Base de dados : LILACS
Pesquisa : E07.695.750 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 1042 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 105 ir para página                         

  1 / 1042 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-787886
Autor: Giménez, Mariano E; Palermo, Mariano; Houghton, Eduardo; Acquafresca, Pablo; Finger, Caetano; Verde, Juan M; Cúneo, Jorge Cardoso.
Título: Biodegradable biliary stents: a new approach for the management of hepaticojejunostomy strictures following bile duct injury. prospective study / Stent biliar biodegradável: uma nova abordagem para as estenoses hepaticojejunais após lesão do ducto biliar. estudo prospectivo
Fonte: ABCD arq. bras. cir. dig;29(2):112-116tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Background: Once a biliary injury has occurred, repair is done by a hepaticojejunostomy. The most common procedure is to perform a dilatation with balloon with a success of 70 %. Success rates range using biodegradable stents is from 85% to 95%. Biodegradable biliary stents should change the treatment of this complication. Aim: To investigate the use of biodegradable stents in a group of patients with hepaticojejunonostomy strictures. Methods: In a prospective study 16 biodegradable stents were placed in 13 patients with hepaticojejunostomy strictures secondary to bile duct repair of a biliary surgical injury. Average age was 38.7 years (23-67), nine were female and four male. All cases had a percutaneous drainage before at the time of biodegradable stent placement. Results: In one case, temporary haemobilia was present requiring blood transfusion. In another, pain after stent placement required intravenous medication. In the other 11 patients, hospital discharge was the next morning following stent placement. During the patient´s follow-up, none presented symptoms during the first nine months. One patient presented significant alkaline phosphatase elevation and stricture recurrence was confirmed. One case had recurrence of cholangitis 11 months after the stent placement. 84.6% continued asymptomatic with a mean follow-up of 20 months. Conclusion: The placement of biodegradable stents is a safe and feasible technique. Was not observed strictures caused by the stent or its degradation. It could substitute balloon dilation in strictures of hepaticojejunostomy.

RESUMO Racional: Uma vez que lesão biliar ocorreu, o reparo é feito por hepaticojejunostomia. O procedimento mais comum é efetuar dilatação com balão com sucesso de 70%. As taxas de sucesso utilizando stents biodegradáveis ​​é de 85% a 95%. Stents biliares biodegradáveis ​​devem mudar o tratamento desta complicação. Objetivo: Investigar o uso de stents biodegradáveis em um grupo de pacientes com estenose hepaticojejunal Métodos: Em estudo prospectivo 16 stents biodegradáveis ​​foram colocados em 13 pacientes com estenose de hepaticojejunostomia secundárias usados para reparação do ductos biliares de lesão cirúrgica. A média de idade foi de 38,7 anos (23-67), nove pacientes eram homens e quatro mulheres. Todos os casos tiveram drenagem percutânea antes do momento da colocação de stent biodegradável. Resultados: Em um caso, haemobilia temporária estava presente com necessidade de transfusão de sangue. Em outro, dor após a colocação do stent necessitou de medicação intravenosa. Nos outros 11 pacientes, alta hospitalar foi na manhã seguinte após o procedimento. Durante o seguimento, nenhum apresentou sintomas durante os primeiros nove meses. Um paciente apresentou significativa elevação da fosfatase alcalina por recidiva da estenose. Um caso teve recorrência de colangite 11 meses após a colocação do stent. Continuaram assintomáticos 84,6% com média de acompanhamento de 20 meses. Conclusão: A colocação de stents biodegradáveis ​​é técnica segura e viável. Não foram observadas restrições causadas pelo stent ou pela sua degradação. Stent pode substituir dilatação com balão na estenose de hepaticojejunostomia.
Descritores: Complicações Pós-Operatórias/cirurgia
Ductos Biliares/cirurgia
Ductos Biliares/lesões
Ductos Biliares Intra-Hepáticos/cirurgia
Implantes Absorvíveis
Jejuno/cirurgia
-Anastomose Cirúrgica
Procedimentos Cirúrgicos do Sistema Biliar
Stents
Estudos Prospectivos
Constrição Patológica
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 1042 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Alves, Claudia Maria Rodrigues
Texto completo
Id: lil-344681
Autor: Alves, Claudia Maria Rodrigues; Souza, José Augusto Marcondes de.
Título: Procedimentos percutâneos atuais na insuficiência coronária e suas indicações / Percutaneous treatment of coronary artery disease - methods and indications
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;12(2):137-148, Mar-Abr. 2002. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: A angioplastia transluminal percutânea é a forma de revascularização coronária mais empregada em todo o mundo. Isso se deve ao espetacular desenvolvimento tecnológico e farmacológico, aliado à maior experiência dos operadores, que, progressivamente, tornaram o procedimento mais seguro e eficaz. Portanto, espera-se, do cardiologista clínico, conhecimento crítico da literatura e das peculiari- dades de cada forma de dilatação coronária. Neste artigo, após breve revisão das indicações clínicas para angioplastia,discutem-se, resumidamente, as diversas técnicas existentes e suas aplicações específicas. Em especial, salienta-se a superioridade da utilização dos stents em detrimento do uso de balões e técnicas ateroablativas. Dados iniciais da utilização de stents recobertos com drogas antiproliferativas demonstram a virtual eliminação do problema da reestenose, fazendo prever a ampliação de suas indicações para os poucos subgrupos de pacientes atualmente excluídosdo método

Technical developments, better adjunctive pharmacological therapies and operator expertise turned percutaneous coronary angioplasty into the most used modality of coronary revascularization. Currently, the clinical cardiologist is expected to have a critical knowledge of the recent literature data and also to know the differences between the most employed devices in this field. In this paper, clinical indications and different techniques of coronary angioplasty as well as its specifics applications are briefly discussed. The superiority of stents in comparison with other modalities is reinforced. Initial reports of drug eluting stents showing virtual elimination of restenosis can be expected to lead on to broadened clinical applications.
Descritores: Stents
Angioplastia Coronária com Balão/métodos
Revascularização Miocárdica
-Aterectomia Coronária
Reestenose Coronária
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  3 / 1042 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-344682
Autor: Ribeiro, Expedito E; Martinez Filho, Eulógio.
Título: Intervenções percutâneas em pacientes multiarteriais / Percutaneous coronary intervention in patients with multivessel disease
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;12(2):149-159, Mar-Abr. 2002. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Discutimos os resultados dos sete estudos randomizados comparando a angioplastia transluminal coronária e a cirurgia de revascularização miocárdica no tratamento da doença coronária obstrutiva em pacientes multiarteriais. Os resultados demonstram que a mortalidade tardia foi semelhante entre as duas opções de tratamento e que a necessidade de reintervenção foi maior nos pacientes tratados com angioplastia. Os stents coronários foram capazes de reduzir as complicações imediatas e a reestenose coronária pós-angioplastia convencional. Analisamos os dois estudos já publicados, ARTS e ERACI II, comparando-se novamente as duas opções de tratamento. Os stents coronários otimizaram os resultados da angioplastia e reduziram a necessidade de reintervenção nos pacientes tratados percutaneamente. É possível que, no futuro, stents liberadores de drogas, tais como sirolimus e taxol,possam ser utilizados no tratamento desses pacientes, reduzindo ou mesmo abolindo as reintervenções pós-angioplastia...

We reviewed the results of 7 randomized trials, comparing percutaneous transluminal coronary angioplasty vs. coronary artery bypass grafting in the treatment of patients with multivessel coronary heart disease. The results showed no differences in the late mortality, but with more reinterventions in patients treated by percutaneous transluminal coronary angioplasty. The utilization of the coronary stents reduced the acute complications and the restenosis of percutaneous transluminal coronary angioplasty. In the analysis of the two published ARTS and ERACI II trials, we found an important reduction in the need of reinterventions in patients with multivessel disease. In the future the utilization of drug eluting stent with sirolimus or taxol can improve the results of percutaneous transluminal coronary angioplasty and reduce or abolish the need of reinterventions
Descritores: Stents
Doença das Coronárias
Angioplastia com Balão
Revascularização Miocárdica
-Ticlopidina
Sirolimo
Diabetes Mellitus
Reestenose Coronária
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  4 / 1042 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-344683
Autor: Brito Junior, Fábio Sândoli de; Perin, Marco Antonio.
Título: Stents coronários: implante direto "versus" pré-dilatação / Coronary stents: direct stenting versus with predilation
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;12(2):160-170, Mar-Abr. 2002. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Nos últimos anos, tornaram-se disponíveis stents coronários pré-montados, de espessura reduzida, firmemente aderidos à superfície de balões de angioplastia, permitindo o implante da endoprótese metálica sem a pré-dilatação da lesão-alvo (implante direto). Diversos estudos multicêntricos e randomizados demonstraram a viabilidade e a segurança do implante direto em lesões selecionadas, com taxas de sucesso superiores a 90 por cento. A presença de calcificação, detectada pela angiografia, é, seguramente, a maior limitação do implante direto. As lesões suboclusivas não representam impedimento para o implante sem prédilatação. A técnica de implante direto tem como atrativos a possibilidade de redução do tempo de intervenção e de exposição à radiação (principalmente em lesões não comple- xas), além de comprovada redução do consumo de material, melhorando a custo-efetividade do procedimento. Discute-se também a possibilidade de essa técnica interferir positivamente nos resultados imediatos e tardios da intervenção, por reduzir a injúria à parede vascular. Entretanto, diversos estudos clínicos randomizados demonstraram, de forma unânime, a equivalência e não a superioridade dessa técnica em comparação à técnica convencional com pré-dilatação. Atualmente, a maioria dos cardiologistas intervencionistas utiliza o implante direto em mais de 50 por cento dos casos. Acredita-se que, no futuro próximo, essa técnica poderá ser útil em associação com novos dispositivos que se encontram em franca evolução, como os stents revestidos com drogas antiproliferativas...
Descritores: Stents
Angioplastia
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  5 / 1042 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Abizaid, Alexandre Antonio Cunha
Abizaid, Andrea Claudia Leao de Sousa
Texto completo
Id: lil-344684
Autor: Abizaid, Alexandre Antonio Cunha; Abizaid, Andrea Claudia Leão de Sousa; Pinto, Ibraim Masciarelli.
Título: Uso do ultra-som intracoronário como método de avaliação objetiva dos resultados das intervenções percutâneas / The role of intravascular ultrasound in the objective evaluation of the results of percutaneous catheter interventions
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;12(2):171-179, Mar-Abr. 2002. ilus, tab.
Idioma: pt.
Resumo: O ultra-som intracoronário é uma técnica tomográfica invasiva, que permite o estudo "in vivo" da parede vascular normal, dos componentes da placa aterosclerótica e das características quantitativas e qualitativas que envolvem o ateroma. No campo da pesquisa, o ultra-som intracoronário trouxe contribuições incontestes para o melhor conhecimento da doença aterosclerótica e do fenômeno da reestenose. Esta revisão propõe-se a discutir as indicações do ultra-som intracoronário no diagnóstico e durante o tratamento percutâneo da doença coronária. No campo diagnóstico, o ultra-som tem se mostrado bastante útil na avaliação dos diferentes tipos morfológicos de placa aterosclerótica. Sua maior contribuição, no campo terapêutico, tem sido no auxílio ao implante dos stents coronários. A utilização do ultra-som nesse mister permite a perfeita aposição das hastes do stent contra a parede do vaso, assim como sua perfeita expansão, o que potencialmente pode promover a diminuição dos índices de trombose subaguda da endoprótese e de reestenose coronária...
Descritores: Arteriosclerose
Ultrassom
Angiografia
Ultrassonografia
Doença das Coronárias
-Braquiterapia
Stents
Aterectomia
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  6 / 1042 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-344686
Autor: Chaves, Áurea Jacob; Mattos, Luiz Alberto E.
Título: Diabetes e intervenção percutânea / Diabetes and percutaneous coronary intervention
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;12(2):196-204, Mar-Abr. 2002. tab.
Idioma: pt.
Resumo: A doença coronária é a principal causa de óbito nos pacientes com diabetes. Várias anormalidades metabólicas associadas a fatores de risco conhecidos aceleram o aparecimento da doença. A síndrome metabólica tem sido proposta como conceito que unifica as diferentes anormalidades freqüentemente observadas no diabetes tipo 2, como a hiperinsulinemia, a hiperglicemia, a dislipidemia, a hipertensão arterial, a obesidade abdominal e as alterações pró-trombóticas. Apesar dos inúmeros progressos nos últimos anos, a escolha da estratégia de revascularização miocárdica ainda permanece um desafio. Diabéticos submetidos a angioplastia com balão cursam com incidência proibitiva de eventos. Os stents reduziram esses eventos, mas os diabéticos ainda evoluem de forma adversa, comparativamente aos não-diabéticos. A superioridade da cirurgia de revascularização miocárdica no tratamento contemporâneo dos diabéticos ainda não foi definitivamente estabelecida. Os resultados dos estudos que avaliam os stents recobertos com drogas antiproliferativas e o BARI 2, que vai avaliar diferentes métodos de controle da glicemia, estão sendo ansiosamente esperados e talvez possam estabelecer a abordagem ótima nessa população com risco aumentado de eventos cardiovasculares...
Descritores: Stents
Diabetes Mellitus
Angioplastia com Balão
Revascularização Miocárdica
-Braquiterapia
Reestenose Coronária
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  7 / 1042 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-344689
Autor: Feres, Fausto; Staico, Rodolfo; Centemero, Marinella; Sousa, J. Eduardo.
Título: Braquiterapia intracoronária / Intracoronary brachytherapy
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;12(2):245-258, Mar-Abr. 2002. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Dos mecanismos envolvidos na gênese da reestenose após intervenção coronária percutânea, o remodelamento negativo crônico pode ser evitado com o implante de stents. Entretanto, as próteses metálicas exacerbam a proliferação neo-intimal, que persiste como a principal caüsa da reestenose após seu implante. A braquiterapia intracoronária, quebrando a dupla hélice de DNA no ciclo celular, impede a capacidade das células de se replicar, que acabam necrosando durante seu processo de divisão. Em conseqüência disso, há redução da proliferação neointimal após o implante dos stents. Por outro lado, estudos randomizados comparando radiação e placebo ainda não "demonstraram benefício clínico da braquiterapia quando lesões "de novo" (primárias) são tratadas. O grande benefício da braquiterapia intracoronária manifesta-se nos pacientes com reestenose intra-stent. Estes apresentam, na maioria dos estudos, independentemente do tipo de radiação utilizada (gama ou beta), redução significativa dos índices de recorrência da reestenose. Existem algumas complicações da braquiterapia, tais como o efeito de bordas, que ocorrem em conseqüência de doses menores nas extremidades dos locais tratados (falha geográfica), invariavelmente lesados pela ação do balão. Esse efeito pode ser evitado, utilizando-se fontes mais longas. A trombose tardia, em decorrência de endotelização retardada, pode ser combatida com a administração prolongada dos antipla- quetárias e evitando-se o implante de um novo stent, quando se realiza a braquiterapia. A braquiterapia é uma terapêutica segura e eficaz no tratamento da reestenose intra-stent...
Descritores: Braquiterapia
Reestenose Coronária
-Radioterapia
Trombose
Stents
Angioplastia
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  8 / 1042 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-485770
Autor: Cano, Manuel N; Oliveira, Dinaldo C; Kambara, Antonio; Sousa, J. Eduardo.
Título: Intervenção nas artérias carótidas / Intervention in the carotid artery
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;12(2):334-346, Mar-Abr. 2002. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: O acidente vascular cerebral é uma das doenças de maior prevalência nos dias atuais, No Brasil,representa a terceira causa de óbito na população geral. A cirurgia de endarterectomia de carótidas em pacientes portadores de lesão aterosclerótica carotídea tem sido mais eficiente na diminuição do risco de acidente vascular cerebral quando comparada ao tratamento clínico. Os resultados de estudos observacionais e ensaios clínicos revelaram ser otratamento endovascular com implante percutâneo de stent carotídeo seguro e eficaz. Acredita-se que esse procedimento (implante percutâneo de stent carotídeo) represente uma alternativa à cirurgia de endarterectomia de carótidas, principalmente em pacientes considerados de alto risco para a cirurgia. O aperfeiçoamento das endopróteses e dos materiais e a utilização de sistemas de proteção distal têm contribuído substancialmente para a melhoria dos resultados do implante percutâneo de stent carotídeo...
Descritores: Stents
Angioplastia com Balão
Acidente Vascular Cerebral
Endarterectomia das Carótidas
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  9 / 1042 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-485775
Autor: Haddad, Jorge; Lima Filho, Moysés de Oliveira; Figueiredo, Geraldo Luiz de; Carvalho, Sandra Regina Marques.
Título: Tratamento intervencionista da coarctação de aorta / Interventional treatment of aortic coarctation
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;12(2):281-292, Mar-Abr. 2002. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: As indicações e os resultados das intervenções percutâneas na coarctação de aorta são analisados pelos autores no período neonatal e lactância, na infância e adolescência, e na vida adulta. São focalizadas as diferenças entre coarctação nativa (sem intervenção prévia) e recoarctação pós-cirúrgica, e consideradas as técnicas de dilatação por cateter-balão e implantede stents. São revisadas as principais séries publicadas na literatura e a própria experiência, analisando-se os resultados, as complicações imediatas e tardias, assim como os fatores técnicos fundamentais na abordagem das diferentes alterações morfológicas...
Descritores: Angioplastia
Coartação Aórtica
-Stents
Aneurisma Aórtico
Cardiopatias Congênitas
Reestenose Coronária
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt


  10 / 1042 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-485777
Autor: Feres, Fausto; Abizaid, Alexandre; Sousa, Amanda G. M. R; Sousa, J. Eduardo.
Título: Redução da proliferação neo-intimal após o implante de stents revestidos com rapamicina / Intimal hyperplasia inhibition after rapamycin eluting stent implatation
Fonte: Rev. Soc. Cardiol. Estado de Säo Paulo;12(2):259-273, Mar-Abr. 2002. ilus, tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: A reestenose após o implante de stents decorre da hiperplasia neo-intimal. A presente investigação testa a hipótese da redução da hiperplasia intimal após o implante de stents revestidos com uma substância antiproliferativa.O fármaco utilizado para o revestimento do stent Bx Velocity foi a rapamicina, um antibiótico macrolídeo, com propriedades antiproliferativas, por impedir a progressão do ciclo celular. Para testar essa hipótese, comparou-se o volume tecidual crescido intra-stent entre três grupos de 15 pacientes tratados, respectivamente, com stent revestido com rapamicina com liberação rápida (primeiro grupo), stent revestido mas com liberação lenta (segundo grupo) e stent não revestidocom o fármaco (terceiro grupo). As análises do volume de hiperplasia intimal e da perda tardia da luz foram realizadas 12 meses após o procedimento, por meio do ultra-som intracoronário e da angiografia, respectivamente. Os procedimentos foram bem-sucedidos em todos os pacientes, e não ocorreram complicações em qualquer dos grupos. A perda tardia da luz arterial aos 12 meses foi significativamente maior (p menor 0,0001) no grupo dos stents não-revestidos, de 0,91 mm vs. 0,11 mm nos stents revestidos. A reestenose angiográfica foi de 21,4 por cento nos pacientes com stents não-revestidos e não ocorreu nos pacientes com stents revestidos. O volume de hiperplasia intimal foi de 3,2 mm3 nos stents com liberação rápida, de 2,5 mm3 nos stents com liberação lenta e de 42 mm3 nos stents não-revestidos (p menor 0,0001). Concluímos, portanto, que os stents revestidos com rapamicina reduzem substancialmente a proliferação neo-intimal e, conseqüentemente, a reestenose coronária...
Descritores: Stents
Sirolimo
Hiperplasia
Reestenose Coronária
-Trombose
Angiografia
Responsável: BR44.1 - Serviço de Biblioteca, Documentação Científica e Didática Prof. Dr. Luiz Venere Décourt



página 1 de 105 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde