Base de dados : LILACS
Pesquisa : E02.365.647.740 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 56 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 6 ir para página                

  1 / 56 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-897904
Autor: Miana, Leonardo Augusto; Moraes, Marcella Mendes; Moraes, Bernardo Mendes; Ponte, Pedro Guilherme; Venturelli Júnior, Eduardo; Mallosto, Rodrigo Urbano; Moreira-Almeida, Alexander.
Título: Cardiopulmonary resuscitation in an average brazilian intensive care unit: should we perform less or better?
Fonte: Rev. bras. cir. cardiovasc = Braz. j. cardiovasc. surg. (impr.);32(3):177-183, May-June 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Projeto: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais.
Resumo: Abstract Introduction: Few data can be found about cardiac arrest in the intensive care unit outside reference centers in third world countries. Objective: To study epidemiology and prognostic factors associated with cardiac arrest in the intensive care unit (ICU) in an average Brazilian center. Methods: Between June 2011 and July 2014, 302 cases of cardiac arrest in the intensive care unit were prospectively evaluated in 273 patients (age: 68.9 ± 15 years) admitted in three mixed units. Data regarding cardiac arrest and cardiopulmonary resuscitation were collected in an "Utstein style" form and epidemiologic data was prospectively obtained. Factors associated with do not resuscitate orders, return of spontaneous circulation and survival were studied using binary logistic regression. Statistical package software used was SPSS 19.0 (IBM Inc., USA). Results: Among 302 cardiac arrests, 230 (76.3%) had their initial rhythm recorded and 141 (61.3%) was in asystole, 62 (27%) in pulseless electric activity (PEA) and 27 had a shockable rhythm (11.7%). In 109 (36.1%) cases, cardiac arrest had a suspected reversible cause. Most frequent suspected cardiac arrest causes were hypotension (n=98; 32.5%), multiple (19.2%) and hypoxemia (17.5%). Sixty (19.9%) cardiac arrests had do not resuscitate orders. Prior left ventricle dysfunction was the only predictor of do not resuscitate order (OR: 3.1 [CI=1.03-9.4]; P=0.04). Among patients that received cardiopulmonary resuscitation, 59 (24.4%) achieved return of spontaneous circulation and 12 survived to discharge (5.6%). Initial shockable rhythm was the only return of spontaneous circulation predictor (OR: 24.9 (2.4-257); P=0.007) and survival (OR: 4.6 (1.4-15); P=0.01). Conclusion: Cardiopulmonary resuscitation rate was high considering ICU patients, so was mortality. Prior left ventricular dysfunction was a predictor of do not resuscitate order. Initial shockable rhythm was a predictor of return of spontaneous circulation and survival.
Descritores: Reanimação Cardiopulmonar/mortalidade
Reanimação Cardiopulmonar/normas
Parada Cardíaca/mortalidade
Parada Cardíaca/terapia
Unidades de Terapia Intensiva/estatística & dados numéricos
-Prognóstico
Fatores de Tempo
Brasil
Epinefrina/administração & dosagem
Modelos Logísticos
Estudos Prospectivos
Fatores de Risco
Ordens quanto à Conduta (Ética Médica)
Mortalidade Hospitalar
Estatísticas não Paramétricas
Agonistas Adrenérgicos/farmacologia
Parada Cardíaca/etiologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1041072
Autor: Monteiro, Nuno Ferreira; Simões, Isabel; Gaspar, Isabel; Carmo, Eduarda.
Título: Do-not-resuscitate and treatment limitation decisions - Six years of experience from a Portuguese General Intensive Care Unit
Fonte: Rev. Assoc. Med. Bras. (1992);65(9):1168-1173, Sept. 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: SUMMARY OBJECTIVE Treatment limitation, as well as do-not-resuscitate (DNR) directives, are difficult but important to improve patients' quality of life and minimize dysthanasia. We aimed to study the approach to withholding, withdrawal, and DNR decisions, patients' characteristics, and process documentation in a general Intensive Care Unit (ICU) in Portugal. METHODS A retrospective analysis of data regarding the limitation of treatment decisions collected from previously-designed forms and complemented by medical record consultation. RESULTS A total of 1602 patients were admitted to the ICU between 2011 and 2016. DNR decisions were documented in 127 cases (7.9%). Patients with treatment limitations were older and had higher Simplified Acute Physiology Score II. The most frequent diagnosis preceding these decisions was sepsis (52.0%, n = 66); the most common main reason for limiting treatment was a poor prognosis of acute illness. Of the patients to whom a DNR was implemented, 117 (92.1%) died in the ICU (40.1% of the total number of ICU deaths), and hospital mortality was 100%. Participants in these decisions, as well as types of treatment withdrawn and their respective timings, were not registered in medical records. CONCLUSION Treatment limitation and DNR decisions were relatively common, in line with other Southern European studies, but behind Northern European and North American centers. Patients with these limitations were older and more severely ill than patients without such decisions. Documentation of these processes should be clear and detailed, either in specific forms or computerized clinical records; there is room for improvement in this area.

RESUMO OBJETIVO Decisões de limitação terapêutica (DLT) e de não reanimação (DNR) são difíceis, mas importantes, visando melhorar a qualidade de vida dos doentes e minimizar distanásia. O objetivo deste estudo foi avaliar a abordagem das DNR e DLT, as características dos doentes e a documentação dessas decisões numa Unidade de Cuidados Intensivos Polivalente (Ucip) em Portugal. MÉTODOS Análise retrospectiva dos dados referentes a DLT e DNR, recolhidos a partir de formulários previamente elaborados e complementados por consulta de processo clínico. RESULTADOS Um total de 1.602 doentes foi internado na Ucip entre 2011 e 2016. DNR foi documentada em 127 casos (7,9%). Doentes com DLT eram mais velhos e tinham um Simplified Acute Physiology Score II mais elevado. O diagnóstico mais frequente que precedeu essas decisões foi sepse (52,0%, n=66); A razão mais comum para limitar o tratamento foi mau prognóstico da doença aguda. Dos doentes nos quais a DNR foi implementada, 117 (92,1%) morreram na Ucip (40,1% do total de óbitos na Ucip) e a mortalidade hospitalar foi de 100%. Os intervenientes nessas decisões, bem como os tipos de tratamento retirados, não foram rotineiramente registrados. CONCLUSÃO As DLT e DNR foram relativamente comuns, em consonância com outros estudos do sul da Europa, mas atrás dos centros do norte da Europa e da América do Norte. Os doentes com essas limitações eram mais velhos e mais gravemente doentes. A documentação dessas decisões deve ser clara e detalhada, seja em formulários específicos, seja em registros clínicos informatizados. Há espaço para melhorias nessa área.
Descritores: Registros Médicos
Ordens quanto à Conduta (Ética Médica)
Suspensão de Tratamento/normas
Unidades de Terapia Intensiva/organização & administração
-Portugal
Qualidade de Vida
Estudos Retrospectivos
Mortalidade Hospitalar
Sepse/mortalidade
Tomada de Decisões
Tempo de Internação
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1058991
Autor: Mendonça, Vitor; Gallagher, Thomas; Hendryx, Nicholas.
Título: Medical error: concept, characterization and management / Erro médico: conceito, caracterização e gestão
Fonte: Saúde Soc;28(4):255-266, out.-dez. 2019. tab.
Idioma: en.
Projeto: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.
Resumo: Abstract The objective of this study is to better understand the tensions involved in the fear of making an error due to the harm and risk this would pose to those involved. This is a qualitative study based on the narratives of the experiences lived by ten acting physicians in the state of São Paulo, Brazil. The concept and characterization of errors were discussed, as well as the fear of making an error, the near misses or error in itself, how to deal with errors and what to do to avoid them. The analysis indicates an excessive pressure in the medical profession for error-free practices, with a well-established physician-patient relationship to facilitate the management of medical errors. The error occurs but the lack of information and discussion often leads to its concealment due to fear of possible judgment by society or peers. The establishment of programs that encourage appropriate medical conduct in the event of an error requires coherent answers for humanization in Brazilian medical science.

Resumo O objetivo deste estudo é compreender as tensões presentes no medo de errar por conta dos riscos e danos que tal erro causaria aos envolvidos. Este é um estudo qualitativo baseado nas narrativas das experiências de 10 médicos atuantes no estado de São Paulo, Brasil. O conceito e a caracterização do erro foram discutidos, bem como o medo de cometê-lo, a proximidade com o erro, como lidar com ele e como evitá-lo. A análise aponta pressões excessivas no tocante a práticas sem erros na profissão médica, considerando a existência de uma relação médico-paciente bem estabelecida de forma a facilitar a gestão de erros médicos. Erros médicos ocorrem, mas a falta de informação e discussão sobre o tema costuma levar ao seu encobrimento, uma vez que médicos temem o possível julgamento feito pela sociedade e por seus pares. O estabelecimento de programas que encorajem a conduta médica apropriada caso um erro ocorra requer respostas coerentes para a humanização da ciência médica no Brasil.
Descritores: Relações Médico-Paciente
Padrões de Prática Médica
Ordens quanto à Conduta (Ética Médica)
Erros Médicos
Narração
Pesquisa Qualitativa
Limites: Humanos
Masculino
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  4 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-724553
Autor: Puma Romero, Manuel José Eustaquio.
Título: El consentimiento informado en las emergencias neuroquirúrgicas: la indicación de no reanimar y limitar el esfuerzo terapéutico / The informed consent in neurosurgical emergencies: indication of do not resuscitate and limit therapeutic effort.
Fonte: Lima; s.n; 2013. 246 p. tab.
Idioma: es.
Tese: Apresentada a Universidad Nacional Mayor de San Marcos. Facultad de Medicina para obtenção do grau de Maestría.
Resumo: Ningún ser humano está exento enfermar en algún momento de su vida o de estar expuesto a accidentes, llevándolos a situaciones indeseables, con respuestas diferentes de acuerdo a su naturaleza, agravado por el hecho frecuente de no estar preparados para afrontar tales contingencias. Frente a estos problemas del final de la vida realizamos un estudio denominado "El Consentimiento Informado en las Emergencias Neuroquirúrgicas: La Indicación de No Reanimar y de Limitar el Esfuerzo terapéutico". El estudio fue descriptivo prospectivo y transversal, mediante una encuesta anónima sobre la toma de decisión en una situación de opinión anticipada en el rol de enfermo y en el rol de quien lo subroga, en 251 personas mayores de edad de ambos sexos, de diferente estado civil, religión y ocupación, que asistieron a algunos hospitales de nuestra capital. Mediante un audio-video, se orientó a los entrevistados sobre el manejo en emergencias neuroquirúrgicas de enfermos en mal estado general, en coma, con alteración del patrón respiratorio, inestabilidad de las funciones vitales, de mal pronóstico por lesiones neurológicamente irreversibles confirmadas por imágenes que habiendo recibido tratamiento médico y quirúrgico, no existía posibilidades de recuperarlos. Las personas encuestadas respondieron la primera sección, relacionada a la situación presentada, la segunda, fue la parte relacionada a la propuesta del consentimiento informado y la tercera, sobre sus opiniones de la encuesta.

No human being is exempt sick at some point in their life or being exposed to accidents, leading to undesirable situations, with different responses according to their nature, often compounded by the fact of not being prepared for such contingencies. F aced with these problems at the end of life conducted a study called "Informed Consent in Neurosurgical Emergencies: The indication Do Not Resuscitate, and limit therapeutic efforts". The prospective descriptive study was cross, through an anonymous survey on decision making in a situation of opinion early in the sick role and the role of the user subrogated in 251 elderly men and women, of different state civil religion and occupation, attending some hospitals in our capital. Using an audio-video, was directed to respondents on emergency neurosurgical management of patients in poor general condition, in a coma, with altered breathing pattern, instability of vital functions, poor prognosis neurologically irreversible injury confirmed by images having received medical and surgical treatment, there was no chance of recovery. Respondents answered the first section, related to the situation presented, the second was the proposal related to informed consent and the third, on their views of the survey.
Descritores: Consentimento Livre e Esclarecido
Diretivas Antecipadas
Procedimentos Neurocirúrgicos
Serviços Médicos de Emergência
Ordens quanto à Conduta (Ética Médica)
-Estudos Prospectivos
Estudos Transversais
Limites: Humanos
Masculino
Adulto
Feminino
Adulto Jovem
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: PE13.1 - Oficina de Biblioteca, Hemeroteca y Centro de Documentación
PE13.1; MG, W, 85.5, P96, ej.1. 010000094156; PE13.1; MG, W, 85.5, P96, ej.2. 010000094157


  5 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-306468
Autor: Carvalho, P. R. A; Rocha, T. S; Santo, A. E; Lago, P.
Título: Modos de morrer na UTI pediátrica de um hospital terciário / Modes of death in PICU of a tertiary hospital
Fonte: Rev. Assoc. Med. Bras. (1992);47(4):325-331, out.-dez. 2001. tab.
Idioma: pt.
Resumo: OBJETIVO: Determinar a prevalência dos diferentes modos de morrer e identificar limites terapêuticos em pacientes de uma Unidade de Tratamento Intensivo Pediátrica (UTIP) de hospital universitário. MÉTODOS: Estudo retrospectivo, baseado na revisäo de prontuários dos pacientes que morreram na UTIP do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, no período de 1º julho de 1996 a 30 junho de 1997. Para modo de morrer, adotou-se critérios de: näo resposta às medidas de ressuscitaçäo cardiorrespiratória (NRRST), morte cerebral (MC), retirada/näo-adoçäo de medidas de suporte de vida (R/NASV) e decisäo de näo reanimar (DNR). Para causa de morte, adotou-se critério de falências de órgäos. RESULTADOS: Dos 61 óbitos ocorridos no período, entraram no estudo 44 pacientes, cuja mediana de idade foi 28 meses. Todos tiveram como causa de morte a falência de múltiplos órgäos. Vinte e seis pacientes (59 por cento) eram do grupo I (NRRST e MC), enquanto 18 (41 por cento) do grupo II (R/NASV e DNR). No grupo II, 83 por cento dos pacientes tinham doença crônica e/ou debilitante (p = 0,017; chi²). Os motivos de admissäo mais prevalentes foram necessidade de terapias de suporte (55 por cento), ventilatória e cardiocirculatória, sem diferença estatística entre os grupos. A mediana do tempo de permanência na UTI foi de 5 dias, e no hospital, de 11 dias, sem significância estatística entre os dois grupos. CONCLUSÖES: Observou-se alta prevalência de modos de morrer R/NASV e DNR nos pacientes de UTIP avaliados, sugerindo condutas de limitaçäo terapêutica para eles. Näo se conseguiu avaliar o nível de participaçäo da equipe e da família nesse processo de tomada de decisöes
Descritores: Unidades de Terapia Intensiva Pediátrica
Causas de Morte
-Morte Encefálica
Brasil
Mortalidade Infantil
Estudos Retrospectivos
Ordens quanto à Conduta (Ética Médica)
Mortalidade Hospitalar
Reanimação Cardiopulmonar
Cuidados Críticos
Tempo de Internação
Cuidados para Prolongar a Vida
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Recém-Nascido
Lactente
Pré-Escolar
Criança
Adolescente
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-306107
Autor: Urban, C. de A; Hoepers, R; Silva, I. M. da; A. Junior, R. A.
Título: Implicaçöes éticas das ordens de näo ressuscitar / Ethical implications of do-not-resuscitate orders
Fonte: Rev. Assoc. Med. Bras. (1992);47(3):244-248, jul.-set. 2001. tab.
Idioma: pt.
Resumo: OBJETIVO: Avaliar as implicaçöes éticas do emprego das ONR na prática clínica. MÉTODOS: Os autores realizaram uma análise crítica dos problemas éticos mais importantes associados às ONR, enfocando principalmente os seus riscos e benefícios e aplicando os conceitos da bioética personalista. RESULTADOS: As ONR näo säo universalmente aceitas. Além disso, isoladamente näo resolvem os problemas mais complexos associados ao manejo dos doentes terminais e da futilidade terapêutica. Podem, em alguns casos, servir de instrumento de orientaçäo, mas näo devem ser coercivas. Além disso, existe uma preocupaçäo relativa aos possíveis abusos que possam advir do seu emprego na prática clínica. CONCLUSÄO: Do ponto de vista personalista, o médico precisa ter sempre em mente que em qualquer circunstância em que se encontre, o ser humano näo perde a sua dignidade. Todas as decisöes tomadas seräo válidas quando näo ferirem esse princípio ético fundamental
Descritores: Ordens quanto à Conduta (Ética Médica)
Reanimação Cardiopulmonar
Ética Médica
-Bioética
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-210060
Autor: Faúndes, Anibal; Hardy, Ellen.
Título: Ética médica e planejamento familiar no Brasil / Medical ethics and familiar planning in Brazil
Fonte: Bioética;4(2):221-6, 1996.
Idioma: pt.
Resumo: Discorre sobre os princípios éticos básicos, entre os quais se destaca o princípio da autonomia ou liberdade individual, inerentes à prescriçäo de métodos de planejamento familiar. Alerta quanto ao autoritarismo médico, quanto ao necessário repasse de informaçöes aos indivíduos que seräo alvo do processo e, particularmente, quanto ao efetivo conhecimento e aquiescência dos mesmos à realizaçäo do método selecionado
Descritores: Planejamento Familiar/legislação & jurisprudência
Ética Médica
-Defesa do Paciente
Direitos da Mulher
Ordens quanto à Conduta (Ética Médica)
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  8 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-796156
Autor: Mazutti, Sandra Regina Gonzaga; Nascimento, Andréia de Fátima; Fumis, Renata Rego Lins.
Título: Limitação de Suporte Avançado de Vida em pacientes admitidos em unidade de terapia intensiva com cuidados paliativos integrados / Limitation to Advanced Life Support in patients admitted to intensive care unit with integrated palliative care
Fonte: Rev. bras. ter. intensiva;28(3):294-300, jul.-set. 2016. tab.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO Objetivo: Estimar a incidência de limitação de Suporte Avançado de Vida em pacientes graves internados em unidade de terapia intensiva com cuidados paliativos integrados. Métodos: Estudo de coorte retrospectivo, no qual foram incluídos os pacientes inseridos no programa de cuidados paliativos da unidade de terapia intensiva do Hospital Paulistano, maiores de 18 anos de idade, no período de 1º de maio de 2011 a 31 de janeiro de 2014. As limitações de Suporte Avançado de Vida analisadas foram: ordem para não ressuscitar, ventilação mecânica, hemodiálise e droga vasoativa. Para as variáveis quantitativas, foram calculadas medidas de tendência central. O teste qui quadrado foi utilizado para comparar características dos pacientes com ou sem limitação de Suporte Avançado de Vida e teste de Wilcoxon, para comparar o tempo de internação após Suporte Avançado de Vida. Para significância estatística, consideraram-se o intervalo de confiança e p ≤ 0,05. Resultados: Foram internados na unidade de terapia intensiva 3.487 pacientes, sendo 342 inseridos no programa de cuidados paliativos. Observou-se que, após entrada no programa de cuidados paliativos, demorou uma mediana de 2 (1 - 4) dias para o óbito na unidade de terapia intensiva e 4 (2 - 11) dias para óbito hospitalar. Boa parte das limitações de Suporte Avançado de Vida (42,7%) aconteceu no primeiro dia de internação. A ressuscitação cardiopulmonar (96,8%) e o suporte ventilatório (73,6%) foram as limitações mais adotadas. Conclusão: Foi relevante a contribuição dos cuidados paliativos integrados à unidade de terapia intensiva para a prática da ortotanásia, ou seja, o não prolongamento da vida de um paciente terminal por meios artificiais.

ABSTRACT Objective: To estimate the incidence of limitations to Advanced Life Support in critically ill patients admitted to an intensive care unit with integrated palliative care. Methods: This retrospective cohort study included patients in the palliative care program of the intensive care unit of Hospital Paulistano over 18 years of age from May 1, 2011, to January 31, 2014. The limitations to Advanced Life Support that were analyzed included do-not-resuscitate orders, mechanical ventilation, dialysis and vasoactive drugs. Central tendency measures were calculated for quantitative variables. The chi-squared test was used to compare the characteristics of patients with or without limits to Advanced Life Support, and the Wilcoxon test was used to compare length of stay after Advanced Life Support. Confidence intervals reflecting p ≤ 0.05 were considered for statistical significance. Results: A total of 3,487 patients were admitted to the intensive care unit, of whom 342 were included in the palliative care program. It was observed that after entering the palliative care program, it took a median of 2 (1 - 4) days for death to occur in the intensive care unit and 4 (2 - 11) days for hospital death to occur. Many of the limitations to Advanced Life Support (42.7%) took place on the first day of hospitalization. Cardiopulmonary resuscitation (96.8%) and ventilatory support (73.6%) were the most adopted limitations. Conclusion: The contribution of palliative care integrated into the intensive care unit was important for the practice of orthothanasia, i.e., the non-extension of the life of a critically ill patient by artificial means.
Descritores: Cuidados Paliativos/organização & administração
Estado Terminal
Unidades de Terapia Intensiva
Cuidados para Prolongar a Vida/métodos
-Respiração Artificial/estatística & dados numéricos
Fatores de Tempo
Estudos Retrospectivos
Estudos de Coortes
Ordens quanto à Conduta (Ética Médica)
Reanimação Cardiopulmonar/estatística & dados numéricos
Estatísticas não Paramétricas
Tempo de Internação
Cuidados para Prolongar a Vida/estatística & dados numéricos
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 56 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-977968
Autor: Ramos, João Gabriel Rosa; Tourinho, Fernanda Correia; Borrione, Patrícia; Azi, Paula; Andrade, Tuanny; Costa, Vanessa; Reis, Zan; Batista, Paulo Benigno Pena; Mendes, Ana Verena.
Título: Efeitos de um programa de cuidados paliativos nas tendências de utilização da unidade de terapia intensiva e ordens de não reanimar durante hospitalizações terminais. Análise de séries temporais interrompidas / Effect of a palliative care program on trends in intensive care unit utilization and do-not-resuscitate orders during terminal hospitalizations. An interrupted time series analysis
Fonte: Rev. bras. ter. intensiva;30(3):308-316, jul.-set. 2018. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO Objetivo: Avaliar os efeitos da implantação de um programa de cuidados paliativos no estabelecimento de ordens de não reanimar e na utilização da unidade de terapia intensiva em hospitalizações terminais. Método: Os dados de todos os pacientes que faleceram em um hospital terciário brasileiro, entre maio de 2014 e setembro de 2016, foram coletados de forma retrospectiva. Analisamos a frequência do estabelecimento de ordens de não reanimar e de admissões à unidade de terapia intensiva entre os casos de óbito hospitalar. Utilizou-se análise de séries temporais interrompidas para avaliar as diferenças, em termos de tendências de estabelecimento de ordens de não reanimar e de admissões à unidade de terapia intensiva antes (15 meses) e após (12 meses) a implantação do programa de cuidados paliativos. Resultados: Analisamos um total de 48.372 admissões ao hospital, dentre as quais 1.071 óbitos no hospital. Os óbitos foram precedidos de ordens de não reanimar em 276 (25,8%) casos e ocorreram admissões à unidade de terapia intensiva em 814 (76%) casos. O estabelecimento de ordens de não reanimar aumentou de 125 (20,4%) para 151 (33%) casos, na comparação entre os períodos antes e após a implantação do programa de cuidados paliativos (p < 0,001). Ocorreram admissões à unidade de terapia intensiva em 469 (76,5%) e 345 (75,3%) dos casos, respectivamente, nos períodos pré e após a implantação do programa de cuidados paliativos (p = 0,654). A análise de séries temporais confirmou tendência ao aumento do estabelecimento de ordens de não reanimar de 0,5% por mês antes da implantação para 2,9% ao mês após a implantação (p < 0,001), demonstrando-se tendência à diminuição de utilização da unidade de terapia intensiva, de uma tendência a aumento de 0,6% ao mês, antes da implantação do programa, para diminuição de -0,9% ao mês no período, após a implantação (p = 0,001). Conclusão: A implantação de um programa de cuidados paliativos se associou com tendência ao aumento no estabelecimento de ordens de não reanimar e à diminuição do uso da unidade de terapia intensiva durante hospitalizações terminais.

ABSTRACT Objective: To assess the effect of the implementation of a palliative care program on do-not-resuscitate orders and intensive care unit utilization during terminal hospitalizations. Methods: Data were retrospectively collected for all patients who died in a tertiary hospital in Brazil from May 2014 to September 2016. We analyzed the frequency of do-not-resuscitate orders and intensive care unit admissions among in-hospital deaths. Interrupted time series analyses were used to evaluate differences in trends of do-not-resuscitate orders and intensive care unit admissions before (17 months) and after (12 months) the implementation of a palliative care program. Results: We analyzed 48,372 hospital admissions and 1,071 in-hospital deaths. Deaths were preceded by do-not-resuscitate orders in 276 (25.8%) cases and admissions to the intensive care unit occurred in 814 (76%) cases. Do-not-resuscitate orders increased from 125 (20.4%) to 151 (33%) cases in the pre-implementation and post-implementation periods, respectively (p < 0.001). Intensive care unit admissions occurred in 469 (76.5%) and 345 (75.3%) cases in the pre-implementation and post-implementation periods, respectively (p = 0.654). Interrupted time series analyses confirmed a trend of increased do-not-resuscitate order registrations, from an increase of 0.5% per month pre-implementation to an increase of 2.9% per month post-implementation (p < 0.001), and demonstrated a trend of decreased intensive care unit utilization, from an increase of 0.6% per month pre-implementation to a decrease of -0.9% per month in the post-implementation period (p = 0.001). Conclusion: The implementation of a palliative care program was associated with a trend of increased registration of do-not-resuscitate orders and a trend of decreased intensive care unit utilization during terminal hospitalizations.
Descritores: Cuidados Paliativos/organização & administração
Ordens quanto à Conduta (Ética Médica)
Hospitalização
Unidades de Terapia Intensiva/estatística & dados numéricos
-Assistência Terminal/organização & administração
Fatores de Tempo
Brasil
Estudos Retrospectivos
Centros de Atenção Terciária
Análise de Séries Temporais Interrompida
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 56 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1042578
Autor: Teixeira, Cassiano; Cardoso, Paulo Ricardo Cerveira.
Título: Como discutir sobre não ressuscitação cardiopulmonar na unidade de terapia intensiva? / How to discuss about do-not-resuscitate in the intensive care unit?
Fonte: Rev. bras. ter. intensiva;31(3):386-392, jul.-set. 2019.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO A melhoria da qualidade da ressuscitação cardiopulmonar vem reduzindo a mortalidade dos indivíduos atendidos em parada cardiorrespiratória. Porém, os sobreviventes apresentam risco elevado de dano cerebral grave em caso de retorno à circulação espontânea. Dados sugerem que paradas cardiorrespiratórias, que ocorram em pacientes criticamente doentes com ritmos cardíacos não chocáveis, apresentem somente 6% de chance de retorno à circulação espontânea e, destes, somente um terço consiga recuperar sua autonomia. Optaríamos, assim, pela realização de um procedimento em que a chance de sobrevida é mínima, e os sobreviventes apresentam risco de aproximadamente 70% de morte hospitalar ou dano cerebral grave e definitivo? Valeria a pena discutir se este paciente é ou não ressuscitável, em caso de parada cardiorrespiratória? Esta discussão traria algum benefício ao paciente e a seus familiares? As discussões avançadas de não ressuscitação se baseiam no princípio ético do respeito pela autonomia do paciente, pois o desejo dos familiares e dos médicos, muitas vezes, não se correlaciona adequadamente aos dos pacientes. Não somente pela ótica da autonomia, as discussões avançadas podem ajudar a equipe médica e assistencial a anteciparem problemas futuros, fazendo-os planejar melhor o cuidado dos enfermos. Ou seja, nossa opinião é a de que discussões sobre ressuscitação ou não dos pacientes criticamente doentes devam ser realizadas em todos os casos internados na unidade de terapia intensiva logo nas primeiras 24 a 48 horas de internação.

Abstract The improvement in cardiopulmonary resuscitation quality has reduced the mortality of individuals treated for cardiac arrest. However, survivors have a high risk of severe brain damage in cases of return of spontaneous circulation. Data suggest that cases of cardiac arrest in critically ill patients with non-shockable rhythms have only a 6% chance of returning of spontaneous circulation, and of these, only one-third recover their autonomy. Should we, therefore, opt for a procedure in which the chance of survival is minimal and the risk of hospital death or severe and definitive brain damage is approximately 70%? Is it worth discussing patient resuscitation in cases of cardiac arrest? Would this discussion bring any benefit to the patients and their family members? Advanced discussions on do-not-resuscitate are based on the ethical principle of respect for patient autonomy, as the wishes of family members and physicians often do not match those of patients. In addition to the issue of autonomy, advanced discussions can help the medical and care team anticipate future problems and, thus, better plan patient care. Our opinion is that discussions regarding the resuscitation of critically ill patients should be performed for all patients within the first 24 to 48 hours after admission to the intensive care unit.
Descritores: Ordens quanto à Conduta (Ética Médica)
Parada Cardíaca/terapia
Unidades de Terapia Intensiva
-Relações Médico-Paciente
Relações Profissional-Família
Revelação da Verdade
Autonomia Pessoal
Parada Cardíaca/psicologia
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 6 ir para página                
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde