Base de dados : LILACS
Pesquisa : E02.041.625.790.520 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 18 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 2 ir para página        

  1 / 18 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-644514
Autor: Zanoni, Camila Tatiana; Rodrigues, Camila Mendes Castanho; Mariano, Daniele; Suzan, Ana Beatriz Biagioli Manoel; Boaventura, Luiz Carlos; Galvão, Fábio.
Título: Efeitos do treinamento muscular inspiratório em universitários tabagistas e não tabagistas / Inspiratory muscle training effects in smokers and nonsmokers university students
Fonte: Fisioter. pesqui;19(2):147-152, abr.-jun. 2012. tab.
Idioma: pt.
Resumo: O hábito de fumar pode reduzir a capacidade aeróbica, aumentar a resistência ao fluxo aéreo e afetar a função dos músculos respiratórios. O objetivo deste estudo foi comparar os efeitos do Treinamento Muscular Inspiratório (TMI) entre dois grupos: tabagistas e não tabagistas. Participaram 44 voluntários universitários, divididos em dois grupos: tabagistas (GT), composto por 20 indivíduos (25,60±7,01 anos) e não tabagistas, constituindo o Grupo Controle (GC), composto por 24 voluntários (24,08±7,52 anos). Ambos os grupos foram submetidos ao TMI, por meio do uso do manovacuômetro aneroide, com duração de 6 semanas, sendo 3 sessões semanais, totalizando 18 sessões. Os resultados mostraram diferença estatisticamente significativa (p<0,05) pós-TMI no GC para as variáveis: Pressão Inspiratória Máxima (PImáx), Pico de Fluxo Expiratório (PFE), Pressão Arterial Média ao repouso (PAM pré-TC6) e Teste de Caminhada de Seis Minutos (TC6). No GT, houve diferença estatisticamente significativa pós-TMI para as variáveis: PImáx, PFE, TC6 e saturação periférica de oxigênio após o TC6 (SpO2 pós-imediata). A comparação das médias das variáveis entre GT e GC mostrou diferença estatisticamente significativa no pós-TMI para as variáveis PImáx e PFE. A variável TC6 não apresentou diferença estatisticamente significativa. Conclui-se que o TMI proporcionou um aumento significativo da força muscular inspiratória, melhora da função pulmonar e melhora do desempenho físico nos indivíduos estudados.

Cigarette smoking may reduce the aerobic capacity, increase resistance to air flow and affect the function of the respiratory muscles. The aim of this study was to compare the effects of Inspiratory Muscle Training (IMT) between two groups: smokers and nonsmokers. Participated 44 college volunteers, divided into two groups: smokers (SG), composed of 20 individuals (25,60±7,01 years) and nonsmokers, constituting the Control Group (CG), composed of 24 volunteers (24,08±7,52 years). Both groups were submitted to TMI, through the use of the aneroid manometer, with duration of 6 weeks, being 3 sessions per week, totaling 18 sessions. The results showed differences statistically significant (p<0.05) post TMI in CG for the variables: Maximal Inspiratory Pressure (MIP), Peak Expiratory Flow (PEF), average arterial pressure in rest (PAM pre-6MWT) and six minute walk test (6MWT). In SG, there was statistically significant difference post TMI for the variables: MIP, PEF, 6MWT and peripheral oxygen saturation after 6MWT (post-immediate SpO2). The comparison of averages of the variables between SG and CG show statistically significant difference post TMI for the variables MIP and PEF. The variable 6MWT not presented statistically significant difference. We conclude that the IMT resulted in a significant increase in inspiratory muscle strength, improve lung function and improve physical performance in subjects studied.
Descritores: Exercícios Respiratórios/efeitos adversos
Fumar/métodos
Pico do Fluxo Expiratório
Testes de Função Respiratória
Músculos Respiratórios
Abandono do Uso de Tabaco
Caminhada
-Grupos Controle
Respiração com Pressão Positiva Intermitente
Força Muscular
Modalidades de Fisioterapia
Terapia Respiratória
Espirometria
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Responsável: BR66.1 - Divisão de Biblioteca e Documentação


  2 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-546637
Autor: Battagin, Adriana Marques; Stipanich, Cassio; Stanzani, Vera; Rondelli, Rafaella Rezende; Corso, Simone Dal; Malaguti, Carla.
Título: Efeito da obesidade na função pulmonar de uma coorte de adolescentes de São Paulo / The effects of obesity on pulmonary function of adolescents in a group of São Paulo
Fonte: Fisioter. Bras;10(6):430-435, nov.-dez. 2009.
Idioma: pt.
Resumo: Alterações funcionais pulmonares têm sido amplamente demonstradas em adultos obesos. Em populações pediátricas esses dados são limitados e conflitantes. O objetivo deste estudo foi contrastar a função pulmonar de adolescentes obesos com eutróficos de uma população local. Este foi um estudo caso-controle envolvendo 14 adolescentes obesos (GO) e 18 adolescentes eutróficos (GE). Espirometria forçada e pressões respiratórias máximas foram obtidas dos voluntários. Nenhuma anormalidade foi observada entre os GO e GE em relação ao volume expiratório forçado no primeiro segundo (2,5 ± 0,12 L vs. 2,5 ± 0,13 L, p > 0,05) e para capacidade vital forçada (CVF) (2,73 ± 0,2 L vs. 2,85 ± 0,1 L, p = 0,09), respectivamente. Da mesma forma, para os valores de pressões inspiratórias máxima (PImáx) (94,0 ± 9,54 cmH2O vs. 96,1 ± 11,2 cmH2O, p > 0,05) e pressões expiratórias máximas (PEmáx) (94,2 ± 9,5 cmH2O vs. 99,8 ± 9,4 cmH2O, p = 0,08). Embora houvesse uma tendência do GO apresentar valores inferiores de CVF e PEmáx e também de PImáx quando comparados aos do GE, estes ainda estiveram dentro dos valores previstos.

In obese adults pulmonary function abnormalities are well reported. Similar data in the paediatric population are limited and conflicting. This study aimed to assess the effects of adolescent obesity on pulmonary function. It was a case-control study with 14 obese adolescents (OG) and 18 eutrophic (EG). Forced spirometry, maximal inspiratory pressures (MIP) and maximal expiratory pressures (MEP) values were obtained. There were no significance changes in values of OG and EG to forced expiratory volume in 1seg (2.5 ± 0.12 L vs. 2.5 ± 0.13 L, p > 0.05), forced vital capacity (FVC) (2.73 ± 0.2 L vs. 2.85 ± 0.1 L, p = 0.09), respectively. Similar observations were found in the MIP (94.0 ± 9.54 cmH2O vs. 96.1 ± 11.2 cmH2O, p > 0.05) and MEP values (94.2 ± 9.5 cmH2O vs. 99.8 ± 9.4 cmH2O, p = 0.08). Despite of OG has showed tendency to lower FVC and MEP and also MIP values as compared to EG, these values were within of predicted values.
Descritores: Capacidade Inspiratória
Respiração com Pressão Positiva Intermitente
Pneumopatias
Obesidade
Ventilação Pulmonar
Testes de Função Respiratória
Espirometria
Responsável: BR1561.1 - Biblioteca Virtual AMMG


  3 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: lil-540273
Autor: Reis, Leonardo de Andrade; Reis, Guilherme Fredterico Ferreira dos; Oliveira, Milton Roberto Marchi de.
Título: Vias aéreas e conteúdo gástrico no paciente obeso: [revisão] / The airways and gastric contents in obese patients: [review] / Vías aéreas y contenido gástrico en el paciente obeso: [revisión]
Fonte: Rev. bras. anestesiol;60(1):98-103, jan.-fev. 2010.
Idioma: en; pt.
Resumo: Justificativa e objetivos: O presente artigo teve como objetivo rever as referências bibliográficas e questionar o conceito de que o obeso deve ser considerado de estômago cheio, questionando, consequentemente, a forma como a via aérea deve ser abordada na indução da anestesia geral, considerada de difícil acesso devido à obesidade. Conteúdo: Classicamente, o paciente obeso é considerado de estômago cheio, levando a condutas protetoras das vias aéreas durante a indução da anestesia geral. Frequentemente, são realizadas intubações com o paciente acordado ou intubação de sequência rápida. Porém tal conceito baseia-se em um único trabalho da literatura, citado por diversos outros autores. O obeso também é considerado difícil de intubar, criando receio a respeito do sucesso da abordagem da via aérea. Os trabalhos da literatura, entretanto, contestam tais conceitos, o que leva ao questionamento das técnicas de acesso às vias aéreas. Conclusões: Os trabalhos da literatura mostram que o esvaziamento gástrico no obeso não é lentificado como se acreditava, assim como o conteúdo gástrico não é maior que no paciente não obeso; portanto, a intubação em plano anestésico pode ser realizada com segurança. Apesar de a obesidade, isoladamente, não causar falha na intubação, outros sinais podem ser usados para prever intubação difícil.

Background and objectives: The objective of this study was to review the literature and to question the concept that obese patients should be considered as having a potential full stomach and, therefore, question how the airways, considered as of difficult access due to obesity, should be approached during anesthetic induction. Contents: Classically, obese patients are viewed as having a potential full stomach, leading to conducts to protect the airways during anesthetic induction. Frequently, awake intubation or rapid sequence intubation is performed. However, this concept is based on a single study, which has been cited by other authors. Obese patients are also considered difficult to intubate, raising the concern on the successful approach of the airways. However, studies in the literature question this concept, leading to questioning of the techniques used to access the airways. Conclusions: Studies in the literature demonstrate that gastric emptying is not slowed in obese patients as previously believed, and gastric contents are not greater in this patient population; intubation can, therefore, be safely done after anesthesia. Although obesity alone does not lead to failure to intubate, other signs can be used to predict difficult intubations.

Justificativa y objetivos: El presente artículo tuvo el objetivo de analizar nuevamente las referencias bibliográficas y de cuestionar el concepto de que el obeso debe ser considerado como de estómago lleno, cuestionando, por tanto, la forma como la vía aérea debe ser abordada en la inducción de la anestesia general considerada de difícil acceso a causa de la obesidad. Contenido: Clásicamente, al paciente obeso se le considera como de estómago lleno, conllevando a conductas protectoras de las vías aéreas durante la inducción de la anestesia general. A menudo se realizan intubaciones con el paciente despierto o intubación de secuencia rápida. Sin embargo, tal concepto se basa en un solo trabajo de la literatura, citado por diversos autores. El obeso también se considera difícil de intubar, creando un recelo respecto del éxito del abordaje de la vía aérea. Los trabajos de la literatura, sin embargo, refutan tales conceptos, lo que nos lleva a cuestionar sobre las técnicas de acceso a las vías aéreas. Conclusiones: Los trabajos de la literatura muestran que el vaciamiento gástrico en el obeso no es lentificado como se creía, como también el contenido gástrico no es mayor que en el paciente no obeso, por lo tanto, la intubación en la anestesia puede ser realizada con seguridad. A pesar de que la obesidad aisladamente no cause una falla en la intubación, otras señales pueden ser usadas para prevenir la intubación difícil.
Descritores: Esvaziamento Gástrico/fisiologia
Respiração com Pressão Positiva Intermitente
Intubação Intratraqueal
Obesidade Mórbida/complicações
Respiração Artificial
-Literatura de Revisão como Assunto
Responsável: BR14.1 - Biblioteca Central


  4 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-498659
Autor: Almeida, Isabela Parra; Bertucci, Natália Roldan; Lima, Vanessa Pereira de.
Título: Variações da pressão inspiratória máxima e pressão expiratória máxima a partir da capacidade residual funcional ou da capacidade pulmonar total e volume residual em indivíduos normais / Variaciones de la presión inspiratoria máxima y de la presión espiratoria máxima desde la capacidad funcional residual o el volumen pulmonar total y el volumen residual en individuos normales / Variations of maximal inspiratory pressure and maximal expiratory pressure from residual functional capacity or total pulmonary capacity and residual volume in normal individuals
Fonte: Mundo saúde (Impr.) = Mundo saude (Impr);32(2):176-182, abr.-jun. 2008. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: O objetivo deste trabalho foi verificar se existe variação nos dois métodos distintos que auxiliam a avaliação da pressão inspiratória máxima (Pimax) e pressão expiratória máxima (Pemax). Recrutamos 41 indivíduos voluntários, tendo como critério de inclusão faixa etária de 20-59 anos, ambos os sexos, índice de massa corpórea 18 a 29,9 kg/m2 e critérios de exclusão: tabagistas, doenças pulmonares crônicas, infecções de vias aéreas superiores e inferiores no último ano, doenças neuromusculares, deformidades torácicas e IMC > 30 kg/m2. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética do CentroUniversitário São Camilo; os voluntários assinaram o termo de consentimento livre e esclarecido. Utilizou-se um manovacuômetro da marca Gerar, bocais, traquéias e clamp nasal de plástico. Observamos nos resultados de comparação entre as médias dos diferentes métodos p > 0,001 para a Pimax e Pemax. A média da Pimax a partir do VR e CRF foi, respectivamente, de 96,10 e 78,78 cm H2O, com um desvio-padrão de respectivamente 32,70 e 27,50 cm H2O. Entre Pemax, a partir da CPT e CRF, notou-se, respectivamente, uma média de 115,37 e 93,90 cm H2O, com um desvio-padrão de, respectivamente, 37,95 e 33,08 cm H2O. Houve diferença significativa dos valores obtidos da Pimax a partir da CRF e VR e da Pemax a partir da CRF e CPT, sendo que o método a partir da CRF subestima a Pimax em relação à medida feita a partir do VR, assim como subestima a Pemax em relação a CPT. Concluímos que um método não pode substituir o outro sem perda de informações.

The aim of this work was to verify if there exist variations in the two distinct methods that assist the evaluation of maximal inspiratory pressure (PImax) and maximal expiratory pressure (PEmax). We enlisted 41 voluntary individuals, both male and female, having as inclusion criteria age (20-59 years), body mass index (18-29,9 kg/m2) and exclusion criteria be a chronic smoker, having lung illnesses, thoracic infections of superior and inferior aerial ways in the last year, neuromuscular illnesses, deformities, and BMI > 30 kg/m2. The research was approved by the Committee of Ethics of the University Center São Camilo; the volunteers had signed the term of free and informed consent. We used a Gerar manuvacuometer, bocals, tracheas and plastic nasal clamps. We observe in results of the comparison of averages of the different methods p < 0.001 both for PImax and PEmax. PImax average from VR and CRF was, respectively, 96.10 and 78.78 cm H2O, with a standard deviation of respectively 32.70 and 27.50 cm H2O. Between Pemax, from CPT and CRF, it was noticed, respectively, a average of 115.37 and 93.90 cm H2O, with a standard deviation of, respectively, 37.95 and 33.08 cm H2O. There was a significant difference in PImax values from CRF and VR and those of PEmax from CRF and CPT, and the method based on CRF underestimates Imax in relation to the measure done with VR, as well as underestimates PEmax in relation to CPT. We conclude that a method cannot substitute the ther without loss of information.

Este trabajo intenciona verificar si existen variaciones en los dos métodos distintos que asisten a la evaluación de la presión inspiratoria máxima (PImax) y de la presión espiratoria máxima (PEmax). Alistamos a 41 individuos voluntarios, varones y hembras, teniendo como criterios de inclusión la edad (20-59 años), el índice de masa corporal (18-29.9 kilos/m2) y criterios de exclusión ser fumador crónico, tener enfermedades del pulmón, infeccionestorácicas de vías aéreas superiores e inferiores en el año anterior, enfermedades neuromusculares, deformidades, y IMC > 30 kilos/m2. La investigación fue aprobada por el Comité de Ética del Centro Universitario São Camilo; los voluntarios firmaran el Término de Consentimiento Previo, Libre e Informado. Utilizamos un manovacuómetro Gerar, bocales, traqueas y abrazaderas nasales plásticas. Observamos en los resultados de la comparación de las medias e los diferentes métodos p < 0.001 de PImax y de PEmax. La medio de PImax con VR y de CRF fue, respectivamente, 96.10 y 78.78 cm H2O, con una esviación estándar de respectivamente 32.70 y 27.50 cm H2O. Entre Pemax con CPT y CRF, fueran notadas, respectivamente, una media de 115.37 y 93.90 cm H2O, con una desviación estándar de, respectivamente, 37.95 y 33.08 cm H2O. Hubo una diferencia significativa en los valores de PImax con CRF y VR y de los de PEmax con CRF y CPT, y el método basado en CRF subestima la PImax en lo referente a la medida hecha con VR, así como subestima PEmax en lo referente a CPT. Concluimos que un método no puede substituir el otro sin la pérdida de información.
Descritores: Respiração com Pressão Positiva Intermitente
Respiração com Pressão Positiva
-Ventilação Voluntária Máxima
Responsável: BR599.1 - Coordenação Geral de Documentação e Informação (CGDI)


  5 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-496209
Autor: Vega-Briceño, Luis; Contreras, Ilse; Prado, Francisco.
Título: Evaluación respiratoria de la enfermedad neuromuscular en niños / Respiratory assessment of neuromuscular disease in children
Fonte: Neumol. pediátr;2(1):6-10, 2007. ilus.
Idioma: es.
Resumo: Las investigaciones en torno a la insuficiencia respiratoria secundaria a enfermedades neuromusculares (ENM) han experimentado un rápido desarrollo durante la última década. El progreso en el manejo de las complicaciones respiratorias no sólo ha mejorado la sobrevida sino la calidad de vida de muchos niños. La ventilación no invasiva (VNI) ha demostrado ser efectiva en reducir la morbilidad y mortalidad en pacientes con ENM, cambiado drásticamente el curso natural de algunas de ellas como la distrofia muscular de Duchenne. La determinación de la capacidad vital forzada puede predecir la aparición de complicaciones respiratorias en niños con distrofias musculares congénitas y atrofias musculares espinales. La VNI es un tratamiento reconocido como efectivo para el manejo a largo plazo de la insuficiencia respiratoria terminal. Existe evidencia que demuestra mejoría en los síntomas, calidad de vida y prevención de complicaciones respiratorias cuando la VNI se incorpora durante la presencia de hipoventilación nocturna incluso antes del desarrollo de insuficiencia respiratoria diurna. Se destaca la importancia de la evaluación respiratoria regular en las ENM, incluyendo estudios de sueño.
Descritores: Doenças Neuromusculares/fisiopatologia
Doenças Neuromusculares/terapia
Insuficiência Respiratória/fisiopatologia
Insuficiência Respiratória/terapia
Respiração com Pressão Positiva/métodos
-Doença Crônica
Doenças Neuromusculares/complicações
Hipoventilação/terapia
Respiração com Pressão Positiva Intermitente
Insuficiência Respiratória/etiologia
Músculos Respiratórios/fisiopatologia
Testes de Função Respiratória/métodos
Terapia Respiratória/instrumentação
Limites: Seres Humanos
Criança
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  6 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-469104
Autor: Mendes, R. G; Borghi-Silva, A.
Título: Eficácia da intervenção fisioterapêutica associada ou não à respiração por pressão positiva intermitente (RPPI) após cirurgia cardíaca com circulação extracorpórea / Efficacy of physiotherapy intervention associated to intermitent posiitive pressure breathing after cardiac surgery with cardiopulmonary bypass
Fonte: Fisioter. mov;19(4):73-82, out.-dez. 2006. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Este artigo objetivou avaliar as alterações na função pulmonar (FP) e força muscular respiratória (FMR)e eficácia de dois protocolos distintos em pacientes submetidos à cirurgia cardíaca (CC) com circulação extracorpórea (CEC). Método: 21 pacientes foram divididos em: GPPI (n=8), realizaram exercícios respiratórios com RPPI, associados à intervenção fisioterapêutica (IF); e GIF (n=13) realizaram somente IF. A FP foi avaliada pela espirometria no pré e 5º pós-operatório (PO) e a FMR pelas pressões respiratórias máximas (PImax e PEmax) no pré, 1º e 5º PO. O teste de Wilcoxon, Friedman e Man-Whitney foram utilizados para comparãções intra e intergrupos, respectivamente. Resultados: não foram observadas diferenças significativas nos parâmetros antropométricos, aspectos clínicos e cirúrgicos entre os grupos. Foram encontrados valores significativamente menores no 5º PO em comparação à situação pré-operatória no GIF para a capacidade vital (CV), capacidade vital forçada (CVF), volume expiratório forçado no 1º segundo (VEF1), pico de fluxo (PF) e fluxo expiratório forçado (PEF). No entanto, para GPPI apenas o VEF1 permaneceu significativamente reduzido após a intervenção (p<0,05). Para a PImax e PEmax observou-se redução do pré-operatório para o 1º PO em ambos os grupos. Porém, apenas a PEmax atingiu valores próximos aos dos pré-operatório até o 5ºPO em ambos os grupos, enquanto a PImax permaneceu significativamente reduzida no GIF. Na análise intergrupos não foram observadas diferenças significativas para nenhuma das variáveis analisadas. Conclusões: concluímos que pacientes submetidos à CC com CEC sofrem prejuízos na FP e FMR, e que nenhum dostratamentos aplicados (IF ou IF+RPPI) mostrou significante superioridade com relação ao outro.
Descritores: Exercícios Respiratórios
Circulação Extracorpórea
Respiração com Pressão Positiva Intermitente
Fisioterapia
Respiração Artificial
Cirurgia Torácica
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Meia-Idade
Responsável: BR16.1 - Biblioteca de Ciências da Saúde


  7 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: lil-460774
Autor: Romanini, Walmir; Muller, Andrea Pires; Carvalho, Katherine Athayde Teixeira de; Olandoski, Marcia; Faria-Neto, José Rocha; Mendes, Felipe Luiz; Sardetto, Evandro Antonio; Costa, Francisco Diniz Afonso da; Guarita-Souza, Luiz César.
Título: Os efeitos da pressão positiva intermitente e do incentivador respiratório no pós-operatório de revascularização miocárdica / The effects of intermittent positive pressure and incentive spirometry in the postoperative of myocardial revascularization
Fonte: Arq. bras. cardiol;89(2):105-110, ago. 2007. graf, tab.
Idioma: pt.
Resumo: FUNDAMENTO: As complicações pulmonares são causas freqüentes do aumento de morbi-mortalidade nos pacientes submetidos à cirurgia cardíaca. A fisioterapia respiratória tem auxiliado na recuperação destes pacientes. OBJETIVO: Analisar o efeito fisioterapêutico da aplicação da pressão positiva intermitente (RPPI) e do incentivador respiratório (IR) em pacientes submetidos a cirurgia de revascularização do miocárdio. MÉTODOS: Quarenta pacientes foram divididos em dois grupos: um submetido à aplicação do RPPI (n=20) e o outro ao IR (n=20). Os pacientes foram avaliados nos momentos: pré-operatório, 24ª, 48ª e 72ª horas de pós-operatório, sendo aplicados os recursos no período pós-operatório. Analisaram-se os seguintes parâmetros: saturação de oxigênio (SpO2), freqüência respiratória (FR), volume minuto (VM), volume corrente (VC), pressão inspiratória máxima (Pi máx) e pressão expiratória máxima (Pe máx). RESULTADOS: Nas variáveis demográficas e clínicas os grupos foram considerados homogêneos. No grupo submetido à aplicação com o RPPI identificou-se aumento da SpO2 na 48ª (p=0,007) e na 72ª horas (p=0,0001) quando comparado ao grupo IR. Nos parâmetros: FR, VM e VC na comparação entre os grupos não foram encontradas diferenças estatisticamente significativas. No grupo submetido ao IR a Pe máx na 24ª (p=0,02) e na 48ª (p=0,01) horas apresentaram um aumento significativo. CONCLUSÃO: Com o objetivo de reverter mais precocemente a hipoxemia, o RPPI mostrou-se mais eficiente em comparação ao IR; entretanto, para melhorar a força dos músculos respiratórios, o IR foi mais efetivo.

BACKGROUND: Pulmonary complications are important causes of morbidity and fatalities among patients subject to cardiac surgery. The respiratory physiotherapy has been aiding in the recovery of these patient ones. OBJECTIVE: To evaluate the physiotherapeutic effect of intermittent positive pressure breathing (IPPB) and incentive spirometry (IS) in patients submitted to myocardial revascularization surgery. METHODS: Forty patients were divided in two groups: one was submitted to IPPB (n=20) and the other to IS (n=20). The patients were evaluated at the preoperative period and 24, 48 and 72 hours postoperatively, with the resources being applied in the postoperative period. The following parameters were analyzed: oxygen saturation (SpO2), respiratory frequency (RF), minute volume (MV), current volume (CV), maximum inspiratory pressure (Ip max) and maximum expiratory pressure (Ep max). RESULTS: The groups were considered homogeneous regarding the demographic and clinical variables. In the group submitted to IPPB, an increase in SpO2 was observed 48 (p=0.007) and 72 h (p=0.0001) after surgery, when compared to the IS group. As for the RF, MV and CV variables, there were no statistically significant differences between the groups. The group submitted to IS showed a significant increase in the Epmax 24 (p=0.02) and 48 (p=0.01) h after surgery. CONCLUSION: Aiming at reversing hypoxemia earlier, IPPB showed to be more efficient when compared to IS; however, IS was more effective in improving respiratory muscle strength.
Descritores: Respiração com Pressão Positiva Intermitente
Revascularização Miocárdica
Espirometria/métodos
-Hipóxia/terapia
Revascularização Miocárdica/efeitos adversos
Oxigênio/sangue
Período Pós-Operatório
Cuidados Pré-Operatórios
Pressão
Estudos Prospectivos
Respiração
Músculos Respiratórios/fisiopatologia
Estatísticas não Paramétricas
Fatores de Tempo
Limites: Feminino
Seres Humanos
Masculino
Meia-Idade
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-424931
Autor: Mont'Alverne, Daniela Gardano Bucharles.
Título: A efetividade do exercício com pressão positiva intermitente e da pressão positiva expiratória final no pós-operatório de cirurgia de revascularização do miocárdio / The effectiveness of intermittent positive pressure breathing and positive end-expiratory pressure on the postoperative coronary artery bypass graft.
Fonte: São Paulo; s.n; 2005. [73] p. ilus, tab.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Medicina. Departamento de Cardio-Pneumologia. Disciplina de Pneumologia para obtenção do grau de Doutor.
Resumo: O objetivo do estudo foi analisar a efetividade do exercício com pressão positiva intermitente (RPPI), associado, ou não a pressão positiva expiratória final (PEEP) no pós-operatório de cirurgia de revascularização do miocárdio. Os pacientes foram divididos em 3 grupos com 20 pacientes em cada grupo: grupo I (sem pressão positiva), grupo II (RPPI+PEEP) e grupo III (RPPI). Os pacientes foram avaliados no pré-operatório e do 1º ao 6º pós-operatório (PO). A efetividade das técnicas foi avaliada pela espirometria, pressões respiratórias máximas, oximetria de pulso, escala analógica de dor e tomografia computadorizada (TC) de tórax. Nossos resultados mostram que os exercícios com RPPI junto a válvula de PEEP, promovem a recuperação mais rápida da função pulmonar e força muscular respiratória / The purpose of this present study were analyze the effectiveness of intermittent positive pressure breathing (IPPB) in association, or not to positive end-expiratory pressure (PEEP) on the postoperative of cardiopulmonary artery bypass grafting. The patients were randomly in 3 groups with 20 patients per group: first group (without positive pressure), second group (IPPB+PEEP) and third group (IPPB). The patients were studies during the preoperative period, and at the 1th up to the 6th postoperative days. The effectively of the exercises were obtained by spirometrics tests, maximal respiratory pressure, blood oximetry, linear analogue of pain and computerized tomography (CT). Our results show that exercises with IPPB +PEEP promote faster recuperation of pulmonary function and maximal respiratory pressure...
Descritores: Respiração com Pressão Positiva Intermitente
Revascularização Miocárdica
Testes de Função Respiratória
-Respiração com Pressão Positiva
Limites: Adulto
Meia-Idade
Masculino
Feminino
Seres Humanos
Responsável: BR66.1 - Divisão de Biblioteca e Documentação
BR66.1; W4.DB8, FM-2. 763e


  9 / 18 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-424267
Autor: Müller, Andréa Pires; Olandoski, Márcia; Macedo, Rafael; Costantini, Constantino; Guarita-Souza, Luiz César.
Título: Estudo comparativo entre a pressão positiva intermitente (Reanimador de Müller) e contínua no pós-operatório de cirurgia de revascularização do miocárdio / Comparative study between intermittent (Müller Reanimator) and continuous positive airway pressure in the postoperative period of coronary artery bypass grafting
Fonte: Arq. bras. cardiol;86(3):232-239, mar. 2006. tab.
Idioma: pt.
Resumo: OBJETIVO: Comparar o efeito da aplicação da pressão positiva intermitente e contínua em pacientes no pós-operatório de cirurgia de revascularização do miocárdio. MÉTODOS: Neste estudo foram considerados quarenta pacientes, divididos em dois grupos: um submetido a pressão positiva contínua (Grupo CPAP), e outro submetido a pressão intermitente (Grupo Reanimador de Müller). Os pacientes foram avaliados nos momentos: pré-operatório, 3ª, 24ª e 48ª horas, em relação às diversas variáveis do estudo. RESULTADOS: Os grupos de pacientes eram homogêneos em relação a diversas variáveis demográficas e clínicas. Os valores gasométricos de PO2, PCO2 e SO2 estiveram dentro dos parâmetros de normalidade e não foram encontradas diferenças significantes entre os grupos. Na ventilometria os grupos apresentaram diferenças significativas no volume corrente e freqüência respiratória no pós-operatório de 48 horas. A dispnéia e a participação da musculatura acessória, nas avaliações do pós-operatório, foram encontradas com freqüência significativamente maior nos pacientes submetidos ao CPAP. Pacientes submetidos ao Reanimador de Müller apresentaram radiografia de tórax normal com maior freqüência do que pacientes submetidos ao CPAP. CONCLUSÃO: Observou-se que ambos os recursos foram capazes de manter valores de PO2, PCO2 e SO2 dentro da normalidade. Porém, quando se busca a reexpansão pulmonar, com menor carga de trabalho imposta, o Reanimador de Müller foi mais efetivo pela forma mais rápida de ação e, conseqüentemente, apresentou menores índices de dispnéia, freqüência respiratória (FR) e atividade de musculatura acessória.
Descritores: Ponte de Artéria Coronária
Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas/normas
Respiração com Pressão Positiva Intermitente/normas
Desmame do Respirador/normas
-Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas/efeitos adversos
Concentração de Íons de Hidrogênio
Respiração com Pressão Positiva Intermitente/efeitos adversos
Período Pós-Operatório
Estudos Prospectivos
Estatísticas não Paramétricas
Volume de Ventilação Pulmonar
Fatores de Tempo
Limites: Feminino
Seres Humanos
Masculino
Meia-Idade
Tipo de Publ: Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 18 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-405206
Autor: Boaventura, Cristina de Matos; Silveira, Janne Marques; Santos, Patrícia Roberta dos; Gastaldi, Ada Clarice.
Título: Força da musculatura respiratória de pacientes tetraplégicos sentados e em supino / Respiratory muscle strength the tetraplegic patients
Fonte: Rev. fisioter. Univ. Säo Paulo;11(2):70-76, 2004. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: A maioria dos indivíduos com lesão medular alta(C4 a C6)apresentam diminuição na sua função respiratória a partir do momento da lesão, sendo esta a principal causa de mortalidade nesses indivíduos, nos primeiros meses após alesão. Assim, estes pacientes apresentam diminuição de volumes e capacidades pulmonares...
Descritores: Resistência das Vias Respiratórias
Quadriplegia
-Capacidade Inspiratória
Respiração com Pressão Positiva Intermitente
Respiração com Pressão Positiva
Capacidade Pulmonar Total
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Responsável: BR66.1 - Divisão de Biblioteca e Documentação



página 1 de 2 ir para página        
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde