Base de dados : LILACS
Pesquisa : E05.318.308.980.438.700.324 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 219 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 22 ir para página                         

  1 / 219 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1087174
Autor: Tocantins (Estado). Secretaria de Estado.
Título: Plano de contingência do Tocantins novo Coronavírus (2019 - nCoV) / Contingency plan for the new Tocantins Coronavirus (2019 - nCoV).
Fonte: s.l; Tocantins (Estado). Secretaria de Estado; fev. 2020. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: O escritório da OMS (Organização Mundial de Saúde), na China, foi informado em 31 de dezembro de 2019, sobre casos de pneumonia de etiologia desconhecida detectada na cidade de Wuhan, província de Hubei, na China. De 31 de dezembro de 2019 a 3 de janeiro de 2020, um total de 44 pacientes com pneumonia de etiologia desconhecida foram notificados à OMS pelas autoridades nacionais da China. Durante o período relatado o agente causal não foi identificado. Em 7 de janeiro de 2020, as autoridades chinesas, isolaram e identificaram um novo tipo de coronavírus. Nos dias 11 e 12 de janeiro a Comissão Nacional de Saúde da China repassou informações detalhadas à OMS sobre a sequência genética do novo coronavírus e de que o mesmo estava associado a exposições em um mercado de frutos do mar, localizado em Wuhan. Nos dias, 13 e 15 de janeiro, a Tailândia e o Japão, relataram o primeiro caso importado, respectivamente e ambos os casos foram confirmados laboratorialmente. Em 03 de janeiro foi detectado o rumor sobre os casos de pneumonia de etiologia desconhecida na China e dia 05 foi realizada a publicação aos Pontos Focais Nacionais do Regulamento Sanitário Internacional da OMS (PFN-RSI). A Secretaria de Vigilância em Saúde/Ministério da Saúde (SVS/MS), dia 07 de janeiro, elaborou um informe interno sobre os casos de pneumonia de etiologia desconhecida na China e o PFN-RSI do Brasil solicitou informações sobre a veracidade do rumor detectado ao Ponto de Contato da Regional da OMS, para analisar o impacto do evento no país. Durante o período de 07 a 21 de janeiro a SVS publicou o Boletim Epidemiológico nº1 do MS, reuniões para discussão do evento foram realizadas e houveram comunicações dos Estados e Distrito Federal de casos suspeitos. Em 22 de janeiro foi ativado Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública para o novo coronavírus (COE 2019 - nCoV). A ativação desta estratégia está prevista no Plano Nacional de Resposta às Emergências em Saúde Pública do Ministério da Saúde. A partir disso, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) através da Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) e do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS), iniciou o monitoramento do evento detectando rumores, realizou a primeira reunião, dia 28 de janeiro de 2020, com técnicos das Superintendências afins da SES, Secretaria Municipal de Saúde de Palmas (SEMUS), Agência Nacional de Vigilância Sanitária dos Portos e Aeroportos (ANVISA) e iniciou-se a elaboração do Plano de Contingência Estadual e Municipal para o novo coronavírus. No dia 30 de janeiro de 2020 a OMS declarou como uma Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional (ESPII) para todos os países, que devem estar preparados para contenção, incluindo vigilância ativa, detecção precoce, isolamento e gerenciamento de casos, rastreamento de casos, contatos e prevenção da propagação da infecção pelo 2019-nCoV e compartilhamento de dados completos com a OMS. Em continuidade a elaboração do plano de ação, as áreas técnicas da SES, reuniram para discutir o planejamento operacional da Rede de Atenção à Saúde, prioritariamente no Componente Hospitalar para a retaguarda emergencial mediante a pandemia em questão. Necessidade está de dimensionar medidas de precaução e controle para os usuários do SUS no Estado do Tocantins.
Descritores: Pneumonia Viral/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Planos de Contingência
Vigilância em Saúde Pública
-Controle Sanitário de Aeroportos e Aeronaves
Controle Sanitário de Portos e Embarcações
Controle Sanitário de Fronteiras
Informação de Saúde ao Consumidor/métodos
Comunicação em Saúde/métodos
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Guia de Prática Clínica
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 219 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1053559
Autor: São Paulo (Estado). Secretaria de Estado.
Título: Plano de contingência do Estado de São Paulo para Infecção Humana pelo novo Coronavírus: 2019-nCoV / Contingency plan of the State of São Paulo for Human Infection with the new Coronavirus: 2019-nCoV.
Fonte: São Paulo; São Paulo (Estado). Secretaria de Estado; 2020.
Idioma: pt.
Resumo: Em 31 de dezembro de 2019, o escritório nacional da Organização Mundial de Saúde (OMS), na China, foi informado sobre a ocorrência de casos de pneumonia de etiologia desconhecida na cidade de Wuhan, Província de Hubei. Em 09 de janeiro, houve a divulgação da detecção de um novo coronavírus (2019-nCoV) em um paciente hospitalizado com pneumonia em Wuhan. Desde então, casos da doença têm sido registrados em outras cidades da China e em outros países . A avaliação de risco da OMS, a partir de 27/01/2020, classifica a evolução deste evento como de Risco Muito Alto para a China e, de Alto Risco para o nível regional e global. Em 30/01/2020, a OMS declarou o surto de Doença Respiratória Aguda pelo 2019-nCoV como uma Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional (ESPII). Assim, todos os países devem estar preparados para conter a transmissão do vírus e prevenir a sua disseminação, por meio de vigilância ativa com detecção precoce, isolamento e manejo adequados dos casos, investigação/monitoramento dos contatos e notificação oportuna.
Descritores: Pneumonia Viral/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Planos de Contingência
Vigilância em Saúde Pública
-Controle Sanitário de Aeroportos e Aeronaves
Controle Sanitário de Portos e Embarcações
Informação de Saúde ao Consumidor/métodos
Comunicação em Saúde/métodos
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Guia de Prática Clínica
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 219 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1053545
Autor: Santa Catarina (Estado). Secretaria da Saúde.
Título: Plano de Contingência para resposta às emergências em saúde pública: doença respiratória 2019-nCoV / Contingency plan for responding to public health emergencies: respiratory disease 2019-nCoV.
Fonte: s.l; Santa Catarina (Estado). Secretaria da Saúde; 2020.
Idioma: pt.
Resumo: Os Coronavírus são um grande grupo viral, conhecidos desde meados de 1960, que causam infecções respiratórias em seres humanos e em animais. Geralmente, as infecções causam sintomas leves a moderados, semelhantes a gripe e sintomas intestinais, sendo altamente patogênicos. Alguns coronavírus podem causar doenças graves com impacto importante em termos de Saúde Pública, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), identificada em 2002 e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS), identificada em 2012. O coronavírus 2019-nCoV tem causado doença respiratória com casos recentemente registrados na China, sendo que seu espectro clínico de infecção humana, padrão de letalidade, mortalidade e infectividade não estão descritos completamente. Até o momento, os casos parecem cursar com um quadro de síndrome gripal. Assim, é importante o questionamento sobre o histórico de viagem dos pacientes com sintomatologia similar. Lembrando que outros vírus respiratórios, também ocorrem sob a forma de surtos e, eventualmente, circulam ao mesmo tempo, tais como influenza, parainfluenza, rinovírus, vírus sincicial respiratório, adenovírus e outros coronavírus. As definições de caso suspeito de Doença Respiratória de 2019-nCoV são baseadas nas informações atualmente disponíveis e podem ser revisadas a qualquer momento. Todos os casos suspeitos devem ser notificados imediatamente às autoridades epidemiológicas locais através de contato telefônico, seguindo o fluxo de notificação já estabelecido: Município ­ Estado ­ Ministério da Saúde. As informações devem ser inseridas na ficha de notificação (http://bit.ly/2019-ncov) e a CID10 que deverá ser utilizada é a: B34.2 ­ Infecção por coronavírus de localização não especificada. Os casos suspeitos enquadram-se nas seguintes situações: Situação 1: Febre E pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) E histórico de viagem para área com transmissão local, de acordo com a OMS, nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas; Situação 2: Febre E pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) E histórico de contato próximo de caso suspeito para o coronavírus (2019-nCoV), nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas; Situação 3: Febre OU pelo menos um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, batimento das asas nasais entre outros) E contato próximo de caso confirmado de coronavírus (2019-nCoV) em laboratório, nos últimos 14 dias anteriores ao aparecimento dos sinais ou sintomas. Dados sugerem que a transmissão pela 2019-nCoV possa ocorrer mesmo sem o aparecimento de sinais e sintomas. A transmissão pessoapessoa se dá através da via respiratória, por secreções produzidas durante episódios de tosse, espirros e coriza, semelhante à transmissão do vírus da influenza. Não há vacina ou medicamento específico disponível, sendo o tratamento de suporte e inespecífico para a doença respiratória por 2019- nCoV. No entanto, deve-se levar em consideração os demais diagnósticos diferenciais pertinentes e o adequado manejo clínico. Em caso de suspeita para Influenza não retardar o início do tratamento com Fosfato de Oseltamivir, conforme protocolo de tratamento de Influenza, disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolo_tratamento_influenza_2017.pdf A vigilância Sanitária de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos alfandegados é competência da Anvisa, por tratar-se de território federal. Ao receber comunicado de anormalidade clínica a bordo de aeronave ou embarcação (cruzeiro ou mercante), a Autoridade Sanitária Local ­ ANVISA deverá adotar o fluxo para situações de emergência para Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos alfandegados estabelecido entre ANVISA e os sistemas de Vigilância e Assistência do Estado de Santa Catarina. O Plano de Contingência da Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina para a Doença Respiratória de 2019-nCoV visa minimizar o impacto na Saúde Pública provocado pela possível introdução do vírus em território estadual, bem como orientar os profissionais de saúde a identificar os possíveis casos suspeitos e realizar o adequado manejo e as medidas de prevenção e orientação a população em geral.
Descritores: Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Planos de Contingência
Vigilância em Saúde Pública
-Pneumonia Viral/prevenção & controle
Controle Sanitário de Aeroportos e Aeronaves
Controle Sanitário de Portos e Embarcações
Controle Sanitário de Fronteiras
Informação de Saúde ao Consumidor/métodos
Comunicação em Saúde/métodos
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Guia de Prática Clínica
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 219 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1053542
Autor: Roraima (Estado). Secretaria da Saúde.
Título: Plano de contingência estadual para enfrentamento da infecção humana pelo Coronavírus (2019-nCoV) / State contingency plan for coping with human Coronavirus infection (2019-nCoV).
Fonte: Boa Vista; Roraima (Estado). Secretaria da Saúde; 12 fev. 2020. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: A OMS declarou no dia 30 de janeiro do corrente ano, Emergência em Saúde Pública Internacional devido o surgimento de uma doença respiratória causada por um novo sequenciamento do genoma do Coronavírus, que passou a ser denominado temporariamente de Coronavírus (2019-nCoV). O vírus foi identificado pela primeira vez na província de Hubei, China, e foi responsável com um elevado números de casos confirmados de infecção e óbitos. Após a declaração de Emergência em Saúde Pública Internacional pela OMS, o Ministério da Saúde declarou no dia 04 de fevereiro de 2020, o evento como Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN), iniciando assim um alerta para que as equipes de vigilância dos estados e municípios, bem como quaisquer serviços de saúde, estejam atentas para a possibilidade de ocorrência em seus territórios, de casos em pessoas com sintomatologia respiratória e que apresentam histórico de viagens para áreas de transmissão local nos últimos 14 dias. Este documento apresenta o Plano de Contingência Estadual, o qual está em consonância com o Plano de Contingência Nacional para Infecção Humana pelo Coronavírus (2019-nCoV), e define em caso de surto o nível de resposta e a estrutura de comando correspondente a ser configurada, em cada esfera e nível de complexidade.
Descritores: Pneumonia Viral/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Planos de Contingência
Vigilância em Saúde Pública
-Controle Sanitário de Aeroportos e Aeronaves
Controle Sanitário de Fronteiras
Informação de Saúde ao Consumidor/métodos
Comunicação em Saúde/métodos
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Guia de Prática Clínica
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 219 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1053541
Autor: Rondônia (Estado). Secretaria da Saúde.
Título: Plano de contingência ao Coronavírus / Coronavirus contingency plan.
Fonte: s.l; Rondônia (Estado). Secretaria da Saúde; mar. 2020. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Diante da Emergência em Saúde Pública, declarada pela Organização Mundial da Saúde na data de 30 de janeiro do ano corrente, por doença respiratória causada pelo agente novo coronavírus (COVID-2019), conforme casos detectados na China e atualmente em diversos países como pode ser acompanhado no link https://saude.gov.br/saude-de-a-z/listacorona e considerando-se as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), a Secretaria Estadual da Saúde de Rondônia e a Agência Estadual de Vigilância em Saúde de RondôniaAGEVISA/RO definiu a ativação do Comitê Estadual de Enfrentamento ao Coronavírus (COVID2019) de Rondônia ­ CEEC/RO. Este documento apresenta o Plano de Contingência Estadual para Infecção Humana do Coronavírus (COVID-2019), o qual está em consonância com o Plano de Contingência Nacional para Infecção Humana pelo novo Coronavírus (COVID-2019) que, em caso de surto, define o nível de resposta e a estrutura de comando correspondente a ser configurada, em cada esfera e nível de complexidade. A estruturação da resposta em três níveis é geralmente usada em planos de preparação e resposta em todo o mundo. Deste modo, seguimos a recomendação do Ministério da Saúde. Toda medida deve ser proporcional e restrita aos riscos.
Descritores: Pneumonia Viral/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Planos de Contingência
Vigilância em Saúde Pública
-Controle Sanitário de Aeroportos e Aeronaves
Controle Sanitário de Portos e Embarcações
Controle Sanitário de Fronteiras
Informação de Saúde ao Consumidor/métodos
Comunicação em Saúde/métodos
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Guia de Prática Clínica
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 219 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1053502
Autor: Rio Grande do Sul (Estado). Secretaria da Saúde.
Título: Plano de contingência e ação estadual do Rio Grande do Sul para infecção humana pelo novo Coronavírus (2019-nCoV) / Contingency plan and state action of Rio Grande do Sul for human infection with the new Coronavirus (2019-nCoV).
Fonte: s.l; Rio Grande do Sul (Estado). Secretaria da Saúde; jan. 2020.
Idioma: pt.
Resumo: Diante da Emergência em Saúde Pública declarada pela Organização Mundial da saúde na data de 30 de janeiro do ano corrente, por doença respiratória causada pelo agente novo coronavírus (2019-nCoV), conforme casos detectados na China e considerando-se as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), a Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul definiu a ativação do Centro de Operações de Emergências (COE) 2019- nCoV. Este documento apresenta o Plano de Contingência Estadual, o qual está em consonância com o Plano de Contingência Nacional para Infecção Humana pelo novo Coronavírus (2019-nCoV) em caso de surto define o nível de resposta e a estrutura de comando correspondente a ser configurada, em cada esfera e nível de complexidade. A estruturação da resposta em três níveis é geralmente usada em planos de preparação e resposta em todo o mundo. Deste modo, seguimos a recomendação do Ministério da Saúde. Toda medida deve ser proporcional e restrita aos riscos.
Descritores: Pneumonia Viral/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Planos de Contingência
Vigilância em Saúde Pública
-Controle Sanitário de Aeroportos e Aeronaves
Controle Sanitário de Portos e Embarcações
Controle Sanitário de Fronteiras
Informação de Saúde ao Consumidor/métodos
Comunicação em Saúde/métodos
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Guia de Prática Clínica
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 219 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1053497
Autor: Rio Grande do Norte (Estado). Secretaria da Saúde.
Título: Plano de contingência estadual para infeccção humana pelo novo Coronavírus 2019-nCoV / Coronavirus emergency response plan in the state of Rio de Janeiro.
Fonte: s.l; Rio Grande do Norte (Estado). Secretaria da Saúde; fev. 2020. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: O Coronavírus é um vírus que causa a síndrome respiratória aguda grave afetando principalmente o trato respiratório superior em seres humanos, em animais pode causar lesões nos sistemas nervosos respiratório, hepático, gastrointestinal e neurológico. Geralmente, infecções por coronavírus causam doenças respiratórias leves a moderadas, semelhantes a um resfriado comum. Alguns coronavírus podem causar doenças graves com impacto importante em termos de saúde pública, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), identificada em 2002 e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS), identificada em 2012. A infecção humana pelo novo coronavírus (2019- nCoV) o espectro clínico não está descrito completamente, bem como os conhecimentos sobre o padrão de letalidade, mortalidade, infectividade, e transmissibilidade são limitados. Ressaltamos que diferentemente do vírus influenza, para o novo Coronavírus ainda não há medidas efetivas de prevenção, ou seja, além das recomendações para minimizar a transmissibilidade não há vacina ou medicamento específico disponível no momento.
Descritores: Pneumonia Viral/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Planos de Contingência
Vigilância em Saúde Pública
-Controle Sanitário de Aeroportos e Aeronaves
Controle Sanitário de Portos e Embarcações
Controle Sanitário de Fronteiras
Informação de Saúde ao Consumidor/métodos
Comunicação em Saúde/métodos
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Guia de Prática Clínica
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 219 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1053494
Autor: Rio de Janeiro (Estado). Secretaria de Saúde.
Título: Plano de resposta de emergência ao Coronavírus no estado do Rio de Janeiro / Coronavirus emergency response plan in the state of Rio de Janeiro.
Fonte: Rio de Janeiro; Rio de Janeiro (Estado). Secretaria de Saúde; fev. 2020.
Idioma: pt.
Resumo: O presente documento tem o objetivo de sistematizar as ações e procedimentos de responsabilidade da esfera estadual de governo, de modo a apoiar em caráter complementar os gestores municipais no que diz respeito à resposta ao surto de Coronavírus, de maneira antecipada e também na organização de fluxos para o enfrentamento de situações que saem da normalidade. Os Coronavírus (CoV) compõem uma grande família de vírus, conhecidos desde meados da década de 1960. Podem causar desde um resfriado comum até síndromes respiratórias graves, como a síndrome respiratória aguda grave (SARS - Severe Acute Respiratory Syndrome) e a síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS - Middle East Respiratory Syndrome). Os casos agora identificados estão relacionados a uma nova variante do Coronavírus, denominada 2019-nCoV (recentemente renomeada COVID19), até então não identificada em humanos. Em 31 de dezembro de 2019, o escritório da OMS na China foi informado sobre casos de pneumonia de etiologia desconhecida (causa desconhecida) detectada na cidade de Wuhan, província de Hubei, na China. As autoridades chinesas identificaram um novo tipo de Coronavírus, que foi isolado em 07 de janeiro de 2020. Em 11 e 12 de janeiro de 2020, a OMS recebeu mais informações detalhadas, da Comissão Nacional de Saúde da China, de que o surto estava associado a exposições em um mercado de frutos do mar, na cidade de Wuhan. O Coronavírus é capaz de provocar epidemias recorrentes e pode evoluir causando pandemias quando um novo vírus se dissemina em uma população que não apresenta imunidade para o novo subtipo viral. A magnitude e o impacto da doença irão depender primariamente da virulência e do grau de transmissibilidade do vírus, além das medidas de intervenção preventivas.
Descritores: Pneumonia Viral/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Planos de Contingência
Vigilância em Saúde Pública
-Informação de Saúde ao Consumidor/métodos
Comunicação em Saúde/métodos
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Guia de Prática Clínica
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 219 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1053490
Autor: Piauí (Estado). Secretaria de Estado.
Título: Plano estadual de contingência para o enfrentamento da infecção humana pelo Coronavírus (2019-nCoV) do Estado do Piauí / State contingency plan for coping with human infection with Coronavirus (2019-nCoV) in the State of Piauí.
Fonte: s.l; Piauí (Estado). Secretaria de Estado; 2020.
Idioma: pt.
Resumo: O coronavírus (nCoV) faz parte de uma família viral, que causam infecções respiratórias em humanos e animais, ocasionando doenças respiratórias leves a moderada, semelhantes a um resfriado comum. Ficou conhecido por volta dos anos 1960. Podem causar doenças semelhantes a uma gripe como do vírus da influenza A (H1N1) é transmitido de pessoa a pessoa, principalmente por meio da tosse ou espirro e secreções respiratórias de pessoas infectadas. Diante da emergência por doença respiratória, causada por agente 2019-nCoV, conforme casos detectados na cidade de Wuhan, na China e em outros locais, considerando-se as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), as equipes de vigilância dos estados e municípios, bem como quaisquer serviços de saúde, devem ficar alerta aos casos de pessoas com sintomatologia respiratória e que apresentam histórico de viagens para áreas de transmissão local nos últimos 14 dias. Em 22 de janeiro de 2020, foi ativado o Centro de Operações de Emergências (COE) em Saúde Pública para o 2019-nCoV. A ativação desta estratégia está prevista no Plano Nacional de Resposta às Emergências em Saúde Pública do Ministério da Saúde (MS).
Descritores: Pneumonia Viral/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Planos de Contingência
Vigilância em Saúde Pública
-Controle Sanitário de Aeroportos e Aeronaves
Controle Sanitário de Portos e Embarcações
Informação de Saúde ao Consumidor/métodos
Comunicação em Saúde/métodos
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Guia de Prática Clínica
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 219 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1053480
Autor: Pernambuco (Estado). Secretaria de Saúde.
Título: Plano de Contingência para Infecção Humana pelo novo Coronavírus (2019-nCoV) / Contingency Plan for Human Infection with the new Coronavirus (2019-nCoV).
Fonte: s.l; Pernambuco (Estado). Secretaria de Saúde; fev. 2020.
Idioma: pt.
Descritores: Pneumonia Viral/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Planos de Contingência
Vigilância em Saúde Pública
-Controle Sanitário de Aeroportos e Aeronaves
Controle Sanitário de Portos e Embarcações
Informação de Saúde ao Consumidor/métodos
Comunicação em Saúde
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Guia de Prática Clínica
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 22 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde