Base de dados : LILACS
Pesquisa : F01.145.126.125.550 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 315 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 32 ir para página                         

  1 / 315 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890453
Autor: Mello, Flávia Carvalho Malta; Silva, Jorge Luiz da; Oliveira, Wanderlei Abadio de; Prado, Rogério Ruscitto do; Malta, Deborah Carvalho; Silva, Marta Angélica Iossi.
Título: A prática de bullying entre escolares brasileiros e fatores associados, Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar 2015 / The practice of bullying among Brazilian schoolchildren and associated factors, National School Health Survey 2015
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(9):2939-2948, Set. 2017. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O estudo objetivou verificar associações entre a prática de bullying com variáveis sociodemográficas, de saúde mental e de comportamentos de risco em escolares. O inquérito, de corte transversal, analisa dados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE 2015). Foi realizada análise de regressão logística múltipla para verificar fatores associados à prática de bullying. O autorrelato de praticar bullying foi referido por 19,8% (IC95% 19,5-20,0) dos estudantes. A prática foi mais frequente entre os que estudam na escola privada, cujas mães têm maior escolaridade, moram com os pais, os quais trabalham. Entre as características da saúde mental foi mais frequente a prática de bullying entre os que relatam solidão, insônia e não ter amigos. Dentre as características da família, os que relatam apanhar de familiares e os que faltam as aulas sem comunicar a família praticam mais bullying. A prática de bullying foi mais frequente em quem relata uso de tabaco, álcool, experimentar drogas e em escolares que relatam ter tido relação sexual. Neste cenário, os dados indicam que a prática do bullying é aspecto relevante que interfere no processo ensino-aprendizagem e na saúde dos escolares. Tornando-se necessário enfrentar no contexto da intersetorialidade e do protagonismo juvenil.

Abstract This study explored associations between bullying and sociodemographic, mental health and risk behavior variables in school age children. This cross-sectional survey analyzed data from the National School Health Survey (PeNSE 2015). A multiple logistic regression analysis checked for factors associated with bullying. Nineteen point eight percent (95%CI 10.5 - 20.0) of the students claimed they practiced bullying. The practice of bullying was more common among students enrolled in private schools, those living with their parents, and those whose mothers have more years of schooling and are gainfully employed (28.1% CI 27.3-28.8). In terms of mental health characteristics, bullying was more common among those feeling alone, suffering from insomnia and with no friends. Looking at family characteristics, those reporting they are physically punished by family members (33.09% CI 33.1-34.6) and miss school without telling their family (28.4% 95% CI 27.9-29.0) are more likely to practice bullying. Bullying was more frequent among those reporting tobacco, alcohol and drug use, and among students claiming to have had sexual relations. The data shows that bullying is significant and interferes in school children's health and the teaching-learning process. This must be addressed looking at youth as protagonists and in an inter-sectoral context.
Descritores: Assunção de Riscos
Estudantes/estatística & dados numéricos
Saúde Mental
Bullying/estatística & dados numéricos
-Serviços de Saúde Escolar
Instituições Acadêmicas
Fatores Socioeconômicos
Brasil/epidemiologia
Modelos Logísticos
Características da Família
Estudos Transversais
Inquéritos Epidemiológicos
Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias/epidemiologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 315 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890461
Autor: Sousa, Girliani Silva de; Santos, Marília Suzi Pereira dos; Silva, Amanda Tabosa Pereira da; Perrelli, Jaqueline Galdino Albuquerque; Sougey, Everton Botelho.
Título: Revisão de literatura sobre suicídio na infância / Suicide in childhood: a literatura review
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(9):3099-3110, Set. 2017. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Objetivou-se analisar a literatura específica sobre os fatores associados ao comportamento suicida em crianças com até 14 anos. Trata-se, portanto, de uma revisão integrativa sobre este tema. Os dados foram coletados nas bases de dados PubMed e Psycinfo, a partir dos seguintes descritores: "risk of suicide"; "children"; "suicide"; "childhood". O tempo de publicação foi limitado ao período de 1980 a 2016. Um total de 29 artigos preencheu os critérios de elegibilidade e, portanto, foram selecionados e analisados. Os resultados indicaram haver associação do suicídio com fatores neurobiológicos, escolares, sociais e mentais, dentre eles destaca-se o papel da impulsividade. Além disso, evidenciou-se que a maioria dos fatores de vulnerabilidade ao comportamento suicida podem ser prevenidos desde que sejam identificados e a criança receba tratamento psicológico e médico. Conclui-se que conflitos familiares, problemas na escola, bullying, impulsividade e depressão estão associados ao suicídio na infância. Adicionalmente, a escassez de pesquisas no âmbito nacional acerca da temática do suicídio pode contribuir para a invisibilidade desse tema na instauração de programas de promoção e tratamento de saúde.

Abstract This is an integrated review of specific literature on the main factors associated to suicidal behavior in children under 14 years. Data were retrieved from PubMed and PsycInfo databases for the 1980-2016 period, with the following descriptors: "risk of suicide"; "children"; "suicide"; "childhood". Twenty-nine papers complied with the eligibility criteria of the review and were thus selected and analyzed. Results pointed to an association of suicide with neurobiological, school-related, social and mental factors, among which the role of impulsivity stands out. In addition, results found show that most of suicidal behavior-vulnerable factors are preventable insofar as they are identified and the child receives psychological and medical treatment. We conclude that family conflicts, school-related problems, bullying, impulsivity and depression are associated with childhood suicide. In addition, the scarce national research on suicide can contribute to the invisibility of this theme when establishing health promotion and treatment programs.
Descritores: Suicídio/psicologia
Tentativa de Suicídio/psicologia
Ideação Suicida
-Instituições Acadêmicas
Depressão/epidemiologia
Conflito Familiar/psicologia
Bullying/estatística & dados numéricos
Promoção da Saúde
Comportamento Impulsivo
Limites: Humanos
Criança
Adolescente
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 315 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890443
Autor: Fontes, Luiz Felipe Campos; Conceição, Otavio Canozzi; Machado, Sthefano.
Título: Violência sexual na adolescência, perfil da vítima e impactos sobre a saúde mental / Childhood and adolescent sexual abuse, victim profile and its impacts on mental health
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(9):2919-2928, Set. 2017. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Este trabalho objetiva analisar os impactos do abuso sexual na adolescência sobre variáveis relacionadas à saúde mental e identificar as características das vítimas. Para tanto, utiliza-se a metodologia do Propensity Score Matching a partir dos microdados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar 2015. Os resultados mostram que o jovem violentado tem um perfil comportamental, familiar e socioeconômico singular, a destacar pelo fato de que tem mais chances de já ter utilizado álcool e drogas, de ser alvo de bullying, estar em distorção idade-série, encontrar-se empregado e não ter pretensão de continuar estudando. Do ponto de vista familiar, tem pouco acompanhamento dos pais e menos chance de morar com a mãe. As estimativas revelam que o abuso sexual na adolescência pode aumentar em 13,3% a chance do jovem reportar sentimento frequente de solidão, em 7,5% a chance de ter poucos ou nenhum amigo e em 9,5% a chance de relatar insônia frequente por motivo de preocupação. Foram constatadas ainda diferenças significativas dos efeitos em mulheres e homens, sendo os impactos sobre solidão e insônia maiores para o primeiro grupo e sobre número de amigos maiores para o segundo.

Abstract This work aims to analyze the impact of childhood and adolescent sexual abuse on variables related to mental health and to identify the characteristics of the victims. To achieve this objective, microdata of the National School Health Survey 2015 was used, applying the methodology of Propensity Score Matching. The results show that the abused youth has a unique behavioral, familiar and socioeconomic profile and that they are more likely to use alcohol and drugs, be victim of bullying, to be in age-grade lag, to be employed and not to intend to continue studying. From a familiar point of view, they have low parental monitoring and lower probability of living with their mother. Estimates show that teenage sexual abuse can increase the youth's chance of reporting a constant feeling of loneliness by 13.3 percent, a 7.5 percent higher chance of having few or none friends, and a 9.5 percent higher chance of reporting frequent insomnia. Significant differences in effects on men and women were also observed, with impacts on loneliness feelings and insomnia greater for the first group and greater on the number of friends for the second.
Descritores: Abuso Sexual na Infância/psicologia
Distúrbios do Início e da Manutenção do Sono/epidemiologia
Solidão
Solidão/psicologia
-Fatores Socioeconômicos
Abuso Sexual na Infância/estatística & dados numéricos
Brasil/epidemiologia
Consumo de Bebidas Alcoólicas/epidemiologia
Fatores Sexuais
Fatores de Risco
Inquéritos Epidemiológicos
Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias/epidemiologia
Amigos/psicologia
Bullying/estatística & dados numéricos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 315 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890492
Autor: Horta, Cristina Lessa; Horta, Rogério Lessa; Mester, Ariela; Lindern, Daniele; Weber, João Luís Almeida; Levandowski, Daniela Centenaro; Lisboa, Carolina Saraiva de Macedo.
Título: Bullying e uso de substâncias psicoativas na adolescência: uma revisão sistemática / Bullying and psychoactive substance use during adolescence: a systematic review
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;23(1):123-140, Jan. 2018. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Bullying e uso de substâncias psicoativas são fenômenos prevalentes entre adolescentes e apontados como problemas de saúde que podem comprometer o desenvolvimento de todos os envolvidos. Esse estudo de revisão sistemática da literatura pretendeu identificar em que medida o envolvimento em situações de bullying e uso de substâncias psicoativas na adolescência se associam, além de verificar se há diferenças em relação ao papel social do bullying. A partir da busca de artigos empíricos publicados entre janeiro de 2009 e dezembro de 2014, em sete bases de dados eletrônicas, foram identificados 585 registros. Aplicados os critérios de inclusão e de exclusão, restaram 40 estudos que foram analisados a partir do seu delineamento, características da amostra e resultados obtidos sobre a relação entre bullying e uso de substâncias psicoativas. A maioria dos estudos é de delineamento quantitativo transversal, com amostras mistas, de meninos e meninas, sendo a escola o local onde esses fenômenos têm sido preferencialmente estudados. Evidenciou-se associação entre perpetração de bullying e uso de substâncias para adolescentes de ambos os sexos. Em relação à vitimização por bullying, não foi possível precisar a direção e a caracterização da relação com o uso de substâncias.

Abstract Bullying and psychoactive substance abuse are prevalent phenomena among adolescents and identified as health problems that may jeopardise the development of all those involved. This systematic review of the literature aims to identify the extent to which involvement in bullying and psychoactive substance use during adolescence are associated, as well as check for differences regarding the social roles of bullying. From the search for empirical articles published between January 2009 and December 2014 in seven electronic databases, 585 records were identified. After the criteria for inclusion and exclusion were applied, the remaining 40 studies were analyzed based on the design, characteristics of the sample and results of the relationship between bullying and psychoactive substance use. Most studies are quantitative and cross-sectional, and they showed mixed samples of boys and girls in the school environment, which was the place where the phenomena are studied by preference. The association between the perpetration of bullying and psychoactive substance use for adolescents of both sexes is revealed. In relation to victimization by bullying, it was not possible to determine the direction and characterization of the relationship with psychoactive substance use.
Descritores: Vítimas de Crime/estatística & dados numéricos
Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias/epidemiologia
Bullying/estatística & dados numéricos
-Psicotrópicos/administração & dosagem
Psicotrópicos/efeitos adversos
Instituições Acadêmicas
Prevalência
Comportamento do Adolescente
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Tipo de Publ: Revisão
Revisão Sistemática
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 315 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1152289
Autor: Páez Esteban, Astrid Nathalia; Ramírez Cruz, María Angela; Campos de Aldana, María Stella; Duarte Bueno, Laura María; Urrea Vega, Edwing Alberto.
Título: Prevalencia y factores asociados con el acoso escolar en adolescentes / Prevalência e fatores associados ao bullying em adolescentes / Prevalence and Factors Associated with Bullying in Adolescents
Fonte: rev. cuid. (Bucaramanga. 2010);11(3), 31082020.
Idioma: es.
Resumo: Introducción: El acoso escolar es un fenómeno social, complejo y multifactorial, que hace referencia a la exposición de diferentes formas de maltrato de forma repetitiva, sistemática e intencionada. Objetivo: Determinar la prevalencia y los factores asociados con el acoso escolar en adolescentes de tres instituciones educativas públicas. Métodos: Estudio analítico de corte transversal, mediante una encuesta auto-administrada se evaluaron 816 adolescentes de sexto a noveno grado de tres instituciones educativas de Bucaramanga, Colombia en el año 2014. Resultados: El 84.2% de los adolescentes escolarizados manifestó haber sido testigo de cualquier tipo de violencia, víctima el 33.8% y victimario el 22.3%. Predominó la violencia verbal 80.1%, seguida de la física 47.7% y psicológica 36.9%. En el análisis bivariado no se encontró relación entre el acoso escolar y el sexo, el colegio, la jornada, el curso académico, el tipo de familia y su funcionalidad en los roles de testigos y víctimas. En el análisis bivariado y multivariado se encontró asociación del acoso escolar con el sexo, tipo de familia, consumo de cigarrillo y consumo de bebidas energizantes en el rol de victimario. Discusión: La identificación de las variables asociadas al acoso escolar permite priorizar y orientar las decisiones que se tomen entorno a la problemática. Conclusiones: El acoso escolar es un fenómeno complejo que requiere la articulación de la comunidad académica, padres de familia, profesionales de la salud y autoridades territoriales.

Introduction: Bullying is a complex and multifactorial social phenomenon, which refers to the exposure of different forms of abuse on a repetitive, systematic and intentional basis. Objective: To determine the prevalence and factors associated with bullying in adolescents at three public educational institutions. Materials and Methods: A cross-sectional analytical study was conducted with 816 adolescents covering sixth to ninth grades from three educational institutions in Bucaramanga, Colombia, who were evaluated in 2014 through self-administered questionnaires. Results: 84.2% of the school-going adolescents reported having witnessed any type of violence, of which 33.8% were victims and 22.3% were aggressors. Verbal violence prevailed at 80.1%, followed by physical violence at 47.7% and psychological violence at 36.9%. No relationship was found in the bivariate analysis between bullying and gender, school, school hours, academic year, type of family and their role as witnesses and victims. An association was found in the bivariate and multivariate analysis between school bullying and gender, type of family, smoking and consumption of energy drinks in the aggressor role. Discussion: The identification of the variables associated with school bullying facilitates prioritizing and guiding decisions that will be made regarding this issue. Conclusions: School bullying is a complex phenomenon that requires the articulation of the academic community, parents, healthcare professionals and local authorities.

Introdução: O bullying é um fenômeno social complexo e multifatorial, que se refere à exposição de diferentes formas de abuso de uma forma repetitiva, sistemática e intencional. Objetivo: Determinar a prevalência e os fatores associados ao bullying em adolescentes em três instituições públicas de ensino. Materiais e Métodos: Estudo analítico transversal no qual 816 adolescentes da sexta à nona série de três instituições de ensino em Bucaramanga, Colômbia foram avaliados através de uma pesquisa auto-administrada em 2014. Resultados: 84,2% dos adolescentes na escola afirmaram ter testemunhado qualquer tipo de violência, 33,8% sendo vítimas e 22,3% agressores. A violência verbal predominou em 80,1%, seguida da violência física em 47,7% e da violência psicológica em 36,9%. Na análise bivariada, não foi encontrada nenhuma relação entre bullying e sexo, escola, jornada escolar, ano lectivo, tipo de família e sua funcionalidade nos papéis de testemunhas e vítimas. Na análise bivariada e multivariada, encontramos uma associação entre bullying escolar e sexo, tipo de família, consumo de cigarros e consumo de bebidas energéticas, no papel do agressor. Discussão: A identificação das variáveis associadas ao bullying escolar permite priorizar e orientar as decisões tomadas sobre o problema. Conclusões: O bullying escolar é um fenômeno complexo que requer a articulação da comunidade acadêmica, dos pais, dos profissionais de saúde e das autoridades territoriais.
Descritores: Prevalência
Bullying
Limites: Humanos
Adolescente
Tipo de Publ: Artigo Clássico
Responsável: CO646.1 - Biblioteca


  6 / 315 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890555
Autor: Oliveira, Wanderlei Abadio de; Silva, Jorge Luiz da; Braga, Iara Falleiros; Romualdo, Claudio; Caravita, Simona Carla Silvia; Silva, Marta Angélica Iossi.
Título: Modos de explicar o bullying: análise dimensional das concepções de adolescentes / Ways to explain bullying: dimensional analysis of the conceptions held by adolescents
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;23(3):751-761, Mar. 2018. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Este estudo apreendeu o significado do bullying para estudantes e contribui com a abordagem da saúde do escolar. Objetivou-se conhecer as dimensões de concepções de estudantes sobre o bullying. Participaram 55 adolescentes de 11 escolas públicas, por meio de entrevistas semiestruturadas. A análise dimensional foi utilizada no tratamento dos dados e se construiu uma matriz com as dimensões identificadas. A Teoria Fundamentada nos Dados foi adotada como referencial metodológico e teórico. Os adolescentes conhecem as principais dimensões do bullying, mas o explicam de forma descritiva e numa perspectiva individual. As dimensões identificadas foram: tipo, natureza, exemplos, motivação e consequências. O tipo de violência foi a dimensão com maior poder explicativo em relação às demais, sobressaindo-se o tipo verbal e suas diferentes formas de manifestação. Aspectos da literatura que definem o bullying foram identificados no conjunto, indicando a difusão do tema, sua ocorrência e apreensão pelos estudantes. O caráter inovador do estudo se centra na identificação das dimensões presentes nas narrativas dos estudantes brasileiros sobre o bullying, abordagem que contribui com a organização dos programas de cuidado e intervenção em diferentes áreas.

Abstract This study unveils the meaning attributed by students to bullying and contributes to the approach of student health. The objective was to identify the dimensions of the conceptions of students regarding bullying. A total of 55 students from 11 public schools participated by answering semi-structured interviews. Dimensional analysis was used to treat data and a matrix was constructed with the dimensions identified. The Grounded Theory was adopted as the methodological and theoretical framework. The adolescents were aware of the main dimensions of bullying but explained it descriptively and from individual perspectives. The following dimensions were identified: type, nature, examples, motivation and consequences. The type of violence was a dimension with greater explanatory power in relation to the remaining dimensions. Verbal violence and its different manifestations stood out. Aspects of the literature that define bullying were identified, indicating how the topic is diffused, its occurrence and how it is understood by students. The innovative nature of this study is its focus on the identification of the dimensions of bullying present in the narrative of Brazilian students. It is an approach that contributes to the organization of healthcare programs and interventions in different fields.
Descritores: Estudantes/psicologia
Violência/legislação & jurisprudência
Bullying/estatística & dados numéricos
Motivação
-Instituições Acadêmicas
Violência/psicologia
Brasil/epidemiologia
Entrevistas como Assunto
Inquéritos e Questionários
Teoria Fundamentada
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 315 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-952713
Autor: Hidalgo-Rasmussen, Carlos Alejandro; Ramírez-López, Guadalupe; Rajmil, Luis; Skalicky, Anne; Martín, Alfredo Hidalgo-San.
Título: Bullying and health-related quality of life in children and adolescent Mexican students / "Bullying" e qualidade de vida relacionada com a saúde de crianças e adolescentes escolares mexicanos
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;23(7):2433-2441, jul. 2018. tab.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Previous studies have reported a relationship between being a victim of bullying, but no studies have been carried out with Mexican students; notwithstanding the high scores of bullying in Mexico in international rankings. The objective of this study was to analyze the association between being a victim of bullying and lower HRQoL among schoolchildren and adolescents in Mexico. This cross-sectional and correlational study involved 2225 students from 22 elementary, middle and high schools. HRQoL was assessed with the KIDSCREEN-10 questionnaire and bullying with the social adaptation dimension of KIDSCREEN-52. Bivariate associations were evaluated, and a multivariate logistic regression was utilized. The prevalence of victims of bullying was 17.3%. Being a victim of bullying was double the risk of having a lower HRQoL than not being a victim after adjusting for health perception, gender and age, OR 2.3 (1.7-3.1). As the Wilson and Cleary Model of Quality of Life explains, individual characteristics, such as, being a victim of bullying are associated with quality of life. Similar findings in the existing literature imply that bullying is a global phenomenon that impacts the victimized child or adolescent's life in different ways.

Resumo Pesquisas prévias informaram que ser vítima de "bullying" se associa à menor Qualidade de Vida Relacionada com a Saúde (QVRS); mas nenhuma foi realizada em estudantes Mexicanos apesar dos altos índices de "bullying" mostrados para o México nos rankings internacionais. O objetivo deste estudo foi analisar a associação entre ser vítima de "bullying" e QVRS. Este estudo transversal e de correlação incluiu 2225 crianças e adolescentes de 22 escolas de nível básico, médio básico e médio superior. A QVRS foi avaliada com o questionário KIDSCREEN-10 e o "bullying" com a dimensão de aceitação social do KIDSCREEN-52. Analisaram-se as associações bivariadas, verificou-se confusão e interação, e utilizou-se regressão logística multivariável. A prevalência de vítimas de "bullying" foi de 17.3%. Ser vítima de "bullying" obteve um risco de mais do dobro de QVRS inferior que não ser vítima, depois de ajustar pela percepção de saúde, gênero e idade, OR 2.3 (1.7-3.1). No mesmo sentido que o referido pelo Modelo de Wilson e Cleary, em estudantes mexicanos com características individuais como ser vítima de "bullying", associam-se à QVRS, descoberta similar ao encontrado na literatura existente o que implica que o "bullying" é um fenômeno global que se reflete em diferentes aspectos da vida em crianças e adolescentes vitimizados.
Descritores: Qualidade de Vida
Estudantes/estatística & dados numéricos
Vítimas de Crime/estatística & dados numéricos
Bullying/estatística & dados numéricos
-Instituições Acadêmicas
Ajustamento Social
Estudantes/psicologia
Modelos Logísticos
Prevalência
Estudos Transversais
Inquéritos e Questionários
Bullying/psicologia
México
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 315 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1051682
Autor: Larroza, Gerardo O; Jure, Humberto;; Horna, María E; Báez, Karina E; Semenza, Amada R; Yacovetta, María J; Aguirre, Jesica; Ojeda, Marcos; Markowsky, María E; Gómez, Silvia M.
Título: Prevalencia de bullying en escolares de la ciudad de Corrientes / Prevalence of bullying among schoolchildren in Corrientes city
Fonte: Rev. Fac. Med. Univ. Nac. Nordeste;36(2):28-36, 2016.
Idioma: es.
Resumo: El término bullying refiere al comportamiento agresivo entre pares, repetido en el tiempo, que se ejerce en forma intimidatoria al más débil con la intención premeditada de causar daño.El objetivo del presente estudio consistió en estimar el conocimiento y la prevalencia acerca del bullying en alumnos de 12 a 20 años en dos escuelas de la ciudad de Corrientes con la finalidad de identificar posibles causas, contexto, frecuencia y continuidad con que se presentan, determinando a su vez, la actitud personal y escolar frente a estas situaciones.La recolección de datos se realizó a partir de una encuesta cuyo instrumento fue un formulario estructurado. Se trata de un estudio observacional, descriptivo y de corte transversal.Se analizaron 338 encuestas en las que se tomó en cuenta la relación femenino/masculino: 1,34; y la media de edad: 16 años. El 95% refirió conocer sobre el bullying; sin embargo, el 35% presentó alguna situación de maltrato por las siguientes causas: molestia 32%, bromas 28%, ser diferente 24%, provocación 7% y otras causas 9%. En su mayoría, el 70 % de estas situaciones ocurrieron en el mismo salón. El 54% expresó que las intimidaciones ocurrieron pocas veces, y el 36% restante presentaba una continuidad de varias semanas.Frente a estos escenarios de maltrato, el 48% respondió que nadie actuaba, el 25% que el profesor intervenía, el 24% otros compañeros, y el 3% otras personas. Con respecto a la actitud personal, el 45% cortaba la situación personalmente, el 38% avisó a terceros, mientras que el 17% no realizó nada por miedo.Las consecuencias del maltrato entre pares afecta a todos los agentes implicados, e indirectamente, al resto de la comunidad que debe convivir con los efectos derivados del mismo

Bullying: aggressive behavior among partners, exerted on an intimidating manner to the weakest, with a premeditated intention of causing harm and repeated over time.Objectives: To estimate the prevalence and knowledge of bullying among students between 12 to 20 years in two schools in Corrientes city; Identify possible causes, context, frequency and continuity in which the case of bullying occurs; Determine personal and school attitude to these situations.This is an observational, descriptive, cross-sectional study. For data collection a survey was made, whose instrument was a structured form.338 surveys were analyzed, female / male ratio: 1.34; Mean age: 16 years; 95 % reported knowledge about bullying; 35 % had a situation of abuse; Causes: by discomfort (32 %), by teasing (28 %), because (of) being different (24 %), for provocation (7 %), other causes (9 %). The majority (70 %) of these situations occurred at the same room or grade.The 54% of students said that bullying occurred rarely, and 36 % had a continuity of several weeks. As regards these situations of abuse, 48 % said that nobody acted, 25 % that the teacher intervened, 24 % partners, and other people 3%.About personal attitude: 45 % cut off the situation themselves, 38 % told others, while 17 % did not do anything because of fear. The consequences of abuse between partners affect all those involved, and indirectly, they affect the rest of the community who must live together with its effects.Key words: mistreatment, teenagers, violence, aggressors, victims

"Bullying": É o comportamento agressivo entre colegas, se exerce de forma intimidatória ao mais fraco, com a intenção premeditada de causar dano e que se repete através do tempo.Objetivos: Estimar a prevalência e o conhecimento sobre o "bullying" em alunos de 12 a 20 anos em duas escolas da cidade de Corrientes: Identificar possíveis causas, contexto, frequência e continuidade com que se apresentam situações de "bullying"; determinar a atitude pessoal e escolar frente a essas situações.Se trata de um estudo observacional, descritivo, de corte transversal. Para a recoleção de dados se realizou uma pesquisa cujo instrumento foi um formulário estruturado.Se analisaram 338 formularios, relação feminino/masculino: 1,34; media de idade: 16 anos. 95% referiu conhecer sobre o "bullying", 35% relatou alguma situação de maltrato. Causas: por ser perturbado (32%), motivos de piadas (28%), por ser diferente (24%), por provocação (7%), por outras causas (9%), Na sua maioria (70%) dessas situações ocorreram na sala de aula. 54% expressou que as provocações ocorreram poucas vezes e 36% apresentava uma cronicidade de varias semanas.Frente a estas situações de maltrato, 48% responderam que ninguém atuava em defesa, 25% que o professor interrompia, 24% outros companheiros e 3% outras pessoas.Com respeito a atitude pessoal: 45% interferia na situação pessoalmente, 38% avisava a terceiros, enquanto que 17% não fazia nada por medo.As consequências do maltrato entre colegas afeta a todos os agentes implicados, e indiretamente, ao resto da comunidade, que deve conviver com os efeitos derivados do mesmo.Palabras chaves: abuso, adolescentes, violência, agressores, vítimas
Descritores: Violência/tendências
Bullying/psicologia
Bullying/estatística & dados numéricos
-Comportamento do Adolescente
Limites: Humanos
Criança
Adolescente
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: AR43.1 - Centro de Información y Documentación en Ciencias de la Salud del Nordeste Argentino


  9 / 315 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Menezes, Valdenice Aparecida de
Texto completo
Id: biblio-952770
Autor: Silva, Bruno Rafael Vieira Souza; Silva, Alison Oliveira da; Passos, Muana Hiandra Pereira dos; Soares, Fernanda Cunha; Valença, Paula Andréa de Melo; Menezes, Valdenice Aparecida de; Colares, Viviane; Santos, Carolina da Franca Bandeira Ferreira.
Título: Autopercepção negativa de saúde associada à violência escolar em adolescentes / Negative self-perceived health associated with school violence in adolescents
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;23(9):2909-2916, set. 2018. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O objetivo deste artigo é verificar a associação entre autopercepção negativa em saúde e violência escolar em adolescentes estudantes do Município de Olinda - PE. Estudo transversal, analítico e de base escolar com amostra constituída por 2.614 adolescentes, selecionados por meio de uma estratégia de amostragem aleatória em conglomerados. As informações foram obtidas através do questionário "Youth Risk Behavior Survey" de onde foram retiradas as questões de violência bem como da autopercepção de saúde. Os dados foram tabulados pelo programa Epi-data versão 3.1 e transcrito para o SPSS versão 22. Utilizou-se os teste do Qui-quadrado e o modelo de regressão logística binária stepwise para análise dos dados. Observou-se que 26,7% dos adolescentes tinham uma autopercepção negativa em saúde, sendo maior entre as moças. Em relação à violência escolar, a autopercepção negativa esteve associada ao sentimento de tristeza, pensamento suicida, bullying na escola, roubado na escola e segurança na escola. Sexo e idade também se mantiveram associadas (p < 0.05). Reforça-se a necessidade de ações de cultura e paz na adolescência, envolvendo o ambiente escolar, a fim de refletir na analise de saúde pobre dos adolescentes reduzindo também o índice de violência.

Abstract Objective To verify the association between negative self-perception of health and school violence in adolescent students of the Municipality of Olinda (PE), Brazil. Methods This is a cross-sectional, analytical and school-based study with a sample consisting of 2,614 adolescents selected through a strategy of random sampling in conglomerates. The information was obtained through the questionnaire "Youth Risk Behavior Survey" from which the issues of violence and self-perceived health were retrieved. Data were tabulated by Epi-data version 3.1 program and transcribed for SPSS version 22. The Chi-square test and the stepwise binary logistic regression model were used for data analysis. Results We observed that 26.7% of adolescents had a negative self-perception of health, and this was greater among girls. Concerning school violence, negative self-perception was associated with feelings of sadness, suicidal thoughts, bullying at school, robbery at school and safety at school. Gender and age were also associated (p < 0.05). Conclusion We reinforce the need for culture and peace actions in adolescence, involving the school environment to reflect on poor health assessed by adolescents and reduce the rate of violence.
Descritores: Estudantes/estatística & dados numéricos
Violência/psicologia
Nível de Saúde
Bullying/psicologia
-Instituições Acadêmicas
Autoimagem
Estudantes/psicologia
Brasil
Modelos Logísticos
Fatores Sexuais
Estudos Transversais
Inquéritos e Questionários
Fatores Etários
Ideação Suicida
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 315 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1150413
Autor: Musalem B, Ricardo; Castro O, Paulina.
Título: ¿Qué se sabe de bullying? / What is known about bullying?
Fonte: Rev. Méd. Clín. Condes;26(1):14-23, ene-feb. 2015. tab.
Idioma: es.
Resumo: Se define bullying como una dinámica de maltrato sistemática que ocurre entre iguales de manera persistente. Es considerado un problema de salud pública debido a su prevalencia y las consecuencias que tiene en todos sus participantes: en los agresores, en las víctimas, en los espectadores, en los padres y familias, en la comunidad escolar y en la sociedad en general. Las investigaciones muestran efectos a corto, mediano y largo plazo en el desarrollo emocional y social de niños y adolescentes. Se ha constatado una relación del acoso escolar con las patologías físicas, psicosomática y de salud mental en niños, adolescentes y en la vida adulta. En este artículo se describen las características individuales, las relacionales, los factores conocidos como de riesgo y factores protectores, la prevalencia y los programas de abordaje integral del fenómeno. Son múltiples los estudios que muestran la efectividad de la aplicación de estos programas de intervención, diseñados en función de los conocimientos acumulados.

We define School Bullying as a systematic and persistent dynamic of peer abuse. It is considered a public health problem because of its prevalence and consequences in all participants: bullies, victims, bystanders, parents and families, the school community and society in general. Research shows short-, medium-and long-term negative effects in social and emotional development of children and adolescents. There has been a relationship of bullying with physical, psychosomatic and mental health in children, adolescents and adulthood diseases. In this paper we describe the individual characteristics, relational, factors known as risk and protective factors, prevalence and comprehensive programs addressing the phenomenon. There are multiple studies showing the effectiveness of the implementation of these intervention programs, designed on the basis of accumulated knowledge.
Descritores: Fatores de Risco
Bullying/psicologia
-Chile
Bullying/estatística & dados numéricos
Fatores de Proteção
Limites: Humanos
Criança
Adolescente
Responsável: CL1.1 - Biblioteca Central



página 1 de 32 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde