Base de dados : LILACS
Pesquisa : E02.319.307 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 1061 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 107 ir para página                         

  1 / 1061 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-1289870
Autor: Boni, Silvia; Marin, Gustavo H; Campaña, Laura; Marin, Lupe; Corso, Alejandra; Risso-Patron, Soledad; Gabriel, Fernanda; Garay, Valeria; Limeres, Manuel.
Título: Disparities in antimicrobial consumption and resistance within a country: the case of beta-lactams in Argentina / Disparidades en el consumo de antimicrobianos y la resistencia a estos dentro de un país: el caso de los betalactámicos en Argentina / Disparidades internas no consumo e na resistência aos antimicrobianos: o caso dos betalactâmicos na Argentina
Fonte: Rev. panam. salud pública = Pan am. j. public health;45:e76, 2021. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective. To describe bacterial resistance and antimicrobial consumption ratio at the subnational level in Argentina during 2018, considering beta-lactams group as a case-study. Methods. Antimicrobial consumption was expressed as defined daily doses (DDD)/1000 inhabitants. Resistance of Escherichia coli, Streptococcus pneumoniae, Pseudomonas aeruginosa, Klebsiella pneumoniae and Staphylococcus aureus to beta-lactams was recorded. Resistance/consumption ratio was estimated calculating "R" for each region of Argentina, and this data was compared with other countries. Results. The most widely consumed beta-lactams in Argentina were amoxicillin (3.64) for the penicillin sub-group, cephalexin (0.786) for first generation cephalosporins, cefuroxime (0.022) for second generation; cefixime (0.043) for third generation and cefepime (0.0001) for the fourth generation group. Comparison between beta-lactams consumption and bacterial resistance demonstrated great disparities between the six regions of the country. Conclusions. The case-study of Argentina shows that antimicrobial consumption and resistance of the most common pathogens differed among regions, reflecting different realities within the same country. Because this situation might also be occurring in other countries, this data should be taken into account to target local efforts towards better antimicrobial use, to improve antimicrobial stewardship programs and to propose more suitable sales strategies in order to prevent and control antimicrobial resistance.

RESUMEN Objetivo. Determinar la razón entre la resistencia bacteriana y el consumo de antimicrobianos a nivel subnacional en Argentina en el 2018, considerando el grupo de los betalactámicos como estudio de caso. Métodos. El consumo de antimicrobianos se expresó como una dosis diaria determinada (DDD) por 1000 habitantes. Se registró la resistencia de Escherichia coli, Streptococcus pneumoniae, Pseudomonas aeruginosa, Klebsiella pneumoniae y Staphylococcus aureus a los betalactámicos. Se determinó la razón entre la resistencia y el consumo calculando "R" para cada región de Argentina, y estos datos se compararon con los de otros países. Resultados. Los betalactámicos más consumidos en Argentina fueron la amoxicilina (3,64) para el subgrupo de la penicilina; la cefalexina (0,786) para las cefalosporinas de primera generación; la cefuroxima (0.022) para las de segunda generación; la cefixima (0.043) para las de tercera generación, y la cefepima (0.0001) para el grupo de la cuarta generación. La comparación entre el consumo de betalactámicos y la resistencia bacteriana demostró que había grandes disparidades entre las seis regiones del país. Conclusiones. El estudio de caso en Argentina indica que el consumo de antimicrobianos y la resistencia a los patógenos más comunes difería entre las regiones; esto demuestra que hay distintas realidades dentro del mismo país. Como esta situación también se puede dar en otros países, estos datos se deben tener en cuenta para definir las actividades locales destinadas a fomentar un mejor uso de los antimicrobianos, para mejorar los programas de manejo de los antimicrobianos y para proponer estrategias de venta más adecuadas con el fin de prevenir y controlar la resistencia a los antimicrobianos.

RESUMO Objetivo. Descrever a relação entre o consumo de antimicrobianos e a resistência bacteriana no nível subnacional na Argentina em 2018, considerando o grupo dos betalactâmicos no estudo de caso. Métodos. O consumo de antimicrobianos foi representado por doses diárias definidas (DDD) por 1.000 habitantes. Foi registrada a resistência de Escherichia coli, Streptococcus pneumoniae, Pseudomonas aeruginosa, Klebsiella pneumoniae e Staphylococcus aureus aos betalactâmicos. A relação entre consumo e resistência foi calculada com base no "R" para cada região do país e os dados da Argentina foram comparados aos de outros países. Resultados. Os betalactâmicos de maior consumo na Argentina foram amoxicilina (3,64) no grupo das penicilinas, cefalexina (0,786) no grupo das cefalosporinas de primeira geração, cefuroxima (0.022) no grupo das cefalosporinas de segunda geração, cefixima (0.043) no grupo das cefalosporinas de terceira geração e cefepima (0.0001) no grupo das cefalosporinas de quarta geração. Ao se comparar o consumo de betalactâmicos e a resistência bacteriana, observou-se grande disparidade entre as seis regiões do país. Conclusões. O estudo de caso revela diferenças no consumo de antimicrobianos e na resistência dos patógenos mais comuns entre as regiões da Argentina, refletindo realidades distintas dentro do mesmo país. Como esta mesma situação pode estar ocorrendo em outros países, estes achados devem servir para direcionar os esforços locais a uma melhor utilização dos antimicrobianos, aperfeiçoar os programas de gestão do uso destes medicamentos e propor estratégias de venda mais apropriadas, visando a prevenir e controlar a resistência aos antimicrobianos.
Descritores: Prescrições de Medicamentos/estatística & dados numéricos
Resistência beta-Lactâmica
Bactérias Gram-Negativas/efeitos dos fármacos
Bactérias Gram-Positivas/efeitos dos fármacos
Antibacterianos/administração & dosagem
-Argentina
Estudos Retrospectivos
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 1061 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1142615
Autor: Cruz, Alex Júnio Silva da; Santos, Jacqueline Silva; Pereira Júnior, Edmilson Antônio; Ruas, Cristina Mariano; Matos, Flávio de Freitas; Castilho, Lia Silva de; Abreu, Mauro Henrique Nogueira Guimarães.
Título: Prescriptions of analgesics and anti-inflammatory drugs in municipalities from a Brazilian Southeast state
Fonte: Braz. oral res. (Online);35:e011, 2021. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior.
Resumo: Abstract The objective of this study was to describe dental prescriptions of non-steroidal anti-inflammatory drugs (NSAID), opioids, and analgesics dispensed by the Brazilian National Health System (BNHS, SUS in Portuguese) of a Southeastern state from January to December 2017, and to analyze their association with socioeconomic and oral health care services' characteristics at municipal level. Data were collected from the Brazilian Integrated Pharmaceutical Care Management System. Medicines were grouped according to the Anatomical Therapeutic Chemical Classification System. The total number of Defined Daily Doses (DDD) and DDD per 1,000 inhabitants (inhab.) per year were presented and compared between groups of municipalities. Data analysis used the Classification and Regression Tree model performed with IBM SPSS 25.0. The total number of NSAID, opioids, and analgesics prescriptions was 70,747 and accounted for 354,221.13 DDD. The most frequently prescribed medicine was ibuprofen (n = 24,676; 34.88%). The number of dental practitioners in the BNHS per 1,000 inhab. (p < 0.001), first dental appointment coverage (p = 0.010), oral health teams per 1,000 inhab. (p=0.022), and the proportion of rural population (p = 0.014) were variables positively associated with the number of DDD of NSAID per 1,000 inhab. per year. Bolsa Família program coverage per 1,000 inhab. (p = 0.022) was negatively associated with NSAID prescription. Regarding analgesics, first dental appointment coverage (p=0.002) and Bolsa Família program coverage per 1,000 inhab. (p = 0.012) were positively associated with DDD per 1,000 inhab. per year. In conclusion, dental prescriptions of analgesics and NSAID in the BNHS were associated with socioeconomic and oral health care services' characteristics.
Descritores: Prescrições de Medicamentos
Odontólogos
-Brasil
Preparações Farmacêuticas
Anti-Inflamatórios não Esteroides/uso terapêutico
Cidades
Papel Profissional
Analgésicos/uso terapêutico
Analgésicos Opioides/uso terapêutico
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 1061 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-975093
Autor: Castro, Jaqueline Cristina da Silveira Xavier e; Botelho, Stephanie Ferreira; Machado, Taisa Roberta Lopes; Martins, Maria Auxiliadora Parreiras; Vieira, Liliana Batista; Reis, Adriano Max Moreira.
Título: Suitability of new drugs registered in Brazil from 2003 to 2013 for pediatric age groups / Adequação às faixas etárias pediátricas de medicamentos novos registrados no Brasil de 2003 a 2013
Fonte: Einstein (Säo Paulo);16(4):eAO4354, 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.
Resumo: ABSTRACT Objective To analyze suitability of new drugs registered in Brazil from 2003 to 2013 for pediatric age groups. Methods A descriptive study of drugs with pediatric indication included in a retrospective cohort of new drugs registered in Brazil. The evaluation of drug suitability for the pediatric age group was performed using the following criteria: suitability of dosage form and capacity to deliver the recommended dose. The drugs were considered adequate for the pediatric age groups when they met both criteria. The statistical analysis included calculation of frequencies and proportions. Results Suitability due to the drug capacity to deliver the recommended dose was greater than 80% across all age groups. Regarding suitability of the dosage form, we identified that the older the age group, the greater suitability for pediatric use. Concerning the drugs presented in solid dosage form, we showed that half were classified as inadequate for one or more pediatric age groups to whom they were indicated. The adequacy of drugs to the pediatric age group was 64.3% for preschool children, 66.7% for full-term newborns, 66.7% for premature newborns, and over 70% for other age groups. Conclusion Drugs for children aged under 6 years were less often adequate, considering the dosage form and capacity to provide the recommended dose. The availability and proportional suitability of medicines for pediatric use are greater for older age groups, according to age groups the drug is registered for.

RESUMO Objetivo Analisar a adequação às faixas etárias pediátricas dos medicamentos novos registrados no Brasil no período de 2003 a 2013. Métodos Estudo descritivo dos medicamentos com indicação pediátrica incluídos em uma coorte retrospectiva de medicamentos novos registrados no Brasil. A avaliação da adequação do medicamento à faixa etária pediátrica foi realizada empregando os seguintes critérios: adequação da forma farmacêutica e capacidade de fornecer a dose recomendada. Os medicamentos foram considerados adequados às faixas etárias pediátricas quando preencheram os dois critérios. A análise estatística compreendeu cálculo de frequências e proporções. Resultados A adequação devido à capacidade do medicamento fornecer a dose recomendada foi superior a 80% em todas as faixas etárias. Em relação à adequação da forma farmacêutica, identificou-se que quanto maior a faixa etária, maior a proporção de adequação para uso pediátrico. Em relação aos medicamentos que se apresentavam em formas farmacêuticas sólidas, evidenciou-se que metade foi classificada como inadequada para uma ou mais faixas etárias pediátricas para as quais estavam indicados. A adequação dos medicamentos à faixa etária pediátrica foi 64,3% para pré-escolares, 66,7% para recém-nascidos a termo, 66,7% para recém-nascidos prematuros e superior a 70% para as demais faixas etárias. Conclusão Os medicamentos destinados às crianças menores de 6 anos apresentaram menor frequência de adequação, considerando a forma farmacêutica e a capacidade de fornecer a dose recomendada. A disponibilidade e a proporção de adequação dos medicamentos para uso pediátrico aumentam com a elevação da faixa etária para a qual o medicamento é registrado.
Descritores: Prescrições de Medicamentos/normas
Preparações Farmacêuticas/administração & dosagem
Cálculos da Dosagem de Medicamento
Uso Off-Label/normas
-Prescrições de Medicamentos/estatística & dados numéricos
Padrões de Referência
Brasil
Estudos Retrospectivos
Uso Off-Label/estatística & dados numéricos
Limites: Humanos
Recém-Nascido
Lactente
Pré-Escolar
Criança
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 1061 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-953156
Autor: Silva, Ana Carolina de Souza e; Sousa, Domingos Sávio de Carvalho; Perraud, Eunice Bobô de Carvalho; Oliveira, Fátima Rosane de Almeida; Martins, Bruna Cristina Cardoso.
Título: Pharmacotherapeutic follow-up in a respiratory intensive care unit: description and analysis of results / Acompanhamento farmacoterapêutico em unidade de terapia intensiva respiratória: descrição e análise de resultados
Fonte: Einstein (Säo Paulo);16(2):eAO4112, 2018. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective: To describe and evaluate the pharmacotherapeutic follow-up by a clinical pharmacist in an intensive care unit. Methods: A descriptive and cross-sectional study carried out from August to October 2016. The data were collected through a form, and pharmacotherapeutic follow-up conducted by a clinical pharmacist at the respiratory intensive care unit of a tertiary hospital. The problems recorded in the prescriptions were quantified, classified and evaluated according to severity; the recommendations made by the pharmacist were analyzed considering the impact on pharmacotherapy. The medications involved in the problems were classified according to the Anatomical Therapeutic Chemical Classification System. Results: Forty-six patients were followed up and 192 pharmacotherapy-related problems were registered. The most prevalent problems were missing information on the prescription (33.16%), and those with minor severity (37.5%). Of the recommendations made to optimize pharmacotherapy, 92.7% were accepted, particularly those on inclusion of infusion time (16.67%), and dose appropriateness (13.02%), with greater impact on toxicity (53.6%). Antimicrobials, in general, for systemic use were drug class most often related to problems in pharmacotherapy (53%). Conclusion: Pharmacotherapeutic follow-up conducted by a pharmacist in a respiratory intensive care unit was able to detect problems in drug therapy and to make clinically relevant recommendations.

RESUMO Objetivo: Descrever e avaliar o acompanhamento farmacoterapêutico do farmacêutico clínico em uma unidade de terapia intensiva. Métodos: Trata-se de um estudo descritivo, com desenho transversal, realizado no período de agosto a outubro de 2016. Os dados foram coletados por meio de um formulário de registro, com acompanhamento farmacoterapêutico realizado pelo farmacêutico clínico na unidade de terapia intensiva respiratória de um hospital terciário. Os problemas registrados nas prescrições foram quantificados e classificados, sendo avaliados quanto à gravidade; as recomendações realizadas pelo farmacêutico clínico foram analisadas em relação ao impacto na farmacoterapia. Os medicamentos envolvidos nos problemas foram categorizados utilizando o Anatomical Therapeutic Chemical Classification System. Resultados: Foram acompanhados 46 pacientes, tendo sido registrados 192 problemas relacionados à farmacoterapia. Os problemas prevalentes foram informação ausente na prescrição (33,16%) e com gravidade menor (37,5%). Das recomendações realizadas para a otimização da farmacoterapia, 92,7% foram aceitas, sendo prevalentes aquelas referentes a inclusão do tempo de infusão (16,67%) e a adequação da dose (13,02%), com maior impacto na toxicidade (53,6%). Os anti-infecciosos gerais para uso sistêmico constituíram classe de medicamentos mais frequente nos problemas relacionados à farmacoterapia (53%). Conclusão: O acompanhamento farmacoterapêutico realizado pelo farmacêutico em uma unidade de terapia intensiva respiratória mostrou-se capaz de detectar problemas na farmacoterapia dos pacientes e realizar recomendações clinicamente relevantes.
Descritores: Farmacêuticos/normas
Prescrições de Medicamentos/normas
Serviço Hospitalar de Terapia Respiratória
Efeitos Colaterais e Reações Adversas Relacionados a Medicamentos/diagnóstico
Unidades de Terapia Intensiva
-Serviço de Farmácia Hospitalar/normas
Estudos Transversais
Seguimentos
Efeitos Colaterais e Reações Adversas Relacionados a Medicamentos/prevenção & controle
Centros de Atenção Terciária/normas
Tempo de Internação
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 1061 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-891413
Autor: Viana, Stéphanie de Souza Costa; Arantes, Tiago; Ribeiro, Sabrina Corrêa da Costa.
Título: Interventions of the clinical pharmacist in an Intermediate Care Unit for elderly patients / Intervenções do farmacêutico clínico em uma Unidade de Cuidados Intermediários com foco no paciente idoso
Fonte: Einstein (Säo Paulo);15(3):283-288, July-Sept. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective To discuss the role of the clinical pharmacist in hospital care of critical elderly patients. Methods Critical patients aged 60 years and over admitted by the clinical staff to an Intermediate Care Unit were followed-up for 4 months regarding their drug therapies. Medical prescriptions were reviewed daily on the basis of patients' clinical conditions, with the view to identify opportunities for optimization of drug therapies, contributing to safer prescribing, reduced discomfort and correct and rational use of drugs. Results A total of 386 prescriptions were reviewed and 212 pharmaceutical interventions performed; 64.3% of prescriptions were classified as accepted with changes, 28.5% not accepted and 7.2% verbally accepted with no changes. Interventions included drug therapy indications, directions for dose adjustment, reduction of the use of potentially inappropriate medications for older patients, prescription adjustments, discontinuing unnecessary drugs, among others. Conclusion The significant number of interventions accepted by the healthcare staff supports the relevance of the clinical pharmacist as a member of the multiprofessional team, especially in care of the elderly.

RESUMO Objetivo Discutir o papel do farmacêutico clínico no cuidado hospitalar de pacientes críticos, idosos. Métodos Ao longo do período de 4 meses, foi realizado o acompanhamento farmacoterapêutico de pacientes críticos com 60 anos ou mais, admitidos pela equipe de Clínica Médica em uma Unidade de Cuidados Intermediários. Diariamente, foram realizadas avaliações das prescrições médicas, frente ao quadro clínico, a fim de encontrar oportunidades de otimização da farmacoterapia prescrita, contribuindo para a maior segurança da prescrição, a redução de desconfortos, e o uso correto e racional de medicamentos. Resultados Foram avaliadas 386 prescrições e realizadas 212 intervenções farmacêuticas, sendo 64,3% destas classificadas como aceitas com alteração na prescrição, 28,5% não aceitas e 7,2% aceitas verbalmente, porém sem alteração na prescrição. As intervenções envolviam indicações farmacoterapêuticas, orientações para ajustes de dose, redução do uso de medicamentos potencialmente inapropriados para idosos, ajustes de prescrição, suspensão de medicamentos desnecessários, entre outras. Conclusão O significativo número de intervenções aceitas pela equipe da saúde reforça o papel que o farmacêutico clínico tem a desempenhar na equipe multiprofissional, sobretudo quando direcionados ao cuidado de idosos.
Descritores: Farmacêuticos
Serviço de Farmácia Hospitalar/estatística & dados numéricos
Prescrições de Medicamentos
Serviços de Saúde para Idosos
-Equipe de Assistência ao Paciente
Serviço de Farmácia Hospitalar/normas
Hospitalização
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 1061 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-891453
Autor: Aguiar, Karina da Silva; Santos, Jamile Machado dos; Cambrussi, Mônica Cristina; Picolotto, Solane; Carneiro, Marcela Bechara.
Título: Patient safety and the value of pharmaceutical intervention in a cancer hospital / Segurança do paciente e o valor da intervenção farmacêutica em um hospital oncológico
Fonte: Einstein (Säo Paulo);16(1):eAO4122, 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective To demonstrate economic impact of pharmaceutical evaluation in detection and prevention of errors in antineoplastic prescriptions. Methods This was an observational and retrospective study performed in a cancer hospital. From July to August 2016 pharmacists checked prescriptions of antineoplastic and adjuvant drugs. Drug-related problems observed were classified and analyzed concerning drug, pharmaceutical intervention, acceptability and characteristic of the error. In case of problem related to dose, we calculated a deviation percentage related with correct dose and value spent or saved. Data were analyzed using descriptive statistics with frequency and percentage. Results A total of 6,104 prescriptions and 12,128 medications were evaluated. Drug-related problems were identified in 274 (4.5%) prescriptions. Most of them was due to lack of information (n=117; 36.1%). Problems associated with dose accounted for 32.1% (n=98) of the total. In 13 cases (13.3%) ranging of prescribed dose was 50% greater than the correct dose. Intercepted drug-related problems provided savings of R$54.081,01 and expenses of R$20.863,36, therefore resulting in a positive balance of R$33.217,65. Each intervention promoted saving of R$126,78 with an acceptance rate of 98%. Main pharmaceutical interventions were information inclusion (n=117; 36.1%) and dose change (n=97; 29.9%). All errors were classified as error with no harm. Conclusion Simple actions such as prescription checking are able to identify and prevent drug-related problems, avoid financial losses and add immeasurable value to patient safety.

RESUMO Objetivo Demonstrar o impacto econômico da avaliação farmacêutica na detecção e na prevenção de erros em prescrições de antineoplásicos. Métodos Estudo observacional e retrospectivo realizado em um hospital oncológico. De julho a agosto de 2016, prescrições contendo antineoplásicos e fármacos adjuvantes ao tratamento foram avaliadas por farmacêuticos. Os problemas detectados relacionados a medicamentos foram classificados e analisados quanto ao medicamento, à intervenção farmacêutica, à aceitabilidade e à caracterização do erro. Quando o problema envolveu dose, calcularam-se a percentagem de desvio em relação à dose correta e o valor gasto ou economizado. Os dados foram analisados por estatística descritiva com aplicação de frequência e percentual. Resultados Foram avaliadas 6.104 prescrições e 12.128 medicamentos. Identificaram-se problemas relacionados a medicamentos em 274 (4,5%) prescrições, sendo a maioria causado por falta de informações (n=117; 36,1%). Quando reunidos, os problemas envolvendo dose representaram 32,1% (n=98) do total. Em 13 casos (13,3%), a variação da dose prescrita em relação à correta foi maior do que 50%. Os problemas relacionados a medicamentos interceptados representaram economia de R$54.081,01 e gastos de R$20.863,36, resultando em saldo positivo de R$33.217,65. Cada intervenção promoveu economia de R$126,78 com aceitabilidade de 98%. As principais intervenções foram inclusão de informações (n=117; 36,1%) e alteração de dose (n=97; 29,9%). Todos os erros foram considerados sem dano. Conclusão Ações simples de serem implantadas, como análise de prescrições, são capazes de identificar e prevenir problemas relacionados a medicamentos, evitar perdas financeiras e agregar imensurável valor na segurança do paciente.
Descritores: Serviço de Farmácia Hospitalar/estatística & dados numéricos
Prescrições de Medicamentos/estatística & dados numéricos
Segurança do Paciente
Erros de Medicação/prevenção & controle
Neoplasias/tratamento farmacológico
-Serviço de Farmácia Hospitalar/economia
Prescrições de Medicamentos/economia
Institutos de Câncer
Estudos Retrospectivos
Erros de Medicação/economia
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 1061 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1039740
Autor: Santos, Fabiana Silvestre dos; Dias, Bianca Menezes; Reis, Adriano Max Moreira.
Título: Emergency department visits of older adults within 30 days of discharge: analysis from the pharmacotherapy perspective / Visitas de idosos a departamentos de emergência em até 30 dias após a alta hospitalar: análise na perspectiva da farmacoterapia
Fonte: Einstein (Säo Paulo);18:eAO4871, 2020. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective To analyze, from the pharmacotherapy perspective, the factors associated to visits of older adults to the emergency department within 30 days after discharge. Methods A cross-sectional study carried out in a general public hospital with older adults. Emergency department visit was defined as the stay of the older adult in this service for up to 24 hours. The complexity of drug therapy was determined using the Medication Regimen Complexity Index. Potentially inappropriate drugs for use in older adults were classified according to the American Geriatric Society/Beers criteria of 2015. The outcome investigated was the frequency of visits to the emergency department within 30 days of discharge. Multivariate logistic regression was performed to identify the factors associated with the emergency department visit. Results A total of 255 elderly in the study, and 67 (26.3%) visited emergency department within 30 days of discharge. Polypharmacy and potentially inappropriate medications for older adults did not present a statistically significant association. The diagnosis of heart failure and Medication Regimen Complexity Index >16.5 were positively associated with emergency department visits (OR=2.3; 95%CI: 1.04-4.94; p=0.048; and OR=2.1; 95%CI: 1.11-4.02; p=0.011), respectively. Furthermore, the diagnosis of diabetes mellitus and chronic kidney disease were protection factors for the outcome (OR=0.4; 95%CI: 0.20-0.73; p=0.004; and OR=0.3; 95%CI: 0.13-0.86; p=0.023). Conclusion The diagnosis of heart failure and Medication Regimen Complexity Index >16.5 were positively associated with the occurrence of an emergency department visit within 30 days of discharge.

RESUMO Objetivo Analisar, da perspectiva da farmacoterapia, os fatores associados à visita de idosos a departamentos de emergência em até 30 dias após a alta da internação índice. Métodos Foi realizado estudo transversal em hospital público geral, com idosos. Visita a departamento de emergência foi definido como a permanência do idoso nesse serviço por até 24 horas. A complexidade da farmacoterapia foi determinada usando o Medication Regimen Complexity Index. Os medicamentos potencialmente inapropriados para idosos foram classificados segundo os critérios American Geriatric Society/Beers , de 2015. O desfecho investigado foi a frequência de visita a departamento de emergência em 30 dias após a alta hospitalar. Regressão logística multivariada foi realizada para identificar os fatores associados à visita a departamento de emergência. Resultados No estudo, foram incluídos 255 idosos; 67 (26,3%) visitaram departamento emergência em 30 dias após a alta hospitalar. Polifarmácia e medicamentos potencialmente inapropriados para idosos não apresentaram associação estatística significante. O diagnóstico de insuficiência cardíaca e o índice da complexidade da farmacoterapia >16,5 apresentaram associação positiva com visita a departamento de emergência (RC=2,3; IC95%: 1,04-4,94; p=0,048; e RC=2,1; IC95%: 1,11-4,02; p=0,011), respectivamente. Ainda, o diagnóstico de diabetes mellitus e a doença renal crônica foram fatores de proteção para o desfecho (RC=0,4; IC95%: 0,20-0,73; p=0,004; e RC=0,3; IC95%: 0,13-0,86; p=0,023). Conclusão O diagnóstico de insuficiência cardíaca e o índice da complexidade da farmacoterapia >16,5 apresentaram associação positiva com ocorrência de visita a departamento de emergência dentro de 30 dias após a alta.
Descritores: Alta do Paciente/estatística & dados numéricos
Prescrições de Medicamentos/estatística & dados numéricos
Tratamento Farmacológico/estatística & dados numéricos
Serviço Hospitalar de Emergência/estatística & dados numéricos
Hospitalização/estatística & dados numéricos
-Readmissão do Paciente/estatística & dados numéricos
Fatores de Tempo
Estudos Transversais
Polimedicação
Insuficiência Cardíaca/tratamento farmacológico
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 1061 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Amaral, Rita Goreti
Texto completo
Id: biblio-1056078
Autor: Araújo, Eduardo Silva; Modesto, Ana Carolina Figueiredo; Ferreira, Tatyana Xavier Almeida Matteucci; Provin, Mércia Pandolfo; Lima, Dione Marçal; Amaral, Rita Goreti.
Título: Pharmaceutical intervention in the rational use of intravenous omeprazole / Intervenção farmacêutica no uso racional de omeprazol intravenoso
Fonte: Einstein (Säo Paulo);18:eAO4433, 2020. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective: To describe the pharmaceutical interventions of a vertical clinical pharmacy service to promote the rational use of intravenous omeprazole. Methods: A prospective and descriptive study carried out at a university hospital in the Midwestern Region of Brazil, from November 2014 to May 2015. The service consisted of the analysis of adequacy of the route of administration of omeprazole in relation to the clinical conditions of the patient, as well as the use of the appropriate diluent. Interventions were recorded in medical records and subsequently evaluated for acceptance. Results: A total of 770 prescriptions were evaluated. Interventions related to diluent replacement were more accepted (p<0.001), and surgeons were the specialty that used the intravenous route inappropriately (p<0.001). Conclusion: Although partially accepted, pharmaceutical interventions could contribute to improve patient safety, since they allowed the use of a safer route of administration.

RESUMO Objetivo: Descrever as intervenções farmacêuticas de um serviço farmacêutico clínico vertical, para a promoção do uso racional do omeprazol intravenoso. Métodos: Estudo prospectivo e descritivo realizado em um hospital universitário da região Centro-Oeste do Brasil, no período de novembro de 2014 a maio de 2015. O serviço consistia na análise da adequabilidade da via de administração do omeprazol em relação às condições clínicas do paciente, bem como a utilização do diluente adequado. As intervenções eram registradas em prontuário e, posteriormente, avaliadas quanto à aceitação. Resultados: Foram avaliadas 770 prescrições. As intervenções relacionadas à substituição do diluente foram mais aceitas (p<0,001), e os cirurgiões foram a especialidade que utilizou a via intravenosa de maneira inadequada (p<0,001). Conclusão: Embora parcialmente aceitas, as intervenções farmacêuticas puderam contribuir com a melhoria da segurança dos pacientes, uma vez que permitiram a utilização de uma via de administração mais segura.
Descritores: Serviço de Farmácia Hospitalar/normas
Omeprazol/administração & dosagem
Inibidores da Bomba de Prótons/administração & dosagem
Administração Intravenosa/métodos
-Prescrições de Medicamentos/estatística & dados numéricos
Brasil
Estudos Prospectivos
Distribuição por Sexo
Distribuição por Idade
Segurança do Paciente
Hospitais Universitários
Erros de Medicação/estatística & dados numéricos
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Idoso
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 1061 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1133722
Autor: Pereira, Lucas Borges; Faculdade de Medicina de Ribeirão PretoFeliciano, Cinara Silva; Siqueira, Diego Silva; Bellissimo-Rodrigues, Fernando; Pereira, Leonardo Régis Leira.
Título: Surgical antibiotic prophylaxis: is the clinical practice based on evidence? / Antibioticoprofilaxia cirúrgica: sua prática clínica está baseada em evidências?
Fonte: Einstein (Säo Paulo);18:eAO5427, 2020. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: CAPES and CNPq.
Resumo: ABSTRACT Objective: To assess the surgical antibiotic prophylaxis. Methods: This was a descriptive study performed at a public tertiary care university hospital gathering prescription, sociodemographic and hospitalization data of inpatients admitted in 2014 who used antimicrobial drugs. This data were obtained from the hospital electronic database. The antimicrobial data were classified according to the anatomical, therapeutic chemical/defined daily dose per 1,000 inpatients. An exploratory analysis was performed using principal component analysis. Results: A total of 5,182 inpatients were prescribed surgical antibiotic prophylaxis. Of the total antimicrobial use, 11.7% were for surgical antibiotic prophylaxis. The orthopedic, thoracic and cardiovascular postoperative units, and postoperative intensive care unit comprised more than half of the total surgical antibiotic prophylaxis use (56.3%). The duration of antimicrobial use of these units were 2.2, 2.0, and 1.4 days, respectively. Third-generation cephalosporins and fluoroquinolones had the longest use among antimicrobial classes. Conclusion: Surgical antibiotic prophylaxis was inadequate in the orthopedic, postoperative intensive care, thoracic and cardiovascular postoperative, gynecology and obstetrics, and otolaryngology units. Therefore, the development and implementation of additional strategies to promote surgical antibiotic stewardship at hospitals are essential.

RESUMO Objetivo: Avaliar a utilização de antibioticoprofilaxia cirúrgica. Métodos: Foi realizado um estudo descritivo em um hospital universitário de cuidado terciário por meio de coleta de dados de prescrição, sociodemográficos e de hospitalização sobre todos os pacientes internados em 2014 que utilizaram pelo menos um medicamento antimicrobiano. Esses dados foram coletados da base de dados eletrônica do hospital. O consumo de antimicrobianos foi analisado de acordo com a classificação anatômica terapêutica e química/dose diária definida por mil pacientes-dia. Realizou-se uma análise exploratória por meio da análise de componentes principais. Resultados: Um total de 5.182 pacientes internados receberam prescrição de antibioticoprofilaxia cirúrgica, que corresponde a 11,7% do total de antibióticos utilizados no hospital. As unidades de ortopedia, pós-operatória de cirurgia torácica e cardiovascular e terapia intensiva pós-operatória foram responsáveis pela utilização de mais da metade (56,3%) da antibioticoprofilaxia cirúrgica. A duração de uso desses antimicrobianos nessas unidades foi 2,2, 2,0 e 2,4 dias, respectivamente. Cefalosporinas de terceira geração e fluoroquinolonas foram as classes de antimicrobianos com tempo de utilização mais longo. Conclusão: A utilização de antibioticoprofilaxia cirúrgica foi inadequada nas unidades de ortopedia, pós-operatória de cirurgia torácica e cardiovascular, terapia intensiva pós-operatória, ginecologia e obstetrícia e otorrinolarigonlogia. Portanto, são importantes o desenvolvimento e a implantação de estratégias que promovam o uso racional de antibioticoprofilaxia cirúrgica nos hospitais.
Descritores: Prescrições de Medicamentos/estatística & dados numéricos
Procedimentos Cirúrgicos Operatórios/efeitos adversos
Infecções Bacterianas/prevenção & controle
Infecções Bacterianas/tratamento farmacológico
Antibioticoprofilaxia/métodos
Pacientes Internados/estatística & dados numéricos
-Procedimentos Cirúrgicos Operatórios/métodos
Infecção da Ferida Cirúrgica/prevenção & controle
Revisão de Uso de Medicamentos
Antibioticoprofilaxia/efeitos adversos
Hospitalização
Antibacterianos/uso terapêutico
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 1061 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1146356
Autor: Pollo, Daniela; Renovato, Rogério Dias.
Título: Enfermagem e o tratamento medicamentoso da sífilis sob a ótica da Teoria Sócio-Humanista / Nursing and drug treatment of syphilis from the perspective of Socio-Humanist Theory / Enfermería y tratamiento farmacológico de la sífilis según la perspectiva de la teoría socio-humanista
Fonte: Rev. enferm. UERJ;28:e51482, jan.-dez. 2020.
Idioma: en; pt.
Resumo: Objetivo: analisar o papel da enfermagem acerca da farmacoterapia da sífilis no âmbito da atenção primária em saúde. Método: investigação de abordagem qualitativa, com nove enfermeiros da atenção primária de município da Região Centro-Oeste do Brasil, realizada no período de agosto de 2018 a julho de 2019, por meio de entrevistas. A análise de dados apoiou-se na Teoria de Enfermagem Sócio-Humanista. Resultado: o papel da enfermagem esteve circunscrito à consulta de enfermagem, mediantes ações de acolhimento, escuta, detecção da sífilis, prescrição e administração de medicamento e práticas educativas. O aporte institucional caracterizou-se pela elaboração de protocolo sobre prescrição de medicamentos pelo enfermeiro e construção de fluxo de atenção ao usuário com sífilis. Conclusão: a enfermagem atua com autonomia na farmacoterapia da sífilis pautada em suas experiências e conhecimentos, aporte institucional, trabalho em equipe, procurando atender às necessidades de saúde do usuário.

Objective: to examine nursing's role in syphilis drug therapy in the primary health care context. Method: this qualitative study of nine primary care nurses in a municipality in Brazil's Midwest Region was conducted, by interview, from August 2018 to July 2019. Data analysis was based on the Social-Humanist Nursing Theory. Result: nursing's role was limited to nursing appointments, and took the form of welcoming reception, listening, syphilis detection, medication prescription and administration, and educational activities. The institutional contribution was characterized by preparation of a protocol on medication prescription by nurses and construction of the care flow for users with syphilis. Conclusion: nursing operates autonomously in syphilis drug therapy, seeking to meet user health needs based on its experience and knowledge, institutional support, and teamwork.

Objetivo: examinar el papel de la enfermería en la terapia con medicamentos para la sífilis en el contexto de la atención primaria de salud. Método: este estudio cualitativo de nueve enfermeras de atención primaria en un municipio de la Región Medio Oeste de Brasil se realizó, por entrevista, de agosto de 2018 a julio de 2019. El análisis de datos se basó en la Teoría de Enfermería Social-Humanista. Resultado: la función de la enfermería se limitó a las citas de enfermería y se concretó en la recepción de bienvenida, la escucha, la detección de la sífilis, la prescripción y administración de medicamentos y actividades educativas. El aporte institucional se caracterizó por la elaboración de un protocolo de prescripción de medicamentos por enfermeras y la construcción del flujo de atención a usuarios con sífilis. Conclusión: la enfermería opera de manera autónoma en la terapia con medicamentos para la sífilis, buscando satisfacer las necesidades de salud de los usuarios a partir de su experiencia y conocimiento, apoyo institucional y trabajo en equipo.
Descritores: Prescrições de Medicamentos/enfermagem
Atenção Primária à Saúde
Sífilis/enfermagem
Papel do Profissional de Enfermagem
-Teoria de Enfermagem
Brasil
Sífilis/tratamento farmacológico
Pesquisa Qualitativa
Acolhimento
Relações Enfermeiro-Paciente
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1366.1 - Biblioteca Biomédica B - CB/B (Odontologia e Enfermagem)



página 1 de 107 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde