Base de dados : LILACS
Pesquisa : E02.760.169.063.500.335 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 36 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 4 ir para página            

  1 / 36 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1151778
Autor: Viviani, Alessandra Gasparello; Silva, Matheus Pereira Nunes da; Gomes, Andréa Oliver; Molina, Carolina Araujo.
Título: Aplicabilidade da mobilização precoce na prevenção de Trombose Venosa Profunda em ambiente hospitalar: Uma Revisão Sistemática / Application of early mobilization in the prevention of venous thrombosis in a hospital setting: A Systematic Review
Fonte: Rev. Pesqui. Fisioter;9(3):421-428, ago.2019. ilus, tab.
Idioma: en; pt.
Resumo: INTRODUÇÃO: A Trombose Venosa consiste em um trombo que leva a obstrução ao fluxo sanguíneo. Desencadeada por lesão endotelial, estase sanguínea e/ou hipercoagulabilidade. Sendo que muitos dos fatores que levam ao desencadeamento destes quadros, são a imobilidade, paralisia e algumas doenças respiratórias. Portanto, a profilaxia da TVP é considerada uma intervenção eficaz e segura, mas por muitas vezes não é utilizada rotineiramente nos ambientes hospitalares. OBJETIVO: Verificar a utilização da mobilização precoce como profilaxia da trombose venosa profunda em ambientes hospitalares. MÉTODO: O estudo consiste em uma Revisão Sistemática realizada com buscas em periódicos, revistas e artigos entre o ano de 2005 a 2018 encontrados em bases de dados eletrônicos, sendo elas Pubmed, Scielo, PEDro, Lilacs, Cochrane, Medline, ResearchGate. Incluindo pacientes de ambos os gêneros com idade superior a 18 anos. RESULTADOS: Foram obtidos para análise 26 artigos, dos quais 14 foram excluídos por não estarem de acordo com os critérios de inclusão. Do total de 3005 pacientes, 1828 não receberam profilaxia fisioterapêutica e 1220 receberam. CONCLUSÃO: A mobilização precoce em ambientes hospitalares subutilizada e seus benefícios pouco conhecidos, aumentando o número de incidentes relacionados a TVP.

INTRODUCTION: Venous Thrombosis consists of a thrombus that leads to obstruction to blood flow. Triggered by endothelial injury, blood stasis and / or hypercoagulability. Many of the factors that trigger these conditions are immobility, paralysis and some respiratory diseases. Therefore, DVT prophylaxis is considered an effective and safe intervention, but is often not routinely used in hospital settings. OBJECTIVE: To verify the use of early mobilization as prophylaxis of deep vein thrombosis in hospital settings. METHOD: The study consists of a Systematic Review conducted with searches in journals, magazines and articles from 2005 to 2018 found in electronic databases, which are Pubmed, Scielo, PEDro, Lilacs, Cochrane, Medline, ResearchGate. Including patients of both genders over 18 years of age. RESULTS: Twenty-six articles were obtained for analysis, of which 14 were excluded because they did not meet the inclusion criteria. Of the 3005 patients, 1828 did not receive physical therapy prophylaxis and 1220 did. CONCLUSION: Early mobilization in underused hospital settings and its little known benefits, increasing the number of incidents related to DVT.
Descritores: Deambulação Precoce
-Trombose Venosa
Fisioterapia
Tipo de Publ: Revisão Sistemática
Responsável: BR333.2 - Biblioteca - Campus II


  2 / 36 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1151936
Autor: Moraes, Alessandro Vieira de; Costa, Jessica dos Santos; Nascimento, Juliana Martins Rocha do.
Título: Os efeitos da eletroestimulação transcutânea em pacientes na unidade de terapia intensiva / The effects of transcutaneous electrostimulation in patients in the intensive care unit
Fonte: Rev. Pesqui. Fisioter;9(4):572-580, Nov. 2019. tab.
Idioma: en; pt.
Resumo: INTRODUÇÃO: A fraqueza muscular adquirida em internações prolongadas é comum em cerca de 50 -80% dos pacientes onde apresentam evidências eletrofisiológicas de disfunção neuromuscular. A mobilização e a reabilitação precoce têm demonstrado melhorar os resultados funcionais e a qualidade de vida e neste contexto, a estimulação elétrica neuromuscular (NMS) tem positivas evidências auxiliando na preservação da síntese proteica e na prevenção de atrofia muscular durante o período de imobilização. OBJETIVO: Analisar os benefícios proporcionados pela eletroestimulação em pacientes internados na unidade de terapia intensiva. METODOLOGIA: Para realizar esta revisão, foi realizada uma busca nas seguintes bases de dados: SciELO, Medline, Lilacs, PEDro, PubMed e Cochrane, no período de junho a dezembro de 2018. Foram encontrados 106 artigos e 99 excluídos por não estarem de acordo com nossos descritores. No final, 7 artigos se enquadram nos critérios para a análise final. Os estudos foram selecionados primeiro pelo título, resumos e metodologias. Os critérios de inclusão dos estudos foram: comparador (es): parâmetros da EENM utilizados, força muscular e tempo de terapia por sessão, indivíduos maiores de 18 anos, homens e mulheres, necessitando de ventilação mecânica invasiva por mais de 24 horas. Estudos: Ensaios clínicos, coorte transversal, coorte longitudinal com esse tema. Não foram selecionados estudos de caso, artigos de revisão sistemática, resumos de congressos sobre o assunto, estudos fora do intervalo de tempo escolhido e outras técnicas de mobilização precoce. RESULTADOS: O número total de participantes incluídos nos estudos foi de 594 adultos, 323 em grupos experimentais e 271 em grupos controle, e todos os estudos investigaram os efeitos da NMS em pacientes críticos. Os estudos foram em adultos com diversos diagnósticos, houve grande variabilidade entre os protocolos NMS, número e tempo de sessão realizada. CONCLUSÃO: O NMS tem resultados significativos no aumento da força muscular, melhora a independência funcional, encurta o tempo de internação hospitalar, o tempo do uso de ventilação mecânica invasiva e níveis mais baixos de sedação. No entanto, ainda há necessidade de mais estudos com uma metodologia mais bem descrita para realmente investigar com mais precisão sobre o efeito isolado de NMS em pacientes críticos.

INTRODUCTION: Acquired muscle weakness in prolonged hospitalizations is common in approximately 50 -80% of hospitalized patients where all present electrophysiological evidence of neuromuscular dysfunction. Mobilization and early rehabilitation have been shown to improve functional results and quality of life and in this context, neuromuscular electrical stimulation (NMS) has positive evidences aiding in the preservation of protein synthesis and in the prevention of muscle atrophy during the immobilization period. OBJECTIVE: To analyze the benefits of electrostimulation in patients in the intensive care unit. METHODOLOGY: To carry out this review a search was performed in the following databases: SciELO, Medline, Lilacs, PEDro, PubMed and Cochrane, in the period from June to December 2018. 106 articles were found and 99 were excluded because they were not in accordance with our descriptors. In the end, 7 articles fit the criteria for the final analysis. The studies were selected first by the title, abstracts and methodologies. The criteria for inclusion of the studies were: comparator (es): NMS parameters used, muscle strength and therapy time per session, individuals over 18 years old, male and female, requiring invasive mechanical ventilation for more than 24 hours. Studies: Clinical trials, cross-sectional cohort, longitudinal cohort with this theme. No case studies, Systematic review articles, congress summaries on the subject, studies outside the chosen time interval, and other early mobilization techniques were selected. RESULTS: The total number of participants included in the studies was 594 adults, 323 in experimental groups and 271 in control groups, and all studies investigated the effects of NMS in critical patients. The studies were in adults with diverse diagnoses, there was great variability between the NMS protocols, number and time of session performed. CONCLUSION: The NMS has significant results in the increase of muscle strength, Improves functional independence, shortens hospital admission time, shortens time for invasive mechanical ventilation and lower levels of sedation. However, there is still a need for further studies with a better described methodology to actually investigate more accurately about the isolated effect of NMS in critical patients.
Descritores: Estimulação Elétrica Nervosa Transcutânea
-Cuidados Críticos
Deambulação Precoce
Responsável: BR333.2 - Biblioteca - Campus II


  3 / 36 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1128128
Autor: Callou Filho, Cesário Rui; Vasconcelos, Danielle Brandão; Cunha, Wiliane Gomes Nepomuceno; Vieira, Ethel Esthephane Alves; Nogueira, Francisco Jander de Sousa.
Título: Efeito da mobilização precoce na alta hospitalar de pacientes sob ventilação mecânica na unidade de terapia intensiva: revisão sistemática / Effect of early mobilization in patients 'highhospital under mechanical ventilation in the intensive care unit: systematic review / Efecto de la movilización temprana en el hospital alto de pacientes bajo ventilación mecánica en la unidad de atención intensiva: revisión sistemática
Fonte: Rev. Ciênc. Plur;6(3):194-209, 2020. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução:A Permanência prolongada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pode estar relacionada à fraqueza, imobilidade e insuficiência respiratória. A mobilização precoce desempenha um importante papel no processo de recuperação funcional dos pacientes.Objetivo:Descrever por meio da literatura os benefícios proporcionados pela mobilização precoce na alta hospitalar dos pacientes internados na UTI submetidos a Ventilação Mecânica(VM). Metodologia:Trata-se de uma Revisão Sistemática realizada nas bases de dados eletrônicos PubMed, Physiotherapy Evidence Database (PEDro), Scientific Electronic Library Online ­SciELO, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) utilizando os descritores "Deambulação Precoce", "Unidades de Terapia Intensiva", "Respiração Artificial ". Foram incluídos artigos independentes do idioma. Os sujeitos deveriam ter idade superior a 18 anos e estar internados na Unidade de Terapia Intensiva, em Ventilação Mecânica por um período maior que 24 horas. Foram excluídos pesquisas do tipo de revisão, monografias, dissertações, teses, anais, capítulos, livros e ponto de vista ou opinião de especialista e que abordassem os descritores no título mas ao longo do texto não abordasse o tema proposto.Resultados:Foram encontrados 11.586 artigos, sendo selecionados 9 artigos segundo os critérios de inclusão, verificando a mobilização precoce em pacientes críticos se mostrou segura e viável, capaz de reduzir o tempo de VM e permanência na UTI. Conclusão:as intervenções comumente relatadas no estudo, sendo menos frequente durante a assistência ventilatória as atividades que envolviam o ortostatismo e deambulação, resultado esperado, visto que as principais barreiras encontradas foram intubação e sedação (AU).

Introduction:The prolonged stay in the Intensive Care Unit (ICU) may be related to weakness, immobility and respiratory failure. Early mobilization plays an important role in the patients' functional recovery process.Objective:Describe through the literature the benefits provided by early mobilization at hospital discharge of patients admitted to the ICU undergoing Mechanical Ventilation. Methodology:This is a Systematic Review carried out in the electronic databases PubMed, Physiotherapy Evidence Database (PEDro), Scientific Electronic Library Online -SciELO, Latin American and Caribbean Literature in Health Sciences (LILACS) using the descriptors "Early Walking", "Intensive Care Units", "Artificial Respiration". Language-independent articles were included. The subjects should be over 18 years old and hospitalized in the Intensive Care Unit, in Mechanical Ventilation for a period longer than 24 hours. Research of the type of review, monographs, dissertations, theses, annals, chapters, books and specialist point of view or opinion and that addressed the descriptors in the title but throughout the text did not address the proposed theme were excluded. Results:A total of 11,586 articles were found, of which 9 were selected according to the inclusion criteria, verifying early immobilization in critical patients proved to be safe and viable, capable of reducing MV time and ICU stay. Conclusions: the interventions commonly reported in the study, with activities involving orthostatism and walking less frequent during ventilatory assistance, an expected result, since the main barriers encountered were intubation and sedation (AU).

Introducción: La estadía prolongada en la Unidad de Cuidados Intensivos (UCI) puede estar relacionada con debilidad, inmovilidad e insuficiencia respiratoria. La movilización temprana juega un papel importante en el proceso de recuperación funcional de los pacientes. Objetivo:Describa a través de la literatura los beneficios proporcionados por la movilización temprana al alta hospitalaria de pacientes ingresados en la UCI sometidos a ventilación mecánica.Metodología: Esta es una revisión sistemática realizada en las bases dedatos electrónicas PubMed, Physiotherapy Evidence Database (PEDro), Scientific Electronic Library Online -SciELO, Literatura Latinoamericana y del Caribe en Ciencias de la Salud (LILACS) utilizando los descriptores "Early Walking" , "Unidades de cuidadosintensivos", "Respiración artificial". Se incluyeron artículos independientes del idioma. Los sujetos deben ser mayores de 18 años y hospitalizados en la Unidad de Cuidados Intensivos, en Ventilación Mecánica por un período superior a 24 horas. Se excluyóla investigación del tipo de revisión, monografías, disertaciones, tesis, anales, capítulos, libros y puntos de vista u opinión de especialistas y que abordaban los descriptores en el título, pero en todo el texto no abordaban el tema propuesto.Resultados:Se encontraron un total de 11,586 artículos, de los cuales 9 fueron seleccionados de acuerdo con los criterios de inclusión, verificando que la inmovilización temprana en pacientes críticos demostró ser segura y viable, capaz de reducir el tiempo de VM y la estadía en la UCI.Conclusión:Las intervenciones comúnmente informadas en el estudio, con actividades que implican el ortostatismo y caminar con menos frecuencia durante la asistencia respiratoria, un resultado esperado, ya que las principales barreras encontradas fueron la intubación y la sedación (AU).
Descritores: Respiração Artificial/métodos
Deambulação Precoce
Unidades de Terapia Intensiva
-Brasil
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão Sistemática
Responsável: BR1264.1 - Biblioteca Setorial Prof Alberto M Campos


  4 / 36 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Cuba
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1126617
Autor: Guzmán Martínez, Juan Karel; Abreu Brioso, Gisell Lidia.
Título: Deambulación precoz y cefalea pospunción dural en pacientes intervenidos bajo anestesia espinal subaracnoidea / Early ambulation and post-dural puncture headache in patients undergoing spinal anesthesia
Fonte: Rev. cuba. med. mil;48(2):e356, abr.-jun. 2019. tab.
Idioma: es.
Resumo: Introducción: La historia de la raquianestesia, comenzó el 16 de agosto de 1898, la primera anestesia raquídea de la historia cimentó una de las piedras angulares de la Anestesiología. Más de cien años después y a pesar del desarrollo tecnológico que acompaña la especialidad, aún la anestesia regional es una técnica ampliamente utilizada a nivel mundial, no exenta de complicaciones, donde se destaca la cefalea pospunción dural. Objetivo: Describir la prevalencia y características de la cefalea pospunción dural en pacientes con deambulación, precoz o no, intervenidos bajo anestesia espinal subaracnoidea, para cirugía artroscópica de rodilla. Método: Se realizó un estudio observacional descriptivo en una serie de casos (100), atendidos en el Hospital Militar Central "Carlos J. Finlay", que fueron distribuidos en dos grupos. El grupo I formado por los que deambularon a las 4 horas de la intervención y el grupo II deambuló a las 14 horas. En ambos grupos se había utilizado anestesia raquídea con trocar 25 atraumático del tipo Whitacre. Resultados: En ambos grupos no se reportaron casos de cefalea pospunción dural. Conclusiones: No hubo casos de cefalea pospunción dural en pacientes con deambulación, precoz o no, intervenidos bajo anestesia espinal subaracnoidea para cirugía artroscópica de rodilla(AU)

Introduction: The history of spinal anesthesia, began on August 16, 1898, the first spinal anesthesia in history based one of the cornerstones of anesthesiology. More than a hundred years later and despite the technological development that accompanies the specialty, even regional anesthesia is a technique widely used worldwide, not free of complications, which highlights the dural post-puncture headache. Objective: To describe the prevalence and characteristics of dural post-puncture headache in patients with ambulation, early or not, undergoing subarachnoid spinal anesthesia, for arthroscopic knee surgery. Method: A descriptive observational study was conducted in a series of cases (100), attended at the Central Military Hospital "Carlos J. Finlay", which were divided into two groups. The group I formed by those who wandered at 4 hours after the intervention and group II wandered at 14 hours. In both groups, spinal anesthesia with atraumatic trocar of the Whitacre type was used. Results: In both groups there were no reported cases of dural post-puncture headache. Conclusions: There were no cases of dural post-puncture headache in patients with ambulation, early or not, undergoing subarachnoid spinal anesthesia for arthroscopic knee surgery(AU)
Descritores: Cirurgia Geral
Deambulação Precoce
Raquianestesia/efeitos adversos
Anestesiologia/métodos
-Epidemiologia Descritiva
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: CU1.1 - Biblioteca Médica Nacional


  5 / 36 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1058041
Autor: Aquim, Esperidião Elias; Bernardo, Wanderley Marques; Buzzini, Renata Ferreira; Azeredo, Nara Selaimen Gaertner de; Cunha, Laura Severo da; Damasceno, Marta Cristina Pauleti; Deucher, Rafael Alexandre de Oliveira; Duarte, Antonio Carlos Magalhães; Librelato, Juliana Thiemy; Melo-Silva, Cesar Augusto; Nemer, Sergio Nogueira; Silva, Sabrina Donatti Ferreira da; Verona, Cleber.
Título: Diretrizes Brasileiras de Mobilização Precoce em Unidade de Terapia Intensiva / Brazilian Guidelines for Early Mobilization in Intensive Care Unit
Fonte: Rev. bras. ter. intensiva;31(4):434-443, out.-dez. 2019. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO A imobilidade pode causar várias complicações que influenciam na recuperação de doentes críticos, incluindo atrofia e fraqueza muscular esquelética. Esse efeito pode ser amenizado com a realização de mobilização precoce. Seis questões primordiais nortearam essa pesquisa: É segura? Quem é o candidato à mobilização precoce? Quais são as contraindicações? Qual a dose adequada e como defini-la? Quais os resultados obtidos? Quais os indicadores prognósticos em sua utilização? O objetivo desta diretriz foi elaborar um documento que reunisse recomendações e sugestões baseadas em níveis de evidência sobre a mobilização precoce do paciente crítico adulto, visando melhorar o entendimento sobre o tema, com impacto positivo no atendimento aos pacientes. Esta diretriz foi desenvolvida com base em uma revisão sistemática de artigos, utilizando a estratégia de busca no modelo PICO, conforme recomendado pelo Projeto de Diretrizes da Associação Médica Brasileira. Foram selecionados ensaios clínicos randomizados, estudos de coortes prognósticos, revisões sistemáticas com ou sem metanálise, sendo as evidências classificadas segundo Oxford Centre for Evidence-based Medicine - Levels of Evidence. Em todas as questões abordadas, foram encontradas evidências suficientes para a realização da mobilização precoce de forma segura e bem definida, com indicadores prognósticos que evidenciam e recomendam a técnica. A mobilização precoce está associada a melhores resultados funcionais, devendo ser realizada sempre que indicada. É segura e deve ser meta de toda equipe multidisciplinar.

ABSTRACT Immobility can cause several complications, including skeletal muscle atrophy and weakness, that influence the recovery of critically ill patients. This effect can be mitigated by early mobilization. Six key questions guided this research: Is early mobilization safe? Which patients are candidates for early mobilization? What are the contraindications? What is the appropriate dose, and how should it be defined? What results are obtained? What are the prognostic indicators for the use of early mobilization? The objective of this guideline was to produce a document that would provide evidence-based recommendations and suggestions regarding the early mobilization of critically ill adult patients, with the aim of improving understanding of the topic and making a positive impact on patient care. This guideline was based on a systematic review of articles conducted using the PICO search strategy, as recommended by the Guidelines Project of the Associação Médica Brasileira. Randomized clinical trials, prognostic cohort studies, and systematic reviews with or without meta-analysis were selected, and the evidence was classified according to the Oxford Center for Evidence-based Medicine Levels of Evidence. For all the questions addressed, enough evidence was found to support safe and well-defined early mobilization, with prognostic indicators that support and recommend the technique. Early mobilization is associated with better functional outcomes and should be performed whenever indicated. Early mobilization is safe and should be the goal of the entire multidisciplinary team.
Descritores: Guias de Prática Clínica como Assunto
Cuidados Críticos/métodos
Deambulação Precoce/métodos
Unidades de Terapia Intensiva
-Brasil
Estado Terminal/terapia
Cuidados Críticos/normas
Deambulação Precoce/normas
Limites: Humanos
Adulto
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 36 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: lil-155971
Autor: Dobbro, Eliseth Ribeiro Leäo; Artico, Ana Elisa; Mussi, Fernanda Carneiro; Posso, Irimar de Paula.
Título: Fatores que influenciam a mobilizaçäo precoce do paciente no pós-operatório imediato / Factors affecting the patient's early mobilization in immediate postoperative period
Fonte: Rev. paul. enferm;13(1/3):8-12, jan.-dez. 1994.
Idioma: pt.
Resumo: Säo discutidas a influência da anestesia, do tipo e local da cirurgia, da idade do paciente e das patologias associadas, em relaçäo à necessidade de mobilizaçäo precoce após o ato anestésico-cirúrgico.
Descritores: Cuidados de Enfermagem
Deambulação Precoce
Cuidados Pós-Operatórios/enfermagem
-Anestesia
Responsável: BR21.1 - Biblioteca J Baeta Vianna- Campus Saúde UFMG


  7 / 36 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: lil-487310
Autor: Lopes, Juliana de Lima; Santos, Juliana Turca dos; Lima, Sheila Cristina de; Barros, Alba Lúcia Bottura Leite de.
Título: Mobilization and early hospital discharge for patients with acute myocardial infarction: literature review / Mobilização e alta precoce em pacientes com infarto agudo do miocárdio: revisão de literatura / Movilización y alta precoz en pacientes con infarto agudo del miocardio: revisión de lieratura
Fonte: Acta paul. enferm;21(2):345-350, 2008. tab.
Idioma: en; pt.
Resumo: OBJECTIVE: This study was a literature review with the purpose of analyzing articles comparing early and late mobilization and those comparing early and late discharge for patients with acute myocardial infarction. METHODS: The literature review was performed using the Lilacs and Medline databases (1966-2007), and the length of the resting period, the hospitalization and possible complications were analyzed. RESULTS: We selected 18 articles; 11 of them compared early and late mobilization and 7 compared early and late discharge. The length of the resting period in the early mobilization group varied from 2 to 10 days and 5 to 28 days for the longest resting period. The early discharge group stayed in the hospital from 3 to 14 days and the late discharge group stayed in the hospital from 5 to 21 days. CONCLUSION: The studies show that there is no evidence of complications related to short periods of bed rest and hospitalization.

OBJETIVO: Analisar os artigos que comparavam a mobilização precoce com a tardia, bem como aqueles que comparavam a alta precoce com a tardia em pacientes com infarto agudo do miocárdio. MÉTODOS: A revisão bibliográfica foi realizado nas Bases de Dados Lilacs e Medline, e foram analisados o tempo de repouso e de hospitalização e as complicações observadas nos estudos. RESULTADOS: Foram selecionados 18 artigos, divulgados entre 1996 e 2007, sendo que 11 comparavam a mobilização precoce com a tardia e 7 a alta precoce com a tardia. O período de repouso no leito para mobilização precoce variou de 2 a 10 dias e de 5 a 28 dias para mobilização tardia. Com relação ao tempo de hospitalização observou-se que o período de alta precoce variou de 3 a 14 dias e de 5 a 21 dias para alta tardia. CONCLUSÃO: Os estudos mostram que não há evidências de maiores complicações relacionadas a curtos períodos de repouso e de hospitalização.

OBJETIVO: Analizar los artículos que comparaban la movilización precoz con la tardía, así como aquellos que comparaban el alta precoz con la tardía en pacientes con infarto agudo del miocardio. MÉTODOS: La revisión bibliográfica fue realizada en las Bases de Datos Lilacs y Medline, y fueron analizados el tiempo de reposo y de hospitalización y las complicaciones observadas en los estudios. RESULTADOS: Fueron seleccionados 18 artículos, difundidos entre 1996 y 2007, de los cuales 11 comparaban la movilización precoz con la tardía y 7 el alta precoz con la tardía. El período de reposo en la cama para la movilización precoz varió de 2 a 10 días y de 5 a 28 días para la movilización tardía. Con relación al tiempo de hospitalización se observó que el período de alta precoz varió de 3 a 14 días y de 5 a 21 días para el alta tardía. CONCLUSIÓN: Los estudios muestran que no hay evidencias de mayores complicaciones relacionadas a los cortos períodos de reposo y de hospitalización.
Descritores: Alta do Paciente
Deambulação Precoce
Hospitalização
Infarto do Miocárdio
Limites: Humanos
Responsável: BR1.2 - Biblioteca Central


  8 / 36 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-899539
Autor: Conceição, Thais Martins Albanaz da; Gonzáles, Ana Inês; Figueiredo, Fernanda Cabral Xavier Sarmento de; Vieira, Danielle Soares Rocha; Bündchen, Daiana Cristine.
Título: Critérios de segurança para iniciar a mobilização precoce em unidades de terapia intensiva. Revisão sistemática / Safety criteria to start early mobilization in intensive care units. Systematic review
Fonte: Rev. bras. ter. intensiva;29(4):509-519, out.-dez. 2017. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO Pacientes críticos internados em unidade de terapia intensiva devem ser mobilizados com base em critérios de segurança. O objetivo desta revisão foi verificar os critérios de segurança mais utilizados para iniciar a mobilização precoce em pacientes sob ventilação mecânica internados em unidade de terapia intensiva. Os artigos foram pesquisados nas bases de dados PubMed, PEDro, LILACS, Cochrane e CINAHL, tendo sido incluídos ensaios clínicos randomizados e controlados, ensaios clínicos quase randomizados, coortes, estudos comparativos com ou sem controles simultâneos, séries de casos com dez ou mais casos consecutivos, e estudos descritivos. O mesmo foi feito para estudos prospectivos, retrospectivos e transversais, nos quais, em sua metodologia, deveria constar a descrição dos critérios de segurança utilizados para iniciar a mobilização precoce. Dois revisores selecionaram, independentemente, estudos em potencial, de acordo com os critérios de inclusão, extraíram os dados e avaliaram a qualidade metodológica. Na análise dos dados, foi utilizada descrição narrativa para resumir as características e os resultados dos estudos obtidos, sendo os critérios de segurança categorizados nos seguintes subgrupos: cardiovasculares, respiratórios, neurológicos, ortopédicos e outros. Obtivemos 37 estudos elegíveis. O critério de segurança cardiovascular apresentou o maior número de variáveis identificadas. No entanto, o critério de segurança respiratório apresentou maior concordância. Houve maior divergência entre os autores em relação aos critérios neurológicos. Faz-se necessário reforçar o reconhecimento dos critérios de segurança utilizados para segurança da mobilização precoce do paciente crítico, ao mesmo tempo em que os parâmetros e as variáveis encontradas poderão auxiliar na incorporação à rotina dos serviços, com a intenção de iniciar, progredir e guiar a prática clínica.

ABSTRACT Mobilization of critically ill patients admitted to intensive care units should be performed based on safety criteria. The aim of the present review was to establish which safety criteria are most often used to start early mobilization for patients under mechanical ventilation admitted to intensive care units. Articles were searched in the PubMed, PEDro, LILACS, Cochrane and CINAHL databases; randomized and quasi-randomized clinical trials, cohort studies, comparative studies with or without simultaneous controls, case series with 10 or more consecutive cases and descriptive studies were included. The same was performed regarding prospective, retrospective or cross-sectional studies where safety criteria to start early mobilization should be described in the Methods section. Two reviewers independently selected potentially eligible studies according to the established inclusion criteria, extracted data and assessed the studies' methodological quality. Narrative description was employed in data analysis to summarize the characteristics and results of the included studies; safety criteria were categorized as follows: cardiovascular, respiratory, neurological, orthopedic and other. A total of 37 articles were considered eligible. Cardiovascular safety criteria exhibited the largest number of variables. However, respiratory safety criteria exhibited higher concordance among studies. There was greater divergence among the authors regarding neurological criteria. There is a need to reinforce the recognition of the safety criteria used to start early mobilization for critically ill patients; the parameters and variables found might contribute to inclusion into service routines so as to start, make progress and guide clinical practice.
Descritores: Estado Terminal
Deambulação Precoce
Unidades de Terapia Intensiva
-Respiração Artificial
Fatores de Tempo
Ensaios Clínicos Controlados Aleatórios como Assunto
Cuidados Críticos/métodos
Cuidados Críticos/normas
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Revisão Sistemática
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 36 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-959330
Autor: Fontela, Paula Caitano; Forgiarini J, Luiz Alberto; Friedman, Gilberto.
Título: Atitudes clínicas e barreiras percebidas para a mobilização precoce de pacientes graves em unidades de terapia intensiva adulto / Clinical attitudes and perceived barriers to early mobilization of critically ill patients in adult intensive care units
Fonte: Rev. bras. ter. intensiva;30(2):187-194, abr.-jun. 2018. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO Objetivo: Avaliar o conhecimento dos profissionais da equipe multiprofissional sobre mobilização precoce em pacientes graves adultos, e identificar atitudes e barreiras percebidas para sua realização. Métodos: Estudo transversal realizado com médicos, profissionais de enfermagem e fisioterapeutas de seis unidades de terapia intensiva de dois hospitais de ensino no segundo semestre de 2016. Foram indicadas respostas com uma escala Likert de 5 pontos, as quais foram registradas como proporção de profissionais concordantes e discordantes. Teste do qui quadrado e exato de Fisher foram usados para determinar diferenças nas respostas por nível de formação, experiência prévia com mobilização precoce e anos de experiência em unidade de terapia intensiva. Resultados: Responderam o questionário 98 de 514 profissionais (taxa de resposta de 19%). Os benefícios da mobilização precoce reconhecidos foram manutenção da força muscular (53%) e redução no tempo de ventilação mecânica (83%). Atitudes favoráveis à mobilização precoce foram consentir que seus benefícios em pacientes sob ventilação mecânica superassem os riscos relacionados aos pacientes e à equipe; que a mobilização precoce deveria ocorrer rotineiramente por meio de protocolos de enfermagem e fisioterapia; e em alterar os parâmetros da ventilação mecânica e reduzir a sedação dos pacientes, para facilitar a mobilização precoce. As principais barreiras identificadas foram indisponibilidade de profissionais e tempo para a mobilização precoce, excesso de sedação, delirium, risco de autolesão musculoesquelética e excesso de estresse no trabalho. Conclusão: Os profissionais conhecem os benefícios da mobilização precoce e reconhecem atitudes que tornam favorável sua realização. Entretanto, aplicar a mobilização precoce foi percebida como desafiador, principalmente pela indisponibilidade de profissionais e tempo para a mobilização precoce, sedação, delirium, risco de autolesão musculoesquelética e excesso de estresse no trabalho.

ABSTRACT Objective: To investigate the knowledge of multi-professional staff members about the early mobilization of critically ill adult patients and identify attitudes and perceived barriers to its application. Methods: A cross-sectional study was conducted during the second semester of 2016 with physicians, nursing professionals and physical therapists from six intensive care units at two teaching hospitals. Questions were answered on a 5-point Likert scale and analyzed as proportions of professionals who agreed or disagreed with statements. The chi-square and Fisher's exact tests were used to investigate differences in the responses according to educational/training level, previous experience with early mobilization and years of experience in intensive care units. Results: The questionnaire was answered by 98 out of 514 professionals (response rate: 19%). The acknowledged benefits of early mobilization were maintenance of muscle strength (53%) and shortened length of mechanical ventilation (83%). Favorable attitudes toward early mobilization included recognition that its benefits for patients under mechanical ventilation exceed the risks for both patients and staff, that early mobilization should be routinely performed via nursing and physical therapy protocols, and readiness to change the parameters of mechanical ventilation and reduce sedation to facilitate the early mobilization of patients. The main barriers mentioned were the unavailability of professionals and time to mobilize patients, excessive sedation, delirium, risk of musculoskeletal self-injury and excessive stress at work. Conclusion: The participants were aware of the benefits of early mobilization and manifested attitudes favorable to its application. However, the actual performance of early mobilization was perceived as a challenge, mainly due to the lack of professionals and time, excessive sedation, delirium, risk of musculoskeletal self-injury and excessive stress at work.
Descritores: Atitude do Pessoal de Saúde
Estado Terminal
Deambulação Precoce
Unidades de Terapia Intensiva
-Percepção
Médicos/estatística & dados numéricos
Respiração Artificial
Fatores de Tempo
Conhecimentos, Atitudes e Prática em Saúde
Risco
Estudos Transversais
Inquéritos e Questionários
Fisioterapeutas/estatística & dados numéricos
Hospitais de Ensino
Enfermeiras e Enfermeiros/estatística & dados numéricos
Limites: Humanos
Adulto
Tipo de Publ: Estudo Multicêntrico
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 36 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1013765
Autor: Piva, Taila Cristina; Ferrari, Renata Salatti; Schaan, Camila Wohlgemuth.
Título: Protocolos de mobilização precoce no paciente crítico pediátrico: revisão sistemática / Early mobilization protocols for critically ill pediatric patients: systematic review
Fonte: Rev. bras. ter. intensiva;31(2):248-257, abr.-jun. 2019. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO Objetivo: Descrever os protocolos existentes de mobilização precoce nas unidades de terapia intensiva pediátrica. Métodos: Trata-se de uma revisão sistemática da literatura cuja busca foi realizada nas bases MEDLINE®, Embase, SciELO, LILACS e PeDRO, sem restrição para data e idioma. Foram incluídos estudos observacionais e ensaios clínicos randomizados e não randomizados, que descrevessem um programa de mobilização precoce em pacientes admitidos na unidade de terapia intensiva pediátrica, com idades entre 29 dias a 18 anos. A qualidade metodológica dos estudos foi avaliada por meio das ferramentas Newcastle-Ottawa, Methodological Index for Non-Randomized Studies e da colaboração Cochrane. Resultados: Foram identificados 8.663 estudos, sendo 6 incluídos nesta revisão. Três estudos descreveram a implementação de programa de mobilização precoce, incluindo atividades como mobilização passiva progressiva, posicionamento, discussão das metas de mobilização com a equipe, além de contraindicações e critérios de interrupção. Cicloergômetro e jogos de realidade virtual também foram usados como recursos para mobilização. Quatro estudos consideram a importância da participação da equipe multiprofissional na implementação dos protocolos de mobilização precoce. Conclusão: De modo geral, os protocolos de mobilização precoce são baseados em intervenções individualizadas, conforme o desenvolvimento da criança. Além disso, o uso do cicloergômetro pode ser viável e seguro nesta população. A implementação de protocolos institucionais e multiprofissional pode contribuir para a prática da mobilização precoce nas unidades de terapia intensiva pediátrica, no entanto são necessários estudos que comprovem a eficácia da intervenção.

ABSTRACT Objective: To describe the existing early mobilization protocols in pediatric intensive care units. Methods: A systematic literature review was performed using the databases MEDLINE®, Embase, SciELO, LILACS and PeDRO, without restrictions of date and language. Observational and randomized and nonrandomized clinical trials that described an early mobilization program in patients aged between 29 days and 18 years admitted to the pediatric intensive care unit were included. The methodological quality of the studies was evaluated using the Newcastle-Ottawa Scale, Methodological Index for Non-Randomized Studies and the Cochrane Collaboration. Results: A total of 8,663 studies were identified, of which 6 were included in this review. Three studies described the implementation of an early mobilization program, including activities such as progressive passive mobilization, positioning, and discussion of mobilization goals with the team, in addition to contraindications and interruption criteria. Cycle ergometer and virtual reality games were also used as resources for mobilization. Four studies considered the importance of the participation of the multidisciplinary team in the implementation of early mobilization protocols. Conclusion: In general, early mobilization protocols are based on individualized interventions, depending on the child's development. In addition, the use of a cycle ergometer may be feasible and safe in this population. The implementation of institutional and multidisciplinary protocols may contribute to the use of early mobilization in pediatric intensive care units; however, studies demonstrating the efficacy of such intervention are needed.
Descritores: Estado Terminal/terapia
Deambulação Precoce/normas
-Unidades de Terapia Intensiva Pediátrica
Limites: Humanos
Recém-Nascido
Lactente
Pré-Escolar
Criança
Adolescente
Tipo de Publ: Revisão Sistemática
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 4 ir para página            
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde