Base de dados : LILACS
Pesquisa : F01.145.813.550.750 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 131 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 14 ir para página                         

  1 / 131 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1156952
Autor: Novais, Kaito Campos de.
Título: Lutar, amar e sofrer entre as Mães pela Diversidade / Luchar, amar y sufrir entre las Madres por la Diversidad / Fighting, loving and suffering among the Mothers for Diversity
Fonte: Sex., salud soc. (Rio J.);(36):291-316, dez. 2020. graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Este artigo parte da interlocução com a associação Mães pela Diversidade do estado de Goiás, Brasil, para analisar a performance do "ativismo materno" que combate violências cometidas contra filhos e filhas lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, intersexos, queers e outras expressões de gênero (LGBTIQ+). Por meio de registros etnográficos verbais e desenhados, proponho refletir sobre os modos como emoções são dramatizadas para a confecção de lutas que, dentre outras coisas, visam à busca por justiça, denúncia de violação de direitos humanos e construção de uma malha de apoio mútuo.

Resumen Este artículo parte del diálogo con la asociación Mães pela Diversidade (Madres por la Diversidad) de Goiás para analizar la actuación del activismo materno que combate la violencia contra hijos e hijas lesbianas, gays, bisexuales, travestis, intersexuales, queer y otras expresiones de género (LGBTIQ+). A través de registros verbales y dibujos etnográficos, yo pretendo reflexionar sobre las formas en que se dramatizan las emociones para la creación de luchas que apuntan, entre otras cosas: la búsqueda de la justicia, la denuncia de violaciones de derechos humanos y la construcción de una malla de apoyo mutuo.

Abstract This article is based on the author's dialogue with the association Mães pela Diversidade (Mothers for Diversity), an NGO located in the Brazilian state of Goiás, to analyze the performance of "maternal activism" opposed to violence against lesbian, gay, bisexual, travesti, transgender, intersex, queer and other non-straight gender expressions (LGBTIQ+). Through verbal and drawn ethnographic records, I propose to reflect on the ways emotions are dramatized in social and political struggles that claim for justice, denounce the violation of human rights, and building a network of mutual support.
Descritores: Violência
Emoções
Sexismo
Minorias Sexuais e de Gênero
Ativismo Político
Mães
-Brasil
Luto
Vítimas de Crime
Estado
Violações dos Direitos Humanos
Homofobia
Diversidade de Gênero
Antropologia Cultural
Limites: Humanos
Feminino
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  2 / 131 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1156956
Autor: Vigoya, Mara Viveros.
Título: Los colores del antirracismo (en Améfrica Ladina) / The colors of anti-racism (in Améfrica Ladina) / As cores do antirracismo (na Améfrica Ladina)
Fonte: Sex., salud soc. (Rio J.);(36):19-34, dez. 2020.
Idioma: es.
Resumo: Resumen En este artículo me refiero a las particularidades que han adoptado las luchas antirracistas en América Latina, una región en la que hasta hace poco se pensó que el racismo era un tema irrelevante debido a su composición demográfica mezclada en términos étnico-raciales. En los últimos treinta años esta percepción ha ido cambiando en razón del reconocimiento de su multiculturalidad y, al mismo tiempo, de los problemas que puso en evidencia la puesta en práctica del proyecto estatal multicultural y el modelo político y de desarrollo económico neoliberal. En la actualidad, podemos hablar de un giro antirracista en la región, para designar la mayor atención que hoy se presta al racismo en el ámbito público, y en el de los movimientos sociales. Presento estas reflexiones desde mi experiencia situada, de mujer colombiana y feminista afrolatinoamericana; es decir desde un lugar de enunciación y una posicionalidad particulares frente a los temas del racismo y el antirracismo. Además, lo hago en conversación con el sociólogo francés Eric Fassin para examinar en paralelo los desafíos que hoy enfrenta el trabajo académico antirracista en función del lugar de enunciación que se asuma en él.

Abstract In this article, I refer to the particularities that anti-racist struggles have adopted in Latin America, a region in which until recently it was thought that racism was an irrelevant issue due to its mixed demographic composition in ethnic-racial terms. In the last thirty years, this perception has been changing due to the recognition of its multiculturalism and, at the same time, of the problems that put in evidence the implementation of the multicultural state project and the neoliberal political and economic development model. At present, we can speak of an anti-racist turn in the region, to designate the greater attention that today is paid to racism in the public sphere, and in that of social movements. I present these reflections from my situated experience, as a Colombian woman and an Afro-Latin American feminist; that is to say, from a place of enunciation and a particular positionality vis-à-vis the issues of racism and anti-racism. In addition, I do it in conversation with the french sociologist Eric Fassin to examine in parallel the challenges that anti-racist academic work faces today in terms of the place of enunciation that is assumed in it.

Resumo Neste artigo, refiro-me às particularidades que as lutas antirracistas têm assumido na América Latina, região em que até recentemente se pensava que o racismo era uma questão irrelevante devido à sua composição demográfica mista em termos étnico-raciais. Nos últimos trinta anos essa percepção vem mudando devido ao reconhecimento de seu multiculturalismo e, ao mesmo tempo, dos problemas que colocam em evidência a implementação do projeto de Estado multicultural e o modelo neoliberal de desenvolvimento político e econômico. Atualmente, podemos falar de uma virada antirracista na região para designar a maior atenção que se dá ao racismo na esfera pública e entre os movimentos sociais. Apresento essas reflexões a partir de minha experiência situada, como mulher colombiana e feminista afro-latino-americana; isto é, de um lugar de enunciação e de uma posicionalidade particular frente as questões do racismo e do antirracismo. Além disso, o faço isso em diálogo com o sociólogo francês Eric Fassin para examinar em paralelo os desafios que o trabalho acadêmico antirracista enfrenta hoje em função do lugar de fala que se assume.
Descritores: Política
Grupo com Ancestrais do Continente Africano
Racismo
Sexismo
Ativismo Político
-Colômbia
América Latina
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  3 / 131 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-890452
Autor: Schneider, Daniele; Signorelli, Marcos Claudio; Pereira, Pedro Paulo Gomes.
Título: Mulheres da segurança pública do litoral do Paraná, Brasil: intersecções entre gênero, trabalho, violência(s) e saúde / Public security female workers at the coast of Paraná, Brazil: intersections of gender, work, violence(s), and health
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;22(9):3003-3011, Set. 2017.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Este artigo busca compreender as relações entre gênero, violências e o processo saúde-doença de mulheres que trabalham na área de segurança pública no litoral do estado do Paraná. A metodologia foi qualitativa, por meio de pesquisa etnográfica com 50 mulheres (policiais civis e militares, e agentes penitenciárias), realizada em três municípios balneários da região entre março de 2014 e março de 2015. A análise dos resultados revelou: 1) dilemas concernentes às sobrecargas de trabalho impostas pela conjuntura local, marcada pela sazonalidade; 2) exposição às violências (principalmente institucional e de gênero) e repercussão na saúde dessas mulheres; 3) relações de poder, assinaladas pelas hierarquias das corporações e assimetrias de gênero entre profissionais homens e mulheres. Esta pesquisa evidenciou: como as profissionais femininas nas instituições de segurança pública sofrem diretamente o impacto das violências e desigualdades de gênero em suas vidas pessoais e profissionais; e as resistências e rearranjos dessas mulheres nas instituições, suas reinvenções em meio a um ambiente de hegemonia tradicionalmente masculina.

Abstract This study aimed to promote visibility of women working in public security along the Parana coast, articulating issues of gender, violence(s), and the health-disease process. The methodology was qualitative, through an ethnographic research which included 50 women (civilians, military policewomen, and prison officers) from municipalities along the Parana coast, between March 2014 and March 2015. Results revealed: 1) the dilemmas that these women are subjected to, facing the seasonal dynamics in the field of public security in the region; 2) exposure to violence (mainly institutional and gender-based) and its impact on these women's health; 3) power relations, marked by corporations' hierarchies and gender asymmetries between men and women in professional settings. In summary, this research highlighted the need to promote visibility of women working in public security institutions, considering the impact of violence and gender inequalities in their personal and professional lives, including the resistance and rearrangements promoted by these women in the institutions in response to their presence in a hegemonic and traditionally male environment.
Descritores: Prisões/estatística & dados numéricos
Violência no Trabalho/estatística & dados numéricos
Violência de Gênero/estatística & dados numéricos
Militares/estatística & dados numéricos
-Brasil
Saúde da Mulher
Sexismo/estatística & dados numéricos
Ocupações/estatística & dados numéricos
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 131 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1059080
Autor: Rojas, Enrique Bautista.
Título: Heteronormatividad escolar en México: Reflexiones acerca de la vigilancia y castigo de la homosexualidad en la escuela / Heteronormatividade escolar no México: Reflexões sobre a vigilância e o castigo da homossexualidade na escola / School heteronormativity in Mexico: Reflections on homosexuality surveillance and punishment in school
Fonte: Sex., salud soc. (Rio J.);(33):180-199, set.-dez. 2019.
Idioma: es.
Resumo: Resumen Este artículo presenta una discusión teórica que explora el problema de violencia escolar en México por razones de orientación, identidad o expresión sexual. Los argumentos retoman categorías derivadas de los estudios de género y de la diversidad sexual, aplicados a la comprensión de la situación de estudiantes homosexuales en la escuela. En suma, el análisis concibe a ésta última como una institución que enseña, disciplina y norma la construcción de estudiantes conforme a lineamientos de la heteronormatividad, mediante diversos métodos pedagógicos, para vigilar su cumplimiento. La reflexión enfatiza en la necesidad de transformar las prácticas educativas tradicionales, que reproducen y avalan la violencia a homosexuales, para buscar la construcción de una sociedad equitativa y respetuosa de los derechos humanos.

Resumo O artigo é uma discussão teórica que explora o problema da violência escolar no México para razões de orientação, identidade ou expressão sexual. Os argumentos recapturam categorias dos estudos de gênero e da diversidade sexual aplicados à compreensão da situação dos estudantes homossexuais na escola. A análise concebe a escola como uma instituição que ensina, disciplina e normaliza a construção de alunos de acordo com as diretrizes da heteronormatividade através de vários métodos pedagógicos para monitorar a conformidade. A reflexão enfatiza a necessidade de transformar as práticas educacionais tradicionais que reproduzem e endossam a violência contra a homossexualidade, advogando pela construção de uma sociedade equitativa que respeite os direitos humanos.

Abstract This paper is a theoretical discussion that explores the problem of school violence in Mexico for reasons of gender identity, expression & sexual orientation. The arguments mobilize gender studies and sexual diversity categories to understand the situation of homosexual students at school. The analysis conceives the school as an institution that teaches, disciplines and normalizes the construction of students according to heteronormativity guidelines through a variety pedagogical methods to monitor compliance. Reflection emphasizes the need to transform traditional educational practices that reproduce and support violence against homosexuality; advocating for the construction of an equitable society respectful of the human rights.
Descritores: Instituições Acadêmicas
Educação Sexual
Homossexualidade Masculina
Sexismo
Violência de Gênero
Normas de Gênero
-Estudantes
Sexualidade
Fatores Culturais
Estigma Social
Diversidade de Gênero
Direitos Humanos
México
Limites: Humanos
Masculino
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  5 / 131 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1056981 LILACS-Express
Autor: Lima, Kaline da Silva(ccp); Tenório, Juliana Maria Vieira(ccp); Silveira, Francisco Romário(ccp); Melo, Luã Medeiros Fernandes de(ccp); Andrade, Josemberg Moura de(ccp).
Título: Evidence of Validity of a Modern Homonegativity Measure against Gays and Lesbians / Evidências de Validade de uma Medida de Homonegatividade Moderna frente a Gays e Lésbicas / Evidencias de Validez de una medida de Homonegatividad Moderna frente a los Gays y Lesbianas / Evidence of Validity of a Modern Homonegativity Measure against Gays and Lesbians
Fonte: Psico USF;24(4):673-684, out.-dez. 2019. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract The goal of this research was to adapt and obtain validity evidence of the Modern Homonegativity Scale (MHS), which is set by two parallel forms with 12 items, one of them referring to gays (MHS-G) and the other referring to lesbians (MHS-L). In the first study 418 heterosexuals between 18 and 58 years old (M = 24,9; SD = 7,23), mostly women (66,3%) living at João Pessoa-PB (50,5%) answered. Both scales have shown as unidimensional and containing a high degree of internal consistency. The second study had the participation of 273 heterosexuals between 18 and 55 years old (M = 23,7; SD = 6,33), mostly women (69%). The confirmatory factor analysis showed satisfactory adjustment indexes for the proposed model and the Item Response Theory (IRT) demonstrated a good degree of discrimination and variation of the difficulty parameters. Therefore, we may conclude MHS is psychometrically valid, easily applicable and can be used in research contexts. AU

Resumo O objetivo desta pesquisa foi adaptar e obter evidências de validade da Modern Homonegativity Scale (MHS) composta por duas formas paralelas com 12 itens, sendo uma versão referente aos gays (MHS-G) e outra às lésbicas (MHS-L). No Estudo 1, participaram 418 heterossexuais entre 18 e 58 anos (M = 24,8; DP = 7,23), a maioria mulheres (66,3%) e residentes em João Pessoa-PB (50,5%). As escalas apresentaram-se unidimensionais e com bons níveis de consistência interna (α = 0,92). O Estudo 2, contou com 273 heterossexuais entre 18 e 55 anos (M = 23,7; DP = 6,33), a maioria mulheres (69%). A análise fatorial confirmatória mostrou satisfatórios índices de ajuste para o modelo proposto e a análise da Teoria de Resposta ao Item (TRI) demostrou uma boa discriminação e variação dos parâmetros de dificuldade. Conclui-se que a MHS é psicometricamente válida e de fácil aplicação, podendo ser usada em contextos de pesquisa. AU

Resumen El objetivo de esta investigación fue adaptar y obtener evidencia de validez de la Escala de Homonegatividad Moderna (MHS), compuesta por dos formas paralelas con 12 ítems, siendo, una versión referente a gays (MHS-G) y otra a lesbianas (MHS-L). En el estudio 1 participaron 418 heterosexuales entre 18 y 58 años (M = 24,8; DP = 7,23), la mayoría mujeres (66,3%) residentes en la ciudad de João Pessoa-PB (50,5%). Las escalas se presentan em forma unidimensional y con buen nivel de consistencia interna (α = 0,92). En el estudio 2 participaron 273 heterosexuales entre 18 y 55 años (M = 23,7; DP = 6,33), la mayoría también mujeres (69%). El análisis factorial confirmatorio mostró índices satisfactorios de ajuste para el modelo propuesto, y el análisis de Teoría de Respuesta al Ítem (TRI) demostró una buena discriminación y variación de los parámetros de dificultad. Se concluye que la MHS es psicométricamente válida y de fácil aplicación, pudiendo ser usada en contextos de investigación. AU
Descritores: Homossexualidade/psicologia
Sexismo/psicologia
Minorias Sexuais e de Gênero/psicologia
-Psicometria
Análise Fatorial
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Tipo de Publ: Estudo de Validação
Responsável: BR1249.1 - Coordenadoria do Sistema de Bibliotecas


  6 / 131 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-974708
Autor: Mesquita Filho, Marcos; Marques, Thaline Figueiredo; Rocha, Ana Beatriz Cavalcanti; Oliveira, Suellen Ramos de; Brito, Maíra Barbosa; Pereira, Camila Claudiano Quina.
Título: O preconceito contra a mulher entre trabalhadores da Atenção Primária em Saúde / Sexism against women among primary healthcare workers
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;23(11):3491-3504, Oct. 2018. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O objetivo deste trabalho foi pesquisar a existência de preconceitos contra a mulher entre trabalhadores da Atenção Primária em Saúde e identificar fatores associados. Estudo transversal que teve a participação de 163 profissionais de APS. Foram utilizados os questionários Estereótipos de Gênero (EG) e o Inventário do Sexismo Ambivalente. Pesquisou-se indivíduos dos dois sexos, com mais de 18 anos e escolaridade básica ou média. Os escores médios tinham valores acima de 50,0% do valor máximo: EG - 53,8%, Sexismo Hostil - 58,2%; Sexismo Benévolo - 64,1%. As médias estratificadas por variáveis sociodemográficas eram elevadas. Foram encontradas diferenças significantes por sexo (masculino maior que feminino), religiões (maior nos evangélicos) e nos que usavam bebidas alcoólicas, no Sexismo Hostil. No Sexismo Benévolo houve diferenças por escolaridade (maior no nível básico), religião (maior nos evangélicos e católicos) e atividade exercida (maior em serviços gerais). Estratificando EG não se encontrou diferenças significantes. Preconceitos sexistas hostis, benevolentes e estereótipos de gênero foram detectados. Esse achado pode influir negativamente na relação serviço-usuárias agravando as iniquidades em saúde geradas pelas desigualdades entre gêneros.

Abstract The objective of this study was to research the existence of sexism against women among primary healthcare (PHC) workers and to identify associated factors. This was a cross-sectional study in which 163 PHC professionals of both sexes participated, all of whom were aged over 18 and had completed their primary or secondary education. The Gender Stereotyping and Ambivalent Sexism Inventory questionnaires were used. The average scores were more than 50% of the maximum score: Gender Stereotyping - 53.8%, hostile sexism - 58.2%, benevolent sexism - 64.1%. The average scores stratified by sociodemographic variables were higher. Significant differences in the hostile sexism score were found for sex (men scored higher than women), religion (higher scores for evangelical Christians) and among those who drank alcohol. For benevolent sexism, differences were found for schooling (greater scores for those who had only completed their primary education), religion (higher scores for evangelical Christians and Catholics) and area of work (greater for those working in general services). The stratification of the Gender Stereotyping scores did not point to significant differences. Sexist prejudice was found to exist for hostile sexism, benevolent sexism and gender stereotyping. This finding could have a negative influence on the service-user relationship, leading to greater inequities in health as a result of gender inequality.
Descritores: Preconceito/estatística & dados numéricos
Atenção Primária à Saúde
Pessoal de Saúde/psicologia
Sexismo/estatística & dados numéricos
-Estereotipagem
Atitude do Pessoal de Saúde
Estudos Transversais
Inquéritos e Questionários
Pessoal de Saúde/estatística & dados numéricos
Hostilidade
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  7 / 131 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1059084
Autor: Oliveira, Leandro de; Barreto, Thiago Camargo.
Título: Silêncios em discurso: Família, conflito e micropolítica em narrativas sobre a revelação da homossexualidade / Silencios en el discurso: Familia, conflicto y micropolítica en las narraciones sobre la revelación de la homosexualidad / Silences in discourse: family, conflict and micropolitics in narratives about the revelation of homosexuality
Fonte: Sex., salud soc. (Rio J.);(33):318-342, set.-dez. 2019.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Este artigo aborda experiências de revelação da orientação sexual para a família de origem entre gays e lésbicas, baseado em entrevistas e observação participante conduzidas na cidade de Belo Horizonte, entre 2017 e 2018. O trabalho explora sentidos e efeitos do silêncio vivenciado no cotidiano da casa após a revelação da orientação homossexual para a família, considerando como este integra disputas micropolíticas. Argumentamos que as formas plurais pelas quais silêncios podem ser constituídos, percebidos e relatados guardam relação com a constituição de lugares e distâncias sociais dentro da família, situadas no interior de contextos político-culturais mais abrangentes.

Resumen Este artículo analiza las experiencias de revelar orientación sexual a la familia de origen entre gays y lesbianas, en base a entrevistas y observación participante realizada en la ciudad de Belo Horizonte, entre 2017 y 2018. El artículo explora los significados y los efectos del silencio experimentado en la vida cotidiana de la casa. después de la revelación de la orientación homosexual a la familia, considerando cómo integra las disputas micropolíticas. Argumentamos que las formas plurales en las que se pueden constituir, percibir e informar los silencios están relacionadas con la constitución de lugares y distancias sociales dentro de la familia, situadas en contextos político-culturales más amplios.

Abstract This article discusses experiences of coming out to the family of origin between gays and lesbians, based on participant observation and interviews conducted in the city of Belo Horizonte, between 2017 and 2018. The study explores meanings and effects of silence experienced in the everyday life of households after the revelation of homosexual orientation for the family, considering how it takes part in micropolitical disputes. We argue that the plural forms by which silences can be constituted, perceived and narrated are articulated with the constitution of social places and social distances in the family, located within broader political-cultural contexts.
Descritores: Comportamento Sexual
Família
Homossexualidade
Barreiras de Comunicação
Minorias Sexuais e de Gênero
Assunção da Sexualidade
-Política
Política Pública
Brasil
Estado
Relações Familiares
Sexismo
Acontecimentos que Mudam a Vida
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  8 / 131 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1059088
Autor: Cano, Virginia.
Título: Imaginarios sexuales y des/atención médica: La ginecología como dispositivo de hetero-cis-normalización / Imaginários sexuais e des/atenção médica: a ginecologia como dispositivo de hetero-cis-normalização / Sexual Imaginaries and Medical In/Attention: Gynecology as Device for Hetero-Cis-Normalization
Fonte: Sex., salud soc. (Rio J.);(33):42-58, set.-dez. 2019.
Idioma: es.
Resumo: Resumen El presente artículo se propone, siguiendo el método genealógico foucaultiano, analizar la eficacia productiva y la violencia normativa que constituye a la ginecología en una tecnología de hetero-cis-normalización que produce una distribución diferencial de la precaridad, afectando principalmente a corporalidades y modos de vida lesbianos (cis y trans), transmasculinos, no-binarixs, bi y pansexuales. Para desarrollar estas tesis recuperaré, en primer lugar, los desarrollos butlerianos en torno a la heterosexualidad obligatoria, las normas sexo-generizadas y la vulnerabilidad, para pensar, desde allí, a la ginecología como una técnica de precarización. En segundo lugar, y recuperando las tesis de Rohden, Cabral y Preciado, desarrollaré el modo en que la ginecología opera como una "prótesis de género" que organiza y disciplina cuerpos a partir de un sistema binario. Para concluir, sostendré siguiendo a Foucault que esto implica una especie de extraña "paradoja" para la ginecología, en la medida en que la imposición de su matriz hetero-cis-normativa redunda en una inducida, y sistemática, desatención y descuido de la salud ginecológica de las personas LGTB.

Resumo A partir do método genealógico foucaultiano, o presente artigo tem o intuito de analisar a eficácia produtiva e a violência normativa que configura a ginecologia como tecnologia de hetero-cis-normalização, produzindo uma distribuição diferencial da precariedade que afeta, principalmente as corporeidades e modos de vida lésbicos (cis e trans), transmasculinos, não-binarixs, bi e pansexuais. Para tal trarei à tona, em primeiro lugar, as análises butlerianas em torno da heterossexualidade compulsória, as normas sexo-generificadas e a vulnerabilidade para pensar a ginecologia como técnica de precarização. Em segundo lugar, e recuperando os supostos de Rhoden, Cabral e Preciado, desenvolverei os modos em que a ginecologia opera como uma "prótese de gênero" que organiza e disciplina corpos a partir de um sistema binário. Para concluir, e seguindo a Foucault, sustentarei a ideia que isso supõe uma espécie de estranho "paradoxo" para a ginecologia; uma desatenção induzida e sistemática e um desleixo da saúde ginecológica das pessoas LGTB.

Abstract This paper seeks to examine the productive effectiveness and normative violence of Gynecology, following Foucault's genealogical method, in terms of a technology of heterocis-normalization that induces a differential distribution of precarity, affecting mainly lesbian (cis or trans), transmasculine, bi, non-binary and pansexual bodies and forms of life. In order to develop this analysis, I will first consider Butler´s developments on compulsive heterosexuality, sex and gender norms and vulnerability as a way of thinking Gynecology as a technic of precarity. Secondly, and following Rohden´s, Cabral´s and Preciado´s thoughts, I will argue that Gynecology operates as a "gender prosthesis" that organizes and discipline bodies through a binary system. Finally, and following Foucault, I will conclude that this implies a paradoxical situation for Gynecology, since its heteronormative matrix produces and induces a systematical inattention and carelessness of LGTB people.
Descritores: Sexualidade
Heterossexualidade
Minorias Sexuais e de Gênero
Violência de Gênero
Normas de Gênero
Ginecologia
-Relações Médico-Paciente
Saúde da Mulher
Cuidados Médicos
Ética Médica
Estigma Social
Sexismo
Limites: Humanos
Feminino
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  9 / 131 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1139625
Autor: Molina, Luana P. P.
Título: Yo solo soy: Os processos de transições corporais de estudantes trans no Bachillerato Popular Trans Mocha Celis / Yo solo soy: The processes of corporal transitions of trans students in the Bachillerato Popular Trans Mocha Celis / Yo solo soy: Procesos de transiciones corporales de estudiantes en el Bachillerato Popular Trans Mocha Celis
Fonte: Sex., salud soc. (Rio J.);(34):108-125, jan.-abr. 2020.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Este artigo surgiu como parte de uma pesquisa que investiga o surgimento de uma escola para a população trans - travestis, transexuais e transgêneros - na cidade de Buenos Aires, Argentina: o Bachillerato Popular Trans Mocha Celis. Os pressupostos deste texto revelam-se a partir de depoimentos de discentes que vivenciaram seus processos de transições identitárias e corporais, como travestis e transexuais, e nos apontam os olhares sobre seus corpos, suas masculinidades/feminilidades e a respeito do acolhimento, ou não, de seus fa-miliares e amigos/as. Utilizando a metodologia etnográfica, de convivência diária e entrevis-tas semiestruturadas, esta pesquisa qualitativa com cinco discentes apresenta suas histórias, que nos permitem compreender como é viver em um mundo sexualmente binário (feminino--masculino), machista, heterossexual e compulsoriamente cisgênero. Ademais, esta pesquisa visa contribuir para reflexões sobre a vigilância dos corpos que acompanham as vivências das pessoas trans, demonstrada na rejeição social da feminilidade expressa por um corpo ainda visto como biologicamente masculino.

Abstract This article appeared as part of a research that investigates the emergence of a school for trans - transvestites, transsexuals and transgender -people in the city of Buenos Aires, Argentina: the Bachillerato Popular Trans Mocha Celis. The assumptions of this text are revealed from the testimonies of students who have experienced their processes of identity and body transitions, such as transvestites and transsexuals, and show us their looks on their bodies, their masculinities / femininities and about the reception or not, family and friends. Using the ethnographic methodology, daily living and semi-structured interviews, this quali-tative research with five students presents their stories, which allow us to understand how it is to live in a sexually binary (female-male), sexist, heterosexual and compulsorily cisgender. In addition, this research aims to contribute to reflections on the surveillance of bodies that accompany the experiences of trans people, demonstrated in the social rejection of femininity expressed by a body still seen as biologically masculine.

Resumen Este artículo apareció como parte de una investigación que analiza el surgimiento de una escuela para la población trans - travestis, transexuales y transgéneros - en la ciudad de Buenos Aires, Argentina: el Bachillerato Popular Trans Mocha Celis. Los supuestos de este texto se revelan a partir de los testimonios de estudiantes que experimentaron sus procesos de transiciones identitarias y corporales, como travestis y transexuales, y señalan sus puntos de vista sobre sus cuerpos, sus masculinidades / feminidades y sobre la recepción, o no, de sus familiares y amigos/as. A partir de una metodología etnográfica, por la convivencia diaria y entrevistas semiestructuradas, esta investigación cualitativa con cinco estudiantes presenta sus historias, que nos permiten comprender cómo es vivir en un mundo sexualmente bina-rio (femenino-masculino), sexista, heterosexual y compulsivamente cisgénero. Además, esta investigación tiene como objetivo contribuir a reflexionar sobre la vigilancia de los cuerpos que acompañan las experiencias de las personas trans, demostradas en el rechazo social de la feminidad expresada por un cuerpo aún visto como biológicamente masculino.
Descritores: Estudantes
Transexualidade
Estigma Social
Pessoas Transgênero
Identidade de Gênero
-Argentina
Instituições Acadêmicas
Entrevistas como Assunto
Fatores Culturais
Pesquisa Qualitativa
Masculinidade
Sexismo
Narrativa Pessoal
Experiências Adversas da Infância/história
Acontecimentos que Mudam a Vida
Antropologia Cultural
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR433.1 - CB/C - Biblioteca Biomédica C


  10 / 131 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-767234
Autor: Parga, Erica Jordane de S; Sousa, Jimi Hendrex Medeiros de; Costa, Maria Conceição.
Título: Estereótipos e preconceitos de gênero entre estudantes de enfermagem da UFBA / Gender's Stereotype And Prejudice Among Nursing Students Of UFBA
Fonte: Rev. baiana enferm;14(1), 2001.
Idioma: pt.
Resumo: Entende-se por preconceito de gênero, as atitudes sociais que discriminam as pessoas de acordo com o seu sexo.Em geral, as mulheres são mais afetadas através de idéias, palavras e atos, determinando diferentes comportamentossociais quando comparadas aos homens. Os preconceitos de gênero variam de acordo com o momentohistórico e a cultura de cada local, e a sua identificação auxilia na superação dos mesmos. O objetivo destapesquisa foi identificar estereótipos e preconceitos de gênero em alguns aspectos da vida social (trabalho, comportamento,linguagem e religião), entre estudantes de enfermagem. Foram entrevistados, com roteiro semiestruturado,76 alunos da graduação, regularmente matriculados na Escola de Enfermagem da UFBA, aleatoriamenteescolhidos entre os diversos semestres. A análise dos dados revelou que as profissões podem ser exercidas porhomens e mulheres, dependendo apenas da capacidade de quem as exerce. Entretanto, descriminam atividadesmasculinas e femininas em cada uma. Identificou-se a existência de estereótipos e preconceitos sexistas relacionadosao trabalho, à religião e a outros aspectos da vida social.

Gender's prejudice cocerns the social attitudes that look down on the people according to their sex. In general, womenare more affected by ideas, words and actions, determining diferents social behaivior when compared to man.Gender's prejudice varies according to the historical moment and the local culture, and its identification helps in itsovercoming. The objective of the research was to identify gender's stereotype and prejudice in some aspects of the social life, among nursing students. The sample, consisted of 76 nursing students of EEUFBA, chosen at random, consideringas criteria that they were regularly registered in the nursing course. The data collection was through questionnaire with objective and subjective questions. The data analysis demonstrated the existence of the stereotype and sexist prejudice related to work, religion and other aspects of the social life.
Descritores: Estudantes de Enfermagem
Sexismo
Estereotipagem de Gênero
Identidade de Gênero
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: BR342.1 - Biblioteca Universitária de Saúde



página 1 de 14 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde