Base de dados : LILACS
Pesquisa : E01.789 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 6234 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 624 ir para página                         

  1 / 6234 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-787896
Autor: Lopes, Felipe de Lucena Moreira; Coelho, Fabricio Ferreira; Kruger, Jaime Arthur Pirolla; Fonseca, Gilton Marques; Araujo, Raphael Leonardo Cunha de; Jeismann, Vagner Birk; Herman, Paulo.
Título: Influence of hepatocellular carcinoma etiology in the survival after resection / Influência da causa do carcinoma hepatocelular na sobrevida de pacientes após ressecção
Fonte: ABCD arq. bras. cir. dig;29(2):105-108tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Background: Hepatocellular carcinoma (HCC) is the most frequent type of primary liver cancer and its incidence is increasing around the world in the last decades, making it the third cause of death by cancer in the world. Hepatic resection is one of the most effective treatments for HCC with five-year survival rates from 50-70%, especially for patients with a single nodule and preserved liver function. Some studies have shown a worse prognosis for HCC patients whose etiology is viral. That brings us to the question about the existence of a difference between the various causes of HCC and its prognosis. Aim: To compare the prognosis (overall and disease-free survival at five years) of patients undergoing hepatectomy for the treatment of HCC with respect to various causes of liver disease. Method: Was performed a review of medical records of patients undergoing hepatectomy between 2000 and 2014 for the treatment of HCC. They were divided into groups according to the cause of liver disease, followed by overall and disease-free survival analysis for comparison. Results: There was no statistically significant difference in the outcomes of the groups of patients divided according to the etiology of HCC. Overall and disease-free survival at five years of the patients in this sample were 49.9% and 40.7%, respectively. Conclusion: From the data of this sample, was verified that there was no prognostic differences among the groups of HCC patients of the various etiologies.

RESUMO Racional: O carcinoma hepatocelular (CHC) é o mais frequente tipo de câncer primário do fígado e a sua incidência vem aumentando nas últimas décadas, tornando-o hoje a terceira causa de morte por câncer no mundo. A ressecção hepática é um dos tratamentos mais eficazes para ele com taxas de sobrevida em cinco anos de 50-70%, especialmente para pacientes com nódulo único e função hepática preservada. Alguns estudos mostraram pior prognóstico para os pacientes com CHC cuja causa é a infecção por vírus B ou C. Isso leva à questão sobre a existência de possível diferença entre as diversas causas e o prognóstico. Objetivo: Comparar o prognóstico (sobrevida global e livre de doença em cinco anos) de pacientes submetidos à hepatectomia para o tratamento do CHC com relação às diversas causas da hepatopatia. Método: Foi realizado levantamento de prontuários dos pacientes submetidos à hepatectomia entre 2000 e 2014 para tratamento de CHC. Eles foram divididos em grupos de acordo com a causa da hepatopatia, sendo feita análise de sobrevida para comparação. Resultados: Não houve diferença estatisticamente significante de prognóstico entre os grupos de pacientes divididos conforme a causa do CHC. A sobrevida global e livre de doença em cinco anos foi de 49.9% e 40.7%, respectivamente. Conclusão: Pôde-se constatar que não houve diferença em relação ao prognóstico entre os grupos de pacientes das diversas causas de CHC.
Descritores: Carcinoma Hepatocelular/cirurgia
Carcinoma Hepatocelular/mortalidade
Hepatectomia
Neoplasias Hepáticas/cirurgia
Neoplasias Hepáticas/mortalidade
-Prognóstico
Taxa de Sobrevida
Carcinoma Hepatocelular/etiologia
Neoplasias Hepáticas/etiologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 6234 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-796939
Autor: Tustumi, Francisco; Kimura, Cintia Mayumi Sakurai; Takeda, Flavio Roberto; Uema, Rodrigo Hideki; Salum, Rubens Antônio Aissar; Ribeiro-Junior, Ulysses; Cecconello, Ivan.
Título: Prognostic factors and survival analysis in esophageal carcinoma / Fatores prognósticos e análise de sobrevida no carcinoma esofágico
Fonte: ABCD arq. bras. cir. dig;29(3):138-141, July-Sept. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Background: Despite recent advances in diagnosis and treatment, esophageal cancer still has high mortality. Prognostic factors associated with patient and with disease itself are multiple and poorly explored. Aim: Assess prognostic variables in esophageal cancer patients. Methods: Retrospective review of all patients with esophageal cancer in an oncology referral center. They were divided according to histological diagnosis (444 squamous cell carcinoma patients and 105 adenocarcinoma), and their demographic, pathological and clinical characteristics were analyzed and compared to clinical stage and overall survival. Results: No difference was noted between squamous cell carcinoma and esophageal adenocarcinoma overall survival curves. Squamous cell carcinoma presented 22.8% survival after five years against 20.2% for adenocarcinoma. When considering only patients treated with curative intent resection, after five years squamous cell carcinoma survival rate was 56.6 and adenocarcinoma, 58%. In patients with squamous cell carcinoma, poor differentiation histology and tumor size were associated with worse oncology stage, but this was not evidenced in adenocarcinoma. Conclusion: Weight loss (kg), BMI variation (kg/m²) and percentage of weight loss are factors that predict worse stage at diagnosis in the squamous cell carcinoma. In adenocarcinoma, these findings were not statistically significant.

RESUMO Racional: Apesar dos avanços recentes nos métodos diagnósticos e tratamento, o câncer de esôfago mantém alta mortalidade. Fatores prognósticos associados ao paciente e ao câncer propriamente dito são pouco conhecidos. Objetivo: Investigar variáveis prognósticas no câncer esofágico. Métodos: Pacientes diagnosticados entre 2009 e 2012 foram analisados e subdivididos de acordo com tipo histológico (444 carcinomas espinocelulares e 105 adenocarcinomas), e então características demográficas, anatomopatológicas e clínicas foram analisadas. Resultados: Não houve diferença entre os dois tipos histológicos na sobrevida global. Carcinoma espinocelular apresentou sobrevida de 22,8% em 5 anos, contra 20,2% de adenocarcinoma. Quando considerado somente os tratados com operação com intenção curativa, sobrevida em cinco anos foi de 56,6% para espinocelular e 58% para adenocarcinoma. Para o subtipo espinocelular, tumores pouco diferenciados e extensão tumoral mostraram associação com pior estadiamento oncológico, o que não foi verificado para adenocarcinoma. Conclusão: Perda de peso, variação de IMC e porcentagem de perda de peso foram fatores associados ao pior estadiamento oncológico para espinocelular, o que não se confirmou para adenocarcinoma.
Descritores: Neoplasias Esofágicas/mortalidade
Carcinoma de Células Escamosas/mortalidade
Adenocarcinoma/mortalidade
-Prognóstico
Análise de Sobrevida
Taxa de Sobrevida
Estudos Retrospectivos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 6234 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-837559
Autor: Almeida, Ricardo Vitor Silva de; Pacheco-Jr, Adhemar Monteiro; Silva, Rodrigo Altenfelder; Moricz, André de; Campos, Tércio de.
Título: Angiolymphatic invasion as a prognostic fator in resected N0 pancreatic adenocarcinoma / Invasão angiolinfática como um fator prognóstico no adenocarcinoma pancreático ressecado N0
Fonte: ABCD arq. bras. cir. dig;30(1):42-46, Jan.-Mar. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Background: Pancreatic adenocarcinoma remains one of the worst digestive cancers. Surgical resection is the main target when treating a patient with curative intent. Aim: To assess angiolymphatic invasion as a prognostic factor in resected pN0 pancreatic cancer. Methods: Thirty-eight patients were submitted to pancreatoduodenectomy due to head pancreatic cancer. Tumor size, margins, lymph nodes, pTNM staging, angiolymphatic and perineural invasion were described in the pathologists' reports. Results: Most patients were female. Overall median survival was 13 months. Gemcitabine was the regimen of choice for chemotherapy in selected patients; however, it did not improve overall survival. pR0 resection had better survival compared with pR1. Within the pN0 group, survival was significantly better in patients without angiolymphatic invasion. Conclusion: Angiolymphatic invasion in N0 pancreatoduodenectomy can be demonstrated by the Hematoxylin-Eosin stain and may predict a poor prognosis factor for those patients.

RESUMO Racional: Adenocarcinoma pancreático continua sendo um dos piores cânceres do aparelho digestivo. A ressecção cirúrgica é o principal objetivo quando se trata de intenção curativa. Objetivo: Avaliar a invasão angiolinfática como um fator prognóstico no câncer da cabeça do pâncreas ressecado pN0. Método: Trinta e oito pacientes foram submetidos a duodenopancreatectomia por câncer da cabeça do pâncreas. Tamanho do tumor, margens, linfonodos, estadiamento pTNM, invasão angiolinfática e perineural foram descritos nos laudos anatomopatológicos. Resultados: A maioria foi de mulheres. A sobrevida mediana global foi de 13 meses. Gencitabina foi a droga de escolha para quimioterapia nos pacientes selecionados, entretanto não aumentou a sobrevida global. Pacientes com ressecção pR0 tiveram sobrevida global superior quando comparados com ressecção pR1. Dentro do grupo de pacientes com pN0, a sobrevida foi significativamente melhor no grupo de pacientes que não apresentavam invasão angiolinfática. Conclusão: A invasão angiolinfática da duodenopancreatectomia N0 pode ser demonstrada utilizando apenas a hematoxilina-eosina e pode predizer prognóstico ruim para estes pacientes.
Descritores: Neoplasias Pancreáticas/cirurgia
Neoplasias Pancreáticas/patologia
Adenocarcinoma/cirurgia
Adenocarcinoma/patologia
-Prognóstico
Estudos Retrospectivos
Neoplasias Vasculares/secundário
Metástase Linfática
Invasividade Neoplásica
Estadiamento de Neoplasias
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 6234 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-837562
Autor: Del Grande, Leonardo de Mello; Leme, Luis Fernando Paes; Marques, Francisco Pimenta; Ramos, Andressa Teruya; Ramos, Paula Teruya; Souza, Felipe Araújo de.
Título: Prevalence and predictors of changes in bowel habits after laparoscopic cholecystectomy / Prevalência e preditores de alterações do hábito intestinal pós-colecistectomia videolaparoscópica
Fonte: ABCD arq. bras. cir. dig;30(1):3-6, Jan.-Mar. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Background: The incidence of cholecystolithiasis is approximately 15% of the population. It is believed that between 30-40% of cholecystectomy patients have symptoms after surgery, being changes in bowel habits the most common among them. Aim: 1) Defining the prevalence, and 2) identifying predictors of changes in bowel habits after laparoscopic cholecystectomy. Methods: This is a retrospective cross-sectional study with an initial sample of 150 patients diagnosed with cholecystolithiasis operated between July and September 2014. Patients were submitted to a questionnaire about the presence of gastrointestinal symptoms and changes in stools consistency before and after the surgical procedure. They were divided into two groups (with or without changes in bowel habits) being combined with the following variables: high blood pressure, body mass index, hypothyroidism, adherence to postoperative dietary orientations, previous abdominal and bariatric surgery. Results: The prevalence of changes in bowel habits in the study population was 35.1%. The association between it and gastrointestinal symptoms was demonstrated to be statistically significant (‰2=7.981; p=0.005), and people who did not have gastrointestinal symptoms had 2.34 times the odds of not presenting changes in bowel habits. None of the other investigated factors had shown to be a predictor of risk for post-cholecystectomy changes in bowel habits. Conclusion: 1) There was a high prevalence of changes in bowel habits, and 2) there was association between changes in bowel habits and the presence of gastrointestinal symptoms.

RESUMO Racional: A incidência da colecistopatia calculosa é de aproximadamente 15% da população brasileira. Acredita-se que entre 30-40% dos pacientes colecistectomizados apresentem sintomas pós-operatório, sendo a alteração do hábito intestinal o mais comum. Objetivo: 1) Determinar a prevalência, e 2) identificar preditores de mudanças do hábito intestinal pós-colecistectomia videolaparoscópica. Métodos: Estudo transversal retrospectivo com amostra inicial de 150 pacientes diagnosticados com colecistopatia calculosa, operados entre julho e setembro de 2014. Os pacientes foram submetidos a um questionário sobre a presença de sintomas gastrointestinais após a operação, e a alterações do aspecto das fezes antes e depois do procedimento. A amostra foi dividida em dois grupos (com ou sem mudanças do hábito intestinal) sendo realizadas associações com as seguintes variáveis: hipertensão arterial, IMC, hipotireoidismo, seguimento de dieta no pós-operatório, operação abdominal prévia e operação bariátrica. Resultados: A prevalência de mudanças do hábito intestinal na população estudada foi de 35,1%. A associação entre elas e sintomas gastrointestinais demonstrou-se estatisticamente significativa (‰2=7,981; p=0,005), sendo que as pessoas que não apresentavam os sintomas tinham 2,34 vezes mais chances de não apresentarem mudanças do hábito intestinal. Nenhum dos demais fatores investigados demonstrou ser preditor de risco para mudanças do hábito intestinal pós-colecistectomia. Conclusões: 1) Observou-se alta prevalência de mudanças do hábito intestinal, e 2) houve associação entre mudança do hábito intestinal e a presença de sintomas gastrointestinais.
Descritores: Complicações Pós-Operatórias/epidemiologia
Colecistectomia Laparoscópica
Defecação
Gastroenteropatias/epidemiologia
-Prognóstico
Prevalência
Estudos Transversais
Estudos Retrospectivos
Autoavaliação Diagnóstica
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 6234 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-885704
Autor: Nahas, Sergio Carlos; Nahas, Caio Sergio; Bustamante-Lopez, Leonardo Alfonso; Pinto, Rodrigo Ambar; Marques, Carlos Frederico Sparapan; Campos, Fabio Guilherme; Cecconello, Ivan.
Título: Prognostic factors for left colectomy for colon cancer: a ten years experience of a single university institution / Fatores prognósticos da colectomia esquerda para câncer de cólon: experiência de dez anos de uma instituição universitária
Fonte: ABCD arq. bras. cir. dig;30(2):103-107, Apr.-June 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Background: Colorectal cancer is the third most common cancer in the world. In Brazil, it is the leading cause of cancer in the gastrointestinal tract. Aim: To evaluate the preoperative, perioperative, and postoperative risk factors for recurrence and overall survival of patients with left colon cancer operated during a ten-year period. Methods: Patients with left colon cancer surgically treated underwent clinical preoperative workout and cancer staging. The following factors were studied: gender, age, tumor location, T stage, lymph node yield, N stage, M stage, histological type, and tumor differentiation. It was analyzed the influence in five-year overall survival. Results: A total of 173 patients underwent left colectomy for colon cancer. There was a slight predominance of male gender with 50.9%. The mean age was 60.8 years old. Fifteen (8.7%) tumors were located at splenic flexure, 126 (72.8%) at sigmoid colon, and 32 (18.5%) at descending colon. The median length of hospital stay was seven days. Mean survival was 47.5 months. At 60 months seven patients (4%) lost follow-up, 38 patients (21.9%) deceased and 135 patients (78%) were alive. Overall survival time was 48 months. Conclusion: Advanced stages (T3-T4, N+ and M+) were the only factors associated with poor long term survival in left colon cancer.

RESUMO Racional: O câncer colorretal é o terceiro câncer mais comum no mundo. No Brasil é a principal causa no trato gastrointestinal. Objetivo: Avaliar os fatores de riscos pré, peri e pós-operatório para recorrência e sobrevida global de pacientes com câncer de cólon esquerdo operado durante um período de dez anos. Métodos: Os pacientes com câncer de cólon esquerdo operados foram retrospectivamente avaliados. Os seguintes fatores foram estudados: gênero, idade, localização do tumor, estádio T, número de linfonodos, estágio N, estágio M, tipo histológico e diferenciação tumoral. Foi analisada a influência desses fatores na sobrevida global de cinco anos. Resultados: 173 pacientes foram submetidos à colectomia para câncer de cólon esquerdo. O gênero masculino predominou com 50,9%. A média de idade foi de 60,8 anos. Quinze (8,7%) tumores foram localizados no ângulo esplênico, 126 (72,8%) no sigmóide e 32 (18,5%) e no descendente. A média do tempo de internação foi de sete dias. A sobrevida média foi de 47,5 meses. Aos 60 meses sete doentes (4%) perderam o seguimento, 38 (21,9%) faleceram e 135 (78%) estavam vivos. O tempo de sobrevida global foi de 48 meses. Conclusão: Os estádios avançados (T3-T4, N e M+) foram os únicos fatores associados à menor sobrevida em longo prazo em câncer de cólon esquerdo.
Descritores: Colectomia/métodos
Neoplasias do Colo/cirurgia
-Prognóstico
Fatores de Tempo
Taxa de Sobrevida
Estudos Retrospectivos
Fatores de Risco
Neoplasias do Colo/mortalidade
Hospitais Universitários
Recidiva Local de Neoplasia/epidemiologia
Limites: Humanos
Masculino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 6234 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1019807
Autor: Santana, Natália de Moraes; Mendes, Roberta Maria Lins; Silva, Nadja Fernandes da; Pinho, Cláudia Porto Sabino.
Título: Sarcopenia and sarcopenic obesity as prognostic predictors in hospitalized elderly patients with acute myocardial infarction / Relação entre sarcopenia e obesidade sarcopênica como preditores de prognóstico em pacientes idosos hospitalizados com infarto agudo do miocárdio
Fonte: Einstein (Säo Paulo);17(4):eAO4632, 2019. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective: To investigate the potential value of sarcopenia and sarcopenic obesity as prognostic predictors in hospitalized elderly patients with acute myocardial infarction. Methods: A cross-sectional study based on data collected from elderly patients with acute myocardial infarction, admitted to a public hospital located in the Northeastern region of Brazil, from April to July 2015. The diagnosis of sarcopenia was based on muscle mass, muscle strength and physical performance measurements. Cardiovascular risk and prognostic markers, such as troponin and creatine kynase MB isoenzyme values, acute myocardial infarction classification according to ST segment elevation, and thrombolysis in myocardial infarction score were used. Results: The sample comprised 99 patients with mean age of 71.6 (±7.4) years. Prevalence of sarcopenia and sarcopenic obesity was 64.6% and 35.4%, respectively. Sarcopenia was more prevalent among males (p=0.017) aged >80 years (p=0.008). Thrombolysis in myocardial infarction was the only marker of cardiovascular risk significantly associated with sarcopenia (p=0.002). Conclusion: Prevalence of sarcopenia was high and associated with thrombolysis in myocardial infarction risk score. Sarcopenic obesity affected approximately one-third of patients and was not associated with any of the prognostic predictors.

RESUMO Objetivo: Verificar a relação entre sarcopenia e obesidade sarcopênica como preditores de prognóstico em pacientes idosos com infarto agudo do miocárdio internados. Métodos: Estudo transversal envolvendo pacientes idosos com infarto agudo do miocárdio, hospitalizados no período de abril a julho de 2015, em serviço público, no Nordeste brasileiro. A sarcopenia foi determinada por meio das medidas de massa muscular, força muscular e desempenho físico. Foram utilizados os marcadores de risco cardiovascular e de prognóstico, como os valores de troponina e da isoenzima MB da creatinina quinase, classificação do infarto agudo do miocárdio de acordo com a elevação do segmento ST e o escore de risco de trombólise em infarto do miocárdio. Resultados: Foram avaliados 99 pacientes, com média de idade de 71,6 (±7,4) anos. Verificou-se prevalência de sarcopenia de 64,6% e 35,4% de obesidade sarcopênica. A sarcopenia foi mais prevalente no sexo masculino (p=0,017), na faixa etária >80 anos (p=0,008). Dentre os marcadores de risco cardiovascular, apenas o escore de risco trombólise em infarto do miocárdio esteve estatisticamente associado à sarcopenia (p=0,002). Conclusão: A prevalência da sarcopenia foi elevada e se associou com o escore de risco de trombólise em infarto do miocárdio. A obesidade sarcopênica acometeu cerca de um terço dos pacientes e não se associou a nenhum parâmetro preditor prognóstico.
Descritores: Força Muscular/fisiologia
Sarcopenia/complicações
Atividade Motora/fisiologia
Infarto do Miocárdio/etiologia
Obesidade/complicações
-Prognóstico
Biomarcadores/sangue
Avaliação Geriátrica
Estudos Transversais
Valor Preditivo dos Testes
Fatores de Risco
Sarcopenia/fisiopatologia
Pessoa de Meia-Idade
Infarto do Miocárdio/fisiopatologia
Obesidade/fisiopatologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 6234 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Lederman, Henrique Manoel
Abib, Simone de Campos Vieira
Texto completo
Id: biblio-885719
Autor: Penazzi, Ana Cláudia Soares; Tostes, Vivian Siqueira; Duarte, Alexandre Alberto Barros; Lederman, Henrique Manoel; Caran, Eliana Maria Monteiro; Abib, Simone de Campos Vieira.
Título: Do the radiological criteria with the use of risk factors impact the forecasting of abdominal neuroblastic tumor resection in children? / Critérios radiológicos impactam a previsão de ressecabilidade em neuroblastomas abdominais na criança com o uso de fatores de risco?
Fonte: ABCD arq. bras. cir. dig;30(2):88-92, Apr.-June 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Background: The treatment of neuroblastoma is dependent on exquisite staging; is performed postoperatively and is dependent on the surgeon's expertise. The use of risk factors through imaging on diagnosis appears as predictive of resectability, complications and homogeneity in staging. Aim: To evaluate the traditional resectability criteria with the risk factors for resectability, through the radiological images, in two moments: on diagnosis and in pre-surgical phase. Were analyzed the resectability, surgical complications and relapse rate. Methods: Retrospective study of 27 children with abdominal and pelvic neuroblastoma stage 3 and 4, with tomography and/or resonance on the diagnosis and pre-surgical, identifying the presence of risk factors. Results: The mean age of the children was 2.5 years at diagnosis, where 55.6% were older than 18 months, 51.9% were girls and 66.7% were in stage 4. There was concordance on resectability of the tumor by both methods (INSS and IDRFs) at both moments of the evaluation, at diagnosis (p=0.007) and post-chemotherapy (p=0.019); In this way, all resectable patients by IDRFs in the post-chemotherapy had complete resection, and the unresectable ones, 87.5% incomplete. There was remission in 77.8%, 18.5% relapsed and 33.3% died. Conclusions: Resectability was similar in both methods at both pre-surgical and preoperative chemotherapy; preoperative chemotherapy increased resectability and decreased number of risk factors, where the presence of at least one IDRF was associated with incomplete resections and surgical complications; relapses were irrelevant.

RESUMO Racional: O tratamento do neuroblastoma é dependente de estadiamento primoroso, realizado no pós-cirúrgico e dependente da expertise do cirurgião. O uso de fatores de risco através da imagem ao diagnóstico surge como preditivo de ressecabilidade, complicações e homogeneidade no estadiamento. Objetivos: Avaliar o critério de ressecabilidade tradicional com os fatores de risco para ressecabilidade, através das imagens radiológicas, em dois momentos no diagnóstico e no pré-cirúrgico analisando a ressecabilidade, complicações cirúrgicas e índice de recidiva. Métodos: Estudo retrospectivo em 27 crianças com neuroblastoma estádios 3 e 4 em abdome e pelve, e com tomografia e/ou ressonância no diagnóstico e pré-cirúrgico, identificando-se a presença de fatores de risco. Resultados: A idade média das crianças foi de 2,5 anos ao diagnóstico, onde 55,6% estavam acima dos 18 meses, 51,9% eram meninas e 66,7% tinham estádio 4. Houve concordância da ressecabilidade do tumor pelos dois métodos avaliados (INSS e IDRFs) e em ambos os momentos da avaliação, ao diagnóstico (p=0,007) e pós-quimioterapia (p=0,019). Desta forma todos pacientes ressecáveis por IDRFs no pós-quimioterapia tiveram ressecção completa; já nos irressecáveis, 87,5% tiveram ressecção incompleta. Houve remissão em 77,8%, 18,5% recaíram e 33,3% morreram. Conclusões: Aressecabilidade foi semelhante em ambos os métodos tanto no diagnóstico como no pré-cirúrgico. A quimioterapia pré-operatória aumentou a ressecabilidade e diminuição do número de fatores de risco, onde a presença de ao menos um IDRF associou-se às ressecções incompletas e complicações cirúrgicas. As recidivas foram irrelevantes.
Descritores: Imageamento por Ressonância Magnética
Tomografia Computadorizada por Raios X
Neoplasias Abdominais/cirurgia
Neoplasias Abdominais/diagnóstico por imagem
Neuroblastoma/cirurgia
Neuroblastoma/diagnóstico por imagem
-Complicações Pós-Operatórias/etiologia
Prognóstico
Estudos Retrospectivos
Fatores de Risco
Medição de Risco
Recidiva Local de Neoplasia/diagnóstico por imagem
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Lactente
Pré-Escolar
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 6234 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Lameu, Edson Braga
Moreira, Luis Fernando
Texto completo
Id: biblio-885759
Autor: Poziomyck, Aline Kirjner; Corleta, Oly Campos; Cavazzola, Leandro Totti; Weston, Antonio Carlos; Lameu, Edson Braga; Coelho, Luisa Jussara; Moreira, Luis Fernando.
Título: Adductor pollicis muscle thickness and prediction of postoperative mortality in patients with stomach cancer / Espessura do músculo adutor do polegar e predição de mortalidade pós-operatória em pacientes com câncer gástrico
Fonte: ABCD arq. bras. cir. dig;31(1):e1340, 2018. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Background: Malnutrition is very prevalent in patients with gastric cancer and increases the risk of morbidity and mortality. Adductor pollicis muscle thickness (APMT) appears as an important objective, quick, inexpensive and noninvasive measure to assess the muscle compartment Aim: To compare APMT and other nutritional assessment methods and to correlate these methods with postoperative mortality Methods: Forty-four patients, 29 men and 15 women, mean age of 63±10.2 and ranging from 34-83 years, who underwent nine (20.5%) partial and 34 (77.3%) total gastrectomies due to stomach cancer (stage II to IIIa) were preoperatively assessed by Patient Generated Subjective Global Assessment (PG-SGA), anthropometry and laboratorial profile Results: APMT better predicted death (p<0.001) on both, dominant and non-dominant hand, and well correlated with albumin (p=0.039) and PG-SGA (p=0.007) Conclusion: APMT clearly allowed to determine malnutrition and to predict risk of death in patients with gastric cancer.

RESUMO Racional: A desnutrição é muito prevalente em pacientes com câncer gástrico e aumenta o risco de morbidade e mortalidade. A espessura do músculo adutor do polegar (APMT) aparece como uma importante medida objetiva, rápida, barata e não invasiva para avaliar o compartimento muscular. Objetivo: O objetivo deste estudo foi comparar a APMT e outros métodos de avaliação nutricional e correlacionar esses métodos com a mortalidade pós-operatória. Métodos: Quarenta e quatro pacientes, 29 homens e 15 mulheres; média (SD) de 63 anos (10,2) e variando de 34 a 83 anos, que foram submetidos a 9 (20,5%) gastrectomias parciais e 34 (77,3%) totais por câncer de estômago (Estágio II a IIIa) e avaliados no pré operatório por Avaliação Subjetiva Global Produzida Pelo Paciente (PG-SGA), antropometria e perfil laboratorial. Resultados: APMT melhor predisse morte (p<0,001) em ambas mãos, dominante e não-dominante, e se correlacionou bem com albumina (p=0,039) e PG-SGA (p=0,007). Conclusão: APMT permitiu claramente determinar a desnutrição e prever o risco de morte em pacientes com câncer gástrico.
Descritores: Neoplasias Gástricas/cirurgia
Neoplasias Gástricas/mortalidade
Avaliação Nutricional
Músculo Esquelético/anatomia & histologia
-Tamanho do Órgão
Período Pós-Operatório
Prognóstico
Polegar
Estudos Prospectivos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 6234 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1291155
Autor: García, Ana María; Sánchez , William.
Título: Adenocarcinoma indiferenciado como factor predictor de metástasis ganglionares en cáncer gástrico / Undifferentiated adenocarcinoma as a predictor of lymph nodemetastases in gastric cancer
Fonte: Rev. colomb. cir;36(4):620-625, 25082021. fig, tab.
Idioma: es.
Resumo: Introducción. El grado de diferenciación celular en el estudio histopatológico del adenocarcinoma gástrico está descrito como un factor pronóstico determinante en el comportamiento clínico del tumor. El adenocarcinoma gástrico indiferenciado es considerado una variante agresiva de mal pronóstico, que se correlaciona con una alta tasa de metástasis ganglionares. Métodos. Estudio prospectivo descriptivo de una serie de casos en el cual se analizan los pacientes con adenocarcinoma gástrico indiferenciado, que fueron llevados a cirugía radical con gastrectomía y linfadenectomía DII y su correlación con la presencia de metástasis ganglionares en un período de dos años. Resultados. De enero de 2018 a enero de 2020 se recolectaron en la base de datos 113 pacientes con adenocarcinoma gástrico a quienes se les practicó gastrectomía total, disección ganglionar DII y reconstrucción esofagoyeyunal termino lateral con técnica de Orr más Y de Roux. Fueron clasificados histológicamente como adenocarcinoma gástrico indiferenciado 41 pacientes (36,3 %). La edad promedio de este grupo fue de 56 años con un rango entre 28-92 años. De ellos 30 fueron hombres (73 %) y 11 mujeres (27 %). El número promedio de ganglios linfáticos analizados por espécimen fue de 24. De los 41 pacientes con adenocarcinoma gástrico indiferenciado, 35 (85 %) tuvieron metástasis ganglionares, con 382 ganglios positivos en total, con un rango entre 1-38 y un promedio de 11 ganglios linfáticos positivos por espécimen. Discusión. En esta serie el adenocarcinoma gástrico indiferenciado se presentó en el 36,3 % de los casos y se correlacionó con un 85 % de presencia de metástasis ganglionares en estadios T3-T4

Introduction. The degree of cellular differentiation in the histopathological study of gastric adenocarcinoma is described as a determining prognostic factor in the clinical behavior of the tumor. Undifferentiated gastric adenocarcinoma is considered an aggressive variant with a poor prognosis, which is correlated with a high rate of lymph node metastasis.Methods. Descriptive prospective study of a series of cases in which patients with undifferentiated gastric adenocarcinoma who underwent radical surgery with DII gastrectomy and lymphadenectomy and their correlation with the presence of lymph node metastases in a period of two years. Results. From January 2018 to January 2020, 113 patients with gastric adenocarcinoma were collected in the database who underwent total gastrectomy, DII lymph node dissection and end-to-side esophagojejunal reconstruction with the Orr plus Roux-en-Y technique. Forty-one patients (36.3%) were histologically classified as undifferentiated gastric adenocarcinoma. The average age of this group was 56 years with a range between 28-92 years. Of these, 30 were men (73%) and 11 women (27%). The mean number of lymph nodes analyzed per specimen was 24. Of the 41 patients with undifferentiated gastric adenocarcinoma, 35 (85%) had lymph node metastases, with 382 positive nodes in total, with a range between 1-38 and a mean of 11 positive lymph nodes per specimen. Discussion. In this series, undifferentiated gastric adenocarcinoma occurred in 36.3% of cases and was correlated with 85% of the presence of lymph node metastases in T3-T4
Descritores: Prognóstico
Neoplasias Gástricas
-Adenocarcinoma
Diferenciação Celular
Metástase Neoplásica
Limites: Humanos
Responsável: CO113


  10 / 6234 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1056071
Autor: Szor, Daniel José; Dias, André Roncon; Pereira, Marina Alessandra; Ramos, Marcus Fernando Kodama Pertille; Zilberstein, Bruno; Cecconello, Ivan; Ribeiro Júnior, Ulysses.
Título: Neutrophil-lymphocyte ratio change after curative gastrectomy for gastric cancer: a subgroup analysis / Evolução da relação neutrófilo-linfócito após gastrectomia curativa por câncer gástrico: análise de subgrupos
Fonte: Einstein (Säo Paulo);18:eAO4860, 2020. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective: To evaluate the impact of neutrophil-lymphocyte ratio change after curative surgery for gastric cancer. Methods: A retrospective analysis of patients with gastric cancer who underwent curative surgery between 2009 and 2017 was performed. A cutoff value was established for the neutrophil-lymphocyte ratio in the pre- and postoperative periods, according to the median value, and four subgroups were formed (low-low/low-high/high-low/high-high). Clinical-pathological and survival data were analyzed and related to these subgroups. Results: A total of 325 patients were included in the study. The cutoff values of the neutrophil-lymphocyte ratio were 2.14 and 1.8 for the pre and postoperative periods, respectively. In patients with stages I and II, the high-high subgroup presented worse overall survival (p=0.016) and disease-free survival (p=0.001). Complications were higher in the low-high subgroup of patients. Conclusion: The neutrophil-lymphocyte ratio is a low cost, efficient and reproducible marker. The prognosis individualization can be performed according to the identification of subgroups at a higher risk of complications and worse prognosis.

RESUMO Objetivo: Avaliar o impacto da alteração da relação neutrófilo-linfócito após ressecção curativa por câncer gástrico. Métodos: Realizou-se análise retrospectiva de pacientes com câncer gástrico submetidos à gastrectomia curativa entre 2009 e 2017. Foi estabelecido valor de corte para a relação neutrófilo-linfócito nos períodos pré e pós-operatório de acordo com a mediana, e quatro subgrupos foram formados (baixo-baixo/baixo-alto/alto-baixo/alto-alto). Dados clínicos e patológicos e de sobrevida foram analisados e relacionados com estes subgrupos. Resultados: Foram incluídos no estudo 325 pacientes. Os valores de corte para a relação neutrófilo-linfócito foram 2,14 e 1,8 para os períodos pré e pós-operatório, respectivamente. Em pacientes com estádios I e II, o subgrupo alto-alto apresentou pior sobrevida global (p=0,016) e sobrevida livre de doença (p=0,001). As complicações ocorreram mais em pacientes do subgrupo baixo-alto. Conclusão: A relação neutrófilo-linfócito é um marcador de baixo custo, eficiente e reprodutível. A individualização do prognóstico pode ser realizada de acordo com a identificação de subgrupos com maior risco de complicações e pior prognóstico.
Descritores: Neoplasias Gástricas/patologia
Linfócitos/patologia
Neutrófilos/patologia
-Período Pós-Operatório
Prognóstico
Neoplasias Gástricas/cirurgia
Biomarcadores
Estudos Retrospectivos
Contagem de Linfócitos
Gastrectomia
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Idoso
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 624 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde