Base de dados : LILACS
Pesquisa : E07.858.442.743.319 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 61 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 7 ir para página                  

  1 / 61 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-720345
Autor: Teixeira, Cibely de Medeiros; Roya, Rafael Ribeiro de; Oliveira, Marcelo Tomás de.
Título: Influência da variação do tempo de polimerização na resistência de união ao cisalhamento em diferentes cimentos para bráquetes ortodônticos / Influence of variation on polymerization time in the shear bond strength for different cements to orthodontic brackets
Fonte: Rev. bras. odontol;69(2):220-223, Jul.-Dez. 2012. ilus, graf, tab.
Idioma: pt.
Resumo: O objetivo foi avaliar a influência do tempo de fotopolimerização na resistência de união ao cisalhamento de diferentes agentes cimentantes. Utilizaram-se 32 pré-molares humanos do banco de dentes da Unisul. Após planificadas as faces vestibulares, cimentaram-se bráquetes ortodônticos (Abzil Standard Edgewise Agile, Abzil3M) utilizando-se para tal: Orthocem (FGM) e Transbond XT(3M) de acordo com as recomendações dos fabricantes, variando-se o tempo de polimerização em 20 e 40 segundos. Aplicando-se a nova one way aos resultados não houve diferença significativa ( p = 0 ,317122). Os cimentos testados apresentaram resultados de resistência de união ao cisalhamento sem diferença entre si. Não se observou influência da variação de tempo entre 20 e 40 segundos sobre a resistência de união ao cisalhamento nos cimentos testados.

This study evaluated the influence of curing time on shear bond strength of different cements activating them in times of 20 and 40s. We used 32 premolars recently extracted embedded in acrylic resin. After had flatted vestibular surface, orthodontics braces (Abzil Standard Edgewise Agile, Abzil3M) were cemented using to that Orthocem (FGM) and Transbond XT(3M) cements as recommended by manufacturers, just variation the polymerization time in 20 a nd 40 seconds. A nova one way showed no differences between groups (p value = 0,317122). The tested cements showed similar results between them. No polymerization time influence could be observed.
Descritores: Braquetes
Cimentos de Resina
Cimentos Dentários
Resistência ao Cisalhamento
Polimerização
Responsável: BR485.1 - Biblioteca Mário Badan


  2 / 61 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-718035
Autor: Paula, Ana Flávia Borges de; Paula, Ana Paula Borges de.
Título: Fricção superficial dos bráquetes autoligados / Surface friction of self-ligated brackets
Fonte: Rev. bras. odontol;69(1):102-106, Jan.-Jun. 2012. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Este trabalho avalia a fricção superficial dos bráquetes autoligados e bráquetes convencionais, suas vantagens e desvantagens. Alguns estudos avaliaram fatores como: os materiais dos fios e dos bráquetes, as condições da superfície dos fios e do encaixe do bráquete, a secção do fio, o torque na interface fio-bráquete, a angulação dos bráquetes, o tipo e a força da ligadura, a salina e as funções bucais. Estes fatores influenciam na fricção tanto dos bráquetes autoligados como dos bráquetes convencionais, porém todos os bráquetes autoligados mostraram valores de fricção inferiores aos dos bráquetes convencionais, tanto no atrito estático como cinético.

The present paper compares the friction surface of self-ligated brackets and conventional brackets, their advantages and disadvantages, based in studies wich evaluates such factors as the materials of wires and brackets, the surface condition of the wires and the brackets fit, the cable section, the torque on the bracket-wire interface, the angle of the brackets and strength of their ligations, the saline and oral functions. These factors influence the friction of both self-ligated brackets and conventional brackets, but all self-bonded brackets showed lower friction values compared to those of conventional brackets in both (static and kinetic) frictions.
Descritores: Ortodontia
Braquetes
Fricção em Ortodontia
Responsável: BR485.1 - Biblioteca Mário Badan


  3 / 61 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-879725
Autor: Gregório, Marcele Carrozza Lage; Barros Junior, Tadeu Vieria de; Toposki, Francielle; Moro, Alexandre; Correr, Gisele Maria.
Título: Efeito de diferentes métodos de remoção de remanescente adesivo na rugosidade superficial do esmalte após descolagem de bráquetes / Effect of different methods of adhesive remaining removal on enamel surface roughness after bracket debonding
Fonte: Ortho Sci., Orthod. sci. pract;10(40):42-46, 2018. graf, tab.
Idioma: pt.
Resumo: O objetivo deste estudo foi comparar diferentes métodos de remoção do remanescente adesivo após a descolagem de bráquetes em relação à rugosidade superficial do esmalte. Trinta pré-molares com superfície lingual íntegra e sem fraturas foram selecionados. Os dentes foram submetidos à profilaxia com pasta de pedra-pomes e água e fixados individualmente com auxílio de uma morsa à bancada de trabalho. A rugosidade superficial de cada espécime foi medida com auxílio de um rugosímetro. Foram efetuadas três leituras em posições diferentes e a média das leituras foi utilizada. Após a leitura inicial os bráquetes foram colados utilizando a resina Transbond XT, de acordo com as instruções do fabricante. Os espécimes foram armazenados em estufa a 37ºC e 100% de umidade por 24hs. Depois os bráquetes foram removidos e os espécimes foram aleatoriamente distribuídos em 3 grupos (n=10) de acordo com o sistema utilizado para remoção do remanescente adesivo: broca multilaminada 12 lâminas (Jet), pontas de óxido de alumínio (DHPRO) e pontas de fibra de vidro (Fiberglass). Uma segunda leitura de rugosidade foi realizada, seguindo os mesmos parâmetros descritos. Em seguida, os espécimes foram submetidos ao polimento com pasta de pedra-pomes e água e uma terceira leitura foi realizada. Os dados foram submetidos à análise estatística (ANOVA p<0,05). Não houve diferença estatística significativa nos valores de rugosidade superficial entre os grupos (p>0,05), independentemente do momento de avaliação. Conclui-se que os métodos avaliados não interferiram na rugosidade superficial do esmalte, sendo seguros para utilização na remoção do remanescente adesivo. (AU)

The objective of this study was to compare different methods of remaining adhesive removal after bracket debonding in relation to enamel surface roughness. Thirty premolars with intact lingual surface without fractures were selected. The teeth were submitted to prophylaxis with pumice paste and water and then set individually with the aid of a vise to the workbench. Surface roughness of each specimen was measured by a roughness meter. Three readings were performed in different positions and readings average was used as the roughness value for each specimen. After the initial reading brackets were bonded using the Transbond XT resin, according to the manufacturer's instructions. The specimens were stored at 37°C and 100% humidity for 24 hours. After the brackets were removed, the specimens were randomly divided into 3 groups (n=10) according to the system used to remove the remaining adhesive (laminated drill ­ Jet, aluminum oxide tips ­ DHPRO and fiberglass tips ­ Fiberglass). A second roughness reading was performed following the same parameters described. Then the specimens were polished with pumice paste and water and a third reading was performed. Data was subjected to statistical analysis (ANOVA p<0.05). No statistically significant differences in surface roughness values was found among the groups (p>0.05), regardless of evaluation time. It can be concluded that the methods evaluated did not affect the enamel surface roughness and are safe for use when removing the remaining adhesive.(AU)
Descritores: Braquetes
Esmalte Dentário
Ortodontia
Responsável: BR243.1 - Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação


  4 / 61 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-875615
Autor: Damiani, Daniel.
Título: Uso rotineiro do colar cervical no politraumatizado. revisão crítica / Routine cervical collar use in polytrauma patients: a critical review
Fonte: Rev. Soc. Bras. Clín. Méd;15(2):131-136, 20170000. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Conforme o conhecimento médico avança, medidas terapêuticas inquestionáveis na medicina de urgências e emergências passaram a ser reconsideradas. O uso do colar cervical no paciente politraumatizado intuitivamente poderia trazer segurança ao paciente, evitando uma possível piora da sua lesão raquimedular. Evidências atuais, no entanto, provam não somente que muitas vezes este dispositivo não traz benefício como agrava lesões intracranianas. Apresentamos aqui uma pesquisa qualitativa e descritiva por meio de revisão narrativa da literatura, trazendo dados recentes quanto à correta indicação para utilização do colar cervical no politraumatizado, apontando também seus malefícios e erros técnicos em sua utilização.(AU)

With the advance of medical knowledge, emergency and urgency medical procedures, once taken for granted, have been modified. Intuitively, the use of a cervical collar in polytrauma patients could be safe for the patient, avoiding a secondary spinal injury. However, recent evidence prove that sometimes this device not only gives no benefit to the patient but also worsen intracranial injuries. This is a qualitative and descriptive research using a narrative review of the literature, and which brings recent data on the correct indication of the cervical collar in the polytrauma patient, showing the harms and technical errors of its use.(AU)
Descritores: Braquetes/estatística & dados numéricos
Serviços Médicos de Emergência
Ferimentos e Lesões
-Traumatismo Múltiplo
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1610.9 - Regional São Paulo


  5 / 61 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-871102
Autor: Freitas, Ana Carolina Carneiro de.
Título: Forças, momentos e coeficiente de atrito em teste de três pontos e em teste de resistência ao deslizamento com braquetes autoligáveis e fios 0.014" utilizando um novo dispositivo / Forces, moments and coefficient of friction in three-bracket bending test and in resistance to sliding test with self-ligating brackets and wires 0.014'' using a new device.
Fonte: São Paulo; s.n; 2016. 241 p. ilus, tab. (BR).
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Odontologia para obtenção do grau de Doutor.
Símbolo: BR.
Resumo: O objetivo principal do estudo é comparar o teste em 3 pontos com braquetes com o teste de resistência ao deslizamento utilizando um novo dispositivo que realiza a mensuração simultânea do coeficiente de atrito, das forças e dos momentos nos braquetes de ancoragem e da força de desativação no braquete desalinhado, exercidos por fios ortodônticos. Os objetivos secundários foram desenvolver o dispositivo e comparar, no teste em 3 pontos: (i) a influência, nas grandezas e no coeficiente de atrito cinético, da variação da simetria nas distâncias inter-braquetes, do tipo de braquete de ancoragem (canino ou 2º pré-molar), do deslocamento (3 ou 5mm) do braquete central, do sentido do desalinhamento (vestibular ou lingual) do braquete central e da marca de fio-braquete; (ii) as 3 formas de cálculo do coeficiente de atrito cinético; (iii) os 10 ciclos, para vestibular ou lingual, para verificar se eles são semelhantes ou não entre si. Foram utilizados braquetes autoligáveis (dentes 13, 14 e 15) e fios 0.014'' NiTi e CuNiTi das marcas Aditek e Ormco. O teste de resistência ao deslizamento foi realizado no desalinhamento lingual, nos dois deslocamentos e na configuração simétrica. O teste em 3 pontos com braquetes foi realizado no desalinhamento lingual e vestibular, nos dois deslocamentos e na configuração simétrica e assimétrica. Por meio da ANOVA, foram comparados, entre os dois tipos de teste: (A) as grandezas e o coeficiente de atrito e (B) o coeficiente de atrito gerado apenas no braquete de 2º pré-molar. Utilizando-se do mesmo teste estatístico foram comparados, no teste em 3 pontos com braquetes: (A) na configuração...

The main objective of the study is to compare the three-bracket bending test with the resistance to sliding test using a new device that performs simultaneous measurement of coefficient of friction, the forces and moments on the anchor brackets and deactivation force in misaligned bracket, exercised by orthodontic wires. Secondary objectives were to develop the device and compare, in the three-bracket bending test: (i) the influence, on the physical quantities and on the kinetic friction coefficient, of the variation of the symmetry in the inter-bracket distance, of the type of anchor bracket (canine or 2nd premolar), of displacement (3 or 5mm) and misalignment (buccal or lingual) of the central bracket, and of the wire and bracket brand; (ii) the three ways to calculate the coefficient of kinetic friction; (iii) the 10 cycles, for buccal or lingual, to see if they are similar or not. Self-ligating brackets were used (teeth 13, 14 and 15) and wires 0.014 '' NiTi and CuNiTi of Aditek and Ormco brands. The resistance to sliding test was conducted on the lingual misalignment, on both displacements and on symmetrical configuration. The three-bracket bending test was held at the lingual and vestibular misalignment, at both displacements and at the symmetrical and asymmetrical configuration. Through ANOVA, were compared, between the two types of tests: (A) the quantities and the coefficient of friction and (B) the coefficient of friction generated only in the second premolar bracket. Using the same statistical test were compared, in three-bracket bending test: (A) in symmetrical configuration, the quantities and the coefficient of friction arising from the variation in the wire and bracket brands, displacement, misalignment and the type of bracket; (B) the quantities...
Descritores: Braquetes
Fios Ortodônticos
Habilidades para Realização de Testes/métodos
Limites: Humanos
Responsável: BR97.1 - Serviço de Documentação Odontológica


  6 / 61 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-867906
Autor: Freitas, Ana Carolina Carneiro de.
Título: Forças, momentos e coeficiente de atrito em teste de três pontos e em teste de resistência ao deslizamento com braquetes autoligáveis e fios 0.014" utilizando um novo dispositivo / Forces, moments and coefficient of friction in three-bracket bending test and in resistance to sliding test with self-ligating brackets and wires 0.014'' using a new device.
Fonte: São Paulo; s.n; 2016. 241 p. ilus, tab. (BR).
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade de São Paulo. Faculdade de Odontologia para obtenção do grau de Doutor.
Símbolo: BR.
Resumo: O objetivo principal do estudo é comparar o teste em 3 pontos com braquetes com o teste de resistência ao deslizamento utilizando um novo dispositivo que realiza a mensuração simultânea do coeficiente de atrito, das forças e dos momentos nos braquetes de ancoragem e da força de desativação no braquete desalinhado, exercidos por fios ortodônticos. Os objetivos secundários foram desenvolver o dispositivo e comparar, no teste em 3 pontos: (i) a influência, nas grandezas e no coeficiente de atrito cinético, da variação da simetria nas distâncias inter-braquetes, do tipo de braquete de ancoragem (canino ou 2º pré-molar), do deslocamento (3 ou 5mm) do braquete central, do sentido do desalinhamento (vestibular ou lingual) do braquete central e da marca de fio-braquete; (ii) as 3 formas de cálculo do coeficiente de atrito cinético; (iii) os 10 ciclos, para vestibular ou lingual, para verificar se eles são semelhantes ou não entre si. Foram utilizados braquetes autoligáveis (dentes 13, 14 e 15) e fios 0.014'' NiTi e CuNiTi das marcas Aditek e Ormco. O teste de resistência ao deslizamento foi realizado no desalinhamento lingual, nos dois deslocamentos e na configuração simétrica. O teste em 3 pontos com braquetes foi realizado no desalinhamento lingual e vestibular, nos dois deslocamentos e na configuração simétrica e assimétrica. Por meio da ANOVA, foram comparados, entre os dois tipos de teste: (A) as grandezas e o coeficiente de atrito e (B) o coeficiente de atrito gerado apenas no braquete de 2º pré-molar. Utilizando-se do mesmo teste estatístico foram comparados, no teste em 3 pontos com braquetes: (A) na configuração

simétrica, algumas grandezas e o coeficiente de atrito advindos da variação da marca de fio-braquete, do deslocamento, do desalinhamento e do tipo de braquete; (B) algumas grandezas e o coeficiente de atrito gerados na configuração simétrica e assimétrica; (C) os valores das 3 formas de cálculo do coeficiente de atrito na configuração simétrica; e (D) algumas grandezas e o coeficiente de atrito encontrados nos 10 ciclos. Resultados: (A) a maioria dos valores das grandezas e do coeficiente de atrito gerados pelos dois tipos de teste foram diferentes estatisticamente; (B) o braquete de 2º pré-molar apresentou valores de coeficiente de atrito diferentes entre os dois tipos de teste; (C) na configuração simétrica, as variáveis foram estatisticamente significantes na maioria dos casos para as grandezas analisadas e para o coeficiente de atrito; (D) houve diferença entre a configuração simétrica e assimétrica; (E) o coeficiente de atrito baseado nas duas normais e na força de atrito se aproximou mais da realidade clínica e foi sensível à variação da geometria da relação fio-braquete; e (F) os 10 ciclos para lingual foram semelhantes entre si em 70% dos casos e os 10 ciclos para vestibular foram diferentes em 57% dos casos. Conclusões: o teste em 3 pontos com braquetes é diferente do teste de resistência ao deslizamento; a variação das configurações geométricas e da marca de fio-braquete pode influenciar nos valores das grandezas e do coeficiente de atrito cinético; os 10 ciclos para lingual foram mais semelhantes entre si que os 10 ciclos para vestibular.

The main objective of the study is to compare the three-bracket bending test with the resistance to sliding test using a new device that performs simultaneous measurement of coefficient of friction, the forces and moments on the anchor brackets and deactivation force in misaligned bracket, exercised by orthodontic wires. Secondary objectives were to develop the device and compare, in the three-bracket bending test: (i) the influence, on the physical quantities and on the kinetic friction coefficient, of the variation of the symmetry in the inter-bracket distance, of the type of anchor bracket (canine or 2nd premolar), of displacement (3 or 5mm) and misalignment (buccal or lingual) of the central bracket, and of the wire and bracket brand; (ii) the three ways to calculate the coefficient of kinetic friction; (iii) the 10 cycles, for buccal or lingual, to see if they are similar or not. Self-ligating brackets were used (teeth 13, 14 and 15) and wires 0.014 '' NiTi and CuNiTi of Aditek and Ormco brands. The resistance to sliding test was conducted on the lingual misalignment, on both displacements and on symmetrical configuration. The three-bracket bending test was held at the lingual and vestibular misalignment, at both displacements and at the symmetrical and asymmetrical configuration. Through ANOVA, were compared, between the two types of tests: (A) the quantities and the coefficient of friction and (B) the coefficient of friction generated only in the second premolar bracket. Using the same statistical test were compared, in three-bracket bending test: (A) in symmetrical configuration, the quantities and the coefficient of friction arising from the variation in the wire and bracket brands, displacement, misalignment and the type of bracket; (B) the quantities

and the coefficient of friction generated by the symmetric and asymmetric configuration; (C) the values of the three ways of calculating friction coefficient; and (D) the quantities and the coefficient of friction encountered in 10 cycles. Results: (A) most of the values of the quantities and the coefficient of friction generated by the two types of test were statistically different; (B) the 2nd premolar bracket showed different friction coefficient values between the two types of test; (C) in the symmetrical configuration, the variables were statistically significant in the most of cases for quantities and the friction coefficient; (D) was found difference between symmetric and asymmetric configuration; (E) the friction coefficient based on both normal forces and frictional force was closer to the clinical reality and was ...
Descritores: Braquetes
Fios Ortodônticos
Habilidades para Realização de Testes/métodos
Responsável: BR97.1 - Serviço de Documentação Odontológica
BR97.1; T5.063


  7 / 61 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Silva, Paulo César Gomes
Id: biblio-863740
Autor: Silva, Paulo César Gomes.
Título: Estudo in vitro da colagem de braquetes sobre o esmalte dental humano: utilizando LEDs como fonte de luz - Análise comparativa com a luz halógena / An in vitro bonding bracket study in the human dental enamel, using LEDs as light source - comparative analysis with the halogen light.
Fonte: Araraquara; s.n; 2003. 197 p.
Idioma: pt.
Tese: Apresentada a Universidade Estadual Paulista. Faculdade de Odontologia de Araraquara para obtenção do grau de Doutor.
Descritores:
Braquetes
Esmalte Dentário
Responsável: BR39.2 - Biblioteca Professora Maria Dilma de Oliveira Gonçalves
BR39.2, S586e


  8 / 61 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-854569
Autor: Cruz, Mauro Cesar Alvares.
Título: Colagem de braquetes: cartão de montagem universal e preparação de aparelhos ortodônticos / Bonding of brackets: universal assembly card and preparation of orthodontic appliances
Fonte: RGO (Porto Alegre);36(6):415-8, nov.-dez. 1988. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Após longos anos de pesquisas clínicas com técnicas de colagem de braquetes, concluimos ser a preparação antecipada dos braquetes um fator importante no sucesso das colagens. Desenvolvemos para tanto um acessório que auxilia eficientemente, e com exatidão, este procedimento, ao mesmo tempo que organiza o fluxo de aparelhos novos no consultório. É apresentado um cartão de montagem universal para os aparelhos fixos com os braquetes, auxiliares e respectivos arcos é analisada suas vantagens e forma de utilização
Descritores: AMARRIAS DENTARIAS
Braquetes
Aparelhos Ortodônticos
Tipo de Publ: Artigo de Revista
Responsável: BR97.1 - Serviço de Documentação Odontológica


  9 / 61 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Id: biblio-853037
Autor: Caponi, Giuseppe.
Título: Braquete Tip-Edge e a técnica diferencial "Straight-Arch" / The Tip-Edge bracket and the diferential technique \"Straight-Arch\"
Fonte: Ortodontia;25(1):37-40, jan.-abr. 1992. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: A técnica Tip-Edge foi projetada com o objetivo de superar os problemas de movimentação dentária inerentes A mecânicas convencionais de Edgewise e Begg. O braquete Tip-Edge proporciona graus de controle dentário que não eram disponíveis no braquete tipo Edgewise. O controle estende-se desde um ponto único de contato e distância interbraquete de 100//com um arco redondo, até o controle pré-determinado tridimensional com arco retangular e anel Tip-Edge. Também oferece vantagens sobre os braquetes de arco cinta (Begg), pela facilidade de manuseio proporcionada pelos slots posicionados horizontalmente mais a limitação pré-determinada de inclinação da coroa e o controle de verticalização final da raiz
Descritores: Braquetes
Técnicas de Movimentação Dentária/instrumentação
Aparelhos Ortodônticos
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR97.1 - Serviço de Documentação Odontológica


  10 / 61 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Mendonça, Marcos Rogério de
Id: biblio-853026
Autor: Bertoz, Francisco Antonio; Komatsu, Jorge; Okida, Ricardo Coelho; Mendonça, Marcos Rogério de.
Título: Ionômero de vidro como meio cimentante de braquetes: estudo clínico / Glass ionomer used in brackets cementation: clinical study
Fonte: Ortodontia;24(1):41-3, jan.-abr. 1991. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Os autores analisaram o comportamento clínico de braquetes cimentados com cimento de ionômero de vidro (Shofu I). Para tanto, utilizaram 80 braquetes cimentados com ionômero de vidro, manipulado de acordo com as instruções do fabricante e que foram observados por um período de até 18 meses. O objetivo foi verificar a eficiência de colagem deste material, bem como analisar sua capacidade de evitar o aparecimento de manchas de descalcificação do esmalte, comumente observadas ao redor da área de cimentação dos braquetes com resina composta
Descritores: Braquetes
Cimentos de Ionômeros de Vidro/química
Má Oclusão Classe I de Angle
Limites: Humanos
Adolescente
Tipo de Publ: Artigo de Revista
Responsável: BR97.1 - Serviço de Documentação Odontológica



página 1 de 7 ir para página                  
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde