Base de dados : LILACS
Pesquisa : F01.145.813.550.500 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 151 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 16 ir para página                         

  1 / 151 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1050014
Autor: Anjos, José Carlos dos.
Título: Brasil: uma nação contra as suas minorias / Brazil: a nation against its minorities / Brasil: una nación contra sus minorías
Fonte: Rev. psicanal;26(3):http://revista.sppa.org.br/index.php/RPdaSPPA/article/view/469/489, dez. 2019.
Idioma: pt.
Resumo: O artigo aborda a violência racial e o efeito de pensamento vindo de perspectivas minoritárias sobre o genocídio étnico-racial no Brasil. Ao seguir as pistas de uma perspectiva religiosa afro-brasileira sobre pretos velhos, o artigo sonda uma filosofia do tempo que insiste sobre a persistência atual da escravidão. E se, como parece sugerir a religiosidade afro-brasileira, o sistema de escravidão negra iniciado no século XV não terminou? A primeira seção do artigo esboça uma etnografia para retirar consequências dessa proposição sobre a duração do sistema escravista. Na segunda parte, o artigo articula essa proposição a posicionamentos do ativismo antirracista do movimento negro. Por fim se sugere uma leitura da relação entre a problemática racial e os limites da democracia brasileira (AU)

This paper approaches the racial violence and the effects of the thought of the minority perspectives about ethnic-racial genocide in Brasil. Following the leads of an afro-brazilian religious perspective about the preto velho, the article probes a time philosophy that insists in the endurance of the current slavery. And as the afro-Brazilian religiosity suggests, has the black slavery system, that initiated in the 15th century, finished yet? The first section of the article sketches an ethnography to get to the consequences of the proposition concerning the length of the enslavement system. In the second part, the paper articulates this proposition to place the anti-racist activism in the black movement. Finally, it suggests a possible relation between the racial issue and the brazilian democracy

El artículo aborda la violencia racial y el efecto de pensamiento de las perspectivas minoritarias sobre el genocidio étnico-racial en Brasil. Siguiendo las pistas de una perspectiva religiosa afro-brasileña acerca de los pretos velhos, el artículo indaga una filosofía del tiempo que insiste acerca de la persistencia actual de la esclavitud. Según lo que parece sugerir la religiosidad afro-brasileña, el sistema de esclavitud negra iniciado en el siglo XV ¿ha terminado? La primera sección del artículo esboza una etnografía para retirar consecuencias de esa proposición acerca de la duración del sistema esclavista. En la segunda parte el texto articula esa proposición con posicionamientos del activismo antirracista del movimiento negro. Por fin sugiere una lectura de la relación entre la problemática racial y los límites de la democracia brasileña
Descritores: Racismo
-Pobreza
Carência Psicossocial
Religião
Segregação Social
Responsável: BR18.9


  2 / 151 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1049728
Autor: Conte, Bárbara de Souza.
Título: Psicanálise e história: um olhar sobre a desigualdade no Brasil / Psychoanalysis and history: a look at inequality in Brazil / Psicoanálisis e historia: una mirada a la desigualdad en Brasil
Fonte: Rev. psicanal;26(3):http://revista.sppa.org.br/index.php/RPdaSPPA/article/view/466/485, dez. 2019.
Idioma: pt.
Resumo: O trabalho aborda a experiência desenvolvida há 9 anos na Sigmund Freud Associação Psicanalítica, denominada SIG Intervenções Psicanalíticas, que promove intervenções clínico-políticas nos locais onde pessoas em sofrimento solicitam escuta. Os grupos de escuta e de testemunho constituem modalidades grupais do trabalho, agindo junto a sujeitos que sofrem violência com efeitos traumáticos e que vivem em situações de exclusão e vulnerabilidade. Tais grupos oferecem espaços de fala, onde a circulação da palavra transforma o sofrimento individualizado em coletivo, assim como o encontro com o outro promove a ressignificação da experiência e reinscrição social. Discute a maneira através da qual os mecanismos de silenciamento e desmentido que mantem o não dito levam à repetição que obstaculiza a ação ética e a mudança. O racismo é discutido como pano de fundo da desigualdade no Brasil e como fator determinante para a reprodução de políticas de violência de Estado (AU)

The work addresses the experience being developed from 9 years in the Sigmund Freud Psychoanalytic Association, called SIG Psychoanalytic Interventions, which promotes clinical-political interventions in places where people in distress request listening. The listening and witnessing groups constitutes group work modalities for subjects who suffer violence, with traumatic effects and live in situations of exclusion and vulnerability. They offer speech spaces, where the word circulation transforms individualized suffering into collective, and the encounter with the other promotes the re-signification of the experience and its social reinscription. It discusses how the silencing and denial mechanisms that hold the unsaid lead to repetition that hinders ethical action and change. Racism is discussed as the background of inequality in Brazil and a factor that supports the reproduction of State violence policies

El trabajo aborda la experiencia que se desarrolla hace 9 años en la Sigmund Freud Asociación Psicoanalítica, que se denomina SIG Intervenciones Psicoanalíticas y promociona las intervenciones clínico-políticas en lugares en los que las personas en sufrimiento solicitan la escucha. Los grupos de escucha y testimonio constituyen modalidades grupales de trabajo actuando con sujetos que sufren violencia, con efectos traumáticos y viven en situaciones de exclusión y vulnerabilidad. Ofrecen espacios de habla, donde la circulación de la palabra transforma el sufrimiento individualizado en colectivo, y el encuentro con el otro, la resignificación de la experiencia y la reinscripción social. Discute, además, cómo los mecanismos de silenciamiento y desmentida que sostienen lo no dicho llevan a la repetición que dificulta la acción ética y el cambio. El racismo se discute como el trasfondo de la desigualdad en Brasil y factor determinante para la reproducción de las políticas de violencia
Descritores: Racismo
-Pobreza
Violência
Processos Grupais
Responsável: BR18.9


  3 / 151 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1025950
Autor: Oliveira, Érika Cecília Soares; Battistelli, Bruna Moraes; Rodrigues, Luciana; Cruz, Lilian Rodrigues da.
Título: Raça e Política de Assistência Social: produção de conhecimento em psicologia social / Race and Social Assistance Policy: production of knowledge in social psychology / Raza y Políticade Bienestar Social: producción de conocimiento en psicología social
Fonte: Psicol. ciênc. prof;39(2,n.esp):141-152, ago.-nov. 2019.
Idioma: pt.
Resumo: Partimos da reflexão acerca das políticas públicas de Assistência Social e como as interfaces raça, racismo e branquitude emergem na produção de conhecimento. Inspiradas na ideia de pluriversalidade questionamos o universo conceitual branco, trazendo como reflexão as produções em Psicologia que se centram em um ideário eurocêntrico, masculinista e heterocentrado. Apresentamos uma discussão sobre o tema da raça e racismo, pensando como estes se articulam tanto na constituição e implementação das políticas públicas, quanto na sua precarização. Para finalizar, afirmamos a necessidade de descolonizar a produção em Psicologia Social, colocar a branquitude em jogo, dissolver a ideia de sujeito universal e assumir a necessidade de pensarmos e publicarmos a partir de uma perspectiva polirracional. Acreditamos que as políticas de produção de saberes e fazeres em Psicologia devem estar atentas à geopolítica do conhecimento, dialogando com diversidades epistêmicas espalhadas em distintas regiões do planeta, sobretudo aquelas do Sul Global....(AU)

This paper presents a reflection on public policies for Social Assistance and the way that interfaces such as race, racism and whiteness have appeared in knowledge production. Inspired by the idea of pluriversality, we have questioned the white conceptual universe by bringing reflections on psychology productions focused on a Eurocentric, masculinist, and heterocentered ideology. We present a discussion on race and racism, thinking about the way they have been articulated in the constitution and implementation of public policies as well as in their precariousness. Finally, we state the need to decolonize the production in Social Psychology, in order to bring whiteness into play, dissolve the idea of universal subject, and admit our need to think and publish from a multi-rational perspective. We believe that policies for the production of knowledges and actions in psychology should be attentive to the geopolitics of knowledge, in a dialogue with epistemic diversities spread in different regions over the world, particularly in the Global South....(AU)

Se parte de la reflexión sobre las políticas públicas de Bienestar Social e interfaces como la raza, el racismo y la blanquitud surgen en la producción de conocimiento. Inspirados en la idea de la pluriversidad, cuestionamos el universo conceptual blanco, trayendo como reflejo las producciones en psicología que se centran en una idea eurocéntrica, masculinista y heterocéntrica. Presentamos una discusión sobre el tema de la raza y el racismo, pensando cómo se articulan tanto en la constitución y la implementación de las políticas públicas, como en su precariedad.Finalmente, afirmamos la necesidad de descolonizar la producción en Psicología Social, poner en juego la blanquitud, disolver la idea del tema universal y asumir la necesidad de pensar y publicar desde una perspectiva múltiplemente racional. Creemos que la política de producción de conocimiento y las actividades en psicología deben estar atentas a la geopolítica del conocimiento, dialogando con diversidades epistémicas diseminadas en diferentes regiones del planeta, especialmente en las del Sur Global....(AU)
Descritores: Psicologia Social
Política Pública
Serviço Social
Racismo
-Psicologia
Relações Raciais
FREEZE DRYINGABDOMEN, ACUTE
Limites: Seres Humanos
Tipo de Publ: Estudos de Avaliação
Responsável: BR1552.1 - Biblioteca Central


  4 / 151 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo SciELO Brasil
Batista, Luis Eduardo
Texto completo
Id: biblio-830857
Autor: Diniz, Carmen Simone Grilo; Batista, Luís Eduardo; Kalckmann, Suzana; Schlithz, Arthur O. C; Queiroz, Marcel Reis; Carvalho, Priscila Cavalcanti de Albuquerque.
Título: Desigualdades sociodemográficas e na assistência à maternidade entre puérperas no Sudeste do Brasil segundo cor da pele: dados do inquérito nacional Nascer no Brasil (2011-2012) / Sociodemographic inequalities and maternity care of puerperae in Southeastern Brazil, according to skin color: data from the Birth in Brazil national survey (2011-2012)
Fonte: Saúde Soc;25(3):561-572, jul.-set. 2016. tab.
Idioma: pt.
Projeto: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Técnológico (CNPq); . Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).
Resumo: Resumo Historicamente, no Brasil, os indicadores de saúde de mães e bebês segundo cor da pele mostram quadro desfavorável às negras (pretas e pardas). Na última década, a redução das disparidades de renda e escolaridade, assim como a universalização da assistência à saúde, podem ter alterado esse quadro, em alguma medida. O objetivo deste artigo foi analisar as mudanças nas desigualdades sociodemográficas e na assistência à maternidade no Sudeste do Brasil, segundo raça/cor, na última década. Utilizamos dados do inquérito nacional Nascer no Brasil (2011-2012). Análise estatística descritiva foi realizada para a caracterização sociodemográfica, do acesso à assistência pré-natal, antecedentes clínicos e obstétricos, e características da assistência ao parto. Encontramos diferenças desfavoráveis às pretas e pardas quanto à escolaridade, renda e ao trabalho remunerado; as brancas tinham mais planos de saúde privados e maior idade. As pretas e pardas tiveram menor número de consultas, menos ultrassonografias, mais cuidado pré-natal considerado inadequado, maior paridade e mais síndromes hipertensivas. No parto, tiveram menos acompanhantes, mais partos vaginais, embora a cesárea tenha dobrado entre as negras, que com mais frequência entraram em trabalho de parto e tiveram filhos nascidos de termo pleno. Não houve diferença estatisticamente significativa quanto à situação conjugal, intercorrências da gestação, diabetes mellitus, anemias, sífilis, HIV, peregrinação para o parto, near miss materno ou neonatal e na maioria das intervenções no parto vaginal. Ainda que importantes disparidades persistam, houve alguma redução das diferenças sociodemográficas e um aumento do acesso, tanto a intervenções adequadas quanto às desnecessárias e potencialmente danosas.

Abstract Historically, in Brazil, the health indicators of mothers and babies by skin color show an unfavorable picture to black and brown-skinned women. In the last decade, the reduction of disparities in income and education, as well as the universalization of health care, may have altered this situation to some extent. The objective of this study was to analyze the changes in socio-demographic inequalities and maternity care in Southeastern Brazil, by race/color, in the last decade. We used data from the national survey Born in Brazil (2011-2012). Descriptive statistical analysis was performed in order to define socio-demographic characteristics, access to antenatal care, clinical and obstetric history, and characteristics of birth assistance. We found differences unfavorable to black and brown-skinned women in education, income, and paid work; white women had more private health insurance plans, and increased age. Black and brown women had fewer medical appointments, fewer ultrasounds, more antenatal care considered inadequate, higher parity, and more hypertensive disorders. In childbirth, they had fewer companions and more vaginal deliveries, although the cesarean rate has grown twice as high among black women. More often they went into labor and had children born full term. There was no statistically significant difference in marital status, pregnancy complications, diabetes mellitus, anemia, syphilis, HIV, pilgrimage to delivery, neonatal or maternal near miss, and most of the interventions in vaginal delivery. Although major disparities persist, there was some reduction in sociodemographic differences as well as increased access to both appropriate and unnecessary and potentially harmful interventions.
Descritores: Qualidade da Assistência à Saúde
Fatores Socioeconômicos
Grupos Étnicos
Saúde Materno-Infantil
Saúde da Mulher
Assistência Perinatal
Equidade em Saúde
Tocologia
-Cuidado Pré-Natal
Planos de Pré-Pagamento em Saúde
Pessoal de Saúde
Grupo com Ancestrais do Continente Africano
Saúde Reprodutiva
Racismo
Limites: Seres Humanos
Feminino
Gravidez
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  5 / 151 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo SciELO Brasil
Batista, Luis Eduardo
Rattner, Daphne
Texto completo
Id: biblio-830856
Autor: Batista, Luís Eduardo; Rattner, Daphne; Kalckmann, Suzana; Oliveira, Maridite Cristóvão Gomes de.
Título: Humanização na atenção à saúde e as desigualdades raciais: uma proposta de intervenção / Humanization in health care and racial inequalities: an intervention proposal
Fonte: Saúde Soc;25(3):689-702, jul.-set. 2016.
Idioma: pt.
Projeto: Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. Coordenação Geral de Saúde das Mulheres. Fundo Nacional de Saúde/SES São Paulo.
Resumo: Resumo O artigo relata a proposta de ação/intervenção "Humanização do parto e nascimento: questões étnico/racial e de gênero", desenvolvida no Hospital Geral de São Mateus Dr. Manoel Bifulco em São Paulo (SP), que objetivou sensibilizar a equipe do hospital para a mortalidade materna de mulheres negras. Foram utilizados como fontes documentais relatórios de gestão, convênio estabelecido, relatórios de ordenamento de despesas e o livro Nascer com equidade. São descritas as sete etapas desenvolvidas: sensibilização e negociação na Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (SES-SP); negociação com o Ministério da Saúde; sensibilização e pactuação com o serviço de saúde; diagnóstico da situação; sensibilização dos profissionais para as questões de gênero e raça/cor, com a introdução do quesito "cor" nos sistemas de informação; formação dos profissionais do hospital; e formação do movimento social. O projeto teve como resultados a inclusão do quesito "cor" na Autorização de Internação Hospitalar; a sensibilização da equipe para as especificidades da saúde da mulher negra; e a mudança de percepção da equipe em relação à presença do pai na hora do nascimento, gerando a campanha "Pai não é visita". O projeto foi efetivo na abordagem de temas complexos.

Abstract The study reports the project "Humanização do parto e nascimento: questões étnico/racial e de gênero" [Humanization of childbirth care: ethnic/race and gender issues], an action/intervention research developed in the Hospital Geral de São Mateus Dr. Manoel Bifulco, in São Paulo (SP), Brazil. The objective was to sensitize the hospital team about maternal mortality among black women and discuss the impact of racism in health care. The following documents were used as documental sources: management reports, established partnerships, official letters, expenditure reports and the book Nascer com Equidade [Born with equity]. The project's seven stages were: sensitization and negotiation within the Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (SES-SP) [State Secretariat of Health of São Paulo]; sensitization and negotiation with the Brazilian Ministry of Health; sensitization and establishment of an agreement with the health service; diagnosis of the situation in the hospital; sensitizing the professionals towards gender and race issues, introducing the race data collection in the forms of the hospital's data bank; training hospital staff; forming social movements within the neighborhood. The project's results were: the collection of data on race became routine, and prompted the Ministry of Health to adopt this information request in all its forms; professionals were trained in women's health care and sensitized to the specificities of the black population; and there were changes in how the health care team perceives the presence of the father at birth, creating the campaign "Fathers are not visitors". The project was effective in broaching those complex issues and it may be replicated elsewhere.
Descritores: Direito à Saúde
Saúde da Mulher
Grupo com Ancestrais do Continente Africano
Atenção à Saúde
Disparidades nos Níveis de Saúde
Humanização da Assistência
Saúde Reprodutiva
Racismo
Tocologia
-Mortalidade Materna
Políticas Públicas de Saúde
Participação Social
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: BR67.1 - CIR - Biblioteca - Centro de Informação e Referência


  6 / 151 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Boarini, Maria Lúcia
Id: lil-360954
Autor: Boarini, Maria Lúcia(org).
Título: Higiene e raça como projetos: higienismo e eugenismo no Brasil / Hygiene and race as projects: hygienism and eugenism in Brazil.
Fonte: Maringá; UEM; 2003. 216 p.
Idioma: pt.
Descritores: Eugenia (Ciência)/história
Saúde Mental/história
-Anormalidades Congênitas
Crianças com Deficiência
Racismo
Antropologia
Brasil
Higiene
Isolamento Social
Preconceito
Temas Bioéticos/história
Limites: Seres Humanos
História do Século XX
Responsável: BR1.1 - BIREME
BR1.1/3768.00; BR26.1; 613/614 B633h; BR85.1; HQ751 B662h e.1


  7 / 151 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Id: biblio-1047703
Autor: Jaccoud, Luciana(org).
Título: A Construção de uma política de promoção da igualdade racial: uma análise dos últimos 20 anos / Português.
Fonte: Brasília; IPEA; 2009. 233 p.
Idioma: pt.
Descritores: Racismo
Responsável: BR1541.1 - Biblioteca


  8 / 151 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1047674
Autor: Rizzo, Tamiris Pereira; Fonseca, Alexandre Brasil Carvalho da.
Título: Concepções e práticas de educação e saúde da população negra: uma revisão integrativa da literatura brasileira / Conceptions and practices of education and black population health: an integrative review of Brazilian literature / Concepciones y prácticas de educación y salud de la población negra: una revisión integrativa de la literatura brasileña
Fonte: RECIIS (Online);13(4):896-910, out.-dez. 2019. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: A Política de Saúde Integral da População Negra reiterou a urgência de qualificação dos processos educativos no Sistema Único de Saúde (SUS) em prol da superação do racismo institucional. A revisão integrativa, apresentada neste artigo, analisou as concepções teóricas e as práticas educativas em estudos dirigidos à saúde da população negra. Foram utilizadas as bases de dados da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS); a Scientific Eletronic Library Online (SciELO); a ferramenta de pesquisa na web Google Scholar e o acervo darevista da Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as, a Revista da ABPN. A produção na temática é heterogênea, dispersa entre periódicos das áreas da educação, educação em saúde e interdisciplinar. Há vanguardismo da enfermagem e forte presença de estudos com povos e comunidades tradicionais. Nota-se dificuldade de interpenetração de referenciais teóricos e pedagógicos do campo da educação na sustentação das práticas educativas de saúde. Sugerem-se a cooperação e a integração científica entre esses campos visando ao protagonismo do sujeito negro nos processos de cuidado.

The Política de Saúde Integral da População Negra (Integral Health Policy of the Black Population) reiterated the urgency of qualifying educational processes in the Unified Health System (SUS ­ Sistema Único de Saúde) in order to overcome institutional racism. The integrative review presented in this article analyzed the theoretical conceptions and the educational practices in studies directed to the health of the black population. The databases of the Virtual Health Library (VHL); the Scientific Electronic Library Online (SciELO); the web search engine Google Scholar and the collection of the Revista da ABPN that is the magazine of the Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (Brazilian Association of Black Researchers) were examined. The production in this thematic is heterogeneous, dispersed in periodicals of the areas of education, health education and interdisciplinary. When the matter is the health of black population, the nursing is an avantgarde profession carrying out a number of studies with traditional peoples and communities. It was noted the difficulty of interpenetration of theoretical and pedagogical references of the field of education in support of educational health practices. We suggest the cooperation and the scientific integration between these fields aiming at the protagonism of the black population in the process of care.

La Política de Saúde Integral da População Negra (Política de Salud Integral de la Población Negra) reiteró la urgencia de calificación de los procesos educativos en el Sistema Único de Salud (SUS ­ Sistema Único de Saúde) en pro de la superación del racismo institucional. La revisión integrativa, presentada en este artículo, analizó las concepciones teóricas y las prácticas educativas en estudios dirigidos a la salud de la población negra. Se utilizaron las bases de datos de la Biblioteca Virtual en Salud (BVS); la Scientific Eletronic Library Online (SciELO); el motor de búsqueda web Google Scholar y el acervo de la Revista da ABPN, la cual es la revista de la Associação Brasileira de Pesquisadores/as Negros/as (Asociación Brasileña de Investigadores/ as Negros/as. La producción en la temática es heterogénea, dispersa entre periódicos del área de la educación, educación en salud y interdisciplinaria. La enfermería se destaca en la literatura acerca de la salud de la población negra en la cual hay fuerte presencia de estudios con pueblos y comunidades tradicionales. Se observa dificultad de interpenetración de referenciales teóricos y pedagógicos del campo de la educación en la sustentación de las prácticas educativas de salud. Proponemos la cooperación y la integración científica entre esos campos visando el protagonismo del sujeto negro en los procesos de cuidado.
Descritores: Educação em Saúde
Equidade em Saúde
Grupo com Ancestrais do Continente Africano
Racismo
Saúde das Minorias Étnicas
-Fatores Socioeconômicos
Revisão
Equidade no Acesso aos Serviços de Saúde
Vulnerabilidade Social
Atividades Científicas e Tecnológicas
Estudos Interdisciplinares
Comunicação em Saúde
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR526.1 - Biblioteca de Saúde Pública


  9 / 151 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1047660
Autor: Sodré, Muniz.
Título: Do lugar de fala ao corpo como lugar de diálogo: raça e etnicidades numa perspectiva comunicacional / From the standpoint of speech to the body as locus of dialogue: race and ethnicities from a communicational perspective / Desde el locus social de quien habla al cuerpo como espacio de diálogo: raza y etnicidades en una perspectiva referente a la comunicación
Fonte: RECIIS (Online);13(4):876-886, out.-dez. 2019. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: "Eu sou um pessimista ativo, porque tenho fé". Assim Muniz Sodré se declara ao conceder à Reciis uma entrevista que trata sobre a questão de raça/etnicidades em articulação com os estudos da comunicação. O professor e pesquisador argumenta que a escravidão está enraizada na forma social brasileira, pois a abolição jurídico-política não foi suficiente para abolir os espíritos escravocratas. Mas que é preciso ter fé nas movimentações e contramovimentações sensíveis do corpo do outro, negro, o qual mobiliza as barreiras de imunidade racistas. Sodré entende que a expressão lugar de fala é uma reivindicação efêmera, pois acredita na virtude do corpo como um espaço de diálogo com outros lugares. Em relação aos estudos de comunicação e raça, argumenta que as pesquisas se restringem ainda às descrições das tecnologias da mídia, assim como as pesquisas de maneira geral, mas que esses estudos "têm um papel político forte: eles fazem emergir essa classe intelectual negra que estava submersa". Muniz Sodré é professor emérito da Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Descritores: Fala
Grupos Étnicos
Comunicação
Cultura
Racismo
-Preconceito
Ciências Sociais
Violência
Grupo com Ancestrais do Continente Africano
AMERICAN NURSES' ASSOCIATIONABNORMALITIES, MULTIPLE
Homicídio
Relações Interpessoais
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR526.1 - Biblioteca de Saúde Pública


  10 / 151 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1047537
Autor: Monari, Ana Carolina Pontalti; Bertolli Filho, Claudio.
Título: Entre o debate público e o silêncio: análise da cobertura jornalística online sobre a questão do suicídio de adolescentes e jovens negros no Brasil / Between public debate and silence: analysis of online journalist coverage about the suicide of black teenagers and youth in Brazil / Entre debate público y silencio: análisis de la cobertura periodística online sobre el tema del suicidio de adolescentes y jóvenes en Brasil
Fonte: RECIIS (Online);13(4):754-767, out.-dez. 2019. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: Este artigo objetiva analisar o fomento do debate público promovido pela cobertura jornalística on-line sobre a questão do suicídio de adolescentes e jovens negros no Brasil. Para isso, foram selecionadas três reportagens de três veículos de comunicação: G1 ­ Ciência e Saúde (ligado às Organizações Globo), Nexo (jornal digital independente) e o Alma Preta (agência de jornalismo especializada na temática étnica do Brasil). Com o uso de teorias sobre prática jornalística, opinião pública e silêncio, além do emprego da hermenêutica de profundidade, este estudo concluiu que a mídia não promove integralmente o debate público sobre a questão. O G1 ­ Ciência e Saúde reproduziu o discurso da mídia hegemônica, não dando voz para os negros; o Nexo foi o jornal que tratou o tema de forma mais completa, com uso de dados e fontes, sendo negra uma delas; e o Alma Preta foi o que menos abriu espaço para identificação do público negro, com a ausência de fontes e falta de representação.

This article aims to analyze the public debate at online journalistic coverage on the issue of suicide among black teenagers and young people in Brazil. For this, three news from three media were selected: G1 Ciência e Saúde (linked to Globo Organizations), Nexo (independent digital newspaper) and Alma Preta (journalism agency specializing in ethnic issues in Brazil). Using theories of journalistic practice, public opinion and silence, as well as the use of deep hermeneutics, this study concluded that the media does not fully promote public debate on the issue. G1 ­ Ciência e Saúde reproduced the hegemonic media discourse, giving no voice to blacks; Nexo was the newspaper that dealt with the theme most completely, using data and sources, one of them being black; and Alma Preta was the least open to the identification of the black public, with the absence of sources and lack of representation.

Este artículo tiene como objetivo analizar el debate público a través de la cobertura periodística online sobre el tema del suicidio entre adolescentes y jóvenes negros en Brasil. Para esto se seleccionaron tres medios: G1 ­ Ciência e Saúde (vinculado a Organizaciones Globo), Nexo (periódico digital independiente) y Alma Preta (agencia de periodismo especializada em temas étnicos en Brasil). Utilizando teorías de práctica periodística, opinión pública y silencio, así como el uso de una hermenéutica profunda, este estudio concluyó que los medios no promueven completamente el debate público sobre el tema. G1 ­ Ciência e Saúde reprodujo el discurso de los medios hegemónicos, sin dar voz a los negros; Nexo fue el periódico que trató el tema más completamente, utilizando datos y fuentes; y Alma Preta fue la menos abierta a la identificación del público negro, con la ausencia de fuentes y la falta de representación.
Descritores: Suicídio/prevenção & controle
Adolescente
Jornalismo
Grupo com Ancestrais do Continente Africano
Saúde das Minorias Étnicas
Política de Saúde
-Opinião Pública
Suicídio/estatística & dados numéricos
Brasil
Meios de Comunicação
Morte
Populações Vulneráveis
Prevenção de Doenças
Mídias Sociais
Racismo
Hermenêutica
Limites: Seres Humanos
Responsável: BR526.1 - Biblioteca de Saúde Pública



página 1 de 16 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde