Base de dados : LILACS
Pesquisa : E05.320 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 417 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 42 ir para página                         

  1 / 417 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Cuba
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1003897
Autor: Luengas C, Lely Adriana.
Título: Algoritmo de metodología para desarrollar dispositivos mecatrónicos como ayuda a personas con distrofia muscular / Methodology algorithm to develop mechatronic devices to help people with muscular dystrophy
Fonte: Rev. cuba. inform. méd;10(2):e04, jul.-dic. 2018. graf.
Idioma: es.
Resumo: Introducción: El avance tecnológico permite desarrollar equipos tecnológicos y ayudas técnicas que apoyen el tratamiento dirigido a un paciente. Objetivo: Generar un algoritmo para desarrollar dispositivos mecatrónicos como ayudas técnicas para personas con discapacidad física. Métodos: Se tomó como base una clasificación del diseño de estudio de tipo descriptivo, para la propuesta de una metodología de diseño e implementación de dispositivos de ayuda técnica en personas con distrofia muscular. La propuesta hace referencia al conjunto de técnicas, procedimientos y soportes documentales empleados en el diseño de sistemas de ayuda técnica, donde se integran aspectos diversos de tal forma que el proceso global sea lógico y comprensible. Resultados: El diseño obtenido comprende el desarrollo de cuatro metodologías, que inician con el proceso investigativo, luego el dispositivo mecánico, después el sistema electrónico y finaliza con el sistema de comunicación. Se dan pautas para generar cada uno de los componentes del sistema y lograr obtener un dispositivo funcional. El diseño fue probado con resultados favorables. Conclusiones: En el área de rehabilitación física, se combinan los conocimientos médicos con los ingenieriles para obtener soluciones tecnológicas que facilitan las labores a personas con discapacidad física. El diseño desarrollado, al contar con un conjunto ordenado de operaciones sistemáticas y una serie de pautas específicas para la ejecución de actividades, donde se cursan una serie de etapas, permite solucionar el tipo de problemas de referencia(AU)

Introduction: The technological advance allows developing technological equipment and technical aids that support the treatment directed to a patient. Objective: Generate an algorithm to develop mechatronic devices as technical aids for people with physical disabilities. Methods: A descriptive study design classification was used as a basis for the proposal of a methodology for the design and implementation of technical assistance devices in people with muscular dystrophy. The proposal refers to the set of techniques, procedures and documentary supports used in the design of technical assistance systems, where diverse aspects are integrated in such a way that the overall process is logical and understandable. Results: The design obtained includes the development of four methodologies, which begin with the investigative process, then the mechanical device, then the electronic system and ends with the communication system. Guidelines are given to generate each of the components of the system and achieve a functional device. The design was tested with favorable results. Conclusions: In the area of ​​physical rehabilitation, medical and engineering knowledge are combined to obtain technological solutions that facilitate the work of people with physical disabilities. The developed design, having an ordered set of systematic operations and a series of specific guidelines for the execution of activities, where a series of stages are taken, allows solving the type of reference problems(AU)
Descritores: Equipamentos de Autoajuda
Informática Médica/métodos
Aplicações da Informática Médica
Pessoas com Deficiência/reabilitação
Desenho de Equipamento/instrumentação
Distrofias Musculares/reabilitação
-Epidemiologia Descritiva
Colômbia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: CU1.1 - Biblioteca Médica Nacional


  2 / 417 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-787615
Autor: Ibadullah, Wan Hafsah Wan; Yahya, Nurlia; Ghazali, Siti Salmah; Kamaruzaman, Esa; Yong, Liu Chian; Dan, Adnan; Md Zain, Jaafar.
Título: Comparing insertion characteristics on nasogastric tube placement by using GlideScopeTM visualization vs. MacIntosh laryngoscope assistance in anaesthetized and intubated patients / Comparação das características de inserção de sonda nasogástrica, usando visibilização pelo laringoscópio GlideScope® vs. guiada pelo laringoscópio MacIntosh em pacientes anestesiados e intubados
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(4):363-368tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background and objective: This was a prospective, randomized clinical study to compare the success rate of nasogastric tube insertion by using GlideScopeTM visualization versus direct MacIntosh laryngoscope assistance in anesthetized and intubated patients. Methods: Ninety-six ASA I or II patients, aged 18-70 years were recruited and randomized into two groups using either technique. The time taken from insertion of the nasogastric tube from the nostril until the calculated length of tube had been inserted was recorded. The success rate of nasogastric tube insertion was evaluated in terms of successful insertion in the first attempt. Complications associated with the insertion techniques were recorded. Results: The results showed success rates of 74.5% in the GlideScopeTM Group as compared to 58.3% in the MacIntosh Group (p = 0.10). For the failed attempts, the nasogastric tube was successfully inserted in all cases using rescue techniques. The duration taken in the first attempt for both techniques was not statistically significant; Group A was 17.2 ± 9.3 s as compared to Group B, with a duration of 18.9 ± 13.0 s (p = 0.57). A total of 33 patients developed complications during insertion of the nasogastric tube, 39.4% in Group A and 60.6% in Group B (p = 0.15). The most common complications, which occurred, were coiling, followed by bleeding and kinking. Conclusion: This study showed that using the GlideScopeTM to facilitate nasogastric tube insertion was comparable to the use of the MacIntosh laryngoscope in terms of successful rate of insertion and complications.

Resumo Justificativa e objetivo: Este foi um estudo clínico prospectivo e randômico para comparar a taxa de sucesso da inserção de sonda nasogástrica (NG) com as técnicas de visibilização guiada pelo laringoscópio GlideScope® versus guiada pelo laringoscópio MacIntosh em pacientes anestesiados e intubados. Métodos: Foram recrutados 96, ASA I ou II, entre 18-70 anos, e divididos randomicamente em dois grupos, com uma ou outra técnica. Foi calculado o tempo transcorrido desde a inserção da sonda NG, da narina até a inserção do comprimento calculado da sonda. A taxa de sucesso de inserção da sonda NG foi avaliada quanto à inserção bem-sucedida na primeira tentativa. As complicações associadas às técnicas de inserção foram registradas. Resultados: Os resultados mostraram taxas de sucesso de 74,5% para o grupo GlideScope® em comparação com 58,3% para o grupo MacIntosh (p = 0,10). Para as tentativas que falharam, a sonda NG foi inserida com sucesso em todos os casos, com as técnicas de resgate. A duração da primeira tentativa para ambas as técnicas não foi estatisticamente significativa: 17,2 ± 9,3 segundos no Grupo A e 18,9 ± 13,0 segundos no Grupo B (p = 0,57). No total, 33 pacientes desenvolveram complicações durante a inserção da sonda NG: 39,4% no Grupo A e 60,6% no Grupo B (p = 0,15). As complicações mais comuns ocorridas foram enrolamento, seguido de sangramento e dobradura. Conclusão: Este estudo mostrou que o uso do GlideScope® para facilitar a inserção de sonda nasogástrica foi comparável ao uso do laringoscópio MacIntosh quanto à taxa de sucesso de inserção e às complicações.
Descritores: Laringoscópios
Intubação Gastrointestinal/instrumentação
Intubação Gastrointestinal/métodos
Intubação Intratraqueal
Laringoscopia/métodos
-Fatores de Tempo
Método Simples-Cego
Estudos Prospectivos
Desenho de Equipamento
Anestesia
Pessoa de Meia-Idade
Cavidade Nasal
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Idoso
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 417 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-782886
Autor: Gómez-Ríos, Manuel Ángel; Pinegger, Stephan; Mantilla, María de Carrillo; Vizcaino, Lucia; Barreto-Calvo, Purísima; Paech, Michael J; Gómez-Ríos, David; López-Calviño, Beatriz.
Título: A randomised crossover trial comparing the Airtraq ® NT, McGrath ® MAC and Macintosh laryngoscopes for nasotracheal intubation of simulated easy and difficult airways in a manikin / Estudo cruzado e randômico comparando os laringoscópios Airtraq ® NT, McGrath ® MAC e Macintosh para intubação nasotraqueal em simulação de via aérea fácil e difícil em manequim
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(3):289-297, May.-June 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT OBJECTIVE: Several devices can aid nasotracheal intubation when managing difficult airways. The McGrath MAC and Airtraq NT were compared with a Macintosh laryngoscope when studying the performance of anaesthetists with different levels of experience, in a manikin model of easy or difficult airway scenarios. METHODS: Sixty-three anaesthetists were recruited into a randomised trial in which each performed nasotracheal intubation with all laryngoscopes, in both scenarios. The main endpoint was intubation time. Additional endpoints included laryngoscopic view, intubation success, number of optimisation manoeuvres, audible dental clicks and the force applied to the upper airway. RESULTS: Intubation time was significantly shorter using the McGrath MAC in both scenarios and using the Airtraq in the difficult scenario, when compared with the Macintosh laryngoscope. Both devices gave more Cormack and Lehane grade 1 or 2 views than the Macintosh in the difficult scenario (p < 0.001). The McGrath MAC had the best first-attempt success rate (98.4% vs. 96.8% and 95.8%, p < 0.001 for the Airtraq NT and Macintosh laryngoscopes respectively). The number of optimisation manoeuvres, audible dental clicks and subjective assessment of the degree of force applied were significantly lower for indirect laryngoscopes versus the Macintosh laryngoscope (p < 0.001). CONCLUSION: In a manikin, the Airtraq and the McGrath laryngoscopes appeared superior to the Macintosh laryngoscope when dealing with simulated airway scenarios. Both devices were associated with better views, intubation times and rates of success, especially in a simulated "difficult airway". Overall satisfaction was highest with the McGrath laryngoscope. Similar clinical studies are needed.

RESUMO OBJETIVO: Vários dispositivos podem ajudar a intubação nasotraqueal no manejo de via aérea difícil. Os laringoscópios McGrath MAC e Airtraq NT foram comparados com um laringoscópio Macintosh em estudo do desempenho de anestesistas com diferentes níveis de experiência, em manequim com cenário de via aérea fácil ou difícil. MÉTODOS: Foram recrutados 63 anestesistas para um estudo randômico, no qual cada um fez intubação nasotraqueal com todos os laringoscópios, em ambos os cenários. O desfecho primário foi o tempo de intubação. Desfechos adicionais incluíram vista laringoscópica, sucesso na intubação, número de manobras de aprimoramento, cliques dentais audíveis e força aplicada nas vias aéreas superiores. RESULTADOS: O tempo de intubação foi significativamente menor com o uso do laringoscópio McGrath MAC em ambos os cenários e com o uso do Airtraq no cenário difícil, em comparação com o laringoscópio Macintosh. Ambos os dispositivos obtiveram mais grau 1 ou 2 de Cormack e Lehane para visualização do que o Macintosh em cenário difícil (p < 0,001). O McGrath MAC teve a melhor taxa de sucesso na primeira tentativa (98,4% vs. 96,8% e 95,8%, p < 0,001, para os laringoscópios Airtraq NT e Macintosh, respectivamente). O número de manobras de aprimoramento, os cliques dentais audíveis e a avaliação subjetiva do grau de força aplicada foram significativamente menores para os laringoscópios indiretos versus o laringoscópio Macintosh (p < 0,001). CONCLUSÃO: Em um manequim, os laringoscópios Airtraq e McGrath pareceram superiores ao laringoscópio Macintosh para lidar com cenários das vias aéreas simuladas. Ambos os dispositivos foram associados a melhores visibilidades, tempos de intubação e taxas de sucesso, especialmente em simulação de "via aérea difícil". A satisfação geral foi maior com o laringoscópio McGrath. Estudos clínicos similares são necessários.
Descritores: Laringoscópios
Intubação Intratraqueal/instrumentação
Laringoscopia/instrumentação
Manequins
-Fatores de Tempo
Estudos Cross-Over
Desenho de Equipamento
Intubação Intratraqueal/métodos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 417 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-777399
Autor: Apan, Ozgun Cuvas; Apan, Alparslan.
Título: The association between thenar eminence and I-gel(tm) dimensions in paediatric patients / Associação entre as dimensões da eminência tênar e I-gel(tm) em pacientes pediátricos
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(2):171-175, Mar.-Apr. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT OBJECTIVES: A practical anatomic landmark may be helpful to perform the appropriate size of the airway devices easily in paediatric patients. The aim of this study was to investigate the association between thenar eminence and I-gel dimensions in children. METHODS: After Institutional Ethics Committee approval, two hundred and seventy ASA Class I-II patients between 0 and 12 years old, who were scheduled for elective procedures under general anaesthesia not requiring tracheal intubation, were recruited to the study. The size of the I-gel selected was based on the patient's body weight according to the manufacturer's recommendation. After successful insertion of the I-gel, thenar eminence dimensions were determined. Long-axis (Th-l) was measured from junction point of the thumb to wrist curl and short-axis (Th-w) constitutes the largest portion of the thenar eminence from lateral end of the thumb to the first hand line. The manufacturer's dimensions of the I-gel which was inserted into the patients were compared with the measurements obtained from thenar eminence. RESULTS: The mean (SD) values for (Ig-w) and (Ig-l) were 2.98 cm (0.53) and 4.54 cm (0.82), and the mean (SD) values for (Th-w) and (Th-l) were 2.99 cm (0.60) and 3.88 cm (0.93), respectively. There was a statistically significant correlation between Th-w and Ig-w (r = 0.794,p < 0.001), and between Th-l and Ig-l (r = 0.820, p < 0.001). CONCLUSION: The dimensions of thenar eminence were fitted to that of the weight based size of I-gel and this anatomic landmark may be a practical tool to assess appropriate size for paediatric patients.

RESUMO OBJETIVOS: Uma referência anatômica prática pode ser útil para determinar o tamanho adequado dos dispositivos para vias aéreas em pacientes pediátricos. O objetivo deste estudo foi investigar a associação entre as dimensões da eminência tênar e do dispositivo I-gel em crianças. MÉTODOS: Após aprovação do Comitê de Ética Institucional, 270 pacientes com estado físico ASA I-II, entre 0-12 anos, programados para cirurgias eletivas sob anestesia geral, sem necessidade de intubação traqueal, foram recrutados para o estudo. A escolha do tamanho do I-gel foi baseada no peso corporal do paciente, de acordo com a recomendação do fabricante. Após a inserção bem-sucedida do I-gel, a dimensão da eminência tênar era determinada. O eixo longo (Th-l) foi medido do ponto de junção do polegar ao vinco do pulso e o eixo curto (Th-w) constitui a maior parte da eminência tênar da extremidade lateral do polegar à primeira linha da mão. As dimensões de fábrica do I-gel inserido no paciente foram comparadas com as dimensões obtidas a partir da eminência tênar. RESULTADOS: As médias (DP) dos valores para (Ig-w) e (Ig-l) foram 2,98 cm (0,53) e 4,54 cm (0,82) e as médias (DP) dos valores para (Th-w) e (TH l) foram 2,99 cm (0,60) e 3,88 cm (0,93), respectivamente. Houve uma correlação estatisticamente significativa entre Th-w e Ig-w (r = 0,794, p < 0,001) e entre Th-l e Ig-l (r = 0,820, p < 0,001). CONCLUSÃO: As dimensões da eminência tênar foram ajustadas àquelas do tamanho do I-gel baseado no peso e essa referência anatômica pode ser uma ferramenta prática para avaliar o tamanho apropriado em pacientes pediátricos.
Descritores: Máscaras Laríngeas
Manuseio das Vias Aéreas/instrumentação
Mãos/anatomia & histologia
Anestesia Geral/métodos
-Peso Corporal/fisiologia
Estudos Prospectivos
Procedimentos Cirúrgicos Eletivos/métodos
Desenho de Equipamento
Manuseio das Vias Aéreas/métodos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Recém-Nascido
Lactente
Pré-Escolar
Criança
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 417 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-777401
Autor: Akan, Belgin; Erdem, Deniz; Albayrak, Mahinur Demet; Aksoy, Esra; Akdur, Fatma; Gogus, Nermin.
Título: Pressure support ventilation with the I-gel in intensive care unit: case report / Ventilação controlada por pressão com I-gel em unidade de terapia intensiva: relato de caso
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(2):219-221, Mar.-Apr. 2016.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: The I-gel supraglottic airway has a non-inflatable cuff made from a gel-like thermoplastic elastomer. The use of the I-gel during anesthesia for spontaneously breathing patients or intermittent positive pressure ventilation has been reported. But there are a few published reports about the use of the I-gel with pressure-controlled ventilation. CONTENTS AND CONCLUSIONS: In this case report we described the use of the I-gel supraglottic airway along 48 h in intensive care unit for the management of ventilation in a patient needed mechanic ventilation but in whom tracheal intubation could not be performed.

RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: O dispositivo supraglótico I-gel para o manejo das vias aéreas tem um manguito não insuflável feito de um elastômero termoplástico semelhante ao gel. Há relato sobre o uso do I-gel em pacientes sob anestesia para a ventilação, espontânea ou com pressão positiva intermitente. Porém, há poucos relatos publicados sobre o uso do I-gel com ventilação controlada por pressão. CONTEÚDO E CONCLUSÕES: Descrevemos neste relato de caso o uso do dispositivo supraglótico I-gel durante 48 horas em unidade de terapia intensiva para o manejo das vias aéreas em paciente que precisou de ventilação mecânica, mas no qual a intubação traqueal não pôde ser feita.
Descritores: Respiração Artificial/métodos
Manuseio das Vias Aéreas/métodos
-Desenho de Equipamento
Manuseio das Vias Aéreas/instrumentação
Unidades de Terapia Intensiva
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Feminino
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 417 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-777410
Autor: Coelho, Rafael de Macedo; Paiva, Thiago Trigueiro Morais de; Mathias, Ligia Andrade da Silva Telles.
Título: In vitro evaluation of the method effectiveness to limit inflation pressure cuffs of endotracheal tubes / Avaliação in vitro da eficácia de método para limitar a pressão de insuflação dos balonetes das cânulas endotraqueais
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(2):120-125, Mar.-Apr. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVE: Cuffs of tracheal tubes protect the lower airway from aspiration of gastric contents and facilitate ventilation, but may cause many complications, especially when the cuff pressure exceeds 30 cm H2O. This occurs in over 30% of conventional insufflations, so it is recommended to limit this pressure. In this study we evaluated the in vitro effectiveness of a method of limiting the cuff pressure to a range between 20 and 30 cm H2O. METHOD: Using an adapter to connect the tested tube to the anesthesia machine, the relief valve was regulated to 30 cm H2O, inflating the cuff by operating the rapid flow of oxygen button. There were 33 trials for each tube of three manufacturers, of five sizes (6.5-8.5), using three times inflation (10, 15 and 20 s), totaling 1485 tests. After inflation, the pressure obtained was measured with a manometer. Pressure >30 cm H2O or <20 cm H2O were considered failures. RESULTS: There were eight failures (0.5%, 95% CI: 0.1-0.9%), with all by pressures <20 cm H2O and after 10 s inflation (1.6%, 95% CI: 0 5-2.7%). One failure occurred with a 6.5 tube (0.3%, 95% CI: -0.3 to 0.9%), six with 7.0 tubes (2%, 95% CI: 0.4-3.6%), and one with a 7.5 tube (0.3%, 95% CI: -0.3 to 0.9%). CONCLUSION: This method was effective for inflating tracheal tube cuffs of different sizes and manufacturers, limiting its pressure to a range between 20 and 30 cm H2O, with a success rate of 99.5% (95% CI: 99.1-99.9%).

RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVO: Os balonetes das cânulas traqueais protegem as vias aéreas inferiores da aspiração de conteúdo gástrico e facilitam a ventilação pulmonar, mas podem provocar diversas complicações, principalmente quando a pressão do balonete supera 30 cm H2O. Isto ocorre em mais de 30% das insuflações convencionais, sendo recomendada a limitação desta pressão. Neste estudo avaliou-se in vitro a eficácia de um método para limitar a pressão dos balonetes à faixa entre 20 e 30 cm H2O. MÉTODO: Utilizando um adaptador para conectar a cânula testada ao aparelho de anestesia, regulou-se a válvula limitadora deste a 30 cm H2O, insuflando o balonete por meio do acionamento do botão de fluxo rápido de oxigênio. Realizaram-se 33 testes para cada cânula de três fabricantes, de cinco tamanhos (6.5 a 8.5), utilizando três tempos para insuflação (10, 15 e 20 segundos), totalizando 1485 testes. Terminada a insuflação, mediu-se a pressão obtida com um manômetro. Pressões >30 cm H2O ou < 20 cm H2O foram consideradas falhas. RESULTADOS: Ocorreram oito falhas (0,5%; IC 95%: 0,1-0,9%), sendo todas por pressões <20 cm H2O e após insuflações de 10 segundos (1,6%; IC 95%: 0,5-2,7%). Uma falha ocorreu com cânula 6.5 (0,3%; IC 95%: -0,3-0,9%), seis com cânulas 7.0 (2%; IC 95%: 0,4-3,6%), e uma com cânula 7.5 (0,3%; IC 95%: -0,3-0,9%). CONCLUSÃO: Este método mostrou-se eficaz para insuflar os balonetes de cânulas traqueais de diferentes tamanhos e fabricantes limitando sua pressão à faixa entre 20 e 30 cm H2O, com incidência de sucesso de 99,5% (IC 95%: 99,1-99,9%).
Descritores: Pressão
Intubação Intratraqueal/métodos
Anestesia/métodos
-Oxigênio/administração & dosagem
Desenho de Equipamento
Intubação Intratraqueal/instrumentação
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 417 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-777412
Autor: Dexheimer Neto, Felippe Leopoldo; Andrade, Juliana Mara Stormovski de; Raupp, Ana Carolina Tabajara; Townsend, Raquel da Silva; Neres, Fernanda Santos; Cremonese, Rafael Viegas.
Título: Use of a homemade introducer guide (bougie) for intubation in emergency situation in patients who present with difficult airway: a case series / Emprego de guia introdutor (bougie) artesanal para intubação em situação de emergência em pacientes que se apresentam com via aérea de difícil intubação: série de casos
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(2):204-207, Mar.-Apr. 2016. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT BACKGROUND AND OBJECTIVES: The incidence of difficult airway reaches 10% of emergency intubations. Although few studies address the use of handmade introducer guides in emergency and intensive care environment, there are descriptions of handmade guides available on the Internet. We describe a case series on the use of a handmade introducer guide (bougie) for emergency intubation in patients with difficult airway. CASE REPORT: The handmade introducer guide was used in five consecutive patients with difficult airways, and clinical instability and in the absence of another immediate method to obtain an airway. This technique provided successful intubation and there were no complications. CONCLUSIONS: The use of the handmade introducer guide can be a useful option for the management of difficult airways.

RESUMO JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A incidência de via aérea difícil chega a 10% das intubações de emergência. Ainda que poucos estudos abordem o emprego de guia introdutor artesanal no ambiente de emergência e terapia intensiva, há descrições de guias produzidas de forma artesanal disponíveis na internet. Nosso objetivo é descrever uma série de casos sobre o uso de um guia introdutor (Bougie) artesanal para intubação de emergência em pacientes com Via Aérea Difícil. RELATO DE CASO: O guia introdutor artesanal foi utilizado em cinco pacientes consecutivos com via aérea difícil, instabilidade clínica e falta de outro método imediato para a obtenção de uma via aérea. Essa técnica proporcionou sucesso na intubação e não houve complicações. CONCLUSÕES: A utilização do guia introdutor artesanal pode ser uma opção útil para o manejo de via aérea difícil.
Descritores: Emergências
Manuseio das Vias Aéreas/métodos
Intubação Intratraqueal/métodos
-Desenho de Equipamento
Manuseio das Vias Aéreas/instrumentação
Intubação Intratraqueal/instrumentação
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Tipo de Publ: Relatos de Casos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 417 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-773486
Autor: Das, Bikramjit; Samal, Rajiv Kumar; Ghosh, Arup; Kundu, Ratul.
Título: A randomised comparative study of the effect of Airtraq optical laryngoscope vs. Macintosh laryngoscope on intraocular pressure in non-ophthalmic surgery / Estudo comparativo randomizado do efeito do laringoscópio óptico Airtraq vs. laringoscópio Macintosh sobre a pressão intraocular em cirurgia não oftálmica
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(1):19-23, Jan.-Feb. 2016. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: BACKGROUND: We compared intraocular pressure changes following laryngoscopy and intubation with conventional Macintosh blade and Airtraq optical laryngoscope. METHODS: Ninety adult patients were randomly assigned to study group or control group. Study group (n = 45) - Airtraq laryngoscope was used for laryngoscopy. Control group (n = 45) - conventional Macintosh laryngoscope was used for laryngoscopy. Preoperative baseline intraocular pressure was measured with Schiotz tonometer. Laryngoscopy was done as per group protocol. Intraocular pressure and haemodynamic parameters were recorded just before insertion of the device and subsequently three times at an interval of one minute after insertion of the device. RESULTS: Patient characteristics, baseline haemodynamic parameters and baseline intraocular pressure were comparable in the two groups. Following insertion of the endotracheal tube with Macintosh laryngoscope, there was statistically significant rise in heart rate and intraocular pressure compared to Airtraq group. There was no significant change in MAP. Eight patients in Macintosh group had tongue-lip-dental trauma during intubation, while only 2 patients received upper airway trauma in Airtraq group. CONCLUSION: We conclude that Airtraq laryngoscope in comparison to Macintosh laryngoscope results in significantly fewer rises in intraocular pressure and clinically less marked increase in haemodynamic response to laryngoscopy and intubation.

JUSTIFICATIVA: Comparar as alterações de pressão intraocular após laringoscopia e intubação com lâmina Macintosh convencional e laringoscópio óptico Airtraq. MÉTODOS: Noventa pacientes adultos foram randomicamente designados para os grupos estudo ou controle. No grupo estudo (n = 45) o laringoscópio Airtraq foi usado para laringoscopia e no grupo controle (n = 45) o laringoscópio Macintosh convencional foi usado para laringoscopia. A pressão intraocular foi mensurada no pré-operatório com tonômetro Schiotz. A laringoscopia foi feita de acordo com o protocolo de cada grupo. Pressão intraocular e parâmetros hemodinâmicos foram registrados logo antes da inserção do dispositivo e três vezes após a inserção do dispositivo, com intervalo de um minuto. RESULTADOS: As características dos pacientes, os parâmetros hemodinâmicos basais e a PIO basal foram comparáveis nos dois grupos. Após a inserção do tubo endotraqueal com o laringoscópio Macintosh, houve um aumento estatisticamente significativo da frequência cardíaca e da pressão intraocular em comparação com o grupo Airtraq. Não houve alteração significativa da PAM. Oito pacientes do grupo Macintosh sofreram trauma de língua-lábio-dental durante a intubação, enquanto apenas dois pacientes sofreram trauma das vias aéreas superiores no grupo Airtraq. CONCLUSÃO: Concluímos que o laringoscópio Airtraq, em comparação com o laringoscópio Macintosh, resultou em elevações significativamente menores da PIO e em aumentos clinicamente menos acentuados da resposta hemodinâmica à laringoscopia e intubação.
Descritores: Laringoscópios/efeitos adversos
Pressão Intraocular/fisiologia
Intubação Intratraqueal/efeitos adversos
Laringoscopia/efeitos adversos
-Método Simples-Cego
Desenho de Equipamento
Frequência Cardíaca/fisiologia
Hemodinâmica
Intubação Intratraqueal/instrumentação
Laringoscopia/instrumentação
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 417 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-843360
Autor: Haliloglu, Murat; Bilgen, Sevgi; Uzture, Neslihan; Koner, Ozge.
Título: Simple method for determining the size of the ProSeal laryngeal mask airway in children: a prospective observational study / Método simples para determinar o tamanho da máscara laríngea ProSeal em crianças: um estudo observacional, prospectivo
Fonte: Rev. bras. anestesiol;67(1):15-20, Jan.-Feb. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background and objectives: The size of the ProSeal laryngeal mask airway in children is determined by the patient's weight. However, in some instances, an alternative method may be required. This study aimed to compare sizing by the auricle with conventional ProSeal laryngeal mask airway sizing by weight in children. Methods: After approval by the institutional ethics board and written informed consent from parents, 197 children with American Society of Anesthesiologists physical status I-II who were scheduled for a routine genitourinary operation were included in the study. The correct ProSeal laryngeal mask airway size was determined according to the size of the auricle in children. The results were compared with the standard weight-based method recommended by the manufacturer's guidelines. The patients were classified into different groups depending on the ProSeal laryngeal mask airway sizes as determined by both methods. Agreement between both techniques was evaluated with κ coefficient statistics. Results: Insertion and adequate ventilation were achieved in 185 patients at the first attempt, and 12 patients required a second attempt. Three patients had to be intubated. Agreement between the two methods of size selection of the ProSeal laryngeal mask airway was moderate using κ statistics. Conclusions: Choosing the size of the ProSeal laryngeal mask airway in children according to the auricle of the child is valid and practical. In particular, this is an alternative method in situations where the patient's weight is unknown, such as in emergency situations.

Resumo Justificativa e objetivos: O tamanho da máscara laríngea ProSeal (MLPS) em crianças é determinado com base no peso do paciente. No entanto, em alguns casos, pode ser necessário um método opcional. Este estudo teve como objetivo comparar o tamanho da MLPS convencional pela orelha e pelo peso em crianças. Métodos: Após aprovação do Comitê de Ética institucional e receber o consentimento informado assinado pelos pais, 197 crianças com estado físico ASA I-II (de acordo com a classificação da Sociedade Americana de Anestesiologistas), programadas para uma operação geniturinária de rotina, foram incluídas no estudo. O tamanho correto da MLPS foi determinado de acordo com o tamanho da orelha em crianças. Os resultados foram comparados com os do método padrão, baseado no peso, recomendado pelas diretrizes do fabricante. Os pacientes foram classificados em diferentes grupos, a depender dos tamanhos das MLPS, conforme determinado por ambos os métodos. A concordância entre as duas técnicas foi avaliada com as estatísticas do coeficiente kappa (k). Resultados: Inserção e ventilação adequada foram obtidas em 185 pacientes na primeira tentativa e 12 pacientes precisaram de uma segunda tentativa. Três pacientes precisaram ser intubados. A concordância entre os dois métodos de seleção do tamanho da MLPS foi moderada com a estatística κ. Conclusões: A escolha do tamanho da MLPS em crianças de acordo com a orelha da criança é válida e prática. Em particular, é um método opcional em situações nas quais o peso do paciente é desconhecido, como em situações de emergência.
Descritores: Máscaras Laríngeas
Desenho de Equipamento
-Antropometria
Estudos Prospectivos
Orelha Externa/anatomia & histologia
Intubação Intratraqueal/instrumentação
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Recém-Nascido
Lactente
Pré-Escolar
Criança
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 417 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-897755
Autor: Eglen, Merih; Kuvaki, Bahar; Günenç, Ferim; Ozbilgin, Sule; Küçükgüçlü, Semih; Polat, Ebru; Pekel, Emel.
Título: Comparison of three different insertion techniques with LMA-UniqueTM in adults: results of a randomized trial / Comparação de três técnicas diferentes de inserção com a máscara laríngea LMA-UniqueTM em adultos: resultados de um estudo randômico
Fonte: Rev. bras. anestesiol;67(5):521-526, Sept-Oct. 2017. tab.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background The triple airway maneuver insertion technique allowed faster insertion of the LMA. This study compared three different insertion techniques of the laryngeal mask airway-UniqueTM. Methods One hundred and eighty ASA I-II patients aged 18-65 years were included into the study. Patients were randomly allocated to the standard, rotational and triple airway maneuver (triple) group. In the standard group (n = 60), the LMA (Laryngeal Mask Airway) was inserted with digital intraoral manipulation. In the triple group (n = 60), the LMA was inserted with triple airway maneuver (mouth opening, head extension and jaw thrust). In the rotational group (n = 60), LMA was inserted back-to-front, like a Guedel airway. Successful insertion at first attempt, time for successful insertion, fiber optic assessment, airway morbidity and hemodynamic responses were assessed. Results Successful insertion at the first attempt was 88.3% for the standard, 78.3% for the rotational and 88.3% for the triple group. Overall success rate (defined as successful insertion at first and second attempt) was 93% for the standard, 90% for the rotational and 95% for the triple group. Time for successful insertion was significantly shorter in the triple group (mean [range] 8.63 [5-19]s) compared with the standard (11.78 [6-24]s) and rotational group (11.57 [5-31]s). Fiber optic assessment, airway morbidity and hemodynamic responses were similar in all groups. Conclusions Rotational and triple airway maneuver insertion techniques are acceptable alternatives. Triple airway maneuver technique shows higher overall success rates and allows shorter insertion time for LMA insertion and should therefore be kept in mind for emergent situations.

Resumo Justificativa A técnica de inserção com a manobra tripla das vias aéreas permitiu a inserção mais rápida da ML. Este estudo comparou três técnicas de inserção da máscara laríngea UniqueTM. Métodos Foram incluídos no estudo 180 pacientes ASA I-II, entre 18-65 anos. Os pacientes foram aleatoriamente designados para grupos de manobra das vias aéreas padrão, rotacional e tripla. No grupo padrão (n = 60), a máscara laríngea (ML) foi inserida com a técnica digital intraoral. No grupo tripla (n = 60), a ML foi inserida com a técnica de manobra tripla das vias aéreas (abertura bucal, extensão da cabeça e elevação da mandíbula). No grupo rotacional (n = 60), a ML foi inserida com a técnica de inserção de trás para frente, como uma cânula de Guedel. Inserção bem-sucedida na primeira tentativa, tempo de inserção bem-sucedida, avaliação por fibra óptica, morbidade das vias aéreas e respostas hemodinâmicas foram avaliados. Resultados O sucesso da inserção na primeira tentativa foi de 88,3% para o grupo padrão, 78,3% para o grupo rotacional e 88,3% para o grupo tripla. A taxa de sucesso global (definida como inserção bem-sucedida na primeira e segunda tentativas) foi de 93% para o grupo padrão, 90% para o grupo rotacional e 95% para o grupo tripla. O tempo de inserção bem-sucedida foi significativamente menor no grupo tripla (média [intervalo] 8,63 [5-19]s), em comparação com o grupo padrão (11,78 [6-24]s) e o grupo rotacional (11,57 [5-31]s). A avaliação por fibra óptica, a morbidade das vias aéreas e as respostas hemodinâmicas foram semelhantes em todos os grupos. Conclusões As técnicas de inserção rotacional e de manobra tripla das vias aéreas são opções aceitáveis. A técnica de manobra tripla das vias aéreas apresenta taxas mais altas de sucesso global e permite um tempo menor de inserção da ML e, portanto, deve ser considerada em situações de emergência.
Descritores: Máscaras Laríngeas
Intubação Intratraqueal/métodos
-Desenho de Equipamento
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Idoso
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 42 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde