Base de dados : LILACS
Pesquisa : E04.540 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 316 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 32 ir para página                         

  1 / 316 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1131592
Autor: Karaca, Umut; Altinsoy, Halil İbrahim; Mutlu, Fatih Mehmet; Ceylan, Osman Melih.
Título: Bupivacaine injection for comitant horizontal strabismus: clinical and radiological results / Injeção de bupivacaína para estrabismo comitante horizontal: resultados clínicos e radiológicos
Fonte: Arq. bras. oftalmol;83(3):180-184, May-June 2020. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: To report the outcomes of bupivacaine injection for the treatment of comitant horizontal strabismus and evaluate clinical effectiveness and associated radiological changes. Methods: This prospective observational clinical study was conducted on 10 patients with comitant horizontal strabismus of up to 40 prism diopters. Ophthalmologic examinations and three-dimensional orbital magnetic resonance imaging were performed pre and post-injection (at first, third, and 12th months). A 4.5 ml of 0.5% bupivacaine was injected into the extraocular muscle under topical anesthesia using an electromyography in all patients. Results: The mean follow-up time at post bupivacaine injection and mean deviation at primary position were was 17 ± 2 months and 21.3 prism diopters, respectively. The mean changes in ocular alignment, enlargement of the cross-sectional area in the injected muscle, and volumetric enlargement were 7.7 PD, 12%, and 17% at the first year post-injection, respectively. No severe or persistent complication was observed. Ptosis and mydriasis were noted post-injection due to the anesthetic effects of bupivacaine but disappeared within 2 h post-injection. Conclusions: Bupivacaine injection improved eye alignment in small-angle horizontal comitant strabismus, effectively diagnosed with orbital magnetic resonance imaging to evaluate volumetric changes of the extraocular muscles. Further clinical studies with larger numbers of patients should be performed to define optimal dosages, concentration, and application method and dose-response relationship.

RESUMO Objetivo: Relatar resultados da injeção de bupivacaína para o tratamento do estrabismo comitante horizontal e avaliar sua eficácia clínica e as alterações radiológicas associadas. Métodos: Este estudo clínico observacional prospectivo foi realizado em 10 pacientes com estrabismo comitante horizontal de até 40 dioptrias de prisma. Exames oftalmológicos e ressonância magnética orbital tridimensional foram realizados pré e pós-injeção (no primeiro, terceiro e 12º mês). A 4,5 mL de bupivacaína a 0,5% foi injetado no músculo extraocular sob anestesia tópica usando eletromiografia em todos os pacientes. Resultados: O tempo médio de acompanhamento pós-injeção de bupivacaína e o desvio médio na posição primária foram de 17 ± 2 meses e 21,3 dioptrias de prisma, respectivamente. As alterações médias no alinhamento ocular, aumento da área da secção transversal no músculo injetado e aumento volumátrico foram de 7,7 PD, 12% e 17% no primeiro ano pós-injeção, respectivamente. Nenhuma complicação grave ou persistente foi observada. Ptose e midríase foram observadas após a injeção devido ao efeito anestésico da bupivacaína, mas desapareceram dentro de duas horas após a injeção. Conclusões: A injeção de bupivacaína melhorou o alinhamento dos olhos no estrabismo comitante horizontal de pequeno ângulo, efetivamente diagnosticado com ressonância magnética orbital para avaliar as alterações volumétricas dos músculos extraoculares. Outros estudos clínicos, com maior número de pacientes devem ser realizados para definir dosagens, concentração, método de aplicação e a relação dose-resposta.
Descritores: Bupivacaína
Estrabismo
-Procedimentos Cirúrgicos Oftalmológicos
Radiografia
Estudos Prospectivos
Estudos Retrospectivos
Resultado do Tratamento
Músculos Oculomotores
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 316 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-948463
Autor: Martínez-Mujica, MT; Retamal, J; González, R.
Título: ¿Retinopexia neumática o implante de silicona para pacientes con desprendimiento regmatógeno de retina? / Scleral buckle versus pneumatic retinopexy for rhegmatogenous retinal detachments
Fonte: Medwave;18(6):e7277, 2018.
Idioma: en; es.
Resumo: Resumen INTRODUCCIÓN: l desprendimiento de retina de tipo regmatógeno es aquel causado por un desgarro o ruptura de la retina, y es causa frecuente de pérdida de visión. Dentro del manejo quirúrgico existen varias opciones, entre ellas el implante de silicona o cirugía convencional y la retinopexia neumática. A pesar de que la mayoría de los profesionales prefiere el uso de implante de silicona, la retinopexia neumática es un procedimiento más simple, de menor costo y sigue siendo considerada como alternativa en algunos casos de desprendimiento de retina regmatógeno, sin embargo hay poca evidencia que compare ambas intervenciones. MÉTODOS: Para responder esta pregunta utilizamos Epistemonikos, la mayor base de datos de revisiones sistemáticas en salud, la cual es mantenida mediante búsquedas en múltiples fuentes de información, incluyendo MEDLINE, EMBASE, Cochrane, entre otras. Extrajimos los datos desde las revisiones identificadas, reanalizamos los datos de los estudios primarios, realizamos un metanálisis y preparamos una tabla de resumen de los resultados utilizando el método GRADE. RESULTADOS Y CONCLUSIONES: Identificamos tres revisiones sistemáticas que en conjunto incluyeron seis estudios primarios, de los cuales tres corresponden a ensayos aleatorizados. Concluimos que el resultado anatómico podría ser mejor con el uso de implante de silicona en términos de re-aplicación de la retina y del riesgo de recurrencia del desprendimiento, pero la retinopexia neumática podría disminuir la incidencia de efectos adversos quirúrgicos oculares.

Abstract INTRODUCTION: Rhegmatogenous retinal detachment is caused by a tear in the retina and is a frequent cause of vision loss. Its treatment is mainly surgical and the following alternatives can be identified: scleral buckling or classic surgery, pneumatic retinopexy and vitrectomy. Between the first two options, most professionals prefer scleral buckling over pneumatic retinopexy, but the latter is a simpler, cheaper and lower-risk procedure, so it is still considered as an option for selected patients. However, there is little evidence comparing both interventions. METHODS: To answer this question we used Epistemonikos, the largest database of systematic reviews in health, which is maintained by screening multiple information sources, including MEDLINE, EMBASE, Cochrane, among others. We extracted data from the systematic reviews, reanalyzed data of primary studies, conducted a meta-analysis and generated a summary of findings table using the GRADE approach. RESULTS AND CONCLUSIONS We identified three systematic reviews including six studies overall, of which three were randomized trials. We concluded the anatomic result might be better with scleral buckling in terms of retinal reattachment and risk of recurrence, but the risk of ocular adverse events might be lower with pneumatic retinopexy.
Descritores: Recurvamento da Esclera/métodos
Vitrectomia/métodos
Descolamento Retiniano/cirurgia
-Recidiva
Recurvamento da Esclera/efeitos adversos
Procedimentos Cirúrgicos Oftalmológicos/métodos
Vitrectomia/efeitos adversos
Ensaios Clínicos Controlados Aleatórios como Assunto
Bases de Dados Factuais
Resultado do Tratamento
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Revisão
Metanálise
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  3 / 316 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-948435
Autor: Oliva, O; Morgado, Á.
Título: Retroceso bilateral de rectos laterales comparado con retroceso/resección unilateral para el tratamiento de la exotropia intermitente básica / Bilateral lateral rectus recession versus unilateral recession/resection for basic intermittent exotropia
Fonte: Medwave;18(6):e7318, 2018.
Idioma: en; es.
Resumo: Resumen INTRODUCCIÓN: En determinadas circunstancias clínicas, la exotropia intermitente básica requiere resolución quirúrgica. Existen dos técnicas para ello: el retroceso bilateral de rectos laterales y el retroceso/resección unilateral. Aunque el retroceso bilateral es la técnica más utilizada, no está claro cuál de estas técnicas tiene mejores resultados. MÉTODOS: Para responder esta pregunta utilizamos Epistemonikos, la mayor base de datos de revisiones sistemáticas en salud, la cual es mantenida mediante búsquedas en múltiples fuentes de información, incluyendo MEDLINE, EMBASE, Cochrane, entre otras. Extrajimos los datos desde las revisiones identificadas, reanalizamos los datos de los estudios primarios, realizamos un metanálisis y preparamos una tabla de resumen de los resultados utilizando el método GRADE. RESULTADOS Y CONCLUSIONES: Identificamos cinco revisiones sistemáticas que en conjunto incluyeron siete estudios primarios, de los cuales tres son ensayos aleatorizados. Concluimos que el retroceso/resección unilateral podría tener un mayor éxito quirúrgico y probablemente disminuiría la tasa de subcorrección/recurrencia, cuando se le compara al retroceso bilateral de rectos laterales.

Abstract INTRODUCTION: Intermittent exotropia requires surgical resolution under some clinical circumstances. The main techniques are bilateral lateral rectus recession and unilateral recess/resection. Although bilateral recession is the most widely used, it is not clear whether it leads to better results. METHODS: To answer this question we used Epistemonikos, the largest database of systematic reviews in health, which is maintained by screening multiple information sources, including MEDLINE, EMBASE, Cochrane, among others. We extracted data from the systematic reviews, reanalyzed data of primary studies, conducted a meta-analysis and generated a summary of findings table using the GRADE approach. RESULTS AND CONCLUSIONS: We identified five systematic reviews including seven studies overall, of which three were randomized trials. We concluded unilateral recess/resection might achieve greater surgical success and probably decrease the rate of undercorrection/recurrence when compared to bilateral lateral rectus recession.
Descritores: Procedimentos Cirúrgicos Oftalmológicos/métodos
Exotropia/cirurgia
Músculos Oculomotores/cirurgia
-Recidiva
Ensaios Clínicos Controlados Aleatórios como Assunto
Exotropia/fisiopatologia
Bases de Dados Factuais
Resultado do Tratamento
Músculos Oculomotores/fisiopatologia
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Revisão
Metanálise
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central


  4 / 316 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-608416
Autor: Souza-Dias, Carlos.
Título: Horizontal effect of the surgical weakening of the oblique muscles: Cartas ao Editor / Efeito horizontal do debilitamento cirúrgico dos músculos oblíquos: Letters to the Editor
Fonte: Arq. bras. oftalmol;74(5):382-382, set.-out. 2011.
Idioma: en.
Descritores: Músculos Oculomotores/cirurgia
Procedimentos Cirúrgicos Oftalmológicos/métodos
Estrabismo/cirurgia
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Comentário
Carta
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 316 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1156165
Autor: Tramontin, Daniela Ferreira; Teixeira, Renan Kleber Costa; Santos, Deivid Ramos dos; Araújo, Nayara Pontes de; Costa, Luís Vinícius Pires da; Calvo, Faustino Chaves; Barros, Rui Sergio Monteiro de.
Título: Se a vida lhe der tomates, treine microcirurgia / If lives gives you tomatoes, training microsurgery
Fonte: Rev. bras. oftalmol;79(6):363-365, nov.-dez. 2020. graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Objetivo: Desenvolver um modelo treinamento utilizando tomates para aquisição de habilidades microcirúrgicas oftalmológicas. Métodos: Duas espécies de tomates (Tomate longa vida e cereja) foram utilizados, sendo utilizados tomates verdolengos e maduros. Delimitou-se com marcador permanente um círculo de raio de 0,5cm. Sob magnificação de um sistema de vídeo, foi realizado a separação da casca, tentando evitar lesionar a fruta. Após a dissecção, foi realizado a rafia da região removida com fio de mononáilon 10-0. Resultados: Os modelos utilizados mostraram-se viáveis para a realização do treinamento de dissecção microcirúrgica independente da espécie. O custo médio de cada simulador foi de menos de R$2,00. O tempo médio de dissecção foi de 10,40 ±1,84 minutos no tomate maduro e 15,20 ±2,25 minutos no verdolengos. Apenas nos tomates verdolengos foi possível realizar a rafia. Conclusão: O modelo de treinamento desenvolvido mostrou-se adequado para o treinamento inicial de várias habilidades oftalmológicas. Além disso, apresenta um baixo custo e fácil aquisição e confecção.

Abstract Objectives: Develop a training model using tomatoes to acquire ophthalmic microsurgical skills. Methods: Two species of immature and mature tomatoes (long life and cherry tomato) were used. A 0.5cm radius circle was delimited with a permanent marker. Under a magnification by a video system, the peel was separated, trying to avoid damaging the fruit. After dissection, it was performed the raffia of the peel with 10-0 mononylon thread. Results: The models used proved to be viable for training in microsurgical dissection, regardless of the species. The average cost of each simulator was less than U$ 1.00. The average dissection time was 10.40 ± 1.84 minutes for ripe tomatoes and 15.20 ± 2.25 minutes for greens. Only in immature tomatoes was it possible to make the raffia. Conclusion: The training model developed proved to be suitable for the initial training of many ophthalmic skills. In addition, it has a low cost and is easy to purchase and manufacture.
Descritores: Procedimentos Cirúrgicos Oftalmológicos
Suturas
Lycopersicon esculentum
Dissecação
Treinamento por Simulação
Microcirurgia
-Epidemiologia Experimental
Estudos Transversais
Responsável: BR1.2 - Biblioteca Central


  6 / 316 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-967684
Autor: Pereira, Guillermo.
Título: Cirugía de catarata con láser de femtosegundo / Femtosecond laser cataract surgery
Fonte: Rev. Soc. Colomb. Oftalmol;47(2):94-96, 2014.
Idioma: en; es.
Descritores: Extração de Catarata/métodos
-Procedimentos Cirúrgicos Oftalmológicos/tendências
Facoemulsificação/tendências
Oftalmopatias/terapia
Tipo de Publ: Editorial
Responsável: CO119


  7 / 316 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Trevisani, Virginia Fernandes Moça
Texto completo
Id: biblio-827965
Autor: Fidelix, Tania Sales de Alencar; Vieira, Luis Antonio; Trevisani, Virginia Fernandes Moca.
Título: Management of necrotizing scleritis after pterygium surgery with rituximab / Tratamento com rituximabe de esclerite necrosante após cirurgia de pterigeo
Fonte: Arq. bras. oftalmol;79(5):339-341, Sept.-Oct. 2016. graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT The authors present a case of necrotizing scleritis after pterygium excision successfully treated with rituximab after attempts with high doses of corticosteroids and immunosuppressive drugs. A literature review revealed case reports and a phase I/II dose-ranging randomized clinical trial using rituximab for necrotizing scleritis with or without association with autoimmune disease. This is the only case report on rituximab treatment for necrotizing scleritis after pterygium surgery. In cases with refractoriness to immunosuppressive drugs, a CD20 antibody can be used.

RESUMO Os autores apresentam um caso de sucesso no tratamento com rituximabe de esclerite necrosante após cirurgia de pterígio refratário a altas doses de corticosteroides e drogas imunossupressoras. Uma revisão da literatura direcionada ao uso de rituximabe para tratamento de esclerites necrosantes revelou relatos de casos e um estudo clínico randomizando fase I/II. Este é o único caso descrito de rituximabe para o tratamento de esclerite necrosante pós cirúrgica. O uso de anticorpo anti-CD20 pode ser uma opção em casos refratários aos imunossupressores no tratamento da esclerite necrosante pós-cirúrgica.
Descritores: Pterígio/cirurgia
Esclerite/tratamento farmacológico
Rituximab/uso terapêutico
Fatores Imunológicos/uso terapêutico
-Complicações Pós-Operatórias/etiologia
Complicações Pós-Operatórias/tratamento farmacológico
Esclera/efeitos dos fármacos
Esclera/patologia
Procedimentos Cirúrgicos Oftalmológicos/efeitos adversos
Esclerite/etiologia
Reprodutibilidade dos Testes
Resultado do Tratamento
Limites: Humanos
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 316 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-888159
Autor: Karadag, Remzi; Sevimli, Neslihan; Okumus, Seydi; Ozsoy, Isilay; Bayramlar, Huseyin; Durucu, Ela; Aksoy, Umit; Rapuano, Christopher J.
Título: A comparison of two conjunctival rotation autograft techniques in primary pterygium surgery / Comparação de duas técnicas de rotação de auto-enxerto conjuntival na cirurgia de pterígio primário
Fonte: Arq. bras. oftalmol;80(6):373-377, Nov.-Dec. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: To compare the effects of 90° and 180° conjunctival rotational autograft (CRA) techniques used in primary pterygium surgery. Methods: Forty-five patients were included in this retrospective study. Visual acuity (VA), corneal topography, and auto-refractometer measurements, as well as detailed biomicroscopic examinations, were performed preoperatively and postoperatively. During surgery, the pterygium tissue was excised then rotated 90° in Group 1 and180° in Group 2, after which it was sutured to the bare sclera. Pterygium recurrence was defined as corneal invasion ≥1 mm. Results: Group 1 consisted of 21 patients with a mean age of 45.1 ± 11.8 years, while Group 2 comprised 24 patients with a mean age of 47.9 ± 13.8 years. The pterygia in Group 1 were graded as more advanced than those in Group 2. A similar number of recurrences were observed in Group 1 (14.3%) and in Group 2 (16.7%). There was no statistically significant difference in terms of the preoperative and postoperative VA and astigmatism values between the two groups. There was a statistically significant improvement in the postoperative VA and astigmatism values in Group 1 and in the postoperative astigmatism values in Group 2. Although postoperative redness was more common in Group 1, no statistically significant difference was found between the groups. Conclusion: BothCRA techniques can be successful in patients for whom it is desirable to avoid a conjunctival autograft and for patients without high cosmetic expectations.

RESUMO Objetivo: Comparar os efeitos das técnicas de auto-enxerto rotacional de conjuntiva (CRA) de 90° e 180°, usadas na cirurgia de pterígio primário. Métodos: Quarenta e cinco pacientes foram incluídos neste estudo retrospectivo. Acuidade visual (AV) pré e pós-operatória, topografia da córnea, auto-refratometria e exames biomicroscópicos detalhados foram feitos. Durante a cirurgia, o tecido de pterígio foi excisado e o mesmo tecido foi girado 90° no Grupo 1 e 180° no Grupo 2, após o que foi suturado à esclera nua. A recorrência do pterígio foi definida como invasão da córnea ≥1 mm. Resultados: O Grupo 1 consistiu em 21 pacientes, cuja média de idade foi de 45,1 ± 11,8 anos e o Grupo 2 compreendeu 24 pacientes, cuja idade média foi de 47,9 ± 13,8 anos. O Grupo 1 teve maior frequência de pterígios classificados como mais avançada do que no Grupo 2. Um número similar de recorrências foi observado no Grupo 1 (14,3%) e no Grupo 2 (16,7%). Não houve diferença estatisticamente significativa em termos de valores pré e pós-operatórios de AV e astigmatismo entre dois grupos. Houve uma melhora estatisticamente significativa nos valores pós-operatórios de AV e astigmatismo no Grupo 1 e nos valores de astigmatismo pós-operatório no Grupo 2. Embora a vermelhidão pós-operatória tenha sido detectada mais comumente no Grupo 1, não foi encontrada diferença estatisticamente significante entre os grupos. Conclusão: Ambas as técnicas de CRA podem ser bem sucedidas em pacientes onde é desejável evitar um auto-enxerto conjuntival livre e para quem a expectativa de cosméticos não é alta.
Descritores: Procedimentos Cirúrgicos Oftalmológicos/métodos
Pterígio/cirurgia
Túnica Conjuntiva/transplante
-Recidiva
Acuidade Visual
Estudos Retrospectivos
Resultado do Tratamento
Topografia da Córnea
Autoenxertos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 316 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-888166
Autor: Issaho, Dayane Cristine; Wang, Serena Xiaohong; Weakley Jr, David Robert.
Título: Intermittent exotropia surgery: results in different age groups / Cirurgia para correção de exotropia intermitente: resultados em diferentes grupos etários
Fonte: Arq. bras. oftalmol;80(6):355-358, Nov.-Dec. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: To report the outcomes in patients undergoing surgical correction of intermittent exotropia and to compare the age at surgery to motor and sensory success. Methods: This was a retrospective cohort study. The results of patients with intermittent exotropia treated with surgery over a 4-year period were reviewed. Patients were divided into two groups based on age at first surgery (<4 years vs. ≥4 years), and motor and sensory outcomes were compared between the two groups. Results: One hundred thirty-six patients were evaluated, with 67 and 51 patients undergoing surgery before and after the age of 4 years, respectively. The mean age at surgery was 6.8 ± 2.6 years. The reoperation rate for the patients who underwent surgery before 4 years of age was 48% versus 42% for the ones who underwent surgery after this age (p=0.93). Postoperative stereopsis showed an inverse linear association with age at surgery (p<0.001). For each month younger at the time of surgery, there was 0.69 s of arc worsening in the Titmus test. Conversely, when we separately analyzed the patients in whom the first postoperative alignment was esotropic vs. orthophoric/exotropic, we found no correlation between the immediate postoperative alignment in the first week and sensory outcome at the last visit. Conclusions: When indicated, patients with intermittent exotropia can be operated upon safely under 4 years of age, and may even present better motor results than older patients. Postoperative stereoacuity in younger children revealed to be worse than in older children; however, this result is unlikely to be due to inadequate age for surgery, but rather, immaturity for performing the stereopsis test.

RESUMO Objetivo: Descrever os resultados em pacientes submetidos à correção cirúrgica de exotropia intermitente e comparar o sucesso motor e sensorial em relação à idade na cirurgia. Métodos: Estudo tipo coorte retrospectivo. Os resultados cirúrgicos de pacientes com exotropia intermitente foram avaliados em um período de 4 anos. Os pacientes foram divididos em 2 grupos de acordo com a idade na primeira cirurgia (antes ou após os 4 anos de idade) e foram comparados quanto aos resultados motores e sensoriais. Results: 136 pacientes foram avaliados, 67 operados antes dos 4 anos e 51 operados após esta idade. A idade média na cirurgia foi de 6,8 ± 2,6 anos. A taxa de reoperação em pacientes operados antes dos 4 anos foi de 48% versus 42% naqueles operados mais tarde (p=0,93). A estereopsia pós-operatória mostrou uma associação linear inversa com a idade na cirurgia (p<0,001). Para cada mês mais jovem na idade da cirurgia, houve uma piora de 0,69 segundos de arco no teste de Titmus. Por outro lado, não foi encontrada correlação entre o alinhamento pós-operatório na primeira semana e o resultado sensorial na última visita, quando avaliamos separadamente os pacientes que se apresentaram com esotropia ou orto/exotropia na primeira semana pós-cirúrgica. Conclusão: Havendo critério para cirurgia, os pacientes com exotropia intermitente podem ser operados com segurança antes dos 4 anos de idade, e podem muitas vezes apresentar um melhor resultado motor do que os pacientes operados mais tarde. A estereopsia pós-operatória em crianças mais jovens foi pior, mais provavelmente por imaturidade ao realizar o teste do que por idade inadequada na cirurgia.
Descritores: Procedimentos Cirúrgicos Oftalmológicos/métodos
Exotropia/cirurgia
-Acuidade Visual
Doença Crônica
Estudos Retrospectivos
Estudos de Coortes
Fatores Etários
Resultado do Tratamento
Limites: Humanos
Feminino
Recém-Nascido
Lactente
Pré-Escolar
Criança
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 316 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-950448
Autor: Gigante, Edmilson; Romão, Rodrigo Abdalla; Valério, Fátima de Jesus Passador.
Título: Monocular surgery to correct large-angle esotropia: a 10-year follow-up study / Cirurgia monocular para correção de esotropias de grande ângulo: seguimento de 10 anos
Fonte: Arq. bras. oftalmol;81(3):232-238, May-June 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Purpose: To conduct a 10-year follow-up on the surgical correction of large-angle esotropia using monocular surgery, verifying surgical stability over time in both adults and children, and investigating the presence of consecutive exotropia among reviewed patients. Methods: The angles of deviation in primary position were measured using prism cover testing in patients with good vision in both eyes and the Krimsky method in those with severe amblyopia. Among the 46 patients who underwent surgery, 40 were evaluated 10 years post-surgery. Student's t-test and McNemar's test were used for statistical analyses. Results: No significant differences in the angles of deviation in primary position were found between measurements taken 6 months and 10 years post-surgery (p=0.922), as well as between children and adults (p=0.767). Among the 40 reviewed patients, only five presented with exotropia, all of which were small (the largest being XT 15Δ). Therefore, large consecutive exotropia over time was not observed. Conclusion: Our results suggest that monocular surgery to correct large-angle esotropia using large medial rectus recessions and broad lateral rectus resections was viable and safe in both adults and children over short and long terms.

RESUMO Objetivo: Conduzir um acompanhamento de 10 anos de correção cirúrgica de esotropias de grande ângulo com cirurgia monocular, verificando a estabilidade cirúrgica ao longo do tempo em adultos e crianças, investigando a presença de exotropias consecutivas entre os pacientes revisados. Métodos: Os ângulos de desvio em posição primária foram medidos usando teste de cobertura prismática em pacientes com boa visão em ambos os olhos e o método de Krimsky naqueles com ambliopia severa. Entre os 46 pacientes operados, 40 foram avaliados 10 anos após a cirurgia. O teste t-Student e o de McNemar foram usados para análises estatísticas. Resultados: Não foram encontradas diferenças significativas nos ângulos de desvio em posição primária entre as medidas realizadas 6 meses e 10 anos pós-operatórios (p=0,922, assim como entre crianças e adultos (p=0,767). Entre os 40 pacientes revisados, apenas cinco apresentaram exotropias, todas pequenas (sendo o maior XT 15Δ). Portanto grandes exotropias consecutivas ao longo do tempo não foram observadas. Conclusão: Nossos resultados sugerem que a cirurgia monocular para corrigir a esotropias de grande ângulo usando amplos recuos do reto medial e grandes ressecções do reto lateral foi viável e segura tanto em adultos quanto em crianças em curto como a longo prazo.
Descritores: Esotropia/cirurgia
-Procedimentos Cirúrgicos Oftalmológicos/métodos
Fatores de Tempo
Seguimentos
Resultado do Tratamento
Músculos Oculomotores/cirurgia
Limites: Humanos
Masculino
Pré-Escolar
Criança
Adolescente
Adulto
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 32 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde