Base de dados : LILACS
Pesquisa : E05.318.740.500.525 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 1373 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 138 ir para página                         

  1 / 1373 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1291888
Autor: Brance, María Lorena; Larroudé, María Silvia; Berbotto, Guillermo; Sacnun, Mónica P; Aeschlimann, Carolina; Palatnik, Mariano; Chavero, Ignacio; Sánchez, Ariel; Brun, Lucas R.
Título: Negative association between 25-hydroxyvitamin D and inflammatory markers in rheumatologic diseases / Asociación negativa entre 25-hidroxi vitamina D y los marcadores inflamatorios en enfermedades reumatológicas
Fonte: Actual. osteol;17(1):8-17, 2021. graf, tab.
Idioma: en.
Resumo: Objective: The main purpose of this study was to evaluate serum 25-hydroxyvitamin D (25OHD) levels and its association with in"ammatory markers in patients with rheumatologic diseases (RD). Methods: A cross-sectional study in 154 women with RD (rheumatoid arthritis, spondyloarthritis and other connective tissue diseases) and 112 healthy individuals as a control group (CG) was carried out. Results: No differences in serum and urine calcium, serum phosphate, and urinary deoxypyridinoline were found. RD group had lower 25OHD and higher PTH compared to CG. RD group had higher C-reactive protein (CRP) and erythrocyte sedimentation rate (ESR) compared to CG. The overall mean level of 25OHD (ng/ml) was 26.3±12.0 in the CG and 19.4±6.8 in the RD group (p<0.0001). Moreover, CG had lower percentage of individuals with 25OHD de!ciency compared to RD (29.9% vs 53.2%). The femoral neck BMD was signi!cantly lower in postmenopausal RD women compared to CG. 25OHD levels signi!cantly correlated with ESR and CRP as in"ammatory markers. Age, BMI, presence of RD, and CRP were signi!cantly and negatively associated with 25OHD levels through linear regression analysis. According to univariate logistic regression analysis for 25OHD deficiency (<20 ng/ml), a significant and negative association with BMI, presence of RD, ESR and CRP were found. Conclusion: Patients with RD had lower 25OHD levels than controls and the presence of a RD increases by 2.66 the risk of vitamin D de!ciency. In addition, 25OHD has a negative correlation with ESR and CRP as in"ammatory markers. (AU)

Objetivo El objetivo principal de este estudio fue evaluar los niveles séricos de 25-hidroxivitamina D (25OHD) y su asociación con marcadores inflamatorios en enfermedades reumatológicas. Materiales y métodos: Se realizó un estudio transversal en 154 mujeres con enfermedades reumatológicas (artritis reumatoide, espondiloartritis y otras enfermedades del tejido conectivo) y 112 individuos sanos como grupo control (GC). Resultados: No se encontraron diferencias en el calcio sérico y urinario, el fosfato sérico y la desoxipiridinolina urinaria entre el GC y los sujetos con enfermedades reumatológicas. El grupo de pacientes con enfermedades reumatológicas tenía 25OHD más bajo y PTH más alto en comparación con el GC. Asimismo, el grupo de individuos con enfermedades reumatológicas tenía proteína C reactiva (PCR) y velocidad de eritrosedimentación (VES) más altas en comparación con el GC. El nivel de 25OHD (ng/ml) fue 26,3±12,0 en el GC y 19,4±6,8 en el grupo con enfermedades reumatológicas (p<0,0001). Además, el GC presentó un porcentaje menor de deficiencia de 25OHD en comparación con el grupo con enfermedades reumatológicas (29,9% vs 53,2%). La DMO del cuello femoral fue significativamente menor en las mujeres posmenopáusicas con enfermedades reumatológicas en comparación con el GC. La 25OHD correlacionó significativamente con la VES y la PCR como marcadores inflamatorios. El análisis de regresión lineal mostró que la edad, el IMC, la presencia de una enfermedad reumatológica y la PCR se asociaron significativa y negativamente con los niveles de 25OHD. Mientras que el análisis de regresión logística univariada mostró que la deficiencia de 25OHD (<20 ng/ml), se asoció significativa y negativamente con el IMC, la presencia de una enfermedad reumatológica, la VES y los niveles de PCR. Conclusiones: Los pacientes con enfermedades reumatológicas tenían niveles de 25OHD más bajos que los controles y la presencia de una enfermedad reumatológica aumenta en 2.66 el riesgo de deficiencia de vitamina D. Además, la 25OHD mostró correlación negativa con la VES y la PCR como marcadores inflamatorios. (AU)
Descritores: Vitamina D/análogos & derivados
Vitamina D/sangue
Deficiência de Vitamina D/etiologia
Biomarcadores
Doenças Reumáticas/complicações
Inflamação/sangue
-Fosfatos/sangue
Sedimentação Sanguínea
Proteína C-Reativa
Índice de Massa Corporal
Densidade Óssea
Modelos Logísticos
Cálcio/urina
Cálcio/sangue
Doenças Reumáticas/sangue
Risco
Estudos Transversais
Pós-Menopausa
Aminoácidos/urina
Limites: Humanos
Feminino
Adolescente
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: AR2.1 - Biblioteca Central


  2 / 1373 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-1252001
Autor: Aubert, Josefina; Durán, Doris; Monsalves, María José; Rodríguez, María Francisca; Rotarou, Elena S; Gajardo, Jean; Alfaro, Tania; Bertoglia, María Paz; Muñoz, Sergio; Cuadrado, Cristóbal.
Título: Propiedades diagnósticas de las definiciones de caso sospechoso de COVID-19 en Chile, 2020 / Diagnostic properties of case definitions of suspected COVID-19 in Chile, 2020 / Características diagnósticas das definições de caso suspeito de COVID-19 no Chile, 2020
Fonte: Rev. panam. salud pública = Pan am. j. public health;45:e14, 2021. tab, graf.
Idioma: es.
Resumo: RESUMEN Objetivo. Comparar las propiedades diagnósticas de cinco definiciones de caso sospechoso de COVID-19 utilizadas o propuestas en Chile durante los primeros ocho meses de la pandemia. Métodos. Se analizaron las propiedades diagnósticas (sensibilidad, especificidad, y valores predictivos positivo y negativo) de tres definiciones de caso sospechoso de COVID-19 utilizadas en Chile entre marzo y octubre del 2020, y dos propuestas de definición alternativas. La muestra fue de 2 019 personas con resultados conocidos a la prueba de la reacción en cadena de la polimerasa (PCR) para SARS-CoV-2. Para elaborar el criterio 5 se aplicó una regresión logística escalonada (stepwise) optimizando los valores de sensibilidad y especificidad. Se exploró la asociación de variables demográficas, síntomas y signos con la positividad a la PCR mediante regresión logística multifactorial. Se analizaron diferentes escenarios de positividad y se compararon las curvas ROC. Resultados. La presencia de anosmia (OR = 8,00; IC95%: 5,34-11,99) y fiebre (OR = 2,15; IC95%: 1,28-3,59) y el haber tenido contacto estrecho previo con una persona enferma de COVID-19 (OR = 2,89; IC95%: 2,16-3,87) se asociaron con un resultado positivo de la PCR. Según el análisis de las curvas ROC, el criterio 5 tuvo la mayor capacidad de discriminación, aunque sin diferencias significativas con los otros cuatro criterios. Conclusiones. El criterio 5 —basado en la anosmia, el contacto estrecho con personas enfermas de COVID-19 y la fiebre como elementos únicos suficientes— tuvo la mayor sensibilidad para identificar los casos sospechosos de COVID-19, aspecto fundamental para controlar la propagación de la pandemia.

ABSTRACT Objective. Compare the diagnostic properties of five case definitions of suspected COVID-19 that were used or proposed in Chile during the first eight months of the pandemic. Methods. An analysis was done of the diagnostic properties (sensitivity, specificity, and positive and negative predictive values) of three case definitions of suspected COVID-19 used in Chile between March and October 2020, as well as two alternative proposed definitions. The sample was 2,019 people with known results for the polymerase chain reaction (PCR) test for SARS-CoV-2. Stepwise logistic regression was used to develop criterion 5, optimizing sensitivity and specificity values. Multifactor logistic regression was used to explore the association between demographic variables, symptoms and signs, and PCR positivity. Different positivity scenarios were analyzed and ROC curves were compared. Results. The presence of anosmia (OR = 8.00; CI95%: 5.34-11.99), fever (OR = 2.15; CI95%: 1.28-3.59), and having been in close contact with a person sick with COVID-19 (OR = 2.89; CI95%: 2.16-3.87) were associated with a positive PCR result. According to the analysis of the ROC curve, criterion 5 had the highest capacity for discrimination, although there were no significant differences with the other four criteria. Conclusions. Criterion 5—based on anosmia, close contact with people with COVID-19, and fever as sufficient unique elements—was the most sensitive in identifying suspected cases of COVID-19, a key aspect in controlling the spread of the pandemic.

RESUMO Objetivo. Comparar as características diagnósticas de cinco critérios das definições de caso suspeito de COVID-19 usados ou propostos no Chile nos oito primeiros meses de pandemia. Métodos. Foram avaliadas as características diagnósticas (sensibilidade, especificidade e valores preditivos positivo e negativo) de três critérios das definições de caso suspeito de COVID-19 usados no Chile entre março e outubro de 2020 e de duas alternativas propostas para definição de caso. A amostra do estudo consistiu 2 019 pessoas com resultados conhecidos no exame de reação em cadeia da polimerase (PCR) para SARS-CoV-2. Para elaborar o critério 5, uma regressão logística com método stepwise foi realizada otimizando os valores de sensibilidade e especificidade. A associação entre variáveis demográficas, sintomas e sinais e resultado positivo no exame de PCR foi testada em um modelo de regressão logística multifatorial. Situações diferentes de resultado positivo foram testadas com uma análise comparativa das curvas ROC. Resultados. Presença de anosmia (OR 8,00; IC95% 5,34-11,99), febre (OR 2,15; IC95% 1,28-3,59) e contato próximo anterior com uma pessoa com COVID-19 (OR 2,89; IC95% 2,16-3,87) foram associados a um resultado positivo no exame de PCR. De acordo com a análise das curvas ROC, o critério 5 demonstrou maior capacidade discriminatória, apesar de não existir diferença significativa com os outros quatro critérios. Conclusão. O critério 5 - presença de anosmia, febre e contato próximo com uma pessoa com COVID-19 como elementos únicos e suficientes - demonstrou maior sensibilidade para identificar casos suspeitos de COVID-19, o que é fundamental para controlar a disseminação da pandemia.
Descritores: COVID-19/diagnóstico
-Modelos Logísticos
Chile
Reação em Cadeia da Polimerase
Valor Preditivo dos Testes
Curva ROC
Sensibilidade e Especificidade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 1373 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Corrêa, Luci
Texto completo
Id: biblio-840290
Autor: Pontes, Leonilda Giani; Menezes, Fernando Gatti de; Gonçalves, Priscila; Toniolo, Alexandra do Rosário; Silva, Claudia Vallone; Kawagoe, Julia Yaeko; Santos, Camila Marques dos; Castagna, Helena Maria Fernandes; Martino, Marinês Dalla Valle; Corrêa, Luci.
Título: Risk factors for mortality in ventilator-associated tracheobronchitis: a case-control study / Fatores de risco para mortalidade em traqueobronquite associada à ventilação mecânica: estudo caso-controle
Fonte: Einstein (Säo Paulo);15(1):61-64, Jan.-Mar. 2017. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective To describe the microbiological characteristics and to assess the risk factors for mortality of ventilator-associated tracheobronchitis in a case-control study of intensive care patients. Methods This case-control study was conducted over a 6-year period in a 40-bed medical-surgical intensive care unit in a tertiary care, private hospital in São Paulo, Brazil. Case patients were identified using the Nosocomial Infection Control Committee database. For the analysis of risk factors, matched control subjects were selected from the same institution at a 1:8.8 ratio, between January 2006 and December 2011. Results A total of 40 episodes of ventilator-associated tracheobronchitis were evaluated in 40 patients in the intensive care unit, and 354 intensive care patients who did not experience tracheobronchitis were included as the Control Group. During the 6-year study period, a total of 42 organisms were identified (polymicrobial infections were 5%) and 88.2% of all the microorganisms identified were Gram-negative. Using a logistic regression model, we found the following independent risk factors for mortality in ventilator-associated tracheobronchitis patients: Acute Physiology and Chronic Health Evaluation I score (odds ratio 1.18 per unit of score; 95%CI: 1.05-1.38; p=0.01), and duration of mechanical ventilation (odds ratio 1.09 per day of mechanical ventilation; 95%CI: 1.03-1.17; p=0.004). Conclusion Our study provided insight into the risk factors for mortality and microbiological characteristics of ventilator-associated tracheobronchitis.

RESUMO Objetivo Descrever as características microbiológicas e avaliar os fatores de risco para mortalidade na traqueobronquite associada à ventilação mecânica em um estudo caso-controle de pacientes de terapia intensiva. Métodos Estudo realizado ao longo de 6 anos em uma unidade de terapia intensiva médico-cirúrgica de 40 leitos, em um hospital privado e de nível terciário em São Paulo, Brasil. O Grupo Caso foi identificado usando o banco de dados da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar. O Grupo Controle foi pareado na proporção de 1:8,8 entre janeiro de 2006 e dezembro de 2011. Resultados Quarenta episódios de traqueobronquites associadas à ventilação foram avaliados em 40 pacientes na unidade de terapia intensiva, e 354 pacientes não apresentaram traqueobronquite Grupo Controle. Foram identificados 42 microrganismos (dos quais 5% foram infecções polimicrobianas), sendo que 88,2% de todos os microrganismos eram bactérias Gram-negativas. Usando um modelo de regressão logística, encontramos os seguintes fatores de risco independentes para mortalidade em pacientes com traqueobronquites associadas à ventilação: pontuação da Acute Physiology and Chronic Health Evaluation I (odds ratio 1,18 por uma unidade de pontuação; IC95%: 1,05-1,38; p=0,01) e duração da ventilação mecânica (odds ratio 1,09 por dia de ventilação mecânica; IC95%: 1,03-1,17; p=0,004). Conclusão Nosso estudo forneceu informações sobre os fatores de risco para mortalidade e características microbiológicas da traqueobronquite associada à ventilação mecânica.
Descritores: Traqueíte/microbiologia
Traqueíte/mortalidade
Bronquite/microbiologia
Bronquite/mortalidade
Ventiladores Mecânicos/efeitos adversos
-Brasil/epidemiologia
Ventiladores Mecânicos/microbiologia
Modelos Logísticos
Análise Multivariada
Fatores de Risco
Mortalidade Hospitalar
Medição de Risco
APACHE
Bactérias Gram-Negativas/isolamento & purificação
Unidades de Terapia Intensiva
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 1373 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-975110
Autor: Programa de Pós-GraduaçãoCorrea-Arruda, Wesley Santana; Programa de Pós-GraduaçãoVaez, Iara dos Anjos; Programa de Pós-GraduaçãoAguilar-Nascimento, José Eduardo; Programa de Pós-GraduaçãoDock-Nascimento, Diana Borges.
Título: Effects of overnight fasting on handgrip strength in inpatients / Efeitos do jejum noturno sobre a força muscular em pacientes internados
Fonte: Einstein (Säo Paulo);17(1):eAO4418, 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective: To investigate the effects of overnight fasting on handgrip strength of adult inpatients. Methods: A prospective clinical study enrolling 221 adult patients. The endpoints were handgrip strength obtained by dynamometry in three time points (morning after an overnight fasting, after breakfast and after lunch) and the cumulative handgrip strength (mean of handgrip strength after breakfast and lunch) in the same day. The mean of three handgrip strength measures was considered to represent each time point. A cut-off for the mean overnight fasting handgrip strength at the 50th percentile (35.5kg for males and 27.7kg for females) was used for comparisons. We registered the age, sex, current and usual weight (kg), weight loss (kg), diagnosis of cancer, nutritional status, elderly frequency, digestive tract symptoms, type of oral diet, and the amount of dinner ingested the night before handgrip strength (zero intake, until 50%, <100% and 100%). Results: Handgrip strength evaluated after an overnight fasting (31.2±8.7kg) was lesser when compared with handgrip strength after breakfast (31.6±8.8kg; p=0.01), and with cumulative handgrip strength (31.7±8.8kg; p<0.001). Handgrip strength was greater in patients who ingested 100% (33.2±9.1kg versus 30.4±8.4kg; p=0.03) and above 50% of dinner (32.1±8.4kg versus 28.6±8.8kg; p=0.006). Multivariate analysis showed that ingesting below 50% of dinner, severe malnutrition, and elderly were independent factors for handgrip strength reduction after overnight fasting. Conclusion: The muscular function was impaired after an overnight fasting of adult patients hospitalized for medical treatment, especially for those with low ingestion, malnourished and elderly.

RESUMO Objetivo: Investigar os efeitos do jejum noturno na força muscular de pacientes adultos internados. Métodos: Estudo clínico prospectivo realizado com 221 pacientes adultos. Os desfechos observados foram a força de preensão palmar avaliada pela dinamometria em jejum, após o desjejum, após o almoço, e acumulada (média da força de preensão palmar após desjejum e almoço). Foi considerada a média das três medidas da força de preensão palmar para representar cada momento. O ponto de corte para a média da força de preensão palmar em jejum categorizada no percentil 50 (35,5kg para homens, e 27,7kg para mulheres) foi usado para as comparações. Investigaram-se idade, sexo, peso atual e habitual (kg), perda de peso (kg), diagnóstico de câncer, estado nutricional, frequência de idosos, sintomas do trato digestório, tipo de dieta oral e quantidade ingerida no jantar no dia anterior à mensuração da força de preensão palmar (ingestão zero, até 50%, <100 e 100%). Resultados: A força de preensão palmar após o jejum noturno foi menor que a força após o desjejum (31,1±8,7kg versus 31,6±8,8kg; p=0,01) e quando foi considerada a força acumulada (31,7±8,8kg; p<0,001). A força de preensão palmar em jejum foi maior para os pacientes que ingeriram 100% (33,2±9,1kg versus 30,4±8,4kg; p=0,03) e >50% do jantar (32,1±8,4kg versus 28,6±8,8kg; p=0,006). A análise multivariada mostrou que ingerir menos da metade do jantar, desnutrição grave e ser idoso foram fatores independentes para redução da força de preensão palmar em jejum. Conclusão: A função muscular ficou comprometida após jejum noturno em pacientes adultos internados para tratamento clínico, especialmente nos casos de baixa ingestão alimentar, desnutridos e idosos.
Descritores: Jejum/psicologia
Força da Mão/fisiologia
Pacientes Internados
-Valores de Referência
Fatores de Tempo
Modelos Logísticos
Estado Nutricional
Análise Multivariada
Estudos Prospectivos
Fatores de Risco
Desnutrição/fisiopatologia
Ingestão de Alimentos/psicologia
Dinamômetro de Força Muscular
Refeições/fisiologia
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Idoso
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 1373 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-989779
Autor: Miyake, Marcel Menon; Tateno, Daniela Akemi; Cançado, Natália Amaral; Miyake, Michelle Menon; Tincani, Stefano; Sousa Neto, Osmar Mesquita de.
Título: Water protection in patients with tympanostomy tubes in tympanic membrane: a randomized clinical trial / Proteção auricular da água em pacientes com tubo de ventilação em membrana timpânica: ensaio clínico randomizado
Fonte: Einstein (Säo Paulo);17(2):eAO4423, 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective To analyze the incidence of otorrhea in the postoperative period of patients submitted to tympanotomy to place ventilation tube, and who did not protect the ear when exposed to water. Methods Open, randomized-controlled trial. Eighty patients submitted to unilateral or bilateral ear grommet tympanostomy were included and divided into two groups: Auricular Protection and Non-Protection to water during bathing and activities in water. Results In the first postoperative month, the Non-Protection Group presented a significant increase in the number of patients with otorrhea and in the incidence. Four patients of the Protection Group (11%) presented at least one episode of otorrhea in this period, representing an incidence of 0.11 (standard deviation ±0.32) episode/month, whereas in the Non-Protection Group there were 12 episodes (33%; p=0.045) and incidence of 0.33 (±0.48; p=0.02). Between the 2nd and the 13th postoperative months, there was no difference between groups. Seven patients in the Protection Group (20%) had at least one episode of otorrhea, representing an incidence of 0.04 (±0.09) episodes/month, while in the Non-Protection Group there were seven episodes (22%; p=0.8) and incidence of 0.05 (±0.1; p=0.8). Conclusion Patients who underwent ear protection when exposed to water had a lower incidence of otorrhea in the first postoperative month than those who did not undergo protection. From the second month, there was no difference between groups.

RESUMO Objetivo Avaliar a incidência de otorreia no período pós-operatório em pacientes submetidos à timpanotomia para colocação de tubo de ventilação e que não realizaram proteção auricular quando expostos à água. Métodos Ensaio clínico controlado, aberto e randomizado. Foram incluídos 80 pacientes submetidos à timpanotomia para colocação de tubo de ventilação unilateral ou bilateral, divididos em dois grupos: Grupo Proteção e Grupo Não Proteção auricular da água durante o banho e as atividades aquáticas. Resultados No primeiro mês pós-operatório, o Grupo Não Proteção apresentou aumento significativo tanto no número de pacientes com otorreia quanto na incidência. Quatro pacientes do Grupo Proteção (11%) apresentaram ao menos um episódio de otorreia neste período, representando incidência de 0,11 (desvio padrão ±0,32) episódio/mês, enquanto no Grupo Não Proteção ocorreram 12 episódios (33%; p=0,045) e incidência de 0,33 (±0,48; p=0,02). Entre o 2º e o 13º meses pós-operatórios, não houve diferença entre os grupos. Sete pacientes do Grupo Proteção (20%) apresentaram ao menos um episódio de otorreia, representando incidência de 0,04 (±0,09) episódios/mês, enquanto no Grupo Não Proteção foram registrados sete episódios (22%; p=0,8) e incidência de 0,05 (±0,1; p=0,8). Conclusão Pacientes que realizaram a proteção auricular quando expostos à água apresentaram menor incidência de otorreia no primeiro mês pós-operatório do que aqueles que não a realizaram. A partir do segundo mês, não houve diferença entre os grupos.
Descritores: Otite Média Supurativa/etiologia
Otite Média Supurativa/prevenção & controle
Complicações Pós-Operatórias/etiologia
Complicações Pós-Operatórias/prevenção & controle
Água/efeitos adversos
Ventilação da Orelha Média/efeitos adversos
-Otite Média Supurativa/epidemiologia
Complicações Pós-Operatórias/epidemiologia
Natação
Fatores de Tempo
Banhos/efeitos adversos
Brasil/epidemiologia
Modelos Logísticos
Incidência
Fatores de Risco
Resultado do Tratamento
Estatísticas não Paramétricas
Dispositivos de Proteção das Orelhas
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Lactente
Pré-Escolar
Criança
Adolescente
Adulto
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 1373 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1011989
Autor: Pessoa, Thiago de Lima; Clemente Junior, Washington Sales; Costa, Tatiana Xavier da; Bezerra, Priscilla Karilline do Vale; Martins, Rand Randall.
Título: Drug interactions in maternal intensive care: prevalence, risk factors, and potential risk medications / Interações medicamentosas em terapia intensiva materna: prevalência, fatores e medicamentos de risco
Fonte: Einstein (Säo Paulo);17(3):eAO4521, 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective: To characterize severe potential drug interactions in maternal intensive care, and to determine their frequency, risk factors and potential risk medications. Methods: An observational and longitudinal study conducted between December 2014 and December 2015 in a maternal intensive care unit. Clinical data were collected and severe potential drug interactions were identified on pregnant inpatients. The drug interactions were classified by type, prevalence and exposure rate. A multivariate logistic regression model was used to identify the severe potential drug interactions and the related drugs (p<0.05). Results: A total of 95.1% of patients were exposed to, at least, one potential drug interaction; in that, 91.7% 33.9% were related to, respectively, moderate and severe potential drug interactions. The patients were exposed, on average, on 69.2% of days they were in the intensive care unit. The main drugs involved in more severe drug interactions were magnesium sulfate, metoclopramide, propranolol and diazepam. Conclusion: The severe potential drug interactions were observed in almost all patients of the study, and, approximately one third of those interactions were related to greater severity and resulted in exposure during long hospital stay. The higher number of prescribed drugs and its previous use of medications at home increase the occurrence of severe potential drug interactions.

RESUMO Objetivo: Caracterizar as interações medicamentosas potenciais graves em terapia intensiva materna, e determinar sua frequência, os fatores e os medicamentos de risco associados à ocorrência dessas interações. Métodos: Estudo observacional e longitudinal executado entre dezembro de 2014 a dezembro de 2015, conduzido em uma unidade de terapia intensiva materna. Foram coletados dados clínicos e identificadas interações medicamentosas potenciais graves de gestantes admitidas. As interações medicamentosas foram caracterizadas quanto ao tipo, à prevalência e à taxa de exposição. Um modelo multivariado de regressão logística foi utilizado para identificação de fatores associados à ocorrência de interações medicamentosas potenciais graves e os medicamentos implicados (p<0,05). Resultados: Um total de 95,1% das pacientes foi exposto a, no mínimo, uma interação medicamentosa potencial, com 91,7% delas envolvidas com interações medicamentosas potenciais moderadas e 33,9% com as interações graves. As pacientes ficaram expostas, em média, em 69,2% dos dias que estiveram sob terapia intensiva. Os principais medicamentos implicados em interações medicamentosas de maior gravidade foram sulfato de magnésio, metoclopramida, propranolol e diazepam. Conclusão: As interações medicamentosas potenciais graves ocorreram na maioria das pacientes avaliadas. Aproximadamente um terço das interações foram graves e levaram à maior exposição por um longo período de internação. Maior número de fármacos prescritos e uso prévio domiciliar de medicamentos elevam a ocorrência de interações medicamentosas potenciais graves.
Descritores: Medição de Risco/métodos
Interações Medicamentosas
Unidades de Terapia Intensiva/estatística & dados numéricos
Metoclopramida/farmacologia
-Propranolol/farmacologia
Índice de Gravidade de Doença
Brasil/epidemiologia
Gravidez/efeitos dos fármacos
Modelos Logísticos
Estudos Transversais Seriados
Prevalência
Análise Multivariada
Fatores de Risco
Diazepam/farmacologia
Efeitos Colaterais e Reações Adversas Relacionados a Medicamentos/epidemiologia
Hospitalização/estatística & dados numéricos
Sulfato de Magnésio/farmacologia
Limites: Humanos
Feminino
Criança
Adolescente
Adulto
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 1373 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1154094
Autor: Tinoco, Marlon Silva; Groia-Veloso, Ronara Camila de Souza; Santos, Jéssica Nathália Domingos dos; Cruzeiro, Maria Gabriela Martins; Dias, Bianca Menezes; Reis, Adriano Max Moreira.
Título: Medication regimen complexity of coronary artery disease patients / Complexidade da farmacoterapia de pacientes com doença arterial coronariana
Fonte: Einstein (Säo Paulo);19:eAO5565, 2021. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective: To determine the factors associated with the high complexity of medication regimen in patients with coronary artery disease. Methods: A cross-sectional study was carried out in a multiprofessional cardiology outpatient clinic, in the Secondary Care of the Unified Health System, where sociodemographic (age, sex, and education), clinical (number of health conditions, cardiovascular diagnoses, and comorbidities) and pharmacotherapeutic (adherence, polypharmacy, and cardiovascular polypharmacy) characteristics were collected. These were related to complexity of medication regimen, measured through the medication regimen complexity index. The classification of high complexity of medication regimen was carried out using standardization for the older adults and stratification for adult patients, as suggested in the literature. Results: The total complexity medication regimen of 148 patients had a median of 17.0 (interquartile range of 10.5). In the univariate analysis, the factors associated with high complexity were heart failure, diabetes mellitus, hypertension, five or more diseases, and non-adherence to treatment. In the final model, after logistic regression, there was a statistically significant association (p<0.05) with the variables diabetes mellitus, hypertension, and non-adherence. Conclusion: The high complexity of medication regimen in patients with coronary artery disease was associated with the presence of diabetes mellitus, hypertension, and reports of non-adherence to treatment.

RESUMO Objetivo: Determinar os fatores associados à complexidade alta da farmacoterapia em pacientes com doença arterial coronariana. Métodos: Realizou-se um estudo transversal em um ambulatório multiprofissional de cardiologia na Atenção Secundária do Sistema Único de Saúde, de onde foram coletadas características sociodemográficas (idade, sexo e escolaridade), clínicas (número de condições de saúde, diagnósticos cardiovasculares e comorbidades) e farmacoterápicas (adesão, polifarmácia e polifarmácia cardiovascular). Essas características foram relacionadas com a complexidade da farmacoterapia, mensurada por meio do Índice de Complexidade da Farmacoterapia. A classificação em complexidade alta da farmacoterapia foi realizada empregando a normatização para idosos e a estratificação para pacientes adultos, sugeridas na literatura. Resultados: A complexidade da farmacoterapia total dos 148 pacientes apresentou mediana igual a 17,0 (amplitude interquartílica de 10,5). Na análise univariada, os fatores associados à complexidade alta foram insuficiência cardíaca, diabetes mellitus, hipertensão arterial, cinco ou mais doenças e não adesão. No modelo final, após regressão logística, houve associação estatisticamente significante (p<0,05) com as variáveis diabetes mellitus, hipertensão arterial e não adesão. Conclusão: A complexidade alta da farmacoterapia em pacientes com doença arterial coronariana foi associada à presença de diabetes mellitus, hipertensão arterial e relato de não adesão a medicamentos
Descritores: Doença da Artéria Coronariana/tratamento farmacológico
Polimedicação
Adesão à Medicação
-Comorbidade
Modelos Logísticos
Estudos Transversais
Diabetes Mellitus
Hipertensão
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 1373 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-973372
Autor: Peduk, Sevki; Dincer, Mursit; Tatar, Cihad; Ozer, Bahri; Kocakusak, Ahmet; Citlak, Gamze; Akinci, Muzaffer.
Título: The role of serum ck-18, mmp-9 and tipm-1 levels in predicting r0 resection in patients with gastric cancer / O papel dos níveis séricos de ck-18, mmp-9 e tipm-1 na predição da ressecção r0 em pacientes com câncer gástrico
Fonte: ABCD arq. bras. cir. dig;31(4):e1401, 2018. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Background: Gastric cancer is the 3rd most common cause of death in men and the 5th common in women worldwide. Today, surgery is the only curative therapy. Currently available advanced imaging modalities can predict R0 resection in most patients, but it can only be detected with certainty in the perioperative period. Aim: To determine the role of serum CK18, MMP9, TIMP1 levels in predicting R0 resection in patients with gastric cancer. Methods: Fifty consecutive patients scheduled for curative surgery with gastric adenocarcinoma diagnosed between 2013-2015 were included. One ml of blood was taken from the patients to analyze CK18, MMP9 and TIMP1. Results: CK18, MMP9 and TIMP1 levels were positively correlated with pathological N and the stage (p<0,05). CK-18, MMP-9 and TIMP-1 averages in positive clinical lymph nodes and in clinical stage 3, were found to be higher than the averages of those with negative clinical lymph nodes and in clinical stage 2 (p<0,05). Conclusion: Although serum CK-18, MMP-9 and TIMP-1 preoperatively measured in patients scheduled for curative surgery did not help to evaluate gastric tumor resectability, they were usefull in predicting N3-stage.

RESUMO Racional: Câncer gástrico é a terceira causa mais comum de morte em homens e a quinta em mulheres em todo o mundo. Atualmente a cirurgia é a única terapia curativa. As modalidades de imagem avançadas atualmente disponíveis podem prever a ressecção R0 na maioria dos pacientes, mas ela só pode ser detectada durante o perioperatório. Objetivo: Determinar o papel dos níveis séricos de CK18, MMP9 e TIMP1 na predição da ressecção R0 em pacientes com câncer gástrico. Métodos: Foram incluídos no estudo pacientes consecutivos agendados para operação curativa entre 2013-2015. Foi retirado 1 ml de sangue dos pacientes incluídos para estudar CK18, MMP9 e TIMP1. Resultados: Os níveis de CK18, MMP9 e TIMP1 foram positivamente correlacionados com o N patológico e o estadiamento (p<0,05). As médias CK-18, MMP-9 e TIMP-1 das pessoas com linfonodos positivos e aqueles em estágio clínico 3 foram superiores às médias das pessoas com linfonodos negativos e estágio clínico 2 (p<0,05). Conclusão: Embora as dosagens séricas de CK-18, MMP-9 e TIMP-1 em pacientes agendados para operação curativa por adenocarcinoma gástrico não ajudem a ter ideia de ressecabilidade tumoral, ela foi útil na predição de estadiamento N3.
Descritores: Neoplasias Gástricas/cirurgia
Neoplasias Gástricas/sangue
Adenocarcinoma/cirurgia
Adenocarcinoma/sangue
Metaloproteinase 9 da Matriz/sangue
Queratina-18/sangue
-Valores de Referência
Neoplasias Gástricas/patologia
Adenocarcinoma/patologia
Biomarcadores Tumorais/sangue
Modelos Logísticos
Estatísticas não Paramétricas
Inibidor Tecidual de Metaloproteinase-1/sangue
Metástase Linfática/patologia
Estadiamento de Neoplasias
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Tipo de Publ: Publicação Retratada
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 1373 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Crema, Eduardo
Texto completo
Id: biblio-973382
Autor: Perales, Simone Reges; Souza, Luiz Ronan Marquez Ferreira; Crema, Eduardo.
Título: Comparative evaluation of magnetic resonance cholangiopancreatography and perioperative cholangiography in patients with suspect choledocholithiasis / Avaliação comparativa da colangiopancreatografia por ressonância magnética e da colangiografia peroperatória na suspeita de coledocolitíase
Fonte: ABCD arq. bras. cir. dig;32(1):e1416, 2019. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Background: Cholelithiasis is a highly prevalent condition, and choledocholitiasis is a high morbidity complication and requires accurate methods for its diagnosis. Aim: To evaluate the population of patients with suspected choledocholitiasis and check the statistical value of magnetic resonance cholangiopancreatography, ultrasonography, the laboratory and the clinic of these patients comparing them to the results obtained by perioperative cholangiography. Methods: This is a retrospective cohort study, which were evaluated 76 patients with cholelithiasis and suspected choledocholithiasis. Results: It was observed that the presence of dilatation of the biliary tract or choledocholithiasis in the ultrasonography was four and eight times increased risk of perioperative cholangiography for positive choledocholithiasis, respectively. For each unit increased in serum alkaline phosphatase was 0.3% increased the risk of perioperative cholangiography for positive choledocholithiasis. In the presence of dilatation of the bile ducts in the ultrasonography was four times greater risk of positive magnetic resonance cholangiopancreatography for choledocholithiasis. In the presence of pancreatitis these patients had five times higher risk of positive magnetic resonance cholangiopancreatography for choledocholithiasis. On the positive magnetic resonance cholangiopancreatography presence to choledocholithiasis was 104 times greater of positive perioperative cholangiography for choledocholithiasis. Conclusions: The magnetic resonance cholangiopancreatography is a method with good accuracy for propedeutic follow-up for the diagnosis of choledocholithiasis, consistent with the results obtained from the perioperative cholangiography; however, it is less invasive, with less risk to the patient and promote decreased surgical time when compared with perioperative cholangiography.

RESUMO Racional: A colelitíase é afecção de alta prevalência, sendo a coledocolitíase complicação de elevada morbidade e que necessita de métodos acurados para seu diagnóstico. Objetivo: Avaliar o perfil populacional de pacientes com suspeita de coledocolitíase e verificar o valor estatístico da colangiopancreatografia por ressonância magnética, da ultrassonografia, dos exames laboratoriais e da clínica desses pacientes e compará-los aos resultados obtidos pela colangiografia peroperatória. Métodos: Trata-se de estudo longitudinal, de coorte, retrospectivo, no qual foram avaliados 76 pacientes com diagnóstico de colelitíase e suspeita de coledocolitíase. Resultados: Observou-se que na presença de dilatação das vias biliares ou coledocolitíase na ultrassonografia havia risco quatro e oito vezes maior, respectivamente, de colangiografia peroperatória positiva para coledocolitíase. Para cada unidade de aumento na fosfatase alcalina sérica houve aumento em 0,3% no risco de colangiografia peroperatória positiva para coledocolitíase. Na presença de dilatação das vias biliares na ultrassonografia ou clínica de pancreatite havia risco quatro e cinco vezes maior, respectivamente, de colangiopancreatografia por ressonância magnética positiva para coledocolitíase. Na presença de colangiopancreatografia por ressonância magnética positiva para coledocolitíase o risco foi 104 vezes maior de colangiografia peroperatória positiva para coledocolitíase. Conclusão: A colangiopancreatografia por ressonância magnética para seguimento propedêutico tem boa acurácia para o diagnóstico de coledocolitíase, e concordante com os resultados obtidos na colangiografia peroperatória. O método é menos invasivo, com menores riscos ao paciente e com diminuição do tempo cirúrgico dispendido para realização da colangiografia peroperatória.
Descritores: Colangiografia/métodos
Coledocolitíase/diagnóstico por imagem
Colangiopancreatografia por Ressonância Magnética/métodos
-Pancreatite/diagnóstico por imagem
Sistema Biliar/diagnóstico por imagem
Colecistectomia/métodos
Modelos Logísticos
Reprodutibilidade dos Testes
Estudos Retrospectivos
Fatores de Risco
Estudos Longitudinais
Ultrassonografia/métodos
Sensibilidade e Especificidade
Estatísticas não Paramétricas
Medição de Risco
Coledocolitíase/cirurgia
Dilatação Patológica/diagnóstico por imagem
Período Perioperatório
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 1373 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1155301
Autor: Galindo, Rafaella Joanna da Silva Caseca; Andrade, Lívia Barboza de; Sena, Gabrielle Ribeiro; Nogueira, Lídier Roberta Moraes; Lima, Tiago Pessoa Ferreira de; Lima, Jurema Telles Oliveira; Orange, Flávia Augusta.
Título: Women with cancer and COVID-19: an analysis of lethality and clinical aspects in Pernambuco / Mulheres com câncer e COVID-19: uma análise da letalidade e aspectos clínicos em Pernambuco
Fonte: Rev. Bras. Saúde Mater. Infant. (Online);21(supl.1):157-165, Feb. 2021. tab.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Objectives: to analyze the lethality and clinical characteristics in Pernambuco women with neoplasia that were infected by SARS-CoV-2. Methods: a cross-sectional, retrospective study with female patients with neoplasm sin the state of Pernambuco registered and made available by the Secretariat of Planning and Management of the State of Pernambuco (SEPLAG PE). Secondary data from public domain notifications and the independent factors associated with death were analyzed through logistic regression. The value ofp<0.25 was considered significant in the bivariate analysis and for a multivariate analysis, the value ofp<0.05 was considered significant. Results: forty-nine women died. The mean age and standard deviation were 58.75 ± 20.93 years. 55.86% of the patients were 60 years old or more. The overall lethality rate was 72.06% (CI95%=59.8 - 82.2). The most prevalent symptoms were fever (70.59%), cough (58.82%), dyspnea (57.35%) and O2 saturation less than 95% (48.53%). Conclusions: female patients, with cancer and infected by SARS-CoV-2 are particularly susceptible to death, regardless of the presence of comorbidities or age, with peripheral O2 saturation <95% being the only independent factor associated with death in this group.

Resumo Objetivos: analisar a letalidade e características clínicas em mulheres pernambucanas portadoras de neoplasia que apresentaram infecção por SARS-CoV-2. Métodos: estudo de corte transversal, retrospectivo com pacientes do sexo feminino, portadoras de neoplasias no estado de Pernambuco com registros disponibilizados pela Secretaria de Planejamento e Gestão do Estado de Pernambuco. Analisou-se dados secundários de notificações de domínio público e os fatores independentes associados ao óbito através de regressão logística. Foi considerado significativo o valor de p<0,25 na análise bivariada e para a análise multivariada foi considerado significativo o valor de p<0,05. Resultados: quarenta e nove mulheres vieram a óbito. A média da idade e desvio padrão foram 58, 75 ± 20,93 anos. 55,86% das pacientes tinham 60 anos ou mais. A taxa de letalidade global foi de 72,06% (IC95%= 59,8 - 82,2). Os sintomas mais prevalentes foram febre (70,59%), tosse (58,82%), dispneia (57,35%) e saturação de O2 <95% (48,53%). Conclusão: pacientes do sexo feminino, com câncer e infectadas pelo SARS-CoV-2 são particularmente suscetíveis a óbito, independentemente da presença de comorbidades ou da idade, sendo a saturação periférica de O2 <95% o único fator independente associado ao óbito nesse grupo.
Descritores: Comorbidade
Fatores de Risco
SARS-CoV-2
COVID-19/epidemiologia
Neoplasias/diagnóstico
Neoplasias/mortalidade
-Brasil/epidemiologia
Modelos Logísticos
Indicadores de Morbimortalidade
Análise Multivariada
Mortalidade
Limites: Humanos
Feminino
Responsável: BR663.1 - Biblioteca da Saúde da Mulher e da Criança



página 1 de 138 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde