Base de dados : LILACS
Pesquisa : F01.145.813.550.374 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 94 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 10 ir para página                        

  1 / 94 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1056959
Autor: Cortez, Pedro Afonso; Souza, Marcus Vinícius Rodrigues de; Salvador, Ana Paula; Oliveira, Luís Fernando Adas.
Título: Sexismo, misoginia e LGBTQfobia: desafios para promover o trabalho inclusivo no Brasil / Sexism, misogyny, and LGBTQphobia: challenges to promote inclusive work practices in Brazil
Fonte: Physis (Rio J.);29(4):e290414, 2019. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo As práticas de violência permeiam diferentes contextos sociais, perpassando inclusive os espaços laborais. Nesse sentido, é fundamental promover o trabalho inclusivo, pois as práticas de dominação no trabalho relegam à marginalização diferentes atores sociais, incluindo mulheres e LGBTQs, ocasionando prejuízo à saúde psicossocial desses grupos. Com o intuito de contribuir nesse aspecto, propôs-se uma revisão crítica das produções sobre práticas de violência e dominação no contexto de trabalho voltado à população feminina e LGBTQs, a fim de identificar os desafios na proposição de trabalho inclusivo no Brasil. Foram empregados os descritores "trabalho" e "preconceito" ou "discriminação" em uma varredura da literatura entre 1995 e 2017 na base de dados Scielo, a qual permitiu a identificação de 54 estudos inclusos na presente revisão. Os resultados apontados pelos estudos revisados constataram violência com mulheres e LGBTQs nos diversos contextos laborais, praticada por chefes, colegas, clientes, entre outros sujeitos. Assim, apresenta-se como desafio para a proposição do trabalho inclusivo a implementação de intervenções educativas e assistenciais, respaldadas por legislações e políticas públicas que promovam o respeito e a equidade ao diverso como tônica nas organizações sociais e nos contextos de trabalho brasileiros.

Abstract Violent practices permeate different social contexts, including work spaces. In this sense, it is essential to promote inclusive work, as the practices of domination at work relegate to marginalization different social actors, including women and LGBTQs, causing harm to the psychosocial health of these groups. In order to contribute to this aspect, it was proposed a critical review of the productions on practices of violence and domination in the context of work aimed at the female population and LGBTQs, in order to identify the challenges in the proposition of inclusive work in Brazil. The descriptors "work" and "prejudice" or "discrimination" were used in a literature search between 1995 and 2017 in the Scielo database, which allowed the identification of 54 studies included in this review. The results pointed by the reviewed studies found violence with women and LGBTQs in the various work contexts, practiced by bosses, colleagues, clients, among other subjects. Thus, it is a challenge for the proposition of inclusive work to implement educational and assistance interventions, supported by laws and public policies that promote respect and equity to diversity as a keynote in Brazilian social organizations and work contexts.
Descritores: Mulheres
Ambiente de Trabalho
Sexismo
Violência no Trabalho
Minorias Sexuais e de Gênero
Violência de Gênero
-Condições de Trabalho
Brasil
Literatura de Revisão como Assunto
Assédio Sexual
Bullying
Estigma Social
Homofobia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  2 / 94 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1005570
Autor: Crenitte, Milton Roberto Furst; Miguel, Diego Felix; Jacob Filho, Wilson.
Título: Abordagem das particularidades da velhice de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros / An approach to the peculiarities of lesbian, gay, bisexual, and transgender aging
Fonte: Geriatr., Gerontol. Aging (Impr.);13(1):50-56, jan-mar.2019.
Idioma: pt.
Resumo: A invisibilidade do envelhecimento de lésbicas, gays, bissexuais e pessoas transgêneras (LGBT) é uma realidade. Sofrem com os etarismos da sociedade, por diversas formas de discriminação e pela presunção de que todos são heterossexuais e cisgêneros. Ademais, eles expressam maiores riscos de estarem morando sozinhos, de não terem filhos e de não apresentarem alguém para chamar em caso de uma emergência. Poucos são os estudos que abordam esse tema, principalmente na literatura médica brasileira. Além disso, o geriatra e o gerontólogo podem se deparar com situações desafiadoras em suas práticas ao cuidarem de uma pessoa idosa LGBT saudável, com demência ou até mesmo em fase final de vida. Assim, este artigo de revisão bibliográfica teve como objetivos: abordar o envelhecimento dessa população, reforçar as definições apropriadas e discutir sobre as discriminações que sofrem nos serviços de saúde, sobre as medidas para a promoção de sua saúde e sobre as especificidades no cuidado da pessoa idosa LGBT com demência, em fase final de vida ou residente de uma instituição de longa permanência

The invisibility of lesbian, gay, bisexual, and transgender people (LGBT) aging is a reality. These individuals suffer from ageism, from various forms of discrimination, and from the assumption that all are heterosexual and cisgender. They are also at higher risk of living alone, being childless, and having no one to call in an emergency. Few studies have addressed the subject, especially in the Brazilian medical literature. Additionally, geriatricians and gerontologists may encounter challenging situations when caring for LGBT older adults who are healthy, or have dementia, or are even at the end of life. Thus, this review article aimed to investigate the aging process of the LGBT population; to reinforce appropriate terminology; and to discuss the discrimination that they face in health care services, measures for health promotion, and the specific care of the LGBT older person with dementia, at the end of life, or living in a long-term care facility
Descritores: Isolamento Social/psicologia
Envelhecimento/psicologia
Minorias Sexuais e de Gênero/psicologia
Minorias Sexuais e de Gênero/estatística & dados numéricos
Barreiras ao Acesso aos Cuidados de Saúde
Serviços de Saúde para Idosos/tendências
-Cuidados Paliativos
Saúde do Idoso
Pessoal de Saúde/educação
Demência
Homofobia/psicologia
Equidade de Gênero
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Idoso de 80 Anos ou mais
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR275.1 - Biblioteca


  3 / 94 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1135429
Autor: Lira, Aline Nogueira de; Morais, Normanda Araujo de.
Título: Psychosocial Adjustment Profiles of Gay and Lesbian Individuals Involved in Marital Relations: A Cluster-Based Analysis / Perfis de Ajustamento Psicossocial de Gays e Lésbicas Envolvidos em Relacionamentos Conjugais: Uma Análise Baseada em Clusters / Perfiles de Ajuste Psicosocial de Gays y Lesbianas en Relaciones Conyugales: Un Análisis con Base en Clusters
Fonte: Paidéia (Ribeirão Preto, Online);30:e3013, 2020. tab.
Idioma: en.
Projeto: National Council for Scientific and Technological Development - CNPQ; . Edson Queiroz Foundation - FEQ.
Resumo: Abstract Sexual minorities continue to face stressful environments arising from a heterosexist and homophobic system, endangering their health as well as their relational competence. This study characterizes psychosocial adjustment profiles from gay men and lesbians, verifying their differences according to socio-demographic data and protection factors. For such, 176 self-declared gay and lesbian participants, residents of Fortaleza, Aracaju and Uberaba, with stable marital relationships, responded to the following instruments: Internalized Homophobia Scales, Marital Satisfaction Scale, and the General Health Questionnaire. By using the cluster analytical method, four adaptive patterns were identified: resilient (n = 58); vulnerable (n = 41); competent (n = 43); and poorly adapted (n = 34). The identification of distinct profiles emphasized individual development paths, pointing out directions on how to promote resilience processes among sexual minorities that experienced such internal perception of stigma.

Resumo Minorias sexuais continuam a enfrentar ambientes estressantes decorrentes do sistema heterossexista e homofóbico, colocando em risco a sua saúde, bem como a sua competência relacional. Esse estudo objetivou caracterizar perfis de ajustamento psicossocial de gays e lésbicas, verificando as suas diferenças de acordo com os dados sociodemográficos e os fatores de proteção. Para tal, 176 participantes autodeclarados gays e lésbicas, residentes de Fortaleza, Aracaju e Uberaba e que viviam relações conjugais estáveis, responderam os seguintes instrumentos: Escalas de Homofobia Internalizada, Escala de Satisfação Conjugal e o Questionário de Saúde Geral. Através do método analítico de cluster quatro padrões adaptativos foram identificados: resiliente (n = 58); vulnerável (n = 41); competente (n = 43); e mal adaptado (n = 34). A identificação de perfis distintos evidenciou trajetórias de desenvolvimento singulares, apontando direções sobre como promover processos de resiliência entre as minorias sexuais que vivenciaram a percepção interna do estigma.

Resumen Las minorías sexuales siguen enfrentando ambientes estresantes resultado del sistema heterosexista y homofóbico poniendo en riesgo su salud y su competencia en las relaciones. Este estudio tuvo como objetivo caracterizar los perfiles de ajuste psicosocial de gays y lesbianas, verificando sus diferencias según los datos sociodemográficos y los factores de protección. Para ello, 176 participantes homosexuales y lesbianas autodeclarados, residentes en Fortaleza, Aracaju y Uberaba y que se encontraban en estables relaciones conyugales respondieron los siguientes instrumentos: Escalas de Homofobia Internalizada, Escala de Satisfacción Conyugal y Cuestionario de Salud General. Utilizando el método analítico de cluster se identificaron cuatro estándares adaptativos: resiliente (n = 58); vulnerable (n = 41); competente (n = 43); y mal adaptado (n = 34). Los distintos perfiles identificados mostraron trayectorias de desarrollo singulares, destacando instrucciones sobre cómo promover procesos de resiliencia entre las minorías sexuales que experimentaron la percepción interna del estigma.
Descritores: Satisfação Pessoal
Ajustamento Social
Homossexualidade
Casamento
Fatores de Risco
Cristianismo
Competência Mental
Resiliência Psicológica
Homofobia
Minorias Sexuais e de Gênero
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Responsável: BR26.1 - Biblioteca Central


  4 / 94 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-881353
Autor: Romano, Valéria Ferreira.
Título: Inclusão não-homofóbica: um diálogo entre estudantes de medicina e travestis / Non-homophobic inclusion: a dialogue between medicine students and transvestites
Fonte: Rev. bras. med. fam. comunidade;3(10):99-105, nov. 2007.
Idioma: en; pt.
Resumo: Trabalhar habilidades de comunicação com estudantes de Medicina tem sido um desafio constante e, mais ainda, tem sido lidar com questões relacionadas ao preconceito, à homofobia, à discriminação em serviços de saúde. Desde 2001, o Programa Saúde da Família Lapa, integrante do currículo do curso de Medicina da UNESA, tem enfrentado esse desafio, promovendo o encontro entre os estudantes e os travestis, a partir do foco na visita domiciliar, atividades de educação em saúde e atendimento ambulatorial. O objetivo é refletir sobre as habilidades de comunicação de estudantes de Medicina, a partir da inclusão dos travestis em serviços de Atenção Básica freqüentados por estes estudantes. Como metodologia, foram adotados: registro de observação direta; entrevistas com perguntas abertas com estudantes e travestis de uma área adscrita. Como resultado, tivemos melhor desempenho na comunicação dos estudantes diante de situações relacionadas à homofobia e ao acesso dos travestis aos serviços de saúde, garantindo integralidade, eqüidade e universalidade ao SUS de todos nós. Tanto os estudantes quanto os travestis desejam uma aproximação que estimule um encontro humanizado e inclusivo, colocando em questão velhos preconceitos valorizando formas de atendimento na sintonia do acolhimento.

Introduction: Teaching communication skills to medical students is a constant challenge, mainly when it comes to issues such as prejudice, homophobia and discrimination in the health services. Since 2001, the Family Health Program Lapa, part of the curriculum of the medical course of UNESA, has faced this challenge by promoting a dialogue between medical students and transvestites in the course household visits, health education activities and outpatient care. Objective: Reflect about the communication skills of medical students providing basic health care services to transvestites.Methodology: Direct observation; interviews using open questions with students and transvestites of an area covered by the program.Results: Better communication of students in situations related to homophobia and to the access of transvestites to the health services, thus contributing to the integrality, equity and universality of the Unified Health System.Conclusion: Both students and transvestites want to reach a humanized and inclusive relationship, based on refuting old prejudice and valuing dialogue and healthcare delivery in a supportive environment.
Descritores: Equidade em Saúde
-Atenção Primária à Saúde
Saúde da Família
Comunicação
Estratégia Saúde da Família
Comunicação em Saúde
Homofobia
Sexismo
Serviços de Saúde
Responsável: BR408.1 - Biblioteca da Faculdade de Medicina - BFM


  5 / 94 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1135738 LILACS-Express
Autor: Paveltchuk, Fernanda de Oliveira; Borsa, Juliane Callegaro; Damásio, Bruno Figueiredo.
Título: Apoio social, resiliência, estresse de minorias e saúde mental de mulheres lésbicas e bissexuais / Social support, resilience, minority stress, and mental health outcomes in lesbian and bisexual women / Apoyo social, resiliencia, estrés de minorías y salud mental de mujeres lesbianas y bisexuales
Fonte: Psico USF;25(3):403-414, jul.-set. 2020. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Este estudo buscou avaliar os efeitos de moderação do apoio social e da resiliência na relação entre o Estresse de Minorias (EM) e desfechos de saúde mental. Participaram desse estudo 337 mulheres, sendo 42,43% lésbicas (n = 143) e 57,57% bissexuais (n = 194), maiores de 18 anos (M = 26 anos; DP = 17,3). As participantes responderam escalas de homofobia internalizada, vitimização, revelação da orientação sexual, felicidade subjetiva, satisfação com a vida, depressão, ansiedade e estresse, apoio social e resiliência. Foi realizada uma modelagem por equações estruturais para verificar o impacto dos estressores de minorias nas variáveis de bem-estar (BES) e psicopatologia (PSP), além de testar se apoio social e resiliência moderavam essas relações. Os resultados demonstraram que a resiliência moderou a relação entre vitimização e psicopatologia. Implicações clínicas são apontadas ao longo do artigo. (AU)

This study aimed to evaluate the moderating effects of social support and resilience in the relationship between Minority Stress (MS) and mental health outcomes. A total of 337 women over 18 years of age (M = 26 years, SD = 17.3) participated in this study, including 42.43% lesbian, (n = 143) and 57.57% bisexual women (n = 194). The participants responded to scales that assessed internalized homophobia, victimization, disclosure of sexual orientation, subjective happiness, life satisfaction, depression, anxiety and stress, social support, and resilience. Structural equation modeling was performed to verify the impact of minority stressors on the well-being and psychopathology variables and to test whether social support and resilience moderated these associations. Results showed that resilience moderated the relationship between victimization and psychopathology. Clinical implications are discussed throughout the article. (AU)

Este estudio buscó evaluar los efectos de moderación de apoyo social y resiliencia en la relación entre el Estrés de Mínorías e indicadores de salud mental. En este estudio participaron 337 mujeres, siendo 42,43% lesbianas (n = 143) y 57,57% bisexuales (n = 194), mayores de 18 años de edad (M = 26 años, DP = 17,3). Los participantes respondieron escalas de homofobia internalizada, victimización, revelación de orientación sexual, felicidad subjetiva, satisfacción con la vida, depresión, ansiedad y estrés, apoyo social y resiliencia. Se realizó el modelo de ecuaciones estructurales para verificar el impacto de los estresores de minorías en las variables de bienestar (BES) y psicopatología (PSP), además de testar si el apoyo social y la resiliencia moderaban estas relaciones. Los resultados demostraron que la resiliencia modera la relacción entre victimización y psicopatología. Implicaciones clínicas son señaladas a lo largo del artículo. (AU)
Descritores: Estresse Psicológico
Bissexualidade
Saúde Mental
Homossexualidade Feminina
-Apoio Social
Resiliência Psicológica
Homofobia
Minorias Sexuais e de Gênero
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR1249.1 - Coordenadoria do Sistema de Bibliotecas


  6 / 94 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1046752
Autor: Sánchez, Flavio Florencio.
Título: En busca de la paz / In search of peace
Fonte: Inmanencia (San Martín, Prov. B. Aires);5(1):106-107, 2016.
Idioma: es.
Resumo: La masacre en el local gay de Orlando dejó como saldo 50 muertos y 53 heridos y abre nuevamente el debate sobre varios temas polémicos en la sociedad. La homofobia, la intolerancia, el extremismo religioso,la violencia y un sin fin de otras cuestiones no menos preocupantes.
Descritores: Problemas Sociais
Violência
Homofobia
Discriminação Social
Responsável: AR392.1 - Biblioteca


  7 / 94 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Cuba
Texto completo
Id: biblio-1124719
Autor: González-Velázquez, Victor Ernesto; Pedraza-Rodríguez, Elys María; Rodríguez-Rodríguez, Lissi Lisbet.
Título: El análisis sobre la homofobia en estudiantes redunda en una visión integral del problema / The analysis of homophobia in students leads to a comprehensive view of the problem
Fonte: Edumecentro;12(3):300-304, jul.-set. 2020.
Idioma: es.
Descritores: Estudantes
Homofobia
Responsável: CU425.1 - Centro Provincial de Información de Ciencias Médicas de Villa Clara


  8 / 94 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Merighi, Miriam Aparecida Barbosa
Texto completo
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1120216
Autor: Mata, Nely Dayse Santos da; Silva, Marcelo Henrique da; Domingos, Selisvane Ribeiro da Fonseca; Jesus, Maria Cristina Pinto de; Merighi, Miriam Aparecida Barbosa.
Título: Adolescentes homossexuais e suas relações com familiares: estudo fenomenológico / Homosexual adolescents and their relations with relatives: a phenomenological study / Adolescentes homosexuales y sus relaciones familiares: estudio fenomenológico
Fonte: Online braz. j. nurs. (Online);16(4):409-419, dez. 2017.
Idioma: en; es; pt.
Resumo: OBJETIVO: compreender a vivência de adolescentes homossexuais frente às relações com seus familiares. MÉTODO: pesquisa fundamentada na fenomenologia social de Alfred Schütz. Utilizou-se a entrevista com questões abertas para obter depoimentos de 12 adolescentes homossexuais. Os dados foram organizados e analisados em categorias temáticas, de acordo com o referencial teórico-metodológico. RESULTADOS: emergiram dos depoimentos as categorias: "Descoberta da homossexualidade pelos familiares"; "Relação familiar conflituosa" e, "Ser respeitado e manter os laços com a família". DISCUSSÃO: os conflitos vivenciados pelos adolescentes homossexuais no ambiente familiar interferem no modo como expressam a homossexualidade nos espaços sociais. Embora vivenciem rejeição, preconceitos, coerção da liberdade, entre outros, estes adolescentes esperam ser respeitados em sua orientação sexual, mantendo as relações com seus familiares. CONCLUSÃO: os resultados deste estudo propiciam reflexões voltadas à inclusão de adolescentes homossexuais nos cenários sociais, considerando o respeito à diversidade afetivo-sexual.

AIM: to understand the experience of homosexual adolescents in relation to their relatives. METHOD: research based on the social phenomenology of Alfred Schütz. The interview with open questions was used to obtain testimony from 12 homosexual adolescents. The data were organized and analyzed in thematic categories, according to the theoretical-methodological framework. RESULT: the following categories emerged from the testimonies: "Discovering homosexuality by relatives"; "Conflicting family relationship" and, "Being respected and maintaining family ties". DISCUSSION: the conflicts experienced by homosexual adolescents in the family environment interfere with the way they express homosexuality in social spaces. Although they experience rejection, prejudice, coercion of freedom, among others, these adolescents expect to be respected in their sexual orientation, maintaining relationships with their relatives. CONCLUSION: the results of this study provide reflections aimed at the inclusion of homosexual adolescents in social settings, considering respect for affective-sexual diversity.

OBJETIVO: comprender la vivencia de los adolescentes homosexuales frente y las relaciones con sus familiares. MÉTODO: Investigación fundamentada en la fenomenología social de Alfred Schütz. Se utilizó la entrevista con cuestiones abiertas para obtener los testimonios de 12 adolescentes homosexuales. Los datos se organizaron y se analizaron en categorías temáticas, de acuerdo con el referencial teórico-metodológico. RESULTADO: emergieron de los testimonios las categorías: "Descubierta de la homosexualidad por los familiares"; "Relación familiar conflictiva" y, "Ser respetado y mantener los lazos con la familia". DISCUSIÓN: Los conflictos vividos por los adolescentes homosexuales en el ambiente familiar interfieren en el modo como expresan la homosexualidad en los espacios sociales. Aunque experimentan rechazo, prejuicios, coerción de la libertad, entre otros, estos adolescentes esperan ser respetados en su orientación sexual, manteniendo las relaciones con sus familiares. CONCLUSIÓN: Los resultados de este estudio propician reflexiones dirigidas a la inclusión de adolescentes homosexuales en los escenarios sociales, considerando el respeto a la diversidad afectivo-sexual.
Descritores: Homossexualidade
Conflito Familiar
Minorias Sexuais e de Gênero
-Homofobia
Limites: Humanos
Adolescente
Responsável: BR1342.1 - Biblioteca da Escola de Enfermagem BENF


  9 / 94 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: lil-772008
Autor: Natarelli, Taison Regis Penariol; Braga, Iara Falleiros; Oliveira, Wanderlei Abadio de; Silva, Marta Angélica Iossi.
Título: O impacto da homofobia na saúde do adolescente / The Impact of homophobia on adolescent health / El impacto de la homofobia en la salud del adolescente
Fonte: Esc. Anna Nery Rev. Enferm;19(4):664-670, out.-dez. 2015.
Idioma: en.
Resumo: Objetivo: Objetivou-se conhecer os tipos de violência sofrida por adolescentes homossexuais e compreender a influência da homofobia na saúde dessa população. Métodos: Foram realizadas entrevistas, em profundidade, com nove adolescentes residentes em um município do interior de São Paulo que se autodeclararam homossexuais. Resultados: Os tipos de violência sofridos e referidos pelos adolescentes foram: física, verbal, psicológica e sexual. A homofobia provoca percepções negativas sobre si mesmo e a não adoção de hábitos de vida saudáveis relacionados aos cuidados com alimentação, prática de atividades físicas, padrão de sono e ideações suicidas. Foram relatadas situações de homofobia nos serviços de saúde. Conclusão: Adolescentes homossexuais são vulneráveis a diferentes tipos de violência. A dificuldade de acesso aos serviços de saúde é um fator concorrente ao aumento da vulnerabilidade. A contribuição deste estudo reside na problematização de tópicos que podem auxiliar na construção do cuidado integral dos adolescentes homossexuais.

Objective: This study had the purpose of recognizing the types of violence suffered by homosexual adolescents and understandingthe effects of homophobia on the health of this group. Methods: In-depth interviews were conducted with nine adolescents thatlive in a country town on the state of São Paulo who declared themselves homosexuals. Results: The respondents reportedcases of physical, verbal, psychological and sexual violence. Homophobia causes negative perceptions about themselvesand the non-adoption of healthy lifestyle related to their nutrition, physical activity practice, sleep patterns and suicidal ideas.Homophobic situations were also described at health units. Conclusion: Homosexual adolescents are more vulnerable todifferent types of violence and the difficulty of access to health services increases the vulnerability. The relevance of this studyis on the problematization of topics that can promote the construction of comprehensive care of this group.

Objetivo: Conocer los tipos de violencia sufrida por adolescentes homosexuales y comprender la influencia de la homofobia enla salud de ese grupo. Métodos: Fueron realizadas entrevistas en profundidad con nueve jóvenes residentes en un municipiodel interior de São Paulo que se declararon homosexuales. Resultados: Los entrevistados relataron casos de violencia física,verbal, psicológica y sexual. La homofobia causa percepciones negativas acerca de si mismo y la no adopción de hábitos de vidasaludables relacionados a los cuidados con la alimentación, práctica de actividades físicas, patrones de sueño e ideas suicidas.También fueron relatadas situaciones de homofobia en los servicios de salud. Conclusión: Adolescentes homosexuales sonmás vulnerables a diferentes tipos de violencia. La dificultad de acceso a los servicios de salud aumenta la vulnerabilidad. Lacontribución de este estudio está en la problematización de tópicos que puedan auxiliar la construcción del cuidado integralde estos individuos.
Descritores: Comportamento Sexual
Homofobia
Homossexualidade
Saúde do Adolescente
Violência
Limites: Humanos
Adolescente
Responsável: BR442.1 - Biblioteca Setorial de Pós-Graduação


  10 / 94 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1102546
Autor: Guimarães, Nilo Plantiko; Sotero, Rafaela Lirio; Cola, João Paulo; Antonio, Suzana; Galavote, Heletícia Scabelo.
Título: Avaliação da implementação da Política Nacional de Saúde Integral à população LGBT em um município da região Sudeste do Brasil / Evaluation of the implementation of the National Comprehensive Health Policy for the LGBT population in a municipality in the Southeast region of Brazil / Evaluación de la implementación de la Política Nacional de Salud Integral para la población LGBT en un municipio de la región sudeste de Brasil
Fonte: RECIIS (Online);14(2):372-385, abr.-jun. 2020. tab.
Idioma: pt.
Resumo: A população LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais), por não se encaixar nos padrões heteronormativos, recebe um tratamento pejorativo e excludente, o que limita o acesso aos serviços de saúde. Este estudo tem como objetivos avaliar a implementação da Política Nacional de Saúde Integral à População LGBT (PNAIPLGBT) na atenção básica de saúde e compreender o conhecimento de enfermeiros da Estratégia Saúde da Família acerca da diversidade sexual e da homofobia. Trata-se de um estudo descritivo, exploratório e de natureza qualitativa. Os participantes relatam ausência ou limitação de conhecimento sobre a PNAIPLGBT. Assim, a falta de conhecimento sobre o público LGBT e o despreparo dos profissionais de saúde para acolher o público em questão resultam na restrição do acesso da população LGBT aos serviços de saúde, o que afeta diretamente na realização da Política Nacional de Atenção Integral à População LGBT.

The LGBT population (Lesbian, Gay, Bisexual, Transvestite and Transsexual), since it does not fit the heteronormative patterns, ends up receiving a pejorative and exclusive treatment, which limits access to health services. This study aims to evaluate the implementation of the National Policy on Comprehensive Health for LGBT Population (PNAIPLGBT) in basic health care and to understand the knowledge of nurses in the Family Health Strategy regarding sexual diversity and homophobia. This is a descriptive, exploratory study of a qualitative nature. Participants report absence or limitation of knowledge about PNAIPLGBT. Thus, the lack of knowledge about the LGBT public and the lack of preparation of health professionals to welcome the public in question results in the limitation of LGBT population access to health services, which directly affects the implementation of the National Policy of Comprehensive Attention to Population LGBT.

La población LGBT (Lesbianas, Gays, Bisexuales, Travestis y Transexuales) por no encajar en los patrones heteronormativos acaba recibiendo un trato peyorativo y excluyente, lo que limita el acceso a los servicios de salud. Este estudio tiene como objetivos evaluar la implementación de la Política Nacional de Salud Integral a la Población LGBT (PNAIPLGBT) en la atención básica de salud y comprender el conocimiento de enfermeros de la Estrategia Salud de la Familia en lo referente a la diversidad sexual y la homofobia. Se trata de un estudio descriptivo, exploratorio de naturaleza cualitativa. Los participantes reportan ausencia o limitación de conocimiento sobre la PNAIPLGBT. Así, la falta de conocimiento sobre el público LGBT y el despreparo de los profesionales de salud en acoger al público en cuestión, resulta en la limitación del acceso de la población LGBT a los servicios de salud lo que afecta directamente en la implementación de la Política Nacional de Atención Integral a la Población LGBT.
Descritores: Atenção Primária à Saúde
Política Pública
Enfermagem em Saúde Comunitária
Sexualidade
Minorias Sexuais e de Gênero
-Pesquisa Qualitativa
Homofobia
Diversidade de Gênero
Acesso aos Serviços de Saúde
Limites: Humanos
Responsável: BR526.1 - Biblioteca de Saúde Pública



página 1 de 10 ir para página                        
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde