HDL. While effects on body mass appear after 4 weeks of DT, changes in lipid profile appear earlier, with only 1 week of DT
Descritores: Sistema Cardiovascular
Exercício Físico
-Consumo de Oxigênio
Índice de Massa Corporal
Colesterol
Fatores de Risco
Atletas
Pressão Arterial
Frequência Cardíaca
HDL-Colesterol
LDL-Colesterol
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  7 / 2269 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1047339
Autor: Azevêdo, Luan Morais; Oliveira e Silva, Laura Gomes; Fecchio, Rafael Yokoyama; Brito, Leandro Campos de; Forjaz, Claudia Lucia de Moraes.
Título: Exercício físico e pressão arterial: efeitos, mecanismos, influências e implicações na hipertensão arterial / Physical exercise and blood pressure: effects, mechanisms, influences and impacts on hypertension
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;29(4,Supl):415-422, out.-dez. 2019. tab, ilus.
Idioma: pt.
Resumo: O exercício físico é recomendado no tratamento da hipertensão arterial. Agudamente, a execução do exercício promove aumento da pressão arterial (PA), mas, no período de recuperação pós-exercício, é possível evidenciar redução da PA e, principalmente, após um período de treinamento físico crônico, pode haver diminuição da PA clínica e de 24 horas dos hipertensos. Apesar desses efeitos serem conhecidos, sua magnitude e mecanismos dependem do tipo de exercício executado e de suas características. Este artigo revê os efeitos agudos e crônicos clássicos do exercício aeróbico e os efeitos mais recentemente estudados dos exercícios resistidos isométrico e dinâmico na PA, seus mecanismos e fatores de influência, ressaltando os pontos que embasam as recomendações atuais sobre o uso do exercício na hipertensão arterial. O conhecimento atual demonstra que: 1) o exercício aeróbico promove aumento da PA sistólica durante sua execução, gera hipotensão pós-exercício clinicamente relevante e reduz a PA clínica e de 24 horas após o treinamento; 2) o exercício resistido isométrico promove aumento progressivo da PA sistólica e diastólica durante sua execução, não produz hipotensão pós-exercício consistente e reduz a PA clínica após o treinamento, mas esse efeito hipotensor ocorre com um protocolo específico de exercício de handgrip; e 3) o exercício resistido dinâmico promove grande aumento da PA sistólica e diastólica durante sua execução, gera hipotensão pós-exercício cuja relevância clínica ainda precisa ser comprovada e parece diminuir a PA clínica, mas não a ambulatorial, após o treinamento. Face a esses conhecimentos, o treinamento aeróbico complementado pelo resistido dinâmico é recomendado na hipertensão

Physical exercise is recommended for hypertension treatment. Acutely, exercise execution increases blood pressure (BP), but, during the recovery period, BP decreases, and after a chronic training period, clinic and ambulatory BP may decrease in hypertensives. Despite these known effects of exercise, their magnitude and mechanisms depend on the type of exercise and its characteristics. This article reviews the classical acute and chronic effects of aerobic exercise and the more recent knowledge about isometric and dynamic resistance exercises on BP, its mechanisms and factors of influence, highlighting the aspects underlying exercise recommendations for hypertension. Current scientific knowledge shows that: 1) aerobic exercise increases systolic BP during its execution, produces a clinically significant post-exercise hypotension, and chronically decreases clinic and 24-hour BP; 2) isometric resistance exercise produces a progressive increase in systolic and diastolic BP during its execution, does not promote consistent post-exercise hypotension, and decreases clinic BP after training, but this hypotensive effect results from a specific protocol of isometric handgrip; and 3) dynamic resistance exercise produces a huge progressive increase in systolic and diastolic BP during its execution, promotes post-exercise hypotension with questionable clinical relevance, and seems to decrease clinic but not ambulatory BP after training. Based on this current knowledge, regular aerobic exercise complemented by dynamic resistance exercise is recommended for hypertension
Descritores: Exercício Físico
Pressão Arterial
Hipertensão
-Volume Sistólico
Débito Cardíaco
Fatores de Risco
Frequência Cardíaca
Hipotensão
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  8 / 2269 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1023113
Autor: Oliveira Filho, Japy Angelini; Salles, Ana Fátima.
Título: Teste cardiopulmonar no diagnóstico de doença coronariana: acurácia da curva do pulso de oxigênio / Cardiopulmonary testing in the diagnosis of coronary heart disease: the accuracy of the oxygen pulse curve
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;29(3 Supl):302-305, jul.-set. 2019. tab.
Idioma: en; pt.
Resumo: A isquemia miocárdica induzida por esforço em níveis significativos interferiria no aumento no volume sistólico e levaria à deflexão da curva do PuO2. A alteração da resposta curvilínea do PuO2, que resulta em achatamento da curva, demonstraria redução do volume sistólico e/ou falha para aumentar a extração de oxigênio. Em revisão não sistemática da literatura, encontramos poucos relatos sobre a deflexão da curva do PuO2 secundária à isquemia induzida por esforço, totalizando apenas nove estudos em 22 anos, que abrangeram 339 pacientes. A sensibilidade e a especificidade do TE foi de, respectivamente, 46% e 66%; a sensibilidade e a especificidade do TCP atingiram, respectivamente, 51% e 60%, considerando-se a deflexão do PuO2. Quando a deflexão do PuO2 foi associada à relação entre VO2/work rate slope, a sensibilidade e a especificidade atingiram 87% e 74%, respectivamente. No subgrupo com isquemia extensa, o pico do PuO2 foi reduzido em comparação com o subgrupo com isquemia discreta (12,8 ± 3,8 vs. 16,4 ± 4,6 ­ p < 0,05), demonstrando que a deflexão da curva de PuO2 pode estar presente nos casos de isquemia miocárdica extensa. Houve elevação do PuO2 de 11,76 para 13,27 ml/batimento e do slope de PuO2 de 7,05 para 9,25 depois de angioplastia coronariana. Há indícios de que a utilização do teste cardiopulmonar no diagnóstico da doença coronariana pode ser útil, rastreando os casos de maior gravidade

Exercise-induced myocardial ischemia, at significant levels, may interfere in the increase of systolic volume and cause deflection of the PuO2 curve. A change of the curvilinear response of PuO2, which results in a flattening of the curve, demonstrates a reduction of the systolic volume and/or failure to increase the extraction of oxygen. In a non-systematic literature review, we found few publications about the deflection of the PuO2 curve, secondary to exercise-induced ischemia, totaling only nine studies over 22 years, and including 339 patients. The sensitivity and the specificity of the ET were 46% and 66%, respectively; the sensitivity and the sensibility of the CPT reached 51% and 60%, respectively, considering the deflection of PuO2. When the deflection of PuO2 was associated with the relationship between VO2/work rate slope, the sensibility and specificity reached 87% and 74%, respectively. In the subgroup with extensive ischemia, peak PuO2 was reduced as compared to the subgroup with mild ischemia (12.8±3.8 vs. 16.4±4.6 - p < 0.05), showing that there may be a flattening of the curve in cases with extensive myocardial ischemia. There was an increase in PuO2 from 11.76 to 13.27 ml/beat and of the slope of PuO2 from 7.05 to 9.25 following coronary angioplasty. There are indications that the use of cardiopulmonary testing may be useful in the diagnosis of coronary heart disease, detecting more serious cases
Descritores: Consumo de Oxigênio
Doença da Artéria Coronariana/diagnóstico
Teste de Esforço/métodos
-Prognóstico
Volume Sistólico
Ecocardiografia/métodos
Exercício Físico
Sensibilidade e Especificidade
Isquemia Miocárdica
Frequência Cardíaca
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  9 / 2269 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1023176
Autor: Ferreira-Santos, Larissa; Amaro-Vicente, Graziela; Antunes-Correa, Ligia M.
Título: Reabilitação cardiovascular com ênfase no exercício físico para pacientes com doença arterial coronariana: visão crítica do cenário atual / Cardiovascular rehabilitation with an emphasis on physical exercise for patients with coronary artery disease: a critical review of the current scenario
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;29(3 Supl):306-313, jul.-set. 2019. tab.
Idioma: en; pt.
Resumo: A doença arterial coronariana (DAC) é umas das doenças cardiovasculares que mais mata no Brasil e no mundo. É uma doença multifatorial, associada a fatores de risco modificáveis. Além dos tratamentos convencionais, é recomendado que pacientes com DAC também incluam modificações no estilo de vida e programas de reabilitação cardiovascular com ênfase no exercício físico (RCEE) em seu tratamento. Sabidamente, o exercício físico regular somado às mudanças no estilo de vida contribui para a diminuição do avanço da doença aterosclerótica e da mortalidade dos pacientes com DAC. Além disso, o exercício físico tem impacto benéfico na capacidade funcional e qualidade de vida. Um programa de RCEE é uma estratégia eficaz, segura e com excelente razão de custo-benefício para o tratamento da DAC. Contudo, mesmo sendo uma terapia recomendada pelos principais órgãos de saúde, no Brasil as políticas públicas de saúde são extremamente escassas e a quantidade de centros especializados que oferecem a RCEE também é baixa. Problemas de adesão, participação e motivação são evidentes quando os programas são avaliados. Esta revisão mostra os principais estudos que, ao longo das últimas décadas, deram base para as recomendações da RCEE e faz uma análise crítica do cenário atual, deixando claro que novas estratégias de atuação e monitoramento devem ser exploradas e incentivadas para que os programas de RCEE sejam incluídos efetivamente no tratamento dos pacientes com DAC

Coronary artery disease (CAD) is one of the most lethal cardiovascular diseases both in Brazil and worldwide. It is a multifactorial disease associated with modifiable risk factors. In addition to conventional treatments, it is recommended that patients with CAD also include lifestyle changes and exercise-based cardiovascular rehabilitation (CR) programs in their treatment. It is well known that regular physical exercise combined with lifestyle changes contributes to a reduction in the progression of atherosclerosis and in mortality in patients with CAD. Moreover, physical exercise has a beneficial impact on functional capacity and quality of life. A CR program is an effective, safe strategy for the treatment of CAD with an excellent cost-benefit ratio. However, even though it is a therapy recommended by the main health agencies, public health policies in Brazil are extremely scarce and the number of specialized centers that offer CR is low. Problems of adherence, participation, and motivation are evident when these programs are evaluated. This review looks at the main studies that have been the basis for the recommendations of CR over last decades and critically analyzes the current scenario, making it clear that new strategies for action and monitoring should be explored and encouraged such that CR programs will be included effectively in the treatment of patients with CAD
Descritores: Doença da Artéria Coronariana
Exercício Físico
Reabilitação Cardíaca/métodos
-Qualidade de Vida
Doenças Cardiovasculares/mortalidade
Doenças Cardiovasculares/terapia
Doença Crônica/mortalidade
Fatores de Risco
Placa Aterosclerótica
Frequência Cardíaca
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  10 / 2269 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1023248
Autor: Bastos, Mauricio Gonczy Nunes; Macedo, Thiago Andrade de; Alves, Fabio Quartieri; Jardim, Leandro de Oliveira; Barros e Silva, Pedro Gabriel Melo de; Sampaio, Marcio Campos; Teixeira, José Carlos Garcia; Furlan, Valter.
Título: Cardiomiopatia periparto associada à síndrome do QT longo e síncope por taquicardia ventricular polimórfica: relato de caso / Peripartum cardiomyopathy associated with long QT syndrome and polymorphic ventricular tachycardia syncope: a case report
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;29(3 Supl):320-323, jul.-set. 2019. ilus.
Idioma: en; pt.
Resumo: A cardiomiopatia periparto é uma causa rara de insuficiência cardíaca no período entre o último mês de gestação e os cinco meses após o parto. A síndrome do QT longo caracteriza-se pelo atraso da repolarização ventricular e pode se manifestar com síncope e morte súbita devido a um tipo de taquicardia ventricular polimórfica conhecida como torsades de pointes. Descrição do caso: J.S., 26 anos, sexo feminino, natural e procedente de São Paulo. Paciente puérpera - 40º dia (G3P3A0), procurou o pronto-socorro com queixa de síncope durante amamentação e dispneia em moderados esforços. Durante a avaliação no PS, evoluiu para desconforto torácico e agitação psicomotora, sendo notada taquicardia ventricular não sustentada no monitor cardíaco ( torsades de pointes), que foi controlada com cardioversão elétrica e sulfato de magnésio intravenoso. O eletrocardiograma mostrou ritmo sinusal, alteração difusa da repolarização ventricular e intervalo QTc de 580 ms. O ecocardiograma mostrou disfunção sistólica moderada, com fração de ejeção do ventrículo esquerdo de 43% à custa de hipocinesia difusa. Após avaliação da equipe de arritmologia chegou-se ao diagnóstico de cardiomiopatia periparto associado à síndrome do QT longo. Foi iniciado tratamento otimizado para insuficiência cardíaca e implantado cardiodesfibrilador por causa de episódios recorrentes de arritmia durante a internação. Discussão: A cardiomiopatia periparto é uma doença rara, porém, tem taxa de mortalidade elevada, entre 18% e 56%. A paciente descrita satisfez os quatro critérios para o diagnóstico: sintomas de insuficiência cardíaca nos primeiros 5 meses depois do parto, ausência de cardiomiopatia prévia, etiologia desconhecida e disfunção sistólica com FEVE < 45%. A síndrome do QT longo é uma doença genética de apresentações variáveis. Os fatores que desencadeiam as taquiarritmias são situações de instabilidade elétrica por hiperatividade do sistema simpático e também situações raras, como a cardiomiopatia periparto. Em casos de arritmias ventriculares graves, o tratamento é o implante de cardiodesfibrilador. Conclusão: A associação da cardiomiopatia periparto com a síndrome do QT longo é rara. A gravidade associada a essas condições torna importante o diagnóstico precoce e tratamento imediato pelo potencial risco de morte associado a ambas as condições clínicas

Peripartum cardiomyopathy is a rare cause of heart failure during the period between the last month of pregnancy and five months after delivery. Long QT syndrome is characterized by a delay in ventricular repolarization and may manifest with syncope and sudden death due to a type of polymorphic ventricular tachycardia known as torsades de pointes. Case description: J.S., 26-years-old, female, born and residing in São Paulo, Puerperal - 40th day (G3C3A0), went to the emergency room complaining of syncope during breastfeeding and dyspnea on moderate exertion. During evaluation in the ER, the patient developed thoracic discomfort and psychomotor agitation, with non-sustained ventricular tachycardia on the cardiac monitor (torsades de pointes), which was controlled with electrical cardioversion and intravenous magnesium sulfate. The electrocardiogram showed sinus rhythm, diffuse alteration of ventricular repolarization and QTc interval of 580 ms. The echocardiogram showed moderate systolic dysfunction, with a left ventricular ejection fraction of 43% influenced by diffuse hypokinesia. After evaluation by the arrhythmology team, the diagnosis of peripartum cardiomyopathy associated with long QT syndrome was made. Optimized treatment for heart failure was initiated and a cardioverter-defibrillator was implanted due to recurrent episodes of arrhythmia during hospitalization. Discussion: Peripartum cardiomyopathy is a rare disease, but it has a high mortality rate, between 18% and 56%. The patient described met the 4 diagnostic criteria: symptoms of heart failure in the first 5 months after delivery, absence of prior cardiomyopathy, unknown etiology, and systolic dysfunction with LVEF<45%. Long QT syndrome is a genetic disease of varying presentations. The factors that trigger the tachyarrhythmias are situations of electrical instability due to sympathetic system hyperactivity and rare situations, such as peripartum cardiomyopathy. In cases of severe ventricular arrhythmias, the treatment is a cardioverter-defibrillator implant. Conclusion: The association of peripartum cardiomyopathy with long QT syndrome is rare. The severity associated with these conditions points out early diagnosis and immediate treatment important because of the potential risk of death associated with both clinical conditions
Descritores: Síndrome do QT Longo
Taquicardia Ventricular
Período Periparto
Cardiomiopatias/diagnóstico
-Síncope
Fatores de Risco
Torsades de Pointes
Eletrocardiografia/métodos
Frequência Cardíaca
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt



página 1 de 227 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde