Base de dados : LILACS
Pesquisa : F01.470.132 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 2233 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 224 ir para página                         

  1 / 2233 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1284018
Autor: Souza, Gustavo Fonseca de Albuquerque; França, Esther Soraya Lima de; Lima, Amanda Katharinne Souza; Souza, Adene Kaline de; Alves, Maysa Aiany Dias Sousa; Rego, Juliana Soares de Oliveira; Lima, Jurema Telles de Oliveira; Souza, Alex Sandro Rolland.
Título: Ansiedade e depressão em (Ansiedad y depresión en los) pacientes oncológicos durante a pandemia / Anxiety and depression in patients with cancer diseases during the pandemic
Fonte: Salud(i)ciencia (Impresa) = Salud(i)ciencia (En linea);24(5):261-268, mar.-abr. 2021. tab..
Idioma: pt.
Descritores: Ansiedade
Pacientes
Depressão
Pandemias
Neoplasias
-COVID-19
Responsável: AR392.1 - Biblioteca


  2 / 2233 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1291200
Autor: Fleury, Heloisa Junqueira; Helena Najjar Abdo, Carmita.
Título: Saúde sexual na pandemia pelo coronavírus COVID-19 / sexual health in the pandemic by the COVID-19 coronavirus
Fonte: Diagn. tratamento;26(3):114-7, jul-set. 2021.
Idioma: pt.
Resumo: A pandemia pela nova doença do coronavírus (COVID-19) e o confinamento têm provocado o aumento de dificuldades psicossociais pelo desconforto com a perda da liberdade, pelas incertezas sobre a doença e outras alterações no cotidiano. O risco para ansiedade e depressão ficou maior entre os que apresentavam sintomas psicológicos anteriores. Após a quarentena, um dos principais estressores é a perda financeira. A pandemia influenciou a qualidade da vida sexual. Na população, metade interrompeu a atividade sexual durante a quarentena. A maioria dos casais reduziu essa atividade pela falta de privacidade e de estímulo, embora 61,2% mantivessem o autoerotismo. A diminuição da satisfação sexual está associada às alterações provocadas pela pandemia para todos, porém foi mais acentuada em mulheres, por terem apresentado mais sintomas de ansiedade e depressão. Indivíduos que mantiveram vida sexual ativa durante a quarentena apresentaram risco menor para ansiedade e depressão, com maiores índices de saúde relacional e sexual. Indivíduos com muitas parcerias desempenham um papel importante como transmissores, porém, o isolamento social e o estresse podem aumentar a necessidade de contato emocional. Com esse impacto negativo da pandemia, o tratamento das disfunções sexuais deveria ser priorizado, pois o aumento do estresse, da ansiedade, da depressão e até mesmo dos sintomas relativos ao estresse pós-traumático causado pela pandemia pode estar contribuindo para o desencadeamento de problemas sexuais e agravando quadros já existentes. Os profissionais de saúde precisam estar conscientes dos benefícios da manutenção da vida sexual.
Descritores: Ansiedade
Saúde Mental
Depressão
Saúde Sexual
COVID-19
Responsável: BR12.1 - Biblioteca Setorial da Ciências da Saúde


  3 / 2233 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1282740
Autor: Nascimento Filho, José Medeiros do; Vital, Ana Luísa Fernandes; Oliveira, Ana Katherine da Silveira Gonçalves de.
Título: Síndrome de burnout e ansiedade em trabalhadores em saúde mental: enfrentando uma realidade silenciosa / Burnout syndrome and anxiety in mental health workers: facing a silent reality / Síndrome de burnout y ansiedad en los trabajadores de salud mental: enfrentando una realidad silenciosa
Fonte: Rev. Ciênc. Plur;7(2):74-87, maio 2021. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução:Os trabalhadores em saúde mental são expostos a situações adversas e estressantes, agravadas por um constante estado de excitabilidade e atenção, sendo conhecido aumento na incidência da Sídrome de Burnout e de ansiedade nesse grupo.Objetivo:avaliar a prevalência da Síndrome na amostra e suas correlações com outras variáveis.Metodologia:Estudo transversal, observacional, onde 142 trabalhadores de um hospital psiquiátrico foram entrevistados por meio de três questionários: sociocultural, Maslach Burnout Inventory eBeck Anxiety Inventory. Os dados foram tabulados e analisados por meio do teste de qui-quadrado, com valor de p significativo <0,05.Resultados:na amostra, a maioria era mulher, com média de idade 50 anos e média de 14 anos de trabalho nesse hospital. 55 trabalhadores apresentaram Burnout (pelo menos um critério comprometido), sendo 18 com diminuição da esfera de realização pessoal, 41 com exaustão emocionale 23 sofrendo de despersonalização. Foi encontrada uma relação da Síndrome de Burnout com elevados níveis de ansiedade (p=0.0008). Conclusões:O grupo com maiores níveis de ansiedade mostraram pior estados emocional e de saúde mental, associado à incidência da Síndrome de Burnout (AU).

Introduction:Mental health workers are exposed to adverse and stressful situations, aggravated by a constant state of excitability and attention, with an increase in the incidence of Burnout Syndrome and anxiety in this group.Objective:to evaluate the prevalence of the Syndromein the sample and its correlations with other variables.Methodology:Cross-sectional, observational study, where 142 workers from a psychiatric hospital were interviewed using three questionnaires: sociocultural, Maslach Burnout Inventory and Beck Anxiety Inventory. The data were tabulated and analyzed using the chi-square test, with a significant p-value <0.05.Results:in the sample, most were women, with an average age of 50 years and an average of 14 years of work at this hospital. 55 workers had Burnout (at least one compromised criterion), 18 with reduced personal achievement, 41 with emotional exhaustion and 23 suffering from depersonalization. A relationship between Burnout Syndrome and high levels of anxiety was found (p = 0.0008). Conclusions:The group with the highest levels of anxiety showed worse emotional and mental health states, associated with the incidence of Burnout Syndrome (AU).

Introducción: Los trabajadores de salud mental están expuestos a situaciones adversas y estresantes, agravadas por un estado constante de excitabilidad y atención, con un aumento de la incidencia del Síndrome de Burnout y ansiedad en este grupo.Objetivo: evaluar la prevalencia de la Síndromeen la muestra y sus correlaciones con otras variables. Metodología: Estudio observacional transversal, en el que se entrevistó a 142 trabajadores de un hospital psiquiátrico mediante tres cuestionarios: sociocultural, Maslach Burnout Inventory y Beck Anxiety Inventory. Los datos se tabularon y analizaron mediante la prueba de chi-cuadrado, con un valor de p significativo <0,05. Resultados: en la muestra, la mayoría eran mujeres, con una edad media de 50 años y una media de 14 años de trabajo en este hospital. 55 trabajadores tenían Burnout (al menos un criterio comprometido), 18 con logro personal reducido, 41 con agotamiento emocional y 23 con despersonalización. Se encontró relación entre el Síndrome de Burnout y altos niveles de ansiedad (p = 0,0008). Conclusiones: El grupo con mayores niveles de ansiedad presentó peoresestados emocionales y de salud mental, asociados a la incidencia del Síndrome de Burnout (AU).
Descritores: Ansiedade/psicologia
Estresse Psicológico/psicologia
Saúde Mental
Pessoal de Saúde/psicologia
Esgotamento Psicológico/psicologia
-Política Pública
Brasil
Distribuição de Qui-Quadrado
Epidemiologia Descritiva
Estudos Transversais/métodos
Inquéritos e Questionários
Hospitais Psiquiátricos
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Responsável: BR1264.1 - Biblioteca Setorial Prof Alberto M Campos


  4 / 2233 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1253866
Autor: Osorio-Anaya, Steven; Molina-Villar, Honell; Uribe-Escobar, Alejandro; Ochoa-Martelo, María del Carmen.
Título: Efecto de la pandemia por COVID-19 en la salud mental de los otorrinolaringólogos en Hispanoamérica / COVID-19 pandemic effects on otolaryngologist's mental health in Hispanoamerica
Fonte: Acta otorrinolaringol. cir. cabeza cuello;49(2):121-128, 2021. ILUS, TAB, GRAF.
Idioma: es.
Resumo: Introducción: la pandemia puede generar compromiso en la salud mental y los otorrinolaringólogos son los especialistas con mayor riesgo de exposición y contagio por SARS-CoV-2. Materiales y métodos: estudio de corte transversal en otorrinolaringólogos de Hispanoamérica, donde se evaluaron variables socioeconómico/demográficas y su asociación con las escalas PHQ-9 y GAD-7. Resultados: se estudiaron 256 otorrinolaringólogos de dieciséis países de Hispanoamérica. La escala PHQ-9 presentó una media de 5,45 (DE 4,22). La escala GAD-7 presentó una media de 4,55 (DE 3,457). La prevalencia de depresión mayor y ansiedad fue del 14,8 % y 7 %, respectivamente. En el análisis multivariado, los otorrinolaringólogos a los que se les ha realizado prueba con hisopado nasofaríngeo tienen una predicción significativa para presentar una puntuación alta en la escala PHQ-9 (coeficiente ß = 2,350; p=0.027). En la puntuación de la escala GAD-7, los individuos con mayor edad tienen una predicción significativa de menor puntuación en la escala (coeficiente ß = -0,144; p=0,002). Los otorrinolaringólogos con más años de experiencia (coeficiente ß = 0,909; p=0,037) y aquellos a los que les han realizado prueba de RT-PCR con hisopado nasofaríngeo para SARS-CoV-2 tienen una predicción significativa para presentar una puntuación alta en la escala GAD-7 (coeficiente ß = 2,370; p=0,027). Conclusión: en el transcurso de la pandemia, los otorrinolaringólogos de Hispanoamérica han presentado cambios drásticos de sus condiciones sociales y económicas y experimentado sus potenciales efectos en la salud mental. La exposición a al hisopado nasofaríngeo para el diagnóstico de COVID-19 fue la única variable independiente que se asoció con aumento de las puntuaciones en las escalas GAD-7 y PHQ-9.

Introduction: The COVID-19 pandemic could affect the mental health, especially to the health workforce directly exposed to the virus. ENT surgeons have one of the highest risks of exposure and infection by SARS-CoV-2. Methods: Cross-sectional study in otolaryngologists from Hispanoamerica. Socioeconomic and demographic variables were evaluated with the PHQ-9 and GAD-7 score. Results: 256 ENT surgeons from sixteen Hispanoamerican countries were studied. The PHQ-9 scale presented an average of 5.45 (SD 4.22). The GAD-7 score presented an average of 4.55 (SD 3.457). The prevalence of major depression and generalized anxiety disorders were 14.8 % and 7 %, respectively. In the multivariate analysis, the otolaryngologists who have been tested by nasopharyngeal swab have a significant prediction to present a higher score on the PHQ-9 score (coefficient ß = 2.350, p=0.027), while on the GAD-7 score, older individuals have a significant prediction of lower score (coefficient ß = -0.144, p=0.002). Otolaryngologists with more years of experience (coefficient ß = 0.909, p=0.037) and those who have undergone RT-PCR testing with nasopharyngeal swab have a significant prediction to present a higher GAD-7 (coefficient ß = 2.370, p = 0.027). Conclusion: During the pandemic, otolaryngologists in Hispanoamerica have presented drastic changes in their social and economic conditions, and their potential effects on mental health. Exposure to the nasopharyngeal swab test for the diagnosis of COVID-19 was the only independent variable that was associated with higher scores on GAD-7 and PHQ-9.
Descritores: Saúde Mental
Otorrinolaringologistas/psicologia
COVID-19/psicologia
-Ansiedade/epidemiologia
Fatores Socioeconômicos
Modelos Lineares
Estudos Transversais
Depressão/etiologia
Pandemias
Questionário de Saúde do Paciente
COVID-19/epidemiologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Pessoa de Meia-Idade
Idoso
Responsável: CO5.1 - Centro de Información y Conocimiento


  5 / 2233 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1287583 LILACS-Express
Autor: Andrade, André Luiz Monezi; Enumo, Sônia Regina Fiorim; Passos, Maria Aparecida Zanetti; Vellozo, Eliana Pereira; Schoen, Teresa Helena; Kulik, Marco Antônio; Niskier, Sheila Rejane; Vitalle, Maria Sylvia de Souza.
Título: Problematic Internet use, emotional problems and quality of life among adolescents / Uso problemático de Internet, problemas emocionais e qualidade de vida entre adolescentes / Uso problemático de Internet, problemas emocionales y calidad de vida entre adolescentes
Fonte: Psico USF;26(1):41-51, Jan. 2021. tab.
Idioma: en.
Resumo: This study aimed to evaluate the prevalence of Problematic Internet Use (PIU) among adolescents (N = 466) and its possible association with emotional problems and quality of life. Students (Mage = 12.8 years; SD = 1.9) from five public schools in a city in the State of São Paulo participated in this study and completed four instruments: a sociodemographic questionnaire; Internet Addiction Test (IAT); Depression Anxiety Stress Scale (DASS-21) and Pediatric Quality of Life Inventory (PedsQL). No significant differences were detected about the frequency and intensity of symptoms of depression, anxiety, and stress compared to those who did not have problems with the use of the Internet. No differences were observed between the groups in respect of quality of life either. However, those individuals who felt that their internet use impaired their daily activities presented higher average IAT scores and higher levels of stress. These findings indicated that the perception of internet use was the main variable associated with emotional symptoms. (AU)

O objetivo deste trabalho foi avaliar a prevalência de Uso Problemático de Internet (UPI) entre adolescentes (N = 466) e sua possível associação com problemas emocionais e qualidade de vida. Estudantes (Midade = 12,8; DP = 1,9) de cinco escolas públicas de um município do Estado de São Paulo participaram deste estudo e preencheram quatro instrumentos: Questionário sociodemográfico; Internet Addiction Test (IAT); Depression Anxiety Stress Scale (DASS -21) e Pediatric Quality of Life Inventory (PedsQL). Não se encontrou relação significante entre a frequência e intensidade dos sintomas de depressão, ansiedade e estresse em comparação com aqueles que não possuem problemas com o uso da internet. Em relação à qualidade de vida, também não foram observadas diferenças entre os grupos. Entretanto, aqueles que possuíam uma percepção de uso de internet prejudicial a suas atividades cotidianas apresentaram maior pontuação média do instrumento IAT e maiores níveis de estresse. Esses achados indicam que a percepção do uso do uso de internet foi a principal variável associada com sintomas emocionais. (AU)

Este estudio tuvo como objetivo evaluar la prevalencia del Uso Problemático de Internet (UPI) entre adolescentes (N = 466) y su posible asociación con problemas emocionales y calidad de vida. Los estudiantes (Midade = 12,8; DS = 1,9) de cinco escuelas públicas en una ciudad de la provincia de São Paulo participaron en este estudio y completaron cuatro instrumentos: un cuestionario sociodemográfico; Internet Addiction Test (IAT); Depression Anxiety Stress Scale (DASS-21) y Pediatric Quality of Life Inventory (PedsQL). No se detectaron diferencias significativas sobre la frecuencia y la intensidad de los síntomas de depresión, ansiedad y estrés en comparación con aquellos que no tuvieron problemas con el uso de Internet. Tampoco se observaron diferencias entre los grupos con respecto a la calidad de vida. Sin embargo, aquellas personas que sintieron que su uso de Internet perjudicaba sus actividades diarias presentaron escores promedios más altos de IAT y niveles más altos de estrés. Estos hallazgos indicaron que la percepción del uso de Internet fue la principal variable asociada a los síntomas emocionales. (AU)
Descritores: Ansiedade/psicologia
Qualidade de Vida/psicologia
Estresse Psicológico/psicologia
Depressão/psicologia
Emoções
Transtorno de Adição à Internet/psicologia
-Fatores Socioeconômicos
Inquéritos e Questionários
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Tipo de Publ: Estudo de Avaliação
Responsável: BR1249.1 - Coordenadoria do Sistema de Bibliotecas


  6 / 2233 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: lil-698803
Autor: Arrieta Vergara, Katherine; Díaz Cárdenas, Shyrley; González Martínez, Farith.
Título: Síntomas de depresión, ansiedad y estrés en estudiantes de odontología: prevalencia y factores relacionados / Symptoms of Depression, Anxiety and Stress Among Dental Students: Prevalence and Related Factors
Fonte: Rev. colomb. psiquiatr;42(2):173-181, abr.-jun. 2013. ilus, tab.
Idioma: es.
Resumo: Objetivos: Estimar la asociación entre síntomas depresivos, ansiosos y de estrés con factores sociodemográficos, académicos y sociales entre estudiantes de odontología. Métodos: Estudio transversal realizado con estudiantes de odontología de una universidad de Cartagena, seleccionados por muestreo aleatorio simple, quienes respondieron a un cuestionario anónimo autoaplicable de 20 preguntas, que incluy ó características sociodemográficas, depresión, ansiedad y estrés (escala DASS 21), función familiar (APGAR familiar) y otros factores asociados con el contexto académico, económico y social. Los datos se analizaron a partir de proporciones y la asociación se obtuvo por razones de disparidad y regresión logística nominal. Resultados: La prevalencia de síntomas ansiosos, depresivos y de estrés fueron del 37,4, el 56,6 y el 45,4 % respectivamente. Los factores asociados a los síntomas depresivos fueron falta de apoyo de amigos (odds ratio [OR ] = 6,2; intervalo de confianza del 95 % [IC95 %], 2,6-14,5), disfunción familiar (OR = 3,6; IC95 %, 1,9-6,6) y dificultades económicas (OR = 2,2; IC95 %, 1,2-3,9 ). Los asociados a síntomas ansiosos fueron la disfuncionalidad familiar (OR = 3,1; IC95 %, 1,8-5,3) y falta de apoyo de amigos (OR = 2,1; IC95 %, 1,1-5,8). Asimismo, para los síntomas de estrés, los factores disfunción familiar (OR = 2,3; IC95 %, 1,4-4,1), ingresos económicos (OR = 2,4; IC95 %, 1,2-4,9 ) y tiempo para descansar (OR = 2,3; IC95 %, 1,4-4,0). Conclusiones: Entre los estudiantes de odontología hay altas prevalencias de síntomas ansiosos, depresivos y de estrés. Los factores asociados son los recursos económicos, la función familiar, la falta de tiempo para el descanso y el apoyo social.

Objectives: To estimate the relationship between depressive symptoms, anxiety and stress and socio-demographic, academic and social factors among dental students. Methods: A cross-sectional study was carried out on dental students from a university in Cartagena, selected by simple random sampling. Students answered a self-report anonymous questionnaire of 20 questions that included demographic characteristics, depression, anxiety and stress symptoms (DASS scale 21), family function (APGAR family) and other factors associated with the academic, economic and social context. Data were analyzed computing odds ratios by binomial logistic regression. Results: The prevalence of symptoms of anxiety, depression and stress were 37.4 %, 56.6 % and 45.4 %, respectively. Factors associated with depressive symptoms were lack of support from friends (OR =6.2; 95 %CI, 2.6-14.5), family dysfunction (OR =3.6; 95 %CI, 1.9-6.6) and economic hardship (OR =2.2; 95 %CI, 1.2-3.9 ). The anxiety symptoms were associated with family dysfunction (OR =3.1; 95 %CI, 1.8-5.3) and lack of support from friends (OR =2.1; 95 %CI, 1.1-5.8). Also for symptoms of stress factors family dysfunction (OR =2.3; 95 %CI, 1.4-4.1), income (OR =2.4; 95 %CI, 1.2-4.9 ) and time to rest (OR =2.3; 95 %CI, 1.4-4.0). Conclusions: Dental students report a high prevalence of symptoms of anxiety, depression and stress. Associated factors are economic resources, family function, lack of time for rest, and social support.
Descritores: Estudantes de Odontologia
Depressão
-Ansiedade
Universidades
Prevalência
Inquéritos e Questionários
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adolescente
Adulto
Responsável: CO78 - Asociación Colombiana de Psiquiatría


  7 / 2233 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-1056055
Autor: Pegoraro, Andréa; Santos, Marcelo Ettruri; Takamori, Jean Tetsuo; Carvalho, Waldemar de Almeida Pereira de; Oliveira, Renato de; Barbosa, Caio Parente; van Nimwegen, Ângela.
Título: Prevalence and intensity of pain during diagnostic hysteroscopy in women attending an infertility clinic: analysis of 489 cases / Prevalência e intensidade da dor na histeroscopia diagnóstica em mulheres atendidas em uma clínica de infertilidade: análise de 489 casos
Fonte: Einstein (Säo Paulo);18:eAO4916, 2020. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Objective To investigate the prevalence and intensity of pain perception during diagnostic hysteroscopy in women and potential related factors. Methods A total of 489 women were investigated at an infertility clinic. Fluid diagnostic hysteroscopy was performed without analgesia or anesthesia by gynecologists with different levels of experience in operative hysteroscopy, using a 2.9mm rigid scope. The Visual Analog Scale was used to score pain intensity after vaginal speculum insertion and after hysteroscopy. Data collected included age, ethnicity, body mass index, history of infertility and endometrial surgery (curettage and/or hysteroscopy), smoking habits, and hysteroscopy diagnosis. Only the state of anxiety was assessed by the State-Trait Anxiety Inventory given to each patient before the procedure. Results Hysteroscopy median (25th to 75th) Visual Analog Scale scored 3.3 (3 to 5), and 41.7% of the women referred Visual Analog Scale score ≥4. Median (25th to 75th) State-Trait Anxiety Inventory score was 42 (38 to 45), and 58.3% of the women referred State-Trait Anxiety Inventory score >40. Hysteroscopy Visual Analog Scale score was significantly correlated to surgeon experience and to vaginal speculum insertion but not to State-Trait Anxiety Inventory score, ethnicity or abnormal hysteroscopic findings. Conclusion Diagnostic hysteroscopy was mostly perceived as a mild discomfort procedure by most women. Nevertheless, in a considerable number of cases, women perceived hysteroscopy as painful. Pain perception was linked to individual pain threshold and surgeon experience, but not to pre-procedural anxiety state levels, ethnicity or abnormal hysteroscopic findings.

RESUMO Objetivo Investigar a prevalência e a intensidade da percepção da dor durante a histeroscopia diagnóstica, bem como os possíveis fatores relacionados. Métodos Foram incluídas 489 mulheres submetidas à propedêutica de infertilidade. A histeroscopia diagnóstica foi realizada sem analgesia ou anestesia, por ginecologistas com níveis de experiência diferentes em histeroscopia, usando histeroscópio rígido de 2,9mm. A Escala Visual Analógica foi utilizada para avaliar a intensidade da dor após a inserção do espéculo vaginal e após a histeroscopia. Os dados coletados incluíram idade, etnia, índice de massa corporal, história de infertilidade e cirurgia endometrial (curetagem e/ou histeroscopia), tabagismo e histeroscopia diagnóstica. Avaliou-se apenas o estado de ansiedade pelo Inventário de Ansiedade Traço-Estado de cada paciente antes do procedimento. Resultados A mediana (25ºa 75º) de histeroscopia pela Escala Visual Analógica foi 3,3 (3 a 5), e 41,7% das mulheres obtiveram pontuação ≥4. A mediana (25ºa 75º) do Inventário de Ansiedade Traço-Estado foi 42 (38 a 45), e 58,3% das mulheres referiram pontuação >40. A pontuação da Escala Visual Analógica da histeroscopia apresentou correlação estatisticamente significante com a experiência do cirurgião e a inserção do espéculo vaginal, mas não a pontuação do Inventário de Ansiedade Traço-Estado, etnia ou achados histeroscópicos anormais. Conclusão A histeroscopia diagnóstica foi percebida pela maioria das mulheres como desconforto leve, mas um número considerável de pacientes classificou o procedimento como doloroso. A percepção da dor esteve ligada ao limiar individual e à experiência do cirurgião, mas não aos níveis de ansiedade pré-procedimento, à etnia e nem aos achados histeroscópicos anormais.
Descritores: Medição da Dor/estatística & dados numéricos
Percepção da Dor
Dor Processual/etiologia
Dor Processual/epidemiologia
Clínicas de Fertilização
-Ansiedade/psicologia
Pólipos/cirurgia
Escalas de Graduação Psiquiátrica
Valores de Referência
Doenças Uterinas/cirurgia
Medição da Dor/psicologia
Brasil/epidemiologia
Índice de Massa Corporal
Histeroscopia/efeitos adversos
Histeroscopia/psicologia
Prevalência
Estatísticas não Paramétricas
Escala Visual Analógica
Dor Processual/psicologia
Pessoa de Meia-Idade
Limites: Humanos
Feminino
Adulto
Adulto Jovem
Responsável: BR1.1 - BIREME


  8 / 2233 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-949204
Autor: Ribeiro, Graziela Aparecida Nogueira de Almeida; Giapietro, Helenice Brizolla; Belarmino, Lídia Barbieri; Salgado-Junior, Wilson.
Título: Depression, anxiety, and binge eating before and after bariatric surgery: problems that remain / Depressão, ansiedade e compulsão alimentar antes e após cirurgia bariátrica: problemas que persistem
Fonte: ABCD arq. bras. cir. dig;31(1):e1356, 2018. tab, graf.
Idioma: en.
Resumo: ABSTRACT Background: As the number of surgeries increases and the elapsed time of the realization increases as well, the postoperative evaluations would become increasingly necessary. Aim: To assess the psychological profile before and after surgery. Methods: Were evaluated 281 patients from the public service of bariatric surgery. In this study, 109 patients completed the evaluations before surgery (T0) and up to 23 months after surgery (T1); 128 completed the evaluations in T0 and between 24 months and 59 months after surgery (T2); and 44 completed the evaluations in T0 and 60 months after surgery (T3). A semi-structured interview, the Beck Depression Inventory (BDI), Beck Anxiety (BAI), and the Binge Eating Scale (BES) were used. Results: There was a higher prevalence of female (83%), patients with less than 12 years of education (83%), and patients who have a partner (64%). Analyzing all times of evaluation, regarding anxiety, depression, and binge eating, there was a reduction in all symptoms in T1, pointing to significant improvements in the first 23 months after surgery. Already, in T2 and T3, there was an increase in all indicators of anxiety, depression, and binge eating pointing to the transient impact of weight loss or bariatric surgery on these symptoms. Conclusions: This study shows the importance of the continuous psychological evaluation and needs for the appropriate interventions for these patients who have undergone bariatric surgery, even after weight loss.

RESUMO Racional: Avaliações pós-operatórias têm se tornado necessárias em ciruriga bariátrica considerando o grande número de operações e o tempo decorrido de sua realização. Objetivo: Avaliar o perfil psicológico de pacientes de um serviço público de cirurgia bariátrica antes e após o procedimento. Métodos: Foram avaliados no total 281 pacientes. Destes, 109 completaram as avaliações antes (T0) e até 23 meses após a operação (T1); 128 completaram as avaliações em T0 e entre 24 meses e 59 meses após a operação (T2); e 44 completaram as avaliações em T0 e 60 meses após a operação (T3). Foram utilizados entrevista semi-estruturada, Inventário Beck de Depressão (BDI), Inventário Beck de Ansiedade (BAI) e Escala de Compulsção Alimentar Periódica (ECAP). Resultados: Observou-se maior prevalência de mulheres (83%), pacientes com menos de 12 anos de escolaridade (83%) e pacientes que tinham um companheiro(a) (64%). Ao analisar todos os tempos de avaliação, observou-se que, com relação à ansiedade, depressão e compulsão alimentar, houve redução de todos os sintomas em T1, apontando para melhorias significativas nos primeiros 23 meses após a operação. Já em T2 e T3 observou-se aumento de todos os indicadores de ansiedade, depressão e compulsão alimentar, apontando para o impacto transitório da perda de peso alcançada pela cirurgia bariátrica nesses sintomas. Conclusões: Este estudo mostra a importância de avaliações psicológicas contínuas e a necessidade de intervenções multiprofissionais apropriadas para pacientes submetidos à cirurgia bariátrica, mesmo após a perda de peso.
Descritores: Ansiedade/epidemiologia
Obesidade Mórbida/psicologia
Bulimia/epidemiologia
Depressão/epidemiologia
Cirurgia Bariátrica/psicologia
Transtorno da Compulsão Alimentar/epidemiologia
-Ansiedade/etiologia
Obesidade Mórbida/cirurgia
Obesidade Mórbida/complicações
Bulimia/etiologia
Depressão/etiologia
Transtorno da Compulsão Alimentar/etiologia
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Tipo de Publ: Estudo Comparativo
Responsável: BR1.1 - BIREME


  9 / 2233 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1281451
Autor: Sant'anna, Rafaela Magalhães; Silva, Ricardo Araújo; Silva, Lucililian Viveiros; Almeida, Tatiana Frederico.
Título: Aspectos éticos e legais das técnicas de manejo de comportamento em odontopediatria: uma revisão narrativa da literatura / Ethical and legal aspects of behavior management techniques in pediatric dentistry: a narrative review of the literature
Fonte: Rev. Bras. Odontol. Leg. RBOL;7(2):[70-80], 20200901.
Idioma: pt.
Resumo: Introdução: A orientação de comportamento fornecida pelo(a) cirurgião(ã) dentista alivia medo e ansiedade, ajuda a construir uma relação de confiança com a criança promovendo atitude positiva. No Brasil, toda criança tem direito, assegurado pelo ECA, a ser educada sem uso de castigo físico ou tratamentos cruéis ou degradantes. Objetivo: Realizar uma revisão da literatura narrativa sobre técnicas de manejo de comportamento em Odontopediatria, trazendo à luz uma abordagem dos aspectos éticos e legais relacionados ao cuidado e proteção da vida do(a) paciente infantil. Metodologia: Foram utilizados estudos relacionados à temática, em livros e artigos publicados em periódicos científicos, em inglês e português, nas bases de dados eletrônicos: PubMed/Medline, Scielo, Lilacs e Google Scholar no período de 2000 até 2019. Resultados: Entre todas as técnicas de controle de comportamento infantil, a mais realizada e aceita pelos(as) odontopediatras e responsáveis é a dizer-mostrar-fazer. As outras técnicas, como reforço positivo, distração, modelagem, controle de voz, podem ser usadas em conjunto para melhor conforto e segurança da criança. É necessário que o(a) cirurgião(ã) dentista aprenda a identificar comportamentos de ansiedade e seja capaz de estabelecer uma adequada relação com o(a) paciente infantil de modo a não causar nenhum dano físico ou moral (com consequências éticas e legais). Considerações finais: O conhecimento técnico e científico do manejo do comportamento infantil no atendimento odontológico é fundamental. Além disso, o(a) odontopediatra deve ficar atento(a) aos aspectos legais e éticos deste manejo, em busca do desenvolvimento físico e emocional infantil de modo satisfatório e não prejudicial.
Descritores: Ansiedade
Comportamento
Odontopediatria
Odontologia Legal
Limites: Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Responsável: BR97.1 - Serviço de Documentação Odontológica


  10 / 2233 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1283253
Autor: Peixoto, Júlia Lago; Guimarães, Bruna; Pires, Mara Dias; Almeida Júnior, Ítalo Antônio de Jesus.
Título: Efeitos da meditação sobre os sintomas da ansiedade: uma revisão sistemática / Effects of meditation on anxiety symptoms: a systematic review
Fonte: Rev. Psicol., Divers. Saúde;10(2):306-316, Julho 2021. ilus.
Idioma: pt.
Resumo: INTRODUÇÃO: A Ansiedade é um estado subjetivo de medo, apreensão ou tensão em relação a algo desconhecido ou estranho que pode acarretar desconforto psicológico e/ou físico caso ocorra de forma exacerbada e que, segundo a Organização Mundial da Saúde, afeta significativamente a população brasileira. É importante lidar com este transtorno com o objetivo de diminuir os danos físicos e psicológicos ele causa nos indivíduos; para isso, as estratégias de tratamento mais utilizadas são a intervenção medicamentosa e tratamentos não farmacológicos como a terapia, atividade física e a meditação. OBJETIVO: Estudar os efeitos da meditação no tratamento da ansiedade. METODOLOGIA: Trata-se de uma revisão sistemática de estudos intervencionais. As bases MEDLINE (Pubmed) e SCIELO foram utilizadas para a coleta de artigos em inglês e português, publicados entre os anos de 2010 e 2020. RESULTADOS: Oito ensaios clínicos randomizados foram selecionados. Os estudos sugerem uma associação positiva entre a prática da meditação e a melhora dos sintomas físicos e psicológicos dos pacientes portadores de transtorno de ansiedade. CONCLUSÃO: De modo geral, a literatura científica evidencia os efeitos benéficos da meditação no tratamento da ansiedade, embora se façam necessárias mais pesquisas sobre o tema.

INTRODUCTION: Anxiety is a subjective state of fear, apprehension, or tension in relation to something unknown or strange that can cause psychological and / or physical discomfort if it occurs in an exacerbated way and, according to the World Health Organization, that represents significant bad effects to the Brazilian population. It is important to deal with this disorder to reduce the physical and psychological damage it causes to individuals; for this, the most used treatment strategies are drug intervention and non-pharmacological treatments such as therapy, physical activity, and meditation. OBJECTIVE: To study the effects of meditation in the treatment of anxiety. METHODOLOGY: This is a systematic review of interventional studies. The MEDLINE (Pubmed) and SCIELO databases were used to collect articles in English and Portuguese, published between 2010 and 2020. RESULTS: Eight randomized clinical trials were selected. Studies suggest a positive association between meditation practice and improved physical and psychological symptoms of patients with anxiety disorder. CONCLUSION: In general, the scientific literature highlights the beneficial effects of meditation in treating anxiety, although more research on the topic is needed.
Descritores: Ansiedade
-Estresse Fisiológico
Meditação
Tipo de Publ: Revisão Sistemática
Responsável: BR333.2 - Biblioteca - Campus II



página 1 de 224 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde