Base de dados : LILACS
Pesquisa : E05.318.308.980.438 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 1938 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 194 ir para página                         

  1 / 1938 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890453
Autor: Mello, Flávia Carvalho Malta; Silva, Jorge Luiz da; Oliveira, Wanderlei Abadio de; Prado, Rogério Ruscitto do; Malta, Deborah Carvalho; Silva, Marta Angélica Iossi.
Título: A prática de bullying entre escolares brasileiros e fatores associados, Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar 2015 / The practice of bullying among Brazilian schoolchildren and associated factors, National School Health Survey 2015
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(9):2939-2948, Set. 2017. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O estudo objetivou verificar associações entre a prática de bullying com variáveis sociodemográficas, de saúde mental e de comportamentos de risco em escolares. O inquérito, de corte transversal, analisa dados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE 2015). Foi realizada análise de regressão logística múltipla para verificar fatores associados à prática de bullying. O autorrelato de praticar bullying foi referido por 19,8% (IC95% 19,5-20,0) dos estudantes. A prática foi mais frequente entre os que estudam na escola privada, cujas mães têm maior escolaridade, moram com os pais, os quais trabalham. Entre as características da saúde mental foi mais frequente a prática de bullying entre os que relatam solidão, insônia e não ter amigos. Dentre as características da família, os que relatam apanhar de familiares e os que faltam as aulas sem comunicar a família praticam mais bullying. A prática de bullying foi mais frequente em quem relata uso de tabaco, álcool, experimentar drogas e em escolares que relatam ter tido relação sexual. Neste cenário, os dados indicam que a prática do bullying é aspecto relevante que interfere no processo ensino-aprendizagem e na saúde dos escolares. Tornando-se necessário enfrentar no contexto da intersetorialidade e do protagonismo juvenil.

Abstract This study explored associations between bullying and sociodemographic, mental health and risk behavior variables in school age children. This cross-sectional survey analyzed data from the National School Health Survey (PeNSE 2015). A multiple logistic regression analysis checked for factors associated with bullying. Nineteen point eight percent (95%CI 10.5 - 20.0) of the students claimed they practiced bullying. The practice of bullying was more common among students enrolled in private schools, those living with their parents, and those whose mothers have more years of schooling and are gainfully employed (28.1% CI 27.3-28.8). In terms of mental health characteristics, bullying was more common among those feeling alone, suffering from insomnia and with no friends. Looking at family characteristics, those reporting they are physically punished by family members (33.09% CI 33.1-34.6) and miss school without telling their family (28.4% 95% CI 27.9-29.0) are more likely to practice bullying. Bullying was more frequent among those reporting tobacco, alcohol and drug use, and among students claiming to have had sexual relations. The data shows that bullying is significant and interferes in school children's health and the teaching-learning process. This must be addressed looking at youth as protagonists and in an inter-sectoral context.
Descritores: Assunção de Riscos
Estudantes/estatística & dados numéricos
Saúde Mental
Bullying/estatística & dados numéricos
-Serviços de Saúde Escolar
Instituições Acadêmicas
Fatores Socioeconômicos
Brasil/epidemiologia
Modelos Logísticos
Características da Família
Estudos Transversais
Inquéritos Epidemiológicos
Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias/epidemiologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 1938 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890443
Autor: Fontes, Luiz Felipe Campos; Conceição, Otavio Canozzi; Machado, Sthefano.
Título: Violência sexual na adolescência, perfil da vítima e impactos sobre a saúde mental / Childhood and adolescent sexual abuse, victim profile and its impacts on mental health
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(9):2919-2928, Set. 2017. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Este trabalho objetiva analisar os impactos do abuso sexual na adolescência sobre variáveis relacionadas à saúde mental e identificar as características das vítimas. Para tanto, utiliza-se a metodologia do Propensity Score Matching a partir dos microdados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar 2015. Os resultados mostram que o jovem violentado tem um perfil comportamental, familiar e socioeconômico singular, a destacar pelo fato de que tem mais chances de já ter utilizado álcool e drogas, de ser alvo de bullying, estar em distorção idade-série, encontrar-se empregado e não ter pretensão de continuar estudando. Do ponto de vista familiar, tem pouco acompanhamento dos pais e menos chance de morar com a mãe. As estimativas revelam que o abuso sexual na adolescência pode aumentar em 13,3% a chance do jovem reportar sentimento frequente de solidão, em 7,5% a chance de ter poucos ou nenhum amigo e em 9,5% a chance de relatar insônia frequente por motivo de preocupação. Foram constatadas ainda diferenças significativas dos efeitos em mulheres e homens, sendo os impactos sobre solidão e insônia maiores para o primeiro grupo e sobre número de amigos maiores para o segundo.

Abstract This work aims to analyze the impact of childhood and adolescent sexual abuse on variables related to mental health and to identify the characteristics of the victims. To achieve this objective, microdata of the National School Health Survey 2015 was used, applying the methodology of Propensity Score Matching. The results show that the abused youth has a unique behavioral, familiar and socioeconomic profile and that they are more likely to use alcohol and drugs, be victim of bullying, to be in age-grade lag, to be employed and not to intend to continue studying. From a familiar point of view, they have low parental monitoring and lower probability of living with their mother. Estimates show that teenage sexual abuse can increase the youth's chance of reporting a constant feeling of loneliness by 13.3 percent, a 7.5 percent higher chance of having few or none friends, and a 9.5 percent higher chance of reporting frequent insomnia. Significant differences in effects on men and women were also observed, with impacts on loneliness feelings and insomnia greater for the first group and greater on the number of friends for the second.
Descritores: Abuso Sexual na Infância/psicologia
Distúrbios do Início e da Manutenção do Sono/epidemiologia
Solidão
Solidão/psicologia
-Fatores Socioeconômicos
Abuso Sexual na Infância/estatística & dados numéricos
Brasil/epidemiologia
Consumo de Bebidas Alcoólicas/epidemiologia
Fatores Sexuais
Fatores de Risco
Inquéritos Epidemiológicos
Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias/epidemiologia
Amigos/psicologia
Bullying/estatística & dados numéricos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 1938 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890580
Autor: Mariosa, Duarcides Ferreira; Ferraz, Renato Ribeiro Nogueira; Santos-Silva, Edinaldo Nelson dos.
Título: Influência das condições socioambientais na prevalência de hipertensão arterial sistêmica em duas comunidades ribeirinhas da Amazônia, Brasil / Influence of environmental conditions on the prevalence of systemic hypertension in two riverine communities in the Amazon, Brazil
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;23(5):1425-1436, Mai. 2018. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Este artigo discute a influência das condições socioambientais na prevalência da Hipertensão Arterial Sistêmica em duas comunidades ribeirinhas da (RDS) Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Tupé, Manaus, Amazonas, mediante estudo ecológico de grupos múltiplos e de análise contextual realizados com os moradores. Para delinear a etiologia ambiental que descreve o risco de acometimento da doença, o estudo compara dados demográficos, taxas de incidência e as práticas diárias comuns nas coletividades, levantados em pesquisa de campo, entre os anos de 2012 e 2014, com valores apresentados pelo IBGE na Pesquisa Nacional de Saúde de 2013. Os resultados da análise sugerem que determinantes socioambientais, como a precariedade das condições gerais de vida, trabalho e de acesso aos mecanismos protetivos à saúde das comunidades investigadas são relevantes para explicar a variabilidade das taxas de incidência de HAS. Finaliza-se alertando para a necessidade de considerar a vulnerabilidade socioambiental na elaboração de políticas públicas de saúde e na gestão de unidades de conservação.

Abstract This article discusses the influence of environmental conditions on the prevalence of systemic hypertension in two riverine communities in the Sustainable Development Reserve of Tupé, Manaus, Amazonas, Brazil, through an ecological study of multiple groups and contextual analysis carried out with the local inhabitants. To identify the environmental etiology describing the risk of disease development, the study compares demographics, incidence rates and common daily practices in these communities, using data collected in the field, between 2012 and 2014, as well as values provided by IBGE, originally from National Health Survey, 2013. The results suggest that social and environmental determinants, such as general living conditions, occupation and access to protective health care, in the investigated communities, are relevant factors in explaining the observed variability in systemic arterial hypertension (SAH) incidence rates. The study concludes by pointing out the importance and need to consider socio-environmental vulnerability in the elaboration of public health policies and in the management of environmentally protected areas.
Descritores: Conservação dos Recursos Naturais
Meio Ambiente
Determinantes Sociais da Saúde
Hipertensão/epidemiologia
-Brasil/epidemiologia
Saúde Pública
Incidência
Prevalência
Inquéritos Epidemiológicos
Rios
Política de Saúde
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Idoso
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 1938 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-1170966
Autor: Lucchese M S M; Burrone M S; Enders J E; Fernández A R.
Título: Consumption of psychoactive substances in educational institutions: an inquiry into the state of affairs in the schools of Córdoba / Consumption of psychoactive substances in educational institutions: an inquiry into the state of affairs in the schools of Córdoba.
Fonte: Rev. Fac. Cienc. Méd. (Córdoba);71(1):36-42, 2014.
Idioma: es.
Resumo: This study describes and analyses the consumption of psychoactive substances in educational institutions, the school environment conditions and its relation to the school standing of the students. In the first stage, a quantitative evaluation was performed, based on the records of the Second National Survey of Secondary School Students carried out in Córdoba in 2005; the second stage used a qualitative approach. A multistage probabilistic sample of 4593 students was used for the quantitative assessment. The analysis comprised summary measurements, multivariate and factorial correspondence analysis, in all cases with a significance level of p < 0.05. For the qualitative stage, an ethnographic approach was applied. The state schools were chosen using an intentional, cumulative and sequential sampling method. Ten in-depth interviews were carried out to gather qualitative data that was analyzed using the comparative constant method. Results evince that consumption is lower among morning-shift students and that grade repetition and behavior problems are associated to consumption of illegal drugs. Furthermore, it was detected that students in night-shift schools with low academic and disciplinary demand standards have a higher probability of consumption. It is clear that as academic standards decrease, consumption increases.
Descritores: Estudantes/estatística & dados numéricos
Instituições Acadêmicas/estatística & dados numéricos
Psicotrópicos
Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias/epidemiologia
-Adolescente
Adulto Jovem
Argentina/epidemiologia
Criança
Feminino
Humanos
Inquéritos Epidemiológicos
Inquéritos e Questionários
Masculino
Tipo de Publ: Artigo de Revista
Responsável: AR5.1 - Centro de Gestión del Conocimiento y las Comunicaciónes


  5 / 1938 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-952720
Autor: Cruz, Mércia Santos da; Araujo, Jair Andrade; Paixão, Adriano Nascimento da.
Título: Family structure and its impacts on the restrictions of self-perception of elderly health levels in Brazil / Estrutura familiar e seus impactos sobre as restrições da autopercepção dos níveis de saúde dos idosos no Brasil
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;23(8):2751-2762, Aug. 2018. tab.
Idioma: en.
Resumo: Abstract The aim of the article is to investigate the impacts of co-residence over spouce and/or children on self-perceived health among Brazilian elderly. The database used was the health supplement of the National Sample Survey of Households (PNAD) conducted by the Brazilian Institute of Geography and Statistics (IBGE) in 2008. The sample consists of 36 551 people from all regions of the country such as urban areas and rurals. The results indicate that seniors with better socioeconomic status, who don't have physical mobility problems are more propenspos to a better self report among their health, regardless of the gender of the elderly. Regarding the impact of co-residence family health of respondents, living with daughters increases the probability that perception is better (specifically good or very good). Moreover,the results are consistent with the hypothesis that elderly brazilians realize better their health with home living with daughters and/or spouse.

Resumo Este artigo tem como objetivo investigar os impactos da corresidência de cônjuge e/ou filhos sobre a autopercepção de saúde dos idosos brasileiros. A base de dados utilizada foi o suplemento de saúde da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD) realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no ano de 2008. A amostra é composta de 36.551 pessoas de todas as regiões do país de áreas urbanas e rurais. Os resultados indicam que os idosos com melhor status socioeconômico e sem problemas de mobilidade física são mais propenspos a um melhor autorreporte de sua saúde, independente do gênero. Quanto ao impacto da corresidência familiar na saúde dos pesquisados, a convivência com filhas aumenta a probabilidade que a percepção seja melhor (especificamente boa ou muito boa). Ademais, os resultados são compatíveis com a hipótese de que os idosos brasileiros percebem melhor sua saúde com a convivência domiciliar com filhas e/ou cônjuge.
Descritores: Autoimagem
Características da Família
Nível de Saúde
Relações Familiares
-População Rural
Classe Social
Fatores Socioeconômicos
População Urbana
Brasil
Inquéritos Epidemiológicos
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 1938 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-952732
Autor: Buranello, Mariana Colombini; Meirelles, Maria Cristina Cortez Carneiro; Walsh, Isabel Aparecida Porcatti de; Pereira, Gilberto de Araujo; Castro, Shamyr Sulyvan de.
Título: Prática de exames de rastreio para câncer de mama e fatores associados - Inquérito de Saúde da Mulher em Uberaba MG, Brasil, 2014 / Breast cancer screening practice and associated factors: Women's Health Survey in Uberaba MG Brazil, 2014
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;23(8):2661-2670, Aug. 2018. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Os objetivos deste estudo foram caracterizar o perfil socioeconômico e epidemiológico das mulheres em Uberaba, segundo a prática de exames de rastreio para câncer de mama, bem como verificar os fatores associados à prática. Pesquisa transversal de base populacional, parte do Inquérito de Saúde da Mulher em Uberaba MG. Coleta por entrevista domiciliar, referentes à questões socioeconômicas, epidemiológicas e prática de exames de rastreio para câncer de mama. Amostra foi composta por 1.520 mulheres acima de 20 anos. Após o processamento dos dados, foi realizada análise estatística com medidas de associação pelo teste Qui-Quadrado; regressão bivariada e multivariada de Poisson, significância de 5%. Os resultados demonstraram um perfil de prática de exames de rastreio para câncer de mama com mulheres de raça/cor branca (66%), escolaridade e renda per capita elevada, estado conjugal "em união" (67,5%), não chefes de família (64,4%) e não tabagistas (64,6%). Os fatores associados à maior prática dos exames foram a faixa etária de 40-49 e 50-69 anos (RP = 0,7 e 0,64), renda per capita maior que um salário mínimo (RP = 1,17) e fonte de pagamento da mamografia pública ou por plano de saúde (RP = 1,98 e 1,94). Conclui-se que existem fatores relacionados à prática de exames de rastreio na amostra estudada.

Abstract This study aimed to characterize women's socioeconomic and epidemiological profile in Uberaba according to the breast cancer screening practice and identify associated factors with this practice. This is a cross-sectional research part of the Women's Health Survey in Uberaba (MG). Data was collected by home interview, referring to socioeconomic and epidemiological issues and breast cancer screening practice, from a sample of 1,520 women above 20 years of age. After processing the data, we performed statistical analysis with measures of association by the Chi-square test, bivariate and multivariate Poisson regression, with a significance level of 5%. The results showed a profile of breast cancer screening practice with white women (66%), high schooling and per capita income, in common-law marriage (67,5%), non-heads of households (64,4%) and non-smokers (64,6%). Factors associated with higher practice were the age groups 40-49 and 50-69 years (PR = 0.7 and 0.64), per capita income higher than one minimum wage (PR = 1.17) and public or health plan mammography coverage (PR = 1.98 and 1.94). We can conclude that factors associated with breast cancer screening practice have been identified in the studied sample.
Descritores: Neoplasias da Mama/diagnóstico
Mamografia/métodos
Programas de Rastreamento/mortalidade
Detecção Precoce de Câncer/métodos
-Fatores Socioeconômicos
Brasil/epidemiologia
Neoplasias da Mama/epidemiologia
Mamografia/estatística & dados numéricos
Distribuição de Poisson
Programas de Rastreamento/estatística & dados numéricos
Estudos Transversais
Inquéritos Epidemiológicos
Fatores Etários
Detecção Precoce de Câncer/estatística & dados numéricos
Renda
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Feminino
Adolescente
Adulto
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 1938 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-952760
Autor: Reis, Ademar Arthur Chioro dos; Malta, Deborah Carvalho; Furtado, Lumena Almeida Castro.
Título: Desafios para as políticas públicas voltadas à adolescência e juventude a partir da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE) / Challenges for public policies aimed at adolescence and youth based on the National Scholar Health Survey (PeNSE)
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;23(9):2879-2890, set. 2018. graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O objetivo do artigo é analisar os principais problemas e desafios para a implementação de políticas públicas voltadas para a adolescência brasileira a partir de revisão narrativa dos resultados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE). Ensaio teórico sobre políticas públicas produzido a partir de revisão narrativa das três edições da PeNSE. Os artigos identificados foram categorizados em temas prioritários para intervenção de políticas públicas. Tabagismo: estável quanto ao cigarro e aumento de 18% de outros produtos do tabaco. Álcool: consumo regular caiu de 27,3% para 23,2%. Drogas: aumento da experimentação, a supervisão familiar mostrou-se protetora para uso de tabaco, álcool e drogas. Aumento de todos os indicadores de violência. Predomínio de hábitos não saudáveis: apenas 20% dos escolares praticam 1 hora de atividade física ou mais diariamente. Sexualidade: redução do uso preservativos na primeira relação. Serviços de saúde: metade dos escolares usaram nos últimos 12 meses. A exposição de fatores de risco como álcool, sexo inseguro e práticas e condições violentas é elevada na adolescência. Torna-se importante a adoção de políticas públicas e ações intersetoriais, plurais e abertas à singularidade, voltadas para a proteção da saúde de adolescentes e jovens.

Abstract Objective to examine the problems and challenges facing implementation of policies for Brazilian adolescents, on the basis of narrative review of the findings of the National Survey of School Health (PeNSE). Methods theoretical policy analysis based on narrative review of the three editions of the PeNSE. The articles identified were categorised by priority issues for public policy intervention. Results cigarette smoking held stable, while use of other tobacco products increased by 18%. Regular alcohol use declined from 27.3% (2009) to 23.2% (2015). Drug experimentation increased, while family supervision produced protective effects against tobacco, alcohol and drug use. All indicators of violence increased, including involvement in fights where someone used a firearm or melee weapon. Diet and physical activity displayed predominantly unhealthy habits: (only 20% exercised for an hour or more daily). Sexuality: condom use at first intercourse decreased from 75.9% to 66.2%. Half the students had used a health service in the prior 12 months. Conclusion exposure to risk factors, including alcohol, unsafe sex and violent behaviour and conditions, is high in adolescence, making it important to adopt public policies and inter-sectoral actions that are plural and open to singularity in order to protect the health of adolescents and youth.
Descritores: Política Pública
Consumo de Bebidas Alcoólicas/epidemiologia
Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias/epidemiologia
Uso de Tabaco/epidemiologia
-Comportamento Sexual/estatística & dados numéricos
Estudantes/estatística & dados numéricos
Violência/estatística & dados numéricos
Brasil/epidemiologia
Fatores de Risco
Inquéritos Epidemiológicos
Comportamento do Adolescente
Sexo sem Proteção/estatística & dados numéricos
Dieta/estatística & dados numéricos
Serviços de Saúde/estatística & dados numéricos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 1938 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Lotufo, Paulo A
Spósito, Andrei C
Texto completo
Id: biblio-838742
Autor: Lotufo, Paulo A; Santos, Raul D; Sposito, Andrei C; Bertolami, Marcelo; Rocha-Faria Neto, Jose; Izar, M Cristina; Szwarcwald, Celia; Prado, Rogério R; Stoppa, Sheila R; Malta, Deborah C; Bensenor, Isabela M.
Título: Self-Reported High-Cholesterol Prevalence in the Brazilian Population: Analysis of the 2013 National Health Survey / Prevalência de Diagnóstico Médico de Colesterol Alto Autorreferido na População Brasileira: Análise da Pesquisa Nacional de Saúde, 2013
Fonte: Arq. bras. cardiol;108(5):411-416, May 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background: Data on the prevalence of dyslipidemia in Brazil are scarce, with surveys available only for some towns. Objective: To evaluate the prevalence of the self-reported medical diagnosis of high cholesterol in the Brazilian adult population by use of the 2013 National Health Survey data. Methods: Descriptive study assessing the 2013 National Health Survey data, a household-based epidemiological survey with a nationally representative sample and self-reported information. The sample consisted of 60,202 individuals who reported a medical diagnosis of dyslipidemia. The point prevalence and 95% confidence interval (95%CI) for the medical diagnosis of high cholesterol/triglyceride by gender, age, race/ethnicity, geographic region and educational level were calculated. Adjusted odds ratio was calculated. Results: Of the 60,202 participants, 14.3% (95%CI=13.7-14.8) never had their cholesterol or triglyceride levels tested, but a higher frequency of women, white individuals, elderly and those with higher educational level had their cholesterol levels tested within the last year. The prevalence of the medical diagnosis of high cholesterol was 12.5% (9.7% in men and 15.1% in women), and women had 60% higher probability of a diagnosis of high cholesterol than men. The frequency of the medical diagnosis of high cholesterol increased up to the age of 59 years, being higher in white individuals or those of Asian heritage, in those with higher educational level and in residents of the Southern and Southeastern regions. Conclusion: The importance of dyslipidemia awareness in the present Brazilian epidemiological context must be emphasized to guide actions to control and prevent coronary heart disease, the leading cause of death in Brazil and worldwide.

Resumo Fundamento: A prevalência de hipercolesterolemia no Brasil não é conhecida para todo o país, havendo somente inquéritos em algumas cidades. Objetivo: Avaliar a prevalência de diagnóstico médico de colesterol alto autorreferido na população adulta brasileira, utilizando-se dos dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) de 2013. Métodos: Estudo descritivo que avaliou os dados da PNS de 2013, um inquérito epidemiológico de base domiciliar, representativo para o Brasil, com informações autorreferidas. A amostra compreendeu 60.202 indivíduos entrevistados com autorrelato de diagnóstico médico de colesterol. Calculou-se a prevalência de ponto e o intervalo de confiança de 95% (IC95%) para diagnóstico médico de colesterol/triglicerídeos alto(s) por sexo, idade, cor da pele, região geográfica, escolaridade. Foram calculadas as razões de chance ajustadas. Resultados: Dos 60.202 participantes adultos, 14,3% (IC95%=13,7-14,8) nunca tiveram colesterol ou triglicerídeos dosados, sendo que um maior número de mulheres, idosos, indivíduos com instrução superior completa e de raça branca relatou aferição há menos de um ano. A prevalência de diagnóstico médico de colesterol alto foi de 12,5%, maior nas mulheres (15,1%) do que nos homens (9,7%). A frequência de diagnóstico médico de colesterol alto foi maior naqueles com idade até 59 anos, em brancos ou aqueles de origem asiática, em pessoas com maior escolaridade e entre os moradores das macrorregiões Sul e Sudeste do país. Conclusão: A importância do conhecimento da dislipidemia no atual contexto epidemiológico brasileiro deve ser ressaltada para orientar as ações de prevenção das doenças coronarianas, que representam a primeira causa de óbito no Brasil e no mundo.
Descritores: Inquéritos Epidemiológicos/estatística & dados numéricos
Dislipidemias/epidemiologia
Autorrelato
-Fatores Socioeconômicos
Brasil/epidemiologia
Prevalência
Distribuição por Sexo
Distribuição por Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 1938 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-763932
Autor: Lago, Rozilaine Redi; Ferreira, Terezinha de Freitas; Koifman, Rosalina Jorge; Muniz, Pascoal Torres.
Título: Violência autorreferida em Rio Branco, Acre: inquérito populacional / Self-reported violence in Rio Branco, Acre: population-based survey / Violencia autorreferida en Rio Branco, Acre: encuesta poblacional
Fonte: Rev. baiana enferm;26(3), 2012.
Idioma: pt.
Resumo: Para estimar a prevalência de violência na vida e o risco de sofrer violência em função de variáveis socioeconômicas,demográficas, comportamentais e de saúde, este estudo, inserido no inquérito populacional ?Saúde e Nutriçãode Adultos e Crianças de Rio Branco ? AC? realizado entre 2007 e 2008, reuniu, por amostragem estratificada(conglomerados), 1.511 indivíduos com idade ? 18 anos. Os resultados mostraram que 1/3 da população,caracterizado por mulheres adultas, relatou ter sofrido violência alguma vez na vida; que viviam em união estável,com renda familiar inferior a dois salários mínimos. Nesta população, 20,6% fumavam diariamente, 36,2% erametilistas, 61,4% sentiam-se deprimidos no último mês e 20% apresentavam limitações no desempenho de atividadesquotidianas. A violência esteve associada ao trabalho de baixa renda, relato de acidente de trabalho, fumo diário,etilismo, autopercepção de saúde insatisfatória, a sentir-se deprimido no último mês e presença de limitações nodesempenho de atividades. Os achados corroboram a violência como problema multidimensional e a necessidadede estratégias de enfrentamento que integrem políticas públicas intersetoriais.

This study, gathered, by stratified sampling (cluster), 1,511 individuals aged ?18 years to estimatethe prevalenceof violence in life, according to socioeconomic, demographic, behavioral and health variables. About 1/3 of thepopulation reported violence, characterized by adult women who had stable union, with family income less than2 minimum wage. In this population, 20.6% smoked daily, 36.2% drink alcohol, 61.4% felt depressed in the lastmonth and 20% had limitations in performing daily activities. The violence was associated with low labor income,reporting an accident at work, daily smoking, alcoholism, poor health perception, feeling depressed in the last monthand presence of limitations in performance of activities. The findings support violence as a multidimensional problemand the need for coping strategies that integrate intersectoral public policies.

Para estimar la prevalencia de la violencia en la vida y el riesgo de violencia de sufrirla en función de variablessocioeconómicas, demográficas, de comportamiento y de salud, este estudio, inserto en la encuesta ?Salud y Nutriciónde Niños y Adultos de Rio Branco ? AC? realizado entre 2007 y 2008 reunió, para una muestra estratificada(conglomerados), 1.511 individuos con edades ?18 años. Los resultados mostraron que 1/3 de la población, caracterizada por mujeres adultas, declaró haber sufrido violencia en algún momento de la vida; que vivían enunión estable, con un ingreso familiar inferior a dos sueldos base. En esta población, 20,6% fumaba diariamente,36,2% bebían alcohol, 61,4% se sentía deprimido en el último mes y el 20% presentaba limitaciones para realizarlas actividades diarias. La violencia se asoció al trabajo de bajos ingresos, a los accidente de trabajo, al tabaquismo,al alcoholismo, a la autopercepción de una mala de salud, a la depresión sentida en el último mes y a la presenciade limitaciones en las actividades. Los resultados refuerzan la violencia como un problema multidimensional y lanecesidad de estrategias que integren políticas públicas intersectoriales de afrontamiento.
Descritores: Inquéritos Epidemiológicos
Violência contra a Mulher
Monitoramento das Desigualdades em Saúde
-Política Pública
População Urbana
Estudos Transversais
Limites: Humanos
Feminino
Responsável: BR342.1 - Biblioteca Universitária de Saúde


  10 / 1938 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-952772
Autor: Lima, André Luiz Barbosa de; Espelt, Albert; Lima, Kenio Costa de; Bosque-Prous, Marina.
Título: Activity limitation in elderly people in the European context of gender inequality: a multilevel approach / Limitação de atividade em idosos no contexto Europeu de desigualdade de gênero: uma abordagem multinível
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;23(9):2991-3000, set. 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract The objective of the present study was to examine the magnitude of gender differences in activity limitations among the elderly, and the effect of the health and social individual factors and the context of social gender inequality in Europe. Cross-sectional design was performed. The study population included residents aged 60 years or over from 17 countries that participated in the Survey of Health, Ageing and Retirement in Europe conducted in 2010-13 (n = 49,685). Gender differences in activity limitation in each country was estimated. For multilevel analysis adjusted linear mixed effect models were used, where the intercept and 'sex' were considered random effects, with the 95% confidence intervals. The activity limitation index was created from a two parameter logistic combined models of item response theory. The average activity limitation index was significantly higher in women, (g10 = b1j = 0.36, p < 0.001), and was then controlled by individual and contextual factors, while the extent of these differences varied among countries. The European countries with the greatest gender differences in activity limitations were those with the greatest social gender inequalities, with women presenting a significant disadvantage.

Resumo O presente estudo objetivou examinar as magnitudes das diferenças de gênero nas limitações de atividades entre idosos, e o efeito dos fatores sociais e de saúde e o contexto de desigualdades sociais de gênero na Europa. Foi realizado um estudo descritivo retrospectivo de corte transversal. A população do estudo incluiu residentes com 60 ou mais anos de idade de 17 países que participaram do Inquérito de Saúde, Envelhecimento e Reforma na Europa, conduzido em 2010-13 (n = 49.685). Foram estimadas as diferenças de gênero nas limitações de atividades para cada país. Para a análise multinível foram ajustados modelos mistos lineares, onde o intercepto e o 'sexo' foram considerados efeitos aleatórios, com intervalos de confiança de 95%. O índice de limitação de atividades foi criado a partir de modelos combinados de dois parâmetros logísticos, na teoria de resposta ao item. A média do índice de limitação de atividades foi significativamente mais alta em mulheres, (g10 = b1j = 0,36, p < 0,001), controlada por fatores individuais e contextuais, enquanto a extensão destas diferenças de gênero variou entre os países. Os países com as maiores diferenças de gênero nas limitações de atividade foram aqueles com as maiores desigualdades sociais de gênero, com as mulheres apresentando uma desvantagem significativa.
Descritores: Atividades Cotidianas
Nível de Saúde
Avaliação da Deficiência
Disparidades nos Níveis de Saúde
-Modelos Logísticos
Fatores Sexuais
Estudos Transversais
Inquéritos Epidemiológicos
Europa (Continente)
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 194 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde