Base de dados : LILACS
Pesquisa : E02.319.283.600 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 25 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 3 ir para página          

  1 / 25 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1013282
Autor: Vieira, Marina de Sousa; Andrade, Flávia Regina de; Brandão, Letícia Maria Kolachinski Raposo; Nóbrega, Virgínia Tafas da; Guissa, Vanessa Ramos; Provenza, José Roberto.
Título: Precordial pain, leukocytosis and bicytopenia in a teenager with systemic juvenile idiopathic arthritis under immunosuppressive therapy / Dor precordial, leucocitose e bicitopenia em adolescente com artrite idiopática juvenil sistêmica em terapia imunossupressora
Fonte: Rev. Paul. Pediatr. (Ed. Port., Online);37(2):252-256, Apr.-June 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective: To highlight the importance of the new classification criteria for the macrophage activation syndrome (MAS) in systemic juvenile idiopathic arthritis in order to reduce morbidity and mortality outcome related to this disease. Case description: A 12-year-old female patient with diagnosis of systemic juvenile idiopathic arthritis under immunosuppression therapy for two years developed cough, acute precordial chest pain, tachypnea, tachycardia and hypoxemia for two days. Chest tomography showed bilateral laminar pleural effusion with bibasilar consolidation. The electrocardiogram was consistent with acute pericarditis and the echocardiogram showed no abnormalities. Laboratory exams revealed anemia, leukocytosis and increased erythrocyte sedimentation rate, as well as C-reactive protein rate and serum biomarkers indicative of myocardial injury. Systemic infection and/or active systemic juvenile idiopathic arthritis were considered. She was treated with antibiotics and glucocorticoids. However, 10 days later she developed active systemic disease (fever, evanescent rash and myopericarditis with signs of heart failure) associated with macrophage activation syndrome, according to the 2016 Classification Criteria for Macrophage Activation Syndrome in Systemic Juvenile Idiopathic Arthritis. She was treated for five days with pulse therapy, using glucocorticoids, immunoglobulin and cyclosporine A, with improvement of all clinical signs and laboratory tests. Comments: Myopericarditis with signs of heart failure associated with MAS is a rare clinical presentation of systemic juvenile idiopathic arthritis. Macrophage activation syndrome occurs mainly during periods of active systemic juvenile idiopathic arthritis and may be triggered by infection. Knowledge about this syndrome is crucial to reduce morbidity and mortality.

RESUMO Objetivo: Destacar a importância do conhecimento sobre os novos critérios de classificação para síndrome de ativação macrofágica (SAM) na artrite idiopática juvenil sistêmica para reduzir a morbidade e mortalidade desse desfecho. Descrição do caso: Adolescente do sexo feminino de 12 anos de idade, em terapia imunossupressora por diagnóstico de artrite idiopática juvenil sistêmica há 2 anos, com quadro de tosse, dor precordial aguda, taquipneia, taquicardia e hipoxemia há 2 dias. A tomografia de tórax evidenciou efusão pleural laminar bilateral com consolidação bibasal. O eletrocardiograma foi compatível com pericardite aguda, e o ecocardiograma foi normal. Os exames laboratoriais revelaram anemia, leucocitose e aumento da velocidade de hemossedimentação, proteína C-reativa e marcadores séricos de lesão miocárdica. Infecção sistêmica e/ou doença sistêmica em atividade foram consideradas. A paciente foi tratada com antibióticos e glicocorticoide. Entretanto, dez dias depois, evoluiu com doença sistêmica em atividade (febre, exantema e miopericardite com insuficiência cardíaca) associada à SAM, de acordo com o 2016 Classification Criteria for Macrophage Activation Syndrome in Systemic Juvenile Idiopathic Arthritis, e necessitou de cinco dias de pulsoterapia com glicocorticoide, imunoglobulina e ciclosporina A, com melhora de todos os parâmetros clínicos e laboratoriais. Comentários: A miopericardite com sinais de insuficiência cardíaca associada à SAM é uma apresentação clínica rara da artrite idiopática juvenil sistêmica, que ocorre principalmente em períodos de atividade sistêmica da doença e pode ser deflagrada por infecções. O conhecimento sobre essa síndrome é fundamental para reduzir morbidade e mortalidade desse grave desfecho.
Descritores: Ciclosporina/administração & dosagem
Glucocorticoides/administração & dosagem
-Artrite Juvenil/complicações
Artrite Juvenil/diagnóstico
Artrite Juvenil/fisiopatologia
Artrite Juvenil/imunologia
Dor no Peito/diagnóstico
Dor no Peito/etiologia
Tomografia Computadorizada por Raios X/métodos
Resultado do Tratamento
Imunoglobulinas Intravenosas/administração & dosagem
Pulsoterapia/métodos
Eletrocardiografia/métodos
Síndrome de Ativação Macrofágica/etiologia
Síndrome de Ativação Macrofágica/fisiopatologia
Síndrome de Ativação Macrofágica/sangue
Síndrome de Ativação Macrofágica/terapia
Imunossupressores/administração & dosagem
Leucocitose/diagnóstico
Leucocitose/etiologia
Limites: Seres Humanos
Feminino
Criança
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 25 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-837929
Autor: Lamback, Elisa Baranski; Resende, Fernanda Simões Seabra; Lenzi, Thiara Cristina Rocha.
Título: Eosinophilic fasciitis
Fonte: An. bras. dermatol;91(5,supl.1):57-59, Sept.-Oct. 2016. graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Eosinophilic fasciitis is a rare sclerodermiform syndrome of unknown etiology. It is characterized by the thickening of the muscular fascia and subcutaneous tissue, with a variable infiltration of eosinophils. Peripheral eosinophilia, poly or monoclonal hypergammaglobulinemia and increased erythrocyte sedimentation rate can be seen. Clinical features begin acutely, with local edema and a painful and symmetrical stiffening of the limbs, progressing rapidly to fibrosis, which can limit joint movements. Some cases have a history of strenuous physical exercise or trauma. The diagnosis is confirmed by a deep skin biopsy. Glucocorticoids in high doses is the treatment of choice. We report a typical eosinophilic fasciitis case with peripheral eosinophilia and dramatic response to pulse therapy with methylprednisolone.
Descritores: Pele/patologia
Eosinofilia/patologia
Fasciite/patologia
-Síndrome
Biópsia
Metilprednisolona/uso terapêutico
Imagem por Ressonância Magnética
Pulsoterapia
Eosinofilia/tratamento farmacológico
Extremidades/patologia
Fasciite/tratamento farmacológico
Glucocorticoides/uso terapêutico
Limites: Seres Humanos
Masculino
Adulto
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 25 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-725916
Autor: Barros, João Adriano de; Carvalho, Talitta Oliveira; Pupo, Melissa Zamberlan.
Título: Pneumonite actínica e bronquiolite obliterante com pneumonia em organização pós-radioterapia / Radiation pneumonitis and bronchiolitis obliterans organizing pneumonia (BOOP) after radiotherapy: case report
Fonte: RBM rev. bras. med;71(8), ago. 2014.
Idioma: pt.
Resumo: A radioterapia torácica, utilizada para o tratamento de câncer de mama, pode causar lesões pulmonares como pneumonite actínica e bronquiolite obliterante com pneumonia em organização (BOOP) ou também conhecida como pneumonia em organização, sendo esta mais incomum. Isso pode ocorrer mesmo se realizada em doses dentro do limite de tolerância aceitável para a segurança do paciente.Este relato de caso descreve a história de uma paciente que foi submetida a tratamento radioterápico após a retirada cirúrgica de um tumor maligno de mama e que duas semanas após o término do tratamento apresentou quadro clínico e de imagem de pneumonite actínica. Concomitantemente foi diagnosticada com BOOP, confirmado por tomografia computadorizada de tórax e biópsia transbrônquica. Foi tratada com corticoterapia pelo período de três meses e apresentou melhora clínica e radiológica.Houve, entretanto, dois episódios de recidiva dos sintomas de BOOP após o fim do tratamento. Realizou-se, então, pulsoterapia mensal com metilprednisolona por 12 meses. Um ano após o fim do tratamento se apresenta assintomática e sem uso de medicamento algum. Estudos de imagem demonstraram apenas lesão residual actínica no lobo superior esquerdo.Concluímos que após um tratamento de radioterapia torácica, devemos ficar atentos à ocorrência de lesões pulmonares associadas. E especialmente para casos de BOOP há a necessidade de um tratamento de imunossupressão pelo período mínimo de um ano, pois melhoras iniciais e rápidas induzem o médico a parar o tratamento de forma precipitada, podendo levar a recidivas...
Descritores: Neoplasias da Mama
Pneumonia
Pneumonia em Organização Criptogênica
Pulsoterapia
Radioterapia
Limites: Seres Humanos
Feminino
Idoso
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR12.1 - Biblioteca Setorial da Ciências da Saúde


  4 / 25 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-848441
Autor: Perú. EsSalud. Instituto de Evaluación de Tecnologías en Salud e Investigación.
Título: Eficacia y seguridad de rituximab para el tratamiento de pacientes menores de 18 años con encefalitis autoinmune refractario al tratamiento de primera línea (inmunoglobulina, pulsos corticoides y plasmaféresis) / Efficacy and safety of rituximab for the treatment of patients younger than 18 years with autoimmune encephalitis refractory to first-line therapy (immunoglobulin, corticoid pulses and plasmapheresis).
Fonte: Lima; s.n; oct. 2016.
Idioma: es.
Resumo: INTRODUCCIÓN: Antecedentes: El presente dictamen expone la evaluación de la eficacia y seguridad del medicamento rituximab para el tratamiento de pacientes pediátricos con diagnóstico de encefalitis autoinmune refractarios a la inmunoterapia de primera línea. Aspectos Generales: La Encefalitis se refiere a un trastorno inflamatorio del cerebro que resulta en un estado mental alterado, convulciones, o problemas en el funcionamento del cerebro. Es de progresión rápida (menos de 6 semanas) y su incidencia estimada en paises industrializados de occidente (Finlandia, EEUU, Jutlandia, Inglaterra, Francia, Grecia, Canadá, Eslovenia) es de 6.3 a 7.4 casos por 100,000 habitantes (adultos y niños) por año y aproximadamente 10.5 a 13.8 casos por 100,000 niños por ano. Las causas de encefalitis mayormente reconocidas son las de origen infeccioso; no obstante, recientemente se ha descubierto que un 4% de las encefalitis son el resultado de la producción de anticuerpos que atacan los receptores neuronales y proteínas de superfície de las células involucradas en la transmisión sináptica, plasticidad, o excitabilidad neuronal. Tecnología Sanitaria de Interés: Rituximab: Rituximab es un anticuerpo monoclonal quimérico murino/humano que se une al antígeno CD20 localizado en la superficie de los linfocitos pre-B y B maduros. Este antígeno se encuentra tanto en células B normales como malignas. Tras la unión a CD20, rituximab destruye las células B. Los posibles mecanismos de lisis celular incluyen la citotoxidad dependiente del complemento (CDC) y la citotoxidad mediada por células dependientes de anticuerpos (ADCC); debido a ello es usado para el tratamiento de sídromes linfoproliferativoscrónicos de estirpe B, en enfermedades autoinmunes y en otras entidades donde hay proliferación de linfocitos B. METODOLOGÍA: Estrategia de Búsqueda: Se realizó una búsqueda sistemática de la evidencia, especialmente la proveniente de ensayos clínicos, con respecto a la eficacia y seguridad de rituximab en pacientes pediátricos con diagnóstico de encefalitis autoinmune en las bases de datos MEDLINE, TRIPDATABASE, ScienceDirect y LILACS. Una vez identificados los artículos que respondían a la pregunta PICO, se pasó a revisar la bibliografia incluida en dichos artículos seleccionados, con la finalidad de identificar evidencia adicional. Asimismo, se realizó una búsqueda dentro de bases de datos pertenecientes a grupos que realizan revisiones sistemáticas, evaluación de tecnologías sanitarias y guías de práctica clínica, tales como The National Guideline for Clearinghouse (NGC), Scottish Intercollegiate Guidelines Network (SIGN), The National Institute for Health and Care Excellence (NICE), The Canadian Agency for Drugs and Technologies in Health (CADTH), The Agency for Healthcare Research and Quality (AHQR) y The Cochrane Collaboration. Se hizo una búsqueda adicional en www.clinicaltrials.gov, para poder identificar ensayos clínicos en curso o que no hayan sido publicados. RESULTADOS: Sinopsis de la Evidencia: Se realizó una búsqueda de la literatura con respecto a a eficacia y seguridad de rituximab, en comparación a la terapia de primera línea (inmunoglobulina intravenosa, pulsos de corticoides y plasmaféresis) o placebo, como tratamiento de segunda línea en pacientes pediátricos con diagnóstico de encefalitis autonmune refractarios a la inmunoterapia de primera línea.No se encontratón ensayos clínicos aleatorizados por lo que se incluyeron resultados de estudios observacionlaes y series de casos que aportaran información relevante. CONCLUSIONES: A la fecha, no existe evidencia suficiente sobre la eficacia científica de rituximab, con respecto a la inmunoterapia de primera línea (corticoesteroides, inmunoglobulina intravenosa y plasmaféresis) o placebo, en pacientes pediátricos con diagnóstico de encefalitis autoinmune refractarioa a la inmunoterapia de primera línea en términos de mayor calidad de vida y disminución de secuelas neurológicas. No se encontraron ensayos clínicos que hayan evaluado el uso de rituximab en la población de la presente evaluación de tecnologia sanitaria. La GPC clínica encontrada para el tratamiento de este tipo de pacientes no incluyen a rituximab dentro de sus recomendaciones. Del mismo modo, la única revisión sistemática identificada concluye que existe un aparente beneficio en el uso de la inmunoterapia de segunda línea con respecto al no uso de esta, pero que estos resultados se ven afectados por sesgos de selección y de reporte. El Instituto de Evaluación de Tecnologías en Salud e Investigación (IETSI) aprueba el uso de rituximab como alternativa de tratamiento para pacientes pediátricos con diagnóstico de encefalitis autoinmune refractarios a la inmunoterapia de primera línea. El periodo de vigencia de este dictamen es de un año y la continuación de dicha aprobación estará sujeta a los resultados obtenidos de los pacientes que se beneficien con dicho tratamiento y a nueva evidencia que pueda surgir en el tiempo.
Descritores: Corticosteroides/uso terapêutico
Encefalite/tratamento farmacológico
Imunoglobulinas/uso terapêutico
Metilprednisolona/uso terapêutico
Plasmaferese/métodos
Rituximab/administração & dosagem
Avaliação da Tecnologia Biomédica
-Pulsoterapia
Resultado do Tratamento
Limites: Recém-Nascido
Lactente
Pré-Escolar
Criança
Adolescente
Tipo de Publ: Revisão
Relatório Técnico
Estudos de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 25 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo SciELO Brasil
Trevisani, Virginia Fernandes Moça
Texto completo
Texto completo
Id: lil-744623
Autor: Franco, Cybelle Moreno Luize; Oliveira, Grazielly Martins Peixoto de; Fidelix, Tânia Sales de Alencar; Vieira, Luiz Antônio; Trevisani, Virginia Fernandes Moça.
Título: Nodular scleritis and granulomatous polyangiitis (Wegener) mimicking tuberculosis / Esclerite nodular e poliangiite granulomatosa (Wegener) mimetizando tuberculose
Fonte: Rev. bras. oftalmol;74(2):106-109, Mar-Apr/2015. graf.
Idioma: pt.
Resumo: Granulomatous polyangiitis is a systemic disease that may affect any organ, with a predilection for the upper respiratory tract, lungs and kidneys. This article aims to report a case of a patient with atypical nodular scleritis as the initial manifestation of granulomatous polyangiitis (Wegener), mimicking a case of tuberculosis. The patient presented ocular hyperemia and lower progressive visual acuity for 1.5 years, followed by eye pain for two months. The patient had subpleural nodules with soft tissue density, increased pulmonary lymph nodes and discrete bilateral pleural thickening, with negative alcohol-resistant acid bacilli (BAAR). The histological diagnosis revealed a granulomatous vasculitis suggestive of non-infectious vasculitis (granulomatous polyangiitis). Cyclophosphamide pulse therapy was initiated.

Poliangiite granulomatosa é uma doença sistêmica que afeta qualquer órgão, com predileção pelo trato respiratório superior, pulmões e rins. Este artigo tem como objetivo relatar um caso atípico de uma paciente com esclerite nodular como manifestação inicial da poliangiite granulomatosa (Wegener), mimetizando um quadro de tuberculose. A paciente apresentou hiperemia ocular e baixa acuidade visual progressiva por 1,5 anos, seguido por dor ocular por dois meses. A paciente possuía nódulos subpleurais com densidade de partes moles, linfonodomegalia em janela aorto-pulmonar e espessamento pleural bilateral discreto, negativo para bacilos álcool-ácido resistentes (BAAR). O diagnóstico histológico revelou uma vasculite granulomatosa sugestiva de vasculite não infecciosa (poliangiite granulomatosa). Foi iniciada pulsoterapia com ciclofosfamida.
Descritores: Ciclofosfamida/administração & dosagem
Esclerite/diagnóstico
Granulomatose com Poliangiite/diagnóstico
Granulomatose com Poliangiite/tratamento farmacológico
Vasculite
Acuidade Visual
-Pulsoterapia
Limites: Seres Humanos
Feminino
Meia-Idade
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.2 - Biblioteca Central


  6 / 25 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Medeiros, Marta Maria das Chagas
Id: lil-733401
Autor: Medeiros, Marta Maria das Chagas; Diógenes, Clarissa de Alencar; Macedo, Francisca Delanie Bulcão de.
Título: Efeitos colaterais da administração da pulsoterapia de ciclofosfamida em pacientes com lúpus eritematososistêmico e fatores associados a irregularidades no tratamento / Side effects of cyclophosphamide pulse therapy in patients with systemic lupuserythematosus and factors associated with irregularity
Fonte: Rev. Soc. Bras. Clín. Méd;3(5):126-133, 2005. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Objetivo: Avaliar os principais efeitos colaterais que ocorrem durante o tratamento com pulsoterapia de ciclofosfamida em pacientes com Lupus Eritematoso Sistêmico, bem como analisar quais fatores estariam mais associados com a irregularidade do tratamento. Métodos: pacientes com diagnóstico de Lupus Eritematoso Sistêmico(LES)em esquema de pulsoterapia de ciclofosfamida (CF) foram abordados no dia da administração da medicação para coleta de dados sóciodemográficos, clínicos, relacionados aos efeitos colaterais da CF e motivos de atrasos na administração da pulsoterapia. Dados complementares foram extraídos dos prontuários. Resultados: 48 pacientes foram abordados em uma ou mais ocasiões durante a realização da pulso terapia de CF, totalizando 176 avaliações. A média de idade foi de 30,3 ± 10,3 anos, 95,8% eram do sexo feminino e a indicação mais freqüente da pulsoterapia foi a nefrite lúpica (91,6%). Por ocasião da avaliação inicial nos 48 pacientes, os efeitos colaterais registrados pelos pacientes desde o início do tratamento foram: náuseas e vômitos (85A%), queda de cabelo (75%), amenorréia (41,5%)e infecção (33,3%). Estes efeitos foram menos freqüentes nas avaliações prospectivas. As taxas de náuseas foram menores nos pacientes que tomavam doses maiores de prednisona (dose de prednisona E 5mg/dia: 93,6% de náuseas; 5-20mg prednisona/dia: 77,4%; > 20mg de prednisona/dia: 62,5%; p = 0,001). 60A% dos pacientes pensaram em desistir do tratamento em algum momento devido aos efeitos colaterais. Em 32,8% das avaliações (57/174) houve atraso na última administração de CFe os principais motivos foram pessoais (38,6%)e infecções (38,6%).Conclusões: Os efeitos colaterais associados a pulsoterapia de CF são muito freqüentes, embora nãomuito graves. A irregularidade na administração da CF por atraso é freqüente e são necessários estudosprospectivos para se avaliar o impacto destes atrasos no prognóstico dos pacientes.
Descritores: Ciclofosfamida
Lúpus Eritematoso Sistêmico
-Pulsoterapia
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Responsável: BR33.1 - Divisão Técnica de Biblioteca e Documentação


  7 / 25 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-626087
Autor: Stringa, Matías Federico.
Título: Enfermedad de injerto contra huésped cutánea en el trasplante alogénico de médula ósea / Cutaneous graft versus host disease after allogenic hematopoyetic stem cell transplantation
Fonte: Dermatol. argent;16(4):252-260, 2010. ilus.
Idioma: es.
Resumo: Debido al incremento en la utilización del trasplante alogénico de médula ósea como terapéutica, es cada vez más frecuente observar la enfermedad injerto contra huésped como una de sus complicaciones de mayor relevancia. Ésta suele ser una causa importante de morbimortalidad en los pacientes trasplantados. Las manifestaciones cutáneas generalmente son las primeras en aparecer, y tanto su forma aguda como crónica presentan una gran variedad clínica. El objetivo de este trabajo es revisar la etiología, las características clínicas e histopatológicas, el diagnóstico y la terapéutica de la enfermedad de injerto contra huésped cutánea.
Descritores: Doença Enxerto-Hospedeiro/classificação
Doença Enxerto-Hospedeiro/fisiopatologia
Doença Enxerto-Hospedeiro/patologia
Doença Enxerto-Hospedeiro/tratamento farmacológico
-Transplante de Medula Óssea
Glucocorticoides
Imunossupressores
Fotoferese
Pulsoterapia
Transplante Homólogo/efeitos adversos
Limites: Seres Humanos
Responsável: AR144.1 - CIBCHACO - Centro de Información Biomedica del Chaco


  8 / 25 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-617119
Autor: Tamez Perez, Hector Eloy; Gómez de Ossio, María Dolores; Quintanilla Flores, Dania Lizet; Hernández Coria, Mayra Ivonne; Tamez Peña, Alejandra Lorena; Cuz Pérez, Gissén Jazmín; Proskauer Peña, Stephanie Lissette.
Título: Glucose disturbances in non-diabetic patients receiving acute treatment with methylprednisolone pulses / Distúrbios de glicose em pacientes não diabéticos que recebem tratamento agudo com pulsos de metilprednisolona
Fonte: Rev. Assoc. Med. Bras. (1992);58(1):125-128, jan.-fev. 2012. tab.
Idioma: en.
Resumo: OBJECTIVE: Methylprednisolone pulses are used in a variety of disease conditions, both for acute and chronic therapy. Although well tolerated, they increase glucose levels in both non-diabetic and diabetic patients. They may also be considered a significant risk for acute metabolic alterations. The purpose of this report is to determine the metabolic changes in blood glucose levels in non-diabetic patients receiving methylprednisolone pulses and identify the presence of predictive factors for its development. METHODS: Observational, prospective study in 50 non-diabetic patients receiving 1 g intravenous methylprednisolone pulses for three consecutive days as an indication for diverse autoimmune disorders. Demographic, anthropometric, and metabolic variables were analyzed, and glucose, insulin and C-peptide levels after each steroid pulse were identified. Different variables and the magnitude of hyperglycemia were analyzed using Pearson's correlation. RESULTS: 50 patients were included, predominantly women (66 percent, n = 33). The average age was 41 ± 14 years with a BMI of 26 ± 3 kg/m². Baseline glucose was 83 ± 10 mg/dL. After each steroid pulse, glucose increased to 140 ± 28, 160 ± 38 and 183 ± 44, respectively (p < 0.001). C-peptide and insulin concentrations increased significantly (p < 0.001). The prevalence of fasting hyperglycemia after each pulse was 68 percent, 94 percent and 98 percent, respectively. We found no correlation between the magnitude of hyperglycemia and the studied variables. CONCLUSION: Methylprednisolone pulses produced significant increases in fasting glucose in most patients without diabetes. Further studies are needed to define its role in long-term consequences.

OBJETIVO: Pulsos de metilprednisolona são usados em diversas doenças, tanto para tratamento agudo quanto crônico. Embora bem tolerados, eles aumentam os níveis de glicose em ambos os pacientes, não diabéticos e diabéticos. Eles também podem ser considerados um risco significativo para alterações metabólicas agudas. O propósito deste estudo é determinar as alterações metabólicas nos níveis de glicose no sangue de pacientes não diabéticos que recebem pulsos de metilprednisolona e identificar a presença de fatores preditivos para seu desenvolvimento. MÉTODOS: Estudo observacional prospectivo em 50 pacientes não diabéticos que recebem pulsoterapia com 1 g de metilprednisolona intravenosa por três dias consecutivos como tratamento para diversas doenças autoimunes. Variáveis demográficas, antropométricas e metabólicas foram analisadas, e glicose, insulina e níveis de peptídeo C foram identificados após cada pulso de esteroide. Diferentes variáveis e a magnitude da hiperglicemia foram analisadas utilizando a correlação de Pearson. RESULTADOS: 50 pacientes foram incluídos, predominantemente mulheres (66 por cento, n = 33). A idade média foi de 41 ± 14 anos com um IMC de 26 ± 3 kg/m². A glicose de base foi de 83 ± 10 mg/dL. Após cada pulso de esteroide, a glicose aumentou para 140 ± 28, 160 ± 38 e 183 ± 44, respectivamente (p < 0,001). Peptídeo C e concentrações de insulina aumentaram significativamente (p < 0,001). A prevalência de hiperglicemia em jejum após cada pulso foi de 68 por cento, 94 por cento e 98 por cento, respectivamente. Não encontramos nenhuma correlação entre a magnitude da hiperglicemia e as variáveis estudadas. CONCLUSÃO: Os pulsos de metilprednisolona produziram aumentos significativos na glicemia de jejum na maioria dos pacientes sem diabetes. Mais estudos são necessários para definir o seu papel nas consequências em longo prazo.
Descritores: Glicemia/efeitos dos fármacos
Glucocorticoides/efeitos adversos
Hiperglicemia/induzido quimicamente
Metilprednisolona/efeitos adversos
-Glicemia/metabolismo
Hiperglicemia/metabolismo
México
Estudos Prospectivos
Pulsoterapia
Fatores de Risco
Limites: Adolescente
Adulto
Feminino
Seres Humanos
Masculino
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 25 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-519294
Autor: Araujo, Edmar A. S; Freitas, Marcos R. G. de; Santos, Alair Augusto S. M. D.
Título: Progressive primary form of multiple sclerosis: clinical and radiological improvement with methylprednisolone in continuous pulsetherapy in one case for 16 years / Forma progressiva primária da esclerose múltipla: melhora clínica e radiológica com com pulsoterapia contínua com metilprednisoloisolona em um caso por 16 anos
Fonte: Arq. neuropsiquiatr;67(2b):536-538, June 2009. ilus, tab.
Idioma: en.
Descritores: Anti-Inflamatórios/administração & dosagem
Metilprednisolona/administração & dosagem
Esclerose Múltipla Crônica Progressiva/tratamento farmacológico
Fármacos Neuroprotetores/administração & dosagem
-Imagem por Ressonância Magnética
Pulsoterapia
Limites: Adulto
Feminino
Seres Humanos
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 25 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-510093
Autor: Rozencwajg, Deborah; Nunes, Carla Fátima Paixão; Sakuma, Luciane Midory; Laselva, Cláudia Regina; Roza, Bartira Aguiar.
Título: Assistência de enfermagem ao paciente em pulsoterapia com corticosteróide / Nursing care of patients on corticosteroid pulse therapy
Fonte: Einstein (Säo Paulo);6(4):491-496, 2008.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução: A pulsoterapia com corticosteróide endovenoso consistena administração de corticosteróides em altas doses (a partir de 1 g/dia), por três dias ou mais, ou em dias alternados. A necessidade de hospitalização ocorre devido aos possíveis efeitos colaterais que o paciente pode apresentar durante a infusão da droga; para tanto a monitorização dos parâmetros vitais, além de identificar precocementeos efeitos, possibilita intervenção adequada, garantindo a segurança do paciente. A uniformização dos cuidados prestados é necessária devido à responsabilidade da equipe de enfermagem na administração da droga e o acompanhamento destes pacientes. Objetivo: Identificar os principais cuidados na assistência de enfermagem durante a administração do corticosteróide em uma unidade hospitalar. Métodos: Pesquisa bibliográfica em base de dados, livros e revistas científicas nas áreas de endocrinologia, farmácia e enfermagem; discussão com especialistas em neurologia, transplante e farmácia. Resultados: Os efeitos colaterais durante a pulsoterapia com corticosteróides podem ocorrer logo no início da infusão da droga. Para monitorar estas alterações foi elaborado um instrumento para sistematizar a assistência de enfermagem prestada a estes pacientes. Conclusões: A assistência de enfermagem sistematizada durante a pulsoterapia com corticosteróide promove a identificação precoce das possíveis complicações e, conseqüentemente, intervenção paraminimizá-las.
Descritores: Assistência ao Paciente/enfermagem
Corticosteroides/uso terapêutico
Pulsoterapia/enfermagem
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR500.1 - Biblioteca



página 1 de 3 ir para página          
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde