Base de dados : LILACS
Pesquisa : E07.926 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 46 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 5 ir para página              

  1 / 46 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-773483
Autor: Reis Júnior, Almiro dos; Quinto, Denise.
Título: Digital block with or without the addition of epinephrine in the anesthetic solution / Bloqueios em dedos de mãos com epinefrina incluída ou não nas soluções anestésicas
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(1):63-71, Jan.-Feb. 2016. graf.
Idioma: pt.
Resumo: BACKGROUND AND OBJECTIVES: Review of various techniques for digital blocks with local anesthetic, with or without epinephrine. CONTENTS: Description of various procedures and comparison of results reported in the literature, mainly on latency and quality of anesthesia, details on vasoconstrictor effect of epinephrine, intraoperative bleeding, necessity of tourniquet use, duration of anesthesia and postoperative analgesia, blood flow and digital SpO2 behavior, local and systemic complications, and also approaches and drugs to be used in certain situations of ischemia. CONCLUSIONS: The advantages of adding epinephrine to the anesthetic solution are minor when compared to the risks of the procedure, and it seems dangerous to use a vasoconstrictor in the fingers, unless the safety of the technique and the possibility of discarding the tourniquet are definitely proven.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Revisão das diversas técnicas para bloqueios em dedos de mãos, com anestésico local associado ou não à epinefrina. CONTEÚDO: São descritos os procedimentos usados e comparados os resultados obtidos na literatura, principalmente em relação a: latência e qualidade da anestesia, detalhes sobre o efeito vasoconstritor da epinefrina, sangramento intraoperatório, necessidade ou não do uso de torniquete, duração da anestesia e da analgesia pós-operatórias, comportamento do fluxo arterial e da SpO2 digitais, complicações locais e sistêmicas e, ainda, condutas e medicamentos a serem usados em determinadas situações de isquemia. CONCLUSÕES: As vantagens da inclusão de epinefrina na solução anestésica são de pouca importância quando comparadas aos riscos do procedimento e parece perigoso usar o vasoconstritor em dedos de mão, a não ser que fiquem definitivamente comprovadas a inocuidade da técnica e a possibilidade do descarte do torniquete.
Descritores: Epinefrina/administração & dosagem
Anestésicos Locais/administração & dosagem
Bloqueio Nervoso/métodos
-Torniquetes/estatística & dados numéricos
Vasoconstritores/administração & dosagem
Vasoconstritores/efeitos adversos
Epinefrina/efeitos adversos
Perda Sanguínea Cirúrgica
Dedos
Anestésicos Locais/efeitos adversos
Bloqueio Nervoso/efeitos adversos
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 46 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: lil-773490
Autor: Çelik, Hande; Abdullayev, Ruslan; Akçaboy, Erkan Y; Baydar, Mustafa; Gögüs, Nermin.
Título: Comparison of tramadol and lornoxicam in intravenous regional anesthesia: a randomized controlled trial / Comparação de tramadol e lornoxicam em anestesia regional por via intravenosa, um estudo randomizado e controlado
Fonte: Rev. bras. anestesiol;66(1):44-49, Jan.-Feb. 2016. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: BACKGROUND AND OBJECTIVES: Tourniquet pain is one of the major obstacles for intravenous regional anesthesia. We aimed to compare tramadol and lornoxicam used in intravenous regional anesthesia as regards their effects on the quality of anesthesia, tourniquet pain and postoperative pain as well. METHODS: After the ethics committee approval 51 patients of ASA physical status I-II aged 18-65 years were enrolled. The patients were divided into three groups. Group P (n = 17) received 3 mg/kg 0.5% prilocaine; group PT (n = 17) 3 mg/kg 0.5% prilocaine + 2 mL (100 mg) tramadol and group PL (n = 17) 3 mg/kg 0.5% prilocaine + 2 mL (8 mg) lornoxicam for intravenous regional anesthesia. Sensory and motor block onset and recovery times were noted, as well as tourniquet pains and postoperative analgesic consumptions. RESULTS: Sensory block onset times in the groups PT and PL were shorter, whereas the corresponding recovery times were longer than those in the group P. Motor block onset times in the groups PT and PL were shorter than that in the group P, whereas recovery time in the group PL was longer than those in the groups P and PT. Tourniquet pain onset time was shortest in the group P and longest in the group PL. There was no difference regarding tourniquet pain among the groups. Group PL displayed the lowest analgesic consumption postoperatively. CONCLUSION: Adding tramadol and lornoxicam to prilocaine for intravenous regional anesthesia produces favorable effects on sensory and motor blockade. Postoperative analgesic consumption can be decreased by adding tramadol and lornoxicam to prilocaine in intravenous regional anesthesia.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A dor relacionada ao torniquete é um dos maiores obstáculos para a anestesia regional intravenosa (ARIV). Nosso objetivo foi comparar tramadol e lornoxicam usados em ARIV em relação aos seus efeitos sobre a qualidade da anestesia, dor relacionada ao torniquete e dor no pós-operatório. MÉTODOS: Após a aprovação do Comitê de Ética, 51 pacientes com estado físico ASA I-II entre 18-65 anos foram inscritos. Os pacientes foram divididos em três grupos. Grupo P (n = 17) recebeu 3 mg/kg de prilocaína a 0,5%; Grupo PT (n = 17) 3 mg/kg de prilocaína a 0,5% + 2 mL (100 mg) de tramadol e Grupo PL (n = 17) de 3 mg/kg de prilocaína a 0,5% + 2 mL (8 mg) de lornoxicam para ARIV. O início do bloqueio sensorial e motor e os tempos de recuperação foram registrados, bem como a dor relacionada ao torniquete e o consumo de analgésico no pós-operatório. RESULTADOS: Os tempos de início do bloqueio sensorial foram mais curtos nos grupos PT e PL, enquanto que os tempos de recuperação correspondentes foram mais longos do que os do Grupo P. Os tempos de início do bloqueio motor nos grupos PT e PL foram menores do que no Grupo P, enquanto que o tempo de recuperação do grupo PL foi maior do que os dos grupos P e PT. O tempo para início da dor relacionada ao torniquete foi menor no Grupo P e maior no Grupo PL. Não houve diferença em relação à dor relacionada ao torniquete entre os grupos. O Grupo PL apresentou o menor consumo de analgésicos no pós-operatório. CONCLUSÃO: A adição de tramadol e lornoxicam à prilocaína para ARIV produz efeitos favoráveis sobre o bloqueio sensorial e motor. O consumo de analgésicos no pós-operatório pode ser reduzido com a adição de tramadol e lornoxicam à prilocaína em ARIV.
Descritores: Dor Pós-Operatória/prevenção & controle
Torniquetes/efeitos adversos
Tramadol/administração & dosagem
Piroxicam/análogos & derivados
Anestesia por Condução/métodos
-Dor/etnologia
Dor/prevenção & controle
Prilocaína/administração & dosagem
Período de Recuperação da Anestesia
Piroxicam/administração & dosagem
Anestésicos Intravenosos/administração & dosagem
Analgésicos/administração & dosagem
Analgésicos Opioides/administração & dosagem
Anestésicos Locais/administração & dosagem
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Idoso
Adulto Jovem
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 46 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-843351
Autor: Oncul, Sema; Karabiyik, Lale; Coskun, Erdem; Kadioglu, Ela; Gulbahar, Ozlem.
Título: Comparisons of the effects of the sevoflurane and propofol on acute ischemia reperfusion and DNA damages in rabbits / Comparações dos efeitos de sevoflurano e propofol sobre isquemia-reperfusão aguda e danos ao DNA em coelhos
Fonte: Rev. bras. anestesiol;67(1):35-41, Jan.-Feb. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Background and objectives: The aim of this study was to compare the effects of sevoflurane and propofol anesthesia on oxidative DNA damage that occurs in low-extremity ischemia and is caused by tourniquet application. Methods: Fourteen New Zealand rabbits were randomly allocated into two equal groups. Group S (n = 7) received sevoflurane (2.5-4 percent) inhalation and Group P (n = 7) received a propofol infusion (1-2 mg·kg-1·min-1), after which a pneumatic tourniquet was placed on the right lower extremity. Blood samples were collected prior to tourniquet placement (baseline), 120 min after ischemia, 15 min after ischemia and 120 minutes (min) after ischemia. Malondialdehyde (MDA) levels were analyzed to determine lipid peroxidation, and single cell gel electrophoresis (SCGE) was used to determine DNA damage. Results: At 15 min after ischemia, the MDA levels in Group P (8.15 ± 2.61 µM) were higher than baseline (6.26 ± 3.19 µM, p = 0.026) and Group S (4.98 ± 0.77 µM, p = 0.01). DNA damage was similar in both groups, although DNA damage was higher than baseline (tail moment 0.63 ± 0.27, tail intensity 3.76 ± 1.26) in Group P at the 15th minute of reperfusion (tail moment 1.05 ± 0.45, p = 0.06; tail intensity 5.33 ± 1.56, p = 0.01). The increase in tail moment and tail intensity returned to normal levels in both groups 2 hours after the termination of ischemia. Conclusion: Given that oxidative stress and genotoxic effect disappear in the late stages of reperfusion, we conclude that neither sevoflurane nor propofol can be considered superior to the other in anesthesia practices for extremity surgeries involving the use of a tourniquet.

Resumo Justificativa e objetivos: Comparar os efeitos da anestesia com sevoflurano e propofol sobre o dano oxidativo ao DNA que ocorre na isquemia de extremidade inferior e é causada pela aplicação de torniquete. Métodos: Foram alocados aleatoriamente em dois grupos iguais 14 coelhos da raça Nova Zelândia. Grupo S (n = 7) recebeu inalação de sevoflurano (2,5-4%) e Grupo P (n = 7) recebeu perfusão de propofol (1-2 mg·kg-1·min-1), logo após um torniquete pneumático foi colocado na extremidade inferior direita. Amostras de sangue foram coletadas antes da colocação do torniquete (fase basal), após 120 minutos de isquemia, 15 minutos após a isquemia e 120 minutos após a isquemia. Os níveis de malondialdeído (MDA) foram analisados para determinar a peroxidação de lipídios e eletroforese em gel de célula única (EGCU) foi usada para determinar o dano ao DNA. Resultados: Aos 15 minutos após a isquemia, os níveis de MDA no Grupo P (8,15 ± 2,61 µM) foram superiores aos da fase basal (6,26 ± 3,19 µM, p = 0,026) e dp Grupo S (4,98 ± 0,77 µM, p = 0,01). O dano causado ao DNA foi semelhante nos dois grupos, embora tenha sido maior do que na fase basal (momento da cauda 0,63 ± 0,27, intensidade da cauda 3,76 ± 1,26) no Grupo P no 15 minutos de reperfusão (momento da cauda 1,05 ± 0,45, p = 0,06; intensidade da cauda 5,33 ± 1,56, p = 0,01). O aumento no momento da cauda e a intensidade da cauda voltaram aos níveis normais nos dois grupos duas horas após o término da isquemia. Conclusão: Como o estresse oxidativo e o efeito genotóxico desaparecem nos estágios finais da reperfusão, concluímos que não há superioridade tanto de sevoflurano quanto de propofol em práticas de anestesia para procedimentos cirúrgicos de extremidades que envolvem o uso de torniquete.
Descritores: Dano ao DNA/efeitos dos fármacos
Propofol/farmacologia
Anestésicos Intravenosos/farmacologia
Anestésicos Inalatórios/farmacologia
Éteres Metílicos/farmacologia
-Coelhos
Torniquetes/efeitos adversos
Traumatismo por Reperfusão
Distribuição Aleatória
Doença Aguda
Estresse Oxidativo/efeitos dos fármacos
Ensaio Cometa
Sevoflurano
Malondialdeído/metabolismo
Limites: Animais
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 46 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-843368
Autor: Küçükebe, Ömer Burak; Özzeybek, Deniz; Abdullayev, Ruslan; Ustaoğlu, Adil; Tekmen, Işıl; Küme, Tuncay.
Título: Effect of dexmedetomidine on acute lung injury in experimental ischemia-reperfusion model / Efeito de dexmedetomidina sobre lesão pulmonar aguda em modelo experimental de isquemia-reperfusão
Fonte: Rev. bras. anestesiol;67(2):139-146, Mar.-Apr. 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Purpose: Ischemia-reperfusion injury is one of the consequences of tourniquet application for extremity surgery. The aim of the study was to establish the effect of dexmedetomidine on the acute lung injury following lower extremity experimental ischemia-reperfusion model in rats. Methods: Twenty-eight Wistar-Albino breed Rats were recruited after Ethics Committee approval and allocated into 4 groups, each with 7 subjects. Group 1 (SHAM) received only anesthesia. Group 2 (IR) had experienced 3 h of ischemia and 3 h of reperfusion using left lower extremity tourniquet after anesthesia application. Groups 3 (D-50) and 4 (D-100) had undergone the same procedures as in the Group 2, except for receiving 50 and 100 mg·kg-1, respectively, dexmedetomidine intraperitoneally 1 h before the tourniquet release. Blood samples were obtained for the analysis of tumor necrosing factor-α and interleukin-6. Pulmonary tissue samples were obtained for histological analysis. Results: No significant difference regarding blood tumor necrosing factor-α and interleukin-6 values was found among the groups, whereas pulmonary tissue injury scores revealed significant difference. Histological scores obtained from the Group 2 were significantly higher from those in the Groups 1, 3 and 4 with p-values 0.001 for each comparison. Moreover, Group 1 scores were found to be significantly lower than those in the Groups 3 and 4 with p-values 0.001 and 0.011, respectively. No significant difference was observed between the Groups 3 and 4. Conclusion: Dexmedetomidine is effective in reduction of the experimental ischemia-reperfusion induced pulmonary tissue injury in rats, formed by extremity tourniquet application.

Resumo Objetivo: A lesão de isquemia-reperfusão é uma das consequências da aplicação do torniquete em cirurgias de extremidades. O objetivo do estudo foi determinar o efeito de dexmedetomidina em lesão pulmonar aguda após modelo experimental de isquemia-reperfusão em extremidade inferior de ratos. Métodos: Vinte e oito ratos albinos Wistar foram recrutados após aprovação do Comitê de Ética e alocados em quatro grupos, cada um com sete indivíduos. O Grupo 1 (Sham) recebeu apenas anestesia. O Grupo 2 (IR) foi submetido a 3 horas de isquemia e 3 horas de reperfusão com o uso de torniquete em extremidade inferior após a aplicação da anestesia. Os grupos 3 (D-50) e 4 (D-100) foram submetidos aos mesmos procedimentos do Grupo 2, exceto por receberem 50 e 100 mg.kg-1 de dexmedetomidina, respectivamente, por via intraperitoneal uma hora antes da liberação do torniquete. Amostras de sangue foram coletadas para análise de TNF-α e Interleucina-6 (IL-6). Amostras de tecido pulmonar foram coletadas para análise histológica. Resultados: Não houve diferença significativa quanto aos valores sanguíneos de TNF-α e IL-6 entre os grupos, enquanto os escores de lesão em tecidos pulmonares revelaram diferença significativa. Os escores histológicos obtidos no Grupo 2 foram significativamente maiores do que os dos grupos 1, 3 e 4, com valores-p de 0,001 para cada comparação. Além disso, os escores do Grupo 1 foram significativamente menores do que os dos grupos 3 e 4, com valores-p de 0,001 e 0,011, respectivamente. Não houve diferença significativa entre os grupos 3 e 4. Conclusão: Dexmedetomidina mostrou eficácia na redução de lesão em tecido pulmonar induzida por isquemia-reperfusão experimental em ratos, ocasionada por aplicação de torniquete em extremidade.
Descritores: Traumatismo por Reperfusão/tratamento farmacológico
Dexmedetomidina/farmacologia
Lesão Pulmonar Aguda/prevenção & controle
Agonistas de Receptores Adrenérgicos alfa 2/farmacologia
-Torniquetes/efeitos adversos
Traumatismo por Reperfusão/complicações
Interleucina-6/sangue
Fator de Necrose Tumoral alfa/sangue
Ratos Wistar
Dexmedetomidina/administração & dosagem
Extremidade Inferior/irrigação sanguínea
Modelos Animais de Doenças
Relação Dose-Resposta a Droga
Agonistas de Receptores Adrenérgicos alfa 2/administração & dosagem
Limites: Animais
Feminino
Ratos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 46 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-843393
Autor: Omer, Karaca; Nermin, Gogus; Ali, Ahiskalioglu; Mehmet, Aksoy; Unal, Dogus; Sezen, Kumas Solak; Hakan, Kalafat.
Título: Tourniquet-induced ischaemia-reperfusion injury: the comparison of antioxidative effects of small-dose propofol and ketamine / Lesão de isquemia-reperfusão induzida por torniquete: comparação dos efeitos antioxidantes de propofol e cetamina em doses baixas
Fonte: Rev. bras. anestesiol;67(3):246-250, Mar.-June 2017. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Objectives: The aim of the present study was to investigate the preventive effects of propofol and ketamine as small dose sedation during spinal anaesthesia on tourniquet-induced ischaemia-reperfusion injury. Methods: 30 patients were randomly assigned into two groups of 15 patients. In the propofol group, sedation was performed with propofol 0.2 mg·kg-1 followed by infusion at a rate of 2 mg·kg-1·h-1. In the ketamine group, a continuous infusion of ketamine 0.5 mg·kg-1·h-1 was used until the end of surgery. Intravenous administration of midazolam was not used in any patients. Ramsay sedation scale was used for assessing the sedation level. Venous blood samples were obtained before propofol and ketamine infusion (T1), at 30 minutes (min) of tourniquet ischaemia (T2), and 5 min after tourniquet deflation (T3) for malondialdehyde (MDA) measurements. Results: No differences were noted between the groups in haemodynamic (p > 0.05) and demographic data (p > 0.05). There was no statistically significant difference between the two groups in terms of T1, T2 and T3 periods (p > 0.05). There was a statistically increase observed in MDA values respectively both in Group P and Group K between the reperfusion period (1.95 ± 0.59, 2.31 ± 0.48) and pre-ischaemia (1.41 ± 0.38, 1.54 ± 0.45), and ischaemia (1.76 ± 0.70, 1.71 ± 0.38) (µmoL-1) periods (p < 0.05). Conclusions: Small-dose propofol and ketamine has similar potential to reduce the oxidative stress caused by tourniquet-induced ischaemia-reperfusion injury in patients undergoing arthroscopic knee surgery under spinal anaesthesia.

Resumo Objetivos: O objetivo do presente estudo foi investigar os efeitos preventivos de propofol e cetamina em sedação com doses baixas durante a raquianestesia sobre lesão de isquemia-reperfusão induzida por torniquete. Métodos: 30 pacientes foram randomicamente alocados em dois grupos de 15 pacientes cada. No grupo propofol, a sedação foi feita com 0,2 mg.kg-1 de propofol seguida por infusão a uma taxa de 2 mg.kg-1.h-1. No grupo cetamina, uma infusão contínua de 0,5 mg.kg-1.h-1 de cetamina foi usada até o final da cirurgia. Midazolam intravenoso não foi administrado em nenhum dos pacientes. A Escala de Sedação de Ramsay (ESR) foi usada para avaliar o nível de sedação. Amostras de sangue venoso foram colhidas antes da administração de propofol e infusão de cetamina (T1), aos 30 minutos (min) de isquemia do torniquete (T2) e 5 min após a desinsuflação do torniquete (T3), para medir os valores de malondialdeído (MDA). Resultados: Não observamos diferenças entre os grupos em relação à hemodinâmica (p > 0,05) e dados demográficos (p > 0,05). Não houve diferença estatisticamente significativa entre os dois grupos nos períodos T1, T2 e T3 (p > 0,05). Um aumento estatisticamente significativo foi observado nos valores de MDA, respectivamente, no Grupo P e Grupo C entre os períodos de reperfusão (1,95 ± 0,59, 2,31 ± 0,48) e pré-isquemia (1,41 ± 0,38, 1,54 ± 0,45) e isquemia (1,76 ± 0,70, 1,71 ± 0,38) (µmoL-1) (p < 0,05). Conclusões: Propofol e cetamina em doses baixas apresentam potencial semelhante para reduzir o estresse oxidativo causado pela lesão de isquemia-reperfusão induzida por torniquete em pacientes submetidos à artroscopia de joelho sob raquianestesia.
Descritores: Torniquetes/efeitos adversos
Traumatismo por Reperfusão/etiologia
Traumatismo por Reperfusão/prevenção & controle
Propofol/administração & dosagem
Hipnóticos e Sedativos/administração & dosagem
Ketamina/administração & dosagem
Raquianestesia/métodos
Anestésicos Dissociativos/administração & dosagem
Antioxidantes/administração & dosagem
-Estudos Prospectivos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Ensaio Clínico Controlado Aleatório
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 46 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-980301
Autor: Caicedo, J; Estrada, AF; Zuluaga, M.
Título: Trauma vascular en extremidades: enfoque diagnóstico y terapéutico en urgencias / Extremity vascular trauma: Diagnostic and therapeutic approach in emergencies / Trauma vascular em extremidades: enfoque diagnóstico e terapêutico em urgências
Fonte: Med. U.P.B = Med. UPB;38(1):57-66, 13 de febrero de 2019. tab, Ilus.
Idioma: es.
Resumo: El trauma vascular en las extremidades es una causa importante de mortalidad y morbilidad. Por su fisiopatología se conoce que esta lesión puede tener efectos sistémicos ocasionados por el choque hemorrágico, y efectos locales debido a la isquemia tisular. El manejo se inicia desde el primer contacto con el paciente, bien sea por personal médico o de atención prehospitalaria. El escenario puede variar desde un área de conflicto armado, la vía pública hasta un hospital y la prioridad inicial será el control del sangrado. En este artículo se exponen elementos para el diagnóstico y el manejo no quirúrgico del trauma vascular incluyendo el uso temprano de torniquete, el diagnóstico clínico, la identificación y el tratamiento de pacientes con trauma vascular, lo que permitirá salvar vidas y extremidades.

Over the years, vascular injury in extremities has been an important cause of mortality and morbidity. Because of the physiopathology of these injuries, it is known that they produce systemic effects due to the hemorrhagic shock and local effects due to tissue ischemia. Treatment begins from the first contact, whether by physicians or pre-hospital attention personnel, and the setting can range anywhere from an area of armed conflict to a public area to a hospital. Regardless of these variables, the priority will always be hemorrhage control. This article exposes key elements for diagnosis and non-surgical treatment of vascular injury in extremities including early use of tourniquets, clinical diagnosis, images and damage control resuscitation. Thus, adequate identification and treatment of patients with vascular injury allows us to salvage lives and limbs.

O trauma vascular nas extremidades é uma causa importante de mortalidade e morbilidade. Por sua fisiopatologia se conhece que esta lesão pode ter efeitos sistémicos ocasionados pelo choque hemorrágico, e efeitos locais devido à isquemia tissular. O manejo se inicia desde o primeiro contato com o paciente, bem seja pelo pessoal médico ou de atenção pré-hospitalar. O cenário pode variar desde uma área de conflito armado, a via pública até um hospital e a prioridade inicial será o controle do sangrado. Neste artigo se expõe elementos para o diagnóstico e o manejo não cirúrgico do trauma vascular incluindo o uso precoce de torniquete, o diagnóstico clínico, a identificação e o tratamento de pacientes com trauma vascular, o que permitirá salvar vidas e extremidades.
Descritores: Ferimentos e Lesões
-Torniquetes
Diagnóstico
Emergências
Assistência Pré-Hospitalar
Extremidades
Lesões do Sistema Vascular
Hemorragia
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: CO101.1 - BCdeS - Biblioteca Ciencias de la Salud


  7 / 46 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1101733
Autor: Usero-Pérez, Maria Del Carmen; Jiménez-Rodríguez, Maria Lourdes; González-Aguña, Alexandra; González-Alonso, Valentín; Orbañanos-Peiro, Luis; Santamaría-García, Jose María; Gómez-González, Jorge Luís.
Título: Validation of an evaluation instrument for responders in tactical casualty care simulations / Validação de um instrumento de avaliação para a prática de cuidados de saúde estratégicos / Validación de un instrumento de evaluación para la práctica de la atención sanitaria táctica
Fonte: Rev. latinoam. enferm. (Online);28:e3251, 2020. tab.
Idioma: en.
Resumo: Objective: to construct and validate a tool for the evaluation of responders in tactical casualty care simulations. Method: three rubrics for the application of a tourniquet, an emergency bandage and haemostatic agents recommended by the Hartford Consensus were developed and validated. Validity and reliability were studied. Validation was performed by 4 experts in the field and 36 nursing participants who were selected through convenience sampling. Three rubrics with 8 items were evaluated (except for the application of an emergency bandage, for which 7 items were evaluated). Each simulation was evaluated by 3 experts. Results: an excellent score was obtained for the correlation index for the 3 simulations and 2 levels that were evaluated (competent and expert). The mean score for the application of a tourniquet was 0.897, the mean score for the application of an emergency bandage was 0.982, and the mean score for the application of topical haemostats was 0.805. Conclusion: this instrument for the evaluation of nurses in tactical casualty care simulations is considered useful, valid and reliable for training in a prehospital setting for both professionals who lack experience in tactical casualty care and those who are considered to be experts.

Objetivo: construir e validar um instrumento de avaliação da prática, por meio da simulação, nos cuidados de saúde estratégicos. Método: três instrumentos para práticas de avaliação de aplicação do torniquete, bandagem de emergência e agente hemostático recomendados pelo Consenso de Hartford foram desenvolvidos e validados. A validade e a confiabilidade foram estudadas. A validação foi realizada por quatro especialistas da área e trinta e seis enfermeiros participantes selecionados por amostragem por conveniência. Três instrumentos de avaliação com 8 itens foram avaliados (com exceção da bandagem de emergência, que tinha 7 itens para avaliar). Cada prática foi avaliada por três especialistas. Resultados: uma pontuação excelente foi obtida no cálculo do índice de correlação para as três práticas e nos dois níveis avaliados (competente e especialista). A pontuação média para a aplicação do torniquete foi de 0,897, para o curativo de emergência foi de 0,982 e para a aplicação de agentes hemostáticos tópicos foi de 0,805. Conclusão: este instrumento de avaliação da prática por meio de simulação nos cuidados de saúde estratégicos é considerado útil, válido e confiável para o treinamento no contexto pré-hospitalar tanto dos profissionais que não possuem experiência nos cuidados estratégicos quanto nos considerados peritos.

Objetivo: construir y validar un instrumento de evaluación de la práctica, mediante simulación, en la atención sanitaria táctica. Método: se construyeron y validaron tres rúbricas de las prácticas de aplicación del torniquete, vendaje de emergencia y agente hemostático recomendadas por el Consenso Hartford. Se estudió la validez y fiabilidad. La validación se realizó por cuatro expertos en la materia y treinta y seis participantes enfermeros que fueron la muestra de conveniencia. Se evaluaron tres rúbricas con 8 ítems (excepto para el vendaje de emergencia que fueron 7 ítems a evaluar). Cada práctica fue evaluada por tres expertos. Resultados: se ha obtenido una excelente puntuación en el cálculo del índice de correlación para las tres prácticas y en los dos niveles evaluados (competente y experto). La puntuación media para la rúbrica de aplicación del torniquete fue de 0.897, la del vendaje de emergencia 0.982 y para la aplicación de hemostáticos tópicos 0.805. Conclusión: este instrumento de evaluación de la práctica mediante simulación en la atención sanitaria se considera útil, válido y fiable para la formación en el entorno prehospitalario tanto de profesionales que carecen de experiencia en atención táctica como de aquellos considerados como expertos.
Descritores: Torniquetes
Reprodutibilidade dos Testes
Serviços Médicos de Emergência/normas
Tratamento de Emergência/normas
Incidentes com Feridos em Massa
Hemorragia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Responsável: BR26.1 - Biblioteca Central


  8 / 46 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Carvalho, Emília Campos de
Texto completo
Id: lil-491350
Autor: Arreguy-Sena, Cristina; Carvalho, Emília Campos de; Santos, Claudia Benedita.
Título: Visualização e caracterização da rede venosa periférica: contribuição do garroteamento / Visualization and characterization of the peripheral venous network: contribution of the tourniquet
Fonte: Esc. Anna Nery Rev. Enferm;12(2):299-303, jun. 2008. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Estudo metodológico, com objetivo de identificar quanto o garroteamento pode interferir na visualização e caracterização do calibre das veias periféricas. Fotografias (antebraço/mão) foram avaliadas quanto aos critérios de visualização ecalibre, e 19 pares tiveram concordância unânime de três avaliadores para os critérios mencionados. Estas fotos, aos pares (com e sem garrote), foram apresentadas a 61 enfermeiros intensivistas que avaliaram as mudanças entre ambas, utilizando uma escala numérica de 11 pontos (zero= ausência de modificação visual e 10= melhora máxima da visualização).Os dados submetidos à análise fatorial evidenciam que em 63,5 por cento dos fatos houve melhora (>50 por cento) da visualização dos vasos depois de garroteados; as fotos julgadas como sem alteração da visualização retratam veias de difícil visualização e menos calibrosas, em sua maioria. A caracterização prévia da veia quanto ao calibre, visualização e o emprego do critério visual (fotografias) pode ter interferido nas avaliações.
Descritores: Avaliação em Enfermagem/estatística & dados numéricos
Torniquetes/estatística & dados numéricos
Vasos Sanguíneos
Limites: Humanos
Responsável: BR442.1 - Biblioteca Setorial de Pós-Graduação


  9 / 46 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1057191
Autor: Lima, Daniel Souza; Almeida, Yuri Augusto da Silva; Cid, Danielle Maria Camelo; Cardoso, Lucas Candeira; Braga, Camila Söldon; Regis, Francisco George de Lima.
Título: Modelo sintético de baixo custo para treinamento do uso de torniquete / Low-cost synthetic tourniquet training model
Fonte: Rev. Col. Bras. Cir;46(6):e20192324, 2019. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO Objetivo: apresentar um modelo de baixo custo para treinamento de controle de sangramento com o uso de torniquete e os resultados da avaliação do treinamento. Método: foram utilizados materiais de fácil aquisição e de baixo custo, como espuma de estofado, placa de etileno-acetato de vinila (EVA), bomba plástica de propulsão, recipiente de soro fisiológico, água, tinta escolar, equipos de soro, tubo de látex para garrote e manequins comerciais de perna e de braço. Na montagem, foi criado um sistema de simulação de sangramento ativo que só podia ser controlado com aplicação correta do torniquete. O modelo foi submetido à avaliação de profissionais e acadêmicos. Resultados: o modelo teve semelhança com a anatomia humana, mostrou-se prático no treinamento da contenção de sangramento com uso de torniquete e teve baixo custo financeiro. Conclusão: o modelo para treinamento de controle de sangramento teve excelente aceitabilidade, foi considerado viável para fins educacionais do uso de torniquete e teve baixo custo.

ABSTRACT Objective: to present a low-cost model for bleeding control training with the use of a tourniquet and the results of the training evaluation. Method: low-cost and easy-to-purchase materials, such as upholstery foam, ethylene-vinyl acetate (EVA) sheet, plastic propulsion pump, saline container, water, school paint, serum equipment, rubber tubing for tourniquet, and a leg and an arm of a ghost mannequin, were used. In the model assembly, we created an active bleeding simulation system, which could only be controlled with the correct application of the tourniquet. The model was submitted to professional and academic evaluation. Results: the model was similar to human anatomy, proved to be practical in the bleeding control training with the use of a tourniquet, and had low cost. Conclusion: the model for bleeding control training had excellent acceptability, was considered viable for educational purposes of tourniquet use, and had low cost.
Descritores: Torniquetes/economia
Pessoal de Saúde/educação
Desenho de Equipamento/instrumentação
Treinamento por Simulação/métodos
Hemorragia/terapia
-Inquéritos e Questionários
Desenho de Equipamento/economia
Treinamento por Simulação/economia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 46 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-899205
Autor: Barros, Marco Felipe Francisco Honorato de; Ribeiro, Evandro Junior Christovam; Dias, Rafael Gomes.
Título: Blood level changes in total knee arthroplasty with and without a tourniquet / Variação sanguínea nas artroplastias de joelho com e sem o uso de garrote
Fonte: Rev. bras. ortop;52(6):725-730, Nov.-Dec. 2017. tab.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT OBJECTIVE: To evaluate the difference between the total blood loss in patients undergoing primary total knee arthroplasty with and without the use of tourniquet. METHODS: A retrospective cohort study, with analysis of medical records of patients undergoing primary total knee arthroplasty in 2015, with and without the use of a tourniquet. Comparison was performed of hemoglobin (HB) and hematocrit (HT) variation in the complete blood count (CBC) during the pre- and post-operative period between the two groups. RESULTS: There were 117 patients undergoing primary total knee arthroplasty included, minimum age of 33 and maximum of 86 years, with a mean of 67 years. 64.1% of the surgeries used a tourniquet and 35.9% did not. The mean preoperative HB in Group 1 was 13.08 and 12.97 in Group 2 (p = 0.435). The mean postoperative HB in Group 1 was 11.64 and 10.93 in Group 2 (p = 0.016). The variation of HB in Group 1 was 1.44 and 2.04 in Group 2 (p = 0.025). The mean preoperative HT in Group 1 was 38.96 and 39.01 in Group 2 (p = 0.898). The mean postoperative HT in Group 1 was 34.47 and 32.19 in Group 2 (p = 0.005). The variation of HT in Group 1 was 4.49 and 6.82 in Group 2 (p = 0.001). A total of 21 patients received transfusions RCC (red cell concentrates), as a result of HB below 8 g/dL or clinical symptoms, respectively, representing seven of Group 1 (9.3% of total intra-group) and 14 of Group 2 (33.3% of total intra-group), with p = 0.001. CONCLUSION: In patients undergoing primary total knee arthroplasty using a tourniquet, a lower variance in the hematimetric indices was observed and fewer blood transfusions were necessary.

RESUMO OBJETIVO: Avaliar a diferença entre a perda sanguínea total em pacientes submetidos à artroplastia total do joelho com e sem o uso de garrote. MÉTODOS: Estudo de coorte retrospectivo, com análise dos prontuários de pacientes submetidos a artroplastia primária total de joelho em 2015, com e sem o uso de garrote. Comparou-se a variação de hemoglobina (HB) e hematócrito (HT) no pré- e pós-operatório entre os dois grupos. RESULTADOS: Foram incluídos 117 pacientes submetidos a artroplastia total de joelho primária, idade mínima de 33 e máxima de 86 anos, com média de 67; em 64,1% das cirurgias, foi usado garrote e em 35,9%, não. No pré-operatório, a média da HB no Grupo 1 foi de 13,08; no Grupo 2, 12,97 (p = 0,435). No pós-operatório, a média da HB no Grupo 1 foi de 11,64; no Grupo 2, 10,93 (p = 0,016). A variação da HB no Grupo 1 foi de 1,44; no Grupo 2, de 2,04 (p = 0,025). No pré-operatório, a média do HT no Grupo 1 foi de 38,96; no Grupo 2, de 39,01 (p = 0898). No pós-operatório, a média do HT no Grupo 1 foi de 34,47; no Grupo 2, de 32,19 (p = 0,005). A variação do HT no Grupo 1 foi de 4,49; no Grupo 2, de 6,82 (p = 0,001). Dos pacientes, 21 receberam transfusão de CH (concentração de hemácias), por HB abaixo de 8 ou sintomas clínicos, sete do Grupo 1 (9,3% do total intragrupo) e 14 do Grupo 2 (33,3% do total intragrupo) com p = 0,001. CONCLUSÃO: Nos pacientes submetidos a artroplastia total de joelho primária com o uso de garrote, ocorreu uma menor variância dos índices hematimétricos e um menor número de transfusões sanguíneas foi necessário.
Descritores: Artroplastia do Joelho
Perda Sanguínea Cirúrgica
Transfusão de Sangue
Torniquetes
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Responsável: BR26.1 - Biblioteca Central



página 1 de 5 ir para página              
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde