Base de dados : LILACS
Pesquisa : F01.829.263.500.320 [Categoria DeCS]
Referências encontradas : 918 [refinar]
Mostrando: 1 .. 10   no formato [Detalhado]

página 1 de 92 ir para página                         

  1 / 918 LILACS  
              next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-985123
Autor: Filgueiras, Mariana de Santis; Vieira, Sarah Aparecida; Ribeiro, Andréia Queiroz; Novaes, Juliana Farias de.
Título: O histórico familiar está associado à presença de dislipidemia em crianças pré-escolares / Family history is associated with the presence of dyslipidemia in pre-school children
Fonte: Rev. Paul. Pediatr. (Ed. Port., Online);37(1):41-48, Jan.-Mar. 2019. tab, graf.
Idioma: pt.
Projeto: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.
Resumo: RESUMO Objetivo: Avaliar a associação entre história familiar e presença de dislipidemias em crianças. Métodos: Estudo transversal com 257 crianças de 4 a 7 anos de idade do município de Viçosa, Minas Gerais. Foram realizadas avaliações do estado nutricional e do perfil lipídico (colesterol total e frações e triglicerídeos), além do registro de história de dislipidemia dos pais. Para análise estatística, foi utilizado o teste do qui-quadrado de Pearson para identificar associações e teste t de Student para comparação de médias. Foi realizada análise de regressão de Poisson para avaliar a associação independente entre história familiar e a presença de dislipidemia em crianças, sendo adotado o nível de significância estatística de 5%. Resultados: Crianças com pais dislipidêmicos apresentaram maiores concentrações séricas de colesterol total e triglicerídeos. Na análise de regressão após ajuste, a presença de dislipidemia no pai ou na mãe (RP: 2,43; IC95% 1,12-5,27) bem como a presença de dislipidemia no pai e na mãe (RP: 5,62; IC95% 2,27-13,92) estiveram associadas à hipertrigliceridemia nas crianças. Crianças com pais e mães dislipidêmicos apresentaram maior prevalência de lipoproteína de baixa densidade (LDL-c) elevada (RP: 1,52; IC95% 1,18-1,97). Conclusões: A investigação da história familiar de dislipidemia deve fazer parte de protocolos para verificar a presença de hipertrigliceridemia e dislipidemias na infância.

ABSTRACT Objective: To evaluate the association between family history and the presence of dyslipidemia in children. Methods: A cross-sectional study with 257 children aged 4 to 7 years old from Viçosa, Minas Gerais, Southeast Brazil. Nutritional status and lipid profile (total cholesterol, cholesterol fractions, and triglyceride) assessments and an active search for a family history of dyslipidemia in parents were carried out. Pearson's chi-square test was used to identify associations, and Student's t-test was used to compare means. A Poisson regression analysis was performed to assess the independent association between family history and the presence of dyslipidemia in children. A significance level of 5% was adopted. Results: Children of parents with dyslipidemia had higher serum concentrations of total cholesterol and triglycerides. In a regression analysis after adjustments, the presence of dyslipidemia in the father or in the mother (OR: 2.43; 95%CI 1.12-5.27), as well as the presence of dyslipidemia in both the father and the mother (OR: 5.62; 95%CI 2.27-13.92) were associated with hypertriglyceridemia in children. Children of parents with dyslipidemia had a higher prevalence of elevated low-density lipoproteins (LDL-c) (OR: 1.52; 95%CI 1.18-1.97). Conclusions: An investigation of the family history of dyslipidemia should be made as part of the protocol to verify the presence of hypertriglyceridemia and dyslipidemia in children.
Descritores: Anamnese/estatística & dados numéricos
-Pais
Brasil/epidemiologia
Índice de Massa Corporal
Estado Nutricional
Prevalência
Estudos Transversais
Determinação de Necessidades de Cuidados de Saúde
Dislipidemias/classificação
Dislipidemias/diagnóstico
Dislipidemias/sangue
Dislipidemias/epidemiologia
Lipídeos/sangue
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Pré-Escolar
Criança
Adulto
Responsável: BR1.1 - BIREME


  2 / 918 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-977092
Autor: Assis, Maíra Macário de; Leite, Maria Alvim; Côrtes, Alessandra Jordão; Carmo, Ariene Silva do; Matozinhos, Fernanda Penido; Cândido, Ana Paula Carlos; Mendes, Larissa Loures.
Título: Excesso de peso, ambiente percebido e privação social: um estudo da percepção de pais ou responsáveis / Overweight, perceived environment, and social deprivation: a study on the perception of parents or guardians
Fonte: Rev. Paul. Pediatr. (Ed. Port., Online);36(4):466-473, out.-dez. 2018. tab, graf.
Idioma: pt.
Projeto: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.
Resumo: RESUMO Objetivo: Investigar a percepção de pais ou responsáveis sobre a proximidade residencial a locais de venda de alimentos, de lazer e de atividade física segundo a privação social da vizinhança e testar associações do ambiente percebido com o excesso de peso de seus filhos. Métodos: Estudo transversal conduzido com 408 crianças e adolescentes (6 a 15 anos de idade) de escolas públicas de um município de médio porte brasileiro. A coleta de dados ocorreu de 2011 a 2014. Foram determinados a presença de excesso de peso e o tempo de deslocamento da residência dos participantes aos locais avaliados, questionados durante entrevista telefônica com instrumento de pesquisa estruturado. O indicador de privação social adotado foi o Índice de Vulnerabilidade da Saúde. Modelos de regressão logística foram construídos para predizer a proximidade percebida (privação social como variável explicativa) e para avaliar os fatores do ambiente percebido (variáveis explicativas) associados ao excesso de peso (desfecho). Resultados: Moradores de áreas com maior vulnerabilidade social apresentaram chances de percepção de proximidade 50 a 71% menores para supermercados, feiras/sacolões, parques, áreas de lazer/centros comunitários e academias de ginástica, quando comparados a residentes de áreas com menor vulnerabilidade. A percepção de proximidade a parques reduziu em 73% a chance de excesso de peso em crianças e adolescentes, com Odds Ratio (OR) de 0,27 (IC95% 0,07-0,95; p<0,05). Conclusões: A percepção ambiental sobre a infraestrutura da área residencial pode estar relacionada com a privação social da vizinhança e a presença de excesso de peso em crianças e adolescentes.

ABSTRACT Objective: To investigate parents' or guardians' perception of their residential proximity to food retailers, leisure areas, and spaces for physical activity according to neighborhood social deprivation, and test associations between the perceived environment and their children's overweight. Methods: Cross-sectional study conducted with 408 children and adolescents (6- to 15-year-olds) attending public schools in a medium-sized Brazilian city. Data were collected from 2011 to 2014. A telephone interview using a structured research tool determined the presence of overweight and the walking time between the participants' home and the places evaluated. The indicator of social deprivation adopted was the Health Vulnerability Index. Logistic regression models were constructed to predict the perception of proximity (social deprivation as an explanatory variable) and evaluate perceived environmental factors (explanatory variables) associated with overweight (outcome). Results: Residents of areas with higher social vulnerability showed a probability of perceived proximity 50 to 71% lower to supermarkets, street/produce markets, parks, recreation areas/community centers, and gyms compared to residents of less vulnerable areas. The perceived proximity to parks reduced the chance of overweight in children and adolescents in 73%, with an odds ratio (OR) of 0.27 (95%CI 0.07-0.95; p<0.05). Conclusions: The perceived environment of the residential area infrastructure might be related to neighborhood social deprivation and the presence of overweight in children and adolescents.
Descritores: Pais/psicologia
Carência Psicossocial
Atitude Frente à Saúde
Distribuição Espacial da População
Cuidadores/psicologia
Sobrepeso
-Fatores Socioeconômicos
Brasil
Estudos Transversais
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adolescente
Responsável: BR1.1 - BIREME


  3 / 918 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-977091
Autor: Roncada, Cristian; Soldera, Karina; Andrade, Julia; Bischoff, Luísa Carolina; Bugança, Bianca Martininghi; Cardoso, Thiago de Araujo; Pitrez, Paulo Márcio.
Título: Avaliação da qualidade de vida de pais e cuidadores de crianças asmáticas / Evaluation of quality of life of parents and caregivers of asthmatic children
Fonte: Rev. Paul. Pediatr. (Ed. Port., Online);36(4):451-456, out.-dez. 2018. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO Objetivo: Avaliar e comparar os níveis de qualidade de vida (QV) de pais de crianças com e sem diagnóstico médico de asma. Métodos: Foi realizado um estudo com pais e cuidadores de crianças com e sem asma no período de 2015 a 2016. Foram selecionados pais de crianças com asma (grupo asma) em acompanhamento ambulatorial e pais de crianças sem asma ou com asma em remissão (grupo controle) em escolas proximais ao estudo, sendo aplicado um questionário respiratório para classificação da amostra. Para avaliação dos níveis de QV, foi aplicado o instrumento desenvolvido pela Organização Mundial da Saúde (OMS)- The World Health Organization Quality of Life (WHOQOL-BREF), previamente validado para a população em estudo, sendo comparados os domínios físico, psicológico, das relações sociais e do meio ambiente e o escore total, além ter sido realizada correlação entre os níveis de autopercepção da QV e da satisfação com a saúde. Resultados: Participaram do estudo 101 cuidadores de crianças com e sem asma- 50 (49,5%) formaram o grupo asma, e 51 (50,5%), o grupo controle. Amaioria dos genitores é do sexo feminino (n=89; 88,1%), com idade média de 33,5±10,4anos. Naavaliação da QV, o valor do escore total dos domínios foi considerado satisfatório, tanto na avaliação geral (68,6±13,4) quanto por grupos (asma: 62,8±10,7; controle: 74,3±13,4), demonstrando diferenças significativas entre estes em todos domínios estipulados pelo instrumento (p<0,001), bem como no escore total (p<0,001). Conclusões: Cuidadores de crianças com asma possuem QV significativamente inferior à dos responsáveis por crianças saudáveis.

ABSTRACT Objective: To evaluate and compare the levels of quality of life of parents/caregivers of children with and without diagnosis of asthma. Methods: Parents of children with asthma (asthma group) undergoing outpatient care and parents of children without asthma or asthma in remission (control group) were selected from public schools. They answered a questionnaire about quality of life (The World Health Organization Quality of Life- WHOQOL-BREF), previously validated for the study population. Domains (physical, psychological, social relations, environment and total score) were compared between groups, as well as the levels of correlation of self-perceived quality of life and satisfaction with health. Results: 101 parents/caregivers were included in the sample, that is, 50 (49.5%) parents of asthmatic children and 51 (50.5%) in the control group. Most parents included in the sample were females (n=89; 88.1%), with mean age of 33.5±10.4 years. When assessing quality of life, the overall score of domains was considered satisfactory, both in general evaluation (68.6±13.4) and in each group (asthma: 62.8±10.7; control: 74.3±13.4; p-value<0.001). Comparison of asthma and control groups showed significant differences in total score and in scores of all domains (p<0.001). Conclusions: Parents/caregiversof children with asthma have a lower quality of life compared to parents/caregivers of healthy children.
Descritores: Pais
Qualidade de Vida
Asma
Cuidadores
-Índice de Gravidade de Doença
Estudos de Casos e Controles
Autorrelato
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Criança
Adulto
Responsável: BR1.1 - BIREME


  4 / 918 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo SciELO Brasil
Texto completo
Id: biblio-977076
Autor: Cavalcante, Julianna Amaral; Viana, Karolline Alves; Costa, Paulo Sucasas; Costa, Luciane Rezende.
Título: Tradução, adaptação transcultural e avaliação preliminar da pain catastrophizing scale-parents para uso no brasil / Translation, cross-cultural adaptation and preliminary evaluation of the brazilian versionof the pain catastrophizing scale-parents
Fonte: Rev. Paul. Pediatr. (Ed. Port., Online);36(4):428-436, out.-dez. 2018. tab, graf.
Idioma: pt.
Resumo: RESUMO Objetivo: No Brasil, não há escala que avalie a catastrofização dos pais sobre a dor das crianças. O objetivo deste estudo foi traduzir e adaptar transculturalmente o Pain Catastrophizing Scale-Parents para a língua portuguesa do Brasil e avaliar preliminarmente as propriedades psicométricas de pais/outros parentes de crianças com e sem dor de dente. Métodos: Foi realizado um estudo transversal com 237 pais/outros parentes de 237 crianças. A adaptação transcultural da escala para o português brasileiro foi feita conforme a abordagem universalista. Para avaliar a confiabilidade e a validade da escala, os pais/outros parentes fizeram um relato sobre a dor de dente da criança e preencheram as versões brasileiras da Escala de Catastrofização da Dor-Pais e o Questionário de Desconforto Dentário. Resultados: Houve equivalência semântica com a versão original após pequenas modificações. O alfa de Cronbach para os 13 itens da escala foi 0,83 e os respectivos coeficientes de correlação intraclasse do teste-reteste variaram de 0,63 a 0,97. Os escores obtidos na Escala de Catastrofização da Dor-Pais e no Questionário de Desconforto Dentário apresentaram baixa correlação (rho=0,25; p<0,001). O escore total da Escala de Catastrofização da Dor-Pais diferiu significativamente (p<0,001) em crianças com dor de dente à noite (mediana: 30,0; percentil 25-75: 25,0-35,5) quando comparado com o daquelas sem dor de dente (25,5; 20,0-31,0). Conclusões: A versão brasileira da Escala de Catastrofização da Dor-Pais apresentou características aceitáveis nesta avaliação preliminar e pode ser utilizada no Brasil tanto na prática clínica quanto em pesquisas.

ABSTRACT Objective: In Brazil, there is no scale to assess parental catastrophizing about their child's pain. This study aimed to translate and cross-culturally adapt the Pain Catastrophizing Scale-Parents to the Brazilian Portuguese language, as well as to preliminarily evaluate its psychometric properties among parents/guardians of children with and without a toothache. Methods: A cross-sectional study was conducted with 237 parents/other relatives of 237 children. Across-cultural adaptation of the scale into Brazilian Portuguese was carried out according to the universalistic approach. To assess the reliability and validity of the scale, parents/other relatives reported on the child's toothache and filled out the Brazilian versions of the Pain Catastrophizing Scale-Parents and the Dental Discomfort Questionnaire. Results: There was semantic equivalence with the original version after minor modifications. TheCronbach's alpha for the 13 items of the scale was 0.83, and the respective test-retest intraclass correlation coefficients ranged from 0.63 to 0.97. The scores obtained from the Pain Catastrophizing Scale-Parents and the Dental Discomfort Questionnaire had a low correlation (rho=0.25; p<0.001). Thetotal score of the Pain Catastrophizing Scale-Parents differed significantly (p<0.001) in children with a toothache at night (median: 3.0, 25-75 percentile: 25.0-35.5) compared to those who did not have a toothache at night (25.5; 20.0-31.0). Conclusions: The Brazilian version of the Pain Catastrophizing Scale-Parents was acceptable in this preliminary evaluation and can be used in Brazilian clinical and research practice.
Descritores: Dor
Pais/psicologia
Autorrelato
Catastrofização/diagnóstico
-Psicometria
Odontalgia
Traduções
Brasil
Estudos Transversais
Características Culturais
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Lactente
Pré-Escolar
Criança
Tipo de Publ: Estudos de Avaliação
Responsável: BR1.1 - BIREME


  5 / 918 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-1052907
Autor: Silva, Fabiana Vargas dos Reis; Gomes, Tatiana de Oliveira; Marta, Cristiano Bertolossi; Araujo, Marcelle Campos; Braga, Elzeni dos Santos.
Título: Preparo dos pais de recém-nascido pré-termo para alta hospitalar: proposta de um protocolo / Preparation of parents of newborn preterm for hospital discharge: proposal for a protocol / Preparación de los padres de recién nacido pre-término para alta hospitalaria: propuesta de un protocolo
Fonte: Rev. Pesqui. (Univ. Fed. Estado Rio J., Online);12:420-426, jan.-dez. 2020. ilus.
Idioma: en; pt.
Resumo: Objetivo: levantar na literatura os critérios para preparo dos pais para alta do RNPT e propor um protocolo para este fim. Metodologia: revisão bibliográfica integrativa, qualitativa e exploratória. Resultados: Emergiram da busca três categorias: educação dos pais quanto aos cuidados ao recém-nascido; limitações e desafios enfrentados pela equipe para o preparo dos pais e estratégias utilizadas pela equipe para o preparo dos pais. Propôs-se o protocolo com orientações sobre alimentação, banho, sono, cuidados com a pele e sinais de alerta. Discussão: Os resultados apontam a importância do preparo dos pais para a alta do pré-termo, evidenciando que a manutenção da saúde quando em domicilio, terá direta relação com tal preparo. Considerações finais: Diante do discutido, há necessidade de se estabelecer um processo sistemático, para a implementação de tal ação

Objective: to raise in the literature the criteria for preparing the parents for discharge from the PTNB and to propose a protocol for this purpose. Methodology: qualitative and exploratory bibliographical review. Results: Three categories emerged from the search: parent education for newborn care, limitations and challenges faced by the parenting team and the strategies used by the parenting team. The protocol for the preparation of parents with guidelines on feeding, bathing, sleeping, skin care and warning signs was proposed. Discussion: The results point out the importance of parents' preparation for high preterm, evidencing that the maintenance of health when at home, will have a direct relation with such preparation. Final considerations: Before the discussion, there is a need to establish a systematic process for the implementation of such action

Objetivo: levantar en la literatura los criterios para la preparación de los padres para el alto del RNPT y proponer un protocolo para este fin. Metodología: revisión bibliográfica integrativa, cualitativa y exploratória. Resultados: emergieron de la búsqueda tres categorías: educación de los padres en cuanto a los cuidados al recién nacido; limitaciones y desafíos enfrentados por el equipo para la preparación de los padres y estrategias utilizadas por el equipo para la preparación de los padres. Se propuso el protocolo orientaciones sobre alimentación, baño, sueño, cuidados de la piel y señales de alerta. Discusión: Los resultados apuntan la importancia de la preparación de los padres para el alta del pre-término, evidenciando que el mantenimiento de la salud cuando en domicilio, tendrá una directa relación con tal preparación. Consideraciones finales: Ante la discusión, hay una necesidad de establecer un proceso sistemático, para la implementación de tal acción
Descritores: Relações Pais-Filho
Pais/educação
Pais/psicologia
Alta do Paciente/tendências
Recém-Nascido Prematuro
-Estresse Psicológico
Unidades de Terapia Intensiva Neonatal
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Recém-Nascido
Tipo de Publ: Revisão
Responsável: BR1208.1 - BSEN - Biblioteca Setorial de Enfermagem e Nutrição


  6 / 918 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1052186
Autor: Arrepia, Beatriz Fernandes; Silva, Jéssica Aparecida da; Pires, Paula Maciel; Duarte, Maysa Lannes; Primo, Laura Guimarães; Gonçalves, Andréa Fonseca.
Título: Association of parenting style with the behaviour and caries prevalence of preschool children
Fonte: Rev. Cient. CRO-RJ (Online);4(3):17-24, 2019.
Idioma: en.
Resumo: Objective: This study aimed to associate parenting styles (democratic,authoritarian, and permissive) with the behaviour, and prevalence of caries lesionsamong preschool children submitted to dental care. Methods: At the initialconsultation, preschool children (n = 67), from two to six years of age, wereevaluated for behaviour through the Frankl scale. The parenting styles wereinvestigated through the Parenting Styles and Dimensions Questionnaire - ReducedVersion (PSDQ) and the prevalence of caries lesions through the dmft index.Sociodemographic and economic data were collected. The chi-squared test wasused for association among parenting styles, dmft index, type of behaviour(dichotomised as positive and negative), and the following independent variables:socioeconomic level, single child, school attendance, and educational level of theperson in charge. ANOVA followed by the Tukey test were used to compare themean dmft and parenting styles. Results: The majority of preschoolers presentedpositive behaviour (83.6%), and the dmft mean was 4.76 (± 3.43). Of the total,49.3% were democratic, 44.8% were permissive, and 6% were authoritarian. Therewas no association between parenting styles and all variables investigated (p >0.05). Conclusion: Considering the results, it can be observed that there was noassociation among parenting styles, caries prevalence, and behaviour of thepreschool children in an initial dental consultation.

Objetivo: Objetivou-se associar os estilos parentais (democrático, autoritário epermissivo) com o comportamento e a prevalência de lesões de cárie de pré-escolaressubmetidos ao atendimento odontológico. Métodos: Em consulta inicial, pré-escolares(n = 67), de 2 a 6 anos de idade, foram avaliados quanto ao comportamento, atravésda escala de Frankl. Os estilos parentais de seus responsáveis foram averiguadosatravés do Questionário de Estilos e Dimensões Parentais ­ Versão Reduzida (PSDQ)e a prevalência de lesões de cárie através do índice ceod. Foram coletados dadossociodemográficos e econômicos. Utilizou-se o teste do Qui-quadrado para associaçãoentre os estilos parentais, o índice ceod, tipo de comportamento (dicotomizado empositivo e negativo) e as variáveis independentes: nível socioeconômico, ser filhoúnico, frequentar escola e nível educacional do responsável. ANOVA seguido de Tukeyfoi utilizado para comparar as médias ceod e os estilos parentais. Resultados: Amaioria dos pré-escolares apresentaram comportamento positivo (83,6%) e a médiado ceo-d da população estudada foi 4,76 (± 3,43). Do total dos responsáveis, 49,3%eram democráticos, 44,8% permissivos e 6% autoritários. Não houve associaçãoentre os estilos parentais e todas as variáveis investigadas (p > 0,05). Conclusão:Diante dos resultados, pode-se observar que não houve associação entre os estilosparentais avaliados, prevalência de cárie e comportamento dos pré-escolares emconsulta odontológica inicial.
Descritores: Cárie Dentária
-Pais
Distribuição de Qui-Quadrado
Pré-Escolar
Responsável: BR1356.1 - Biblioteca Prof Antonio F Ribeiro da Silva Filho


  7 / 918 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: biblio-986466
Autor: Montandon, Mónica.
Título: Competencias parentales en padres de niños con discapacidad neuromusculoesquelética leve a moderada / Parenting competencies in parents of children with mild to moderate neuromusculoskeletal disabilities
Fonte: Rehabil. integral (Impr.);13(2):66-73, Diciembre 2018. tab.
Idioma: es.
Resumo: El ejercicio de una parentalidad positiva es un factor de protección en relación a alcanzar un desarrollo óptimo de los hijos. Por este motivo, conocer la calidad de las competencias parentales que evidencian padres con un hijo con discapacidad es relevante para guiar la implementación de futuros programas de intervención destinados a fomentar una parentalidad positiva. Objetivo: Describir las competencias parentales (CP) de padre, madre o ambos, de niños de 0-12 años con discapacidad neuromusculoesquelética, usuarios del Instituto Teletón de Puerto Montt. Pacientes y Método: Estudio descriptivo, de corte transversal, de 52 padres y/o madres entre septiembre y noviembre de 2017. Cada padre y/o madre respondió la Escala de Parentalidad Positiva (E2P) de Gómez y Muñoz (2014). Resultados: Respecto de las competencias parentales totales, el 28,8% de los padres se ubican en un rango de riesgo, un 40,4% está en un rango de monitoreo y un 30,8% está en un nivel óptimo. Se encontró asociación estadísticamente significativa entre mejor CP total y padres mayores de 34 años y mejores CP vinculares con el primer hijo con discapacidad. Discusión: Los resultados obtenidos son concordantes con los encontrados en la población general en los programas de prevención familiar del Servicio Nacional de Menores (SENAME). Conclusión: Se verifica que existe alrededor de un 70% de padres que requieren apoyo para el desarrollo y fortalecimiento de CP. Palabras clave: Discapacidad, parentalidad positiva, competencias parentales.

Parenting competencies in parents of children with mild to moderate neuromusculoskeletal disabilities Practicing positive parenting is a protective factor for children's optimal development. Therefore it is important to know the quality of parenting competencies of parents with children with disabilities, in order to implement future intervention programs aimed at promoting positive parenting. Objective: To describe parenting competencies (PC) of father, mother or both, of 0 to 12 year old children with neuromusculoskeletal disabilities, attending Instituto Teletón in Puerto Montt. Patients and Methods: Cross-sectional descriptive study, with 52 fathers or mothers between September and November 2017. Each father and/or mother answered the questions of Gómez & Muñoz' Positive Parenting Scale (E2P) (2014). Results: Regarding total parenting competencies, 28.8% of parents are at risk range, 40.4% are at monitoring range, and 30.8% are at optimal range. Statistically significant associations were observed between total PC and parents' age, also between birth order of the child and related PC. Discussion: Results are consistent with the results observed in general population in prevention programs carried out by the National Service for Minors (SENAME). Conclusion: Approximately 70% of parents require support for developing and strengthening PCs. Key words: Disability, positive parenting, parenting competencies.
Descritores: Pais/educação
Poder Familiar/psicologia
Doenças Musculoesqueléticas
Pessoas com Deficiência
-Relações Pais-Filho
Pais/psicologia
Estudos Transversais
Cuidadores/educação
Atividade Motora
Limites: Seres Humanos
Masculino
Feminino
Adulto
Responsável: CL61.1 - Biblioteca Central Campus Sur


  8 / 918 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Id: biblio-1052417
Autor: Paiva, Ana Clara Ferreira de; Bittencourt, Jéssica Madeira; Martins, Letícia Pereira; Paiva, Saul Martins; Bendo, Cristiane Baccin.
Título: Ansiedade odontológica autorrelatada pelas crianças atendidas na Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Minas Gerais: fatores associados e correlação com o medo dos pais / Self-reported dental anxiety by children attended in the Dental School of the Universidade Federal de Minas Gerais: associated factors and correlation with parents' dental fear
Fonte: Arq. odontol;55:1-9, jan.-dez. 2019. tab.
Idioma: pt.
Resumo: Objetivo: Avaliar a correlação da ansiedade odontológica das crianças atendidas nas clínicas de Odontopediatria da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Minhas Gerais (FAO-UFMG) com o medo odontológico de seus pais/responsáveis. Além disso, avaliar a associação entre a presença de ansiedade dessas crianças com tipo de tratamento necessário, o tempo em que faz tratamento na FAO-UFMG e com seu comportamento. Métodos: Foi realizado um estudo transversal com uma amostra de conveniência de 65 crianças de 4 a 11 anos de idade atendidas nas clínicas de Odontopediatria da FAO-UFMG e seus pais/responsáveis. Os Questionários Venham Picture Test Modificado e Dental Fear Survey foram utilizados para mensurar a ansiedade e medo autorrelatados frente o tratamento odontológico das crianças e dos responsáveis, respectivamente. Tipo de tratamento odontológico, tempo em tratamento nas clínicas (FAO-UFMG) e comportamento da criança (escala de Frankl) foram obtidos através da ficha clínica. Sexo e idade (criança) sexo, grau de parentesco e escolaridade (responsável) através de um questionário. Os dados foram analisados através da correlação de Spearman e teste Kruskal-Wallis. Resultados: Não houve correlação significativa entre a ansiedade das crianças e o medo dos pais/responsáveis (r = -0,029; p = 0,820). A ansiedade odontológica foi maior em crianças submetidas à exodontia (média = 3,17; DP = 2,639) do que naquelas submetidas à procedimentos restauradores/endodônticos (média = 0,96; DP = 2,021; p = 0,013) ou sem necessidade de tratamento (média = 0,30; DP = 0,483; p = 0,032). Crianças com 4-21 meses em tratamento apresentaram maior ansiedade comparada àquelas com mais de 21 meses em tratamento (p = 0,045). Não houve associação significativa entre ansiedade odontológica e comportamento da criança (p = 0,221). Conclusão: A ansiedade odontológica das crianças não foi associada ao medo de seus pais/responsáveis. Entretanto, a necessidade de procedimentos mais complexos e o tempo em que a criança estava sob tratamento na clínica foram associados à presença de ansiedade odontológica. (AU)

Aim: To evaluate the presence of dental anxiety in children who receive dental care in the Pediatric Dentistry Clinic of the School of Dentistry at Universidade Federal de Minas Gerais (FAO-UFMG) and their correlation with their parents'/guardians' dental fears. This study also seeks to evaluate the association between these children's dental anxiety with the type of necessary dental treatment, the time needed for treatment at FAO-UFMG, and their behavior. Methods: A cross-sectional convenience study was conducted with 65 children of 4 to 11 years of age who received dental care in the Pediatric Dentistry Clinic of the FAO-UFMG and their parents/guardians. The questionnaires "Modified Venham Picture Test" and "Dental Fear Survey" were used to measure the self-reported dental anxiety and fear concerning the dental treatment of the children and their parents, respectively. The type of dental treatment, length of treatment (FAO-UFMG), and the child's behavior (Frankl scale) were obtained from the clinical record. Gender and age (child), gender, kinship, and education level (responsible) were obtained through a questionnaire. The data were analyzed using Spearman correlation and Kruskal-Wallis tests. Results: There was no significant correlation between children's anxiety and the fear of parents/caregivers (r = -0.029; p = 0.820). Dental anxiety was higher in children undergoing extraction (mean = 3.17; SD = 2.639) than in children undergoing restorative/endodontic procedures (mean = 0.96; SD = 2.021; p = 0.013) or without treatment (mean = 0.30; SD = 0.483; p = 0.032). Children who had been undergoing treatment for 4-21 months presented higher anxiety when compared to children who had been undergoing treatment for more than 21 months (p = 0.045). No significant association was observed between dental anxiety and the child's behavior (p = 0.221). Conclusion: Children's dental anxiety was not associated with their parents'/guardians' dental fear. However, the need for more complex procedures and the time the child had been undergoing treatment at the clinic were associated with the presence of dental anxiety. (AU)
Descritores: Pais
Comportamento
Criança
Assistência Odontológica
Ansiedade ao Tratamento Odontológico
Assistência Odontológica para Crianças
-Estudos Transversais
Odontopediatria
Limites: Pré-Escolar
Criança
Responsável: BR365.1 - BIB - Biblioteca


  9 / 918 LILACS  
              first record previous record next record last record
seleciona
para imprimir
Fotocópia
Texto completo
Texto completo
Id: lil-384688
Autor: Zawadzki Desia, Néstor Iván.
Título: Apague el televisor, no su hijo / Put out the television, not your child
Fonte: Pediatr. (Asunción);29(1):25-28, ene.-jun. 2002.
Idioma: es.
Resumo: Presenta los efectos de la televisión sobre los niños en la nutrición, sobre el desarrollo del cerebro, el tiempo con la familia, en el aprendizaje, la violencia, la sexualidad, el uso de alcohol y drogas, entre otros. También presenta una recomendación para los pediatras para instruir a los padres sobre el uso correcto de televisión en sus hogares
Descritores: Televisão
Criança
-Relações Pais-Filho
Pais
Responsável: PY30.1 - Biblioteca


  10 / 918 LILACS  
              first record previous record
seleciona
para imprimir
Id: biblio-1018376
Autor: Jacquet de Adorno, Mirian.
Título: Afecta a los hijos el abuso ocasional de alcohol de los padres? presentaciòn de casos / Does parents occasional alcohol excess affect children? case report.
Fonte: Asunciòn; EFACIM-EDUNA; 1997. 133-144 p. tab.
Idioma: es.
Resumo: Este es un estudio descriptivo sobre cinco casos de niños de 8 a 11 años que solicitaron ayuda profesional en consultorio de consejerìa de un colegio privado de Asunciòn por sentirse afectados por el abuso ocasional de alcohol de sus padres (progenitor masculino). Los niños explicaron al psicòlogo las alteraciones importantes de conducta que manifestaron sus padres en el nùcleo familiar en esas circunstancias. La frecuencia del abuso era muy variable, por cuanto que quizas pasaban semanas entre uno y otro incidente. Los niños manifestaron que "cuando hacìa calor" se daba mayormente porque habìa "màs fiestas", "se sale màs" tanto el padre sòlo como con la familia. La conductas presentadas fueron: agresiòn verbal y fìsica a la pareja y/o los hijos, destrucciòn de objetos dentro del hogar, amenaza con arma de fuego. Los instrumentos utilizados fueron: los tests CAT y gràficos, ambos proyectivos y el mètodo de entrevistas. A travès de ambos tests, se detectan en los niños: depresiòn, deseo de eludir el medio, alto nivel de frustraciòn, angustia, agresividad, desvalorizaciòn de la figura paterna, inseguridad, rasgos en intensidad variable segùn las situaciones de crisis vividas. Los padres fueron llamado a entrevista informàndoseles sobre los resultados de las pruebas a sus hijos y algunos aceptaron seguimiento tanto para ellos como para los niños. Con la intervenciòn se logrò en tres de los casos que asumieran el problema en cuanto al consumo del alcohol, factor reconocido por ellos como detonador de su agresividad y descontrol.
Descritores: Alcoolismo/enfermagem
Alcoolismo/prevenção & controle
Alcoolismo/psicologia
Alcoolismo/reabilitação
Alcoolismo/terapia
Pais/psicologia
Relações Pais-Filho
-Paraguai
Responsável: PY2.1 - Centro de Documentación
SR 616.9363 An78a 1995



página 1 de 92 ir para página                         
   


Refinar a pesquisa
  Base de dados : Formulário avançado   

    Pesquisar no campo  
1  
2
3
 
           



Search engine: iAH v2.6 powered by WWWISIS

BIREME/OPAS/OMS - Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde