Base de dados : LILACS
Pesquisa : E02.095.147.725.262 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 12 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 2 ir para página        

  1 / 12 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1137983
Autor: Britto, Vinicius Secchim de; Criado, Guilherme Garcia; Paiva, Alexandre de Carvalho Mendes; Sena Jr, Nelson Batista; Ambrósio Jr, Renato; Novais, Gustavo Amorim.
Título: Aplanamento corneano após DMEK associado a facoemulsificação em paciente com distrofia endotelial de Fuchs, ceratocone e catarata / Corneal flattening after simultaneous DMEK and phacoemulsification in patient with Fuchs endothelial dystrophy, keratoconus and cataract combined
Fonte: Rev. bras. oftalmol;79(5):341-343, set.-out. 2020. graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Descrição de relato de caso de paciente com ceratocone (KC), Distrofia Endotelial de Fuchs (DEF) e catarata concomitantes com descompensação corneana submetido a Ceratoplastia Lamelar Posterior pela técnica Descemet's Membrane Endothelial Keratoplasty (DMEK) associado a facoemulsificação com implante de lente intraocular (LIO). Observou-se aplanamento corneano significativo no pós-operatório e acuidade visual final sem correção de 20/25 . Destaca-se a possibilidade do DMEK como alternativa à Ceratoplastia Penetrante (Penetrating Keratoplasty - PK) em casos de DEF e KC associados. Aplanamento corneano pode ocorrer neste grupo de pacientes, o que pode resultar em imprevisibilidade refracional no cálculo do poder da LIO ao se optar por facectomia combinada. Neste relato, apesar da modificação da curvatura corneana após cirurgia combinada de DMEK com facectomia, a acuidade visual final sem correção foi satisfatória, demonstrando a possibilidade de sucesso desta abordagem na coexistência de DEF, KC e Catarata. Entretanto, a possibilidade de mudança significativa na curvatura corneana deve ser considerada em pacientes com KC, edema de córnea secundário a DEF e catarata, na decisão de cirurgia simultânea ou em dois tempos.

Abstract This is a case report of a patient with concomitant Keratoconus (KC), Fuchs Endothelial Dystrophy (FED) and cataract with corneal decompensation submitted to Posterior Lamellar Corneal surgery (Descemet's Membrane Endothelial Keratoplasty - DMEK) associated with phacoemulsification with intraocular lens (IOL) implantation. Corneal flattening and uncorrected visual acuity of 20/25 was observed in the postoperative period. We reasure the viability of DMEK as an alternative to Penetrating Keratoplasty (PK) in cases of associated DEF and KC associated. Changes in corneal curvature may occur in this group of patients and lead to the possibility of refractive unpredictability in IOL calculation when performing a combined cataract surgery. Despite unexpected corneal flattening, satisfactory final visual acuity was achieved, demonstrating the possibility of success of this approach in the coexistence of the three conditions. Nonetheless, the possibility of corneal curvature changes should be considered in patients with KC and corneal decompensation due to FED in decision making, regarding simultaneous or sequential surgical approach.
Descritores: Tomografia/métodos
Distrofia Endotelial de Fuchs/cirurgia
Facoemulsificação/métodos
Ceratoplastia Endotelial com Remoção da Lâmina Limitante Posterior/métodos
Ceratocone/cirurgia
Lentes Intraoculares
Limites: Humanos
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.2 - Biblioteca Central


  2 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-827964
Autor: Botsford, Benjamin; Vedana, Gustavo; Cope, Leslie; Yiu, Samuel C; Jun, Albert S.
Título: Comparison of 20% sulfur hexafluoride with air for intraocular tamponade in Descemet membrane endothelial keratoplasty (DMEK) / Comparação de hexafluoreto de enxofre a 20% com ar para tamponamento intraocular na ceratoplastia endotelial de membrana Descemet (DMEK)
Fonte: Arq. bras. oftalmol;79(5):299-302, Sept.-Oct. 2016. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: To compare the effect of 20% sulfur hexafluoride (SF6) with that of air on graft detachment rates for intraocular tamponade in Descemet membrane endothelial keratoplasty (DMEK). Methods: Forty-two eyes of patients who underwent DMEK by a single surgeon (A.S.J.) at Wilmer Eye Institute between January 2012 and 2014 were identified; 21 received air for intraocular tamponade and the next consecutive 21 received SF6. The main outcome measure was the graft detachment rate; univariate and multivariate analyses were performed. Results: The graft detachment rate was 67% in the air group and 19% in the SF6 group (p<0.05). No complete graft detachments occurred, and all partial detachments underwent intervention with injection of intraocular air. The percentages of eyes with 20/25 or better vision were not different between the groups (67% vs. 71%). Univariate analysis showed significantly higher detachment rates with air tamponade (OR, 8.50; p<0.005) and larger donor graft size (OR, 14.96; p<0.05). Multivariate analysis with gas but not graft size included showed that gas was an independent statistically significant predictor of outcome (OR, 6.65; p<0.05). When graft size was included as a covariate, gas was no longer a statistically significant predictor of detachment but maintained OR of 7.81 (p=0.063) similar to the results of univariate and multivariate analyses without graft size. Conclusion: In comparison with air, graft detachment rates for intraocular tamponade in DMEK were significantly reduced by 20% SF6.

RESUMO Objetivo: Comparar as taxas de descolamento do botão endotelial com o uso de gás hexafluoreto de enxofre a 20% (SF6) em relação ao ar para o tamponamento intraocular na ceratoplastia endotelial da membrana de Descemet (DMEK). Métodos: Quarenta e dois olhos foram operados com a técnica de DMEK por um único cirurgião (A.S.J.) no Wilmer Eye Institute entre janeiro de 2012 a 2014. Os primeiros 21 olhos receberam ar para o tamponamento intraocular após o enxerto do botão endotelial e os 21 olhos seguintes receberam SF6. O desfecho primário medido foi a taxa de descolamento do botão endotelial por análise univariada e multivariada. Resultados: A taxa de descolamento do botão endotelial foi de 67% no grupo que recebeu ar vs 19% no grupo que recebeu SF6 (p<0,05). Não houve nenhum descolamento total de botão e todos os parciais foram tratados com injeção de ar intraocular. Não houve diferença estatística significativa entre os grupos em relação a AV de 20/25 ou melhor (67% vs 71%). A análise univariada demonstrou maior taxa de descolamento com o tamponamento por ar intraocular (OR 8,50, p<0,005) e com botões doadores maiores (OR 14,96, p<0,05). Na análise multivariada, incluindo gás, mas não o tamanho do botão doador, o tipo de gás usado permaneceu sendo um fator preditivo independente e estatisticamente significativo para o desfecho primário, com OR de 6,65 (p<0,05). Porém, quando o tamanho do botão doador foi incluso como covariável, o gás perdeu a sua significância como preditor de descolamento, mantendo o OR de 7,81 (p=0,063), semelhante as análises univariada e multivariada excluindo o tamanho do botão doador. Conclusão: O uso de gás hexafluoreto de enxofre a 20% (SF6) para o tamponamento intraocular reduz a taxa de descolamento do botão endotelial quando comparado ao uso de ar no DMEK.
Descritores: Hexafluoreto de Enxofre/administração & dosagem
Epitélio Posterior/transplante
Lâmina Limitante Posterior/cirurgia
Ar
Ceratoplastia Endotelial com Remoção da Lâmina Limitante Posterior/métodos
Tamponamento Interno/métodos
-Período Pós-Operatório
Fatores de Tempo
Acuidade Visual/fisiologia
Análise Multivariada
Estudos Retrospectivos
Seguimentos
Resultado do Tratamento
Rejeição de Enxerto
Sobrevivência de Enxerto
Pressão Intraocular
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-950433
Autor: Pereira, Nicolas Cesário; Forseto, Adriana dos Santos; Santos, Myrna Serapião dos; Grottone, Gustavo; Santos, Albert; Gomes, José Álvaro Pereira.
Título: Descemet's membrane endothelial keratoplasty with a simplified technique and low complication rate: the samba technique / Ceratoplastia endotelial da membrana de Descemet com técnica simplificada e baixa taxa de complicação: a técnica de samba
Fonte: Arq. bras. oftalmol;81(2):130-136, Mar.-Apr. 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: We report a simplified Descemet's membrane endothelial keratoplasty (DMEK) technique that involves safe and effective preparation and introduction, correct orientation, and easy unfolding of the donor graft inside the recipient anterior chamber. Methods: In this retrospective study, we assessed the surgical outcomes of 26 eyes of 23 consecutive patients (mean age, 61.2 ± 11.4 yr; range, 39-82 yr) with Fuchs endothelial corneal dystrophy (n=19) or bullous keratopathy (n=7) who underwent the Samba technique, a simplified DMEK method, at the Sorocaba Ophthalmology Hospital, Sorocaba Eye Bank, Sorocaba, Brazil, between August 2011 and July 2012. Results: Of the 26 operated eyes, only two (7.7%) experienced partial graft detachment requiring rebubbling, and in those eyes, the graft was reattached successfully with one air bubble. There were no cases of primary graft failure, tissue loss, or pupillary block. All patients with good visual potential achieved a best-corrected visual acuity of 20/30 or better at 6 months, and 82.6% achieved a best-corrected visual acuity of 20/30 or better 1 month postoperatively. Conclusion: In this retrospective study, the Samba technique, a simplified DMEK procedure, was safe and effective, with an acceptably low rebubbling rate and no incidence of primary graft failure or pupillary block. Moreover, rapid and nearly complete visual recovery was achieved. This simplified DMEK technique can be adopted by corneal surgeons worldwide as a primary treatment for endothelial dysfunction with a less steep learning curve and low rate of postoperative complications.

RESUMO Objetivo: Relatar uma técnica simplificada de ceratoplastia endotelial da membrana de Descemet (DMEK) que envolve a preparação e a introdução seguras e eficazes, a orientação correta e o fácil desdobramento do enxerto doador dentro da câmara anterior receptora. Métodos: Neste estudo retrospectivo, foram revisados e avaliados os resultados cirúrgicos de 26 olhos de 23 pacientes consecutivos (idade média: 61,2 ± 11,4 anos, intervalo: 39 a 82 anos) com distrofia corneana endotelial de Fuchs (n=19) ou ceratopatia bolhosa (N=7) submetidos à técnica "Samba", método de DMEK simplificado, no Hospital Oftalmológico de Sorocaba, Banco de Olhos de Sorocaba, Sorocaba, Brasil, entre agosto de 2011 e julho de 2012. Resultados: Dos 26 olhos operados, apenas 2 olhos (7,7%) apresentaram descolamento parcial do enxerto que necessitou de nova injeção de ar na câmara anterior "re-bubble", e nesses olhos o enxerto foi posicionado com sucesso com o procedimento de "re-bubble". Nenhum dos 26 olhos apresentaram falência primária do enxerto ou perda de tecido, ou bloqueio pupilar. Todos os pacientes com bom potencial visual obtiveram a acuidade visual melhor corrigida de 20/30 ou melhor e 82,6% tinham acuidade visual melhor corrigida de 20/30 ou melhor com 1 mês de cirurgia. Conclusão: Neste estudo retrospectivo, a técnica de Samba, um procedimento de DMEK simplificado, mostrou-se segura e eficaz, com uma taxa de "re-bubble" aceitavelmente baixa e nenhuma incidência de falência primária ou complicação com bloqueio pupilar. Além disso, a recuperação visual rápida e completa foi rapidamente alcançada. Esta técnica DMEK simplificada pode ser adotada por cirurgiões de córnea em todo o mundo como um tratamento primário para disfunção endotelial com uma curva de aprendizado rápida e baixa taxa de complicações pós-operatórias.
Descritores: Lâmina Limitante Posterior/cirurgia
Ceratoplastia Endotelial com Remoção da Lâmina Limitante Posterior/métodos
Câmara Anterior/transplante
-Complicações Pós-Operatórias
Doadores de Tecidos
Epitélio Posterior/transplante
Contagem de Células
Distrofia Endotelial de Fuchs/cirurgia
Reprodutibilidade dos Testes
Estudos Retrospectivos
Resultado do Tratamento
Doenças da Córnea/cirurgia
Células Endoteliais
Limites: Humanos
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-950459
Autor: Koçluk, Yusuf; Kasım, Burcu; Sukgen, Emine Alyamaç; Burcu, Ayşe.
Título: Descemet membrane endothelial keratoplasty (DMEK): intraoperative and postoperative complications and clinical results / Queratoplastia endotelial da membrana de Descemet (DMEK): complicações intraoperatórias e pós-operatórias com resultados clínicos
Fonte: Arq. bras. oftalmol;81(3):212-218, May-June 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: To evaluate the complications and clinical results of Descemet membrane endothelial keratoplasty (DMEK) in patients with endothelial failure that occurred during the learning curve of a surgeon. Methods: Fifty eyes of 50 patients with DMEK and ≥6 months of follow-up were included. The patients were divided into the first 25 (group 1) and the second 25 (group 2) procedures performed by the surgeon. Best corrected visual acuity (BCVA), central corneal thickness (CCT), unfolding time of the Descemet membrane (DM) graft, and intraoperative and postoperative complications were compared between groups. Results: The differences in postoperative increase of BCVA (p=0.595) and decrease of CCT (p=0.725) in the two groups were not significant. The unfolding time of the DM was longer in group 1 than in group 2 (p=0.001). Primary graft failure occurred in three patients in group 1 and none in group 2. At the last visit, 42 (85.7%) of patients' corneas were clear, with significant difference between groups (p=0.584). A patient in group 1 with a history of pars plana vitrectomy, inferior iridectomy, and fluid as a tamponade experienced drop of the DM graft into the iridectomy space. All other intraoperative complications occurred in group 1. Conclusions: Occurrence of intraoperative and postoperative complications was increased in patients with coexisting ocular pathology or complicated endothelial dysfunction and during the surgeon's learning curve of DM endothelial keratoplasty procedures.

RESUMO Objetivo: Avaliar as complicações e os resultados clínicos da queratoplastia endotelial da membrana de Descemet (DMEK) em indivíduos com insuficiência endotelial, durante a curva de aprendizado de um cirurgião. Métodos: Cinquenta olhos de 50 pacientes submetidos ao procedimento queratoplastia endotelial da membrana de Descemet com pelo menos 6 meses de acompanhamento foram incluídos neste estudo. Os pacientes foram divididos em dois grupos: como os primeiros 25 casos do cirurgião (grupo 1) e como os 25 casos seguintes (grupo 2). A melhor acuidade visual corrigida (MAVC), a espessura corneana central (ECC), o tempo de desdobramento do enxerto da membrana de Descemet (MD), as complicações intraoperatórias e pós-operatórias foram apresentadas e comparadas entre os grupos. Resultados: Os grupos não diferiram estatisticamente em relação ao aumento pós-operatório de melhor acuidade visual corrigida (p=0,595) ou à diminuição da espessura corneana central (p=0,725). O tempo de desdobramento dos enxertos de membrana de Descemet no grupo 1 foi maior do que no grupo 2 (p=0,001). Falha do enxerto primário foi observada em 3 pacientes do grupo 1 e em nenhum do grupo 2. Na última visita, 42 (85,7%) das córneas dos pacientes estavam claras e não foram observadas diferenças estatisticamente significativas entre os grupos (p=0,584). Na cirurgia de um paciente do grupo 1, com história de vitrectomia pars plana (PPV) com iridectomia inferior e fluido como tamponamento, observou-se queda do enxerto de membrana de Descemet no local da iridectomia. Além disso, todas as demais complicações intraoperatórias ocorreram no grupo 1. Conclusões: As complicações intraoperatórias e pós-operatórias foram maiores em pacientes com coexistência de outra patologia ocular ou com disfunção endotelial complicada durante as curvas de aprendizado dos cirurgiões no procedimento queratoplastia endotelial da membrana de Descemet.
Descritores: Complicações Pós-Operatórias
Implante de Lente Intraocular/efeitos adversos
Perda de Células Endoteliais da Córnea/cirurgia
Perda de Células Endoteliais da Córnea/etiologia
Ceratoplastia Endotelial com Remoção da Lâmina Limitante Posterior/efeitos adversos
Complicações Intraoperatórias
-Acuidade Visual
Estudos Retrospectivos
Resultado do Tratamento
Ceratoplastia Endotelial com Remoção da Lâmina Limitante Posterior/métodos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-950460
Autor: Pereira, Nicolas Cesário; Diniz, Evandro Ribeiro; Ghanem, Ramon Coral; Cunha Filho, Ruy; Prazeres, Tatiana Moura; Nose, Walton; Forseto, Adriana dos Santos.
Título: Descemet membrane endothelial keratoplasty in multifocal pseudophakic eyes / Ceratoplastia endotelial da membrana de Descemet em olhos pseudofácicos multifocais
Fonte: Arq. bras. oftalmol;81(3):183-187, May-June 2018. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: This report describes the use of Descemet membrane endothelial keratoplasty for the management of endothelial decompensation after multifocal intraocular lens implantation. Methods: In this retrospective study, we reviewed and assessed the surgical outcomes of 9 patients (9 eyes) who underwent Descemet membrane endothelial keratoplasty after multifocal intraocular lens implantation. Results: Corneal edema occurred due to Fuchs endothelial corneal dystrophy (n=3), pseudophakic bullous keratopathy (n=3), Descemet's membrane detachment (n=2), and toxic anterior segment syndrome (n=1). The Descemet membrane endothelial keratoplasty surgeries were uneventful in all eyes, but rebubbling procedures were necessary in 2 eyes. One month after the surgery, all the corneas were clear. After 6 months, excluding 1 eye with amblyopia, the mean distance corrected visual acuity was 0.10 logMAR, with all eyes achieving 0.18 logMAR or better. Conclusions: This is the first report of Descemet membrane endothelial keratoplasty after multifocal intraocular lens implantation, and it suggests that good results can be achieved without multifocal intraocular lens exchange.

RESUMO Objetivo: Descrever o uso da ceratoplastia endotelial da membrana de Descemet para manejar descompensação endotelial após implante de lente intraocular multifocal. Métodos: Neste estudo retrospectivo, foram revisados e avaliados os resultados cirúrgicos de 9 olhos de 9 pacientes que foram submetidos a ceratoplastia endotelial da membrana de Descemet para manejar descompensação endotelial após implante de lente intraocular multifocal. Resultados: Descompensação endotelial ocorreu por distrofia endotelial de Fuchs (n=3), ceratopatia bolhosa do pseudofácico (n=3), descolamento da membrana de Descemet (n=2) e síndrome tóxica do segmento anterior (n=1). No ato per operatório de todos os olhos não houve intercorrência, com injeção de ar sendo necessário em dois olhos no pós-operatório por descolamento parcial do enxerto. Um mês após a cirurgia, todas as córneas estavam claras. Após seis meses, excluindo um olho com ambliopia, a acuidade visual média corrigida para longe foi de 0,10 logMAR, com todos os olhos atingindo 0,18 logMAR ou melhor. Conclusões: Este é o primeiro relato de ceratoplastia endotelial da membrana de Descemet após implante de lente intraocular multifocal, sugerindo que bons resultados podem ser alcançados sem a troca da lente intraocular multifocal.
Descritores: Pseudofacia/cirurgia
Ceratoplastia Endotelial com Remoção da Lâmina Limitante Posterior/métodos
-Estudos Retrospectivos
Resultado do Tratamento
Pseudofacia/etiologia
Implante de Lente Intraocular/efeitos adversos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Cuba
Texto completo
Id: lil-744025
Autor: Guerra Almaguer, Michel; Cárdenas Díaz, Taimí; Miranda Hernández, Iramis; Piloto Díaz, Ibraín; Hernández López, Iván; Fernández Argones, Liamet.
Título: Hipertensión ocular secundaria a endoqueratoplastia / Ocular hypertension secondary to endokeratoplasty
Fonte: Rev. cuba. oftalmol;27(3):490-496, jul.-set. 2014. ilus.
Idioma: es.
Resumo: La queratoplastia endotelial no está exenta de complicaciones y hasta el momento ha demostrado ser un tratamiento efectivo para la disfunción endotelial. Se presenta una paciente femenina, blanca, de 76 años de edad, con antecedente patológico personal de hipertensión arterial controlada. Se le realizó queratoplastia endotelial con pelado de la descemet asistida con láser de excímero. Se obtuvo buena transparencia corneal y recuperación visual en ojo derecho. Al mes siguiente acudió a consulta y refirió dolor ocular intenso. En el examen oftalmológico presentaba edema palpebral, inyección cilioconjuntival, edema corneal ligero, cámara anterior muy estrecha y contacto iridocorneal en periferia temporal con cifras de presión ocular aumentada.

Endothelial keratoplasty is not complication-free and it has so far proved to be an effective treatment for endothelial dysfunction. This is a Caucasian female patient aged 76 years, who has personal pathological history of controlled blood hypertension. She underwent Descemet stripping with Excimer laser endothelial keratoplasty. Good corneal transparency and visual recovery in her right eye were achieved after surgery. One month later, she went to the ophthalmologist´s again and complained about intense ocular pain. The eye examination yielded palpebral edema, cilioconjunctival injection, mild corneal edema, very narrow anterior chamber, iridocorneal contact in temporal periphery and high ocular pressure figures.
Descritores: Edema da Córnea/complicações
Hipertensão Ocular/diagnóstico
Ceratoplastia Endotelial com Remoção da Lâmina Limitante Posterior/métodos
Câmara Anterior/lesões
Limites: Humanos
Feminino
Idoso
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: CU1.1 - Biblioteca Médica Nacional


  7 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Alves, Milton Ruiz
Texto completo
Id: lil-716262
Autor: Victor, Gustavo; Nosé, Walton; Sousa, Sidney Júlio de Faria e; Forseto, Adriana dos Santos; Alves, Milton Ruiz.
Título: In vivo ultrathin Descemet stripping automated endothelial keratoplasty with a low-energy and high-frequency femtosecond laser / In vivo Descemet stripping automated endothelial keratoplasty ultrafina com laser de femtosegundo de baixa energia e alta frequência
Fonte: Arq. bras. oftalmol;77(2):122-124, Mar-Apr/2014. graf.
Idioma: en.
Resumo: This case report describes the production of an ultrathin endothelial donor corneal lamella using a femtosecond laser with low energy and a high frequency. In addition, we report its use in vivo in an eye with pseudophakic bullous keratopathy. The outcomes were observed 3 months after surgery in terms of the change in endothelial donor lamella and full cornea thickness (including pachymetric mapping), visual acuity, and endothelial cell count.

Este relato de caso mostra a confecção de uma lamela corneana doadora endotelial ultrafina com o uso de um laser de femtosegundo de baixa energia e alta taxa de repetição, e sua utilização in vivo em um paciente com ceratopatia bolhosa do pseudofácico. O resultado final foi observado quanto a evolução da espessura da lamela endotelial doadora e de toda a córnea (incluindo mapa paquimétrico), da acuidade visual, e da contagem endotelial ao final de 3 meses de pós-operatório.
Descritores: Doenças da Córnea/cirurgia
Ceratoplastia Endotelial com Remoção da Lâmina Limitante Posterior/métodos
Epitélio Posterior/transplante
-Topografia da Córnea
Tomografia de Coerência Óptica
Acuidade Visual
Limites: Feminino
Humanos
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Research Support, Non-U.S. Gov't
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-690609
Autor: Pereira, Nicolas Cesário; Araújo, Mônica; Pinto, Natércia Trindade; Moreira, Pedro Bertino; Rocha, Guilherme Andrade do Nascimento; Moura, Gustavo Souza; Sousa, Luciene Barbosa de.
Título: Complicações em transplantes endoteliais realizados por estagiários de córnea / Complications in endothelial keratoplasty performed by cornea fellows
Fonte: Arq. bras. oftalmol;76(5):301-304, set.-out. 2013. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: OBJETIVO: Reportar complicações precoces numa série de transplantes endoteliais realizados por estagiários de córnea. MÉTODOS: Revisão retrospectiva dos transplantes endoteliais realizados por estagiários de córnea do segundo ano. Descritas as complicações precoces e respectivo tratamento. RESULTADOS: Foram realizados 34 transplantes endoteliais pelos estagiários de córnea entre julho de 2007 e agosto de 2008. Destes, 29 foram realizados pela técnica de "Descemet stripping endothelial keratoplasty" e 5 "Descemet stripping automated endothelial keratoplasty". Foram realizadas 15 cirurgias combinadas, 14 associadas a facoemulsificação com implante de lente intraocular e 1 associada a facectomia com implante de lente intraocular. A principal indicação foi por distrofia de Fuchs com 18 casos, 11 foram indicados por ceratopatia bolhosa após cirurgia de catarata, 4 por falência primária após transplante endotelial e 1 por distrofia endotelial congênita hereditária. A complicação mais encontrada foi descolamentos do botão doado em 8 olhos (23,5%). Falência primária foi encontrado em 7 olhos (20,6%). Glaucoma agudo por bloqueio pupilar foi encontrado em 1 paciente (2,9%). CONCLUSÕES: O alto número de complicações encontradas nestas cirurgias, que foram as primeiras de um grupo de 6 estagiários de córnea, mostra a longa curva de aprendizado para este procedimento cirúrgico. A orientação das primeiras cirurgias por cirurgiões mais experientes pode diminuir a curva de aprendizado e a taxa de complicações.

PURPOSE: To report early complications in endothelial keratoplasty performed by cornea fellows. METHODS: Retrospective study of endothelial keratoplasty performed by second-year cornea fellows. Described the early complications and its treatments. RESULTS: Thirty four endothelial keratoplasty were performed by cornea fellows, from July 2007 to August 2008. From this, 29 were Descemet stripping endothelial keratoplasty and 5 Descemet stripping automated endothelial keratoplasty; 14 combined with phacoemulsification and 1 with extracapsular cataract surgery. The main indication was Fuchs' dystrophy (18 cases), followed by bullous keratopathy (11 cases), primary failure after endothelial keratoplasty (4 cases) and congenital hereditary endothelial dystrophy (1 case). Main surgery complication was donor button detachment in 8 eyes (23.5%), followed by primary graft failure in 7 eyes (20.6%) and acute glaucoma after pupillary block in 1 eye (2.9%). CONCLUSIONS: The complication rate in this series, which were the first ever in a group of six cornea fellows, was high. This shows the steep learning curve for this surgical procedure. The assistance of an experienced surgeon could help to achieve a less steep learning curve with a lower complication rate.
Descritores: Ceratoplastia Endotelial com Remoção da Lâmina Limitante Posterior/efeitos adversos
Epitélio Posterior/cirurgia
Distrofia Endotelial de Fuchs/etiologia
Complicações Pós-Operatórias/epidemiologia
-Glaucoma/etiologia
Curva de Aprendizado
Implante de Lente Intraocular/métodos
Facoemulsificação/métodos
Distúrbios Pupilares/etiologia
Estudos Retrospectivos
Procedimentos Cirúrgicos Refrativos/métodos
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 12 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-690606
Autor: Moura, Gustavo Souza; Oliveira, Grazielly Martins Peixoto de; Tognon, Taise; Pereira, Nicolas Cesário; Sousa, Luciene Barbosa de.
Título: Complicações em ceratoplastia endotelial com desnudamento da Descemet (DSEK) / Complications after Descemet's stripping endothelial keratoplasty
Fonte: Arq. bras. oftalmol;76(5):288-291, set.-out. 2013. tab.
Idioma: pt.
Resumo: OBJETIVO: Descrever a taxa de complicações e os tipos de complicações intraoperatórias e pós-operatórias da ceratoplastia endotelial com desnudamento da Descemet (DSEK). MÉTODOS: Revisão retrospectiva de prontuários de pacientes submetidos à DSEK de 2008 a 2010 no Hospital Oftalmológico de Sorocaba. O estudo teve caráter descritivo, com abordagem quantitativa. RESULTADOS: Cento e dezenove olhos de 118 pacientes foram avaliados. Segundo a doença ocular de base, a maior parte dos pacientes eram portadores da distrofia de Fuchs (60 olhos, 50,4%), seguidos dos portadores de ceratopatia bolhosa do pseudofácico com 55 olhos (46,2%). A cirurgia mais comumente realizada foi o transplante endotelial isoladamente (DSEK), realizado em 65 olhos (54,6%), seguida do DSEK associado à facoemulsificação de cristalino (PHACO-DSEK) em 47 olhos (39,5%) e DSEK associado a outras cirurgias (7 olhos, 5,9%). Oito pacientes foram excluídos do trabalho devido informações cirúrgicas insuficientes em prontuário médico. Em relação às complicações cirúrgicas transoperatórias, foram observados casos isolados de bloqueio pupilar, dissecção irregular do botão, implante reverso do botão, "button-holing" e ruptura de cápsula posterior. Entre as complicações precoces, observou-se descolamento de botão em 21,5% dos olhos no grupo do DSEK, 34,0% no grupo PHACO-DSEK e 57,1% no grupo DSEK associado a outras técnicas cirúrgicas. No que se refere às complicações tardias, observou-se "haze" (opacidade) em interface em 16,9%, 8,5% e 14,2% e glaucoma foi observado em 4,6%, 2,1% e 14,2% dos olhos nos grupos DSEK, PHACO-DSEK e DSEK associado a outras técnicas, respectivamente. Falência pós-rejeição foi observada em 15,3% e 12,7% dos grupos DSEK e PHACO-DSEK, respectivamente. CONCLUSÃO: O transplante endotelial de córnea realizado nesta amostra teve uma taxa de complicações considerada alta se comparado aos transplantes penetrantes convencionais. As complicações mais frequentes foram aquelas relacionadas ao descolamento de botão e à falência pós-rejeição.

PURPOSE: To describe the complication rate and type of intraoperative and postoperative complications of Descemet stripping endothelial keratoplasty (DSEK). METHODS: Retrospective medical records review of patients who underwent DSEK between 2008 and 2010 at the Sorocaba Ophthalmological Hospital. The study was descriptive, using a quantitative approach. RESULTS: One hundred nineteen eyes of 118 patients were evaluated. According to the diagnoses, most patients were diagnosed with Fuchs' dystrophy (60 eyes, 50.4%), followed by patients with pseudophakic bullous keratopathy in 55 eyes (46.2%). The most common procedure performed was DSEK alone, performed in 65 eyes (54.6%), followed by the DSEK associated to phacoemulsification (PHACO-DSEK) in 47 eyes (39.5%) and DSEK associated to other surgeries (7 eyes, 5.9%). Eight patients were excluded from the study due to insufficient information in the surgical record. In relation to the intra-operative complications, isolated cases of pupillary block, irregular manual dissection of button, inverted implantation of the button, button-holing and posterior capsule rupture were noticed. Among the documented early postoperative complications, button detachment was observed in 21.5% of the DSEK alone group; 34.0% in PHACO-DSEK group and 57.1% when DSEK was held jointly with other surgical techniques. Regarding to late complications, interface haze was observed in 16.9%, 8.5% and 14.2%, and glaucoma was observed in 4.6%, 2.1% and 14.2% in DSEK, PHACO-DSEK and DSEK associated to other techniques, respectively. Post rejection graft failure was observed in 15.3% and 12.7% of the eyes after DSEK and. PHACO-DSEK, respectively. CONCLUSION: Endothelial corneal transplant accomplished in this sample showed a high rate of complications when compared to the conventional penetrating keratoplasty. The most frequent complications were related to detachment of the button and graft failure.
Descritores: Ceratoplastia Endotelial com Remoção da Lâmina Limitante Posterior/efeitos adversos
Complicações Intraoperatórias/epidemiologia
Complicações Pós-Operatórias/epidemiologia
-Brasil/epidemiologia
Doenças da Córnea/epidemiologia
Transplante de Córnea/efeitos adversos
Lâmina Limitante Posterior
Ceratoplastia Penetrante
Estudos Retrospectivos
Fatores Socioeconômicos
Limites: Adulto
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Feminino
Humanos
Masculino
Pessoa de Meia-Idade
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 12 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-675632
Autor: Grottone, Gustavo Teixeira; Pereira, Nicolas Cesário; Gomes, José Álvaro Pereira.
Título: Endothelial keratoplasty: evolution and horizons / Transplante endotelial de córnea: evolução e horizontes
Fonte: Arq. bras. oftalmol;75(6):439-446, nov.-dez. 2012. ilus.
Idioma: en.
Resumo: Endothelial keratoplasty has been adopted by corneal surgeons worldwide as an alternative to penetrating keratoplasty (PK) in the treatment of corneal endothelial disorders. Since the first surgeries in 1998, different surgical techniques have been used to replace the diseased endothelium. Compared with penetrating keratoplasty, all these techniques may provide faster and better visual rehabilitation with minimal change in refractive power of the transplanted cornea, minimal induced astigmatism, elimination of suture-induced complications and late wound dehiscence, and a reduced demand for postoperative care. Translational research involving cell-based therapy is the next step in work on endothelial keratoplasty. The present review updates information on comparisons among different techniques and predicts the direction of future treatment.

O transplante endotelial tem sido utilizado por cirurgiões de córnea em todo o mundo como uma alternativa ao transplante penetrante no tratamento das desordens do endotélio corneano. Desde as primeiras cirurgias em 1998, diferentes técnicas cirúrgicas tem sido utilizadas para substituir o endotélio doente. Comparadas ao transplante penetrante, estas técnicas oferecem uma reabilitação visual melhor e mais rápida com mínima alteração do poder refrativo da córnea transplantada, mínimo astigmatismo induzido, eliminação das complicações induzidas pela sutura e deiscência tardia da incisão, além de menor necessidade de cuidados pós-operatórios. Pesquisas translacionais envolvendo terapias celulares são o próximo passo em transplantes endoteliais. Este artigo contém uma fonte de dados atualizada comparando diferentes técnicas e futuros tratamentos.
Descritores: Lâmina Limitante Posterior/cirurgia
Ceratoplastia Endotelial com Remoção da Lâmina Limitante Posterior/métodos
Epitélio Posterior/transplante
Ceratoplastia Penetrante/métodos
-Rejeição de Enxerto
Ceratoplastia Penetrante/efeitos adversos
Cuidados Pós-Operatórios
Técnicas de Sutura/efeitos adversos
Acuidade Visual
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 2 ir para página        
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde