Base de dados : LILACS
Pesquisa : E02.931 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 26 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 3 ir para página          

  1 / 26 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: biblio-1139340
Autor: Salinas, Mauricio; Salinas, Rodrigo.
Título: Tratamientos experimentales y coronavirus / Experimental treatments and Coronavirus
Fonte: Rev. méd. Chile;148(5):571-572, mayo 2020.
Idioma: es.
Descritores: Infecções por Coronavirus/terapia
-Terapias em Estudo
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Editorial
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  2 / 26 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Chile
Texto completo
Id: lil-791031
Autor: Fuentes G, Patricio.
Título: Publicidad de terapias innovadoras / Advertising of innovative therapies
Fonte: Rev. chil. neuro-psiquiatr;54(2):83-83, jun. 2016.
Idioma: es.
Descritores: Terapêutica
Publicidade
Terapias em Estudo
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Editorial
Responsável: CL58.1 - Biblioteca


  3 / 26 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1095198
Autor: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência,Tecnologia e Insumos Estratégicos em Saúde.
Título: Informe diário de evidências: COVID-19 busca realizada em 22 de abril de 2020 / Daily evidence report: COVID-19 search conducted on April 22, 2020.-14
Fonte: Brasilia; s.n; 22 abr. , 2020. 24 p.
Idioma: pt.
Resumo: O objetivo da revisão sistemática foi investigar a eficácia e a segurança de tratamentos com antivirais para COVID-19, SARS e MERS. Ao todo, 22 estudos foram incluídos: 1 ensaio clínico, 16 séries de casos e 5 relatos de caso. Os antivirais mais utilizados foram lopinavir / ritonavir, oseltamivir, ribavirina e arbidol. Todos os estudos usaram outras terapias, como antibióticos, imunoglobulina, interferon, glicocorticoides, metilprednisolona e medicamentos antiparasitários e antifúngicos, além da terapia antiviral para pacientes com COVID-19. No único ECR incluído, os pacientes que receberam lopinavir / ritonavir tiveram um processo de recuperação semelhante aos pacientes que receberam tratamento padrão. Os desfechos de mortalidade em 28 dias e carga viral de RNA não foram significativamente diferentes entre os dois grupos. Dentre os achados dos demais estudos, vale destacar que estudos de séries e relatos de casos não avaliam a eficácia de medicamentos, e que em geral as amostras foram pequenas. O estudo de Guan, com 1099 pacientes, chegou a conclusão que oseltamivir foi ineficaz na diminuição da taxa de admissão na UTI, na necessidade de ventilação e na taxa de mortalidade entre os pacientes. O estudo de Shang, com 416 pacientes, indicou que medicamentos antivirais não têm efeito na taxa de mortalidade de pacientes com COVID-19. O estudo de Li, com cinco crianças com COVID-19, indicou que os agentes antivirais não alteraram o resultado ou a duração da internação. A revisão cita outros estudos que foram publicados com os pacientes ainda sob tratamento, sem o desfecho final dessas populações. Quanto a busca por ensaios clínicos para SARS e MERS, foram encontrados protocolos, mas nenhum resultado publicado.
Descritores: Pneumonia Viral/tratamento farmacológico
Ribavirina/uso terapêutico
Infecções por Coronavirus/tratamento farmacológico
Progressão da Doença
Ritonavir/uso terapêutico
Antirretrovirais/administração & dosagem
Oseltamivir/uso terapêutico
Lopinavir/uso terapêutico
Betacoronavirus/efeitos dos fármacos
Antifúngicos/administração & dosagem
Antiparasitários/administração & dosagem
-Avaliação da Tecnologia Biomédica
Terapias em Estudo/instrumentação
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Estudo de Avaliação
Revisão Sistemática
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 26 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1095200
Autor: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência,Tecnologia e Insumos Estratégicos em Saúde.
Título: Informe diário de evidências: COVID-19 busca realizada em 21 de abril de 2020 / Daily evidence report: COVID-19 search conducted on April 21, 2020.-13
Fonte: Brasilia; s.n; 21 abr. , 2020. 22 p.
Idioma: pt.
Resumo: Três coortes foram avaliadas: pacientes que receberam hidroxicloroquina (HC) (n = 97), pacientes que receberam hidroxicloroquina e azitromicina (HC+AZ) (n = 113) e pacientes não expostos a hidroxicloroquina (sem HC) (n = 158). Nos três grupos, houveram mortes de pacientes: HC ­ 27 mortes (27,8 %), HC+AZ ­ 25 mortes (22,1 %) e sem HC ­ 18 mortes (11,4 %). A análise da associação das terapias (HC+AZ) com o risco de morte geral demonstrou que o grupo HC teria maior risco de morte por qualquer causa quando comparado ao grupo sem HC (p = 0,03). Não houve diferença em mortalidade na comparação do grupo HC+AZ com o grupo sem HC (p = 0,72). O uso de HC com ou sem a AZ não reduziu a mortalidade dos pacientes. Pelo contrário, o uso de apenas HC foi associado a um risco maior de morte quando comparado ao atendimento padrão, ou seja, sem HC. A necessidade da ventilação mecânica nos três grupos também foi estimada, mas não apresentou diferença significativa (p = 0,547).1
Descritores: Pneumonia Viral/tratamento farmacológico
Cloroquina/administração & dosagem
Cloroquina/uso terapêutico
Infecções por Coronavirus/tratamento farmacológico
Azitromicina/administração & dosagem
Azitromicina/uso terapêutico
Betacoronavirus/efeitos dos fármacos
-Progressão da Doença
Terapias em Estudo/instrumentação
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Revisão Sistemática
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 26 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1095202
Autor: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência,Tecnologia e Insumos Estratégicos em Saúde.
Título: Informe diário de evidências: COVID-19 busca realizada em 20 de abril de 2020 / Daily evidence report: COVID-19 search conducted on April 20, 2020.
Fonte: Brasilia; s.n; 20 abr. , 2020. 17 p.
Idioma: pt.
Resumo: Os autores destacam que o grande número de estudos realizados com a cloroquina (CQ) reflete o esforço que a comunidade científica está fazendo para esclarecer o papel desse fármaco na redução da mortalidade associada ao COVID-19. Contudo, segundo os autores, esse esforço provavelmente não está sendo suficientemente bem coordenado. Sugerem que ensaios clínicos adaptativos sejam conduzidos, a fim de responder adequadamente - e rapidamente - a diferentes questões observadas durante essa pandemia. Ressaltam que problemas em ensaios clínicos, como grande número amostral e duração prolongada dos estudos, falta de poder para avaliar a eficácia global ou em subgrupos importantes, e custo elevado dos ensaios, acabam limitando a inovação médica, especialmente nesse cenário de emergência. Por fim, sugerem que pontos importantes ainda precisam ser abordados, a fim de encontrar prontamente as respostas, enquanto a pandemia está em andamento. Tais pontos envolvem o uso de um grupo placebo para mostrar efetivamente a eficácia do tratamento; a falta de um rápido financiamento; a necessidade de aprovação oportuna do protocolo por conselhos éticos em todo o mundo; o uso de estudos multicêntricos em vez de estudos unicêntricos, e a conformidade dos protocolos com as boas práticas clínicas
Descritores: Pneumonia Viral/tratamento farmacológico
Cloroquina/administração & dosagem
Cloroquina/uso terapêutico
Infecções por Coronavirus/tratamento farmacológico
Betacoronavirus/efeitos dos fármacos
-Progressão da Doença
Terapias em Estudo/instrumentação
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Revisão Sistemática
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 26 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1095204
Autor: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência,Tecnologia e Insumos Estratégicos em Saúde.
Título: Informe diário de evidências: COVID-19 busca realizada entre 17 e 19 de abril de 2020 / Daily evidence report: COVID-19 search conducted between April 17 and 19, 2020.
Fonte: Brasilia; s.n; 19 abr. , 2020. 39 p.
Idioma: pt.
Resumo: Na comparação 1: hidroxicloroquina (HCQ) versus grupo controle/terapia padrão: quanto a cura clínica, normalização da temperatura corporal e número de dias de tosse, o grupo da HCQ sugere benefício quando comparado ao grupo controle. Em termos de cura virológica e morte/progressão da doença após o início do tratamento com HCQ, não houve diferença significativa em relação ao grupo controle. Ainda nessa mesma comparação entre os grupos, quando realizado tratamento com HCQ, observou-se menos casos com progressão radiológica quando comparado ao grupo controle. Quando se avaliou a segurança, não houve diferença significativa entre os grupos. Na metanálise, foi verificado um benefício no grupo controle/tratamento padrão quanto à progressão radiológica. Na comparação 2: HCQ associado à azitromicina (AZT) ou outras drogas versus controle/terapia padrão: em um dos estudos, 100% dos pacientes estava com cura virológica ao usar HCQ/AZT no dia 6, comparado a 57,1% em monoterapia com HCQ. Em um dos estudos, o teste de PCR positivou novamente em um paciente que ficou negativo para a PCR por tratamento com HCQ + Azitromicina. Em um dos estudos, 11% da população em terapia combinada teve prolongamento significativo do QTc (> 500 ms) e o desenvolvimento de insuficiência renal aguda foi um importante preditor de prolongamento extremo do QTc. Ainda não se pode admitir o benefício da associação do tratamento da HCQ com a AZT, pois são necessários mais estudos clínicos para uma conclusão definitiva sobre essa associação.1
Descritores: Pneumonia Viral/tratamento farmacológico
Temperatura Corporal/efeitos dos fármacos
Cloroquina/administração & dosagem
Cloroquina/uso terapêutico
Infecções por Coronavirus/tratamento farmacológico
Azitromicina/administração & dosagem
Azitromicina/uso terapêutico
-Avaliação da Tecnologia Biomédica
Progressão da Doença
Terapias em Estudo/instrumentação
Betacoronavirus/efeitos dos fármacos
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Estudo de Avaliação
Revisão Sistemática
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 26 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1095205
Autor: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência,Tecnologia e Insumos Estratégicos em Saúde.
Título: Informe diário de evidências: COVID-19 busca realizada em 16 de abril de 2020 / Daily evidence report: COVID-19 search conducted on April 16, 2020.
Fonte: Brasilia; s.n; 16 abr. , 2020. 17 p.
Idioma: pt.
Resumo: Autores descrevem evidências do efeito benéfico da coadministração de hidroxicloroquina com azitromicina no tratamento de COVID-19 e sua potencial eficácia na redução precoce da contagiosidade. Trata-se de uma coorte com 80 pacientes infectados (sintomas moderados), internados e tratados com hidroxicloroquina (200 mg 3x/dia ­ total de 600 mg ­ durante 10 dias) + azitromicina (500 mg no 1º dia, seguido de 250 mg/dia por mais 4 dias). Um total de 80 pacientes recebeu tratamento diariamente durante dez dias. Os três desfechos principais do estudo foram: evolução clínica, contagiosidade (avaliada por PCR e cultura) e tempo de permanência na Unidade de Doenças Infecciosas (UDI). Resultados: Evolução clínica: A maioria (65/80, 81,3%) dos pacientes apresentou resultado favorável e recebeu alta. Apenas 15% necessitaram de oxigenoterapia durante a permanência na UDI. Um paciente de 86 anos morreu e outro de 74 anos se encontrava em terapia intensiva no momento da redação do artigo. Contagiosidade: Observou-se uma queda rápida da carga viral nasofaríngea, com 83% de negativos no 7º dia e 93% no 8º dia. As culturas de vírus das amostras respiratórias dos pacientes foram negativas em 97,5% dos pacientes no 5º dia. Tempo de permanência na UDI: dos 65 pacientes que receberam alta da UDI, o tempo médio de permanência foi de cinco dias.1
Descritores: Pneumonia Viral/tratamento farmacológico
Doenças Transmissíveis/tratamento farmacológico
Infecções por Coronavirus/tratamento farmacológico
Azitromicina/administração & dosagem
Azitromicina/uso terapêutico
Betacoronavirus/efeitos dos fármacos
Hidroxicloroquina/administração & dosagem
Hidroxicloroquina/uso terapêutico
-Progressão da Doença
Terapias em Estudo/instrumentação
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Revisão Sistemática
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 26 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1095207
Autor: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência,Tecnologia e Insumos Estratégicos em Saúde.
Título: Informe diário de evidências: COVID-19 busca realizada em 15 de abril de 2020 / Daily evidence report: COVID-19 search conducted on April 15, 2020.
Fonte: Brasilia; s.n; 15 abr. , 2020. 23 p.
Idioma: pt.
Resumo: Estudo multicêntrico, paralelo, randomizado, open-label, com 150 pacientes adultos com COVID-19. Dessa forma, 75 pacientes receberam hidroxicloroquina com tratamento padrão e outros 75 receberam somente o tratamento padrão. O desfecho primário foi a conversão negativa de SARS-CoV-2 em 28 dias. No geral, a taxa de conversão negativa de SARS-CoV-2 entre os pacientes designados para receber tratamento padrão mais HCQ foi de 85,4% (IC 95%: 73,8% ­ 93,8%), semelhante à do grupo tratamento padrão 81,3% (IC 95%: 71,2% ­ 89,6%) em 28 dias. O tempo de conversão negativo não diferiu entre o grupo tratamento padrão mais HCQ e o grupo tratamento padrão (mediana 8 dias vs. 7 dias; HR = 0,846; IC95%: 0,580 ­ 1,234; P = 0,341). A taxa de alívio dos sintomas e o tempo para alívio dos sintomas foram similares entre os grupos. Os autores relataram que "a eficácia da HCQ no alívio dos sintomas (RR = 8,83, IC 95%: 1,09 ­ 71,3) ficou mais evidente quando os efeitos de confusão de outros agentes antivirais foram removidos na análise posterior". No entanto, não foi observada diferença significativa na melhora dos sintomas em outras análises de subgrupos. No total, 21 pacientes (30%) que receberam HCQ relataram eventos adversos, proporção significativamente (P = 0,001) maior do que aqueles (7 pacientes, 8,8%) relatados no grupo tratamento padrão.1
Descritores: Pneumonia Viral/tratamento farmacológico
Infecções por Coronavirus/tratamento farmacológico
Betacoronavirus/efeitos dos fármacos
Hidroxicloroquina/administração & dosagem
Hidroxicloroquina/uso terapêutico
-Avaliação da Tecnologia Biomédica
Progressão da Doença
Terapias em Estudo/instrumentação
Limites: Humanos
Adulto
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 26 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1095208
Autor: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência,Tecnologia e Insumos Estratégicos em Saúde.
Título: Informe diário de evidências: COVID-19 busca realizada em 14 de abril de 2020 / Daily evidence report: COVID-19 search conducted on April 14, 2020.
Fonte: Brasilia; s.n; 14 abr. , 2020. 18 p.
Idioma: pt.
Resumo: Este estudo incluiu dados coletados em tempo real de 181 pacientes internados com pneumonia por COVID-19; 84 receberam HCQ dentro de 48 horas de admissão (grupo HCQ) e 97 não receberam (grupo não HCQ). A gravidade inicial foi equilibrada entre os grupos, o que significa que esse fator de confusão foi endereçado. Na análise ponderada, 20,2% dos pacientes do grupo HCQ foram transferidos para a UTI ou morreram dentro de 7 dias versus 22,1% no grupo sem HCQ (16 vs. 21 eventos, RR 0,91, IC 95% 0,47-1,80). No grupo HCQ, 2,8% dos pacientes morreram em 7 dias versus 4,6% no grupo não HCQ (3 vs. 4 eventos, RR 0,61, IC 95% 0,13-2,89), e 27,4% e 24,1%, respectivamente, desenvolveram síndrome do desconforto respiratório agudo em 7 dias (24 vs. 23 eventos, RR 1,14, IC 95% 0,65-2,00). Oito pacientes que receberam HCQ (9,5%) tiveram modificações no eletrocardiograma que exigiram a descontinuação da HCQ. O tratamento com HCQ + tratamento padrão, não foi associado à redução de internações em UTIs ou óbito em 7 dias após a internação, em comparação com o tratamento padrão. Esses resultados não apoiam o uso de HCQ em pacientes hospitalizados com pneumonia por COVID-19.
Descritores: Pneumonia Viral/tratamento farmacológico
Cloroquina/administração & dosagem
Cloroquina/uso terapêutico
Infecções por Coronavirus/tratamento farmacológico
Betacoronavirus/efeitos dos fármacos
-Progressão da Doença
Terapias em Estudo/instrumentação
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Revisão Sistemática
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 26 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1095209
Autor: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência,Tecnologia e Insumos Estratégicos em Saúde.
Título: Informe diário de evidências Covid-19: busca realizada entre 8 a 9 de abril de 2020: 23 estudos encontrados / Covid-19 Daily Evidence Report: Search conducted April 8-9, 2020: 23 studies found.
Fonte: Brasilia; s.n; 9 abr. , 2020. 15 p.
Idioma: pt.
Descritores: Pneumonia Viral/tratamento farmacológico
Cloroquina/administração & dosagem
Cloroquina/uso terapêutico
Infecções por Coronavirus/tratamento farmacológico
Betacoronavirus/efeitos dos fármacos
-Progressão da Doença
Terapias em Estudo/instrumentação
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Revisão Sistemática
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 3 ir para página          
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde