Base de dados : LILACS
Pesquisa : F01.145.813.781 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 334 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 34 ir para página                         

  1 / 334 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Cuba
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1144563
Autor: Broche-Pérez, Yunier; Fernández-Castillo, Evelyn; Reyes Luzardo, Darlyn Alejandra.
Título: Consecuencias psicológicas de la cuarentena y el aislamiento social durante la pandemia de COVID-19 / Psychological consequences of quarantine and social isolation during COVID-19 pandemic
Fonte: Rev. cuba. salud pública;46(supl.1):e2488, 2020.
Idioma: es.
Resumo: Introducción: El aislamiento social y la cuarentena durante la pandemia de COVID-19 constituyen medidas efectivas con el objetivo de salvaguardar vidas. Sin embargo, estas medidas traen consigo un importante costo para la salud mental. El monitoreo de las reacciones psicológicas derivadas de las restricciones obligatorias de movimiento durante la pandemia de COVID-19, debe constituir una prioridad para los sistemas de salud. Objetivo: Analizar la evidencia disponible sobre el impacto negativo de la cuarentena y el aislamiento social en la salud mental. Métodos: Se realizó una revisión bibliográfica y documental sobre el tema en fuentes de datos digitales. Para la búsqueda se utilizaron, en inglés y español, las siguientes palabras claves: cuarentena, aislamiento social, impacto psicológico, reacción psicológica. Las consultas se realizaron en Scopus, EBSCO Health, PubMed (buscador), SciELO y PsycINFO, con énfasis en artículos originales y revisiones sistemáticas. Para la recolección de los datos se elaboró una ficha instructiva y para su tratamiento se aplicó el análisis de contenido de tipo directo. Conclusiones: Acciones tales como mantener a la población informada, facilitar canales de retroalimentación, garantizar los suministros básicos y facilitar estrategias de afrontamiento al estrés permiten minimizar los efectos negativos de un periodo de cuarentena. Las dificultades asociadas a la COVID-19 no concluirán 28 días después del último caso diagnosticado. Cuando llegue ese momento, se podrá tomar un respiro breve, pero faltará todavía mucho por hacer(AU)

Introduction: Social isolation and quarantine during COVID-19 pandemic are effective measures with the aim of safeguarding lifes. However, these measures bring an important cost for mental health. Monitoring psychological reactions derivative of movement´s obligatory restrictions during COVID-19 pandemics must represent a priority for all health systems. Objective: To analyze available evidence on the negative impact in mental health of quarantine and social isolation. Methods: It was carried out a bibliographic and documents review in digital data sources on the topic. Fort the search in English and Spanish the following words were used: quarantine, social isolation, psychological impact, psychological reaction. The search was made in Scopus, EBSCO Health, PubMed (search engine), SciELO and PsycINFO focusing in original articles and systematic reviews. For data collection, it was made an instructional sheet and for its use it was applied direct content analysis. Conclusions: Actions like to keep the population informed, to facilitate access to feedback channels, to guarantee basic supplies and to facilitate strategies for coping with stress allow to minimize the negative impacts of a quarantine period. Difficulties associated to COVID-19 will not end 28 days after the last diagnosed case. When that moment comes it will be time for a short brake, but there will be still a lot to do(AU)
Descritores: Isolamento Social/psicologia
Quarentena/psicologia
Saúde Mental
Infecções por Coronavirus/diagnóstico
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Responsável: CU1.1 - Biblioteca Médica Nacional


  2 / 334 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1121590
Autor: Rogrigues, Phillipe; Reis, Erika Cardoso; Bianchi, Lucas; Palma, Alexandre.
Título: Fatores associados à prática de atividades físicas durante a pandemia da COVID-19 no estado do Rio de Janeiro, Brasil / Factors associated with physical activity during the COVID-19 pandemic in Rio de Janeiro, Brazil
Fonte: Rev. bras. ativ. fís. saúde;25:1-9, set. 2020. tab.
Idioma: pt.
Resumo: A relação entre os determinantes sociais e a prática de atividade física em um período de distanciamento social ainda é desconhecida. O presente estudo teve como objetivo analisar os fatores associados à prática de atividade física durante o distanciamento social induzido pela pandemia da COVID-19. Foi realizado um estudo observacional do tipo transversal com indivíduos maiores de 18 anos. A coleta de dados foi realizada de 28 de abril a 11 de maio de 2020 por meio de um questionário eletrônico online. Participaram da pesquisa 1.138 indivíduos residentes do estado do Rio de Janeiro. A maior parte dos indivíduos eram do sexo feminino (63,1%), brancos (61,9%) e estavam na faixa etária de 18 a 39 anos (60,5%). A prática de atividades físicas foi relatada por 66,1% dos entrevistados. Foram analisadas, via modelos de regressão logístico e logístico ordinal variáveis sociodemográficas, participação em atividades físicas e a frequência desta prática. As variáveis associadas com a maior chance de praticar atividades físicas durante o distanciamento foram o sexo masculino, idade acima de 40 anos, maior escolaridade, não ser profissional de serviço essencial e não ter filhos. As chances de praticar atividades físicas com maior frequência também esteve associada ao sexo masculino, a idade acima de 40 anos, não ser profissional de serviço essencial e não ter filhos. Conclui-se que a prática de atividades físicas durante o período de distanciamento social está associada aos determinantes sociais. Assim, recomendamos que políticas de promoção de atividades físicas tenham um olhar prioritário para os grupos de maior vulnerabilidade

The relationship between social determinants and the practice of physical activity in a period of social distance is still unknown. The present study aimed to analyze the factors associated with the practice of physical activ-ity during the social distance induced by the pandemic of COVID-19. An observational cross-sectional study was conducted with individuals over 18 years of age. Data collection was carried out from April 28 to May 11, 2020 through an online electronic questionnaire. Participated in the research 1,138 individuals residing of the state of Rio de Janeiro. Most individuals were female (63.1%), white (61.9%) and were aged between 18 and 39 years (60.5%). The practice of physical activities was reported by 66.1% of respondents. Sociodemo-graphic variables, participation in physical activities and the frequency of this practice were analyzed using logistic regression and ordinal logistic models. Individuals who had a higher chance of practicing physical activity during the pandemic were greater chance of practicing physical activities during the distance were male, aged over 40 years, who had higher education, not being an essential service professional and not having children. The chances of practicing physical activities more frequently were also associated with men, being over 40 years old, not being an essential service professional and not having children. It is concluded that the practice of physical activities during the period of social distance is associated with social determinants. Therefore, we recommend that policies to promote physical activities prioritize the most vulnerable groups
Descritores: Isolamento Social
Fatores Socioeconômicos
Exercício Físico
Infecções por Coronavirus
Pandemias
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Tipo de Publ: Estudo Observacional
Responsável: BR12.1 - Biblioteca Setorial da Ciências da Saúde


  3 / 334 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-1101066
Autor: Aquino, Estela M. L; Silveira, Ismael Henrique; Pescarini, Julia Moreira; Aquino, Rosana; Souza-Filho, Jaime Almeida de.
Título: Medidas de distanciamento social no controle da pandemia de COVID-19: potenciais impactos e desafios no Brasil / Social distancing measures to control the COVID-19 pandemic: potential impacts and challenges in Brazil
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;25(supl.1):2423-2446, Mar. 2020. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo A pandemia de COVID-19 tem desafiado pesquisadores e gestores a encontrar medidas de saúde pública que evitem o colapso dos sistemas de saúde e reduzam os óbitos. Esta revisão narrativa buscou sistematizar as evidências sobre o impacto das medidas de distanciamento social na epidemia de COVID-19 e discutir sua implementação no Brasil. Foram triados artigos sobre o efeito do distanciamento social na COVID-19 no PubMed, medRXiv e bioRvix, e analisados atos do poder público nos níveis federal e estadual para sumarizar as estratégias implementadas no Brasil. Os achados sugerem que o distanciamento social adotado por população é efetivo, especialmente quando combinado ao isolamento de casos e à quarentena dos contatos. Recomenda-se a implementação de medidas de distanciamento social e de políticas de proteção social para garantir a sustentabilidade dessas medidas. Para o controle da COVID-19 no Brasil, é imprescindível que essas medidas estejam aliadas ao fortalecimento do sistema de vigilância nos três níveis do SUS, que inclui a avaliação e uso de indicadores adicionais para monitorar a evolução da pandemia e o efeito das medidas de controle, a ampliação da capacidade de testagem, e divulgação ampla e transparente das notificações e de testagem desagregadas.

Abstract The COVID-19 pandemic has challenged researchers and policy makers to identify public safety measures forpreventing the collapse of healthcare systems and reducingdeaths. This narrative review summarizes the available evidence on the impact of social distancing measures on the epidemic and discusses the implementation of these measures in Brazil. Articles on the effect of social distancing on COVID-19 were selected from the PubMed, medRXiv and bioRvix databases. Federal and state legislation was analyzed to summarize the strategies implemented in Brazil. Social distancing measures adopted by the population appear effective, particularly when implemented in conjunction with the isolation of cases and quarantining of contacts. Therefore, social distancing measures, and social protection policies to guarantee the sustainability of these measures, should be implemented. To control COVID-19 in Brazil, it is also crucial that epidemiological monitoring is strengthened at all three levels of the Brazilian National Health System (SUS). This includes evaluating and usingsupplementary indicators to monitor the progression of the pandemic and the effect of the control measures, increasing testing capacity, and making disaggregated notificationsand testing resultstransparentand broadly available.
Descritores: Espaço Pessoal
Pneumonia Viral/prevenção & controle
Pneumonia Viral/epidemiologia
Infecções por Coronavirus/diagnóstico
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/transmissão
Pandemias/prevenção & controle
Betacoronavirus
-Pneumonia Viral/transmissão
Política Pública
Isolamento Social
Brasil/epidemiologia
Controle de Doenças Transmissíveis
Saúde Global/estatística & dados numéricos
Infecções por Coronavirus
Infecções por Coronavirus/epidemiologia
Técnicas de Laboratório Clínico/estatística & dados numéricos
Assistência à Saúde
Regulamentação Governamental
Fortalecimento Institucional
Monitoramento Epidemiológico
Comportamento de Massa
Modelos Teóricos
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 334 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-1101067
Autor: Castro-de-Araujo, Luís Fernando Silva; Machado, Daiane Borges.
Título: Impact of COVID-19 on mental health in a Low and Middle-Income Country / Impacto do COVID-19 na saúde mental em um país de baixa e média renda
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;25(supl.1):2457-2460, Mar. 2020.
Idioma: en.
Resumo: Abstract Mental disorders (MD) are commonly comorbid with cardiovascular, metabolic, and some infectious diseases. Since the current SARS-CoV-2 epidemic is affecting the most multimorbid individuals, we might expect that the epidemic will be particularly problematic for people with MD. Understanding the burden of an outbreak on mental health is fundamental to effective action towards containing the spread of the disease, as psychopathology might reduce endurance during the lockdown. This can potentially reduce adhesion to ongoing treatment resulting in avoidable recurrence of a disorder. Additionally, there is the stress caused by the eminent risk of infection or economic uncertainty, especially in low-middle income settings. This is an overview on the expected influence of the COVID-19 on mental health from a research group that has not long ago been involved in the Zika epidemic. It aims to discuss the effects of the pandemic on a Low and Middle-Income country (LMIC), Brazil.

Resumo Os Transtornos Mentais (TM) são comorbidades comuns associadas a doenças cardiovasculares, metabólicas e algumas doenças infecciosas. Como a atual epidemia de SARS-CoV-2 está afetando mais os indivíduos multimórbidos, podemos esperar que a epidemia seja particularmente problemática para pessoas com TM. Compreender o ônus de um surto na saúde mental é fundamental para uma ação de contenção eficaz da propagação da doença, pois a psicopatologia pode reduzir a resistência durante o confinamento. Que pode potencialmente reduzir a adesão ao tratamento em andamento, resultando na recorrência evitável de um distúrbio. Além disso, há o estresse causado pelo risco eminente de infecção ou incerteza econômica, especialmente em ambientes de baixa e média renda. Esta é uma "overview" sobre a potencial influência do COVID-19 na saúde mental realizada por um grupo de pesquisa que não faz muito tempo esteve envolvido na epidemia de Zika. Ela tem como objetivo discutir os efeitos da pandemia do COVID-19 em um país de baixa e média renda, Brasil.
Descritores: Pneumonia Viral/psicologia
Pneumonia Viral/epidemiologia
Saúde Mental
Infecções por Coronavirus/psicologia
Infecções por Coronavirus/epidemiologia
Países em Desenvolvimento
Pandemias
Betacoronavirus
-Sensação
Isolamento Social
Transtorno Bipolar/psicologia
Transtorno Bipolar/terapia
Brasil
Família
Cuidadores
Infecções por Coronavirus
Demência/enfermagem
Multimorbidade
Acesso aos Serviços de Saúde
Transtornos Mentais/psicologia
Transtornos Mentais/tratamento farmacológico
Transtornos Mentais/epidemiologia
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 334 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-1101069
Autor: Bezerra, Anselmo César Vasconcelos; Silva, Carlos Eduardo Menezes da; Soares, Fernando Ramalho Gameleira; Silva, José Alexandre Menezes da.
Título: Fatores associados ao comportamento da população durante o isolamento social na pandemia de COVID-19 / Factors associated with people's behavior in social isolation during the COVID-19 pandemic
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;25(supl.1):2411-2421, Mar. 2020. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O artigo apresenta resultados da pesquisa de opinião realizada no Brasil sobre a percepção do isolamento social durante a pandemia de COVID-19. O questionário foi elaborado no Google Forms, disseminado por redes sociais, com questões sobre o perfil socioeconômico e fatores associados ao isolamento. Obteve-se uma amostra com 16.440 respondentes. Os dados foram analisados no software Stata 13. O convívio social foi o aspecto mais afetado entre pessoas com maior escolaridade e renda 45,8%, para pessoas de baixas renda e escolaridade, problemas financeiros provocam maior impacto 35%. Os que praticam atividade física revelaram menores níveis de estresse 13%, bem como uma maior normalidade no sono 50,3%. Pessoas que referiram residir em piores condições de habitabilidade, informaram disposição a permanecer menos tempo isoladas 73,9%. Dentre as pessoas que não estão isoladas (10,7% do total), 75,8% acredita que o isolamento social reduzirá o número de vítimas da COVID-19. Concluímos, que a percepção das pessoas quanto ao isolamento social como medida de mitigação da pandemia, varia conforme a renda, escolaridade, idade e sexo, porém a maior parte acredita que se trata da medida de controle mais indicada e estão dispostas a esperar o tempo que for necessário para contribuir com o enfrentamento à COVID-19.

Abstract This paper presents the results of an opinion poll conducted in Brazil on the perception of social isolation during the COVID-19 pandemic. The questionnaire was prepared on Google Forms, disseminated through social networks, with questions about the socioeconomic profile and factors associated with isolation. A non-probabilistic sample was obtained with 16,440 respondents. Data were analyzed using the Stata 13 software. Social interaction was the most affected aspect among people with higher education and income (45.8%), and financial problems caused a more significant impact (35%) among people with low income and education. Those who practice some physical activity showed lower levels of stress 13%, as well as greater normality in sleep 50.3%. People who reported living in worse habitability conditions reported willingness to remain isolated for less time, 73.9%. Among non-isolated people (10.7% of the total sample), 75.8% believe that social isolation will reduce the number of victims of COVID-19. We conclude, based on this sample, that the perception about social isolation as a pandemic mitigation action varies by income, education, age, and gender. However, most believe that it is the most appropriate control measure and are willing to wait as long as necessary to contribute to the fight against COVID-19.
Descritores: Espaço Pessoal
Pneumonia Viral/psicologia
Pneumonia Viral/epidemiologia
Isolamento Social/psicologia
Infecções por Coronavirus/psicologia
Infecções por Coronavirus/epidemiologia
Pandemias/economia
Pandemias/prevenção & controle
Betacoronavirus
-Pneumonia Viral/economia
Pneumonia Viral/prevenção & controle
Opinião Pública
Fatores Socioeconômicos
Estresse Psicológico/epidemiologia
Fatores de Tempo
Brasil/epidemiologia
Exercício Físico/psicologia
Fatores Sexuais
Estudos Transversais
Inquéritos e Questionários/estatística & dados numéricos
Fatores Etários
Infecções por Coronavirus
Infecções por Coronavirus/economia
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Escolaridade
Renda
Relações Interpessoais
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Responsável: BR1.1 - BIREME


  6 / 334 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1141373
Autor: Souza, Jamires Silva de; Figueredo, Brenda Ferreira de; Aquino, Vanessa Alves; Santos, Jomel Francisco dos.
Título: Ações de educação em saúde para prevenção da Covid-19 por meio da utilização de mídias sociais / Health education actions to prevent Covid-19 through the use of social media / Acciones de educación para la salud para prevenir Covid-19 mediante el uso de las redes sociales
Fonte: Arq. Ciênc. Vet. Zool. UNIPAR (Online);23(2, cont.):e2306, jul-dez. 2020. graf, ilus.
Idioma: pt.
Resumo: O vírus Sars-CoV-2 causa a doença mais recente caracterizada como ameaça à saúde global e possui, principalmente, curso de doença respiratória. Os principais sintomas podem ser febre, tosse e dispneia e o risco pode aumentar conforme a idade e a presença de outras doenças associadas no paciente. Atualmente o tratamento é de suporte e ainda não há vacina. A maioria das estratégias globais de resposta ao combate dessa doença inclui níveis variados de rastreamento de contato e autoisolamento ou quarentena, sendo essas as melhores formas de prevenção e também a maneira de evitar maior disseminação da enfermidade. Devido ao isolamento social para prevenção da doença, uma das alternativas que podem ser utilizadas para proporcionar informação e educação em saúde para a população em geral é por meio dos meios de comunicação em massa. Dessa forma, o objetivo deste trabalho consistiu em utilizar mídias sociais como ferramenta para sensibilizar a população quanto à prevenção da COVID-19, com o intuito de ofertar e facilitar o acesso a informações de cunho educativo. A seleção da mídia social, assim como sua plataforma de interação contribuíram para a apresentação de resultados satisfatórios relacionados aos conteúdos publicados para disseminação das informações inerentes à doença.(AU)

The Sars-CoV-2 virus causes the most recent disease characterized as a threat to global health and has, mainly, a course of respiratory disease. The main symptoms can be fever, cough and dyspnea and the risk may increase with age and the presence of other associated diseases in the patient. Currently the treatment is supportive and there is still no vaccine. Most global response strategies to combat this disease include varying levels of contact screening and self-isolation or quarantine, which is the best form of prevention and also a way to avoid further spread of the disease. Due to social isolation for disease prevention, one of the alternatives that can be used to provide health information and education to the general population is through mass media. Thus, the objective of this work was to use social media as a tool to sensitize the population about the prevention of COVID-19, in order to offer and facilitate access to educational information. The selection of social media, as well as its interaction platform, contributed to the presentation of satisfactory results related to the content published for dissemination of information inherent to the disease.(AU)

El virus Sars-CoV-2 causa la enfermedad más reciente caracterizada como una amenaza para la salud mundial y tiene principalmente un curso de enfermedad respiratoria. Los principales síntomas pueden ser fiebre, tos y disnea y el riesgo puede aumentar con la edad y la presencia de otras enfermedades asociadas en el paciente. Actualmente el tratamiento es de apoyo y todavía no hay ninguna vacuna. La mayoría de las estrategias de respuesta mundial para combatir esta enfermedad incluyen diversos niveles de detección de contactos y de autoaislamiento o cuarentena, que es la mejor forma de prevención y también una manera de evitar una mayor propagación de la enfermedad. Debido al aislamiento social para la prevención de enfermedades, una de las alternativas que se pueden utilizar para proporcionar información y educación sanitaria a la población en general es a través de los medios de comunicación. Así pues, el objetivo de esta labor era utilizar los medios de comunicación social como instrumento para sensibilizar a la población acerca de la prevención del COVID-19, a fin de ofrecer y facilitar el acceso a la información educativa. La selección de los medios de comunicación social, así como su plataforma de interacción, contribuyeron a la presentación de resultados satisfactorios relacionados con los contenidos publicados para la difusión de la información inherente a la enfermedad.(AU)
Descritores: Isolamento Social
Infecções por Coronavirus
Meios de Comunicação
Acesso à Informação
Mídias Sociais
-Vírus da SARS
Responsável: BR68.1 - Biblioteca Virginie Buff D'Ápice


  7 / 334 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Silva, Antonio Augusto Moura da
Minayo, Maria Cecília de Souza
Texto completo
Id: biblio-1101060
Autor: Silva, Antônio Augusto Moura da; Minayo, Maria Cecília de Souza; Gomes, Romeu.
Título: Epidemiologia, ciências sociais e políticas de saúde no enfrentamento da COVID-19 / Epidemiology, social sciences and health policies in the fight against COVID-19
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;25(supl.1):2392-2392, Mar. 2020.
Idioma: pt.
Descritores: Pneumonia Viral/epidemiologia
Saúde Global
Infecções por Coronavirus/epidemiologia
Política de Saúde
-Pneumonia Viral/prevenção & controle
Pneumonia Viral/transmissão
Isolamento Social
Ciências Sociais
Infecções por Coronavirus
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/transmissão
Pandemias/prevenção & controle
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Editorial
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 334 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Saúde Pública
Texto completo
Id: biblio-1101071
Autor: Deslandes, Suely Ferreira; Coutinho, Tiago.
Título: O uso intensivo da internet por crianças e adolescentes no contexto da COVID-19 e os riscos para violências autoinflingidas / The intensive use of the internet by children and adolescents in the context of COVID-19 and the risks for self-inflicted violence
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;25(supl.1):2479-2486, Mar. 2020. graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo O presente ensaio busca discutir as implicações do isolamento social devido à pandemia do COVID-19 para o uso intensivo da internet entre crianças e adolescentes e suas possíveis consequências para a prática de violências autoinflingidas. Discutimos brevemente o potencial ansiogênico e a reprodução de um "medo global" que se consolidam com a exposição maciça e sem mediação dos conteúdos consumidos, que podem aumentar as vulnerabilidades para estresse e ideações suicidas. Centramos nosso debate sobre práticas "recreativas", denominadas de "desafios" com poder autolesivo, realizados por adolescentes no site Youtube. Essa prática revelou-se crescente a partir das medidas de isolamento social. Nossa reflexão sobre esses riscos é feita a partir da perspectiva teórica da sociabilidade digital, e suas implicações nas interações de adolescentes mediadas pela internet.

Abstract This essay aimed to discuss the implications of social isolation due to the COVID-19 pandemic for the intensive use of the internet among children and adolescents and its possible consequences for the practice of self-inflicted violence. We briefly discussed the anxiogenic potential and the reproduction of a "global fear" that are consolidated with the massive and unmediated exposure of the content consumed, which can increase the vulnerabilities to stress and suicidal ideas. We centered our debate on "recreational" practices, called "challenges" with self-harm power, carried out by teenagers on the YouTube website. This practice has been shown to increase with the social isolation measures. Our reflection on these risks builds on the theoretical perspective of digital sociability, and its implications for the internet-mediated interactions of adolescents.
Descritores: Pneumonia Viral/psicologia
Pneumonia Viral/epidemiologia
Isolamento Social/psicologia
Comportamento Autodestrutivo/psicologia
Internet/estatística & dados numéricos
Pandemias
Betacoronavirus
-Ansiedade/psicologia
Autoimagem
Estresse Psicológico/etiologia
Fatores de Tempo
Armazenamento e Recuperação da Informação/estatística & dados numéricos
Comportamento Aditivo
Infecções por Coronavirus
Infecções por Coronavirus/psicologia
Infecções por Coronavirus/epidemiologia
Medo
Mídias Sociais/estatística & dados numéricos
Limites: Humanos
Criança
Adolescente
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 334 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1133152
Autor: Moraes, Rodrigo Fracalossi de.
Título: Determinants of physical distancing during the covid-19 epidemic in Brazil: effects from mandatory rules, numbers of cases and duration of rules / Determinantes do distanciamento físico durante a epidemia de covid-19 no Brasil: efeitos de medidas mandatórias, números de casos e duração das normas restritivas
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;25(9):3393-3400, Mar. 2020. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: Abstract During the covid-19 pandemic, physical distancing is being promoted to reduce the disease transmission and pressure on health systems. Yet, what determines physical distancing? Through a panel data analysis, this article identifies some of its determinants. Using a specifically built index that measures the strictness of physical distancing rules in the 27 Brazilian states, this paper isolates the effect of mandatory physical distancing rules from other potential determinants of physical distancing. The article concludes that physical distancing is influenced by at least three variables: the strictness of mandatory physical distancing rules, the number of confirmed cases of covid-19, and the duration of rules. Evidence also indicates that the effect of physical distancing measures is relatively stronger than that of the number of cases -physical distancing is determined proportionally more by mandatory policies than people's awareness about the severity of the epidemic. These results have at least two policy implications. First, governments should adopt mandatory measures in order to increase physical distancing - rather than expect people to adopt them on their own. Second, the timing of adopting them is important, since people are unlikely to comply with them for long periods of time.

Resumo Durante a pandemia de covid-19, o distanciamento físico está sendo promovido para reduzir a transmissão da doença e a pressão sobre os sistemas de saúde. No entanto, o que determina o distanciamento físico? Através de uma análise de dados em painel, este artigo identifica alguns de seus determinantes. Usando um índice que mede o rigor das regras de distanciamento nas 27 unidades da federação brasileiras, isolou-se o efeito de regras obrigatórias de distanciamento de outros potenciais determinantes. O artigo conclui que o distanciamento é influenciado por ao menos três variáveis: rigor das regras obrigatórias, número de casos confirmados e duração das regras. Os resultados também indicam que o efeito das medidas de distanciamento é relativamente mais forte do que o do número de casos - o distanciamento físico é determinado proporcionalmente mais por políticas obrigatórias do que pelo grau de conscientização acerca da gravidade da epidemia. Os resultados têm ao menos duas implicações em termos de políticas. Primeiro, governos devem adotar medidas obrigatórias para aumentar o distanciamento físico - ao invés de esperar que as pessoas as adotem por conta própria. Segundo, o momento de adotá-las é importante, pois é improvável que se mantenham níveis altos de distanciamento físico por longos períodos de tempo.
Descritores: Pneumonia Viral/prevenção & controle
Isolamento Social
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Pandemias/prevenção & controle
Política de Saúde/legislação & jurisprudência
-Pneumonia Viral/epidemiologia
Fatores de Tempo
Brasil/epidemiologia
Infecções por Coronavirus
Infecções por Coronavirus/epidemiologia
Regulamentação Governamental
Limites: Humanos
Responsável: BR1.1 - BIREME


  10 / 334 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1133136
Autor: Carvalho, Sérgio Garófalo de; Santos, Andreia Beatriz Silva dos; Santos, Ivete Maria.
Título: A pandemia no cárcere: intervenções no superisolamento / The pandemic in prison: interventions and overisolation
Fonte: Ciênc. Saúde Colet;25(9):3493-3502, Mar. 2020. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: Resumo Saúde prisional é, em sua essência, saúde pública. A pandemia de COVID-19 representa uma grande ameaça para o mundo e tem demonstrado que prevenir a escalada da doença em prisões faz parte do combate ao novo coronavírus na sociedade em geral. Sabe-se, até o momento, que a mais efetiva medida de contenção ao avanço da doença é o isolamento social. No entanto, em instituições penais, muitas vezes superlotadas, tal medida torna-se de difícil implementação e, quando acontece, leva a população privada de liberdade a um superisolamento, tendo consequências em sua saúde mental. Além disso, indivíduos presos sofrem com ambientes sem ventilação, falta de materiais de higiene pessoal, condições sanitárias básicas precárias e dificuldade de acesso a serviços de saúde. O presente artigo objetiva ser uma revisão narrativa sobre os efeitos da pandemia em presídios e como governos e sociedade civil têm se organizado a fim de reduzir as consequências sobre esses locais. A publicação foi dividida em três seções: na primeira, há uma revisão da literatura em saúde sobre a temática; na segunda, é tratado o modo como diferentes países estão lidando com a situação carcerária no contexto da pandemia; na terceira e última parte, é abordado o modo como o Sistema Penal brasileiro tem reagido à nova doença.

Abstract Prisional health is, in its essence, public health. The COVID-19 pandemic poses a great threat to the world and has shown that preventing the disease escalation in prisons integrates the novel corona virus clash in society in general. Up to this moment, the most effective known measure to curb the disease spread is social isolation. Nevertheless, in penal institutions, often overcrowded, social isolation becomes difficult to carry out and, when it happens, it takes the enclosed population to overisolation, with consequences to their mental health. Besides, prisoners suffer with clogged up environment, lack of materials for personal hygiene, poor basic sanitary conditions and difficulties in accessing health services. This paper deals with a narrative review on the pandemic effects in prisons and how government and civil society have organized themselves in order to reduce the disease consequences at those places. The text has been divided into three sections: the first with literature review on the current health theme; the second discusses how different countries have been dealing with the prison situation in the pandemic context, and, the last part focuses on how the Brazilian Penal System has reacted to the new disease.
Descritores: Pneumonia Viral/epidemiologia
Prisões/estatística & dados numéricos
Prisioneiros/estatística & dados numéricos
Infecções por Coronavirus/epidemiologia
-Pneumonia Viral/prevenção & controle
Pneumonia Viral/psicologia
Prisioneiros/psicologia
Isolamento Social
Brasil
Saúde Mental
Infecções por Coronavirus
Infecções por Coronavirus/prevenção & controle
Infecções por Coronavirus/psicologia
Assistência à Saúde/organização & administração
Pandemias/prevenção & controle
Acesso aos Serviços de Saúde
Limites: Humanos
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1.1 - BIREME



página 1 de 34 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde